You are on page 1of 12

UNISAL - Engenharia Ambiental

5° – 2013

DETERMINAÇÃO DO COEFICIENTE DE DIFUSÃO (DAB)
Transferência de Massa
Dáffiny M. Neves Jr /110014814 Guilherme Gustavo Nascimento/110015064 Juliana da Silva Domiciano/110051248 Rita de Cássia Whitehead /110015704

Professora: Ana Claudia Tresmondi

JUNHO/2013

aproximações.2 RESUMO Este experimento teve como objetivo a determinação experimental do coeficiente de difusão (DAB) do éter etílico em regime quase-permanente. volatilidade. o resultado obtido experimentalmente apresentou valor próximo a 0. regime quase-permanete. etc o método em questão se mostrou eficiente para determinação do DAB. Para tanto. Palavras-chave: Coeficiente de difusão. Levando em conta erros de medidas.908 m2/s para uma temperatura de 293 K. . Fora aferida a taxa de evaporação do produto químico (éter etílico) no ar levando em conta a volatilidade do produto químico e o cuidado para não haver contato com o usuário. O coeficiente de difusão (DAB) teórico consultado fora de 0.88357 m2/s.

..... INTRODUÇÃO ......CONCLUSÃO .....................MATERIAIS E MÉTODOS ........... ............................................................................... MEMORIAL DE CÁLCULO ..........04 2...........................................09 5................06 3..........................................................................................................................07 ....................................................... RESULTADOS E DISCUSSÕES .......07 Tabela 2: Difusividades Mássicas em Sistemas Binários Gasosos..........3 SUMARIO RESUMO ........................................................................10 6.......................................12 Lista de Tabela Tabela 1: Dados obtidos experimentalmente..............REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ................02 1...........................................................................................................................12 Lista de Gráfico Gráfico 1: L2 em função do tempo (s).....07 4............................................................................................................11 ANEXO A ............................................................................................................................................................................................................

2013) “O fluxo de massa ocorre no sentido das regiões de alta para os de baixa concentração. O conjunto soluto/solvente. Esta substância que é transferida denomina-se soluto. A este fenômeno denomina-se difusão molecular de massa”. O teor da resposta de reação desse movimento. Esse .” Ambas constituem o meio onde ocorrerá o fenômeno de transferência de massa. processo este no qual porções do fluido são transportados de uma região a outra do escoamento em escala macroscópica. as quais são denominadas de solvente. (CORTEZ. ou mols) de uma região de maior a outra de menor concentração de uma determinada substância química. (CORTEZ.4 1. está associado à resistência oferecida pelo meio ao transporte do soluto como: ( ) ( ) “A transferência de massa pode ocorrer em nível macroscópico. num sistema ocorre de maneira análoga. é conhecido como mistura (para gases) ou solução (para líquidos). Segundo CORTEZ (2013) baseado na segunda lei da termodinâmica (dS ≥ 0). A transferência de massa. (CORTEZ. em virtude dessa ação da força motriz. no laboratório. por sua vez. As regiões que contêm o soluto podem abrigar população de uma ou mais substância químicas distintas do soluto. na cozinha. “haverá fluxo de matéria (ou massa. 2013) A transferência de calor é promovida pelos gradientes de temperatura. por sua vez. A diferença de concentração do soluto traduz-se em força motriz necessária ao movimento da espécie considerada de uma região a outra.INTRODUÇÃO A transferência de massa pode ser observada na indústria. no corpo humano e em todo lugar em que há diferença de “concentração” de uma determinada espécie para que ocorra o seu transporte. Essa ação externa relaciona-se com as características dinâmicas do meio e geometria do lugar onde ele se encontra. cuja força motriz é a diferença de concentração e a resistência ao transporte está associada à interação soluto/meio + ação externa. 2013) O transporte de massa pode também estar associado com a convecção.

contribuição difusiva: transporte de matéria devido às interações moleculares. o movimento das espécies (soluto) no meio.” (CORTEZ. . Por outro lado.contribuição convectiva: auxílio ao transporte de matéria como consequência do movimento do meio. 2013) Na transferência de massa há diversas contribuições. . mas as principais são: . é conhecido como difusão.5 fenômeno é conhecido como convecção mássica.

e medida foi feita da boca do tubo até a altura que estava o líquido.6 2. Os pontos L(t). L = altura da coluna de ar sobre o éter (m) t = tempo (s) Através do gráfico devemos obter a equação para ajuste dos dados experimentais: y= ax + b (1) O coeficiente “a” corresponderá ao seguinte termo: [ Ρliq = massa específica do éter etílico (Kg/m3) MA = massa molecular do éter (Kg/Kg∙mol) P = pressão atmosférica no dia do experimento (Pa) DAB = difusividade do éter em ar (m²/s) R = constante universal dos gases ideais (m³∙Pa/ Kg∙mol∙K) T = temperatura ambienta (K) PAsat = pressão de vapor do éter na temperatura do experimento (Pa) Para determinar o valor de PAsat utilizamos a equação de Antoine: Ln = (3) ] (2) . utilizamos um tubo de ensaio. temperatura e pressão do ambiente em que estava sendo feito o experimento. a temperatura em que se encontrava o éter. termômetro. uma quantidade de éter e esperou-se cerca de 10 minutos para que o líquido atingisse seu regime quase-permanente. No início do experimento.MATERIAIS E MÉTODOS Para este experimento. A cada 10 minutos mediu-se a altura do líquido [L(t)]. neste momento mediu-se a altura em que o líquido se encontrava no tubo. necessitou-se fazer o tratamento dos dados experimentais. e foi considerada como altura inicial (L0). temperatura e pressão do ambiente. Inseriu-se no tubo. Para obtenção do coeficiente de difusão DAB. régua e Éter. mediu-se o comprimento total (Ltotal) do tubo de ensaio. foram tratados em termos da relação L² versus t (linear).

4 3.60E-02 2.3 3.Resultados e discussões Abaixo segue tabela com os resultados obtidos experimentalmente: Tabela 1: Dados obtidos experimentalmente. Tempo (min) Tempo (s) L(cm) L (metros) L2 10 600 2.7 2.40E-02 5. Gráfico 1: L2 em função do tempo (s).23E-03 1.20E-03 1.00E-04 0 2000 4000 6000 8000 Tempo (s) 10000 12000 14000 16000 L(m^2) y = 7E-08x + 0.7 3.00E-03 8.00E-02 3.30E-02 3.70E-02 3.5 3.60E-02 3.37E-03 1.50E-02 3. 1.90E-02 3.9955 .52E-03 Pressão (mmHg) 694 694 694 694 694 694 694 694 694 694 694 694 694 T (°C) 20 20 20 20 20 20 20 20 20 20 20 20 20 Para tanto.30E-03 1.41E-04 9.0005 R² = 0.00E-04 2.9 3 3. de acordo com tabela acima construiu o gráfico L2 em função do tempo (s).4 2.00E-04 4.29E-04 8.90E-02 6.15E-02 3.52E-03 1.90E-02 3.00E-04 9.76E-04 30 50 70 90 110 130 150 170 190 210 230 250 1800 3000 4200 5400 6600 7800 9000 10200 11400 12600 13800 15000 2.00E-04 6.70E-02 2.7 3.92E-04 1.60E-03 1.6 3.40E-03 1.40E-02 3.76E-04 7.9 3.9 2.15 3.09E-03 1.16E-03 1.6 2.

K e 74.mol. . Com base nos dados acima.mol.0539 Pa já convertido (de mmHg para Pa). buscou-se o valor teórico da difusividade do éter etílico no ar para a temperatura de 293.34 m3. para se obtiver o coeficiente angular da reta de ajuste. apresentou valor de 8314. Em seguida construiu-se um gráfico L² x t. Buscou-se na literatura a densidade do éter da qual apresenta valor de 713.908 m²/s.12 Kg/Kg. Da literatura.883571445 m2/s. Em seguida. A equação da reta obtida foi de: y = 7E-08x + 0. na literatura consultado. O valor de R (constante universal dos gases perfeitos) e MA. aplicam-se os resultados obtidos na equação (1) resultando em 0. serão utilizados para obtenção do coeficiente de difusão do éter etílico (DAB). em torno de 20°C e 694 mmHg. Assim.40 kg/m³.9955. define-se o coeficiente angular da reta como α = 7E-08m2/s. Para o cálculo de obtém-se por meio da equação (2) assumindo valor de 52.Pa/Kg. O valor mais próximo encontrado foi para a temperatura de 293K. respectivamente. que será utilizado na obtenção do coeficiente de difusividade.0005 obtendo R² = 0.15K (20ºC) (ANEXO A).8 A temperatura e a pressão atmosférica durante o experimento apresentou-se constante. sendo DAB = 0.614. a temperatura e a pressão atmosférica.

Constatou-se que o experimento realizado para a determinação do coeficiente de difusividade do éter etílico no ar pôde gerar um valor com boa aproximação do valor teórico. para a temperatura de 293.Conclusão Foi obtido experimentalmente o valor de DAB = 0. . O método adotado constatou-se eficiente na determinação experimental do coeficiente de difusividade do éter no ar.908 m²/s. Da literatura.9 4. conversões. obteve-se o valor teórico de DAB = 0. etc.88357 m²/s. para a temperatura de 293K. considerando erros de aproximação de resultados.15K.

10 5.pdf. 2013. Gilberto Garcia.usp. Fênomenos do Transporte III – Aula 01. Engenharia Química – USP. Referências Bibliográficas CORTEZ. Disponível em: http://sistemas.br/docentes/arquivos/5840841/LOQ4054/FenomenosdeTransport eIII-AULA1-2013.eel. Acessado em: 08/06/13 às 14:30 .

5x10E-03 mmHg. C=228. B=1064.92.7. Ln = = 419.11 6. valores tabelados e T=20°C.992. Cálculo do DAB: assume [ Substituindo os valores temos: 7E10-08 [ ] ] . Memória de Cálculo Cálculo da pressão de vapor do éter etílico.9439395 mmHg Com a relação de 1Pa igual a 7.8 para o éter etílico.52526 Pa. por meio da Equação de Antoine: Ln = Onde A= 6. O valor de será em mmHg necessitando converte-lo para Pa. o valor de 55.

908 0.0883 0.923 1.124 0.337 0.198 0.0709 0.132 0.136 0.894 1.236 0.641 4.0896 0.378 0.0834 0.162 0.26 2.0868 0.735 0.845 1.974 0.122 0.473 0.0611 0.12 ANEXO A Tabela 2: Difusividades Mássicas em Sistemas Binários Gasosos Sistema Ar Amônia Anilina Benzeno Bromo Dióxido de Carbono Disulfito de Carbono Cloro Difenila Acetato de Etila Etanol Éter Etílico Iodo Metanol Mercúrio Naftaleno Nitrobenzeno n-Octano Oxigênio Acetato de Propila Dióxido de Enxofre Tolueno Água T(K) 273 298 298 293 273 273 273 491 273 298 293 298 298 614 298 298 298 273 315 273 298 298 DAB P (cm2atm/s) DABP(m Pa/s) 2 0.621 0.16 0.718 1.006 0.0602 0.773 0.61 1.0726 0.932 1.619 0.791 0.092 0.634 .879 0.855 2.091 0.256 1.0844 0.0962 0.175 0.