You are on page 1of 28

Disciplina de Cristalografia e Mineralogia

1a parte – Cristalografia física
ƒ ƒ ƒ ƒ ƒ ƒ ƒ ƒ

Conceitos, Histórico e Os minerais

Curso de Geologia Geól. Andrea Sander

Breve Histó Histórico da Geologia e Mineralogia Propriedades fí físicas e quí químicas dos minerais e introduç introdução a Cristaloquí Cristaloquímica Cristalografia fí física: Simetria e cristalografia – fundamentos e leis Projeç Projeção estereográ estereográfica Os seis Sistemas Cristalinos e as 32 Classes Cristalográ Cristalográficas A natureza da luz Propagaç Propagação da luz nos diferentes sistemas O microscó microscópio petrográ petrográfico e as té técnicas de LN, LP e LC

Histórico
Ciência Geológica
Werner X Hutton Abraham Werner Ö (1750 - 1817) - neptuniano (1790) (Netuno – deus dos mares) James Hutton Ö (1726 - 1797) plutoniano - “Teoria da Terra” Terra”(1795) (Pluto – inferno) Outros nomes ilustres: „ Pitá Pitágoras Æ interpretaç interpretação verdadeira acerca da natureza dos fó fósseis; „ Aristó AristótelesÆ Ciclo da Água - Evaporaç Evaporação, precipitaç precipitação, erosão, sedimentaç sedimentação; „ Leonardo da Vinci Æestratigrafia, leitura dos estratos de baixo para cima „ Ghoethe „ Lavoisier Æestratigrafia, correlaç correlação dos estratos sedimentares em diferentes locais
„ „ „

Mineralogia
„

Por quê conhecer os minerais? Porque o nome das rochas é dado em funç função da composiç composição mineraló mineralógica. Exemplo: granito é uma rocha composta de quartzo e feldspatos, arenito é uma rocha composta de quartzo, má mármore é uma rocha composta por carbonatos. Os minerais formadores de rochas são agrupados de acordo com a sua sua abundância em:

Mineralogia
„ „ „

„

Teofrasto (372(372-287 a.C. reproduzindo as idé idéias de Aristó Aristóteles) Æ “Tratado das pedras” pedras” Agrí Agrícola (1556) Æ “De Re Metallica” Metallica” Nicolas Steno (1638 - 1686) Æ Pai da Cristalografia, Cristalografia, “Lei de Steno” Steno”; Princí Princípios Básicos da Estratigrafia, cruciais para a correta visão geoló geológica do mundo: Horizontalidade original • Continuidade Lateral • Superposiç • Superposição das Camadas James Dana (1837) Æ “Sistem of Mineralogy” Mineralogy”

„

Minerais Essenciais (Principais): São grupos de minerais que compõem a maioria da mineralogia das rochas. São aqueles minerais que definem, definem, classificam e caracterizam uma rocha. Minerais Acessórios: São grupos de minerais que participam das rochas como elementos menores ou traç traços. Geralmente são os minerais que definem caracterí características tecnoló tecnológicas e econômicas especí específicas de uma formaç formação rochosa. Ocorrem em percentagem pouco significativa e não influem na classifica ção da classificaç rocha.

„

Exemplo: os minerais essenciais de um granito são quartzo e feldspatos feldspatos mas as micas são acessó acessórias.

Granito
Os Minerais O alfabeto geológico

• Quartzo + feldspatos

Definição de Mineral • • • • • Natural Sólido Inorgânico Estrutura cristalina Composição química
• •

Os Minerais
• O que são os minerais? Mineral é todo corpo ou substância homogênea, natural, resultante de processos inorgânicos, que apresenta uma composição química definida ou variável dentro de limites determinados, uma estrutura cristalina e, consequentemente, propriedades físicas características. Os minerais são elementos, por exemplo o diamante (C), ou compostos químicos, por exemplo o quartzo (SiO2).

Source: E. R. Degginger/Bruce Coleman Inc.

• Exemplo: SiO2 Î quartzo-β (Sistema Hexagonal) quartzo-α (Sistema Trigonal) tridimita (Sistema Ortorrômbico) cristobalita (Sistema Cúbico) Na[Al3Si3O8] - Ca[Al2Si2O8] Î albita, ortoclásio, andesina, labradorita, bitownita, anortita (Sistema Triclínico)
• • As espécies minerais possuem propriedades constantes ou variações sistemáticas restritas dentro de uma mesma espécie mineral. Os minerais mais importantes são os silicatos.

quartzo

• Estes sistemas caracterizam-se : – pela presença indispensável de elementos de simetria.Mn.Fe3.Mg)2[SiO4] (Ca.O que é a estrutura cristalina: Sistemas cristalinos e composição química Mineral quartzo Sistema cristalino trigonal/ hexagonal Composição química SiO2 (Fe.Mg.Na. – pelo possibilidade de serem referidos a uma mesma cruz axial. Olivina ortorrômbico (forsterita-faialita) augita diamante grafita monoclínico cúbico hexagonal Os 7 sistemas cristalinos Os 7 sistemas cristalinos (que veremos com detalhe na aula seguinte!) .Ti)2[(SiAl)2O6] C C • A Estrutura cristalina é o arranjo dos átomos. • As estruturas cristalinas dividem-se em sete sistemas cristalinos com trinta e duas classes. localizados sistematicamente e organizados tridimensionalmente.Fe2.Al.

etc. 8.. 11. 5. 12. 7. Os termos usados para designar o hábito e o estado de agregação do cristal são muito variados. 4.) ou inequidimensional (acicular. tabular. Mais alguns.Composição química + Estrutura Propriedades físicas dos minerais 1. • Source: Jeffrey Scovil Source: Jeffrey Scovil . etc). 6. Hábito Forma Clivagem Partição e fratura Dureza Tenacidade Densidade relativa ou gravidade específica Cor Cor do traço Brilho Diafaneidade Luminescência Propriedades magnéticas Propriedades elétricas Propriedades físicas dos minerais Hábito • 1. 9. 14.. 2. 3. Hábito e agregados minerais: é a forma exterior ou aparência do mineral. Pode ser equidimensional (esférico. 13. muitas vezes descritivos. 10. poliédrico.

) Outros termos: • estalactítico Ö pingente cilíndrico ou cônico • concêntrico Ö camadas mais ou menos esféricas concêntricas envolvendo um núcleo • bandado Ö mineral com bandas de cores ou texturas diferentes • maciço Ö material compacto sem feições distintivas • amígdala Ö cavidade parcialmente preenchida por minerais secundários • vesícula Ö cavidade completamente preenchida por minerais secundários • geodo Ö cavidade parcialmente preenchida por minerais secundários • concreção Ö massas formadas por deposição de material ao redor de um núcleo • etc Exemplos .Grupos de minerais distintos são denominados como: • dendrítico ou arborescente Ö finos cristais na forma de trama • reticulado • radiado • drusaÖ superfície recoberta por uma camada de finos cristais • acicularÖ na forma de agulhas • filiformes Ö na forma de fios • laminar Ö na forma de lâminas Ou ainda: • • • • • colunar fibroso e fibrorradiado globular botrioidal Ö na forma de cacho de uvas Etc (seja descritivo...

Quanto a forma o mineral pode ser: – euédrico/idiomórfico/automórfico Ö mineral com contorno bem definido – subédrico/hipidiomórfico/hipautomórfico Ö mineral com algumas faces bem definidas – anédrico/alotriomórfico/hipautomórfico Ö mineral de forma irregular Do que depende a forma dos minerais? Série de Bowen X estrutura dos silicatos Ainda sobre a forma externa dos cristais: • Logo minerais que cristalizam primeiro são mais bem formados que aqueles que se formam por último. . Quando há espaço os minerais desenvolvem faces perfeitas. mas apenas frações desta seqüência. Forma: é relativa ao desenvolvimento das faces do cristal e depende principalmente da ordem de cristalização dada pela série de Bowen e do espaço que o mineral teve para se desenvolver.Forma • 2. Nenhuma rocha ígnea apresenta a série completa.

etc. descontínua. indistinta. • Exemplos: – quartzo Öclivagem ausente. fraca.A clivagem • 3. perfeita. e é muito importante caracterizá-la quanto a qualidade (boa. ângulos 90° 1 2 1 3 Source: Ed Degginger/Bruce Coleman Inc. Source: Breck P. a clivagem pode ser perfeita. Ligações fracas (iônicas) produzem clivagens ótimas ou boas. Em uma espécie mineral a clivagem é uma propriedade constante que exprime uma estrutura interna característica. regular). – augita (piroxênio) Öduas séries de clivagem.Clivagem: clivagem é a tendência de uma substância cristalina partir-se ao longo de uma ou mais direções dos cristais. quantas séries de clivagem ocorrem e quais os ângulos entre elas. refletindo planos de fraqueza da estrutura. A clivagem • A perfeição da clivagem é conseqüência das ligações que unem os íons que formam os minerais. com ângulo de 90º. Kent . Ligações fortes (covalentes) produzem clivagens imperfeitas ou mesmo nenhuma clivagem Clivagem 1 plano Muscovita Halite Clivagem 3 planos. – biotita (mica) Öclivagem perfeita segundo o pinacóide basal. Um mineral pode possuir diversos sistemas de clivagem ou nenhum. quanto a direção cristalográfica em que ela se desenvolve. segundo (110).

. partição basal de turmalinas. – Exemplo: planos de macla em feldspatos. Fraturas Conchoidal ou concoidal (“shell-like”) • A fratura é a maneira pela qual um mineral se rompe quando isto não se produz ao longo de uma plano preferencial da estrutura. – Exemplo: fratura concoidal do quartzo. mas nem todos os minerais da mesma espécie apresentam-na. ângulos diferentes de 90° Fluorita A clivagem das micas 1 3 2 4 Partição e fratura • 4.Partição e fratura: Certos minerais quando submetidos a tensão ou pressão desenvolvem planos de menor resistência estrutural ao longo dos quais podem romper-se.Clivagem 4 planos. A partição é semelhante a clivagem.

5 canivete (aço inoxidável) – D=6. – Escala de MohsÖdureza relativa – Microdurômetro Ö dureza absoluta A escala de Mohs • • • • • • • *Dica – “ tia Gessi caso fores a Olinda queira trazer coisas doces.” Materiais que podem ser usados na avaliação da dureza relativa: unha – D≅2 moeda ou fio de cobre – D=3 estilete – D≥5 vidro – D=5. Os minerais onde predominam as ligações metálicas reagem plasticamente ao risco. sulcando.Dureza Mais fraturas • 5. na calcita a dureza é 3 em todas as faces menos nas faces paralelas a {0001} onde a dureza é 2.Dureza: a dureza (D ou H de hardness) de um mineral é a resistência que sua superfície lisa oferece ao risco. onde predominam as ligações iônicas e/ou covalentes podem responder ao teste de dureza com microfraturamentos.5 . Os minerais frágeis. por exemplo. • A dureza é uma propriedade que varia com as direções cristalográficas.

líquidos pesados ou balanças especiais (balança de Jolly. – – – – Exemplo: D Diamante (C cúbico) = 3. de Berman. de braço). curvado ou rasgado.: talco) – elásticoÖquando o mineral volta a forma original depois de submetido a compressão (ex. característica dos minerais onde predominam as ligações iônicas e/ou covalentes (ex.5 • *são típicas nos minerais onde predominam as ligações metálicas.2 D Ouro = 19. É a coesão do mineral. normalmente é medida com o picnômetro. esmagado.5 e 5.: ouro) – séctilÖ quando o mineral pode ser cortado em lâminas* (ex. Densidade relativa ou gravidade específica • 7.Tenacidade: tenacidade de um mineral é a resistência que este oferece ao ser rompido.5 D Grafita (C hexagonal) = 2.4 Exemplos de gravidade específica Menor que o quartzo Maior que o quartzo . sua resistência ao choque. – frágil Ö quando o mineral se rompe ou pulveriza facilmente.Exemplos de durezas: Gipsita Quartzo Tenacidade • 6.: cobre) – plástico Ö quando o mineral deforma-se se submetido a compressão (ex. A densidade depende da composição química e da estrutura do mineral.: mica) Fluorita: Dureza entre 2. Densidade relativa (ou gravidade específica): a densidade relativa (d ou G) de um mineral é o número que exprime a relação entre o seu peso e o seu volume igual a água a 4oC.: feldspatos) – maleávelÖ quando o mineral pode ser reduzido a finas lâminas por percussão* (ex.: gipsita) – dúctilÖ quando o mineral pode ser estirado em fios* (ex.

Cor e jogo de cores: a cor é uma das propriedades mais importantes dos minerais.Determinação da gravidade específica: Continuação 2º . Resulta de uma resposta do olho a absorção seletiva de certos comprimentos de onda da região visível da luz branca. castanho MnÖ rosa. Entre outros fatores a cor depende da composição química. violeta TiÖ castanho escuro CrÖ verde escuro CuÖ azul.pesar o volume de água deslocada pelo mineral 1º .pesar o mineral A cor Cálculo • 8. azul esverdeado NiÖ amarelo esverdeado Gravidade específica Peso da amostra Peso de igual volume de água . sendo que a presença de determinados íons (principalmente os elementos de transição) definem as cores. • Íons que definem a cor nos minerais: – – – – – – – Fe2 Ö verde Fe3 Ö vermelho.

como o quartzo: Variedade mineral Ametista Citrino Róseo Esfumaçado Cor quartzo roxo quartzo amarelo rosa castanho pálido Fe óxidos e hidróxidos de Fe Mn e Ti Al Impureza Alguns exemplos: Cores do Quartzo Outros exemplos de cores Pó de Quartzo . normalmente causadas por uma série de impurezas.Variação de cor nos minerais • Uma mesma espécie mineral pode apresentar diferentes cores.

Kent . Chatoyancy (acatassolamento) Ö ocorre quando o mineral apresenta uma aparência sedosa resultante da presença de inúmeras inclusões dispostas paralelamente a uma direção cristalográfica. Raros minerais exibem pleocroismo em amostra de mão. é uma propriedade comum ao microscópio ótico.: quartzo. Jogo de cores: Chatoyancy • – Opalescência Asterismo Labradorescência Cor do traço • 9.: safira. Usa-se a cor do traço principalmente para identificação dos minerais de minério que podem possuir cores muito semelhantes (cinza metálico por exemplo) mas cores do traço distintas. *para determinar a cor do traço de um mineral usa-se uma porcelana branca de alta dureza. Ex. O jogo de cores pode receber denominações diversas de acordo com o mineral que o apresenta: Exemplo: – – – – – Opalescência Ö opala Labradorescência – labradoria AsterismoÖquando o mineral apresenta raios de luz radiados na direção do eixo vertical. Cor do traço (“Streak”) ou cor do pó Hematite Source: Breck P. Pleocroismo Ö é a absorção seletiva da luz em diferentes direções cristalográficas. Ex.Cor do traço: é a cor do pó fino do mineral.: olho de tigre. Ex.Jogo de cores: • Jogo de cores Ö um mineral apresenta jogo de cores quando exposto a luz emite reflexos matizados. leitosos ou nacarados no seu interior.: cordierita. Ex. Iridescência Ö ocorre quando o mineral mostra uma série de cores espectrais no seu interior ou sobre uma superfície.

Ex. O brilho dos minerais pode ser dividido em: metálico.: serpentina – adamantino Ö resulta de um elevado índice de refração. submetálico e não-metálico. Degginger/Earth Scenes Perláceo Resinoso Terroso Silver .: nefelina sedoso Ö resulta de um agregado de fibras finas.Outros exemplos: Pirita O Brilho: • 10. O brilho não metálico pode ser: vítreo Ö Ex. Brilho: chama-se brilho a aparência geral da superfície de um mineral à luz refletida. Ex. Ex.: quartzo resinoso Ö semelhante ao âmbar.: esfalerita nacarado Ö semelhante a pérola graxo Ö Ex. R.: diamante – – – – – Brilho (em inglês – Luster) Metálico Alta reflectânica e “metais coloridos” Brilho metálico Vítreo Não metálico Vários Brilha como vidro Iridescente (como as pérolas) Semelhante ao âmbar A superfície não reflete a luz Source: E.

Diafaneidade: é a propriedade dos minerais de permitirem. quando em finas lâminas. Gipsita – transparente – translúcido – opaco Halita . que a luz os atravesse.Brilho não metálico Vítreo Brilho não metálico Terroso Realgar Source: Breck P. Kent Quartz Outros exemplos de brilho: Diafaneidade: • 11.

Source: Breck P. Kent .: fluorita) – fluorescênciaÖ quando a radiação resulta de raios ultravioleta ou RX – fosforescência Fluorescência – luz branca Fluorescência – luz UV Magnetismo: • 13. – triboluminescênciaÖquando a radiação resulta do atrito (ex.Luminescência: • 12.Luminescência: é qualquer emissão de luz dos minerais que não seja resultado da incandescência. são atraídos por um imã. Os minerais magnéticos são a magnetita e a pirrotita.Propriedades magnéticas: os minerais magnéticos são aqueles que. em estado natural.: calcita) – termoluminescênciaÖ quando a radiação resulta do aquecimento (ex.

Ex. • Exemplos: – polimorfos de SiO2Ö quartzo (trigonal)-tridimita (ortorrômbico)-cristobalita (tetragonal) – polimorfos de Al2O5 Ö andaluzita (ortorrômbico)-cianita (triclínico)-silimanita (ortorrômbico) . Polimorfismo Isomorfismo Exolução ou desmistura Zonação Propriedades químicas • 1. variando consequentemente suas propriedades físicas.: turmalina – piroeletricidadeÖ é quando os cristais desenvolvem simultaneamente cargas positivas e negativas em cada uma de suas extremidades opostas de um eixo do cristal sob condições adequadas de alteração de temperatura. PolimorfismoÖé o fenômeno pelo qual uma determinada substância se apresenta na natureza sob aspectos estruturais diversos. Ex. 3. 2. Quartzo Piezoeletricidade Propriedades químicas dos minerais 1.Propriedades elétricas: • 14.Propriedades elétricas: – piezoeletricidadeÖ é quando os cristais desenvolvem carga elétrica na sua superfície ao serem comprimidos. 4.

Exemplo: feldspatos alcalinos pertíticos. normalmente na forma de lamelas ou vênulas. Exolução ou desmisturaÖ é o processo pelo qual há segregação de um dos membros da solução sólida. ZonaçãoÖ é a variação química que ocorre do núcleo para os bordos ou de um extremo a outro do cristal.• 2. dentro dos domínios do cristal do outro extremo da mistura. • 4. Isomorfismo ou solução sólidaÖ é o fenômeno pelo qual dois ou mais minerais. apresentado o mesmo tipo de retículo cristalino e sendo formados por elementos substituíveis com volumes atômicos aproximados e cargas semelhantes. • Exemplos: • Série isomórfica dos plagioclásios Æ Albita (NaAl3Si3O8) .Anortita (CaAl2Si2O8) NaSi Ù CaAl sistema triclínico • Série isomórfica das olivinasÆ Forsterita(Mg2[SiO4]) – Failalita(Fe2[SiO4]) MgÙFe sistema ortorrômbico Isomorfismo • Por quê as trocas podem ocorrer? • 3. Exemplo: Grupo das turmalinas (turmalina melancia) • Grupo das granadas e das turmalinas Estriação e bandamento . pertencendo a mesma função química. formam cristais de mistura em diferentes proporções.

Sabor 3.1. Reação com HCl Outras propriedades 2. Tato 1. . Reação com HCl 2. Cheiro 4. Porém deve-se ter cuidado ao provar os minerais. Sabor As rochas que contém CaCO3 reagem (fervem) em contato com HCl 10% Alguns minerais possuem sabor característico como a halita que é salgada.

grafita e a molibdenita. Extinção . Todas observáveis ao microscópio ótico (logo veremos isto nas próximas aulas) . Relevo 4. Tato Alguns minerais possuem tato característico como a talco.. É o chamado tato untuoso (da uma sensação gordurosa na mão) Propriedades óticas • 1. Cheiro • Alguns minerais possuem cheiro característico como o enxofre. Dupla refração e birrefringência • • • • 2. Pleocroismo 3. a arsenopirita e o carvão • 4..3.

halita – Carbonatos . Ex. Ex.molibdatos.. Os sistemas de classificação existentes são baseados em critérios químicos ou físicos.: hematita.inclui cloretos. magensita. Elementos nativos Diamante Óxidos Hematita Pirita Gipso Sulfetos Sulfatos . Brometos e Iodetos) 5) Óxidos e Hidróxidos 6) Carbonatos 7) Nitratos 8) Boratos 9) Fosfatos e Arseniatos 10) Sulfatos e Cromatos 11) Wolframatos. tungstatos. Tugnstatos e Molibdatos 12) Silicatos Mineralogia Sistemática Mineralogia Sistemática Principais características: – Elementos nativos .combinação de metais com S. O sistema mais usado por sua simplicdade baseia-se em afinidades químicas e estruturais e agrupa as espécies minerais em 12 Classes de acordo com a natureza do ânion presente (Dana’s System of Mineralogy): 1) Elementos Nativos 2) Sulfetos 3) Sulfossais 4) Halóides (Cloretos. calcopirita.: gipsita – Óxidos e/ou hidróxidos . Ex. Ex.: pirita. magnetita.inclui a presença de CO3..inclui a presença de PO4. Ex.20 elementos que ocorrem não combinados. apatita – Silicatos . fluoretos. platina. limonita – Halóides .combina elementos com S e O2. cromita. galena.combina metais c/ oxigênio ou (OH). Ex. siderita – Fosfatos .: ouro. bornita – Sulfatos . brometos e iodetos. Fluoretos. Ex. calcita. – Outros .Mineralogia Sistemática Classificação Para que se possa lidar sistematicamente com os minerais é necessário ter um método de classificação.. gethita. cobre – Sulfetos . diamante.combina elementos com silício e oxigênio. grafita. maioria dos minerais metálicos. nitratos e boratos.

quando a diferença de eletronegatividade for grande a ligação será iônica. 6 e 8. logicamente depende dos tamanhos relativos dos íons coordenados podendo as substâncias serem agrupadas segundo seus números de coordenação: número de coordenação 3. Esta forma geométrica é denominada de Tetraedro de sílica. Exemplo: diamante Æ C 3. número de coordenação 8. número de coordenação 4. Os íons coordenados (ou unidos) agrupam-se em torno de um íon coordenador central formando poliedros de coordenação. Ligações metálicas: é quando todos os elétrons são compartilhados. Os cristais mantidos por ligações iônicas têm dureza e densidade moderadas e pontos de ebulição e fusão altos. o cristal se comporta como uma nuvem eletrônica. O elemento de maior eletronegatividade da tabela periódica é o flúor com eletronegatividade 4 Conceitos cristaloquímicos básicos • Princípio da coordenação Quando íons de cargas opostas se unem para formar um estrutura cristalina na qual as forças são predominantemente eletrostáticas. sectibilidade e maleabilidade. O poliedro de coordenação formado será um tetraedro e o número de coordenação será 4. dureza. cada íon tende apanhar para si. onde os vértices são ocupados por íons de oxigênio rodeando um íon de silício. número de coordenação 12. O número de coordenação é a razão entre o raio iônico do cátion e o raio iônico do ânion. Ligações covalentes: é quando os elementos compartilham um elétron. ou coordenar. tantos íons de sinal oposto quantos lhe permite o seu tamanho.Halóides Halita Carbonatos • Os silicatos Destas classes a mais importante é a dos silicatos a qual pertencem mais de 90% dos minerais formadores de rochas. ponto de ebulição e fusão baixos. Esta é a ligação química mais forte e os cristais resultantes possuem alta dureza. número de coordenação 6. Nos minerais. Exemplo: ouro nativo Æ Au A propriedade que melhor explica a tendência dos elementos ligarem-se ionicamente ou por covalência é a eletronegatividade: quando houver pequena diferença de eletronegatividade entre dois elementos a tendência é ocorrerem ligações covalentes. Exemplo: se a relação entre os raios iônicos estiver entre 0. Na mineralogia os números de coordenação mais freqüentes são 4. O número de ânions que cerca um determinado cátion necessário para formar a estrutura mais compacta possível para aquele arranjo chama-se número de coordenação. • • • • .41 a máxima compacticidade será obtida quando cada íon estiver cercado por quatro íons de sinal contrário. ductibilidade. são bons condutores e são pouco solúveis. Os silicatos são 40% dos minerais mais comuns. A ligação que une estes íons é 50% iônica e 50% covalente.22 e 0. bem como 25% dos minerais conhecidos. A unidade fundamental sobre a qual se baseia a estrutura de todos os silicatos é um tetraedro. este tipo de ligação é responsável pelo brilho metálico. Portanto Ö o arranjo geométrico dos ânions e cátions na estrutura de um mineral é representado pelos poliedros de coordenação e a configuração do poliedro depende dos raios iônicos do cátion e do ânion e do número de ânions ao redor do cátion. Ligações iônicas: ocorre quando os íons estão unidos na estrutura do cristal pela atração de suas cargas eletrostáticas opostas. • Calcita Relembrar é viver! A natureza das ligações químicas 1. Exemplo: halita ÆNa+Cl2.

AI e Si que. Fe. conferindo aos minerais formas compactas. tanto em rochas magmáticas como metamórficas.NC=8) AI2[SiO4] Î Topázio (Sistema . com toda uma gama completa se substituições intermediárias. Os cátions presentes nos silicatos são numerosos. num fenômeno denominado de polimerização.80 0. Mn. São normalmente minerais de alta temperatura. com dureza e densidade altas e elevado índice de refração. Mg. diminuindo nesta ordem a estabilidade da estrutura.Fe)2[SiO4] Î Grupo das Olivinas (Sistema ortorrômbico-NC=6) Zr[SiO4] Î Zircão (Sistema tetragonal .Os tetraedros podem combinar-se compartilhando vértices. freqüentemente isométricos. respeitando certas condições podem substituir-se dentro da estrutura dos silicatos. Exemplo: Peridotos ou olivinas Î (Mg. onde ocorre a substituição total do Mg pelo Fe nos termos finais (end members) forsterita e faialita. os mais comuns são K. Exemplos: (Mg. Na. raio iônico 0. combinados de diversas maneiras.Fe)2[SiO4] Mg2[SiO4] Forsterita Î Fe2[SiO4]Faialita. Ca. isto é ligam-se indiretamente através de cátions metálicos com diferentes números de coordenação.86 Mg Fe +2 +2 • carga íônica Classificação dos Silicatos • Os silicatos foram classificados por Berman (1937) e Stunz (1957) de acordo com o arranjo de seus tetraedros de sílica e suas unidades estruturais em: 1) Nesossilicatos 2)Sorossilicatos 3) Ciclossilicatos 4) Inossilicatos 5) Filossilicatos 6)Tectossilicatos 1) Classificação dos Silicatos Nesossilicatos (neso-isolado): os tetraedros de sílica estão isolados. A unidade estrutural de sílica é [SiO4]-4 .NC=4) A3B2[SiO4] Î Grupo das Granadas (Sistema cúbico • .Números e poliedros de coordenação Os silicatos • Os silicatos são formados pela união de infinitos tetraedros de sílica. Ti. arestas ou faces.

As características físicas deste grupo são: hábito colunar. Tem propriedades muito semelhantes aos nesossilicatos (dureza e densidade altas e elevado índice de refração). Pb. A unidade estrutural de sílica é [(SiO3)-2]n. tetragonais ou hexagonais.Classificação dos Silicatos 2) Sorossilicatos (soro-grupo): os tetraedros de sílica estão agrupados dois a dois. Be. compartilhando apenas um vértice. La.3. Cada tetraedro poderá compartilhar 1. 2. Exemplo: XY3AI6(BO3)3(Si6O18) (OH)4 Î Grupo das Turmalinas Be4Al2 (Si6O18) Î Berilo Mg2Al3(AISi5O18) Î Cordierita Classificação dos Silicatos . 3 ou 4 tetraedros distintos. 2. ou 4 vértices com 1. Exemplo: X2Y4(SiO4) (Si2O7) (OH) Î Grupo dos Epidotos Zn4[Si2O7] (OH)2H2O Î Hemimorfita Classificação dos Silicatos 3) Ciclossilicatos (ciclo-anel): os tetraedros de sílica formam anéis trigonais. prismas curtos e clivagem ou partição basal. Neste caso os tetraedros compartilham um oxigênio ponte e os cátions que unem-se aos tetraedros são predominantemente os elementos de grande raio iônico como Ce. K e Na. A unidade estrutural de sílica é [SiO7]-6.

onde Z=AI e Si(Si:OÖ4:11) Estrutura dos silicatos •Polimerismo do Si-O Classificação dos Silicatos 5) Filossilicatos (filo-folha): os tetraedros de sílica estão dispostos em folhas paralelas interligando-se a outras folhas através de cátions metálicos.que também tem tato untuoso). A unidade estrutural de sílica é (Si2O5)-2 compartilhando 3 oxigênios ponte e a relação Si:O é de 2:5.: Anfibólios Ex. lamelas elásticas (micas) e plásticas (talco .duas séries de clivagem. As propriedades físicas desta subclasse são: hábito achatado (tabular). clivagem basal distinta. As propriedades físicas destes minerais são: hábito prismático ou fibroso. Exemplo: KAl2(AISi3O10)(OH)2 Î Muscovita KMg3(AISi3O10 )(OH)2 Î Flogopita •[SiO3]2- tetraedros em cadeias simples Inossilicatos •[Si4O11]4. clivagem prismática fina para os de cadeia dupla e grosseira para os de cadeia simples. A unidade estrutural de sílica das cadeias simples é (Si03)-2 e das cadeias duplas é (Si4O11)-6 no caso dos anfibólios especificamente é [(Si.: Piroxênios .tetraedros em cadeias duplas Inossilicatos Ex. fileira): os tetraedros de sílica formam cadeias simples que compartilham 2 oxigênios ponte (Grupo dos Piroxênios) ou cadeias duplas que compartilham alternada mente 2 ou 3 oxigênios ponte (Grupo dos Anfibólios).Classificação dos Silicatos 4) Inossilicatos (ino-fio.AI)4O11]n-6. baixa dureza. Exemplo: XY (Si2O6) Î Grupo dos Piroxênios(Si:OÖ1:3) X2-3Y5Z8(O22) (OH)2 Î Grupo dos Anfibólios.

argilas Filossilicatos Classificação dos Silicatos 6) Tectossilicatos (tecto-armação. A troca do Si pelo AI provoca modificações na estrutura que passa a se agrupar como (Si3AlO8).Estrutura dos silicatos •Polimerismo do Si-O •[Si2O5]2Tetraedros em folhas •Exemplo: micas. Exemplo: SiO2 Î Quartzo Na[AI3Si3O8]. estrutura tridimensional): cada tetraedro de sílica compartilha todos os quatro vértices com os tetraedros vizinhos. A entrada de cátions estranhos nesta estrutura é possível pela substituição do Si pelo AI. o Na e o Ca para que a eletroneutralidade da estrutura permaneça. Com a entrada do AI na estrutura é necessário o reforço de outros cátions como o K.Ca[Si2Al2O8 ] Î Série Isomórfica dos Plagioclásios KAISi3O8 Î Feldspatos Alcalinos . que é trivalente. talco.e (Si2Al2O8)-2 para o grupo dos feldspatos e (SiAIO4). trama.para o grupo dos feldspatóides. assim a unidade estrutural de sílica é Si02 onde são compartilhados 4 oxigênios ponte.

feldspatos e zeolitas Tectossilicatos Quartzo Olivina Feldspato potássico KAlSi3O8 Plagioclásio (Ca.Estrutura dos silicatos •Polimerismo do Si-O Silicatos importantes Feldspatos Micas Ortoclásio lowlow-quartz •[SiO2] tetraedros em estrutura 3-D •Exemplos: Quartzo.Na)AlSi3O8 .

Quartzo Ametista Quartzo Fratura conchoidal .