You are on page 1of 34

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 4.591, DE 16 DE DEZEMBRO DE 1964.

1

LEI Nº 4.591 - 16 DEZEMBRO DE 1964.

Dispõe sobre o condomínio em edificações e as incorporações imobiliárias

2

Do Condomínio Art. 1º As edificações ou conjuntos de edificações, de um ou mais pavimentos, construídos sob a forma de unidades isoladas entre si, destinadas a fins residenciais ou não residenciais, poderão ser alienados, no todo ou em parte, objetivamente considerados, e constituirá, cada unidade, propriedade autônoma sujeita às limitações desta Lei.

3

será assinalada por § 2º A cada unidade caberá. uma fração ideal do terreno e coisas comuns.. como parte inseparável. expressa sob forma decimal ou ordinária.§ 1º Cada unidade designação especial. 4 ..

5 .

9º Os proprietários. a Convenção de condomínio. por contrato ou por deliberação em assembleia. aprovar o Regimento Interno da edificação ou conjunto de edificações. e deverão. promitentes compradores. por escrito. em edificações a serem construídas. elaborarão. cessionários ou promitentes cessionários dos direitos pertinentes à aquisição de unidades autônomas. em construção ou já construídas.Da Convenção de Condomínio Art. 6 . também.

como para qualquer ocupante. bem como a averbação das suas eventuais alterações. no mínimo. promitentes compradores. 2/3 das frações ideais que compõem o condomínio. 7 . a Convenção que reúna as assinaturas de titulares de direitos que representem. cessionários e promitentes cessionários. e obrigatória para os proprietários de unidades.§ 1º Far-se-á o registro da Convenção no Registro de Imóveis. § 2º Considera-se aprovada. atuais e futuros.

§ 3º Além de outras normas aprovadas pelos interessados. com especificações das diferentes áreas. c) o modo de usar as coisas e serviços comuns. e as de condomínio. forma e proporção das contribuições dos condôminos para as despesas de custeio e para as extraordinárias. a Convenção deverá conter: a) a discriminação das partes de propriedade exclusiva. e) o modo de escolher o síndico e o Conselho Consultivo. b) o destino das diferentes partes. 8 . d) encargos.

i) o quorum para os diversos tipos de votações. m) a forma e o quorum para a aprovarão do Regimento Interno quando não incluídos na própria Convenção.f) as atribuições do síndico. j) a forma de contribuição para constituição de fundo de reserva. 9 . além das legais. g) a definição da natureza gratuita ou remunerada de suas funções. l) a forma e o quorum para as alterações de convenção. h) o modo e o prazo de convocação das assembleias gerais dos condôminos.

ou usá-la de forma nociva ou perigosa ao sossego. 10 . III .Art. IV. à salubridade e à segurança dos demais condôminos. Il .decorar as partes e esquadrias externas com tonalidades ou cores diversas das empregadas no conjunto da edificação.alterar a forma externa da fachada.destinar a unidade a utilização diversa de finalidade do prédio.embaraçar o uso das partes comuns. 10 É defeso a qualquer condômino: I .

se este não a desfizer no prazo que lhe for estipulado.§ 1º O transgressor ficará sujeito ao pagamento de multa prevista na convenção ou no regulamento do condomínio. se obtiver a aquiescência da unanimidade dos condôminos. à custa do transgressor. além de ser compelido a desfazer a obra ou abster-se da prática do ato. mandar desmanchá-Ia. com autorização judicial. 11 . § 2º O proprietário ou titular de direito à aquisição de unidade poderá fazer obra que (VETADO) ou modifique sua fachada. ao síndico. cabendo.

de sua unidade autônoma. segundo suas conveniências e interesses.Utilização da Edificação ou do Conjunto de Edificações Art. umas e outros às normas de boa vizinhança. com exclusividade. 12 . 19 Cada condômino tem o direito de usar e fruir. e poderá usar as partes e coisas comuns de maneira a não causar dano ou incômodo aos demais condôminos ou moradores. nem obstáculo ou embaraço ao bom uso das mesmas partes por todos. condicionados.

para alienação total ou parcial. de edificações ou conjunto de edificações compostas de unidades autônomas. Parágrafo único. considera-se incorporação imobiliária a atividade exercida com o intuito de promover e realizar a construção. em todo o território nacional. 13 .DAS INCORPORAÇÕES Art. 28 As incorporações imobiliárias. reger-se-ão pela presente Lei. Para efeito desta Lei.

. 14 . o promitente b) o construtor ou corretor de imóveis. 31 A iniciativa e a responsabilidade das incorporações imobiliárias caberão ao incorporador. do terreno.. que sòmente poderá ser: a) o proprietário comprador. .Art.

devendo também seu nome permanecer indicado ostensivamente no local da construção.§ 2º Nenhuma incorporação poderá ser proposta à venda sem a indicação expressa do incorporador. 15 .

a incorporação poderá ser submetida ao regime da afetação. 31-A. manterse-ão apartados do patrimônio do incorporador e constituirão patrimônio de afetação. bem como os demais bens e direitos a ela vinculados.DO PATRIMÔNIO DE AFETAÇÃO Art. A critério do incorporador. pelo qual o terreno e as acessões objeto de incorporação imobiliária. destinado à consecução da incorporação correspondente e à entrega das unidades imobiliárias aos respectivos adquirentes 16 .

com maior intensidade. e que vem sendo usado. somente sendo extinto com a entrega das unidades imobiliárias aos respectivos compradores e financiadores da obra. o patrimônio de afetação é o regime pelo qual o terreno e as benfeitorias que serão objeto de construção.PATRIMÔNIO DE AFETAÇÃO O patrimônio de afetação é um regime especial de garantia da incorporação imobiliária. A principal finalidade é a de garantir a efetiva conclusão da obra de construção de um edifício de apartamentos ou salas comerciais. Por definição legal. 17 . pelo mercado das empresas de construção civil. ficam mantidos separados do patrimônio da empresa incorporadora.

o patrimônio de afetação aplica-se.. para garantir a aquisição de imóveis lançados na planta ou em construção.PATRIMÔNIO DE AFETAÇÃO Desse modo. Isto porque o empreendimento com patrimônio de afetação será tratado como se fosse um estabelecimento autônomo da construtora. com inscrição própria no CNPJ e conta bancária específica. . Com a utilização do regime. 18 . a empresa incorporadora vai agregar ao seu empreendimento um fator de garantia. em que o adquirente somente vai receber o bem no futuro. apenas.. assegurando ao comprador que a obra será concluída e que o seu investimento está assegurado por força desse regime jurídico especial.

. direitos e obrigações do patrimônio geral do incorporador ou de outros patrimônios de afetação por ele constituídos e só responde por dívidas e obrigações vinculadas à incorporação respectiva..PATRIMÔNIO DE AFETAÇÃO . na qual ficarão depositados os valores pagos pelos adquirentes ao longo do tempo e da qual somente sairão os recursos depositados para o custeio exclusivo da construção. o patrimônio de afetação não se comunica com os demais bens. Nesse sentido. 19 .

direitos e obrigações do patrimônio geral do incorporador ou de outros patrimônios de afetação por ele constituídos e só responde por dívidas e obrigações vinculadas à incorporação respectiva.§ 1o O patrimônio de afetação não se comunica com os demais bens. § 2o O incorporador responde pelos prejuízos que causar ao patrimônio de afetação. 20 .

21 . considerando-se tão somente os valores efetivamente recebidos pela alienação.§ 6o Os recursos financeiros integrantes do patrimônio de afetação serão utilizados para pagamento ou reembolso das despesas inerentes à incorporação. § 7o O reembolso do preço de aquisição do terreno somente poderá ser feito quando da alienação das unidades autônomas. na proporção das respectivas frações ideais.

cuidando de preservar os recursos necessários à conclusão da obra. 22 . II . 31-D. inclusive mediante adoção de medidas judiciais. III .Art.diligenciar a captação dos recursos necessários à incorporação e aplicá-los na forma prevista nesta Lei. Incumbe ao incorporador: I .manter apartados os bens e direitos objeto de cada incorporação.promover todos os atos necessários à boa administração e à preservação do patrimônio de afetação.

entregar à Comissão de Representantes balancetes coincidentes com o trimestre civil. 23 .manter e movimentar os recursos financeiros do patrimônio de afetação em conta de depósito aberta especificamente para tal fim. VI . demonstrativo do estado da obra e de sua correspondência.. no mínimo a cada três meses.IV .entregar à Comissão de Representantes.. V . . relativos a cada patrimônio de afetação.

assegurar à pessoa nomeada nos termos do art.VII .manter escrituração contábil completa. contratos. bem como aos livros. 24 . VIII . 31-C o livre acesso à obra. ainda que esteja desobrigado pela legislação tributária. movimentação da conta de depósito exclusiva referida no inciso V deste artigo e quaisquer outros documentos relativos ao patrimônio de afetação.

ou de outras hipóteses previstas em lei. 36). § 1o. II . dos respectivos adquirentes e. III . 31-F. quando for o caso. 31-E. extinção das obrigações do incorporador perante a instituição financiadora do empreendimento.liquidação deliberada pela assembleia geral nos termos do art. depois de restituídas aos adquirentes as quantias por eles pagas (art. registro dos títulos de domínio ou de direito de aquisição em nome . O patrimônio de afetação extinguir-seá pela: I .revogação em razão de denúncia da incorporação. 25 .averbação da construção.Art.

Os efeitos da decretação da falência ou da insolvência civil do incorporador não atingem os patrimônios de afetação constituídos.Art. 31-F. obrigações e encargos objeto da incorporação. acessões e demais bens. não integrando a massa concursal o terreno. as . direitos creditórios. 26 .

27 .. os seguintes documentos: a) título de propriedade de terreno. O incorporador sòmente poderá negociar sobre unidades autônomas após ter arquivado.. 32.Das Obrigações e Direitos do Incorporador Art. no cartório competente de Registro de Imóveis.

b) certidões negativas de impostos federais. acompanhado de certidão dos respectivos registros. 28 . abrangendo os últimos 20 anos. c) histórico dos títulos de propriedade do imóvel. aos alienantes do terreno e ao incorporador. d) projeto de construção devidamente aprovado pelas autoridades competentes. de protesto de títulos de ações cíveis e criminais e de ônus reais relativamente ao imóvel. estaduais e municipais.

e) cálculo das áreas das edificações. 29 . g) memorial descritivo das especificações da obra projetada. h) avaliação do custo global da obra. f) certidão negativa de débito para com a Previdência Social.

§ 1º A documentação referida neste artigo. após o exame do Oficial de Registro de Imóveis. acompanhada de plantas elucidativas. sobre o número de veículos que a garagem comporta e os locais destinados à guarda dos mesmos. fazendo-se o competente registro. 30 . será arquivada em cartório.p) declaração.

cópia fotostática. dos documentos especificados neste artigo. impressos. dos anúncios. heliográfica. salvo dos anúncios "classificados". preliminares ou definitivos.§ 3º O número do registro referido no § 1º. publicações. obrigatòriamente. bem como a indicação do cartório competente. referentes à incorporação. termofax. contratos. § 4º O Registro de Imóveis dará certidão ou fornecerá. constará. propostas. 31 . a quem o solicitar. microfilmagem ou outra equivalente. ou autenticará cópia apresentada pela parte interessada.

se ela ainda não se houver concretizado. 32 . O registro da incorporação será válido pelo prazo de 120 dias. o incorporador só poderá negociar unidades depois de atualizar a documentação a que se refere o artigo anterior. revalidando o registro por igual prazo.Art. 33. findo o qual.

Nas incorporações em que a aquisição do terreno se der com pagamento total ou parcial em unidades a serem construídas. se houver. 39.a quota-parte da área das unidades a serem entregues em pagamento do terreno que corresponderá a cada uma das unidades. Il . 33 .Art. será paga em dinheiro. a qual deverá ser expressa em metros quadrados.a parcela que. deverão ser discriminadas em todos os documentos de ajuste: I .

de todos os documentos de ajuste. 34 . Deverá constar. também.Parágrafo único. se o alienante do terreno ficou ou não sujeito a qualquer prestação ou encargo.