Aluno: Humberto Ferrari de Abreu Silva. Matricula: 11/0061462. Curso: Gestão de Agronegócios – Universidade de Brasília.

Disciplina: Organização, Métodos e Sistemas – OMS. Tema: O TRISTE DESTINO DA ÁREA DE O&M O artigo em questão tem como objetivo investigar de modo empírico o sentido, a intensidade e as implicações das mudanças ocorridas em O&M no Brasil nos últimos anos. E possui importância relevante em ao menos três bases, como na prática empresarial, no entendimento dos processos de mudança organizacional no Brasil desde meados da década de 80 e no ensino de administração. A funcionalidade tradicional da área de O&M não está mais sendo utilizadas em muitos lugares. A profissão ainda existe, mas praticamente se extinguiu. As empresas não têm mais uma área de O&M, como se essa não fosse mais necessária. Apenas é encontrada em instituições públicas, financeiras ou em empresas de grande porte e com um mapeamento funcional tradicional. Na boa parte das pessoas que conviveram com a realidade organizacional brasileira dos anos 70 e 80, em especial em empresas de médio e grande porte, a função de Organização e Métodos (O&M) foi uma referência significativa. As técnicas de racionalização do trabalho e de busca de produtividade passaram a ser aplicadas ao trabalho no escritório, dando origem à disciplina de organização e métodos. No início ela se referia ao estudo da organização da empresa e aos métodos de trabalho utilizados nas atividades burocráticas e administrativas. No surgimento da informática envolvendo todo processamento de dados e a sua expansão nas décadas seguintes. Em meados dos anos 60, os assuntos de processamento de dados eram apresentados nos livros de O&M, passando a ser chamados de sistemas administrativos. A evolução da tecnologia e a aquisição desta pela empresa não levam automaticamente à sua utilização produtiva. Ganhos concretos nas atividades e processos surgirão apenas se forem feitas mudanças na organização dos recursos e na realização do processo, para, assim, se tirar vantagem das possibilidades do equipamento. As mudanças importantes nas empresas passaram a ser planejadas e acompanhadas também por equipes externas (empresas de consultoria) e não mais só pelo pessoal interno, abandonando-se o modelo da área interna, permanente e exclusivamente dedicada ao O&M.

. incorporada ou integrada a outros fatores que venha a ser no futuro próximo ou até mesmo nossa realidade atual. a maior possibilidade é que tenha sido radicalmente transformada. a cultura da empresa e as habilidades individuais. Fica evidente que na conclusão do estudo o departamento e os profissionais de O&M não são mais o que foi em seus primórdios que começou como ciência na administração científica em 1903 até 1972/1980 na teoria da contingencia e tecnologia. mudanças nas práticas de gestão que acontece por estar diretamente relacionada ao aumento significativo da oferta de serviços de consultoria organizacional. ao longo das últimas décadas. mesmo a grandes distâncias. ou seja. em especial as que interligam as pessoas.Outro fator relevante na modificação radical da importância do O&M são as novas tecnologias de apoio ao trabalho do escritório. é indispensável projetar a forma de realizar o trabalho. A tecnologia de informação pode alterar de forma dramática o projeto dos cargos. durante tanto tempo. diminuiu muito a importância dos técnicos em assuntos como organização do trabalho. constituíram a essência da atividade dos profissionais de O&M. análise de procedimentos e outras disciplinas que. Se a tecnologia é capaz de provocar no trabalho mudanças tão profundas e abrangentes. O estudo assumiu que certos processos de intervenção planejada nas organizações tenham também provocado às transformações organizacionais. o que realmente acontece é uma tendência à utilização de mão de obra externa como as consultorias do que ter um novo departamento de O&M que iria envolver novos custos e limitações. dos processos de trabalho. as estruturas organizacionais. A evolução do nível dos profissionais das outras áreas da empresa. Na procura pela de concentração de seus pontos fortes e estratégia de atuação no mercado ou por um processo de institucionalização.