Centro Universitário UNA

Fábio Veloso Gabriela Benfica

A liberdade tendenciosa nos noticiários esportivos:
A parcialidade dos programas no rádio.

Belo Horizonte 2012

Fábio Veloso Gabriela Benfica

A liberdade tendenciosa nos noticiários esportivos:
A parcialidade dos programas no rádio.

Análise crítica apresentada como requisito de avaliação do curso de Publicidade e

Propaganda do Centro Universitário UNA para aprovação na disciplina Analise Crítica da Mídia.

Professor orientador: Clara Teixeira

Belo Horizonte 2012

Resumo: A crítica a seguir tem como objetivo principal, ilustrar a forte influencia da parcialidade de apresentadores de programas de rádio em seu publico, demonstrando através de entrevistas tanto com os membros do programa tanto com os ouvintes, a veracidade da informação. O fato em questão é expor se realmente a declaração explicita de alguns apresentadores e âncoras, influi diretamente para a fidelização de ouvintes ou não, determinando diretamente para o sucesso do programa. O programa discutido em questão é o “98 Futebol Clube”, que pode ser ouvido por toda a região de Belo Horizonte, Grande BH e Região Metropolitana através da rádio 98,3 FM. A apresentação do programa é diária à partir de 12:00 até às 14:00.

O programa conta com sete apresentadores que se revezam durante a programação, trazendo uma comunicação dinâmica e interativa com o público ouvinte. Os apresentadores trazem informações sobre os clubes de futebol de Minas Gerais, principalmente Cruzeiro, Atlético e América, de maneira criativa, espontânea e humorística.

Tratando de publico alvo, foi possível destacar em sumo os torcedores dos clubes em questão que buscam informações de qualidade e com bom humor, do jeito que o programa é feito. A participação de ouvintes é constante. Uma senha é gerada no início do programa, relacionada ao tema que será debatido além das notícias diárias apresentadas de cada um dos clubes. Essa senha não tem um formato padrão, ocorre de várias formas diferentes como: frases, palavras e até vinhetas. Os contatos são todos feitos por telefone e são os ouvintes que procuram a participação no programa e para tal participação, é necessária a informação da senha do programa. Ou seja, sem que seja informada, não poderá ser feita a participação, limitando a ouvintes que estejam ligados ao programa desde o começo.

Os apresentadores são torcedores declarados de um time e cada um tem o seu momento no noticiário para apresentar as informações do seu respectivo clube. A parcialidade dos apresentadores traz o humor do programa, já que as discussões ficam mais calorosas. Além de toda as nuances do futebol tratadas no programa, o humor caricato traz ouvintes de diferentes idades e sexo apenas por se tratar de uma programação bem humorada.

O programa gera alguns questionamentos, é possível tratar de notícias e ter credibilidade usando do humor? Para isso, faz-se necessário avaliar a linguagem, formato e conteúdo do

programa. Não é de hoje que o futebol faz parte da cultura do nosso país, existem diversos programas com foco no jornalismo esportivo, seja em rádio ou TV, qual o grande diferencial deste programa em relação a outros existentes?

Uma pesquisa realizada entre ouvintes de rádio, composta de uma amostra de 30 pessoas, mostrou a preferência dos ouvintes fãs de futebol pelo programa, utilizando da pesquisa, em forma de conversa com estudantes do Centro Universitário UNA, foi fácil constar que programa 98 Futebol Clube tem um público abrangente por tratar de notícias do futebol em Minas Gerais na hora do almoço. Um programa onde as opiniões e as informações colocadas pelos apresentadores influenciam diretamente o seu publico já que, tal público não tem acesso a outro noticiário esportivo diferenciado e interativo, tem tempo real, tanto na TV quanto no Rádio, exibidos no mesmo horário do programa em questão.

Um fator de discussão no programa é seu âncora. Todos os apresentadores têm seu clube declarado, mas a influencia de ter um âncora parcial, afeta diretamente na manutenção de ouvintes. Enxerga-se isso em várias outras plataformas e programas, onde supõem-se que a parcialidade gera a não fidelidade ao programa por parte de torcedores radicais ou sem senso humorístico para entender qual realmente é o objetivo do programa.

Porém, a parcialidade de todos os apresentadores, traz consigo uma maior fidelidade ao programa pelo humor caricato e atraente que tem como base a informação séria, mas com contornos de brincadeira.

Em entrevista com um dos integrantes do programa, o cruzeirense Bauxita, foram constatados fatos que comprovam a veracidade das informações. Foi questionado ao apresentador se ele sente de forma negativa a parcialidade apresentada pelo seu colega de programa, o âncora e atleticano Gilbert, e se isso afeta diretamente na apresentação do programa.

Segundo Bauxita, a parcialidade já traz um tom de humor ao programa, ao passo que a própria declaração de cada apresentador abre espaço para que as piadas e brincadeiras tanto entre os apresentadores, quanto com o público participante, sejam a marca registrada do programa e não afastem ouvintes e sim fidelizem uma gama muito maior do que a perda pelo humor e parcialidade apresentados.

Ainda em declaração, Bauxita afirma que a afirmação dos apresentadores serve de maior fidelidade ao programa, uma vez que nos outros veículos de comunicação e programas, a parcialidade não se dá de forma aberta, o que causa uma revolta juntos aos torcedores pela hipocrisia velada nos outros meios comunicacionais.

Unido à paixão e ânimos exaltados, o programa trata uniformemente todos os lados de todos os times de Minas Gerais, exceto pelo âncora Gilbert, que por ser a voz mais ativa e atuante do programa, supõe-se que as declarações sejam de forma mais enfática e tendenciosa já que desequilibra a participação a favor do Atlético Mineiro.

Em comparação aos outros veículos de comunicação, o rádio se torna uma terra onde a informação tem a tendência em ser divulgada de maneira mais clara e aberta, já que não possui imagens para exemplificar o que está sendo dito. Aliado a isso, o rádio possui uma liberdade de informação maior, necessitado pelo fato de ilustrar o que está sendo dito e informar de maneira sucinta e objetiva.

Exemplo é o programa Alterosa Esporte que tem transmissão pela Rede Alterosa diariamente no horário do almoço também. Uma bancada formada por três membros, um cruzeirense, um atleticano e um americano, comandados por um quarto membro e âncora neutro. Supõe-se que atrás das câmeras o âncora tenha um time declarado, o que gera frisson nas redes sociais, em um jogo de adivinhação e até duras críticas sobre qual a tendência que o programa leva.

Esse quesito pode ilustrar bem a liberdade que o rádio toma e a dimensão que o programa 98FC alcança, ao conseguir se destacar como um programa claro, limpo e aberto ao público, que tem a transparência de apresentar os seus membros como tais e aborda todo o universo esportivo de Minas Gerais.

A tal parcialidade do âncora no 98FC, pode gerar comentários maliciosos e tendenciosos sobre o programa, porém, na pesquisa realizada com o publico ele se mostrou fiel soube definir o que realmente importa na sua programação de maneira a relevar qualquer comentário malicioso ou tendencioso de um membro e ou participante.

No jornalismo esportivo, a opinião dos apresentadores e as notícias se encontram, se tratando de um programa com o objetivo de entreter, pode-se perceber que o 98FC integra esses

conceitos. A notícia é vista como entretenimento, já que o futebol é uma forma de entreter a população, os apresentadores também entram no humor, dando suas opiniões muitas vezes em forma de piadas, principalmente sobre o clube rival. O programa é feito com o intuito humorístico de provocar o riso, o que se adéqua perfeitamente ao seu horário de transmissão, podendo ser escutado no horário de almoço, onde o público, trabalhador ou não, está num momento de relaxamento e descanso, no carro, em casa ou no celular. O 98 Futebol Clube tem na sua receita de sucesso situações caricaturadas, espontaneidade e diversidade de personagens, é atraente e se diferencia da concorrência.