You are on page 1of 4

ESTRATEGIA CULTURAL

ESTRATÉGIA INVESTIMENTOS S.A.
Regra básica dos incentivos à cultura: Valores destinados a projetos culturais aprovados pelo Ministério da Cultura até 30 de dezembro de cada exercício são considerados despesa operacional para fins de apuração do Imposto de Renda das pessoas jurídicas tributadas pelo lucro real (apuração trimestral ou anual) [art 475 do RIR/99] e devem ser excluídos no LALUR e deduzidos no IRPJ devido no exercício até o limite de 4% do IRPJ. Obs.: 1) Empresas que apuram IR trimestralmente podem calcular 4% sobre o IR de todo o trimestre, aplicá-lo em projetos culturais aprovados e deduzi-lo integralmente em um próximo pagamento do imposto relativo ao período. 2) Empresas que apuram IR anualmente, com recolhimentos mensais presumidos ou estimados, podem calcular 4% sobre o IR de todo o ano, independentemente de pagamentos do imposto já realizados, aplicá-lo em projetos culturais aprovados e deduzi-lo integralmente em um próximo pagamento do imposto relativo ao exercício. 3) Empresas que apuram IR mensalmente. O valor do patrocínio deverá ser utilizado na apuração do lucro mensal do mês em que o patrocínio for efetuado. Neste caso, mesmo que o valor do patrocínio seja superior aos 4% permitidos pela Lei Rouanet, não poderá haver compensações nos meses subseqüentes. Exceção à regra básica: os considerados “projetos especiais” (Art 18 – Lei 8313/91) pelo RIR/99 , embora não possam ser excluídos no LALUR como despesa operacional, podem ser integralmente deduzidos no IR devido no exercício até o limite de 4% do IRPJ. – art 476 do RIR

Algumas considerações importantes: I - Apenas empresas tributadas pelo lucro real podem se beneficiar dos incentivos fiscais à cultura até o limite de 4% para utilização da Lei Rouanet. II - Incentivos a projetos culturais que não se enquadram como projetos especiais (art.476 do RIR) não conseguem deduzir integralmente o valor desembolsado (art. 475 § 1º). Há uma contra-partida entre 30% a 50% do valor investido. A análise dos benefícios de marketing cultural é que determina a utilização destes projetos. Esta é a Lei Rouanet convencional. III - Incentivos a projetos especiais (art.476 do RIR) são 100% deduzidos no IR. Não custa nada para a empresa. Caso o incentivo seja realizado no mesmo dia do recolhimento do imposto, não há nem mesmo custo financeiro no incentivo à cultura por este meio. Esta é a Medida Provisória dos 100%. IV – Do ponto de vista do fluxo de caixa da empresa, o melhor dia para repassar os recursos para o projeto cultural ou cinematográfico selecionado é no dia de recolhimento do IR, quando o incentivo pode ser retirado diretamente do valor do imposto a pagar.

Certificado de Investimento Audiovisual é um título mobiliário
registrado na CVM, representativo da participação nos lucros de produções cinematográficas aprovadas pelo Ministério da Cultura através da Lei do Audiovisual. Sua negociação é via Cetip. O valor investido pode ser deduzido integralmente da próxima parcela do IR a pagar até o limite de 3% do IRPJ anual gerado em 2007. O incentivo fiscal proporciona uma economia no IR da ordem de R$ 1,25 para cada R$ 1,00 desembolsado, equivalente a 25% de ganho financeiro. Cada projeto oferece a seus investidores, além do incentivo fiscal, uma participação nos resultados por um prazo determinado. Isto pode elevar sua rentabilidade para taxas muito superiores aos 25% proporcionados pela Lei do Audiovisual.

EXEMPLO DE APLICAÇÃO DA LEI ROUANET E DA MP 1.739/98

LALUR

Sem incentivo cultural

Com incentivo Lei Rouanet convencional: "30% de dedução" 20.000.000,00

Com incentivo via MP 1.739/98: "Rouanet 100%" 20.000.000,00

Lucro antes do incentivo à cultura (-) Incentivo à Cultura

20.000.000,00

-

120.000,001 4% do IRPJ 19.880.000,00 19.880.000,00 2.982.000,00

120.000,005 4% do IRPJ 19.880.000,00 120.000,006 20.000.000,00 3.000.000,00

=Lucro Antes do IR (+) Adições (-) Exclusões =LUCRO REAL IRPJ (15% sobre o Lucro Real) (-) dedução do incentivo no IR (-) Adicional do IR (Lucro Real - R$ 240,000 x 10%) =LUCRO LÍQUIDO SOMA DOS IMPOSTOS (IR + AIR) Economia nos impostos promovido pelo incentivo à cultura Percentual de dedução do incentivo no IRPJ

20.000.000,00 20.000.000,00 3.000.000,00

-

36.000,002

120.000,007

1.976.000,00

1.964.000,00

1.976.000,00

15.024.000,00 4.976.000,00

14.970.000,00 4.910.000,00

15.024.000,00 4.856.000,00

-

66.000,003

120.000,008

55,00%4

100,00%9

Lei do Audiovisual
PLANILHA DEMONSTRATIVA Situação Pré-investimento Calculando o benefício Situação Pós-investimento Contabilizando o benefício

Receitas

120.000.000 100.000.000

120.000.000 100.000.000 (89.597)

Despesas

Dedução C.I.A. como despesa operacional (Lei 8685/93, art 1, § 4 e art. 372 RIR/99)

-

3% IRPJ Pós investimento ou 2, 9865667% IRPJ Pré-investimento

=Lucro Tributável
(Rir/99 art 248) Contrib. Social (12%) MP 1858/99, art 6º e Lei 9316/96 art 1º

20.000.000

19.910.403

2.400.000

2.400.000

IRPJ (15%) Lei 9430/96 art 2º

3.000.000

2.986.560

Adicional IRPJ (10%) Lei 9430/96 art 4º

1.976.000

1.967.040

Dedução 100% do C.I.A. (Lei 8685/93, art 1, § 4)

(89.597) 3% IRPJ Pós investimento ou 2, 9865667% IRPJ Pré-investimento

Soma dos Impostos
= Lucro Líquido

7.376.000 12.624.000 89.597 3% IRPJ Pós investimento ou 2, 9865667% IRPJ Pré-investimento 111.997 22.400

7.264.003 12.646.400

Cálculo do Investimento Cultural C.I.A. Lei 9323/96 art 1º RIR/99, art 486

-

Economia nos impostos
Ganho sobre o investimento

125% sobre o investimento 25% sobre o investimento