SISTEMAS AGROFLORESTAIS

Profa. Dra. Vera Lex Engel
veralex@fca.unesp.br

Laboratório de Ecologia e Restauração Florestal Departamento de Recursos Naturais FCA- UNESP Campus de Botucatu

Produção agrícola atual é sufciente para alimentar toda a população humana?
Produzimos hoje 17% mais calorias por pessoa do que a 30% atrás, mesmo com aumento de 70% da população Produção agrícola suficiente para uma dieta de 2720 kcal/pessoa/dia no mundo todo (FAO, 2002)
http://www.fao.org/docrep/003/Y6265e/y6265e00.htm

Entretanto, produção de alimentos per capita é desigual no mundo

Brown, Lester & Kane, 1994

.USO GLOBAL DO SOLO (1997) 10% 10% Terras cultiváveis Campos e pastagens Florestas Outros usos Geleiras 21% 31% 28% •849 milhões de ha são terras moderadamente produtivas. •apenas 477 milhões de ha são altamente produtivas Apenas 10 milhões de km2 no mundo ainda disponíveis para serem cultivados: suficiente para alimentar a população humana por apenas 25 anos (Zuckerman & Jefferson 1996).

1998 Outros 8% Sobrepastoreio 35% Mal manejo 28% Desmatamento 29% .Degrada ção de terras por tipo de uso (17% da área vegetada da Terra) Fonte: Facing the Future.

wri. 1993). A degradação e desmatamento predominam hoje nas regiões tropicais do globo : perda líquida de 9.. 3 milhões de ha atualmente (FAO..4 milhões de ha de florestas de 1990 a 2000 (FAO.wri.ENTRETANTO.org/publication/trees-life life-saving saving-tropical tropicalforestsforests -and and-their their-biological biological-wealth .. Cerca de 14.6 bilhões de pessoas no mundo dependem das florestas para sua sobrevivência (World Resources Institute: http://www. 2010). 1.org/publication/trees http://www. 2002). 7.6 milhões de ha de terras são degradadas anualmente (FAO.

e água.SISTEMAS DE PRODUÇÃO AGROPECUÁRIA E SUSTENTABILIDADE Uso sustentável da manutenção da conservação dos principalmente solo insumos. terra: aumento e a produtividade. e mínimos necessidade de novos paradigmas na agricultura . com recursos naturais.

OS SISTEMAS DE PRODUÇÃO SÃO ECOLOGICAMENTE SUSTENTÁVEIS? Valores da sociedade O QUE AS GERAÇÕES ATUAIS DESEJAM PARA SI E PARA AS FUTURAS GERAÇÕES Capacidade de suporte dos ecossistemas O QUE É BIOLOGICA E FISICAMENTE POSSÍVEL DE SE OBTER NO LONGO PRAZO Sustentabilidade do ecossistema .

Necessidade de adaptação do ecossistema e sua forma de uso às mudanças ambientais ao longo dos séculos Necessidade de manutenção de opções sociais e e ecológicas para futuras gerações ...E portanto..

bambus) são cultivadas em associação com plantas herbáceas (culturas agrícolas e/ou pastagens) e/ou animais em uma mesma unidade de manejo. arbustos. nos quais deve haver interações ecológicas e econômicas entre componentes lenhosos e não lenhosos (Young. palmeiras. de acordo com um arranjo espacial e temporal. 1991)” .SISTEMAS AGROFLORESTAIS “Sistemas de uso da terra em que: plantas lenhosas perenes (árvores.

...deve acontecer de forma deliberada (intencional) ..A INTRODUÇÃO DO COMPONENTE ARBÓREO EM UM SAF.. .

enfoque de uso múltiplo dos recursos . sendo no mínimo 1 lenhosa. sempre há 2 ou mais produtos.OUTRAS CARACTERÍSTICAS DOS SAFs 2 ou mais espécies de plantas ou animais estarão sempre presentes. ciclos são mais longos. ênfase na manutenção da produtividade. sistemas sempre mais complexos que monoculturas.

conservando o solo e a água e diminuindo a pressão de uso da terra para produção agrícola. conciliando a produção florestal com a produção de alimentos. .OBJETIVO FUNDAMENTAL DOS SAFs Otimizar o uso da terra.

Conservaç Conserva ção do solo e da água.POR QUE OPTAR POR SAFs? Enfoques FLORESTAL AGRONÔMICO Incorporação do elemento Incorporaç florestal na paisagem agrí agrícola Diminuiç Diminui ção dos custos de implantaç implanta ção e manutenç manutenção da floresta Diminuiç Diminui ção do prazo de benefí benef ícios diretos Conciliaç Concilia ção com produç produção de alimentos Aceitaç Aceita ção mais fá fácil por pequenos e mé médios produtores Etapa intermediá intermediária para a restauraç restaura ção florestal Melhoria ambiental na paisagem agrí agr ícola. Diversificaç Diversifica ção da produç produção e adaptaç adapta ção às flutuaç flutuações de mercado Melhor utilizaç utiliza ção da mãomão-de deobra ao longo do ano. Aproveitamento de áreas marginais e áreas degradadas Delimitaç Delimita ção de unidades de manejo .

sucessão secundária. Regulação do ciclo hidrológico. Aumento da biodiversidade: colonização. Melhoria nas propriedades físicas do solo: compactação. estrutura. fixação biológica de nitrogênio. Ciclagem de nutrientes: folhedo.O PAPEL DO COMPONENTE ARBÓREO Mudanças no balanço de radiação e alteração do microclima . porosidade. micorrizas. . Diminuição da erosão. umidade.

.Influência de árvore de Albizia adianthifolia sobre os parâmetros de fertilidade do solo entre 0-30 cm (COPJIN. 1988).

CONCILIAÇÃO COM PRODUÇÃO DE ALIMENTOS melhoria da qualidade do produto diminuição de riscos pelas flutuações de mercado Mandioca “triste” Mandioca “feliz” .

Melhoria de aparência dos grãos verdes e torrados Sabor: melhoria de acidez e corpo Enchimento dos frutos foi mais lento e uniforme em zonas sub.Café sombreado na Costa Rica Muschler (2001) Peso e tamanho dos grãos aumentaram com aumento de sombra de 0 até 80% (Erythrina poepiggiana).ótimas de produção .

SAF CACAU-BANANA-ESPÉCIES MADEIREIRAS NA COSTA RICA (Ramírez et al. 2001) SAFs proporcionaram maior renda e menor risco que as respectivas monoculturas durante um ciclo de 12 anos Componente arbóreo foi fundamental para a diminuição dos riscos ..

OUTRAS VANTAGENS DOS SAFs Culturas agrícolas intercalares permitem pagar a implantação da floresta em até 3.5 anos (Engel & Parrotta. 1999) Aproveitamento de áreas marginais para agricultura Diminuição da pressão sobre matas nativas e cerrados Melhor utilização da mão-de-obra ao longo do ano Melhor utilização da energia disponível no sistema Substituição de invasoras por plantas econômicas .

Introdução do componente arbóreo no sistema de produção agrícola gera OS SAFs E SEQÜESTRO DE CO2 maior biomassa: maior acúmulo de carbono sobre o solo uso de espécies de rápido crescimento: maior taxa de absorção de CO2 atmosférico ciclos de rotação mais longos: manutenção de “poços”de carbono por mais tempo sobre o solo .

11 anos após corte 112.24 g m-1 Rezende. 2001 Cerrado. 1997 Woomer et al.1 mg ha1 8 anos (RS) Plantios de Pinus 20 anos (RS) 301.Estoque de carbono em diferentes usos do solo Uso do solo Floresta tropical primária Biomassa Autor Woomer et al.. 1997 Schumacher et al.. 2002 305 t ha-1 398 mg ha-1 Flor. 2000 Pastagem 10 anos 48 t ha-1 Woomer et al.5 anos 85 t ha-1 Plantio de Acacia mearnsii 148. 1997 . 2002 Terras agrícolas < 5 mg ha-1 IPCC... 2002 Schumacher et al. 1997 Watzlawick et al. 1 mg ha1 Bracatinga.. 2002 Woomer et al.. 6 anos 83 mg ha-1 Somarriba & Kass.. Secundária 19 anos 219 t ha-1 Capoeira 4. trop.

Delimitação de unidades de manejo.OS SAFs NA PAISAGEM Criação de zonas tampão entre áreas agrícolas e reservas florestais. Reabilitação de áreas degradadas e restauração de ecossistemas florestais. . áreas ripárias ou unidades de conservação. Cultivo em encostas. União de fragmentos florestais através de corredores para a fauna.

aqüicultura com árvores.CLASSIFICAÇÃO DOS SAFs COMPOSIÇÃO Agrossilviculturais Silvipastoris Agrossilvipastoris Outros arboretos de uso múltiplo. apicultura com árvores. ARRANJO TEMPORAL Seqüenciais Simultâneos Complementares ARRANJO ESPACIAL Mistos densos Mistos esparsos Em renques De bordadura .

nos primeiros anos de implantação. Outros: Agricultura migratória (“slash and burn”) Sistema silvo-agrícola rotativo (“Capoeiras melhoradas”.Embrapa Amazônia Ocidental) .SISTEMAS SEQÜENCIAIS Sistema “Taungya” cultivos intercalares associados a reflorestamentos.

SISTEMAS SEQÜENCIAIS SISTEMA TAUNGYA (América Central) El Salvador (Citrus) COSTA RICA (Feijão) .

SISTEMAS SEQÜENCIAIS SISTEMA “TAUNGYA” (Kênia) Flemingia congesta .

nos primeiros anos da implantação: Minas Gerais .SISTEMAS SEQÜENCIAIS SISTEMA TAUNGYA Jequitibá + pimentado-reino (Espírito Santo) •Cultivos intercalares em áreas de reflorestamentos comerciais.

2002) Eucalipto (10 x 4m) associado a arroz (1o.A/ha U. AnoAno-1400 kg/.Cultivos intercalares em reflorestamento.um exemplo (Dube et al.. reduzindo riscos de investimentos.1 U.A/ha no inverno e 2 U. Eucalyptus + milho . anoano.ha). soja(2o. Consó Cons órcio foi mais atrativo economicamente para a empresa do que a monocultura de eucalipto.A/ha no verão). ).A/ha U.ha kg/. Aná An álise de sensibilidade: projeto agroflorestal tende a estabilizar retornos. AnoAno-1500 kg/ha kg/ha)e )e pastagem (3o.

Consórcio permanente entre perenes e árvores.SISTEMAS SIMULTÂNEOS (Consórcios permanentes) Sistemas multiestratos (hortos caseiros mistos ou quintais florestais) Cultivos em aléias (“Alley cropping”). Sistemas silvipastoris .

SISTEMAS SIMULTÂNEOS SISTEMAS MULTIESTRATOS .

SISTEMAS SIMULTÂNEOS SISTEMAS MULTIESTRATOS Pupunha em SAF Amazônia Amazônia (EMBRAPA) Multiestrato em cerrado (ABD-Botucatu) .

Agrofloresta Grupo Timbó .

SISTEMAS SIMULTÂNEOS CAFÉ SOMBREADO (COSTA RICA) Cordia alliodora (Freijó) café Erythrina poepiggiana .

SISTEMAS SIMULTÂNEOS SISTEMA “CABRUCA” (Cacau sombreado) .

sul da Bahia .Seringueira e cacau.

Cultivo em aléias .

SISTEMAS SIMULTÂNEOS CULTIVO EM ALÉIAS ABD Botucatu .

Culturas intercalares de árvores nativas + cana-de-açúcar (Pontal do Paranapanema) .

SISTEMAS SIMULTÂNEOS SISTEMAS SILVIPASTORIS Pastoreio em plantações comerciais de Eucalyptus e Pinus (de oportunidade) .

.

.

SISTEMAS SIMULTÂNEOS SISTEMAS SILVIPASTORIS integrados Coco-da-Bahia + gado Palmeira Jerivá + pastagem .

SP . Botucatu.SISTEMAS SILVIPASTORIS INTEGRADOS Instituto Biodinâmico.

Pasto com canela sassafrás. SP . MG Pasto com árvores nativas do cerrado. Pontal do Paranapanema.

•Aumento da taxa de mineralização de N. não afetou umidade do solo Diminuição de perdas de P pelo litter. 2002) Conchrus ciliaris (gramínea) + Joazeiro) Diminuição da temperatura do ar e do solo. + Algaroba Não afetou temperaturas . Diminuição da umidade do solo..SISTEMA SILVIPASTORIL NO SEMIÁRIDO NORDESTINO (Menezes et al. •Aumento da razão N mineralizado /N total •Aumento da biomassa e absorção de nutrientes da gramínea .

VIVAS CORTINAS QUEBRA-VENTO Gliricidia sepium .SISTEMAS COMPLEMENTARES CERCAS.

Os sistemas agroflorestais na restauração

SISTEMA “TAUNGYA” MODIFICADO
(Engel & Parrotta Parrotta) )

❉❉ ❉ ❉ ❉ ❉ ❉ ❉ ❉ ❉ ❉ 10 m ❁❁❁❁❁❁❁❁❁❁❁❁❁❁

Espécies para lenha (10)

❉ ❉ ❉ ❉ ❉ ❉ ❉ ❉1,5 ❉m❉ ❉ ░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░ ░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░ 5m CULTURAS ░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░ ░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░ ░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░ ❉ ❉ ❉ ❉❉ ❉ ❉ ❉ ❉ ❉ ❉ 2 m Espécies para 2❁ m❁ ❁❁ ❁❁ ❁ ❁❁ ❁❁ ❁ ❁❁ ❁ madeira e frutíferas (10) ❉ ❉ ❉ ❉ ❉ ❉ ❉ ❉ ❉ ❉ ❉

Fase 1: anuais, um a dois ciclos por ano

Fase 2: plantas perenes Café e palmito juçara Maracujá. palmito e curauá .doce Banana.

Fase 3 : consórcio com frutíferas. plantadas nas antigas linhas de culturas .

Fase 3: consórcio com medicinais arbóreas nativas arbóreas e trepadeiras .

em preparaç preparação) .Produção de biomassa do sansão-docampo em SAF. . aos 6 anos (Campoe & Engel Engel.

28 a 5.2% folhas) Sistema radicular: 253.2 kg/ind. 2006) Área 1(nitossolo) Parte aérea: 165.s. 114.Produção de biomassa –matéria seca (Campoe & Engel.44 ton/ha de serapilheira/ano ./ha de lenha 4. 130 m./ha de lenha Área 2 (argissolo) Parte aérea: 158.2 m.1% folhas) Sistema radicular: 235.s.7 kg/ind.5 kg/ind (6.5 kg/ind (11.

8-9 anos .Área 2.

Acúmulo de 10.) Deposição de 5.73 t/ha anualmente.Vista geral. 9 anos. 13 a 5.4 a 193.96 m²/ha 88.6 % (Barbieri et al.5 a 12. .. n.4 t/ha de serapilheira sobre o solo.54m2/ha.p. área 2 Área basal aos 8-9 anos= 78. Cobertura de copas= 76.

.

ano . café. medicinais.5 anos. milho.NO SISTEMA DESCRITO Plantio de culturas anuais até o 4o. mandioca. ano: palmito. Produção de lenha a partir do 2o. banana. frutíferas Custos da implantação da floresta pagos em 3. Introdução de perenes e tolerantes após o 4o. ano: feijão. abóbora.

SAFs no Pontal do Paranapanema (IPE) .

LIMITAÇÕES PARA USO DE SAFs Produtividade Análise mais complexa Baixa produtividade em solos muito pobres e áreas com déficit hídrico acentuado Necessidade de melhorias tecnol ógicas Viabilidade econômica Falta de estudos que possibilitem a inclusão de benefícios indiretos Busca por retornos a curto prazo Sustentabilidade Falta de estudos de longo prazo Adotabilidade Falta de tradição florestal do produtor rural Resistência social a mudanças nos sistemas de produção .

DESAFIOS Educação + extensão + políticas públicas voltadas para: Criação de uma tradição florestal no agricultor brasileiro. culturas agrícolas e /ou pecuária interagindo na paisagem . plantações florestais e SAFs. Eliminação da visão geral das florestas como barreira para o desenvolvimento agrícola. Ampliação da escala de utilização de SAFs: crédito Unidades de produção integradas: florestas nativas.

Muito obrigada! .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful