Definição Legal

Quadro Comparativo

“área localizada no interior de uma propriedade ou posse rural, excetuada a de preservação permanente, necessária ao uso sustentável dos recursos naturais, à conservação e reabilitação dos processos ecológicos, à conservação da biodiversidade e ao abrigo e proteção de fauna e flora nativas”. Art. 1.°, § 2.°, III, do CFlo

Limitação ao uso da propriedade
Natureza Jurídica

Conforme já reconhecido pelo STJ ( REsp 743.363, de 20.09.2007 ), não é indenizável, devendo ser suportada por todos os proprietários rurais para a manutenção de parte das florestas e da biodiversidade nacional.
Indenização???

Em caso de desapropriação, deverá ser indenizada a cobertura florestal na área de reserva legal, pois passível de exploração via manejo florestal sustentável, mas em quantia inferior à área onde é permitido o corte raso da vegetação. "2. A área de reserva legal de que trata o § 2.° do artigo 16 do Código Florestal é restrição imposta à área suscetível de exploração, de modo que não se inclui na área de preservação permanente. Não se permite o corte raso da cobertura florística nela existente. Assim, essa área pode ser indenizável, embora em valor inferior ao da área de utilização irrestrita, desde que exista plano de manejo devidamente confirmado pela autoridade competente" (RESP 867.085/2007).

- pelo órgão estadual ambiental, ou, Será aprovada: - se houver convênio, pelo órgão municipal, I - o plano de bacia hidrográfica; Art. 16, § 4.°, CFlo Localização da Reserva Legal
Desapropriação e Indenização Limitada

II - o plano diretor municipal; III - o zoneamento ecológico-econômico; IV - outras categorias de zoneamento ambiental; V - a proximidade com outra reserva legal, área de preservação permanente, unidade de conservação ou outra área legalmente protegida.

Não é outro o entendimento dominante do STJ, que ainda condiciona o pagamento à existência de plano de manejo aprovado pelo órgão ambiental, fato que demonstra a sua exploração econômica :

Para tanto, deverá considerar a função social da propriedade e os seguintes critérios:

Se área de reserva legal estiver desmaiada, não só os responsáveis diretos e indiretos pela exploração clandestina estarão obrigados a perpetrar o reflorestamento com espécies nativas. Os atuais proprietários ou possuidores, mesmo que tenham recebido o prédio rústico já com a área de RL prejudicada, serão responsáveis civilmente pela obrigação de recompor a mata, por se tratar de obrigação propter rem. Obrigação ( propter rem ) de reflorestar
Art. 16, CFlo

- 80%, nas áreas rurais de floresta situadas na Amazônia Legal; - 35%, nas áreas rurais de cerrado situadas na Amazônia Legal, sendo ao menos 20% na propriedade e 15% na forma de compensação em outra área; - 20% nas áreas rurais de floresta ou vegetação nativa em outras regiões do Brasil, inclusive os campos gerais.

Percentuais por Região

Reserva Legal na Lei 4.771/65

Dimensões Redução da reserva legal na Amazônia Legal nas áreas de floresta de 80% para até 50%:

"I - recompor a reserva legal de sua propriedade mediante o plantio, a cada três anos, de no mínimo 1/10 da área total necessária à sua complementação , com espécies nativas, de acordo com critérios estabelecidos pelo órgão ambiental estadual competente; II - conduzir a r egeneração natural da reserva legal ; e III - compensar a reserva legal por outra área equivalente em importância ecológica e extensão , desde que pertença ao mesmo ecossistema e esteja localizada na mesma microbacia, conforme critérios estabelecidos em regulamento".

Redução

Com fins de recomposição, excluídas as APP’s, se for indicado pelo Zoneamento Ecológico-Econômico - ZEE e pelo Zoneamento Agrícola, ouvidos o CONAMA, o Ministério do Meio Ambiente e o Ministério da Agricultura.

Exceções

Majoração da reserva legal em 50% do percentual previsto nos demais casos, observados os mesmos pressupostos acima elencados.

Aumento
Logo, é possível:
Medidas isoladas ou conjuntas

Que a reserva legal nas áreas de cerrado na Amazônia Legal suba para 52,50% (35%, com o acréscimo de 50%) da propriedade, Que nas demais regiões do Brasil para 30% (20%, com o acréscimo de 50%).

Regra Art. 44-A da Lei 4.771/1965, incluído pela Medida Provisória 2.166-67/2001 Instrumento por meio do qual o proprietário rural renuncia voluntariamente, em caráter permanente ou temporário, a direitos de supressão ou exploração da vegetação nativa, localizada fora da reserva legal e da área de preservação permanente. Deve ser averbada à margem da inscrição da matrícula do imóvel, no registro de imóveis competente. Tal compensação deverá ser submetida à aprovação pelo órgão ambiental estadual competente.
Caso se trate de pequena propriedade ou posse rural familiar, para fins de integralização da reserva legal, será possível computar o plantio de árvores frutíferas ornamentais ou industriais, compostos por espécies exóticas, cultivadas em sistema intercalar Ou em consórcio com espécies nativas . Requisitos

Em regra, no cálculo da reserva legal, serão excluídas as áreas de preservação permanente - APP’s, devendo as áreas ser somadas. "§ 6.° Será admitido, pelo órgão ambiental competente, o cômputo das áreas relativas à vegetação nativa existente em área de preservação permanente no cálculo do percentual de reserva legal, desde que não implique em conversão de novas áreas para o uso alternativo do solo , e quando a soma da vegetação nativa em área de preservação permanente e reserva legal exceder a :

Descumprimento do minimum Cálculo

I - oitenta por cento da propriedade rural localizada na Amazônia Legal ; II - cinquenta por cento da propriedade rural localizada nas demais regiões do País; e III - vinte e cinco por cento da pequena propriedade definida pelas alíneas 'b' e 'c' do inciso I do § 2.° do artigo 1.°".

Conceito: Servidão Florestal

Art. 16, §6º, CFlo

Exceção

Registro

Averbação no cartório de imóveis Isenção de taxas para a pequena propriedade Deixar de averbar a reserva legal já é considerado infração administrativa ambiental federal, nos termos do artigo 55 do Decreto 6.514/2008, com multa diária de R$ 50,00 a R$ 500,00 por hectare do espaço protegido , a partir de 11.12.2011.

Propriedade

Pequena propriedade ou Posse Rural Familiar

Delimitação do Direito
Deixar de averbar

Proibido (defeso) corte raso da vegetação

Decreto 5.975/2006, prevê o Plano de Manejo Florestal Sustentável - PMFS

Sendo possível a exploração por meio do manejo florestal sustentável

Regime de Proteção e Explorabilidade Sustentável

Posse

Será celebrado termo de ajustamento de conduta, ante a impossibilidade de averbação, pois se trata de um estado de fato, e não de um direito real.

3 - Espaços Territoriais Especialmente Protegidos - Reserva Legal.mmap - 15/05/2012 - Mindjet

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful