You are on page 1of 22

SECRETARIA DE GESTÃO PÚBLICA

INSTITUTO DE ASSISTENCIA MÉDICA AO SERVIDOR PÚBLICO ESTADUAL Av. Ibirapuera, 981 – CEP: 04029-000- tel: 5088-8000 – São Paulo.

DIVISÃO DE ENFERMAGEM – SERVIÇO DE EMERGÊNCI A – PRONTO SOCORRO

ACOLHIMENTO COM CLASSIFICAÇÃO DE RISCO (ACCR)
Protocolo de Classificação de Enfermagem

CLASSIFICAÇÃO DE RISCO *
PRIORIDADE DE ZERO (VERMELHO) EMERGÊNCIA MAIOR Encaminhar diretamente para sala de emergência EMERGÊNCIA MENOR Encaminhar para consulta médica com alta prioridade Sala de admissão da emergência. Atendimento médico IMEDIATO (com sinal sonoro) Assistência de enfermagem contínua

PRIORIDADE I (LARANJA)

Atendimento médico em até 15 minutos Reavaliação da enfermagem periodicamente

PRIORIDADE II (AMARELO)

URGÊNCIA MAIOR Encaminhar para consulta médica com prioridade. URGÊNCIA MENOR Encaminhar para consulta médica com menor prioridade.

Atendimento médico em até 1 hora Reavaliação da enfermagem periodicamente

PRIORIDADE III (VERDE)

Atendimento médico em até 3 horas Reavaliação da enfermagem periodicamente

PRIORIDADE IV (AZUL)

NÃO URGÊNCIA Encaminhar para atendimento sem prioridade

Atendimento médico no mesmo dia ou agendamento Reavaliação da enfermagem periodicamente

HSPE – Pronto Socorro - Acolhimento com Classificação de Risco (ACCR)

* Respeitando a lei 10.741/03, os pacientes idosos (maior que 60 anos) serão priorizados dentro de cada classificação.

PRIORIDADE ZERO (vermelho)
PCR             Parada cárdio-respiratória Parada respiratória Respiração agônica Lesão grave de únicos ou múltiplos sistemas TCE com Glasgow ≤ 8 Trauma torácico e/ou abdominal com perfuração, taquidispnéia, alteração mental, hipotensão, taquicardia Lesões múltiplas de membros Fraturas expostas Amputação Ferimentos com sangramento ativo não compressível Comprometimento da coluna vertebral Taquicardia (FC≥140 bpm) ou Bradicardia (FC ≤ 40 bpm), acompanhada de: - Hipotensão (PA sistólica ≤ 80mmHg) - Alteração do estado de consciência FR ≤ 10 ou ≥ 36 ipm, acompanhada de: - Incapacidade de falar - Cianose - Letargia e/ou confusão mental - FC ≤ 40 ou ≥ 140 bpm - Saturação de O2 menor que 85% Glasgow ≤ 8

ATENDIMENTO MÉDICO IMEDIATO ENCAMINHAR PARA SALA DE EMERGÊNCIA com sinal sonoro na chegada

TRAUMA MAIOR

CHOQUE

Paciente típico:

 INSUFICIÊNCIA RESPIRATÓRIA

não responsivo sinais vitais instáveis ou ausentes desidratação extrema insuficiência respiratória

COMA
a a

Adaptado por: Enf Amanda de Ornelas e Enf Cacilda G. Santos (atualizado em julho 2012)

2

Santos (atualizado em julho 2012) a a 3 . gastrostomia. etc.Acolhimento com Classificação de Risco (ACCR) SINTOMA/QUEIXA/EVENTO QUALIFICADORES Vitimas de abuso sexual Gestantes com complicações ginecológicas (encaminhar para a ginecologia) Queimaduras (encaminhar direto para o setor de queimados) Ferimentos cortoconfusos (encaminhar direto para sala de sutura) Pacientes escoltados.HSPE – Pronto Socorro . SVD.) Troca de receitas Transcrição de medicações Solicitação de exames pré-operatórios Retirada/Avaliação de resultados de exames Retirada de pontos Atestado médico Declarações de saúde para academias e atividades esportivas Problemas sociais Imunizações Encaminhamentos não urgentes do ambulatório Medicações (com receitas de outros serviços ou de outras datas) CLASSIFICAÇÃO CLÍNICA SINAIS DE ALERTA / OBSERVAÇÕES IMPORTANTES LARANJA AMARELO Clínica médica VERDE Cirurgia geral Assistente social Em casos de doenças infectocontagiosas. fornecer EPI e orientar quanto à utilização SITUAÇÕES ESPECIAIS AZUL Adaptado por: Enf Amanda de Ornelas e Enf Cacilda G. algemados ou ocorrências policiais Acidente pérfuro-cortante com materialbiológico Provável diagnóstico (ou relato de contato) doenças infectocontagiosas Portador de necessidades especiais (deficientes físicos ou mentais) Gestantes ou com crianças de colo Retorno em menos de 24 h sem melhora do quadro Doadores de sangue Troca de sondas (SNE.

Acolhimento com Classificação de Risco (ACCR) SINTOMA/QUEIXA/EVENTO QUALIFICADORES PAS < 80 mmHg ou > 220 mmHg (sem sintomas) PAD > 130 mmHg (sem sintomas) Taquicardia (FC > 140 bpm) ou Bradicardia (FC < 49 bpm) Taquipnéia (FR > 36 ipm) ou Bradipnéia (FR < 10 ipm) Hipertermia (TAX > 40 C) ou Hipotermia (TAX < 35 C) o TAX > 38 C em pacientes imunocomprometidos (pacientes oncológicos transplantados e SIDA) PASentre 180-220 mmHg ou PAD entre 110-130 mmHg Bradicardia (FC entre 50-60 bpm) sem uso de betabloqueador e com sintomalogia o Febre (TAX ≥ 38 C) em imunocompetentes PAS menor que 180 mmHg ou PAD menor que 110 mmHg (e sem sintomalogia) o Febre (TAX < 38 C) Nenhum dos determinantes anteriores História de doença pregressa. sem sinais e/ou sintomas. Santos (atualizado em julho 2012) a a 4 .HSPE – Pronto Socorro . precisando de medicação (receita) o o CLASSIFICAÇÃO CLÍNICA SINAIS DE ALERTA / OBSERVAÇÕES IMPORTANTES LARANJA Em pacientes febris questionar sobre imunodepressão e o uso crônico de corticóides Clínica médica Em pacientes bracadicárdicos questionar sobre o uso de betabloqueadores SINAIS VITAIS ALTERADOS AMARELO VERDE AZUL Adaptado por: Enf Amanda de Ornelas e Enf Cacilda G.

Acolhimento com Classificação de Risco (ACCR) SINTOMA/QUEIXA/EVENTO QUALIFICADORES Sinais vitais alterados Respiração ruidosa e/ou dificuldade de respirar com uso de musculatura acessória FR > 36 ipm Saturação de O2< 84% Obstrução de via aérea Cianose CLASSIFICAÇÃO CLÍNICA SINAIS DE ALERTA / OBSERVAÇÕES IMPORTANTES Em pacientes com saturação de O2baixa questionar sobre patologias pulmonares crônicas e dependências de O2 Cuidado com pacientes com história grave de asma. Santos (atualizado em julho 2012) a a 5 . DPOC. encaminhar diretamente ao ambulatório – 3oandar LARANJA QUEIXAS RESPIRATÓRIAS SINTOMAS GRIPAIS Falta de ar Obstrução nasal Tosse História de asma DPOC Dor intensa (escala de dor: 8 a 10) FR entre 28 e 36 ipm Saturação de O2 entre 85 e 90% (sem dependência de O2) Esforço respiratório leve Dispnéia aos esforços Dor de garganta com febre História de asma / DPOC Dor torácica ao tossir Dor de garganta sem febre Rinorréia purulenta Dor de ouvido o Febre < 38.5 C Dores musculares Dor leve (escala de dor: 5 a 7) Coriza Sinais vitais normais Mal estar geral sem outros sinais e sintomas Clínica médica AMARELO Otorrino VERDE (de 2ª a 6ª feira.HSPE – Pronto Socorro . internações frequentes Atenção: OTORRINO – Em pacientes estáveis. intubação anterior. das 07 às 19h) AZUL Adaptado por: Enf Amanda de Ornelas e Enf Cacilda G.

diabéticos e pacientes com passado de angina. podendo irradiar para o ombro ou braço esquerdo. acompanhada de tosse. Santos (atualizado em julho 2012) a a 6 . pescoço e mandíbula Dor intensa (escala de dor: 8 e 10) Dor em peso. duração. se espontânea ou traumática. facada Com sintomas associados: sudorese. desconforto. náuseas. evidenciada a palpação. fatores que pioram ou melhoram. sinais vitais. irradiação. IAM ou embolia pulmonar AZUL Adaptado por: Enf Amanda de Ornelas e Enf Cacilda G. vômitos. Investigar antecedentes pessoais e familiares. demais fatores de risco e possíveis comorbidades LARANJA (solicitar ECG) DOR TORÁCICA AMARELO Clínica médica VERDE Cuidado com idosos. hipertenso ou histórico de cardiopatia Ter idade maior de 60 anos Dor que piora com a respiração profunda.HSPE – Pronto Socorro . dispnéia ou expectoração Sinais vitais normais Dor leve (escala de dor: 1 a 4) Dor de característica muscular (localizada.Acolhimento com Classificação de Risco (ACCR) SINTOMA/QUEIXA/EVENTO QUALIFICADORES Sinais vitais alterados Dor na região precordial ou retroesternal. uso de medicamentos. dispnéia Sinais vitais normais Dor moderada (escala de dor: 5 a 7) Diabético. aperto. opressão. característica. que piora com movimentos do tronco ou membros superiores) Sem outros sintomas associados e sem história prévia de cardiopatia ou embolia pulmonar Sinais vitais normais Dor crônica CLASSIFICAÇÃO CLÍNICA SINAIS DE ALERTA / OBSERVAÇÕES IMPORTANTES *Nos casos de classificação LARANJA. localização. queimação. preencher solicitação de eletro e encaminhar direto à sala de ECG AVALIAR Intensidade de dor.

Se escala positiva. solicitar ECG. paralisia facial / desvio de rima.HSPE – Pronto Socorro . confusão. Santos (atualizado em julho 2012) a a 7 . Questionar sobre o uso e/ou suspensão de antihipertensivos Em casos de déficit neurológico agudo. aplicar Escala de Cincinnati. agitação) Sudorese intensa (hipoglicemia) Glicemia capilar não mensurável “High” ou “Low” Sinais vitais normais Hiperglicemia – glicemia capilar maior que 300 mg/dl (com sinais de desidratação) Hipoglicemia – glicemia capilar menor que 70 mg/dl Glicemia capilar menor que 300 mg/dl (e sem sinais de desidratação) História de diabetes e precisando de medicação (receita) CLASSIFICAÇÃO CLÍNICA SINAIS DE ALERTA / OBSERVAÇÕES IMPORTANTES LARANJA Fazer glicemia capilar AMARELO VERDE AZUL Clinica médica Questionar sobre a ingestão de alimentos e de hipoglicemiantes/insulina DIABETES Adaptado por: Enf Amanda de Ornelas e Enf Cacilda G. distúrbio do equilíbrio diminuição de força muscular) (até 4 horas e meia) Dor torácica sugestiva de isquemia + ECG Alteração da visão PAS > 220 mmHg ou PAD > 130 mmHg (sem sintomas) PAS ≥ 160 mmHg ou PAD ≥ 100 mmHg em gestantes Alteração do estado de consciência (Glasgow entre 9 e 13) PAS ENTRE 180-220 mmHg ou PAD entre 110-130mmHg (com sintomalogia) PAS menor que 180 mmHg ou PAD menor que 110 mmHg (e sem sintomalogia) História de hipertensão arterial e precisando de medicação (receita) CLASSIFICAÇÃO CLÍNICA VERMELHO Clínica médica LARANJA AMARELO VERDE AZUL Neuroclinica PRESSÃO ALTA SINAIS DE ALERTA / OBSERVAÇÕES IMPORTANTES Cuidado com gestantes Investigar história pregressa de hipertensão arterial. disfasia. ataxia. encaminhar para neuroclínica (confirmar plantonista – se não houver. SINTOMA/QUEIXA/EVENTO QUALIFICADORES Sinais vitais alterados Alteração do estado mental (letargia.Acolhimento com Classificação de Risco (ACCR) SINTOMA/QUEIXA/EVENTO QUALIFICADORES PAS > 220 mmHg ou PAD > 130 mmHg (com sintomas) Com déficit neurológico agudo (paresia. plegia. encaminhar direto para sala de emergência) Em casos de dor torácica como sintoma associado. afasia.

HSPE – Pronto Socorro . pacientes com histórico de IAM. turgor pastoso. Santos (atualizado em julho 2012) a a 8 . diabéticos. com dor na região superior do abdômen e em mulheres em idade fértil com atraso menstrual VERDE AZUL Adaptado por: Enf Amanda de Ornelas e Enf Cacilda G. hipotensão com taquicardia) Febre ou relato de febre Retenção urinária aguda com bexigoma Disúria intensa com polaciúria e/ou hematúria Prostração. palidez cutânea ou sudorose Relato de cólica renal Sinais vitais normais Dor leve (escala de dor: 1 a 4) Náuseas ou relatos e/ou diarréia sem sinais de desidratação Disúria Constipação acentuada Nenhum dos determinantes anteriores com sinais vitais normais Constipação intestinal crônica sem outros sintomas associados CLASSIFICAÇÃO CLÍNICA SINAIS DE ALERTA / OBSERVAÇÕES IMPORTANTES LARANJA DOR ABDOMINAL QUEIXAS ABDOMINAIS QUEIXAS URINÁRIAS QUEIXAS GINECOLÓGICAS Cirurgia geral Ginecologia AMARELO Clínica médica Cuidado com pacientes idosos.Acolhimento com Classificação de Risco (ACCR) SINTOMA/QUEIXA/EVENTO QUALIFICADORES Sinais vitais alterados Dor intensa (escala de dor: 8 a 10) Dor abdominal alta (ver dor torácica) Associações: náuseas. vômitos e sudorese Sangramento vaginal com possível gravidez Hematêmese (vômitos com sangue) Enterorragia (perda de sangue nas fezes) Ter idade maior que 60 anos Dor moderada (escala de dor: 5 a 7) Possível gravidez Distensão abdominal Vômitos/diarréia com sinais de desidratação (mucosas ressecadas.

Acolhimento com Classificação de Risco (ACCR) SINTOMA/QUEIXA/EVENTO QUALIFICADORES Alteração do nível de consciência (Glasgow entre 9 a 13) Respiração inadequada o Febre alta (temperatura axilar maior que 39 C) Dor abdominal intensa Hematêmese (vômitos com sangue) Enterorragia (perda de sangue nas fezes) CLASSIFICAÇÃO CLÍNICA SINAIS DE ALERTA / OBSERVAÇÕES IMPORTANTES LARANJA DIARRÉIA VÔMITOS Vômitos com estrias de sangue Fezes com estrias de sangue Dor moderada (escala de dor: 5 a 7) o Febre moderada (temperatura axilar entre 38 a 39 C) Sinais de desidratação (mucosas ressecadas. Santos (atualizado em julho 2012) a a 9 .HSPE – Pronto Socorro .5 a 38 C) Evento recente Nenhum dos determinantes anteriores Clínica médica AMARELO VERDE AZUL Adaptado por: Enf Amanda de Ornelas e Enf Cacilda G. hipotensão acompanhada de taquicardia) Diarréia persistente (mais que 5 episódios/dia) Vômito persistente (mais que 5 episódios/dia) Dor aguda leve (escala de dor: 1 a 4) Vômitos esporádicos (menos que 5 episódios/dia) Diarréia esporádica (menos que 5 episódios/dia) o Febre baixa (temperatura axilar entre 37. turgor pastoso.

HSPE – Pronto Socorro .Acolhimento com Classificação de Risco (ACCR) SINTOMA/QUEIXA/EVENTO QUALIFICADORES Sangramento acompanhado de sinais vitais alterados Epistaxe franca (sangramento nasal) Sangramento vaginal com sinais vitais alterados Sangramento vaginal gestantes (encaminhar direto para ginecologia) Hemoptise franca (tosse com grande presença de sangue) Alteração do nível de consciência (Glasgow entre 9 e 13) Dor intensa (escala de dor: 8 a 10) Hematêmese (vômitos com sangue) Enterorragia (perda de sangue nas fezes) Vômitos com estrias de sangue Fezes com estrias de sangue Sangramento acompanhado de sinais vitais normais Epistaxe moderada (sangramento nasal) Dor moderada (escala de dor: 4 a 7) Sangramento vaginal não menstrual Distúrbio de coagulação Hemorroidas com sangramento ativo e/ou dor Sinais vitais normais Dor leve (escala de dor: 1 a 4) Relato de epistaxe (não evidenciado) Relato sangramentos em pequenas quantidades (estrias de sangue) Sangramento vaginal em mulheres não grávidas Hemorróidas sem sangramento ativo e/ou dor Nenhum dos determinantes anteriores CLASSIFICAÇÃO CLÍNICA SINAIS DE ALERTA / OBSERVAÇÕES IMPORTANTES LARANJA HEMORRÓIDA SANGRAMENTOS Hematêmese Hematoquezia Melena Hemoptise Epistaxe Metrorragia Cirurgia geral Ginecologia AMARELO Clínica médica Cuidados com pacientes cirróticos. portadores de coagulopatias e gestantes VERDE AZUL Adaptado por: Enf Amanda de Ornelas e Enf Cacilda G. Santos (atualizado em julho 2012) a a 10 . usuários de anticoagulantes.

paralisia facial / desvio de rima. hematomas.Acolhimento com Classificação de Risco (ACCR) SINTOMA/QUEIXA/EVENTO QUALIFICADORES Com déficit neurológico agudo (paresia. afasia. encefalites Em casos de déficits neurológicos agudo. distúrbio do equilíbrio. Santos (atualizado em julho 2012) a a 11 . meningite.HSPE – Pronto Socorro . plegia. ataxia. disfasia. aplicar Escala Cincinnati. diminuição de força muscular (até 4 horas e meia) Sinais vitais alterados PAS >220 mmHg ou PAD > 130 mmHg Dor intensa (escala de dor: 8 a 10) Rigidez na nuca Alteração do nível de consciência (Glashow ente 9 e 13) Manchas púrpuras na pele Diminuição e/ou perda aguda da visão Sinais vitais normais História de inconsciência Dor em região temporal Dor moderada (escala de dor: 5 a 7) Náuseas e vômitos associados Sinais vitais normais Dor leve (escala de dor: 1 a 4) Dor facial com rinorréia Relato de febre Dor crônica ou recorrente sem piora aparente Sinais vitais normais CLASSIFICAÇÃO CLÍNICA SINAIS DE ALERTA / OBSERVAÇÕES IMPORTANTES VERMELHO LARANJA CLÍNICA MÉDICA NEUROCLÍNICA AMARELO Cuidados com hemorragia subaracnóidea. Se escala positiva. encaminhar para neuroclínica (confirmar plantonista se não houver encaminhar direto para sala de emergência) CEFALÉIA VERDE AZUL Adaptado por: Enf Amanda de Ornelas e Enf Cacilda G.

encaminhar para neuroclínica (confirmar plantonista – se não houver. neurolépticos e abstinência de álcool e drogas VERDE AZUL Adaptado por: Enf Amanda de Ornelas e Enf Cacilda G.HSPE – Pronto Socorro . rigidez muscular Distúrbio súbito do equilíbrio. aplicar Escala de Cincinnati. hipertonicidade. dormência) Tontura rotatória Sinais vitais normais Crise convulsiva há mais de 12 horas e alerta Dor moderada (escala de dor: 5 a 7) Tontura não rotatória Parestesias bilaterais ou migratórias Sinais vitais normais História de crise convulsiva/epilepsia e precisando de medicação (receita) CLASSIFICAÇÃO VERMELHO CLÍNICA SINAIS DE ALERTA / OBSERVAÇÕES IMPORTANTES Em casos de déficit neurológico agudo. disfasia. Santos (atualizado em julho 2012) a a 12 . encaminhar direto para sala de emergência) QUEIXAS NEUROLÓGICAS CONVULSÃO DESMAIO SÍNCOPE TONTURA Clínica médica Neuroclínica AMARELO Avaliar uso ou interrupção de anticonvulsivantes. ou ainda em casos de crises convulsivas. ataxia. plegia. associado a náuseas/vômitos História de overdose ou envenenamento História de trauma craniano recente Sinais vitais normais Em estado pós-comicial e alerta Relato de primeira crise convulsiva Crise convulsiva há menos de 12 horas Relato de desmaio ou sincope Cafaléia intensa (escala de dor: 8 a 10) com início súbito Hemiparestesia (formigamento. afasia. paralisia facial) – Até 4 horas e meia. LARANJA Se escala positiva.Acolhimento com Classificação de Risco (ACCR) SINTOMA/QUEIXA/EVENTO QUALIFICADORES Com crises repetitivas e sem recuperação completa de consciência entre as mesmas Com déficitneurológico agudo (paresia. Sinais vitais alterados Glasgow entre 9 e 13 Piora de sequela neurológica prévia Em estado pós comicial e torporoso/comatoso Rigidez de nuca.

Acolhimento com Classificação de Risco (ACCR) SINTOMA/QUEIXA/EVENTO QUALIFICADORES Alteração do nível de consciência (Glasgow entre 9 e 13) Confusão mental Cefaléia intensa (escala de dor: 8 a 10) Dor cervical Otorragia Náuseas / vômitos Crise convulsiva Ferimento perfurante ou penetrante Dificuldade respiratória Nível de consciência normal (Glasgow entre 14 e 15) Cefaléia moderada (escala de dor: 5 a 7) Relato de inconsciência Hematoma subgaleal (com sintomas) Cefaléia leve (escala de dor: 1 a 4) Trauma de baixo impacto Nível de consciência normal e alerta (Glasgow de 15) Evento traumático sem sintomas há mais de 12 horas Hematoma subgaleal (sem sintomas) Nenhum dos determinantes anteriores CLASSIFICAÇÃO CLÍNICA SINAIS DE ALERTA / OBSERVAÇÕES IMPORTANTES LARANJA Ver escala de coma de Glasgow Cirurgia Geral AMARELO Avaliar possível deterioração do padrão neurológico Em casos de politrauma com TCE associado. priorizar o TCE para classificação TCE VERDE AZUL Adaptado por: Enf Amanda de Ornelas e Enf Cacilda G. Santos (atualizado em julho 2012) a a 13 .HSPE – Pronto Socorro .

HSPE – Pronto Socorro . Santos (atualizado em julho 2012) a a 14 . encaminhar para cirurgia geral VERDE AZUL Adaptado por: Enf Amanda de Ornelas e Enf Cacilda G. fratura de costelas e acidentes automobilísticos Ortopedia QUEIXAS ORTOPÉDICAS TRAUMA AMARELO Cirurgia Geral Se histórico de trauma.Acolhimento com Classificação de Risco (ACCR) SINTOMA/QUEIXA/EVENTO QUALIFICADORES Sinais vitais alterados Dor intensa (escala de dor: 8 a 10) Palidez cutânea e sudorese fria Estado de consciência normal Sinais/sintomas menos grave em múltiplos sistemas Relato de perda de consciência Fraturas com deformidades ou desalinhadas Dor ou instabilidade na pelve Sinais vitais normais Dor moderada (escala de dor: 5 a 7) Estado de consciência normal Luxações e distensões Fratura sem deformidade ou alinhadas Ferimentos sem sangramento ativo Trauma torácico leve sem dispnéia Sinais vitais normais Dor leve (escala de dor: 1 a 4) Contusões e escoriações Evento traumático há mais de 6 horas Dores musculares Nenhum dos determinantes anteriores CLASSIFICAÇÃO CLÍNICA SINAIS DE ALERTA / OBSERVAÇÕES IMPORTANTES LARANJA Cuidado com relato de perda de consciência.

Santos (atualizado em julho 2012) a a 15 .HSPE – Pronto Socorro .Acolhimento com Classificação de Risco (ACCR) SINTOMA/QUEIXA/EVENTO QUALIFICADORES Sinais vitais alterados Dor intensa (escala de dor: 8 a 10) Manifestações hemorrágicas Rigidez de nuca Manchas púrpuras na pele Sinais de isquemia (palidez cutânea. diminuição ou ausência de pulso distal) Dor moderada (escala de dor: 5 a 7) Sem sinais de isquemia Limitação importante de movimento/função Febre associada Sinais flogísticos locais Dor leve (escala de dor: 1 a 4) Limitação leve dois movimentos Sem perda da função Edemia articular Nenhum dos determinantes anteriores CLASSIFICAÇÃO CLÍNICA SINAIS DE ALERTA / OBSERVAÇÕES IMPORTANTES LARANJA Ortopedia Clínica médica AMARELO Cirurgia geral Atentar ao histórico da queixa e comorbidades DOR NA COLUNA (cervical. dorsal e lombar) DOR EM EXTREMIDADES (sem história de trauma) VERDE AZUL Adaptado por: Enf Amanda de Ornelas e Enf Cacilda G. diminuição da temperatura distal.

das 07 às 19h) DOR DE GARGANTA Adaptado por: Enf Amanda de Ornelas e Enf Cacilda G. coriza.HSPE – Pronto Socorro .1C) Dor intensa (escala de dor: 8 a 10) Dificuldade para deglutir Dor de garganta com placas sem sinais de toxemia Febre moderada (temperatura axilar entre 38 a 39 C) Ardência na garganta Febre baixa (temperatura axilar entre 37.Acolhimento com Classificação de Risco (ACCR) SINTOMA/QUEIXA/EVENTO QUALIFICADORES Sinais vitais alterados Estridor laríngeo Dor de garganta com placas purulentas e sinais e toxemia Febre alta (temperatura axilar maior que 39. Santos (atualizado em julho 2012) a a 16 . encaminhar diretamente ao ambulatório – 3oandar (de 2ª a 6ª feira. obstrução nasal Nenhum dos determinantes anteriores CLASSIFICAÇÃO CLÍNICA SINAIS DE ALERTA / OBSERVAÇÕES IMPORTANTES ATENÇÂO LARANJA Otorrino AMARELO VERDE AZUL Clínica médica OTORRINO – Em pacientes estáveis.5 a 38C) Tosse.

encaminhar diretamente para a oftalmologia – pronto socorro (todos os dias. a qualquer horário) QUEIXAS OCULARES VERDE AZUL Adaptado por: Enf Amanda de Ornelas e Enf Cacilda G. Santos (atualizado em julho 2012) a a 17 .Acolhimento com Classificação de Risco (ACCR) SINTOMA/QUEIXA/EVENTO QUALIFICADORES Sinais vitais alterados Dor intensa (escala de dor: 8 a 10) Ferimento com sangramento ativo nos olhos Sinais vitais normais Dor moderada (escala de dor: 5 a 7) Perda visual súbita ou diplopia súbita Olhos avermelhados Celulite peri-orbitária Dor leve (escala de dor: 1 a 4) Prurido ocular sem outro sintoma associado Terçol Calázio Nenhum dos determinantes anteriores CLASSIFICAÇÃO CLÍNICA SINAIS DE ALERTA / OBSERVAÇÕES IMPORTANTES LARANJA ATENÇÂO AMARELO Oftalmologia Em pacientes estáveis.HSPE – Pronto Socorro .

cetose ou desidratação Sudorese intensa (hipoglicemia) Quadro depressivo moderado Agitação psicomotora menos intensa Pensamento suicida Risco de evasão Envolvimento com ocorrências policiais História de doença psiquiátrica Gesticulando. alucinação.HSPE – Pronto Socorro . letargia Quadro depressivo grave (choro inconsolável) Hipertonicidade e rigidez muscular Alterações de consciência por álcool e/ou drogas História de overdose ou envenenamento Sinais vitais alterados Hiperglicemia. Santos (atualizado em julho 2012) a a 18 . confusão. mas não agitado Humor deprimido Perda de interesse por atividades (depressão leve) Capaz de interagir como acolhedor/cuidador Depressão crônica ou recorrente Insônia História de distúrbio psiquiátrico precisando de medicação (troca de receita) CLASSIFICAÇÃO CLÍNICA SINAIS DE ALERTA / OBSERVAÇÕES IMPORTANTES LARANJA DISTÚRBIOS PSIQUIÁTRICOS ÁLCOOL E DROGAS ALTERAÇÕES DE COMPORTAMENTO Cuidado com hipóxia e hipoglicemia Clínica médica AMARELO Psiquiatria Fazer glicemia capilar Avaliar abstinência de álcool e drogas Avaliar histórico de doença psiquiátrica VERDE AZUL Adaptado por: Enf Amanda de Ornelas e Enf Cacilda G.Acolhimento com Classificação de Risco (ACCR) SINTOMA/QUEIXA/EVENTO QUALIFICADORES Estado mental alterado (delírio. pânico) Autoagressividade e heteroagressividade Tentativa de suicídio / homicídio Agitação psicomotora intensa Convulsão. déficit neurológico agudo.

hipoglicemiante oral. antidepressivos. e outras substâncias/ drogas VERDE AZUL Adaptado por: Enf Amanda de Ornelas e Enf Cacilda G. paracetamol. dispnéia Dificuldade de falar Dor abdominal e vômitos Edema facial ou de língua Histórico de convulsão associado Sinais vitais normais Agitação psicomotora Prurido e/ou irritação intensa História de doença psiquiátrica Acidente pérfuro-cortante com material biológico Relato de ingestão/inalação/contato com alguma substância há menos de 6 horas SEM sintomas Sinais vitais normais Alterações dérmicas locais Ingestão/ inalação/ contato tardio e sem sintomas LARANJA Clínica médica AMARELO Cuidado com ingestão de anticonvulsivantes. Santos (atualizado em julho 2012) a a 19 .Acolhimento com Classificação de Risco (ACCR) SINTOMA/QUEIXA/EVENTO QUALIFICADORES CLASSIFICAÇÃO CLÍNICA SINAIS DE ALERTA / OBSERVAÇÕES IMPORTANTES REAÇÃO ALÉRGICA ANAFILAXIA INTOXICAÇÕES ENVENENAMENTO Sinais vitais alterados Relato de ingestão/inalação/contato com alguma substância há menos de 6 horas com sintomas Estado mental alterado Respiração ruidosa. sulfato ferroso. antiarrítmicos. anti-hipertensivos. betabloqueadores.HSPE – Pronto Socorro . digoxina. ineficaz.

pulso fino.HSPE – Pronto Socorro .Acolhimento com Classificação de Risco (ACCR) SINTOMA/QUEIXA/EVENTO QUALIFICADORES Sinais vitais alterados com repercussão hemodinâmica Dor intensa (escala de dor: 8 a 10) Sinais vitais normais Edema generalizado (anasarca) Edema localizado com sinais flogísticos e alterações sistêmicas Icterícia aguda Prostrado febril. síncope postural) Sinais vitais normais Edema localizado de início recente sem sinais flogísticos e sem alterações sistêmicas Fraqueza ou câimbras sem outros sintomas Edema localizado crônico sem sinais flogísticos Atraso ou alteração menstrual sem outros sintomas CLASSIFICAÇÃO LARANJA CLÍNICA SINAIS DE ALERTA / OBSERVAÇÕES IMPORTANTES SINAIS E SINTOMAS GERAIS Edema Icterícia Fraqueza Cãimbras Atraso ou alteração menstrual AMARELO Clínica médica VERDE AZUL Adaptado por: Enf Amanda de Ornelas e Enf Cacilda G. pele fria. desidratado e com sinais de toxemia (palidez acentuada. sudorese. Santos (atualizado em julho 2012) a a 20 .

Santos (atualizado em julho 2012) a a 21 . das 07 às 11h) VERDE ALTERAÇÕES CUTÂNEAS FERIDAS ABCESSOS AZUL Adaptado por: Enf Amanda de Ornelas e Enf Cacilda G.Acolhimento com Classificação de Risco (ACCR) SINTOMA/QUEIXA/EVENTO QUALIFICADORES Sinais vitais alterados Ferida com sangramento não compressível (encaminhar direto para sala de sutura) Com estridor laríngeo ou dificuldade de falar Comprometimento vascular distal Dor intensa (escala de dor: 8 a 10) Sinais vitais normais Ferida com sangramento compressível (encaminhar direto para sala de sutura) Ferida infectada com sinais sistêmicos (toxemiado.HSPE – Pronto Socorro . superficial e sem sangramento ou hematoma Abcesso e ferida infectada sem sinais sistêmicos Urticária ou prurido moderado Dor aguda leve (escala de dor: 1 a 4) Quadro crônico ou recorrente Feridas com sinais flogísticos locais Miase com infestação intensa Infecção local Escara ou necrose sem sinais sistêmicos Retirada de pontos Controle de úlceras crônicas CLASSIFICAÇÃO CLÍNICA SINAIS DE ALERTA / OBSERVAÇÕES IMPORTANTES LARANJA Cuidados com idosos e diabéticos Dermatologia AMARELO Clinica médica Cirurgia Geral Atenção: Em pacientes estáveis. prostrado e febril) Urticária ou prurido generalizado intenso Dor moderada (escala de dor: 5 a 7) Acidente pérfuro-cortante com material biológico Ferida pequena. encaminhar diretamente ao ambulatório da dermatologia – 4º andar (de 2ª a 6ª feira.

Acolhimento com Classificação de Risco (ACCR) SINTOMA/QUEIXA/EVENTO QUALIFICADORES Sinais vitais alterados Feridas com sangramento não compressível (encaminhar direto para sala de sutura) Com estridor laríngeo ou dificuldade de falar Dor intensa (escala de dor: 8 a 10) Urticária ou prurido generalizado intenso Sinais vitais normais Ferida com sangramento compressível (encaminhar direto para sala de sutura) Ferida infectada com sinais sistêmicos (toxemiado. Santos (atualizado em julho 2012) a a 22 . prostrado e febril) Acidente com animal peçonhento Dor moderada (escala de dor: 5 a 7) Mordedura (humana ou animal) Prurido intenso ou urticária Ferida pequena. superficial e sem sangramento ou hematoma Abcesso e ferida infectada sem sinais sistêmicos Dor aguda leve (escala de dor: 1 a 4) Sinais flogísticos locais Miíase com infestação intensa Retirada de pontos Escara ou necrose sem sinais sistêmicos CLASSIFICAÇÃO CLÍNICA SINAIS DE ALERTA / OBSERVAÇÕES IMPORTANTES LARANJA MORDEDURAS Animal e humana ACIDENTES COM ANIMAIS PEÇONHENTOS PICADAS DE INSETOS AMARELO Clínica médica Cirurgia geral Atenção com idosos e diabéticos VERDE AZUL Adaptado por: Enf Amanda de Ornelas e Enf Cacilda G.HSPE – Pronto Socorro .