You are on page 1of 14

Relatório Festival UFRJ Mar

Atividades, números e desdobramentos


O projeto do Festival UFRJMar, formulado a partir de idéia do Professor Carlos Lessa,
objetiva promover uma estratégia de interiorização da UFRJ. A proposta do professor
era realizar eventos de extensão capazes de divulgar a produção acadêmica da UFRJ,
sobretudo aquelas relativas ao mar e a indústria marítima, em regiões onde a UFRJ
fosse pouco conhecida. A partir do Festival, iniciaria-se um processo de aproximação
da sociedade local e dos governos locais. Aliado a isso, o evento promoveria a
integração da comunidade interna da UFRJ.

A experiência indicou o dinamismo da proposta de realização de oficinas para alunos


e professores da rede pública. As oficinas se tornaram a marca registrada do Festival
e, em breve, farão parte do conjunto de atividades permanentes do Museu do Mar.
Formuladas, organizadas e realizadas por alunos de graduação e pós-graduação sob
orientação de professores da universidade, já começam a se institucionalizar como
créditos ou projetos de prática de ensino e outras disciplinas.

O Festival UFRJ Mar continua sendo uma importante estratégia de promover a


interiorização e para reverter o quadro de fragmentação da estrutura acadêmica da
UFRJ. Pela sua dimensão e complexidade está exigindo a formação de uma equipe
que se dedique exclusivamente a sua promoção e realização. Precisa também de
investimentos permanentes visando à redução do custo e a elevação da qualidade de
suas atividades.

Desde a sua primeira edição, na Ilha Grande, em dezembro de 2002, já foram


realizados doze eventos; os dois primeiros como projetos piloto e dois como um
formato reduzido do Festival:

• 1a Ilha Grande _ dezembro de 2002


• 2a Arraial do Cabo _ outubro de 2003
• 3a Arraial do Cabo _ maio de 2004
• 4a Búzios _ outubro de 2004
• 5a Arraial do Cabo _ maio de 2005
• 6a Cabo Frio _ outubro de 2005
• 7a Cabo Frio _ maio de 2006
• 8a Macaé _ novembro de 2006
• 9a Cabo Frio _ maio de 2007
• 10a Cabo Frio _ maio de 2008

Duas edições reduzidas do Festival (participação de cerca de 200 alunos e 50


professores e técnicos) aconteceram em Paraty:

• Semeando UFRJmar em Paraty _ novembro de 2007


• Festa do Mar em Paraty _ setembro de 2008
Balanço dos últimos dois anos
Nos últimos dois anos, o Festival deu sinais de maturidade: internamente, houve
uma maior integração dos centros e cresceu a participação de alunos de diferentes
cursos.

Nas cidades que sediaram o evento, os efeitos do Festival também puderam ser
sentidos: estreitaram-se os laços com governo e população locais e seminários foram
promovidos objetivando a elaboração de propostas e caminhos para o
desenvolvimento local.

Cabo Frio – maio de 2007


Pode-se citar, como marco da consolidação do Festival, a 9ª edição, realizada em
maio de 2007, na cidade de Cabo Frio, onde estiveram reunidos cerca de 800 alunos
de graduação e pós-graduação da UFRJ e 150 docentes e servidores técnicos e
administrativos, que atenderam a cerca de 40.000 pessoas em quatro dias de
atividades. As mais de 50 oficinas mobilizaram alunos e professores de todos os
Centros da universidade, consolidando a estratégia de promover a integração da
Comunidade Acadêmica.

Como estratégia de interiorização também alcançou alguns de seus objetivos


principais: foram assinados convênios na abertura do evento para a criação de um
Centro Vocacional Tecnológico para indústria náutica, pesca e turismo, a criação de
uma Escola Técnica em consórcio e um Pólo Náutico, também administrado em
conjunto com a Prefeitura Municipal de Cabo Frio, marcando o início de atividades
permanentes da UFRJ na região.

Semeando UFRJmar em Paraty – novembro de 2007


O “Semeando...” representa o início da atuação do Núcleo Interdisciplinar UFRJ Mar
no sul do estado do Rio de Janeiro. O evento surgiu para atender um desejo de
aproximação da Prefeitura de Paraty com a UFRJ. A partir daí pensou-se em uma
forma de apresentar a universidade à comunidade de Paraty, bem como planejar
atividades que permitissem uma presença definitiva da UFRJ na cidade.

Com a realização de um “mini festival UFRJmar” e como uma série de seminários,


reuniões e palestras, todas as expectativas foram superadas. Foram acertados a
realização da “Festa do Mar”. Participaram do evento cerca de 300 alunos,
funcionários e professores da UFRJ. Cerca de 3500 pessoas da cidade participaram
das atividades oferecidas, principalmente alunos e professores da rede municipal de
ensino.

Cabo Frio – maio de 2008


Na 10ª edição do Festival a novidade foi a participação do Colégio Politécnico da
UFRJ, que tinha apenas três meses de atividades na época e mobilizou todos os seus
estudantes, que atuaram como monitores de sete oficinas: Folclore, Criação de
Personagens com Materiais Reaproveitáveis, Conhecendo Meu Bairro, Construindo
Terrário de Manguezal, Construção Naval (Costura e Cola), Capoeira e Pinhole. Os
cerca de 90 alunos-monitores pertencem a duas turmas do 6º ano fundamental e a
uma do 1º ano do ensino médio, todas inauguradas no início do ano letivo de 2008,
atenderam cerca de 300 jovens de escolas municipais próximas do Colégio
Politécnico.
Paraty – setembro de 2008
Neste período foi realizada a Festa do Mar, da qual participaram cerca de 9.000
pessoas. As atividades integraram cinco eixos temáticos - Educação Física e
Desportos, Saúde, Ciência e Tecnologia, Meio Ambiente, Letras e Artes.
Ações permanentes – cidades
No Rio de Janeiro:
Museu da Ciência e da Cultura do Mar
O Museu da Ciência e da Cultura do Mar – Museu do Mar – é um projeto do Núcleo
Interdisciplinar UFRJ Mar. O objetivo principal é criar um pólo de referência da cultura
marítima brasileira por meio de um centro de educação e divulgação científica de
ponta, especializado nas áreas da preservação ambiental, ecologia e biologia
marinha. O projeto constituirá mais um dos nós da rede de Preservação da Memória
Marítima brasileira, criada pelo IPHAN - Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico
Nacional – que já conta com dois museus: o Museu Nacional do Mar, em São
Francisco do Sul, e o CVT Estaleiro Escola, em São Luis do Maranhão.

Além de disponibilizar para o público modelos e réplicas de embarcações típicas da


tradição marítima brasileira, sobretudo em pesca artesanal e serviços diversos, o
Museu do Mar pretende reunir um acervo de vídeos e documentários científicos,
nacionais e internacionais, com material audiovisual produzido pelas equipes da UFRJ
e também de instituições e organizações parceiras. Será criada também uma
biblioteca com livros didáticos e de literatura sobre os temas da tradição marítima,
da pesca e da construção de embarcações.

O Museu está localizado no Hangar do Catalão, na Ilha do Fundão, um lugar de


grande riqueza natural, mas também muito impactado pela poluição da Bahia de
Guanabara. Esse ambiente é favorável para a realização de atividades interativas,
palestras e oficinas relativas à preservação do ambiente marinho e ao impacto da
poluição, propiciando a atuação direta dos alunos com o objeto de estudo. Essas
atividades incluirão a observação de criaturas marinhas em aquários e pelo
microscópio, passeio e pesquisa no mangue ao redor do Hangar, oficinas de biologia
marinha e aqüicultura e vários jogos interativos.

O Museu do Mar oferecerá também várias atividades relacionadas à construção


naval, à pesca e à vida no mar. Nele estarão organizadas, de forma permanente, as
oficinas tradicionalmente desenvolvidas para o Festival UFRJ Mar – um evento de
interdisciplinar que há 9 anos leva a produção acadêmica da universidade para as
comunidades do interior do estado e se configura como o maior evento de extensão
da UFRJ.

O Museu do Mar pretende atender alunos de escolas da rede pública de ensino do Rio
de Janeiro, do pré-escolar ao ensino médio. A equipe que atualmente trabalha na
criação do Museu do Mar inclui biólogos, engenheiros, cenógrafos, arquitetos e
especialistas em comunicação científica.
Em Cabo Frio:

Colégio Politécnico de Cabo Frio


Após dois anos de conversas com a prefeitura local e com o Conselho Municipal de
Educação, o Colégio Politécnico de Cabo Frio iniciou suas atividades em fevereiro de
2008, com 10 turmas de 1º ao 5º anos, duas turmas de 6º ano e duas turmas de 1ª
série do ensino médio. A demanda pela criação do Colégio Politécnico foi estimulada
pela repercussão do Colégio Municipal de Pescadores de Macaé, cujos alunos
participam do Festival de Cabo Frio desde 2005, com oficina própria, orientada por
uma equipe da UFRJ. No entanto, em Cabo Frio o projeto será mais amplo,
constituído por três unidades vizinhas. A primeira para alunos do 1º ao 5º ano, a
segunda para alunos do 6º ao 9º ano, a terceira para ensino médio, tendo todas as
unidades atividades em tempo integral.

Ao lado das escolas, será construído um centro esportivo para atividades regulares
dos alunos do Colégio Politécnico de Cabo Frio e para atender aos alunos da região
em atividades complementares no contra turno. As oficinas e laboratórios também
serão projetados para atender a alunos de programas de qualificação profissional
paralelos ao ensino médio e para aqueles que abandonaram a escola, desde que se
matriculem em cursos do EJA.

No Parque Dormitório das Garças já acontecem aulas de campo de algumas


disciplinas do Colégio Politécnico da UFRJ. Ao lado do Dormitório se encontra o
terreno doado à universidade pela Prefeitura, em 2007, para a construção de um
prédio próprio.

As disciplinas do Colégio são: Prática de Comunicação Social e Artes, Relações


Sociais, Ciências do Ambiente, Construção Naval e Tecnologia, Práticas Desportivas,
Aquáticas e Terrestres. Essas disciplinas integram o currículo básico estabelecido
pelos PCN (Parâmetros Curriculares Nacionais) e as aulas de conhecimento técnico. O
Colégio funciona em horário integral, de 7 às 18 horas.

Marina Escola
A inexistência de estruturas públicas de acesso ao mar é um dos principais entraves
ao desenvolvimento da indústria náutica. Vários estudos já evidenciaram a
necessidade de mais vagas secas e molhadas para promover a indústria náutica e o
turismo. O crescimento das atividades náuticas e de pesquisa promovidas pelo Pólo
Náutico e pelo Núcleo Interdisciplinar UFRJ Mar - sobretudo a partir da instalação da
sede do Núcleo no hangar da Ponta do Catalão, que dispõe de duas praias para
acesso ao mar - justifica a organização de uma Marina para atender as atividades da
UFRJ.

A Marina Escola de Cabo Frio terá objetivos semelhantes aos da Marina Escola da
Ilha do Fundão e fará parte do complexo de atividades e instalações do Centro
Vocacional da Pesca, Indústria Náutica e Turismo de Cabo Frio. Diferentemente da
Marina Escola do Fundão, no entanto, a de Cabo Frio será administrada em consórcio
com a Prefeitura Municipal. Para ela planejam-se atividades diversas das do Rio de
Janeiro, entre as quais se destaca um receptivo para turistas estrangeiros que
chegam ao Brasil pelo mar. A marina se localizará no Centro de Cabo Frio, em área já
definida pela prefeitura, que realizará todas as obras civis.
Centro de Cultura Náutica
O Centro de Cultura Náutica de Cabo Frio pretende realizar atividades para promover
o interesse da população e dos turistas pela cultura náutica como aulas e oficinas de
vela, remo e canoagem e oficinas de marinharia. Pretende-se também fazer um
levantamento de acervos como fotografias, pinturas e outros registros sobre a
tradição marítima de Cabo Frio, incluindo barcos e apetrechos de pesca, formando
um pequeno museu articulado com o Museu da Cultura e Ciência do Mar do Rio de
Janeiro. O Centro teria dois Pólos, na Marina Escola e no Pólo Náutico da UFRJ em
Cabo Frio, próximo ao Parque Dormitório das Garças.

Estação de Oceanografia e Aqüicultura


Cabo Frio é uma região única com diversidade de ambientes de interesse científico e
com amplas possibilidades de produção de espécies marinhas. Além disto, o
Município de Cabo Frio tem a pesca mais organizada da região e do estado do Rio de
Janeiro. O entendimento dos processos biológicos e oceanográficos que ocorrem na
região de Cabo Frio, sobretudo a ressurgência de Arraial do Cabo, é fundamental
para orientar as ações relacionadas à produção pesqueira e de aqüicultura
promovidas pelo Núcleo UFRJ Mar em Cabo Frio e Macaé.

A estação de Oceanografia e Aqüicultura de Cabo Frio ficará localizada em área


doada pela Prefeitura de Cabo Frio, no Canal do Itajuru. É uma área estratégica para
a instalação de uma estação de pesquisas oceânicas e de aqüicultura tanto por
garantir o acesso ao mar a partir de suas instalações, quanto em função da
disponibilidade de água marinha para tanques de cultivo de camarão marinho e
peixes. Além disto, permitirá o acesso náutico a duas áreas-chave a serem incluídas
em programas de Monitoramento Ambiental: o litoral costeiro e suas ilhas e a Lagoa
de Araruama, além do canal propriamente dito.
Em Paraty:
Desde o primeiro contato da UFRJ com Paraty, no “Semeando UFRJ Mar em Paraty”,
em novembro de 2007, diversos eventos se realizaram na cidade visando fortalecer a
presença da Universidade junto à comunidade. Algumas ações permanentes também
já acontecem e foram discutidas com a população local em dois seminários
realizados após o Semeando.

A seguir, um resumo dos eventos e atividades:

Novembro de 2007 - "Semeando UFRJ Mar em Paraty". A data pode ser


considerada o marco da aproximação entre a universidade e a população local. Em
julho de 2007 - , a Associação Casa Azul e a Prefeitura de Paraty procuraram a UFRJ
com o objetivo de planejar atividades que viabilizassem uma presença definitiva da
instituição no município. A proposta coincidia com a estratégia de interiorização da
universidade, a qual norteia as ações do Núcleo.

Janeiro de 2008 - foi realizado Seminário para aproximação entre a Universidade e


as instituições locais, com a presença de representantes do Ministério da Cultura. O
primeiro dia do evento centrou-se na apresentação das atividades desenvolvidas por
instituições (ITAE, Casa Azul, Banda Santa Cecília, Cineclube entre outros). No
segundo dia do evento foram feitas palestras relacionadas ao tema Cultura e Leis de
Incentivo, com a participação da Superintendente da Pró-reitoria de extensão, Isabel
Alencar e a representante do Ministério da cultura, Ana Lucia Pardo entre outros
convidados.

Abril de 2008 - Entre os dias 04 e 06, com o objetivo de fomentar discussões e


planejar possíveis intervenções, o Núcleo UFRJMar promoveu seminário no qual
foram apresentados os dados coletados durante duas investigações em Paraty. Os
levantamentos buscaram informações quanto à cadeia produtiva do turismo; da
pesca e de bens culturais.

A primeira inserção do grupo de pesquisa composto por integrantes do Núcleo


Interdisciplinar UFRJMar e do Núcleo de Solidariedade Técnica (SOLTEC/UFRJ)
ocorreu em paralelo às atividades do Semeando UFRJMar em novembro de 2007. Um
segundo levantamento foi realizado entre os dias 02 e 03 de Abril de 2008, buscando
coletar mais informações sobre a atividade cultural. Os entrevistados foram indicados
por uma OSCIP de Paraty, Casa Azul, que desenvolve ações educativas e culturais no
município. Buscou-se compreender a inserção do entrevistado na produção de bens
culturais, as dificuldades enfrentadas e possíveis soluções.

Em 05 de Abril foram apresentadas as considerações realizadas por grupos de


trabalho. Como encaminhamento deste encontro definiu-se que:

1. A intervenção da UFRJ priorizaria um programa de educação;


2. Realização de seminário para discussão dos conceitos que permeiam a
pesquisa-ação e definição de diretrizes para a realização da pesquisa no
município;
3. Sistematização do encontro e posterior devolução à população.
Maio de 2008 - Nos dias 28, 29 e 30 de a Faculdade de Letras, departamento de
Ciência da Literatura, em parceria com a Associação Casa Azul, realizou o “Ciclo
Machado de Assis”, contando com palestras das professoras: Eleonora Ziller e Martha
Alkimin e do professor Gustavo Bernardo.

Julho de 2008 - o Grêmio Náutico da UFRJ organizou Regata no município.

Setembro de 2008 - foi realizada a Festa do Mar, com público estimado em 9.000
pessoas. As oficinas da Festa do Mar foram divididas em dois Pólos: Areal e Matriz,
contando, ainda, com atividades realizadas em escolas do município e estaduais.. As
atividades integraram cinco eixos temáticos - Educação Física e Desportos, Saúde,
Ciência e Tecnologia, Meio Ambiente, Letras e Artes.

Setembro de 2008 – Logo após a Festa do Mar, entre os dias 28 e 30 desse mês foi
realizado o II Congresso UFRJMar, com a participação de docentes da UFRJ e
convidados de outras instituições e apresentação de trabalhos de pesquisa e
extensão de alunos de graduação e pós-graduação da Universidade. O Congresso
contemplou três áreas temáticas: Educação e Cultura, Tecnologias e Ecologia
Marinha e Ecossistemas Costeiros.

Agosto de 2008 a fevereiro de 2009 - Em parceria com a Secretaria Municipal de


Promoção Social, nesse período foram oferecidas oficinas de arte, nas áreas de
dança, artes plásticas e música para crianças. Tivemos a participação de
aproximadamente 50 crianças. As oficinas foram ofertadas aos finais de semana
(sexta-feira e sábados), tendo como oficineiros alunos dos cursos de Letras, Música e
da Escola de Belas Artes. As oficinas resultaram na formação de um bloco de
carnaval infantil.

No dia 14 de Novembro de 2008, a Faculdade de Letras, departamento de Ciência


da Literatura, em parceria com a Associação Casa Azul, realizou o “Ciclo Guimarães
Rosa”, com palestra do prof. Eduardo Coutinho sobre a obra do autor. Logo após a
palestra, o público pôde assistir a apresentação do musicista Eduardo Camenietzki,
acompanhado por alunos da Escola de Música.

Em andamento: O GRIPE (Grupo Interdisciplinar de Projetos Educacionais em


Literatura, Comunicação social e Artes/FL/UFRJ) em parceria com o GEM (Grupo de
Educação Multimídia – Núcleo Interdisicplinar UFRJ Mar), com apoio financeiro da
Faperj, está oferecendo curso para professores na técnica de vídeo-animação e
adaptação de literatura para esta linguagem. No município de Paraty, 10 professores
da rede municipal e estadual participam do curso.

Entre os dias 08 e 12 de dezembro de 2008 foi realizado o VI Seminário de


Estudos de Cultura e Literatura, pelo Grupo de Pesquisa Formação do Brasil Moderno
e organizado pelo Programa de pós-graduação em Ciência da Literatura/Faculdade de
Letras da UFRJ.

Fevereiro de 2009: Em parceria com a Secretaria de Promoção Social e Secretaria


de Esportes, entre os dias 02 e 06 desse mês foi realizada uma “Colônia de Férias”,
com atividades recreativas para crianças. A Colônia atingiu um total de 150 crianças
nos 5 dias de atividades.
Nesse mesmo período, em parceria com a Secretaria Municipal de Educação
realizamos a Semana Pedagógica. Com palestras de professores da UFRJ e da
Unicamp e oficinas temáticas, a Semana contou com a participação de
aproximadamente 180 professores efetivos da rede municipal de educação.

28 de fevereiro de 2009 - realização de regata em parceria com o Instituto


Náutico.

Em andamento - Em parceria com a Secretaria Municipal de Educação, estamos


oferecendo um curso para os coordenadores pedagógicos da rede municipal. O curso
prevê a discussão sobre os referenciais teóricos e metodológicos que orientam a
prática pedagógica no município. Conta com participação de aproximadamente 40
coordenadores. O curso totaliza 60 horas de atividades e tem previsão de
encerramento em dezembro de 2009.

Em andamento - Assessoria na organização e realização da I Conferência Municipal


de Educação.

Em andamento - Pesquisa/diagnóstico sobre o sistema municipal de educação,


objetivando levantar dados sobre: a) perfil dos professores, b) perfil dos alunos
atendidos, c) currículo e d) estrutura física das unidades.
Anexo 1: As oficinas do Festival UFRJ Mar
EDUCAÇÃO FÍSICA & DESPORTOS:

Esportes de Litoral ( Handball, basquete, vôlei e surf)


Os Sentidos em Equilíbrio (Corporeidade)
Muro de escalada
Corrida de Orientação
Natação no mar

CIÊNCIA & TECNOLOGIA:

Comunicação Audiovisual - técnicas de animação


Construção Naval - Costura e Cola
Construção Naval - Strip Planking
Construção Naval - Prancha
Navegação a Vela - MV 25
Navegação a Vela - Dingue
Remo em caiaques
Fábrica de Moléculas

VIDA & MEIO AMBIENTE:

Educação Ambiental: Brincando com ecossistemas


O Mundo Numa Gota D'água
Como os animais se formam?
Scientificarte - Observar para Conhecer
Bichos do Fundo do Mar
Jogo “Salve o Planeta”

SAÚDE E BEM-ESTAR:
Pequenas ações salvam vidas
Pilates com bola
Programa Papo Cabeça
Como está sua saúde?
Programa de Saúde Bucal e Prevenção da Cárie
Programa de Vacinas

LETRAS E ARTES:

Contação de Histórias
Oficina de Caracterização Teatral
Modelagem em argila
Cordel
Brincando de Dançar
Teatro de sombras
Túnel dos sentidos
Experimentarte
Parede – parede
Música
Anexo 2: repercussão do Festival
O Festival UFRJ Mar sempre é assunto das páginas dos jornais ou de programas de
TV locais. No entanto, recentemente o Festival passou a ser notícia também de
jornais de grande circulação no Rio de Janeiro:

Jornal do Brasil: 09 de maio de 2008


http://jbonline.terra.com.br/extra/2008/05/09/e090517697.html

Jornal do Brasil – 24 de setembro de 2008


http://jbonline.terra.com.br/extra/2008/09/24/e240916668.html
Anexo 3: Histórico do Núcleo
Interdisciplinar UFRJ Mar
O Núcleo Interdisciplinar UFRJ-Mar foi criado por iniciativa do professor Carlos Lessa,
à época reitor da Universidade Federal do Rio de Janeiro, durante o encontro “Baías e
Ambientes Costeiros do Rio de Janeiro”, realizado em outubro de 2002. O impulso
que fundamentou a iniciativa foi o de promover a articulação dos pesquisadores e
professores da UFRJ que tivessem o mar como objeto de trabalho.

Durante a realização daquele encontro, firmaram-se os seguintes eixos de ação para


o Núcleo:

• Geração de serviços de pesquisa aplicada a problemas concretos e freqüentes


da indústria marítima nos ambientes costeiros, desde o desenvolvimento de
soluções técnicas até o teste de protótipos e projetos-piloto;
• Disseminação de conhecimentos científicos, tecnológicos e culturais por meio
do ensino universitário regular, de cursos de extensão, de exposições, eventos
e de publicações em meios diversos;
• Difusão de soluções técnicas, através de ensino tecnológico especializado, do
licenciamento das tecnologias geradas, e ainda por meio da incubação de
organizações produtivas (cooperativas ou microempresas), integradas na
cadeia produtiva da indústria marítima local;
• Avaliação e formulação de propostas de políticas públicas relativas à indústria
marítima, ao meio ambiente marinho e de regiões costeiras.

Desde então, tendo esses eixos em vista, o Núcleo Interdisciplinar UFRJ-Mar vem
desenvolvendo um amplo complexo de atividades e programas, cuja receptividade
vem sinalizando a pertinência e o acerto da proposta que levou à sua criação:

• A realização de diversas edições do Festival UFRJ-Mar, congregando oficinas


desportivas, culturais, artísticas e técnicas dirigidas às comunidades de
diversos municípios litorâneos do estado;
• A participação ativa na criação, no desenvolvimento e na administração do
projeto pedagógico da Escola de Pescadores de Macaé;
• A elaboração e o desenvolvimento da “Pesquisa-Ação na Cadeia Produtiva da
Pesca em Macaé”, que se distingue pelo apoio da FINEP, do MCT, da FUJB, da
Secretaria Especial de Aqüicultura e Pesca (SEAP) e da Secretaria Nacional de
Economia Solidária (SENAES), e que vem mobilizando diversas parcerias com
instituições como o Cefet Campos – Uned Macaé, associações e cooperativas
de pescadores de Macaé, o BNDES, o Banco do Brasil, a Agenda 21 e diversas
secretarias municipais;
• A implantação, decorrente do desenvolvimento da “Pesquisa-Ação na Cadeia
Produtiva da Pesca em Macaé”, de programas e projetos que visam à
sustentabilidade da pesca naquele município e em seu entorno: seja pela
capacitação da população local com relação a empreendimentos públicos e
solidários; pela promoção de comissões para a gestão social daquela atividade
econômica; ou pela formação de núcleos comunitários dedicados ao
beneficiamento do pescado, à construção de embarcações, ao monitoramento
da qualidade das águas e do meio-ambiente;
• A participação ativa na formulação de um capítulo especialmente dedicado à
atividade pesqueira no Plano Diretor do município de Macaé;
• A formulação da proposta de criação do Conselho Municipal da Pesca de
Macaé ― proposta essa incluída no Plano Diretor do município;
• A participação decisiva na criação, em Macaé, do Pólo da Pesca, cuja área,
reservada pela Prefeitura Municipal, encontra-se apontada no Plano Diretor do
município;
• A criação, em Cabo Frio, de um curso de especialização em literatura infantil e
juvenil, dirigido aos professores das redes públicas de ensino;
• A criação, em Cabo Frio, de um curso de especialização em cinema e vídeo
educativos;
• A criação, em Cabo Frio, de uma Escola de Pescadores nos moldes da que o
Núcleo Interdisciplinar UFRJ-Mar coordena no município de Macaé;
• A criação, também em Cabo Frio de um Centro de Produção Audiovisual, em
parceria com a Secretaria de Educação daquele município;
• A criação do Centro de Vocação Tecnológica da Pesca no Norte Fluminense,
cujo projeto conta com o apoio do Ministério da Ciência e Tecnologia;
• A criação do Centro de Vocação Tecnológica da Pesca e da Indústria Náutica
na Região dos Lagos, cujo projeto conta com o apoio do Ministério da Ciência
e Tecnologia;
• A criação da Tec-Naval – Rede de Formação e Qualificação Técnica para a
Construção Naval do Rio de Janeiro, cujo projeto conta com o apoio do CNPq;
• A perspectiva de estruturação de um curso de graduação de engenharia de
produção, orientado para o desenvolvimento de Macaé e dos municípios
vizinhos, integrado à Escola de Pescadores de Macaé, na forma de consórcio
institucional com o Cefet Campos – Uned Macaé;
• A perspectiva de estruturação de um curso de graduação em História em
Macaé, também em parceria com o Cefet Campos – Uned Macaé;
• A criação do Programa de Mestrado Profissional em Desenvolvimento Sócio-
Ambiental e Políticas Públicas em Macaé;
• A perspectiva de estruturação, em parceria com o Cefet Campos – Uned
Macaé, de um curso de nível médio com formação profissional técnica nas
áreas da indústria náutica, da pesca e da aqüicultura;
• A perspectiva de reprodução, em Cabo Frio, dos procedimentos que levaram à
constituição da “Pesquisa-Ação na Cadeia Produtiva da Pesca em Macaé”;
• A criação e o desenvolvimento de projetos de serviços integrados na UFRJ:
Museu do Mar; Circuitos Permanentes de Extensão; Marina Pública; Núcleo de
Pesquisa Aplicada; Núcleo de Eventos; Núcleo de Ensino; Núcleo de
Comunicação;
• A perspectiva de criação do “Programa de Portos e Marinas de Turismo e
Pesca”, com o objetivo de projetar portos e terminais de pesca e turismo,
oferecendo redes de apoio à navegação de pequenas embarcações.