You are on page 1of 4

MATEMÁTICA

Divisibilidade (1)

Critérios mostram se divisão é possível
Maria Ângela de Camargo* Especial para a Página 3 Pedagogia & Comunicação

Para começar, recordemos o algoritmo da divisão euclidiana, para números naturais D, d, Q e r, com d ≠ 0

D é o dividendo, o número que se deseja dividir d é o divisor, ou o número pelo qual se deseja dividir D; Q é o quociente, ou o resultado inteiro da divisão de D por d r é o resto, ou a diferença entre D e dQ; nesse caso, r < d O mesmo conjunto de números envolvidos pelo algoritmo pode ser escrito da seguinte maneira: D = d.Q + r Estendendo o resultado para números inteiros, temos o seguinte teorema: Se D e d forem quaisquer números inteiros e d for diferente de zero, então há um único conjunto de números Q e r de modo que D = d Q + r, com 0 r < | d |. Por exemplo: se D = 26 e d = 3, então Q = 8 e r = 2, porque 26 = 3 . 8 + 2 Dizemos que D é divisível por d se D = d.Q. Isso é o mesmo que dizer que: d é um divisor de D e que D é um múltiplo de d. Por que não se pode dividir por zero? Imagine que d = 0 é um divisor de D 0. De acordo com o que vimos, deve haver um único conjunto de números Q e r tal que D = 0.Q + r. seja verdadeiro. Mas D = 0 . (Q + 1)+ r também é verdadeiro, assim como D = 0. (Q + 2) + r também o é. Logo, d não pode ser zero. Decorre também desse fato que zero é múltiplo de qualquer inteiro não nulo, mas não é divisor de nenhum inteiro. Veja por que:

Então, D = 0.Q , mesmo que D ≠ 0, o que é impossível. Propriedades decorrentes do teorema Se a e b são inteiros divisíveis por n, então: a+b é divisível por n a-b é divisível por n a.b é divisível por n Daqui para a frente, denotaremos um número N de n algarismos na notação posicional, isto é, na forma ak...a3, a2, a1 a0, onde a0 é o algarismo das unidades, a1 é o algarismo das dezenas, a2 é o algarismo das centenas, etc. Decompondo N:

ak 10k

...

a3 milhar

a2 centena

a1 dezena

a0 unidade

Um número N múltiplo de n será representado por kn, k

Z

Um número natural tem infinitos múltiplos. Por exemplo: os múltiplos de 6 são 0, 6, 12, 18,... Denota-se o conjunto dos múltiplos de n como M(n) Um número natural tem pelo menos um divisor. Por exemplo: os divisores de 6 são 1, 2, 3, 6. Denota-se o conjunto dos divisores de n como D(n) Um número natural n 1 que tem dois divisores (1 e o próprio número ) é chamado de primo. Caso contrário será composto. O número 1 não é primo nem composto. Dados dois naturais m e n não nulos, definem-se: Maximo divisor comum - maior natural que divide m e n simultaneamente. Denota-se mdc (m , n) Ex: D(12) = { 1,2,3,4,6,12}; D(18) = {1,2,3,6,9,18}. Daí, mdc (12,18) = 6 Mínimo múltiplo comum - menor natural não nulo simultaneamente. múltiplo de m e n. Denota-se MMC(m , n) Ex: M(5) = {0,5,10,15,20,25, ...}; M(4) = {0,4,8,12,20,24,...}. Daí, MMC(4 , 5) = 20 Números primos entre si p e q são naturais não nulos tais que mdc (p , q) = 1 e mmc(p , q ) = pq Os critérios de divisibilidade e demonstrações Para efeito de fatorações, pode ser interessante saber se um número é múltiplo de algum número primo. Vejamos aqui alguns critérios de divisibilidade de um número inteiro N por... 2 o algarismo das unidades de N deve ser par; Algarismos pares são 0, 2, 4, 6, 8,

A paridade é um atributo dos números inteiros: Números pares são representados por 2k, k Z Números ímpares são representados por 2k + 1, k Assim, números inteiros são pares ou ímpares. 3 a soma dos algarismos de N deve formar um número múltiplo de 3: Z

Se ak.+ a3+ a2 + a1 + a0 for divisível por 3, então ak... a3, a2, a1, a0 também serão. Demonstração: partimos da hipótese de que ak.+ .a3+ a2 + a1 + a0 = 3k. Então, N = 10K.ak + ... + 103.a3 + 102 . a2+ 10 . a1 + .a0 = ak.+ ..a3+ a2 + a1 + a0+(10n -1) ak + 999.a3 +99 a2 + 9a1= 3k + múltiplos de 3 Logo, N é múltiplo de 3 4 N é divisível por 3

os algarismos da unidade e da dezena devem formar um número múltiplo de 4:

Se a1, a0 forem divisíveis por 4, então ak... a3, a2, a1, a0 também serão. Demonstração: partimos da hipótese de que 10 . a1 + a0 = 4k. Então, N = 10 . ak+ ... + 10 . a3 + 10 . a2 + 10 . a1 + a0 = 100(10 divisível por 4 De modo análogo, demonstra-se o critério de divisibilidade por 8 5 o algarismo da unidade deve ser 0 ou 5. Se a0 = 0 ou 5, então ak... a3, a2, a1, a0 = 5k
k 3 2 k-2

. ak + ... + 10 . a3 + a2) + 4k N é

1

Como 100 é múltiplo de 4 e 4k também o é, concluímos que N é múltiplo de 4

Demonstração: a) se a0 = 0, N = 10 .ak + ... + 10 . a3 + 10 . a2 + 10 . a1 = 10(10 10k = 2.5.k
k 3 2 k-1

.ak + ... + 10 . a3 + 10 . a2 + a1) =

2

1

o algarismo da unidade deve ser 0 ou 5 Se a0 = 0 ou 5, então ak... a3, a2, a1, a0 = 5k Demonstração: a) se a0 = 0, N = 10k.ak + ... + 103. a3 + 102 . a2 + 10 . a1 = 10(10k - 1.ak + ... + 102. a3 + 101 . a2 + a1) = 10k = 2.5.k Logo, N é múltiplo de 5 6 N é divisível por 5

se N é divisível por 2 e por 3, então N é divisível por 6

Demonstração: Se N é múltiplo de 2, então N = 2p, p inteiro Se N é múltiplo de 3, então N = 3q, q inteiro Sendo 2 e 3 primos entre si, é possível escrever N como 2.3.k, k = mdc (p;q) 7 É um critério trabalhoso, mas é assim: um número é divisível por 7 quando a diferença entre o dobro do último algarismo e o número que não contém este último algarismo proporcionar um número divisível por 7. Se o número obtido ainda for grande, repete-se o processo até que se possa verificar a divisão por 7. Vejamos a demonstração, para um número de 2 algarismos du N = 10d + u (1)

Tomamos o dobro do algarismo das 2u unidades Realizamos a diferença entre 2u e d 2u – d Por hipótese, esse número é múltiplo 2u – d = 7k , k inteiro de 7 então, d = 2u – 7k (2)
Usando a relação (2) em (1), obtemos N = 10(2u - 7k) + u = 21u - 70k, que é uma diferença entre dois múltiplos de 7. Logo, N é múltiplo de 7 N é divisível por 7 Um exemplo: vamos verificar se 3726 é divisível por 7. De acordo com o algoritmo: 6x2 = 12 372 - 12 = 360 como 360 não é divisível por 7, então 3726 também não é. 9 a soma dos algarismos de N deve formar um número múltiplo de 9

Se ak+ .a3 + a2 + a1 + a0 for divisível por 9, então então ak... a3, a2, a1, a0 também serão. Demonstração: partimos da hipótese de que a k+ .a3 + a2 + a1 + a0 = 9k. Então, N = 10k.ak+ ... + 103.a3 + 102 . a2 + 10 . a1 + .a0 = ak.+ .. a3 + a2 + a1 + a0 +(10n - 1) ak.+ .999. a3 +99 a2 + 9a1= 9k + múltiplos de 9 Logo, N é múltiplo de 9 11 N é divisível por 9

Um número é divisível por 11 quando a soma dos algarismos de ordem par S p

menos a soma dos algarismos de ordem ímpar Si for um número divisível por 11. Exemplo: testemos o número 1234567890 Soma dos algarismos de ordem par : 0 + 8 + 6 + 4 + 2 = 20 Soma dos algarismos de ordem ímpar: 9 + 7 + 5 + 3 + 1 = 25 Diferença = 5, que não é divisível por 11. Logo, 1234567890 também não é. 13 Um número é divisível por 13 quando o quádruplo (4 vezes) do último algarismo, somado ao número que não contém este último algarismo, proporcionar um número divisível

Exemplo: testemos o número 1001. 4x1= 4 100 + 4 = 104 (?) repetindo: 4 x 4 = 16 10 + 16 = 26 = 2x13 (!) Concluímos que 1001 é divisível por 13. O número 1001 é curioso. A sua fatoração em primos é 1001 = 7 X 11 X 13. Esta igualdade proporciona um critério de divisibilidade por 7 por 11 e por 13, por redução, que é o seguinte:

Um número N = ab......cdefg é divisível por 7, por 11 ou por 13 se e somente se a diferença entre o número N' = ab......cd e o número M = efg é divisível, respectivamente por 7, por 11 ou por 13.

Por exemplo, dado o número 241227, a diferença 241 - 227 = 14 é múltiplo de 7. Logo 241227 é múltiplo de 7. Para provar o critério, basta fazer N = 1000ab......cd + efg, que também pode ser escrito como N = 1001ab.....cd - (ab.....cd - efg) Outro método, que serve como critério de divisibilidade para o 7, 11 e 13, simultaneamente, funciona da seguinte forma:

Dado um número ABCDEFG (A, B, C, ..., são os dígitos do número), agrupam-se os dígitos 3 a 3, começando da direita e somando e subtraindo sucessivamente; chega-se a um valor. Se o valor encontrado for divisível por 7 ou por 11 ou por 13 o número ABCDEFG também será.
Exemplo: 89691784 784 - 691 + 89 = 182 182 : 7 = 26, logo 89691784 é divisível por 7. 182 não é divisivel por 11, logo 89691784 também não é. 182 : 13 = 14, logo 89691784 é divisível por 13.
*Maria Ângela de Camargo é professora de matemática do Colégio Ítaca. Copyright UOL. Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução apenas em trabalhos escolares, sem fins comerciais e desde que com o devido crédito ao UOL e aos autores.

Compartilhe:

Facebook Twitter Orkut Delicious Myspace Digg Assine 0800 703 3000 SAC Bate-papo E-mail Notícias Esporte Entretenimento Mulher Shopping Bookmarks
Hospedagem: UOL Host