You are on page 1of 2

Portugal: A ditadura Salazarista

A ascensão de Salazar O golpe das forças armadas em 1926, instaurou uma ditadura militar. Contudo persistiu a: • • • • Instabilidade política; Os problemas económicos; O Défice orçamental (o valor das receitas do Estado era inferior ao valor das despesas); A dívida externa.

Foi neste clima de instabilidade que, em 1928, o general Óscar Carmona foi eleito Presidente da República. Ele convidou Salazar para ministro das Finanças. Salazar só aceitou o cargo depois de: • • Ter a possibilidade de supervisionar os orçamentos de todos os ministérios; Ter direito de veto sobre os respectivos aumentos de despesas.

Salazar conseguiu reorganizar as finanças do País devido: • • Aumento dos impostos; Redução das despesas públicas ( principalmente nos domínios da Saúde, da Educação e nos salários dos funcionários públicos).

Salazar, no 1º ano de mandato, conseguiu que o valor das receitas do Estado fosse superior ao valor das despesas.

Salazar, “Salvador da Nação” O sucesso da política financeira de Salazar deu-lhe imenso prestígio e tornou-se no “Salvador da Nação”. Salazar procurava: • • • • Um Estado forte – no reforço do poder executivo ( Salazar seria o chefe); A substituição do pluralismo partidário por um único partido; A Abolição dos sindicatos livres; A preservação dos valores tradicionais (Deus, Pátria, Família – moral cristã, nacionalista e corporativa);

No Imperialismo colonial e nacionalismo económico;

Em 1932, Salazar foi nomeado Presidente do Conselho, começando logo a preparar a futura constituição.

A edificação do Estado Novo A constituição de 1933 Em Abril de 1933, foi promulgada uma nova constituição que pôs fim à Ditadura Militar. Iniciou-se um novo período ditatorial chamado “Estado Novo”, só terminou em 25 de Abril de 1974. A nova constituição mantinha: • • Eleições por sufrágio directo; Liberdades e os direitos individuais ( sendo muitas vezes desrespeitados pela prática política e pela legislação em vigor).

Salazar foi concentrando em si todos os poderes, não respeitando a Constituição: • • • O seu próprio poder, enquanto Presidente do Conselho, sobrepunha-se ao poder do Presidente da República; O poder do Governo sobrepunha-se ao da Assembleia Nacional; As liberdades individuais (Imprensa, de reunião, direito à greve...) foram seriamente restringidas.

Em 1934, a União Nacional, único partido legalizado elegeu a totalidade dos deputados para a Assembleia Nacional. A influência de Salazar dominou todos os sectores da vida portuguesa. Em 1936, além de chefiar o governo, era simultaneamente titular das pastas das Finanças, da Guerra e dos Negócios Estrangeiros.

As organizações fascistas Em 1936, surgiram duas organizações fascistas: • • Legião Portuguesa (organização paramilitar, que defendia o regime Salazarista e o combate ao comunismo); Mocidade Portuguesa (organização juvenil que procurava desenvolver a devoção à Pátria, o respeito pela ordem, o culto do chefe e o espírito militar. Era obrigatória dos 11 aos 14 anos.

Estas organizações usavam uniformes próprios e adoptaram a saudação romana (braço direito estendido).