Perguntas & Respostas

Shemá Yisrael Echad versus Yachid ÍNDICE Gostaria que comentasse sobre o texto do Shemá Yisrael, A-do-nai Elo-hê-nu, A-do-nai Echad - "Ouve, Israel, A-do-nai é nosso D'us, Ado-nai é Um." A palavra hebraica aqui empregada para Um - "echad" significa uma unidade composta e, portanto, não excluía o conceito cristão de uma Trindade de Pessoas dentro daquela unicidade. A palavra hebraica que expressa unidade absoluta é "yachid". RESPOSTA: Fiquei muito contente por você ter feito esta pergunta, porque estou certo de que alguns de nossos leitores judeus ficarão confusos com seu dilema. Como posso estar tão certo de que eles ficarão desorientados pela simples leitura de sua pergunta? Tente imaginar a reação de espanto de um judeu (que tem seu monoteísmo intacto) ao descobrir por sua pergunta que missionários usam seu querido credo nacional "Ouve, Israel, A-do-nai é nosso D'us, A-do-nai é Um" (em hebraico, echad) para provar a doutrina da Trindade. Para surpresa de muitos, os crentes na Trindade usarão freqüentemente este celebrado versículo para apoiar a crença em uma natureza tri-una de D'us. Examinemos mais detidamente este argumento. Para apoiar esta afirmação de que há múltiplas pessoas dentro do deus, os missionários insistem que a palavra hebraica "echad" (um) ao final de Devarim 6:4 não significa um UM absoluto, mas ao contrário, pode apenas significar uma unidade composta, ou muitas coisas em uma. Citarão freqüentemente dois versículos para apoiar esta afirmação. O primeiro é Bamidbar 13:23, que diz: "Então eles foram ao Vale de Eshcol, e cortaram um galho com um (echad) cacho de uvas; carregaram-no entre dois deles, numa vara. Levaram também alguns dos figos e das romãs." O segundo é Bereshit 1:5, que diz: "... e houve a noite e houve a manhã, um (echad) dia." Destes versículos, discutem eles, fica claro que a palavra hebraica "echad" pode apenas significar uma fusão de várias coisas em uma. Embora esta prova seja falha, para aqueles que não têm um mínimo de conhecimento do idioma hebraico, este argumento pode ser bem intrigante e até convincente mas...

A palavra "echad" em hebraico funciona exatamente da mesma maneira que a palavra "um" em português. Em português, pode-se dizer: "estas quatro cadeiras e a mesa formam uma mobília de jantar," ou então: "Há um centavo em minha mão." Desses dois exemplos, é fácil ver como a palavra "um" pode significar várias coisas em uma, como é o caso da mobília, ou apenas uma, no caso do centavo. Embora a palavra hebraica "echad" funcione exatamente da mesma maneira, outras religiões jamais oferecerão exemplos bíblicos onde a palavra "echad" signifique "somente um." Assim, apenas apresentando versículos das Escrituras como Bereshit 1:5 e Bamidbar 23:13, isso cria para o novato a ilusão de que a palavra "echad" é de alguma forma sinônimo de uma unidade composta. Nada, é claro, poderia estar mais longe da verdade. Por exemplo, pode-se ler em Devarim 17:6: "Pela boca de duas testemunhas, ou três testemunhas, aquele que merece a morte deve ser posto à morte; mas pela boca de uma (echad) testemunha, ele não deve ser posto à morte." Ou Cohêlet 4:8: "Há apenas um (echad), sem uma companhia; sim, ele nem tem filho..." E também encontramos a palavra hebraica "echad" com um único absoluto também em 2° Samuel 13:30; 2º Samuel 17:12; Exodo 9:7; etc. Nos dois versículos acima a mesma palavra hebraica é usada, e a palavra "echad" está claramente referindo-se a apenas um, não a uma unidade composta. A dúvida que imediatamente nos vem à mente é: se a palavra hebraica "echad" pode significar tanto uma unidade composta como apenas a unidade, como se pode dizer qual definição é válida ao estudarmos um versículo? A resposta é: exatamente da mesma maneira que a palavra "um" é entendida em português, ou seja, pelo contexto. "Quatro cadeiras e uma mesa fazem uma mobília de sala de jantar" é uma unidade composta, e "Ouve, Israel, A-do-nai é nosso D'us, Ado-nai é Um" é puro monoteísmo. A questão do Shemá não é nova, ela já foi feita por nossos Sábios no sagrado livro do Zôhar. Será que devemos chamar a D'us de "echad", palavra que pode ser erroneamente interpretado como uma unidade composta? Não seria um risco usá-la, afinal, o segundo mandamento é claro ao proibir qualquer forma de idolatria? Chassidut e Cabalá dão uma explicação mais profunda do assunto. Claro que D'us não pode ser chamado por "echad" (que pode significar uma unidade composta), e somente poderia ser chamado por "yachid" (que significa único absoluto). Porém neste caso do versículo "Shemá Yisrael, A-do-nai E-lo-hê-nu, A-do-nai Echad" a palavra "echad" é proposital: Ao proferir o Shemá estamos dizendo que não somente D'us é único (yachid) mas que também não há outra coisa além do um, pois todas as criaturas do universo não estão separadas d'Ele, mas estão anuladas perante Ele.

Esta idéias está explícita na palavra "echad", que em hebraico é formada por três letras: alef, chet, dalet. ALEF - a primeira letra, alef, com valor numérico 1, diz respeito ao D'us Único; CHET - a segunda, chet, com valor numérico 8, significa que Ele tem soberania absoluta sobre os Sete Céus e a Terra; DALET - a terceira, dalet, com valor numérico 4, lembra que Ele também domina os quatro pontos cardeais. Sendo assim, devemos dar ênfase especial na última palavra do Shemá, refletir sobre seu significado, e perceber como toda a criação "echad" está anulada perante este Um Único. Resposta rabino Aron Moss Leia Mais: " Nome Divino " " Doses de Torá - Elokim " " Shema Yisrael "

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful