You are on page 1of 22

CRIME DOLOSO E CRIME CULPOSO (Art.

18 do Código Penal) DIZ-SE O CRIME DOLOSO, QUANDO O AGENTE QUIS O RESULTADO OU ASSUMIU O RISCO DE PRODUZI-LO. DIZ-SE O CRIME CULPOSO, QUANDO O AGENTE DEU CAUSA AO RESULTADO POR IMPRUDÊNCIA, NEGLIGÊNCIA OU IMPERÍCIA.

‡ § ÚNICO DO ART.18 ± SALVO OS CAS ‡ OS EXPRESSOS EM LEI, NINGUÉM PODE SER PUNIDO POR FATO PREVISTO COMO CRIME, SENÃO QUANDO O PRATICA DOLOSAMENTE

‡ * OU A VONTADE LIVRE E CONSCIENTE DE PRATICAR UM FATO TÍPICO.‡ CONCEITO ‡ * DOLO É A VONTADE DE CONCRETIZAR AS CARACTERISTICAS OBJETIVAS DO TIPO. .

UMA VEZ QUE CRIME NÃO É SOMENTE UMA VONTADE MÁ.‡ O FUNDAMENTO MATERIAL DE TODO CRIME É A CONCRETIZAÇÃO DA VONTADE NUM FATO EXTERNO. . MAS VONTADE MÁ CONCRETIZADA NUM FATO.

‡ TEORIA DA VONTADE: ‡ DOLO É A INTENÇÃO MAIS OU MENOS PERFEITA DE PRATICAR UM FATO QUE SE CONHECE CONTRÁRIO A LEI. .

. É SUFICIENTE QUE O RESULTADO SEJA PREVISTO PELO SUJEITO.‡ TEORIA DA REPRESENTAÇÃO: ‡ DOLO É A PREVISÃO DO RESULTADO.

M/AO EXIGINDO QUE O SUJEITO QUEIRA PRODUZI-LO.‡ TEORIA DO CONSENTIMENTO: ‡ REQUER A PREVISÃO OU REPRESENTAÇÃO DO RESULTADO COMO CERTO. PROVÁVEL OU POSSÍVEL. . É SUFICIENTE O SEU ASSENTIMENTO.

. CONTÉM A CONCIÊNCIA DA ANTIJURIDICIDADE.‡ DOLO NORMATIVO E DOLO NATURAL ‡ DOUTRINA TRADICIONAL O DOLO É NORMATIVO.

‡ DOUTRINA FINALISTA ± NATURAL DOLO NÃO CONTEM CONSCIÊNCIA DA ANTIJURIDICIDADE .

‡ COONSCIENCIA DA RELAÇÃO CAUSAL OBJETIVA ENTRE A CONDUTA E O RESULTADO. .‡ ELEMENTOS DO DOLO ‡ CONSCIENCIA DA CONDUTA E DO RESULTADO. ‡ VONTADE DE REALIZAR A CONDUTA E PRODUZIR O RESULTADO.

As conseqüências secundarias que estão necessariamente vinculadas com o emprego dos meios. Os meios que emprega para isso. .‡ ‡ ‡ ‡ ABRANGENCIA DO DOLO Objetivo que o sujeito deseja alcançar.

‡ DOLO DIRETO OU DETERMINADO ‡ DOLO INDIRETO OU INDETERMINADO .

FACADAS NA VÍTIMA QUERIA O RESULTADO MORTE DA VITIMA .VG.‡ DIRETO ± O SUJEITO VISA A CERTO E DETERMINADO RESULTADO.

. EVENTUAL: QUANDO ASSUME O RISCO DE PRODUZIR O RESULTADO.‡ INDIRETO ± A VONTADE DO SUJEITO NÃO SE DIRIGE A CERTO E DETERMINADO RESULTADO: ALTERNATIVO: FERIR OU MATAR. O AGENTE NÃO QUER O RESULTADO MAS ASSUME O RISCO DO RESULTADO.

‡ CULPA ‡ ELEMENTOS DO CRIME CULPOSO .

AUSÊNCIA DE PREVISÃO. PREVISIBILIDDE OBJTIVA. . MANIFESTADA NA IMPRUDÊNCIA. TIPICIDADE. IMPUTAÇÃO OBJETIVA. NEGLIGÊNCIA OU IMPERÍCIA.‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ CONDUTA HUMANA VOLUNTÁRIA DE FAZER OU NÃO FAZER. RESULTADO INVOLUNTÁRIO. NEXO DE CAUSALIDADE. INOBSERVÂNCIA DO CUIDADE OBJETIVO.

F\ALTA. PORÉM. QUE CORRESPONDE A IMPUTAÇÃO OBJETIVA. . COM O DEVER DE DILIGENCIA EXIGIDO PELA LEI.‡ O AGENTE NÃO PRETENDE PRATICAR UM CRIME NEM QUER EXPOR INTERESSES JURÍDICOS DE TERCEIROS A PERIGO DE DANO.

negligencia ou imperícia. . isto é.‡ O FUNDAMENTAL NO CRIME CULPOSO NÃO É A MERA PROVOCAÇÃO DO RESULTADO. MAS A MANEIRA COMO ELE ocorreu. se o resultado derivou de imprudência.

intempestiva. imoderada: ex: motorista embriagado . precipitada.‡ MODALIDADES DA CULPA ‡ IMPRUDÊNCIA ± é prática de uma conduta arriscada ou perigosa. insensata.

falta de preocupação.‡ NEGLIGÊNCIA ± É a displiciência no agir. indiferença.podendo o agente adotar cautelas e não o faz. desleixo. Ex: motorista de ônibus que movimenta o veículo com portas abertas . inação.

falta de conhecimento. despreparo. inabilidade para exercício de profissão.‡ IMPERÍCIA ± é a falta de capacidade para a prática de determinado ato ou conduta. . arte ou ofício.

‡ DIFERENÇA ENTRE ‡ DOLO EVENTUAL ‡ E ‡ CULPA CONSCIENTE .