You are on page 1of 1

•Diferenças entre dentes decíduos e permanentes –Número de dentes (32- 30) •2/2 I + 1/1 C + 2/2M –Grupos dentários (4-3) •Não existem pré- molares –Desigualdade no comprimento

dos arcos dentários –Descontinuidade do arco •O crescimento ósseo leva ao aparecimento de diastemas –Tamanho na série dos molares •Descendente nos permanentes

•Ascendente nos decíduos –Evolução •Os dentes decíduos incluem um período a mais que é a reabsorção radicular –Cor •Mais branco- azulado (menor calcificação) –Menor volume –Proporção coroa/ raiz •A raiz dos dentes decíduos é relativamente maior –Colo

3º molar sup: –Predomínio do diâmetro VL. –Apresenta geralmente 3-4 cúspides com sulcos primários e secundários irregulares –Pode apresentar cúspides suplementares (1-8 cúspides) –Forma mais comum da coroa- tricuspídea (em concordância com a redução no número e tamanho das cúspides que se registra na série molar) –Forma triangular ou trapezoidal (não rombóide) 3º molar inf –Maior diâmetro MD –Dente desproporcionado –A sua forma varia em função do ângulo DV •Pentacuspídeo (40%)- forma trapezoidal •Tetracuspídeo (50%)- forma rectangular •Forma triangular , maior número de cúspides e tubérculos suplementares(10%) –Superfície irregular , nomeadamente a nível das fissuras 3.1 –Faces de contacto Coroa- Muito simétrica! •Forma de triângulo isósceles –Face vestibular •Vertentes menos inclinadas que nos superiores •Forma de trapézio isósceles •Face mesial menor que a distal (provocada por desgaste) •Grande altura e lados pouco inclinados •Ponto de contacto mesial, é quase ao nível da margem incisal •Ângulos incisais bastante acentuados •Ponto de contacto distal, é quase ao nível da margem incisal •O ângulo disto-incisal é mais arredondado (vs. incisivos superiores) do que o ângulo mesio-incisal Raiz •Grande convexidade da superfícies em –Secção radicular ovalada, achatada lateralmente sentido cervico- incisal –Muito estreita em MD, mas larga em VL •Pequena convexidade da superfície em –Mais estreita em lingual que em vestibular sentido mesio- distal –Apresenta sulcos longitudinais mesiais e distais (maiores os •Linha cervical mais c urva em mesial que distais), nas faces de contacto em distal –Faces totalmente convexas –Face lingual –Os eixos da coroa / raiz, coincidem, mas há um ligeiro desvio •Forma triangular nítida da raiz para distal •Cíngulo e cristas marginais pouco desenvolvidas •Cíngulo convexo, pequeno e central •Contorno muito simétrico

•Nos decíduos é mais definido e forma um estrangulamento –Eixo vertical da coroa •Menor eixo longitudinal dos decíduos (atarracado) •Coroas bulbosas –Forma da raiz nos decíduos •Unirradiculares (desvio vestibular e ápice mais agudo) •Multirradiculares (raízes mais achatadas e divergentes) –Bifurcação radicular nos decíduos •Próximas do colo –Tamanho da cavidade e canais pulpares •Maiores nos decíduos –Sensibilidade •Maior nos dentes permanentes (mais terminações nervosas) –Resistência vital •Os dentes decíduos têm mais susceptibilidade a agentes infecciosos e terapêuticos, pela menor calcificação e mais delgado revestimento amelodentinário (dentina e esmalte mais finos) –Tábuas oclusais •Mais estreitas no sentido VL Calcificaçao Inicio Erupção Término IC 12m 7 12 10 IL 12M 8 11 C 26 10-13 13-16 1ºPM 36 9-10 12-13 2ºPM 4 10-11 13-14 1ºM 25S 6 9 2ºM 4 12 14-15 3ºM 9 18-25 21-28

1.1 Face vestibular •Trapezoidal •Lado cervical (linha de colo) –Convexidade apical –Curvatura de raio menor em mesial –Mais curta e mais inclinada em mesial •Lado mesial e distal –Convexos (mais em D) –Lado mesial mais longo –Pontos de contacto mesiais mais incisais que os distais •Superfície –Convexa –Mais marcada em cervical –Largura vai aumentando desde o terço cervical até incisal –Parte do colo mais convexa e a incisal é a mais plana Face lingual –Forma trapezoidal ou triangular (semelhante a uma pá) –Apresenta o cíngulo deslocado p distal, do qual partem as cristas marginais que se dirigem até aos ângulos incisais 1.2 –Menor que o incisivo central –Comprimentos praticamente iguais –Diâmetros transversais bastante menores –Maior disparidade na relação coroa/ raiz Face vestibular •Forma de trapézio escaleno, com tendência a tornar-se triangular •Coroa mais estreita, parecendo mais fina e longa •Contorno da coroa menos simétrico •Superfície mais convexa que no IC

Faces de contacto •Triangulares •Diâmetro transversal menor que o da face vestibular •Ponto de contacto mesial mais incisal e distal mais cervical •Maior curvatura mesial (V) Margem incisal •Coroa triangular •Apresenta 2 planos –Vestibular- convexo –Lingualcôncavo •Cíngulo posicionado distalmente- crista marginal mesial mais longa Raiz –Raiz simples –Cónica –2 raízes é uma excepção –Triangular, em corte transversal- com vértice para lingual –Comprimento levemente superior ao da coroa –Tão espessa MD como VL –Raiz tem inclinação para lingual e distal

3.2 Em comparação com o incisivo central inferior –Maior –Menos regular e de características anatómicas mais evidentes –Menor desproporção coroa / raiz Coroa •Forma de trapézio escaleno mais nítida •Margem incisal inclinada de mesial para distal e ligeiramente arredondada (vs. incisivo central)

•Ângulo inciso- distal mais arredondado •Grande inclinação das faces de contacto (sobretudo a distal) •Ponto de contacto distal mais cervical (vs. ICI) •Na face lingual o cí ngulo é mais desenvolvido, de convexidade mais acentuada e distalizado •Raiz –Maior que a do ICI –Sulcos longitudinais mais acentuados –Pode apresentar 2 canais –Maior inclinação do ápice para distal

Coroa –Bordo incisal : Ângulos mais arredondados –Faces de contacto Mais inclinadas e convexas Face palatina •Forma triangular •Cíngulo maior central , mais alto, mais proeminent e e mais estreito •Depressão (fossa) lingual mais profunda, mas menor em área Faces de contacto Mais inclinadas e convexas •Raiz –Ligeiramente mais longa –Maior obliquidade da raiz (para distal e lingual) –Mais estreita em palatino que vestibular –Face Lingual •Forma pentagonal •Lado cervical menor que a face vestibular •O cíngulo é mais desenvolvido e central •Cristas marginais bem desenvolvidas, sendo a mesial mais longa e a distal mais larga e elevada •Uma crista mediana, divide a superfície em 2 espaços rasos (fosseta mesial e fosseta distal) –Faces de contacto Forma triangular •Raiz –Muito longa, comprida, fina e cónica –Maior diâmetro V-L que a dos incisivos superiores –Faces de contacto com algum aplanamento –Ápice inclinado para distal –Grande desproporção coroa / raiz

3.3 Coroa- inclinada para distal –Face vestibular •Forma hexagonal, bastante alongada •Lado distal é mais curto e mais inclinado •Superfície convexa em ambos os sentidos, com grande inclinação cervico- incisal –Face Lingual •Forma hexagonal •Cíngulo menos marcado, distalizado e crista mediana menos pronunciada •Fosseta distal mais pronunciada

–Faces de contacto •Face mesial com inclinação e convexidade ligeiras •Face distal mais inclinada e convexa •Raiz –Menos potente que a do canino superior –Secção ovóide –Sulcos das faces de contacto mais marcados –A relação coroa / raiz é menor

1.3 Coroa- comprimento só superado pela coroa do ICS, ILI e CI –Face vestibular •Forma pentagonal com diâmetros desiguais, globosa •No lado cervical, as curvaturas são s emelhantes aos incisivos , mas menos marcadas Os lados mesial e distal são muito convergentes para o colo anatómico e mais curtos que os incisivos