You are on page 1of 2

Aspectos linguísticos envolvidos no texto

Percebe-se quando se discute concepções dos processos de leitura, a existência de um senso comum em admitir a leitura como algo importante e até mesmo essencial na formação de ledores interpretantes do espaço textual. No universo dessa discussão, verificam-se questões intrinsecamente ligadas e passíveis de discussão, como o conceito de língua e linguagem, a definição de texto e leitura, e até mesmo os fatores para uma leitura eficiente. Sabe-se que essas questões povoam o universo dos pesquisadores e, não raro, podem ser respondidas de muitas formas diferentes a considerar concepções distintas a respeito desses elementos. Em consequência do que se postula a esse respeito, admiti-se a linguagem como a capacidade humana de se comunicar por meio de línguas, e normalmente conceitua-se língua, como um sistema de signos vocais utilizados como meio de comunicação entre comunidades linguísticas variadas. Tais conceitos não são evidentemente o que se pode conceber como único e fiel, mas é algo a se considerar dentre as possíveis concepções de língua e linguagem. Mesmo que o entendimento de língua e linguagem seja diverso e variado, pode-se capturar em Koch (2002) o entendimento de língua como representação do pensamento e passível de ser captada por um interlocutor de acordo com o que foi pensado. Nesse entendimento, o texto pode ser considerado como a materialidade de uma representação mental de um indivíduo, e passível de ser interpretado, pelo ato de leitura, em que, por intermédio dessa atividade, captam-se as ideias do produtor do texto. Ao ato de leitura, normalmente levase em consideração muitos fatores a contribuir como agente favorecedor da capacidade interpretativa de quem lê. Tais fatores compreendem-se em uma concepção interacional, em que os sujeitos interlocutores, num processo dialógico, constroem-se e reconstroem-se no texto. A esses processos interativos há uma gama de implícitos possíveis, quando se tem, como pano de fundo, o contexto sociocognitivo dos participantes dessa interação.

– tais como habilidades de realizar inferências. e se valida como importante prática para a construção e individualização do cidadão. Por fim. que a leitura – ato essencialmente humano. cognitivas. demanda para produção de sentido. complexo conjunto de habilidades linguísticas. gerando modificações sutis nos esquemas mentais a exigir processos cognitivos de alto nível. memória. Esses fatores podem ser veiculados pelo texto a sugerir o conhecimento prévio do leitor. pode-se considerar no bojo dos entendimentos aqui arrolados. contribuem para a construção de uma representação do texto. habilidades linguísticas. conhecimento de mundo. . e sociointerativas na relação autor-texto-leitor. todos esses elementos juntos.É nessa interação que fatores vão contribuir para uma leitura eficiente.