SOBRE ESTA PEDRA

Mateus 16:13-19 Rev. Alcenir Oliveira

Tu és o filho de Deus.
Jesus Cristo foi simples na sua maneira de ensinar e informar. Um certo escritor diz que a melhor maneira de aprendermos é através da narrativa. Nós temos muito mais habilidade de memorizar uma estória do que um estudo sobre um assunto. É interessante como guardamos por muito tempo na memória o roteiro de um filme, o roteiro de um livro de romance, ou a história da vida de alguém. Os evangelistas não se preocuparam senão em fazer a narrativa de Jesus, pois a sua vida por si só ensinava, ministrava e informava. Nesse recorte da narrativa de Jesus, ele vem de dias exaustivos, depois de alimentar multidões espiritualmente e com pães e peixes. Retira-se então para Cesaréia de Filipe. Para ter um momento de oração e ensinamento apenas dos discípulos. Ele já tinha cumprido uma grande parte do seu ministério, já era hora de testar os conhecimentos deles. Mas porque Jesus escolhe uma cidade pagã. Essa cidade era habitada por gentios e muito poucos judeus. Assim, Jesus teria tempo para conversar com os discípulos. Tinha chegado o momento de passar à segunda fase do seu ministério e era o momento de sondar a preparação dos disicípulos. Vamos dar uma olhada no que foi Cesaréia na história. Herodes Antípas era o governador da Galiléia. Cesaréia era do Filipe Tetrarca. Podemos listar pelo menos quatro questionamentos: Primeiro, aquele distrito era uma área de religiões de deuses antigos. Diz-se que existia pelo menos 14 templos pagãos. Segundo, há uma caverna na monte Hermon. O lugar teve o nome de Pan-Hermon, porque acreditava-se ali nasceu o deus pan, o deus da natureza. É triste vermos que hoje existem ramificações humildes desse tipo de adoração à natureza, como adorar o sol, a lua, o mar ou coisa assim. A cidade foi fundada por volta do Ano 300 A.C. quando inicia o período Helenístico, o império grego sob o comando de Alexandre o Grande. Houve um guerra em 198 B.C. Entre Macedônios Egípcios contra Gregos Seleucidas e Sírios. Com a vitória, os gregos fizerem no lugar um templo ao Pan, e recebeu o nome de Panion. Pan é o deus grego dos lugares desolados. As variações do deus baal também eram cultuadas ali. No ano 20 A.C. a região era conhecida por Panion, foi anexada aos domínios de Herodes o Grande. Este contruiu um templo dedicado a Augustus Cesar que lhe concedeu o dominio sobre as terras. Por volta do Ano 4 A.C. Quando Herodes o grande morreu, seu filho Filipe assume e reconstrói a cidade e dá-lhe o nome de Cesaréia de Filipe em homenagem a Cesar e a ele. Mais tarde no século primeiro, na revolta dos Judeus, os romanos mudaram o nome de volta para Paneas. Hoje o lugar pertence à Síria, mas ocupado por Isreal, tem o nome arabe de Baniyas, mesmo porque no Árabe não existe a letra P.

Terceiro, as fundações desses templos eram à base de pedras, alguns eram construídos em marmore como o de Herodes o Grande. É aqui neste lugar que Jesus marca a divisão do seu ministério. É onde ele encerra sua primeira etapa e dá início à segunda. A primeira etapa foi de se fazer conhecido de maneira prática a seus discípulos. A segunda etapa caracteriza-se pelo anúncio de Jesus Cristo de que ele estava caminhando para a tumultuada confrontação com as autoridades Israelitas e conseqüentemente levado à cruz. Veja o texto no verso 21 “Daí em diante, Jesus começou a dizer claramente aos discípulos:Eu preciso ir para Jerusalém, e ali os líderes judeus, os chefes dos sacerdotes e os mestres da Lei farão com que eu sofra muito. Eu serei morto e, no terceiro dia, serei ressuscitado”.

Duas lições iniciais:
A primeira lição é que Pedro descobre que Jesus Cristo não se enquadra dentro da categoria humana, como definem, como categorizam as pessoas. O que Jesus fazia não vinha de homens, vinha de Deus. Portanto, ele é filho de Deus. Quem é Jesus, Pedro? O Messias, o Cristo, O filho do Deus Vivo. Apenas em Mateus a frase dita por Pedro está acrescida de “o filho do Deus Vivo”. Segundo os historiadores, em Baniyas, ou Cesaréia de Filipe, havia pelo menos 14 monumentos ou templos dedicados a deuses. A declaração de Pedro tem a finalidade de mostrar que Jesus Cristo não vinha de nenhuma outra fonte ou entidade, mas do Deus único e verdadeiro Criador do Céu e da terra e da humanidade. O Deus de Gênesis 1 e de João 1, o Helohim e o YHWH (Jeová). E você? Quem você diz que Jesus Cristo é?

Um cara legal que não é nem tradicional e nem liberal demais, que todo mundo gosta dele, que é o padrão de pessoa que nós devemos ser, o tipo de pessoa que toda a humanidade deveria imitar, pois assim não teriamos ladrões, nem assassinos, nem prostitutos, nem pobreza porque todos seriam trabalhadores e solidários.

− − − −

Um ídolo romântico que é cantado em música Gospel. Um revolucionárioque condenaram a morte porque queria tomar o poder dos Judeus? Um profeta O Filho do Deus Vivo

Se Jesus Cristo reunisse a igreja hoje e perguntasse, quem vocês dizem que eu sou? Qual seria a resposta? Pedro não encontrou categoria humana para definir Jesus Cristo. Em Jerusalém, Nicodemos dá testemunho semelhante, porém entra uma categoria humana: “Rabi, nós sabemos que o senhor é um mestre que Deus enviou, pois ninguém pode fazer esses milagres se Deus não estiver com ele”. É uma categoria de

profeta, enviado de Deus, vindo de Deus. Mas Pedro vai muito além e declara o que o que os profetas anunciaram no passado “o Messias, o filho do Deus Vivo”. 2 – A descoberta é individual, pessoal. Existe um conceito teológico, que é proveniente do entendimento dos Judeus, que diz “Pertenço, logo eu sou”. Isso quer dizer que qualquer pessoa que pertencia à comunidade Israelita era considerado membro do Povo de Deus”. O outro conceito teológico é o contrário e diz: “Eu sou, logo pertenço”. O Salmo primeiro nega o primeiro conceito. Ele diz que os ímpios não permanecerão na comunidade dos justos, dos santos. Não basta pertencer. Não basta nascer na família de crente, não basta ter pai e mãe crente, não basta ser membro da igreja porque todos os amigos são da igreja, não basta freqüentar a igreja porque tem o melhor grupo de louvor, tem a turma mais elegante, educada, intelectual e divertida, todos são flamenguistas, ou cruzeirense, ou vascaínos. Você só pertencerá ao Reino de Deus quando você vier a ser feito filho, a saber os que crêem no nome de Jesus Cristo. “Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber, aos que crêem no seu nome”. João 1:12. Nos encontros de Jesus Cristo vemos declarações diversas, dentre elas: Primeiro, o diabo declara que ele é o Filho de Deus em Mat 4:3 “ Então o Diabo chegou perto dele e disse: Se você é o Filho de Deus, mande que estas pedras virem pão ”. E em Mar 5:6-7, os demônios voltam a declarar que ele é o Filho de Deus “ 6 Quando, de longe, viu Jesus, correu e o adorou, 7 exclamando com alta voz: Que tenho eu contigo, Jesus, Filho do Deus Altíssimo? Conjuro-te por Deus que não me atormentes!”. Segundo, pelo próprio Deus no seu batismo Mat 3:17 “Este é o meu filho amado, em quem me comprazo”. TU ÉS PEDRO Eu conheço você. Você é humano. Você é sujeito a fraquezas, dúvidas, falta de fé. Você é muitas vezes auto-suficiente, achando que pode ganhar o seu por seus próprios esforços. Mas nessa declaração sua eu confio, essa declaração sua tem fundamento, essa declaração sua foi feita depois de longas caminhadas juntos em que eu revelei de onde eu vim, quem sou, o que vim fazer aqui, e para onde vou. Eu confio nessa declaração sua por que ela vem do coração, porque você aprendeu a amar a reconhecer e a amar as obras de Deus operadas por mim. Eu confio nessa declaração porque ela cresceu em você, sendo trabalhada pelo próprio Deus. Eu confie nessa declaração porque ela não foi revelada por amigos, rabinos, pastores, profetas, sacerdotes, apóstolos, ministros, missionários, evangelístas, líderes, professores ou irmãos, ela foi revelada pelo meu Pai que está nos céus.

ESTÁ É A PEDRA Pedro, meu grande amigo, é sobre esta pedra eu edificarei a minha igreja. Minha igreja não vai ser edificada com palha da fé porque queima e faz labaredas enormes enquanto dura, mas ela se queima desaparece e fogo apaga. Sabe Pedro, existem muitos crentes fogo de palha que fazem um fogo enorme, pulam, dançam, choram, caem, gritam, mas se queimam, o fogo apaga e desaparecem. Não vou edificar sobre areia da fé, porque quando vierem as tempestades, e encherem os rios, e acontecerem muitas enxurradas a area se move e ela desaba e desaparece na enchente. Sabe Pedro, existem muitos crentes que são edificados na areia. Vem um pequeno vento doutrina e tira um pouco da areia e a casa da fé começa a enfraquecer; vem uma tempestade shows evangélicos e gospel que ele não resiste e larga seus compromissos com a igreja para correr atrás e essa tempestade arranca um montão de areia. Quando surge a tempestade da tentação ou do sofrimento, que cai em pecado, ou que sua vida se desarraja toda, a areia acaba de ser retirada da fundação e ela desaba. Não vou edificar minha casa sobre o gesso da fé. Para começar não gosto de gente engessada, amarrada, por tudo quanto é sorte de regra, de leis e tradições que não fazem sentido. Esse crente começa a ver defeito em tudo e em todos, cria partidos e grupos dentro da igreja, quer tudo perfeito. Quando lhe é oferecido trabalho diz que não tem dom para aquilo, nunca se acerta com o seu dom. Quando o fogo do Espírito cresce na igreja, ele resseca todo, trinca, racha, se despedaça e desaparece. Essa declaração sua é a Pedra sobre a qual eu vou edificar a minha igreja. São pessoas como você, crentes como você, que vêem e reconhecem o Filho de Deus, quando é chamado para seguir ao Senhor sem restrição se protifica e põe tudo o mais em segundo plano; está sempre disposto a confessar que Jesus Cristo é o Filho de Deus, o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo. O crente Pedra quando não se desfaz como a palha, pois para dissolver a pedra é preciso temperaturas altíssimas, nem as portas do inferno são capazes de quebrá-la. O crente Pedra enfrenta os ventos de doutrina com a maior firmeza, conhece a Palavra de Deus, e nela medita de dia e de noite, e é sempre um vitorioso nos vendavais. O crente Pedra tem firmeza em suas palavras, o que é verdade ele confirma, o que é mentira também, não é homem de meias verdades e meias mentiras, porque tanto uma como a outra é mentira, e mentira é do diabo. O crente Pedra fica firme quando a tempestade de problemas surge. Jesus Cristo, que falava Aramaico, uma variação do Hebráico falado, usa a palavra QALAL para igreja (Ekklesia no grego). A palavra que usou quer dizer que Pedro, ao reconhecer e fazer aquela confissão,

torna-se o início, a pedra incial da construção, do início do novo Israel, o novo povo de Deus, a nova congregação daqueles crêem no seu nome e o confessam ser o Filho de Deus. Deus abençoe a sua Palavra em suas vidas! Rev. Alcenir Oliveira

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful