You are on page 1of 26

Técnico em Telecomunicações Escola Técnica de Brasília

PLC

Power Line Communication

FILIPE ARAUJO

JOSÉ VANEIR

WESLEY BRANDÃO

ÁGUAS CLARAS DF

2013

INTRODUÇÃO

Transmitir dados via rede elétrica não é uma ideia

inovadora, já que desde o início do século XX redes

elétricas têm sido utilizadas para suportar serviços de

telecomunicações em usos internos;

Há aproximadamente quarenta anos, foi criado um

dispositivo capaz de modular e injetar na rede elétrica os

sons captados por um microfone, sendo este sinal

recuperado em outro local e convertido novamente em

som, conhecido como Babá Eletrônica;

Muitos equipamentos são capazes de injetar sinais na

rede elétrica porém, acabam interferindo em outros

equipamentos próximos à fonte geradora.

REDE DE ENERGIA ELÉTRICA

Sistema Interligado Nacional:

Existem 77 concessionárias dos serviços públicos de

transmissão, responsáveis pela administração de mais

de 100 mil Km de linhas;

dos serviços públicos de transmissão, responsáveis pela administração de mais de 100 mil Km de linhas;

REDE DE ENERGIA ELÉTRICA

Linhas de Transmissão:

São basicamente constituídas por fios condutores metálicos suspensos em torres, também metálicas, por

meio de isoladores cerâmicos ou de outros materiais

altamente isolantes;

Os sistemas de potência são trifásicos, geralmente

existem três conjuntos de cabos de cada lado das

torres, acompanhados por um

cabo mais alto, no topo, que é o cabo para-raios, ou também

chamado de cabo guarda.

lado das torres, acompanhados por um cabo mais alto, no topo, que é o cabo para-raios,

REDE DE ENERGIA ELÉTRICA

Tensão Elétrica:

Tensão alta fica entre 69KV e 750KV para serem

transmitida pela linha de transmissão;

Tensão média nas subestações baixa para 34,5KV ou

13,8KV e é distribuída na rede;

baixa para 34,5KV ou 13,8KV e é distribuída na rede; • Tensão baixa – ao passar

Tensão baixa ao

passar pelo transformador

a tensão chega à 127/220V

ou 220/380V;

SISTEMA DE TELECOMUNICAÇÕES

Telefone: consiste na transmissão de sons a distancias através

de sinais elétricos;

Radiocomunicação: ganhou um novo meio de transmissão o ar

o qual as ondas de rádio passam de um transmissor a um

receptor;

Satélites: contribuíram para as telecomunicações funcionando como estações repetidoras de sinais em orbita da Terra;

Cabos Ópticos: capaz de transportar milhares de conversações

simultâneas a distâncias longas, com taxas de transmissão que

chegam hoje à marca de 40 Gbps;

SISTEMA DE TELECOMUNICAÇÕES

Radiocomunicador

R a d i o c o m u n i c a d o r

Comunicação via satélite

Projeção de cobertura óptica Cabos Ópticos
Projeção de cobertura óptica
Cabos Ópticos

REDE PLC

Conceito:

"É uma tecnologia de comunicação que utiliza a rede de

energia elétrica, em baixa e média tensão, operando

dentro da faixa de 1,705-30MHz, para prover serviços

de comunicação de dados, voz e vídeo, em diversas

aplicações como em: conexão à internet, telemetria,

segurança, voz sobre IP, entre outras aplicações".

(ANATEL, 2003);

A PLC é também denominada de PLT (Power Line

Telecom), BPL (Broadband over Power Line) ou DPL

(Digital Power Line).

Histórico:

REDE PLC

1920: foram realizados os primeiros testes utilizando as linhas de alta

tensão;

1980: ocorreram experiências e concluiriam ser possível a transmissão

de dados em alta frequência na rede de distribuição elétrica;

1991: Dr. Paul Brown da empresa Norweb Communications realizou o

primeiro teste para transmissão de dados sobre a rede de energia

elétrica;

1995 a 1997: chegaram a uma conclusão, que a transmissão de dados

via rede elétrica era possível;

1997: o primeiro teste de acesso a internet em uma escola de

Manchester;

2001: a CEMIG (Companhia Energética de Minas Gerais) dá início ao seu projeto piloto, realizados nos bairros de Belvedere e Vila Paris. São os primeiros testes na América Latina;

2008: A recomendação IEEE 1675 é o padrão IEEE para Broadband

over Power Line oferecendo testes e verificação de padrões para os

hardwares PLC.

Histórico:

REDE PLC

2008: a AES Eletropaulo (Companhia Energética da região metropolitana de São Paulo) dá início aos testes visando disponibilizar apenas infraestrutura de acesso. Nos testes, as taxas de transmissão são de 2 Mbps;

2009: ANATEL publica a Resolução 527/2009 que versa sobre as condições de uso de radiofrequência por sistemas de banda larga por meio de redes de energia elétrica (PLC);

2009: Resolução ANEEL 357/2009, regulamentando a utilização das

instalações de distribuição de energia elétrica como meio de transporte

para a comunicação de sinais;

2009: o IEEE cria o padrão 1901 o padrão global para banda larga sobre redes de energia elétrica;

2010: As Operadoras Intelig e AES Eletropaulo iniciaram oferta dos serviços PLC em alguns bairros nobres de São Paulo;

2010: Em outubro de 2010 o grupo P1901 em uma nova reunião anuncia a retificação do padrão IEEE 1901.

Funcionamento:

REDE PLC

É a parti do MASTER, que fica instalado próximo à um transformador de

energia elétrica, que os sinais são injetados nos cabos da instalação

elétrica, fazendo com que o sinal da rede PLC fique disponível em toda a estrutura elétrica ligada ao circuito deste transformador, fazendo com que

cada tomada de energia se torne um ponto

internet de alta velocidade;

de rede PLC com acesso a

Na outra ponta do sistema, um modem PLC é conectado para receber o

sinal transmitido pelo MASTER. Sendo este modem que faz a decodificação

dos sinais elétricos em sinais de informação.

transmitido pelo MASTER. Sendo este modem que faz a decodificação dos sinais elétricos em sinais de
transmitido pelo MASTER. Sendo este modem que faz a decodificação dos sinais elétricos em sinais de

REDE PLC

Rede PLC Indoor:

Nesse modelo não há trocas de dados com o meio externo;

Um cabo de fibra óptica é lançado através de uma infraestrutura construída na entrada da residência até o centro de medição;

Neste local é instalado um equipamento switch que converte o sinal óptico em uma saída UTP;

Esse cabo é então conectado ao MASTER instalado na caixa de distribuição, que se acopla aos ramais de carga dos medidores, fazendo com que o sinal PLC fique disponível em toda a estrutura elétrica ligada ao circuito desse medidor

medidores, fazendo com que o sinal PLC fique disponível em toda a estrutura elétrica ligada ao

REDE PLC

Rede PLC Outdoor:

REDE PLC Rede PLC Outdoor:

REDE PLC

Técnicas de Transmissão:

Espalhamento Espectral (Spread Spectrum):

É caracterizada por rejeitar interferências na transmissão de sinal;

Aumenta a quantidade de bits utilizados para transmitir uma mesma informação, de modo a espalhar o espectro de frequência do sinal. Desta forma, aumenta-se a banda de frequência na qual o sinal é

transmitido;

OFDM (Orthogonal Frequency Division Multiplexing):

Minimiza a interferência entre canais de frequência próximos uns

aos outros e está baseada na propriedade da ortogonalidade entre

sinais;

A tecnologia é complexa e exige processamento digital de sinais múltiplos;

Maior número de canais para uma mesma faixa espectral, resistência à interferência de radiofrequência e pouca distorção causada por caminhos múltiplos.

REDE PLC

Técnicas de Transmissão:

GMSK (Gaussian Minimum Shift Keying):

O sinal a ser modulado na portadora é primeiramente atenuado com um filtro Gaussiano antes de passar por um modulador de frequência;

É um método robusto contra interferência em banda estreita, que é típico de radiodifusão em ondas médias;

• É um método robusto contra interferência em banda estreita, que é típico de radiodifusão em

REDE PLC

Elementos da Rede:

A tarefa principal dos elementos básicos é a preparação, conversão,

transmissão e recepção dos sinais nos padrões PLC;

Estação Base PLC: converte, concentra, gerencia e transmite as informações dentro de uma rede PLC, promove comunicações de rede com múltiplas interfaces;

Modem PLC: conectam equipamentos de comunicações padrões, usados pelos usuários com o meio de transmissão powerline;

Gateway: converte o sinal transmitido entre as frequências que são especificadas para uso PLC.

powerline; • Gateway: converte o sinal transmitido entre as frequências que são especificadas para uso PLC.

REDE PLC

Elementos da Rede:

Repetidores PLC: dividem uma rede PLC de acesso em vários

segmentos de rede;

Acopladores PLC: é o método utilizado para injetar ou extrair o sinal PLC

na rede de energia elétrica. A principal função é acoplar e desacoplar o

sinal PLC numa faixa de frequência limitada e filtrar qualquer outro sinal

que não esteja nesta faixa de operação;

Acoplamento capacitivo:injeta e extrai o sinal PLC através de contato direto (contato galvânico) com os cabos da rede de energia elétrica;

Acoplamento indutivo: injeta e extrai o sinal PLC através de indução

eletromagnética (ferrite).

elétrica; • Acoplamento indutivo: injeta e extrai o sinal PLC através de indução eletromagnética (ferrite).

Padrão PLC:

HomePlug:

REDE PLC

Padronizado pela HomePlug Powerline Alliance formada em 2000

com tecnologia PowerPacket da empresa americana Intellon;

O primeiro foi o padrão HomePlug 1.0 (até 45 Mbps)

Hoje já temos o HomePlug AV ou HomePlug 2.0 (até 200 Mbps);

O HomePlug 2.0 utiliza tecnologias de camada física e MAC

melhoradas para conseguir uma rede PLC propícia para tráfego de

vídeo, áudio e dados;

A camada física opera entre as frequências de 2 a 28 MHz e utiliza

uma taxa de canal de 200Mbps para prover uma taxa útil de dados

de 150Mbps para comunicações mais robustas em canais ruidosos;

O adaptador HomePlug provê ao assinante um ponto de rede, ao

qual podem ser conectados diversos serviços de telecomunicações,

tais como: telefone, fax, microcomputador, internet, vídeo, medição

de consumo de energia, automação residencial e vigilância, tendo

assim um modo de operação NODE, fazendo com que o sistema

atue como uma central conectora.

REDE PLC

Segurança na Rede PLC:

Como a tecnologia PLC se dá através da rede elétrica, e esta é

compartilhada com todas as residências conectadas a um mesmo transformador, existe a preocupação pela segurança na transmissão dos dados de forma a obter confidencialidade, integridade e disponibilidade;

Para proteger as informações transmitidas os dispositivos

operam com criptografia DES (Data Encryption Standard) de 56

bits e sistema de detecção de intrusão para que nenhum acesso

seja feito sem o conhecimento da administração da rede;

Utiliza também a codificação para a correção de erros na

transmissão no lado da recepção através de uma técnica

chamada FEC (Forward Error Correction) onde a fonte adiciona

bits redundantes na mensagem, o que possibilita que o receptor

detecte e corrija erros, dentro de certo limite previsto;

REDE PLC

Fatores de Interferências:

Relação Sinal/Ruído: compara o nível de um sinal desejado com o nível do ruído de fundo influenciando na potência de transmissão dos

equipamentos que por sua vez, influem no nível de sinal irradiado pelo

sistema;

Interferências Eletromagnéticas: é um processo pelo qual a energia

eletromagnética é transmitida através de caminhos irradiados e/ou

conduzidos, devido ao efeito da incompatibilidade do meio;

Atenuação: é uma perda de potência devido à dissipação dos sinais no

meio podendo ser causado pelo número e natureza das cargas conectadas, pela indutância dos fios, pela distância e pela topologia da

rede;

Impedância da Rede Elétrica: é a oposição que um circuito faz a

passagem da corrente elétrica em circuitos de corrente alternada, exercendo grande influência na qualidade da transmissão de sinais. É

determinada por três fatores: pela carga elétrica na rede, pela

impedância do transformador de distribuição e pelas características do

cabo de transmissão.

Vantagens:

REDE PLC

Desvantagens:

Utiliza a rede elétrica;

Infraestrutura existente;

Pode chegar à 200Mbps;

Maior acessibilidade;

Propicia para a inclusão digital;

Favorece na exploração:

Serviços residenciais;

Serviços de Acessos;

Serviços de entidades

públicas;

Serviços para concessionárias

de energia;

Meio de transmissão inóspito;

Infraestrutura elétrica brasileira;

Sensível à interferências;

Mídia compartilhada e estruturada de modo paralelo;

Perda de sinal em longas

distancias;

Questões de seguranças:

Radiação eletromagnética;

Robustez elétrica;

Combate a incêndio;

Comparativo entre Tecnologias de Transmissão

Objeto de Comparação

Par Metálico

Fibra Óptica

PLC

Atenuação

Alta

Baixa

Alta

Interferência

eletromagnética

Sensível

Imune

Sensível

Interferência de

radiofrequência

Sensível

Imune

Sensível

Infraestrutura

Abrangente nas

grandes cidades, mas

escassa em pequenas

cidades.

Necessidade de

implantação na maior parte das cidades.

Rede elétrica, com

cobertura > 98% do território nacional

Segurança

Alto nível

Alto nível

Baixo nível

Custo Médio dos

Equipamentos

R$ 110,00

R$ 110,00

R$ 250,00

Taxa de Transferência

Até 100Mbps

Utilizando a DWDM até 40Gbps devido à

limitações dos

equipamentos de rede.

Capacidade de até

200Mbps

Perda de Pacotes

Alta

Baixa

Alta

Material

Material resistente e flexível

Material resistente,

mas sem flexibilidade, quebrando-se ao atingir

ângulos de curvatura

>90°

Material resistente e flexível

PROJETOS PLC

Projeto PLC Iguaçu:

Localizada no estado de Santa Catarina, iniciou em 2002 um projeto

para testar a capacidade e o comportamento da tecnologia PLC;

Objetivo inicial integrar serviços de acesso à internet e telefonia ao

sistema de distribuição de energia elétrica;

Foi desenvolvido como Programa de Pesquisa e Desenvolvimento no ciclo 2001/2002, chegando ao término em novembro de 2013;

Número médio de consumidores instalados por um mesmo transformador variou de 60 a 110 usuários;

Os resultados dos testes realizados não foram divulgados pela empresa.

Projeto CEMIG (Companhia Elétrica de Minas Gerais) :

A Internet chegou ao usuário trafegando pela rede óptica da

INFOVIAS e a CEMIG ofereceu a última milha pela rede elétrica, do

poste à residência;

Os investimentos para o projeto chegaram a R$ 200 mil, funcionando em 50 pontos da capital mineira;

O canal de acesso utilizado foi de 2 Mbps compartilhado.

PROJETOS PLC

Projeto Barreirinhas:

Em 2007, os moradores da cidade maranhense de Barreirinhas tiveram a oportunidade de se conectar gratuitamente à internet através da banda larga, em 150 pontos entre escolas, postos de

saúde, órgãos públicos, residências e pequenas empresas, dentro

do projeto Vila Digital promovido entre o Ministério das

Comunicações e associações de empresas;

O projeto experimental custou cerca de 1,2 milhão de reais e teve a

duração de dois anos;

O governo usou a tecnologia PLC na versão mais recente, onde a

velocidade de tráfego pode atingir 200 Mbps;

Barreirinhas foi escolhida porque tem um dos mais baixos Índices de

Desenvolvimento Humano (IDH) do País.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Pode vir a ser a solução de problemas de comunicação na última

milha e nos últimos metros, devido à capilaridade da rede de

energia elétrica;

Acarretará na transformação dos cabos de cobre das redes

convencionais de distribuição de energia elétrica em potentes

meios de transmissão de dados, voz, imagens e vídeos ;

O consumidor será beneficiado com um custo menor de acesso à

informação;

Se faz necessária na implantação do programa de inclusão digital

que o governo brasileiro propõem;

Porém, a viabilidade desta tecnologia consiste em sanar os

problemas com ela agregados;

Depende da região em que será inserida.

OBRIGADO!