You are on page 1of 27

AULA 1

- Introdução

Parte 1

E&A
Ergo&Ação
Ergonomia
e
Projeto do Trabalho

João Alberto Camarotto


• Cadeira ergonômica
• Painel ergonômico
• Usabilidade
• Conforto no trabalho
Ergonomia • Tendinite
• Ginástica laboral
• Movimentos repetitivos
• Posturas de trabalho
• Stress
• Adequação ergonômica
• Ambiente ergonômico
• Qualidade de vida no trabalho
• Cores e iluminação
• Conforto Ambiental
• Segurança do trabalho
E&A
Ergo&Ação
ERGONOMIA é a disciplina científica
interessada na compreensão das
interações entre os humanos e outros
elementos de um sistema.

É a profissão que aplica teoria, princípios, dados e


métodos para projetar e para aperfeiçoar o bem-estar
humano e o desempenho do sistema global.

E&A
Ergo&Ação
Ergonomistas contribuem na concepção
e avaliação de tarefas, trabalhos,
produtos, ambientes e sistemas
compatíveis com as necessidades,
habilidades e limitações das pessoas.

E&A
Ergo&Ação
Ergonomia do Produto
Quanto ao Objeto
Ergonomia de Produção

Ergonomia de Intervenção
Ergonomia Quanto à Perspectiva
Ergonomia de Concepção

Ergonomia de Correção

Ergonomia de Enquadramento
Quanto à Finalidade
Ergonomia de Remanejamento

Ergonomia de Modernização
E&A
Ergo&Ação
Ergonomia Física

Busca adequar as exigências do


trabalho aos limites e
capacidades do corpo, através do
projeto de interfaces adequadas
para o relacionamento físico
homem-máquina.

E&A
Ergo&Ação
ERGONOMIA FÍSICA Æ preocupada com características
anatômicas, antropométricas, fisiológicas e biomecânicas do ser
humano e como elas se relacionam com as atividades físicas.

Ex.: posturas, manuseios de materiais, movimentos repetitivos,


desordens músculo-esqueléticas relacionadas ao trabalho, layout
dos postos de trabalho, segurança e saúde.

ª ANTROPOMETRIA
medidas do corpo

ª FISIOLOGIA DO TRABALHO
consumo energético, esforço,
biomecênica

ªAMBIENTE FÍSICO

E&A
Ergo&Ação
calor, ruído, umidade, ...
Ergonomia Cognitiva

Relacionada com processos mentais na execução do trabalho,


tais como: percepção, memória, raciocínio, resposta
motora.
Como afetam as interações entre as pessoas e outros
elementos de um sistema.

carga mental de trabalho tomada de decisão

interação homem-computador stress treinamento

qualificação confiabilidade

E&A
Ergo&Ação
Ergonomia Organizacional

• Otimização dos sistemas socio-técnicos, incluindo suas


estruturas organizacionais, corporativas e processo de
produção e negócio.

Comunicação Gestão do Trabalho Trabalho em grupo

Organização temporal do trabalho Teletrabalho

Projeto participativo e cooperativo

Novos paradigmas de trabalho Organizações virtuais

E&A
Ergo&Ação
FÍSICA

OR
VA

GAN
TI
NI

IZ
G

ACIO
CO

NAL

E&A
Ergo&Ação
Vamos supor um trabalhador sentado em uma cadeira diante da tela e do
teclado de um terminal de computador.
Ele sente dor nas costas.
O ergonomista estuda os problemas relacionados com a coluna e pode ajudar na concepção
de cadeiras melhores adaptadas.

O mesmo trabalhador queixa-se de dor de cabeça. A tela do vídeo reflete a luz e tem
pouco contraste.
O ergonomista estuda sobre olhos e a visão pode dar elementos para se fazer telas menos
ofuscantes.

O trabalhador apresenta sinais de fadiga. Há quatro horas ele trabalha diante do seu
terminal e ele não é mais tão jovem.
O ergonomista aplica conhecimentos dos efeitos de duração do trabalho sobre o organismo
humano, podendo contribuir para melhor organizar os horários e as pausas.

Este trabalhador não está sentado sem fazer nada. Ele executa uma atividade, interpreta
informações que aparecem na tela, resolve problemas e talvez cometa erros.
O ergonomista estuda as bases da organização, monotonia e raciocínio (cognição), podendo
ajudar na melhor formulação dos problemas e do treinamento.

Este trabalhador considera seu trabalho repetitivo e isolado.


O ergonomista detém conhecimentos sobre o interesse das tarefas e as comunicações na
equipe. Ele pode ajudar a conceber uma organização mais satisfatória, e portanto mais eficaz.

E&A
Ergo&Ação
Todas as questões apontadas na relação do sujeito e o
computador (como no exemplo) são importantes e a ações
sugeridas pelo ergonomista irão contribuir para a melhoria
de qualquer situação de trabalho deste tipo.

No entanto, dependendo da forma de condução da ação, o


processo não teria fim pois, para cada variável específica,
ou seja, para cada CONDICIONANTE, pode ser gerada, a
partir dos conhecimentos acerca do homem no trabalho,
uma resposta parcial.

Nada garante que, no conjunto, tais soluções parciais não


sejam conflitantes.

E&A
Ergo&Ação
O ergonomista deve abstrair estes conhecimentos e olhar
para a atividade de trabalho como um todo, buscando
compreendê-la.

É a partir desta compreensão que ele decompõe a


atividade em dimensões parciais e produz suas análises.

Em ergonomia a análise é sempre parcial, sobre variáveis


identificadas e isoladas, porém, a resposta deve ser
global, integrando variáveis e respondendo para aquela
situação específica, quais são os elementos
DETERMINANTES.

E&A
Ergo&Ação
Ergonomia situada

As atividades de trabalho não são determinadas


unicamente por critérios ergonômicos.

A organização do trabalho, a concepção de


máquinas e ferramentas, a implantação de
sistemas de produção são, também, determinados
por outros fatores, tanto técnicos como econômicos
e sociais.

A prática da ergonomia consiste em emitir juízos de


valor sobre o desempenho global de sistemas
homem–trabalho.
E&A
Ergo&Ação
As diferentes visões sobre o trabalho
AGENTE SOCIAL INTERESSES
Direção da empresa Inovação, retorno de capital
Trabalhadores Conhecimento, salário, carreira
Sindicatos de trabalhadores Emprego, remuneração, condições de
trabalho
Segurança e Saúde, preservação da força de trabalho
Medicina do Trabalho
Recursos Humanos Qualificações, assistência social
Tempos e Métodos Desempenho, produtividade
Supervisão Estoques, entregas, qualidade

E&A
Ergo&Ação
Trabalho

Condições Å Segurança, QV
da

Gestão de
ATIVIDADE DE
pessoas Æ
TRABALHO

Resultados
Å Qualidade, custos
da

E&A
Ergo&Ação
A pessoa O trabalho A empresa
no trabalho
Experiência Æ CONDIÇÕES Å Investimentos
Na empresa De trabalho

Vida pessoal Æ ATIVIDADE Å Organização,


História profissional De trabalho Gestão RH

Personificação Æ RESULTADOS Å Produção


Significação social Do trabalho Qualidade

E&A
Ergo&Ação
Compreender a situação de trabalho significa
analisa-la detalhadamente em suas dimensões
físicas, cognitivas e organizacionais.

Significa também reconhecer as outras


racionalidades presentes, como a da
produção, da medicina do trabalho e da
engenharia ocupacional e, ao confrontá-las,
produzir um consenso negociado acerca das
ações a serem realizadas.

E&A
Ergo&Ação
Diferentes visões de Ergonomia

Convergências:
1) A ergonomia busca da adaptação do trabalho ao
homem em contraposição à adaptação do homem
ao trabalho;

2) A ergonomia integra conhecimentos acerca do


homem, particularmente aqueles derivados da
psicologia, fisiologia e sociologia, e utiliza tais
conhecimentos agindo sobre a relação homem-
trabalho.

E&A
Ergo&Ação
Corrente da Humans Factors
(ou Anglo-saxônica)

“Ergonomia tem sido definida como o estudo


científico do relacionamento entre o homem e
seu ambiente de trabalho. Neste sentido, o
termo ambiente é utilizado para cobrir não
somente as questões do entorno ambiental no
qual ele pode trabalhar mas também suas
ferramentas e materiais, seus métodos de
trabalho e a organização do seu trabalho, seja
ele individual ou trabalho em grupo”.

E&A
Ergo&Ação
1. o foco central dos fatores humanos se refere na consideração
dos seres humanos no desenho dos objetos feitos pelo homem, dos
meios de trabalho e dos ambientes produzidos pelo próprio
homem, que se põem em uso nas diferentes atividades vitais;

2. os objetivos dos fatores humanos no desenho destes objetos,


meios de trabalho e ambientes comportam duas etapas: i)
incrementar a eficiência funcional para que as pessoas possam
utilizá-los; ii) manter ou acrescentar certos valores humanos
desejados no processo (saúde, segurança e satisfação);

3. a proposta central dos fatores humanos consiste na aplicação


sistemática das informações referentes às características
humanas e de comportamento no que se refere ao desenho de
objetos feitos pelo homem, aos meios de trabalho e ao ambiente
que ele utiliza.

E&A
Ergo&Ação
Corrente Fatores Humanos (críticas)

1) Utiliza o paradigma das ciências aplicadas. Imputa ao dispositivo técnico


uma certa neutralidade que decorre da pretensa objetividade com que trata o
processo de concepção.

2) No campo da pesquisa, o foco do humans factors é a produção de


conhecimentos sobre o homem, em sua dimensão biocognitiva, cujas variáveis
são separadamente estudadas.
i) a dificuldade de inter-relacionamento das variáveis levantadas em
laboratório;

ii) a não explicitação do processo de passagem entre os dados obtidos nos


experimentos e a sua transformação em limites e recomendações.

3) O trabalho é reduzido a um sistema homem-máquina, “podemos considerar


um sistema constituído por homem e máquina como uma combinação de um
ou mais seres humanos e um ou mais componentes físicos que atuam
reciprocamente para efetuar, a partir das entradas de energia dadas, uma
produção desejada”, (McCormick, 1976). Tal definição significa assumir que as
variáveis de interface seriam as mesmas em qualquer situação de ocorrência.

E&A
Ergo&Ação
ANGLO–SAXÔNICA

Enfoque sistêmico busca a otimização dos sistemas homem-máquina pela


aplicação dos conhecimentos acerca do homem na concepção dos dispositivos
técnicos.
(adaptação da máquina ao homem e direciona sua ação para esta interface,
almejando a melhoria das condições de trabalho)

FRANCOFÔNICA

Associada à Análise Ergonômica do Trabalho, centrada na análise da atividade,


fundamentada no estudo de situações de trabalho singulares e socialmente
situadas.
(adaptação do trabalho ao homem e direciona sua atenção para os determinantes
de uma situação de trabalho, alvejando a sua transformação)

E&A
Ergo&Ação
FRANCOFÔNICA

1. O foco da ergonomia francofônica é o estudo do homem no trabalho, em


contraposição ao estudo do funcionamento do homem.

2. os objetivos são os de produzir conhecimento sobre o trabalho e sobre


os processos de mudanças nos elementos determinantes da situação. O
termo determinantes salienta a necessidade de identificar dentre os
diferentes condicionantes da atividade aqueles elementos fundamentais,
os quais determinam a carga de trabalho. Contrapõe-se aqui a idéia de que
agir indistintamente sobre os diversos condicionantes.

3. a proposta central é que a Análise Ergonômica do Trabalho produz uma


dialética entre conhecimento e ação, na medida que confronta no seu
curso as diferentes representações acerca da situação de trabalho. A
contraposição é em relação à aplicação sistemática dos conhecimentos
acerca do homem, sem o reconhecimento de que tal aplicação pressupõe
mudanças acerca dos pontos de vistas sobre a situação de trabalho.

E&A
Ergo&Ação
“a atividade de trabalho é o elemento organizador e
estruturante dos comportamento nas situações de
trabalho. Ela é uma resposta aos constragimentos
determinados exteriormente ao trabalhador e
simultaneamente ela é suceptível de transformá-lo ...
ela unifica a situação”

(Guérin, 1991, pg. 58)

E&A
Ergo&Ação