You are on page 1of 2

U.Na.M. – FACULTAD DE HUMANIDADES Y CIENCIA SOCIALES ÁREA DE IDIOMAS – PORTUGUÉS INSTRUMENTAL II Prof. Titular: Lic. Del Pilar Sanabria – J.T.P.

: Prof. Liliana Lazcoz

A Abolição da Escravidão
O dia 13 de maio ja foi feriado. Hoje poucos dão importância à data, porém ela deve nos fazer pensar sobre as origens e as conseqüências do escravismo no Brasil. 13 de Maio: A Revolução Social Brasileira Por Henrique Cunha Júnior * 13 de maio tem sido uma data pouco comemorada e pouco analisada no calendário nacional e escolar. Já foi feriado nacional e depois deixou de ser. Mas deveria ser uma reivindicação da população que datas como 13 de maio e 20 de novembro fossem cercadas por grandes manifestações, que tivéssemos na escola e na sociedade um símbolo importante marcado por estas datas para refletirmos sobre a realidade brasileira, sobre a nossa história e sobre as conquistas populares. Em todos os países da América onde houve escravismo recente, a data da abolição é comemorada com grandes festas, muitos discursos e uma ampla revisão histórica. Aqui no Brasil, pelo contrário, se quer fazer esquecer o 13 de maio, pois uma parte da sociedade não quer ser considerada culpada pela criminalidade do escravismo, enquanto outra parte perdeu o referencial do que o 13 de maio representa para as lutas do povo brasileiro. O primeiro fato importante que tem sido omitido da população brasileira sobre o 13 de maio - me é daí que leva a não darmos importância a ele -, é o que permite uma parcela da população fazer de conta que não tem importância o escravismo e o quanto foi criminoso. Por outro lado, o 13 de maio tem sido omitido enquanto resultado de um longo processo de lutas do negro brasileiro e da população consciente contra o regime criminoso do escravismo. O Escravismo foi Crime Contra a Humanidade A maioria das pessoas tem vergonha de dizer que são descendentes de escravizados. Isto porque existem informações errôneas e antiéticas sobre a história brasileira. Se tivéssemos a informação correta, moral e ética, diríamos que o escravismo foi um regime criminoso contra a humanidade, de leis e fatos, imorais, antiéticos, condenáveis em qualquer sociedade que fizesse bom juízo dos fatos. Quem deveria ter vergonha, pois roubou e matou, viveram na continuidade dos benefícios do roubo. Algumas pessoas vão erradamente argumentar: mas era lei da época. Não justifica. Vejamos como comparação o que ocorreu durante o nazismo na Alemanha. As leis da época do nazismo permitiam a prisão e o massacre dos judeus. Passado o nazismo, todos que governaram e se beneficiaram do regime foram julgados e condenados. Tinham estabelecido lei de estado criminosos que atentavam contra a humanidade. Portanto, crime é crime, com lei ou sem lei que os proteja. Assim deveria ter ocorrido com o escravismo. Atualmente, apenas a Igreja Católica, através do Papa admitiu o erro, demonstrou ter vergonha do erro, do regime. Deveria ser referencial para começar a discutir o 13 de maio.

Prof. Liliana Lazcoz (J.T.P.)

1

) 2 . 13 de maio e 20 de novembro. como ele foi e não como é pensado agora. ter vergonha? Com que outro processo da historia da humanidade o autor compara a escravidão? Que ele propõe de fazer para começar a discutir sobre as datas? Como ele qualifica ao processo da escravidão? A quem Herique Cunha responsabiliza do processo? Quem admitiu a massacre feita com os escravos? 4.Leia atentamente o texto acima 2. Liliana Lazcoz O enfoque sobre o escravismo como crime contra a humanidade. Por quê? Quem deveria. segundo ele. – FACULTAD DE HUMANIDADES Y CIENCIA SOCIALES ÁREA DE IDIOMAS – PORTUGUÉS INSTRUMENTAL II Prof.P. Mas o que realmente ocorreu no 13 de maio? EXERCÍCIOS: 1.M. Titular: Lic.T. O 13 de maio é o fim da criminalidade praticada pelo estado brasileiro e por todos aqueles que se beneficiavam vergonhosamente do trabalho roubado da população negra. deveriam ser reivindicadas.Na.T.: Prof.Dê sua avaliação ao exercício: -------------------- ------------------------- Prof. leva a uma possibilidade de discutir melhor o 13 de maio. Por quê? Qual é o argumento do autor para explicar a necessidade da população brasileira de esquecer a escravidão? Quais são os motivos que levarão ao povo fazer de conta que o escravismo não tem importância? Aos descendentes dos escravizados não gostam de lembrar o fato. Liliana Lazcoz (J.P.Responda em ESPANHOL às seguintes perguntas: • • • • • • • • • • Henrique Cunha acha que as datas.Procure no dicionário o significado das palavras desconhecidas 3. Del Pilar Sanabria – J.U.