Carlos Maurício G.

Ribeiro -

http://geocities.yahoo.com.br/mauriciogrib - e-mail: mauriciogrib@yahoo.com.br

Nutrição e Crescimento Bacteriano
1. Nutrição - corresponde ao fornecimento de substâncias nutritivas para o desenvolvimento de um microrganismo. O reconhecimento das necessidades nutricionais bacterianas é importante para assegurar seu cultivo em condições artificiais, no laboratório de bacteriologia. 2. Nutrientes - são definidos como substâncias utilizadas pela célula para a construção, organização e manutenção de sua estrutura, inclusive como fonte de energia, quando esta é de natureza química. Os nutrientes essenciais, podem ser divididos, didaticamente, em classes distintas, de acordo com seu papel no metabolismo. Torna-se importante ressaltar que as bactérias apenas se nutrem de substâncias em solução sendo portanto a água um fator indispensável para seu crescimento. Os elementos químicos principais para o crescimento da célula são: carbono, nitrogênio, oxigênio, enxofre e fósforo 2.1. Doadores de Hidrogênio - São substratos oxidáveis, que sob a forma de doadores de elétrons, fornecem energia para os microrganismos quimiossintetizadores. Estes substratos capazes de perder elétrons, podem ser compostos orgânicos como glicídios, álcoois, aminoácidos, ou inorgânicos como nitritos, sulfitos, enxofre e o próprio hidrogênio. Os microrganismos fotossintetizadores exigem doadores de elétrons com a finalidade de realizar a fotossíntese.

2.2. Receptores de Hidrogênio - Quando um substrato se oxida doando elétrons, geralmente pela perda de átomos de hidrogênio; outro substrato se reduz, recebendo estes átomos, ou seja, as reações de oxidação são sempre acopladas a reações de redução. O oxigênio gasoso é utilizado como aceptor de H+, pelos microrganismos aeróbios. Os anaeróbios podem usar compostos inorgânicos (sulfato, nitrato, carbonato) ou orgânicos, no caso da fermentação, usando a fonte de carbono, ou algum fragmento dela derivado. 2.3. Fonte de Carbono - Todos os organismos requerem carbono de alguma forma. Em geral os compostos orgânicos são os que possuem carbono. O carbono é o elemento fundamental na constituição das moléculas orgânicas, formando o esqueleto das 3 maiores classes de nutrientes orgânicos: carbohidratos, lipídeos, e proteínas - estes fornecem energia para o crescimento da célula e servem como unidade básica do material celular. Os microrganismos em geral, necessitam de uma fonte de carbono para síntese dos numerosos compostos orgânicos que constituem o protoplasma. O carbono é um elemento indispensável à síntese dos componentes celulares, e deve ser fornecido à bactéria seja como composto orgânico como por exemplo os carbohidratos, ou inorgânicos, sob a forma de CO2. As bactérias capazes de utilizar CO2 como única fonte de carbono são denominadas como autotróficas. Os heterotróficos utilizam compostos orgânicos como sua principal fonte de carbono, obtendo tais moléculas a partir do meio, ou ingerindo organismos autotróficos ou mesmo heterotróficos. Em muitos casos, um mesmo composto pode funcionar como fonte de carbono, doador de hidrogênio e fonte de energia. O carbono utilizado primariamente pelos seres vivos está presente no ambiente, combinado ao oxigênio e formando as moléculas de gás carbônico presentes na atmosfera ou dissolvidas nas águas dos mares, rios e lagos. O carbono passa a fazer parte da biomassa através do processo da fotossíntese. Os seres fotossintetizantes incorporam o gás carbônico atmosférico, transformando-se em moléculas orgânicas. O ciclo do carbono é o seguinte: O carbono é absorvido pelas plantas. Uma vez incorporado às moléculas orgânicas dos produtores, poderá seguir dois caminhos: ou será liberado novamente para a atmosfera na forma de CO2, como resultado da degradação das moléculas orgânicas no processo respiratório, ou será transferido na forma de moléculas orgânicas aos animais herbívoros quando estes comerem os produtores (uma parte será transferida para os decompositores que liberarão o carbono novamente para a atmosfera, degradando as moléculas orgânicas presentes na parte que lhes coube). Os animais, através da respiração, liberam à atmosfera parte do carbono assimilado, na forma de CO2. Parte do carbono contido nos herbívoros será transferida para os níveis tróficos seguintes e outra parte caberá aos decompositores e, assim, sucessivamente, até que todo o carbono fixado pela fotossíntese retorne novamente à atmosfera na forma de CO2.

yahoo. Classificação dos Tipos Nutricionais .4. Algumas bactérias necessitam de fontes orgânicas de nitrogênio como peptídeos.fixação de nitrogênio. Outros minerais necessários à nutrição porém em concentrações tão baixas que são supridas como impurezas dos demais componentes utilizados no preparo do meio.br/mauriciogrib . Outros tipos de bactérias transformam a amônia em nitratos e é. Ativadores de Enzimas . em geral sob a forma de seus íons.com. O Ca++ é necessário na parede celular de bactérias Gram positivas. 2. Os íons de magnésio e ferro são encontrados nas porfirinas. A rotação de culturas é uma prática recomendável. Fatores de Crescimento .No preparo de um meio nutritivo para cultivo da maioria dos microrganismos. porque as plantas leguminosas colocam em disponibilidade o nitrogênio para outras culturas. aparecendo em proteínas. é necessário oferecer fontes de potássio.Um fator de crescimento é um composto orgânico de que uma bactéria necessita para crescer. Assim determinados aminoácidos. essas bactérias liberam seu nitrogênio no solo. o magnésio na molécula de clorofila. cálcio e ferro. vitaminas. As bactérias são mais versáteis para usar o nitrogênio que os organismos eucariotos.6. Minerais . que formam as proteínas. vivem no interior dos nódulos formados em raízes de plantas leguminosas. O Mg ++ e o K+ são íons essenciais no funcionamento e integridade dos ribossomos. Fósforo . necessário para a biossíntese dos aminoácidos cisteína. Alguns microrganismos exigem enxofre orgânico. Apenas certas bactérias e algas cianofíceas podem retirá-lo do ar na forma de N2 e incorporá-lo às suas moléculas orgânicas.Carlos Maurício G. sob a forma de grupamentos sulfidrila. que as plantas absorvem o nitrogênio do solo. poucos são os organismos que o assimilam nessa forma. e aos microrganismos que obtém energia a partir . A principal separação corresponde a forma de obtenção de energia. dentre outros compostos. Fonte de Nitrogênio . Estes funcionam como ativadores enzimáticos.1. na forma de N2. mas muitos podem reduzir sulfato à forma orgânica. 2.3. nessa forma. na forma de N2.Necessários ao crescimento e metabolismo de células bacterianas. é feita graças à ação de outras bactérias. mas não é capaz de sintetiza-lo. O fosfato é sempre assimilado sob a forma de fosfato inorgânico livre. e metionina. 2. sendo denominados como fototróficos aqueles microrganismos capazes de utilizar a energia radiante (energia luminosa). A devolução do nitrogênio à atmosfera. Os herbívoros obterão nitrogênio ao comerem as plantas. Como conseqüência. As bactérias que fixam o nitrogênio diretamente da atmosfera vivem próximo à superfície do solo. Ao fixarem o nitrogênio do ar. coenzimas ou outros compostos devem ser acrescentados ao meio no intuito de assegurar o desenvolvimento bacteriano. Enxofre . por meio de suas raízes. essas bactérias fornecem parte dele às plantas.com. magnésio. cistina.br 2.as bactérias podem ser divididas em grupos com base em suas exigências nutritivas. e o ferro como parte das coenzimas dos citocromos e peroxidases. Em bactérias o nitrogênio compreende aproximadamente 10% do peso seco das células.e-mail: mauriciogrib@yahoo. 2.5. Certas bactérias fixadoras de nitrogênio atmosférico. ao invés de viverem livres no solo. Ao morrer e ser degradadas. É a parte essencial dos aminoácidos. Elas podem transformar os nitratos do solo em N2.5.2.É um componente de muitas substâncias orgânicas da célula.O nitrogênio é um elemento que entra na constituição de duas moléculas orgânicas extremamente importantes: as proteínas e os ácidos nucléicos. na forma de moléculas de amônia. chamadas denitrificantes.5. NADP e as flavinas.O fosfato é exigido como um componente do ATP. 3. Ribeiro - http://geocities. Embora esteja presente em grande porcentagem no ar atmosférico. 2. aminoácidos ou sais orgânicos de amônia. fechando o ciclo. que volta à atmosfera. os demais seres vivos dependem daqueles organismos para a fixação do nitrogênio ambiental. dos ácidos nucleícos e de coenzimas como NAD.5. nitritos e sais de amônia ou o próprio N 2 (nitrogênio atmosférico) . como a soja e o feijão. enquanto outras são capazes de utilizar fontes inorgânicas de nitrogênio como nitratos.

Os organismos de uma forma geral. As formas bacterianas que necessitam de uma fonte orgânica de carbono são caracterizadas como heterotróficas. como os açucares e outros carbohidratos. os quais contêm uma grande variedade de substâncias orgânicas preparadas a partir de matérias naturais. Muitas bactérias também exigem apenas o CO 2 como sua fonte nutritiva. Os vegetais utilizam o CO 2. Se a glicose é o constituinte comum de um nicho bacteriano. mas não das gram-positivas. ágar verde brilhante para Salmonella . mas a maior parte requer certos compostos orgânicos de carbono.Distribuição das Bactérias Quanto aos Tipos Nutritivos Tipo Nutricional Fotolitotrófico Fotorganotrófico Quimiolitotrófico Quimiorganotrófico Energia Luminosa Luminosa Química Química Fonte de Carbono CO2 Composto orgânico CO2 Composto orgânico Doador de H2 Inorgânico Orgânico Inorgânico Orgânico Exemplo de Organismo Vegetais clorofilados Sulfobactérias (Chromatium) Bactérias Purpurinas (Rhodopseudomonas) Nitrobactérias (Thiobacillus) Animais. Ribeiro http://geocities.com.yahoo. o corante verde brilhante adicionado ao meio inibe as bactérias gram-positivas comuns do trato intestinal. Para aquelas bactérias que apresentam maiores exigências nutricionais (fastidiosas) utilizam-se meios complexos. convertendo-o pela fotossíntese em carbohidratos. Meios Seletivos . 4. adiciona-se sangue ao meio. de pequenas quantidades de dióxido de carbono (CO 2).Carlos Maurício G.e-mail: mauriciogrib@yahoo.servem para selecionar um microrganismo permitindo um tipo particular ou suprimindo o crescimento de outros. Tabela 1 . ao menos. no sentido de serem incapazes de usar o CO 2 como única fonte de carbono e portanto dependerem de organismos autotróficos para a produção de carbohidratos entre outros compostos utilizados como alimentos. Exemplos: ágar sabourad para fungos. No entanto existem outras bactérias que apresentam um comportamento semelhante aos animais.br/mauriciogrib . Meios para o Cultivo de Bactérias Os meios escolhidos para o cultivo de bactérias específicas normalmente simulam o habitat normal das mesmas. dessa forma para as bactérias que preferem os nutrientes encontrados no sangue. tornando-os seletivos para os microrganismos resistentes à estes agentes antimicrobianos . esses microrganismos são classificados como autotróficos. adiciona-se açúcar ao meio.com. incluindo-se os microrganismos requerem alguma forma de carbono. Recentemente os antibióticos vem sendo adicionados aos meios. Maioria das bactérias (Escherichia ) 4. o ágar fenil-etanol inibe o crescimento de gram-negativas. todos necessitam. cabe a denominação de quimiotróficos.1.br da oxidação de compostos químicos. e de acordo com essa característica.

Meios Diferenciais .com.br/mauriciogrib . constituído de sais de amônia.o desenvolvimento rápido e luxuriante pode estar .utilizados para selecionar um microrganismo que está presente em determinado local. e fenol como única fonte de carbono e energia . Exemplos: ágar MacConkey . mas não o crescimento das outras espécies presentes em uma população mista. Meios Seletivos/Diferenciais . 4. Meios de Estocagem . 4. e portanto não formam este halo ao redor das colônias). nenhum agente inibidor é utilizado para prevenir o crescimento de microrganismos indesejáveis.5. utilizando um meio de enriquecimento.agem tanto como seletivos como diferenciais.assim somente os microrganismos capazes de oxidar o fenol estarão presente em grande número depois de vários cultivos seletivos 4. pode-se diferenciar as bactérias hemolíticas (produzem enzimas que lisam as hemácias.contém sais biliares e corante cristal violeta.utilizados para a manutenção da viabilidade e das características fisiológicas de uma cultura. que distingue as fermentadoras (produtoras de ácido a partir do açúcar tornando-as vermelhas) das não fermentadoras (não produtoras de ácido). formando uma zona clara ao redor da colônia) das não hemolíticas (que não dissolvem as hemácias.3. em pequenas quantidades com relação à população. Um exemplo são as bactérias que oxidam o fenol . a qual pode exigir um meio diferente daquele ótimo para o seu crescimento . como na determinação da qualidade da água ou na identificação de causas de infecção alimentar.2.Carlos Maurício G.com.br 4.4. os quais inibem o crescimento de gram-positivos e permitem o desenvolvimento de gram-negativas. Exemplos: quando uma amostra de secreção da garganta é semeada numa placa de ágar sangue. e ainda a lactose. O meio favorece o crescimento da espécie desejada. ao contrário do meio seletivo.servem para diferenciar os vários tipos de microrganismos em uma placa com ágar.yahoo. Ribeiro - http://geocities.que podem ser isoladas de amostras do solo.e-mail: mauriciogrib@yahoo. são particularmente úteis em microbiologia de saúde pública. Meios de Enriquecimento .

Assim por exemplo. No final da fase lag.com.br associado com a rápida morte celular.2. Há uma perda lenta de células por morte equilibrada exatamente pelo aparecimento de novas células às custas de crescimento e divisão celular.durante o ciclo de crescimento. proteínas.Carlos Maurício G.2. denominando-se cultura bacteriana a esta população de bactérias distribuídas no meio. 5. Ribeiro http://geocities. 5. enquanto novo material celular está sendo sintetizado a uma velocidade constante.3. sendo preferível omitir a glicose na preparação de um meio de estocagem. iniciando a síntese de enzimas e coenzimas necessárias ao seu crescimento. 5. Isto contínua até que um ou mais nutrientes no meio se esgotem ou os produtos tóxicos resultantes do metabolismo bacteriano se acumulem inibindo o crescimento. Quando bactérias são cultivadas em meios líquidos seu crescimento causa a turvação do meio. onde uma única célula cresce até atingir o dobro do tamanho inicial e divide-se em duas. e nos microrganismos unicelulares conduz a um aumento no número de células que constituem uma população ou cultura. de células bacterianas viáveis.Logo após a inoculação no meio de cultura líqüido (caldo). que favorece com freqüência o crescimento. O crescimento de bactérias em meio sólido permite a obtenção de colônias de bactérias. seguindo-se o processo de fissão binária que culmina no aparecimento de duas novas células. processo em que uma célula dá origem a duas outras pela separação do material celular em duas metades equivalentes.2. também desenvolve maior quantidade de ácidos no meio.2.5. sintetizam componentes celulares. estas começam a ajustar-se às condições físicas. Reprodução .Fases do Crescimento Bacteriano. DNA. A seguir iniciam-se seqüências de sínteses bioquímicas. . a glicose. uma cultura bacteriana apresenta quatro fases de crescimento característicos. A duração na fase de declínio.2. o processo mais comum e importante envolve a fissão binária transversal. Fase Lag ou de demora (A) .1.Decorrente da diminuição do ritmo de crescimento. Fase Logarítmica ou exponencial (B) . que convertem esses nutrientes em novas substâncias celulares (RNA. crescimento é aumento do número de indivíduos presentes na população. existindo intensa atividade metabólica. a fase estacionária corresponde ao período onde o número de indivíduos permanece constante no decorre do tempo. Esse aumento de indivíduos é gradual. Fase de Declínio ou morte (D) . inicia-se a fase seguinte do crescimento. aos nutrientes disponíveis.yahoo. Há um aumento da massa e tamanho celular. ingerem seletivamente os nutrientes do ambiente. 5. Fase Estacionária (C) .2. Fases de Crescimento . aumentando sua massa e começam a se dividir. Gráfico . as células que se adaptaram ao meio. que ocorre ao fim da fase exponencial. Crescimento . Esse aumento ocorre em função da divisão binária. 5.De acordo com o tipo de microrganismo e com as condições de cultura. A multiplicação celular é uma conseqüência do crescimento. após determinado período de tempo na fase estacionária. A substância da nova parede celular é sintetizada. enzimas. e assim a intervalos regulares de tempo as células dividem-se resultando num aumento exponencial do número de indivíduos na população. 5. a taxa de morte aumenta até atingir certo nível de estabilidade. também é bastante variável.1.e-mail: mauriciogrib@yahoo.no decorrer do seu desenvolvimento.br/mauriciogrib .no sentido conferido a organismos unicelulares como as bactérias. Essa divisão binária é um método de reprodução assexuada. 5.4.2. Nesta fase não ocorre divisão celular.com. 5. As células bacterianas inoculadas em um meio de cultura recentemente preparado. entre outras macromoléculas).Durante esta fase as células se acham estabilizadas. e quando todas as células da cultura estão aptas a se dividir em tempos regulares.

Ribeiro - http://geocities.com. relacionando-se as contagens viáveis com as leituras ópticas e construindo-se uma curva padrão. A concentração celular (o número de células por unidade de volume da cultura). todas as leituras subsequentes podem ser convertidas em concentração celular. duas modalidades são mais usadas. Existem muitas possibilidades de se aferir o crescimento microbiano. Na densidade celular (peso seco de células por unidade de volume da cultura).yahoo. . Através da curva padrão. com o auxílio de meios fotoelétricos. A Medida do Crescimento: A determinação do crescimento requer a medida quantitativa da população celular no momento da inoculação e outra vez após a incubação. Para cada método. no entanto.br 6.e-mail: mauriciogrib@yahoo.Carlos Maurício G. é necessário determinar previamente uma curva padrão que estabeleça a relação entre os valores das medidas com os pesos secos conhecidos. onde o recurso habitual consiste em medir a absorção ou dispersão da luz por uma cultura. como medidas fotoelétricas.br/mauriciogrib . vários métodos indiretos são recomendados. determinação do nitrogênio e centrifugação em recipientes especiais.com.