You are on page 1of 1

RAPSÓDIA | «VOZES DE NÓS» OU AS NOSSAS VOZES SANDY GAGEIRO

PRAGUEJAVA NO OUTRO DIA AO MEU LADO teca Operária de Oeiras. O mais interessante neste coro,
um colega de trabalho e reconhecido melómano: em que a idade média dos elementos ronda os 50 anos
“Grande seca! Isso esgatanha os ouvidos, isso é de- e integra professoras, médicas e bancárias, é a vontade
masiado cru para mim, não gosto”. Reparem, o CD de continuar a cantar em grupo após quase trinta anos
estava a tocar há 5 minutos. Contudo, registei a re- em conjunto, com profissões para exercer, filhos para
clamação. Fica desvendado o mistério se vos disser criar, problemas para resolver num dia a dia raramente
que o disco em questão era o mais novo das Cramol propício a actividades extra-laborais.
que se chama «Vozes de Nós».Trata-se de uma co- É um exemplo de associativismo e solidariedade,
lecção de 46 canções oriundas de várias regiões do notável no compromisso com o sentimento presente
país, maioritariamente do norte e, em muitos casos, nesta música. Estas canções foram forjadas no campo,
registadas pela primeira vez em CD. Canções popu- ao passo que estas intérpretes são filhas da cultura e
lares e tradicionais de trabalho, de amor, de embalar, da rotina urbanas. Espanta-nos a forma como estas
de perda, enfim, de um quotidiano profundamente mulheres conseguem projectar a voz como se fossem «VOZES DE NÓS»,
feminino, no qual a mulher é omnipresente. camponesas a laborar. Prova disso são os concertos que CRAMOL
2007, EDITORA OCARINA
As Cramol, dezasseis mulheres que já foram vinte e desde já recomendo vivamente. Muitas vezes em cír-
duas, cantam sobretudo temas polifónicos das regiões da culo ou distribuídas por vários lugares de uma sala, as
Beira Alta, Minho e Trás-os-Montes e do cancioneiro vozes atingem formas inesperados recriando um viver
regional de Lafões e de Arouca. Alguns temas deste du- que muitos de nós esquecemos ou nunca conhecemos.
plo álbum foram retirados das conhecidas recolhas efec- Concertos têm sido muitos, assim como colaborações
tuadas por José Alberto Sardinha, Michel Giacometti ou em peças de teatro de companhias como a Comuna, o
Fernando Lopes Graça. A procura do som mais próximo Bando e o Teatro Ibérico; no cinema, em «Morte Maca-
do original não deixa lugar para dúvidas: aqui o único ca» de Jeanne Waltz ou partilhando o palco com outros
instrumento presente é a voz, nos seus mais variados músicos e agrupamentos como Uxia (Galiza), José Má-
registos – impertinente e arisca, solene e sombria, es- rio Branco, Donald Kachamba (Malawi), Duplex Longa,
tridente e ardilosa, só e acompanhada. O primeiro disco Danças Ocultas, Camané e Gaiteiros de Lisboa, só para
conta 33 temas, ao qual juntaram um disco bónus com citar alguns. Feliz este regresso das “cramolesas” em
temas religiosos e de embalar em que o solo é mais pri- disco e a boa notícia de um próximo registo para bre-
vilegiado do que o coro. ve. «Vozes de Nós» foi gravado em 2007 no Lagar de
Este é o segundo registo discográfico do grupo coral Azeite, em Oeiras, com produção e direcção musical de
feminino amador criado em 1979, no âmbito da Biblio- Eduardo Paes Mamede.

VÍRUS FEV/MAR 2008 [33] RAPSÓDIA