You are on page 1of 2

C â m a r a M u n i c i pa l d e É vo r a

Carlos Manuel Rodrigues Pinto de Sá
Cabeça de lista à Câmara Municipal de Évora Nasceu em 1958 em Montemor-o-Novo. Participou na resistência anti-fascista e na luta pela liberdade, integrado no MDP/CDE. É membro do PCP desde 1974 tendo militado nas organizações de juventude do PCP. Foi fundador da Associação de Estudantes da Universidade de Évora e professor de Matemática na Escola Secundária André de Gouveia. Foi Presidente do Conselho Fiscal da Associação Nacional dos Municípios Portugueses e membro do Conselho Nacional da Reserva Ecológica Nacional. Foi Presidente da GESAMB, Empresa Intermunicipal de tratamento e reciclagem de RSUs do distrito de Évora e Presidente da Câmara Municipal Montemor-o-Novo. Foi membro do Comité das Regiões da União Europeia, Bacharel em Ciências Sociais e Licenciado e Mestre em Economia. É docente de Economia na Universidade de Évora e tem trabalhos publicados em domínios como a organização da actividade económica, o emprego, a organização e o financiamento do Poder Local.

Candidatura
Município de Évora
Évora precisa de retomar uma dinâmica de desenvolvimento a partir da participação dos eborenses na defesa dos seus interesses. Isso é possível com uma gestão em que os eborenses são o centro das atenções da autarquia. É este o compromisso que a CDU assume e é o desafio que deixa a toda a população de Évora. Juntos Conseguimos! Évora no rumo do progresso e do desenvolvimento.

Élia Maria Andrade Mira
Professora do Ensino Secundário

Eduardo Jorge Pratas Fernandes Luciano
Advogado

João Manuel da Horta Rodrigues
Técnico Oficial de Contas

Maria Margarida Fortio Fernandes
Arquitecta Paisagista

A s s e m b l e i a M u n i c i pa l d e É vo r a
António Jorge de Paiva Jara
Cabeça de lista à Assembleia Municipal de Évora Nasceu em 1947, em Moçambique. Médico Cardiologista (Chefe de Serviço), iniciou as suas funções no Hospital de Évora em 1983 onde foi Director do Serviço de Cardiologia do Hospital do Espírito Santo desde 1990 até 2010. É Presidente da mesa da Assembleia Geral da Ordem dos Médicos de Évora, membro da Fundação Portuguesa de Cardiologia e do corpo redactorial da Revista Portuguesa de Cardiologia. É deputado Municipal pela CDU na Assembleia Municipal de Évora.

A s s e m b l e i a s d e F r e g u e s i a U r ba n a s

União das Freguesias de Bacelo e Senhora da Saúde

Gertrudes da Conceição Gomes Pastor
Professora de Educação Especial

União das Freguesias de Évora (Santo Antão, São Mamede, Sé e São Pedro) João Vicente Marques Bilou Coordenador Técnico

União das Freguesias de Malagueira e Horta das Figueiras

José da Silva Costa Russo
Actor e Encenador

Mandatário da CDU
João Guilherme Ramos Rosa de Oliveira
Advogado É membro da Direcção da Organização Regional de Évora e do Comité Central do PCP. Foi membro da Direcção-Geral da Associação Académica de Coimbra, do Senado da Universidade de Coimbra, da Direcção da Associação de Estudantes da Escola Secundária Severim de Faria e do seu Conselho de Escola. Foi membro da Assembleia de Freguesia da Horta das Figueiras. É deputado da Assembleia da República e Vice-Presidente do Grupo Parlamentar do PCP.

Évora tem Futuro!
JUNTOS CONSEGUIMOS!

A G E S TÃ O C ATA S T R Ó F I C A D O P S
Hoje, após 12 anos de gestão PS, com a muleta do PSD, Évora perdeu prestígio nacional e internacional e, sobretudo, a cidade limpa, brilhante, está descuidada, cinzenta, em perda de identidade e em divórcio com os seus habitantes e a sua razão de ser. O descalabro de 12 anos de gestão do PS está patente nos 75 milhões de euros de dívida (uma das Câmaras mais endividadas do país), apesar da venda de património municipal, nas mais de 80 promessas de “excelência” não cumpridas (excepto no que diz respeito ao favorecimento clientelar), no alienar de serviços públicos essenciais como a água, no afastamento e desprezo pelos trabalhadores, na destruição das prestigiadas e inovadoras políticas cultural e urbanística, no divórcio e penalização das instituições locais. A adesão recente ao Memorandozinho da troika nacional – PS, PSD, CDS (PAEL) corresponde ao verdadeiro estado de falência da Câmara e a um legado caótico que hipoteca o município para os próximos 20 anos. O desalento, a desmotivação e o descrédito generalizado confirmam que o tempo da Câmara PS chegou ao fim! A Évora “património da Humanidade”, com um vida cultural, económica e social, dinâmica e atractiva e onde dá gosto viver, está posta em causa. Évora tem de recuperar a sua dignidade e a sua vitalidade.

Decididamente, o que Évora precisa – e estamos certos que vai ter! – é uma nova gestão CDU!
Uma das características distintivas do nosso projecto político, e do futuro governo municipal, é o permanente apelo e incentivo à participação activa dos cidadãos. É importante a participação de todos os que entendem indispensável pôr termo à desastrosa gestão do PS e construir um projecto político alternativo. A CDU quer ouvir, considerar, debater e integrar as propostas, independentemente das opções de quem as faça, que possam dar um contributo para uma vida melhor e mais justa em Évora. Nesse sentido estamos a auscultar as estruturas empresariais, sindicais, educativas, o movimento associativo, as associações sociais, culturais e desportivas. Convidamos todos os que quiserem participar em reuniões e debates temáticos, ou simplesmente transmitirnos a sua opinião, a fazê-lo.

Venham construir connosco um futuro melhor para Évora!

Recinto de espectáculos Junto ao staples.

Complexo Desportivo de Évora Compromisso não cumprido.

Évora não pode correr o risco de vir a perder o seu estatuto de cidade classificada como Património da Humanidade!

As próximas eleições autárquicas irão significar uma ruptura com este triste passado, irão significar um novo ciclo político. Estamos a preparar a vitória necessária da CDU nestas eleições.
Entendemos o exercício do poder como uma forma de transformar a sociedade. Para isso: damos voz e agimos no poder em prol dos interesses colectivos da população de Évora, dos trabalhadores, dos pequenos e médios empresários, das associações socioculturais, da escola pública, dos jovens e dos reformados. Damos voz e agimos por uma sociedade económica e socialmente mais justa, por uma sociedade mais democrática e por um poder mais participado. Por isso, a indispensável alternativa política que protagonizamos irá recusar a demagogia e as promessas fáceis, irá falar a verdade, irá propor um programa realista, adequado à situação de falência da Câmara – há que pagar dívidas e contar com muito poucos recursos. Mas recusamos a fatalidade e o conformismo!

Com a nova gestão CDU
>
Defendemos a autonomia local,

o Poder Local Democrático e as freguesias.

>
Implementaremos de forma inovadora,

>
Vamos assumir

>
Daremos prioridade

políticas nos domínios cultural, urbanístico, ambiental e de ordenamento.

e afirmar, em conjunto, o Alentejo, comprometendo-se Évora a ter uma posição solidária e cooperante.

à dinamização e à salvaguarda do Centro Histórico de Évora.

>
Daremos prioridade

à área social, devido à brutal crise imposta ao concelho, mas também as áreas da formação, educação, juventude e desporto.

>
Recusamos o presidencialismo

>
Apostamos na dinamização, expansão e diversificação da economia local,

>
Garantimos uma permanente ligação às populações,

e privilegiamos a gestão colectiva e o planeamento e programação democráticos.

da agricultura ao turismo, da indústria aos serviços, do conhecimento à inovação.

às instituições locais, aos trabalhadores municipais e às freguesias.