Manutenção preventiva marca ação da Macroaction no Rio de Janeiro

Página 18

Pesados Online potencializa venda de equipamentos usados
Página 23
nº 05 | junho 2013

Uma década de Brasil
Hyundai celebra 10 anos de operação no país no mesmo ano em que inaugura fábrica local em parceria com a BMC

1

2

editorial

O poder da superação

A
Felipe Cavalieri, Presidente da BMC

gilidade e garra são as marcas com as quais o mercado nos caracterizou durante os quase seis anos de BMC. É para frente que olhamos e foi assim que demos o maior passo de nossa trajetória, ao inaugurar a fábrica da BMC-Hyundai em Itatiaia (RJ), com a presença do presidente mundial da Divisão de Construção da Hyundai, Choe Byeung Ku; do Governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral; do Prefeito de Itatiaia Luis Carlos Ypê e de outras autoridades, além de parceiros e familiares. A fábrica é um marco para a BMC, mas também o é para a Hyundai. A prova disso é que ambas se emprestam nomes agora, e passamos a ser BMC-Hyundai para as operações da marca aqui no Brasil. Com a fabricação local, planejamos produzir cerca de 3 mil equipamentos neste ano e alcançar a fabricação máxima de 5 mil unidades anuais até 2015. É com esse aporte, parrudo, que iremos auxiliar o desenvolvimento da infraestrutura brasileira, cujas projeções continuam otimistas para os próximos anos. Esta edição de Construtiva, aliás, mostra parte desse desenvolvimento, trazendo estudos de caso de sucesso na utilização das máquinas que comercializamos. Um exemplo é a Macroaction, cliente do Rio de Janeiro que atua na locação e realização de obras de terraplanagem. Ela centralizou a sua frota de escavadeiras com a BMC-Hyundai, desfrutando do pósvendas dedicado e otimizando a sua mão de obra de manutenção, com mecânicos treinados exclusivamente para lidar com as ações preventivas e preditivas de nossas máquinas. A operação de manipuladores telescópicos Merlo nas obras de túnel do Trecho Leste do Rodoanel Mario Covas é outro caso bem sucedido e contado nesta edição. Assim como o grande lote locado para as obras da Hidrelétrica de Belo Monte. Algumas dicas de manutenção e operação, em uma matéria especial sobre cuidados com escavadeiras, é outro tema abordado nesta publicação, que também traz notícias de grandes negócios que fechamos no último trimestre, além da seção exclusiva de Racing, onde mostramos o talento do tricampeão em corrida de montanha, José Virginio de Morais. Boa leitura e obrigado a todos que contribuíram, e ainda contribuem, para mais um ano de sucesso da BMC-Hyundai!
3

com capacidade inicial de 3 mil unidades ao ano apresenta eventos 10 BMC-Hyundai empilhadeiras em feiras latino-americanas Empresa destaca empilhadeiras de 7 e 4.5 toneladas durante a CeMAT e a Intermodal 2013 Presença Nacional cobertura 12 BMC amplia rede de atendimento ao cliente. cobrindo todas as regiões do Brasil com ações de vendas e pós-vendas Manutenção preventiva marca ação da caso de sucesso 18 Macroaction no Rio de Janeiro Empresa cuida do parque de máquinas com manutenção periódica para atender demandas de suas obras e ainda aumentar o valor de revenda dos equipamentos após o quinto ano de uso 22 Belo Monte loca 58 equipamentos com a Bell Engenharia Máquinas locadas por período de até 24 meses atenderão aumento de produção de terraplanagem e construção nas obras da hidrelétrica 23 Pesados Online potencializa venda de equipamentos usados Portal influenciou em 85% das decisões de compra de máquinas usadas no ano passado 4 .índice em foco 14 BMC-Hyundai inaugura fábrica e sela 10 anos da marca no Brasil Unidade brasileira é a primeira a produzir equipamentos para construção da multinacional sul-coreana fora da Ásia.

www.com expediente 5 .br • Jornalista Responsável: Rodrigo Conceição Santos .com. equipe ocupa a quarta posição do ranking Cuidados que ampliam a vida útil dos equipamentos manutenção 30 A manutenção correta e o treinamento do operador estão entre os principais cuidados para garantir a máxima produtividade das máquinas off road Revista Construtiva é uma publicação trimestral da Brasil Máquinas (BMC) com tiragem dirigida de 4 mil exemplares por edição. Nelson Valêncio.498/SP • Edição: Nelson Valêncio e Rodrigo Conceição Santos • Textos: Jhônatas Lucas.com ou acesse www.canaris-com. criticas ou sugestões contate marketing@brasilmaquinas.MTB 47.brasilmaquinas. José Virginio de Morais 28 BMC Racing avança positivamente nas etapas da Stock Car Com bons resultados na terceira e quinta corridas da temporada.br • Equipe de Marketing & Comunicação BMC Dúvidas. • Presidente: Felipe Cavalieri • Vice-Presidente: Christiano Kunzler • Produção e Conteúdo: Canaris Informação Qualificada . a corrida de montanha é um desafio até para os mais fortes.com. é com esse espírito de conquista que a BMC patrocina o tricampeão brasileiro.www. Rodrigo Conceição Santos e Thomas Tjabbes • Direção de arte e diagramação: Alexandre Barros e Geraldo Nogueira • Impressão: Gráfica Quatrocor .Manipulador Merlo equipamento do mês 24 atua nas obras do Rodoanel Leste Equipamento foi alocado na construção do túnel que atravessa a rodovia em mais de 1 km de extensão em cada sentido de pista montanhas racing 26 Conquistando Modalidade crescente no Brasil.quatrocor.

No local. situado à Rua Prefeito Assumpção. motivo pelo qual planejamos ampliar os nossos negócios em 30% neste ano”. Nos primeiros dias de trabalho. temos investido pesado na demonstração dos equipamentos Hyundai em clientes. também acompanharam os funcionários. Ferreira. ampliou sua estrutura e oferece. 6 . GLP ou diesel. alongadores de garfos. O representante é distribuidor autorizado e exclusivo para as regiões de Campinas. no bairro Vila Odete. como garras para bobinas de papel.jogo rápido BMC-Hyundai valoriza mão de obra de Itatiaia Nove moradores da cidade tornaram-se colaboradores do setor de peças da fábrica da BMC-Hyundai recentemente. diz. Outros interessados em compor o quadro profissional da fábrica. locação.5 mil ampéres. Eles foram selecionados por currículos deixados no Núcleo de Emprego e Qualificação de Itatiaia (NEQ). porque é interessante e uma honra começar com a empresa em nossa cidade”. “Firmamos parceria com a BMC-Hyundai no final do ano de 2010 e desde então temos investido na aquisição de novos equipamentos para compor a frota de locação por acreditar nos produtos fabricados pela Hyundai”. Outra opção é enviar os dados para o e-mail selecao. eles conheceram um pouco sobre a empresa e foram orientados pelo gerente de Recursos Humanos da BMC. Diretor Comercial da CAM System. A companhia tem à disposição dos clientes venda. Indo além dos equipamentos Hyundai. foi selecionado para trabalhar como conferente e demonstrou entusiasmo com a oportunidade. Distribuidor CAM System amplia serviços ao cliente A CAM System. a empresa proporciona a manutenção preventiva e corretiva para equipamentos. push back. “As expectativas são as melhores. no Centro. duplos e triplos. cantilever. drive-in. diz José Carlos C. podem realizar cadastro diretamente no NEQ.com. Outros produtos disponíveis são baterias tracionárias e carregadores. inclusive terceirizando o processo. Piracicaba e Mogi Guaçu. Thalita Maciel. de 12 a 80 volts e de 100 a 1. para que a gestão logística não seja interrompida. Também são ofertados equipamentos adicionais e acessórios para empilhadeiras. Jundiaí. locação e suporte a empilhadeiras elétricas. salientando que a empresa também aplicou investimentos em pessoal e qualificação para suportar o crescimento planejado. “Além disso. e a coordenadora de Recursos Humanos NEQ. O morador do bairro Jardim Itatiaia. O secretário de Desenvolvimento Econômico. fardos e caixas. suporte ao produto com a assistência técnica e peças de reposição. Sorocaba. mezaninos. os sete conferentes e dois operadores de empilhadeira participaram de uma integração no Centro de Capacitação Profissional. dinâmico. complementa. Jean Soares. a CAM System atende o segmento logístico com a venda de sistemas de armazenagem como porta-paletes. no estado de São Paulo.neq@gmail. shuttle. além da distribuição dos equipamentos. que intermediou o processo de seleção e contratação. Com uma área atual de 2. deslocadores laterais e posicionadores hidráulicos simples. nº 195. O atendimento vai das 9 às 16 horas e é necessário levar currículo. Denilson Sampaio. distribuidora autorizada das empilhadeiras Hyundai para o interior de São Paulo.800 m² na cidade de Valinhos (SP). Felipe de Paula dos Santos. estantes e divisórias.

A unidade de Gravataí é a primeira do grupo suíço na América Latina. vice-presidente da BMC. estoque de peças. O objetivo do projeto é melhorar o escoamento das águas em caso de chuvas intensas. por anos. A distribuidora investiu aproximadamente R$ 25 milhões em produtos. ferramentas e treinamentos para a equipe de vendas. que possui uma ampla cobertura de distribuição em território nacional – com mais de 30 pontos de vendas e oficinas – e tem no DNA o compromisso com a satisfação do cliente”. especialmente na região Sudeste. onde acontecerá a maior parte das competições. 14 rios estão recebendo obras de macrodrenagem com o objetivo de aumentar a capacidade de absorver águas das chuvas em atendimento ao Programa de Recuperação Ambiental da Bacia de Jacarepaguá. “Nosso principal objetivo é fixar o nome AMMANN em todo o Brasil e servir o mercado latino-americano. por conta das obras do Rodoanel em São Paulo. Confiamos no trabalho da BMC. O diretor-geral da marca para a região e presidente da matriz brasileira. 7 . inaugurou uma nova unidade em Gravataí (RS) em abril. capacitação técnica. destaca Kunzler: “Temos hoje 50 profissionais treinados pela equipe de engenheiros AMMANN. que operam na construção da Refinaria Premium I da Petrobras. sistemas e serviços para pavimentação e construção de estradas e asfaltos. Atuando com a marca desde o final de 2012. Em Jacarepaguá. “Existe uma demanda crescente no Brasil por esse tipo de equipamento. foi apenas um valão a céu aberto. afirma que a fábrica consolida um trabalho de quase dois anos no país. Esse último foi alvo de uma intervenção que transformou a área que. afirma.BMC participa da inauguração da fábrica da AMMANN no Rio Grande do Sul A AMMANN. na cidade de Bacabeira. A BMC. da construção de equipamentos esportivos e da reurbanização de áreas inteiras da cidade – caso da Zona Portuária. quatro já estão prontos: o córrego da Panela e os rios Itanhangá. também esteve presente no evento. Ele também mostra que a preparação do Rio de Janeiro para os Jogos Olímpicos de 2016 vai além da melhoria das vias. que utilizam tecnologia de ponta e as melhores práticas na fabricação dos equipamentos”. explica o executivo. afirma Christiano Kunzler. Escavadeiras BMC-Hyundai atuam em projetos de drenagem em Jacarepaguá O Programa de Recuperação Ambiental da Bacia de Jacarepaguá já finalizou a canalização de quatro rios com a ajuda de escavadeiras BMCHyundai. Gilvan Pereira. Do total previsto. no Maranhão. bairro da Zona Oeste e região vizinha à Barra da Tijuca. distribuidora dos rolos compactadores e usinas de asfalto da empresa. do Arco Metropolitano no Rio de Janeiro e da duplicação de diversas estradas”. São Francisco e Papagaio. fabricante suíça de máquinas. a BMC já comercializou nove unidades do modelo vibratório ASC 100D/T1.

divulgar campanhas e acompanhar orçamentos. comenta o diretor. a central já tem planos de expansão. Durante o evento. das 8h às 17h30. Para o Diretor da Divisão Multimarcas da BMC. RTC-80100 e RTC-80130. “É essencial que as empresas participem de demonstrações técnicas e verifiquem de perto o funcionamento dos equipamentos. ele esclareceu dúvidas sobre os modelos RTC-8030. Noel Teixeira. criamos um ambiente tranquilo e seguro para que o cliente faça o investimento certo no produto que ele realmente precisa”. Chamado de Central de Relacionamento BMC. de forma personalizada para cada cliente”. o serviço está disponível de segunda a sextafeira. incluindo suporte para venda direta. a BMC e a companhia americana de guindastes Link-Belt promoveram a 1º edição do Customer Day. 8 . o evento foi uma oportunidade para tratar de negócios de uma maneira diferente. “É importante valorizar as empresas que atendemos. Apesar de recém-inaugurada.  MC implanta central de B relacionamento com o cliente A BMC-Hyundai inaugurou uma linha gratuita de atendimento ao cliente. disse. em Serra (ES). o Gerente de Vendas para a América Latina da Link-Belt Cranes.jogo rápido BMC e Link-Belt Cranes realizam Customer Day em Vitória Em março. apresentou os guindastes expostos na sede da BMC. A equipe é formada por duas atendentes e uma coordenadora. Queremos estreitar o relacionamento com esse público para mostrar as soluções que a BMC oferece para o setor. Foi um dia de confraternização e negócios entre os cerca de 40 clientes de empresas dos segmentos da construção civil e logística. através do telefone 0800-020-0262. Corey Rogers. RTC-8050. Na ocasião. RTC-8065. que são treinadas para atualizar cadastros. Com isso.

Rodrimar utiliza empilhadeiras Hyundai na armazenagem de celulose O grupo empresarial Rodrimar. marítimo e rodoviário. atendida pela logística da Rodrimar. 9 . reúne empresas que formam uma cadeia de logística integrada. tanto na parte tecnológica quanto no desempenho dos equipamentos da marca Hyundai”. Operando no projeto da empresa Eldorado Celulose e Papel. foi fechada no mês de abril e intermediada pela Portomaq. possui um sistema de freio a disco banhado em óleo. com quase 70 anos de história. “Testamos todas as máquinas e obtivemos ótimos resultados. “O equipamento. conta Willy Maxwell. equipamentos e serviços portuários. diretor de logística do grupo Rodrimar. que proporciona desempenho de frenagem altamente eficiente”. explica Douglas Silva. O grupo Rodrimar. as empilhadeiras agora fazem parte da maior fábrica de celulose em linha única do mundo. revenda com mais de 20 anos de mercado e especializada no segmento de empilhadeiras. movidas à GLP com capacidade de 7 t. com inclinação de 15° para a frente e 10° para trás. A visibilidade e ergonomia da cabine do operador são diferenciadas. fundado em Santos. com serviços de importação e exportação no setor aéreo. A venda de 10 equipamentos 70L-7A. tornando as inspeções diárias mais rápidas. Outra vantagem do equipamento é a facilidade em verificar o nível do óleo da transmissão e do fluido de freio. proporcionando maior segurança e conforto. é o novo cliente da divisão de empilhadeiras da BMC-Hyundai. da Portomac.

“Acreditamos que a demanda por máquinas de movimentação de carga irá aumentar significativamente no biênio 2014/2015.EVENTOS BMC-Hyundai apresenta empilhadeiras em feiras latino-americanas Empresa destaca empilhadeiras de 7 e 4. Os modelos possuem ainda um sistema de freio a disco banhado em óleo e cabine projetada para fornecer maior visibilidade e ergonomia ao operador. Movida a Gás Liquefeito de Petróleo (GLP). a BMC-Hyundai apresentou em seu estande a empilhadeira GLP 70L-7A. Na ocasião. contando com a presença de 18 mil visitantes. Sucesso na Intermodal Outra feira que demonstrou a força dos setores de logística e transporte de cargas foi a Intermodal South America 2013. o mercado nacional de empilhadeiras está aquecido e a presença desses equipamentos na feira representa isso. De acordo com Marcos Mendes de Oliveira. devendo permanecer em patamares bem superiores aos alcançados no ano passado”. diz ele. entre os dias 19 e 22 de março. A feira reuniu 237 expositores nacionais e internacionais do ramo de logística e intralogística. essa empilhadeira é equipada com motor General Motors de seis cilindros. Gerente Nacional de Vendas da BMC-Hyundai. apresentando potência de 70 kW e que confere ao equipamento desempenho para qualquer tipo de terreno e inclinação. O encontro dos expositores e 10 .5 toneladas durante a CeMAT e a Intermodal 2013 A 2ª edição da CeMAT South America ocorreu na cidade de São Paulo (SP). de 7 toneladas.

também em São Paulo (SP). Wolfgang Pech. Ela possui capacidade de 4. totalizando mais de 18 mil deles. a Intermodal South America de 2013 obteve um aumento de 23% de área expositiva. em São Paulo (SP). a Intermodal South America é consagrada entre as maiores feiras do mundo para os setores de logística. Em relação à edição anterior. Para 2014. óleo e gás. com enorme potencial de expansão no Brasil”. a CeMAT South America apresentou sua segunda edição no mês de março deste ano.500 visitantes puderam presenciar as novidades e parcerias apresentadas por 600 expositores no Transamérica Expo Center. provindos de 28 países. Além dos principais players do setor e importantes gestores públicos internacionais. Segundo a organizadora do evento. diretor da UBM Brazil. o evento contou com a presença do Ministro dos Portos. entre outros. Leônidas Cristino. “Precisamos aumentar a capacidade dos portos para acelerar a velocidade da movimentação da nossa carga. o evento é o local de encontro das últimas tendências em tecnologia de movimentação de materiais e logística. que falou sobre a MP dos Portos e a necessidade por soluções para movimentação de cargas. como o automobilístico. Durante os três dias de realização em abril deste ano. a 20ª edição da feira ocorrerá entre os dias 1 e 3 de abril. os 48. tornando-nos mais competitivos. networking e vendas. que reduzem os custos de transporte e melhorem o tempo das operações”. A feira foi organizada pela promotora de eventos Deutsche Messe AG.visitantes aconteceu entre os dias 2 e 4 de abril. Comparada à edição anterior. a UBM Brazil. também no Transamérica Expo Center. diz Joris Van Wijk. Os visitantes se distribuíram entre os quase 240 expositores presentes no local. bem como 66 novos expositores. transporte de cargas e comércio exterior. “Quebramos recordes novamente”. incluindo a BMC-Hyundai. 11 . Mendes afirma que o portfólio da BMCHyundai é composto por uma variedade de soluções que atendem à demanda de diversos segmentos e trabalhos com movimentação de carga. Junto com a BMC-Hyundai. construção civil. as empresas dividiram um espaço de 36. químico. constituindo uma feira para diversos setores industriais. O destaque nesse evento ficou para um modelo menor da BMC-Hyundai: a empilhadeira GLP 45L-7A. afirma o ministro. afirma o vice-presidente da Deutsche Messe AG. Em sua 19ª edição. De acordo com os organizadores. diz o gerente da BMC. “Nosso objetivo é fornecer equipamentos de qualidade. reforço de marca. n Saiba mais sobre CeMAT Realizada no Centro de Exposições Imigrantes. o que será possível com a nova medida provisória”. o resultado foi um sucesso e 86% dos visitantes participaram do processo de compra.5 mil kg e também é equipada com motor General Motors de seis cilindros e 70 kW de potência. os organizadores afirmaram que houve um crescimento de 45% no número de visitantes. em parceria com a Câmara Setorial de Equipamentos para Movimentação e Armazenagem de Materiais (CSMAM) e com a Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq). “O mercado sulamericano oferece excelentes oportunidades para a indústria de intralogística.000 m² para plataforma de lançamentos. em São Paulo (SP).

como mostra o mapa: 12 . Maranhão. a BMC transformou representantes em filiais regionais e anuncia novas unidades no Paraná. A premiação ocorreu pela 5ª vez consecutiva. um dos clientes de maior atenção. Com isso. Tendo como principais clientes locadoras e construtoras brasileiras. Neste ano. A Vale. a mineradora concedeu o IDF (Índice do Desempenho do Fornecedor) destacando a BMC nos estados do Pará. cobrindo todas as regiões do Brasil com ações de vendas e pós-vendas C om cinco anos de mercado.Cobertura Presença Nacional BMC amplia rede de atendimento ao cliente. Amazonas. recebeu um serviço completo de acompanhamento das máquinas e mecânicos dedicados exclusivamente. a Brasil Máquinas de Construção firmou parcerias e conquista forte cobertura territorial. 170 vendedores e aproximadamente 200 mecânicos para pronto atendimento dos clientes. a distribuidora conquistou um espaço de destaque na comercialização de equipamentos pesados e atendimento pós-vendas. com uma presença cada vez maior em cada canto do Brasil. São com ações e reconhecimentos como esse. que a BMC avança no mercado nacional de equipamentos pesados. Fortaleza e Cuiabá. Amapá e Roraima – como uma das melhores parceiras no prêmio Fornecedor de Valor da Vale. em evento realizado no auditório da Fiepa (Federação das Indústrias do Estado do Pará). São mais de 30 pontos de vendas com oficinas especializadas.

13 .

ela iniciou a escolha de dealers locais. traçando um caminho de sucesso que desencadeou na construção da primeira fábrica de equipamentos de construção da empresa fora da Ásia e na rede nacional de atendimento com mais de 30 pontos de venda. com capacidade inicial de 3 mil unidades ao ano imagem do evento de inauguração da fábrica s primeiras empilhadeiras da Hyundai Heavy Industries (HHI) foram comercializadas no Brasil em 2003. A primeira foi cultural.em foco BMC-Hyundai inaugura fábrica e sela 10 anos da marca no Brasil Unidade brasileira é a primeira a produzir equipamentos de construção da multinacional sul-coreana fora da Ásia. já com a intenção de inserir a linha de equipamentos para construção da HHI no país. como pontua Oh Byung 14 . A decisão só ocorreu em 2007. quando a Brasil Máquinas (BMC) foi nomeada como dealer máster A da marca. Dois anos depois. Os anos que antecederam a inauguração da fábrica envolveram uma série de decisões e ajustes.

Nesse caso. Tendo a BMC como principal canal. completa. O passo seguinte foi a decisão pela fábrica local.5 mil diretos até 2015 Investimento: cerca de US$ 180 milhões Capacidade inicial: 3 mil equipamentos/ano Capacidade total: 5 mil equipamentos/ano Primeiros equipamentos: escavadeiras de 14 a 38 toneladas e carregadeiras de 1.Os números da Fábrica Área total: 550 mil m² Empregos: 1. principalmente pela mudança constante de alíquotas”. chegando a 25% de participação de mercado em algumas classes de máquinas. mas sim pelo desenvolvimento da nação coreana”.7 a 3 m³ de capacidade Su. entre outras diferenças. como Oh Byung Su. com ruas e calçadas impecáveis”. enfatiza. Gerente Geral da Hyundai Heavy Industries: “Foi necessário transformar o modo de pensar coreano para o brasileiro e assim entender os colaboradores e o sistema de impostos”. o primeiro passo ocorreu com um grupo de 12 líderes enviados à matriz para treinamento. chegaram ao nível de adaptação desejada. colaborador da fábrica em Itatiaia. diz Guilherme Gleiderson da Silva. o comércio das máquinas de construção da marca avançou e hoje obtém um market share considerável na linha amarela. caso das escavadeiras. como a maioria das pessoas no mundo. localizada no interior do Rio de Janeiro e com cerca de 35 mil habitantes. tomada em 2011. onde tiveram de se acostumar ao frio e à alimentação. lembra. Eles não trabalham por dinheiro. “Aliás. que é um exemplo em educação. entre as duas principais cidades do país – São Paulo e Rio de Janeiro – e por uma política de incentivo fiscal da prefeitura da cidade e do governo carioca. A escolha foi pautada pela localização estratégica. “O mais impressionante é a paixão do povo pelo país. os executivos coreanos. com compra do terreno na cidade de Itatiaia. Com o intercâmbio cultural balizado. “Eu adorei a experiência e me apaixonei pelo país. os impostos são uma das coisas mais difíceis de entender no Brasil. A contrapartida também existiu e os brasileiros da BMC e parceiros se integraram culturalmente à Coreia do Sul. 15 .

em foco imagem em terceira dimensão do complexo fabril da BMC-Hyundai em Itatiaia (RJ) Por que Itatiaia? Itatiaia fica a 180 km da cidade do Rio de Janeiro e a 260 km da capital de São Paulo. presidente da BMC-Hyundai (veja mais sobre Itatiaia no quadro da página 16). inclusive. A cidade tem dois distritos: a matriz. avaliada como o pico mais alto do Rio de Janeiro. uma vez que diversos projetos de infraestrutura estão em andamento no local e oferecer a fabricação de máquinas próxima a essas obras é uma oportunidade de negócios vistosa para a empresa. incorporando-a. Assim. em seu nome comercial: BMC-Hyundai.7 a 3 m³ de capacidade. Até o fim do ano também produzirá retroescavadeiras e pode vir a fabricar empilhadeiras em 2014. É ponto turístico por abrigar a Serra das Agulhas Negras. e Penedo.3 mil metros de altitude. a marca largou na frente de outras asiáticas que anunciaram a mesma intenção nos últimos cinco anos. que é sócia da marca no Brasil. permitindo que o retorno do investimento total de US$ 180 milhões ocorra em 10 anos. onde ficam os comércios e uma vasta opção gastronômica. Itatiaia foi escolhida para abrigar a fábrica da BMCHyundai por vários motivos. presidente mundial 16 . A planta deve produzir 3 mil equipamentos por mês. começando com escavadeiras de 14 a 38 toneladas e carregadeiras de 1. mas cujos prazos de produção não têm data marcada. segundo Felipe Cavalieri. como politica de impostos. Itatiaia. Segundo Choe Byeung Ku. mas o fato localizar-se no Rio de Janeiro pesou a favor. Fábrica concretizada O aporte realizado na estrutura fabril partiu da sulcoreana com parceria de 20% da BMC. com quase 2.

e a coordenadora de Recursos Humanos do Núcleo de Emprego e Qualificação da cidade. 17 . os nove primeiros trabalhadores selecionados para colaborar no Centro de Distribuição da BMCHyundai. segundo Choe Byeung Ku. também acompanharam os funcionários. O Finame oferece financiamento a juros menores para máquinas com fabricação brasileira cujo índice de nacionalização seja maior que 60%. revela que a operação com fábrica local é um passo importante na comercialização dos modelos da marca no país. essa fábrica pode representar 10% da produção mundial de equipamentos pesados da companhia até 2015. Os sete conferentes e dois operadores de empilhadeira selecionados participaram de uma integração no Centro de Capacitação Profissional em Itatiaia no inicio de maio. “O Brasil é o país do futuro e o centro das atenções da economia mundial. com taxas reduzidas a 3% ao ano”. que agora passa a contar com o benefício do Finame. presidente da BMC-Hyundai. mas deve oferecer outros mil até 2015. diz. n 1. linha de produção da fábrica 2. inauguração com presença do governador do RJ. por meio do seu Núcleo de Emprego e Qualificação (NEQ). vista de instalação da fábrica Parceria com prefeitura garante primeiros trabalhadores de Itatiaia O município largou na frente e garantiu. Sérgio Cabral 3. O secretário de Desenvolvimento Econômico de Itatiaia.2 1 da Divisão de Construção da Hyundai. Jean Soares e puderam conhecer um pouco sobre a empresa. Eles foram orientados pelo Gerente de Recursos Humanos da BMC-Hyundai. Por isso escolhemos tê-lo como sede da nossa primeira fábrica nas Américas”. “Com as máquinas nacionalizadas. tornamos o nosso financiamento mais atrativo para os clientes. Denilson Sampaio. Felipe Cavalieri. quando atingir o pico produtivo de 5 mil equipamentos ao mês. a fábrica gerará 500 empregos diretos. do BNDES. diz ele. Na primeira fase de operação. 3 concluindo que o crescimento do mercado de equipamentos da linha amarela de construção é certo no Brasil para os próximos anos e que a BMC-Hyundai está preparada para explorá-lo. Thalita Maciel.

a Macroaction estabeleceu uma reputação na região de São Gonçalo (RJ): é conhecida pelo apuro da manutenção dos seus equipamentos. Se fosse necessário. receberia ainda uma nova pintura. no máximo. Diretor Operacional da Macroaction. construção imobiliária.duas outras escavadeiras. o cuidado nas etapas de manutenção preventiva e corretiva resulta na média de 20% a mais na comercialização das máquinas em relação aos preços de mercado. explica Leandro Pinto Thomaz. hoje padronizadas com a marca Hyundai e com. Ponto para a manutenção da empresa. “Os equipamentos têm sua própria pasta de documentação e o detalhamento de cada intervenção feita na frota é um dos fatores que valorizam o valor de revenda de nossos equipamentos usados”. É o caso das escavadeiras hidráulicas. entre outros setores. cinco anos de utilização. O reconhecimento consolida o papel da construtora nas obras dos segmentos de óleo e gás. estava sendo detalhadamente limpa após uma temporada de obras em campo (foto acima). Num olhar de relance seria difícil distinguir entre a máquina adquirida em 2010 e o modelo recém-chegado. Na visita da Construtiva. o cuidado com a frota ficou visível: a escavadeira hidráulica Hyundai. permaneciam estacionadas lado a lado. No mesmo pátio visitado pela reportagem – instalação de seu cliente LogShore . construção naval e varejo. De acordo com ele. Esse é o teto estabelecido pela construtora .caso de sucesso Manutenção preventiva marca ação da Macroaction no Rio de Janeiro Empresa cuida do parque de máquinas com manutenção periódica para atender demandas de suas obras e ainda aumentar o valor de revenda dos equipamentos após o quinto ano de uso C 18 riada em 1998. de 22 toneladas. também Hyundai.

a Macroaction atua na área de construção e terraplenagem. justamente visando centralizar a gestão da manutenção com estoque de peças padronizadas e mecânicos treinados para a lida com a marca. 19 . a padronização da frota por marcas é uma realidade na construtora e foi definida como estratégia desde a criação da empresa. O escopo dos Supermercados Leonardo. a atuação da frota de escavadeiras Hyundai em campo reforça o acerto da escolha e um dos exemplos marcantes são as obras de terraplenagem para a LogShore. com pesos operacionais de 14. explica Leandro. O processo se repete para os outros equipamentos utilizados. Para avançar nessa tarefa. “O relacionamento com a BMC-Hyundai começou em 2007. Já a operação de transporte .ainda detém 30% do faturamento e posiciona-se como um dos mais ativos do Rio de Janeiro. Leandro ressalta que esse teto combina a política wda empresa e o atendimento aos padrões de seus clientes. É o caso da câmera de ré. inclusive no Norte e Centro-Oeste. o profissional adequado deve entender a eletrônica embarcada das escavadeiras para tirar melhor proveito dos dados de operação. É o caso do grupo de dez escavadeiras. ressalta Joacir de Oliveira Thomaz. Ela trabalhou por 6. a Macroaction foi a responsável pelas obras de terraplenagem dos dois primeiros e prepara-se para iniciar o terceiro. Diversas atuações A força das máquinas Hyundai não foi testada apenas em projetos de terraplenagem de áreas de movimentação logística. No currículo do grupo estão obras que ultrapassaram a fronteira do Estado. caso da construção da rede de Supermercados Guanabara.origem da Macroaction como marca . Joacir e Leandro: diretoria da Macroaction Um grupo de quatro empresas Com 14 anos. antecedendo a operação dos tratores de esteiras e a de rolos compactadores. Associada à L2L Mineradora e à divisão de locação. Segundo ele. “O treinamento da mão de obra é outro fator que reforça a nossa alta disponibilidade”. com ações de desmatamento e carregamento de material nos caminhões. 22 e 25 toneladas. que permite a visualização da movimentação dos equipamentos. Considerado um dos clientes principais da empresa.5 mil horas sem apresentar nenhum problema e foi vendida por um valor acima do mercado”. sendo os serviços de pós-venda um dos fatores determinantes da decisão de manter a parceria com a BMC-Hyundai”. “A escolha dos fabricantes aconteceu ao longo dos anos.para a operação desse tipo de máquina. como também conduzidas por operadores experientes. incluindo caminhões. De acordo com ele. os quais exigem frotas novas e com alto índice de disponibilidade. 16. fator fundamental numa frente de obra que combina a presença de outras máquinas. o operador deverá ter cinco bases operacionais na cidade. Os equipamentos abriram as frentes. As outras duas bases não foram iniciadas ainda. diz Joacir. Para Leandro. Nas frentes já finalizadas ou em construção. A lista de vantagens ainda inclui o atendimento feito por apenas um dealer. a frota de escavadeira representou a vanguarda de trabalho. Desse total. operador logístico sediado em São Gonçalo e dono de uma área superior a 460 mil m². Diretor Comercial e fundador da Macroation. o faturamento das três unidades chega a 70% do grupo. das quais duas foram adquiridas no primeiro trimestre de 2013. Os equipamentos avançaram na preparação de terrenos para grandes obras civis. as escavadeiras não só precisam ser resistentes. 21. com a compra da primeira escavadeira. A atuação envolveu desde a limpeza de canais para a construção dos chamados muros ciclópicos até a instalação de galerias pluviais e de tubos de polietileno de alta densidade (PEAD).

passando por caminhões de vários tipos e minicarregadeiras. o grupo também atua na exploração mineral de saibro. No caso dos caminhões.caso de sucesso executam atividades como a construção de taludes. A divisão de construção e pavimentação da empresa foi criada a partir de uma outra operação. “São quatro operações que têm um contato próximo”. detalha. foi outra prova de fogo para a marca sul-coreana. Leandro. Joacir complementa a avaliação do diretor Operacional: “as escavadeiras foram testadas em ambientes diferentes. “Precisávamos de um fabricante que equilibrasse o mercado. de seu domínio. diretamente envolvido em todas elas. pois detém os direitos para explorar jazida na região de São Gonçalo por meio da mineradora L2L Mineradora. padronizada com a marca Hyundai envolvendo desde a preparação da base com rolo liso para recebimento do asfalto até a compactação da pista com rolos de pneus. Utilizado como base e sub-base. o saibro naturalmente exige bastante dos componentes de desgaste. que é independente”. a empresa renovou metade dos equipamentos em 2011 e a segunda metade foi trocada no ano passado. mas que têm em comum a necessidade de suportar condições de grande esforço”. Para o fundador da empresa. finaliza. Escavadeira na mineração de saibro A atuação na exploração mineral. combinando qualidade e precificação adequadas. “A pavimentação é uma evolução natural das nossas atividades. oferece uma outra imagem do peso pesado que é o grupo: a frota combina de rolos pé de carneiro e lisos até motoniveladoras. a Hyundai também soube se colocar como player no mercado de escavadeiras como um todo. em obras de terraplenagem e são alocadas no desmonte e carregamento na produção de saibro”. 20 . um dos mais atuantes da área de óleo e gás. reforça. “A escavadeira Hyundai 220 utilizada na lavra mostrou que tem força para desagregar o minério. 12 caminhões basculantes de 16 toneladas de capacidade e 2 tratores. o saibro retirado da mina totalizou quase 300 mil m³ de material somente no projeto da multinacional. explica Joacir. Agora. aliás. A conjugação dessas características favorece os usuários de equipamentos e impede a criação de monopólios”. A locação. além de posicionada como equipamento padrão no grupo. Com 2 milhões de m³ de reserva. envolvendo o transporte por caminhões basculantes. a frota supera 80 máquinas. “As mesmas escavadeiras da Hyundai Gerenciamento da frota é determinante na Macroaction A manutenção atenta não serve apenas para garantir a disponibilidade da frota ou valorizar o preço da revenda de usados na Macroaction. destaca que a sinergia entre as empresas favorece o ganho de escala da Macroaction e permite testar os equipamentos em vários cenários de utilização. Diretor de Planejamento e Controle de Obras. exigindo apenas a troca programada das ferramentas de penetração de solo”. a L2L Mineradora é fundamental para garantir o desenvolvimento de obras importantes como as realizadas para o grupo mundial ALZ Halliburton. A padronização é um dos fatores que ajuda a construtora na tarefa de coordenar o uso de dez escavadeiras. Segundo Leonardo Pinto Thomaz. entre os principais equipamentos alocados. completa Leandro. explica Joacir. n Frota de Guanabara mostra o avanço da Macroaction uma escavadeiras foi vez que a empresa também realizou a pavimentação. Ele lembra que por ser um mineral duro. a empresa também precisa garantir que a frota esteja sempre operacional. “Não contabilizamos nesse escopo a nossa frota de caminhões utilizados pela divisão de transporte. No total. Cerca de dez por cento desse total é renovado a cada ano. por sua vez. que são bastante sinérgicas entre si”. Outra atividade da empresa é a locação de equipamentos.

21 .

mas a maior parte dos contratos tem duração de 24 meses. Agora. recebeu um lote de 58 equipamentos da linha amarela de construção. caminhões. presidente da Bell Engenharia. etc. revela que a mobilização e inicio de operação dos equipamentos deve ser completada até o final de junho. ferramentas de perfuração de rocha. “Definimos que os fornecedores só poderiam nos dar o atendimento completo que necessitávamos se garantíssemos escala a eles. superintendente de equipamentos da Andrade Gutierrez – líder do Consórcio – os períodos de locação são variados. De acordo com Mario Humberto Marques. Quinze rolos compactadores da marca Ammann também fazem parte do pacote. todas da Hyundai”. “O lote inclui escavadeiras de 51 e 38 toneladas e carregadeiras com caçamba de 3. os itens de estoque foram definidos de acordo com uma curva de prioridades mecânicas formatada pela BMC. de acordo com cada máquina. n 22 . Marques explica que o lote locado com a Bell Engenharia levou em consideração o conceito de centralização. após concorrência. Newton Cavalieri. distribuidora nacional das marcas AMMANN e Hyundai Heavy Industries Brasil em conjunto com os profissionais de manutenção de equipamentos do Consórcio. Segundo ele.caso de sucesso Belo Monte loca 58 equipamentos com a Bell Engenharia Máquinas locadas por período de até 24 meses atenderão aumento de produção de terraplanagem e construção nas obras da hidrelétrica Consórcio Construtor Belo Monte (CCBM). diz. conclui. fomentado pela equipe de especialistas em equipamentos de Belo Monte desde o inicio do projeto. a locação de linha amarela para suprir aumento de produção também foi focada com a Bell Engenharia. detalha. formado por 10 empresas contratadas pela Norte Energia. locados pela Bell Engenharia. caso de componentes de motor e transmissão”.7 m³. compramos máquinas de uma só marca para linha amarela. Por isso. “Recebemos um espaço disponibilizado pelo Consórcio onde haverá estoque de peças para revisões sistemáticas – como trocas de óleo e filtros – e também de peças-chave para manutenção. Os equipamentos atuarão na escavação do canal principal da hidrelétrica e na construção dos diques. quando a empresa já deverá ter estruturado uma área de O assistência técnica exclusiva para o projeto. idem para britadores.

cerâmica. Com essas informações o cliente pode alinhar valores e marcar uma vistoria e análise técnica dos produtos. pavimentação. algo que é realizado na revendedora. Gerente Comercial de Seminovos da BMC. Ou seja. minicarregadeiras.br é uma plataforma de divulgação e venda de máquinas usadas em terraplanagem. motoniveladoras. o site influenciou direta ou indiretamente em 85% das decisões. “Assim. na Bahia. Com sede na BMC-Hyundai de Osasco (SP). mecânicas e de procedência. diz ele. mesmo antes do portal. todos os interessados têm acesso à ferramenta. documentação e precificação. análise. n 23 . já era o principal meio de comunicação com o público-alvo de setores como locação.Pesados Online potencializa venda de equipamentos usados portal influenciou em 85% das decisões de compra de máquinas usadas no ano passado undado em maio de 2012. Neste número se inclui uma venda. Para cada equipamento. a internet. que conta com equipamentos da rede BMC-Hyundai e também de alguns clientes”. pavimentação e transporte. ano e preço. São aproximadamente 50 itens anunciados atualmente. os compradores podem visualizar os veículos ofertados nas revendas da BMC-Hyundai e entrar em contato. As máquinas usadas e seminovas estão disponíveis nas revendas da empresa espalhadas pelo país. pás-carregadeiras. terraplanagem. Atualmente. o site divulga os produtos adquiridos por trade-in. o site Pesadosonline.com. fazendas e outros. Segundo Ruslan Rodarte. As máquinas também passam por análises técnicas. retroescavadeiras. há disponibilidade de máquinas como escavadeiras. indicando uma proposta de compra ou solicitando mais detalhes. Das 120 máquinas usadas vendidas no ano anterior. de 20 rolos compactadores. rolos compactadores e tratores de esteira. localização. aqueles utilizados pelos compradores de máquinas novas como parte do pagamento. são informados detalhes como data do anúncio. Nele. Quando o Pesados Online foi lançado os responsáveis comerciais e mecânicos por máquinas usadas de cada revenda passaram por um treinamento. modelo. que ministrou capacitação comercial e técnica sobre inspeção. Os participantes também simularam uma avaliação das máquinas no pátio da BMC-Hyundai. realizadas por um especialista antes de serem colocadas para F consulta.

24 E . onde os manipuladores telescópicos têm sua principal função. içando os operários que farão a inserção do explosivo em cada furo. O processo se inicia com a furação da parede rochosa. A rodovia terá três faixas de rodagem em cada sentido e as pistas atravessarão rios e morros. foram escavados 2.160 metros. Ao todo. com cerca de 150 furos em cada ciclo. vencedora da concessão para construção e operação dos Trechos Leste e Sul do Rodoanel. é a maior obra rodoviária em andamento no Brasil. feita pelos jumbos de perfuração. em São Paulo. caminhões rodoviários e fora-de-estrada. A construção do túnel é realizada pelo método NATM. máquinas da linha amarela e manipuladores telescópicos utilizados para aplicações de tratamento nos túneis e para o carregamento de explosivos. em meia seção. da sigla em inglês para Novo Método Austríaco para Abertura de Túneis (perfuração e detonação). que lançou mão de diversos equipamentos especiais. as obras do túnel ocorriam em ciclos de detonação controlados a cada 18 ou 20 horas. exigindo engenhosidade dos construtores responsáveis. como jumbos de perfuração. vem o carregamento de explosivos. O Túnel Santa Luzia. a construção do Trecho Leste do Rodoanel Mario Covas. Essa etapa de obra foi realizada pela construtora Toniolo Busnello. como parte integrante de uma frota de alta tecnologia para atender a obra. apesar de medir apenas 43. que corta parte desses morros em mais de 1 km de extensão em cada sentido exemplifica as adversidades a serem vencidas. E lá opera o manipulador telescópico da Merlo.5 km de extensão (veja detalhes no quadro da página 29). Assim.equipamento do mês Manipulador Merlo atua nas obras do Rodoanel Leste Equipamento foi alocado na construção do túnel que atravessa a rodovia em mais de 1 km de extensão em cada sentido de pista m aportes. A detonação e limpeza da área são os passos seguintes. somando as pistas de ida e de volta sob túnel. de acordo com a SPMar. Em seguida. perfuratrizes de superfície.

facilitando o transporte rodoviário entre o Porto de Santos e o Aeroporto Internacional de Guarulhos. equipado com cesto para elevação pessoal. Poá. Aspecto Sustentável Antes mesmo de ser finalizada. Suzano. Também terá ligação com a Rodovia Henrique Eróles (SP 066). explicou Mauricio Antonio Cavalli Júnior. Ribeirão Pires. A matéria mostrou imagens da operação do manipulador telescópico da Merlo. utilizadas na própria obra. Ela também terá saídas para as rodovias Presidente Dutra e Ayrton Senna. Elas eram cominuídas para produção de britas 1 e 2. sendo 24 km em pista de rolamento e 6. Papa João XXIII. as partes acordaram que a melhor forma de execução da pista por aquele local seria com a construção do túnel”. Reportagem da edição 161 da revista M&T. com rampa máxima vertical de 4%. O texto conta que a obra do túnel é uma das mais vistosas de todo o conjunto do Rodoanel Leste. mesmo entendendo que haveria uma mudança radical. Itaquaquecetuba e Arujá. com 3. A rodovia terá ligação com o Trecho Sul. • Atravessa os municípios de Mauá. Há também previsão de quarta faixa nos trechos de terraplanagem. empreiteira responsável pelo conjunto de obras. principalmente como base de pavimento. foram extraídas e reaproveitadas cerca de 600 mil toneladas de rocha. onde o tráfego de veículos já ocorre desde abril de 2010. pois é um ativo ambiental em virtude da Gruta de Santa Luzia. a Rodovia Ayrton Senna (SP 070) e a Rodovia Presidente Dutra (BR 116).Tema de reportagem A obra do Túnel Santa Luzia foi assunto em reportagem publicada pela revista Rodovias & Vias em fevereiro deste ano. • É uma rodovia de três faixas por sentido de tráfego. que faz interseção com o Rodoanel Sul.5 km em pontes e viadutos. mostrando que além do viés tecnológico. • A obra contempla 30 km de alças e ramos de acesso. • O seu acostamento mede 3 metros. a SPMar e o Governo do Estado revisaram o projeto construtivo inicial e. “Para garantir esse patrimônio.6 metros de largura cada. a exemplo dos outros trechos do Rodoanel. a construção do Túnel Santa Luzia foi noticiada em diversos meios de comunicação. • O canteiro central é gramado e medirá 11 metros de largura • A rodovia terá velocidade diretriz de 100 km/h. • Será uma via plana. além de pedrisco e areia artificial. trata-se de um projeto com aspectos sustentáveis bem delineados. patrimônio da região.8 bilhões. Entenda a importância dessa obra para o tráfego rodoviário de São Paulo: • Terá acessos para a Av. Ao todo. engenheiro de produção da Contern. n Entenda o Rodoanel Leste O terceiro trecho do Rodoanel Mario Covas receberá investimentos da ordem de R$ 2. 25 . por exemplo. destacou que as rochas escavadas por detonação seguiam para central de britagem anexada ao canteiro de obras do túnel. com refúgio de 1 metro de largura.

decidiram que a garra e resistência de Virginio e da corrida de montanha combinavam com o espírito de competitividade da empresa. Ele e Felipe Cavalieri. que eram corridas fora da pista. “Já havia perdido seis unhas do pé e o corpo não aguentava mais o esforço. para Virginio. seu primeiro contato oficial com corridas. a corrida é bem disputada e mostra competidores lado a lado do início ao fim. diz ele. a corrida de montanha é um desafio até para os mais fortes. é com esse espírito de conquista que a BMC patrocina o tricampeão brasileiro. Mesmo repleto de obstáculos e montanhas que necessitam de escalada. vice-presidente da BMC e de quem foi personal trainer. Quando chegou ao km 33. presidente da empresa. Por conta do custo das viagens e falta de prêmios em dinheiro ele avalia 26 C que muitos atletas não conseguem competir. EUA e em alguns países europeus. como a Argentina. Mas. Com Virginio. a modalidade cresceu mais em outros países. “Aos poucos o Brasil está se adequando com atletas e eventos renomados. na Maratona de Ribeirão Pires (SP). contando que a própria história de superação ajuda outros atletas mais novos a confiar em si e a fazer o esporte crescer. “Eles acreditaram em mim e incentivaram o esporte e esse trabalho acontece tanto dentro como fora da BMC”. enfrentando neve. entre muitos outros. precisou parar e pedir auxílio da ambulância. mas os passos ainda são curtos”. O atleta foi reconhecido por Christiano Kunzler. rochas e ribanceiras. A modalidade começou a difundir-se no país somente a partir de 2005. melhor Virginio conta que o seu teste de superação foi em 1996. Segundo Virginio. José Virginio de Morais orrer 50 quilômetros montanha acima. e buscou novos desafios em elevações de dois a três mil metros de altitude. a situação é diferente. O atleta iniciou sua carreira profissional no esporte em 2008 e já detém três títulos nacionais e paulistas. Chile. tornando-se o principal nome das corridas de montanha no Brasil e América do Sul. Quanto pior. Fiquei deitado na maca pensando se deveria continuar . não é um esporte para qualquer atleta.racing Conquistando montanhas Modalidade crescente no Brasil. afirma ele. sempre em busca de novos títulos.eu não . Desde 2010 ele integra a BMC como atleta e colaborador social. é apenas uma das dezenas de corridas que enfrenta todos os anos. Partiu do cross country.

altimetria e os obstáculos que o atleta pode encontrar. Em casos extremos. que pode durar de 12 a 18 semanas. Com essas informações. “Para eles. uma corrida de 106 quilômetros a uma altitude inicial de 2. assim como a proteína é necessária para fornecer força aos treinos. Ao longo da semana. dieta alimentar e planejamento. o atleta lembra que é preciso exercitar bastante o fortalecimento de panturrilha e do músculo lombar. No planejamento da corrida. enfrentou o Cruce de Los Andes 2012. Outro grande desafio enfrentado pelo campeão foi em Atibaia (SP). em Bertioga (SP). Como é um esporte de resistência. Em seguida. “Essa corrida foi responsável por me tornar visível no esporte e na mídia”. “É uma prova que paga muito bem e os principais nomes do esporte ao redor do mundo estarão competindo”. Sua primeira grande vitória foi conquistada em 2008. falando que preciso dormir cedo e acordar para os treinos. diz ele. como o Gatorade Recover e Endurox”. venceu o mesmo desafio em 2009 e 2010. e com a esposa. em 2012. lembra o atleta. mesmo ano em que iniciou sua parceria com a BMC. segundo Virginio. que levantou contra a ordem do médico e correu mais nove quilômetros até a linha de chegada. 27 . É só para quem está lá mesmo: sentir o vento no rosto e ver aquela imensidão abaixo de você”. Rotina e planejamento O preparo para uma corrida leva semanas e consiste de treinos mentais. mochila de hidratação e camiseta térmica. Cheguei ao topo e precisei parar um pouco para apreciar a paisagem.800 metros. onde venceu os 21 quilômetros de pista na marca de 1h10m12s. incluindo kit de primeiros socorros.queria desistir”. são três horas diárias de dedicação. a JVM. onde precisou escalar um percurso de quatro quilômetros de rocha íngreme. além dos amigos. com certeza. com 100 quilômetros de percurso nas montanhas rochosas do Colorado. passa tempo com os dois filhos. é difícil entender porque estou sempre saindo cedo das festas. alimentos ricos em carboidratos ganham importância durante a corrida. barras de proteína e. conclui. o objetivo é calcular o percurso. “Há ainda bebidas hidratantes e suplementos que oferecem altos níveis de carboidrato e proteína. carboidrato em gel. Para dividir a vida de empresário com a de atleta. No caso de Morais. faz corridas de 35 quilômetros para ganhar resistência. por exemplo. o atleta coleciona corridas nos mais diversos ambientes. nos EUA: o Ultra Racing Championship. É um sacrifício grande. desbravando vulcões como Choshuenco. incluindo o uso de helicópteros para alcançar áreas de difícil acesso. afirma. O que espera 2013? Virginio agora se prepara para levar a marca BMC a novas conquistas. Os cuidados com hidratação e repouso também são essenciais. Já com 33 anos de idade. Virginio fundou a própria empresa de treinamento e assessoria esportiva. Ingrid. mas toda conquista despende de muito esforço”. No Chile. há equipes médicas de prontidão para atender os competidores. pedala trajetos de 60 quilômetros para trabalhar o quadríceps e ainda completa a rotina com treino físico na academia. físicos. ele diz ter encontrado harmonia perfeita entre ambos: aproveita grande parte do dia treinando os alunos para correr junto e praticar. O maior desafio será em 28 de setembro. como condições de temperatura e terreno. ele também escolhe o tênis apropriado para a prova e prepara uma mochila de sobrevivência. acrescenta Morais. anos em que também conquistou títulos estaduais em São Paulo e Paraná. Lanin e Villa Rica. Atualmente. Bruno e Pietra. Para pegar de 12 a 15 quilômetros de subida. fortemente exigidos no esporte. “Foi uma corrida incrível. Nos tempos livres. conquistou a fama internacional na Meia Maratona da Disney. n treinamento focado marca a carreira do atleta Dedicação e conciliação são as receitas Em 2010. diz. no Circuito Brasileiro de Corrida de Montanha. dependendo da prova.

De acordo com o piloto. a combinação entre a qualidade do Pit Stop e as manobras efetivas garantiram as posições de destaque ao carro da BMC. Realizada no Centro Administrativo da Bahia (CBA). optaram pela segurança e adiaram a largada até que o circuito tivesse condições de corrida. realizada em Brasília. Mesmo com os contratempos. os pilotos da BMC Racing. Os pilotos. em consenso. buscaram estratégia para conquistar posições. chegando a permanecer em terceiro por algumas voltas. a corrida foi emocionante. até que Zonta recebeu um toque na traseira de Marcos Gomes. quando o ex-F1 Ricardo Zonta conquistou o quarto lugar na prova e ajudou a equipe da BMC Racing a subir para terceiro lugar no ranking da temporada. A quinta etapa da Stock Car. o Circuito de Rua de Salvador foi atrapalhado em função da chuva torrencial que caiu faltando 10 minutos para a abertura dos boxes. quarta e quinta etapas da Stock Car foram positivas para a equipe que integra os pilotos Ricardo Zonta e Tuka Rocha. equipe ocupa a quarta posição do ranking A s terceira. 28 . em Viamão (RS). “Fiz boas ultrapassagens e poupei os pneus. Segundo Zonta.racing BMC Racing avança positivamente nas etapas da Stock Car Com bons resultados na terceira e quinta corridas da temporada. A primeira delas. A quarta etapa da Stock Car foi um tanto mais tumultuada. ele pulou de 12º para oitavo. mantendo o carro competitivo até o final da corrida”. foi a mais positiva para a equipe. Depois de uma disputa acirrada nas primeiras voltas. diz. disse o ex-F1. Os dois chegaram a andar entre os 10 primeiros. por meio de uma ousadia de não fazer a parada para troca de pneu secos em detrimento dos de chuva. Ricardo Zonta e Tuka Rocha. ocorrida em abril no Autódromo de Tarumã. “O toque deixou o carro destruído”. que o fez bater no muro. mas nada fácil.

já que a CBA devia ter fiscalizado as obras na pista antes da corrida e não o fez”. agora rebatizada de BMC Racing. Ao voltar para o Brasil. “A corrida foi ótima. com Tuka Rocha e Ricardo Zonta em sétimo e oitavo lugares.foi diferente para a equipe. O paranaense se classificou em décimo no qualify. no campeonato de pilotos. Com um pit stop perfeito. mantivemos os dois carros da equipe entre os 10 primeiros”. compete pela própria equipe. Afinal. A prova acabou com o carro de segurança na pista. a RZ Motorsport. ganhou nada menos do que 25 posições depois de ter sofrido uma punição que o levou a largar por último no grid. ele voltou à pista no pelotão da frente e com boas possibilidades de conquistar novas posições. Mundial de FIA GT (1998) e World Series (2002). correndo pelas equipes da Toyota e da Renault. Atualmente. o paulista Tuka Rocha fez boa corrida e conquistou a sétima posição. mas um safety car nas voltas finais em função da forte batida do carro 16 tiraram suas chances. Já o líder da BMC Racing. n Quem é Zonta? Curitibano e com 37 anos de idade. “Foi um bom resultado. Ele conquistou sua entrada na prestigiada F-1 em 1997 e ficou por lá até 2007. se formos pensar no campeonato. devido à parceria com a empresa no inicio de 2013. decidiu manter seu foco em outra modalidade. 29 29 29 . Ricardo Zonta. disse ele. a BMC Racing ocupava a quarta posição no campeonato de equipes. Após a quinta etapa. principalmente. respectivamente. a StockCar. como a F-3 sul-americana (1995). Após largar em nono. O piloto Ricardo Zonta é um dos grandes nomes do automobilismo brasileiro e colecionador de títulos internacionais. Eu fui penalizado por um erro do autódromo. F-3000 Internacional (1997). disse ele.

é capaz de “lascar” internamente os componentes metálicos de cilindros. “As máquinas possuem filtros específicos para impedir isso. Os cuidados com o óleo ainda se estendem aos . Uma única colher de cozinha com um pouco de sujeira. o desempenho do equipamento poderá diminuir e criar problemas associados à contaminação”.manutenção Cuidados que ampliam a vida útil dos equipamentos A manutenção correta e o treinamento do operador estão entre os principais cuidados para garantir a máxima produtividade das máquinas off road s escavadeiras hidráulicas são os equipamentos pesados mais comercializados no mundo. é um ponto essencial no rendimento da operação com a máquina e deve receber atenção redobrada. necessitam de filtros específicos”. Os mecânicos que não possuem qualificação suficiente correm o risco de abrir o tanque e repor o óleo sem critérios adequados de limpeza. como construção. Para Júlio César de Oliveira. Assim. o cuidado com o óleo hidráulico é um item obrigatório na preservação da escavadeira. É nessa hora que contaminantes no ar. uma pequena partícula contaminante. demolição. diz. por exemplo. válvulas e outros. partículas menores (abaixo 6 mícrons). mantê-las operando com eficiência é uma tarefa que exige rotina correta de manutenção e obediência aos critérios operacionais. a troca do óleo poderá ser necessária. 30 A mas também é recomendada a realização de uma limpeza. porém. “Quando há contaminação excedente. Cuidados com a Lubrificação Nesse caso. ou contaminante já é o suficiente para corromper todo o sistema e acelerar o desgaste de componentes internos. reciclagem e mineração. terraplenagem. diz ele. o bom funcionamento do sistema hidráulico. com uma pressão de 300 kg/cm² dentro do sistema hidráulico. Segundo Oliveira. contaminando ainda mais o óleo. Gerente de Engenharia de Serviços da BMC. Ao passo que sua versatilidade permite sua aplicação em diferentes segmentos. já que o volume de lubrificante do sistema hidráulico é maior do que o óleo trocado do tanque. nas mãos e em torno do bocal do tanque podem facilmente infiltrar no sistema e comprometer a boa condição da máquina.

necessita de tensão correta na condição de trabalho. o sistema elétrico. outro ponto importante na vistoria. o que aumenta potencialmente a quantidade de material abrasivo e finalmente a quebra.redutores presentes nas escavadeiras. tornase importante um sistema que auto-detecta esses problemas e informa através de código de falhas onde o técnico deverá por a mão. em operações mais agressivas. exemplificando o movimento lateral que alguns operadores fazem com o braço da escavadeira para empurrar pedras. O mesmo raciocínio deve ser feito com outros componentes. correntes e elos. garantindo agilidade e disponibilidade nas linhas de escavadeiras e carregadeiras Hyundai. Uma rodagem mais alta e a utilização de implementos como rompedores e garras estão entre as razões para o usuário diminuir o período de troca. a fim de ajudá-los a configurar um plano de manutenção adequado. No sistema hidráulico. “Devemos respeitar sempre a aplicação do equipamento para definir a melhor condição de manutenção. Oliveira ainda destaca os cuidados com a parte estrutural das escavadeiras. Se estiver muito esticada ficará com sobrecarga e sofrerá desgastes prematuros nos pinos e buchas. proporcionando esse contato mecânico e o consequente surgimento de limalhas. suas propriedades diminuem. Uma das principais funções do lubrificante é minimizar o atrito entre os dentes das engrenagens do redutor (ferro contra ferro). A avaliação de desgaste de material rodante deve fazer parte das rotinas de manutenção dos equipamentos. o tipo de acessório e o próprio lubrificante utilizado. esse movimento é prejudicial cuidado com a contaminação do lubrificante 31 . Cautela com os Elementos Estruturais Fazendo referência ao corpo humano. Para o especialista. Para refazer esses cálculos. porém. que necessitam de troca do lubrificante em média a cada 500 horas de operação. apesar de ser blindado. pode ser contaminado com poeira em condições extremas do ambiente. os distribuidores da BMC-Hyundai pedem que os clientes informem quando houver modificação na operação da escavadeira. outros podem causar fraturas”. Para os equipamentos que possuem funções eletrônicas ou inteligência artificial. diz ele. podem quebrar devido à impactos decorrentes da operação. Também com necessidade para vistorias regulares. com o óleo chegando “no seu final de vida útil”. diz Oliveira. Através de um produto inovador denominado Lublife. analisamos o óleo para verificar o nível de contaminação e direcionar o usuário à periodicidade correta de troca”. Atenção para o material rodante A esteira. “É como a articulação dos nossos braços – enquanto alguns movimentos possibilitam maior força. Oliveira adverte que o período de troca varia conforme as operações.

temos duas variáveis que devemos compreender. Por mais que muitas empresas não possuam um controle de custos. braço e caçamba. Cada modo escolhido pelo operador controla um nível diferente de vazão do sistema hidráulico. “É importante fazermos isso para fidelizar a nossa relação com os clientes”. onde o operador precisa manter a atenção para manobrar e operar a escavadeira dentro de um raio de segurança. técnicos e vendedores também precisam evoluir”. afirma o gerente. certificando-se de que não oferece perigo aos pedestres. o combustível significa aproximadamente 50% do custo operacional do equipamento. Para oferecer essas vantagens ao cliente. densidade de material e capacidade de penetração da caçamba. Basicamente. diz ele. Há exemplos de empresas que sugerem que os motores de deslocamento sejam posicionados a frente do operador em condições de trabalho próximo a barrancos. o especialista adverte para o cuidado com a configuração inadequada do conjunto de trabalho. Devemos sempre respeitar a aplicação do produto. n manutenção preditiva evita paradas inesperadas à estrutura. Oliveira lembra que a falta de conhecimento O aftermarket faz a diferença Segundo Oliveira. Inclusive. é atrelado à qualificação do operador. conclui. ou conjunto de problemas. o especialista da BMC acredita em qualificação e gestão proativa dos funcionários. os operadores. Muitas vezes eles necessitam também de um acompanhamento da máquina e de consultoria especializada para obter o melhor rendimento na operação. Nas mãos do operador Muitas vezes o problema. 32 . o mau dimensionamento é garantia de trincas estruturais. conseqüentemente. já que o equipamento não é projetado para trabalhar nesta condição. interferindo no consumo de combustível e produção. A segurança também é um assunto recorrente no treinamento dos operadores. proporcionando trincas e folgas no conjunto de lança. Com o surgimento destas folgas. enquanto que a condição correta é o içamento da escavadeira e a utilização do cinto de segurança por parte do operador. mas já se expandiu para outras regiões. Muitos clientes trabalham com potência máxima em todas as condições de trabalho e conseqüentemente terá um maior consumo de combustível.manutenção sobre a máquina e os modos de operação mal utilizados podem gerar grande descontentamento quanto a avarias. O dimensionamento entre a escavadeira e a frota de caminhões também é um item que deverá ser analisado para a seleção do modo de operação. Em adição. É importante entender que a força da escavadeira é igual em todos os modos de trabalho. resultando em maior ou menor velocidade e. variando apenas a velocidade do implemento. já está sendo implantada na BMC e teve no Estado de São Paulo. Ou seja. Nem sempre a maior caçamba é sinomimo de maior produção. Outro caso está na operação em locais urbanos com circulação de pedestres. o contaminante entra facilmente e acelera os danos. os planos de suporte ao produto oferecidos ao cliente não devem ficar limitados apenas à reposição de peças e atendimento em oficina. “Assim como os equipamentos evoluem. um equipamento pode atender a uma gama de produção apenas alternando o modo de trabalho. Esse tipo de parceria.

33 .

Sérgio Cabral. cercado por jornalistas em busca de declaração sobre a inauguração da fábrica da BMC-Hyundai em Itatiaia 34 .imagem construtiva Governador do Rio de Janeiro.

35 .

36 .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful