You are on page 1of 110

Desenvolvendo a Argumentação

Sólida
Sergio Navega Bauru – Maio 2012

Conteúdo Desta Palestra

Cognição, Linguagem e Inteligência Argumentação: O Formato Padrão Quatro Critérios dos Bons Argumentos Mini Enciclopédia das Falácias Analisando Casos Práticos

© Sergio Navega

www.intelliwise.com.br

snavega@intelliwise.com.br

2

O Aprendizado Infantil

Aprendizado Bottom-Up
© Sergio Navega
www.intelliwise.com.br

A criança tem na experiência pura sua principal atividade cognitiva. A atividade preponderante desta fase é categorizar o mundo para só depois iniciar o processo de associação simbólica com suas sensações e conceitos

snavega@intelliwise.com.br

3

O Aprendizado do Adulto
Muito do aprendizado do adulto vem de forma proposicional. É preciso intenso esforço reflexivo para transformar esse conhecimento linguístico em conhecimento tácito, interno e potencialmente auxiliador de nossas atividades diárias

Aprendizado Top-Down
snavega@intelliwise.com.br 4

© Sergio Navega

www.intelliwise.com.br

Palavras Com Significado Diferente

S S
Inteligência

Conhecimento

Informação

Qual a relação entre esses conceitos? Quais as diferenças entre eles?

© Sergio Navega

www.intelliwise.com.br

snavega@intelliwise.com.br

5

Inteligência

Conhecimento

Informação © Sergio Navega
www.intelliwise.com.br snavega@intelliwise.com.br 6

br 7 . Envolve habilidades para fazer emergir conhecimentos. desenvolver. produzir.Importantes Distinções Entre Essas Palavras TER CONHECIMENTO Dispor de informações capazes de produzir comportamentos úteis. É ATIVIDADE (dinâmica) © Sergio Navega www.com.intelliwise. Dispor de informações capazes de instruir outros a obter esses resultados úteis.com.br snavega@intelliwise. inventar) conhecimento novo. É um ESTADO (estático) SER INTELIGENTE É ser capaz de gerar (criar.

para enfrentar os desafios que temos pela frente. pois é isso o que nos torna aptos a gerar bons resultados para nós e para a sociedade. RACIONALIDADE SER INTELIGENTE É importante ser inteligente.Ideias Associadas TER CONHECIMENTO É importante ter conhecimento. esforço e instrução © Sergio Navega www. ainda assim é possível ampliar nosso potencial através de dedicação.intelliwise.br snavega@intelliwise. pois é assim que conseguimos gerar novos conhecimentos. CRIATIVIDADE Embora boa parte de nossa inteligência seja determinada por nossa carga genética.com.br 8 .com.

br 9 .br snavega@intelliwise. se estivesse na entrada de uma organização de defesa da mata virgem) © Sergio Navega www. já que podem ser compreendidos dependendo do contexto em que certas imagens estiverem sendo exibidas (como neste caso.com.com.Alguns argumentos poderiam dispensar palavras.intelliwise.

br snavega@intelliwise.intelliwise.Refletir sobre significado de palavras já indica ideia argumentativa © Sergio Navega www.br 10 .com.com.

br snavega@intelliwise. No entanto. assim como a complexidade dos estudos efetuados. não podemos esquecer que o consenso sobre a necessidade de qualificação deve passar por modificações independentemente das condições financeiras e administrativas exigidas.br 11 . existem dúvidas a respeito de como a execução dos pontos do programa cumprem com um papel essencial na formulação do fluxo de informações.intelliwise. estimula a padronização das posturas dos órgãos dirigentes com relação às suas atribuições. Neste sentido. © Sergio Navega www.com. a adoção de políticas descentralizadoras exige a precisão e a definição das condições inegavelmente apropriadas.Texto Para Análise Estratégias em um Novo Paradigma Globalizado O incentivo ao avanço tecnológico. Ainda assim.com.

intelliwise.suicidiovirtual.net/dados/lerolero.http://www.com.br 12 .html www.br snavega@intelliwise.com/ © Sergio Navega http://www.com.lerolero.

Exemplo Real de “Enrolation” © Sergio Navega www.br snavega@intelliwise.com.br 13 .intelliwise.com.

Uma Vacina Anti-Enrolation Se Se você você não não consegue consegue falar falar de de forma forma clara. pois sabem trabalhar em diversos níveis de análise www.com. mas não é demonstração de conhecimento. Falar difícil pode ser uma demonstração de erudição.com.intelliwise. assunto. Filósofo Mentes inteligentes conseguem simplificar o que é complexo. e muito menos de inteligência John Searle.br snavega@intelliwise.br 14 © Sergio Navega . então então você você mesmo mesmo não não entende entende do do assunto. clara.

br 15 .com.intelliwise.br B snavega@intelliwise.com.A Comunicação Humana P A © Sergio Navega www.

com.br snavega@intelliwise.Início © Sergio Navega www.br Fim 16 .com.intelliwise.

com.Recursividade e Contexto “O senhor quer um quarto para dormir ou para pular?” Funcionário da recepção de um Hotel de 1929 © Sergio Navega www.br 17 .br snavega@intelliwise.intelliwise.com.

conclusão. este cão deve ser amigável Estas pessoas conhecem o Sergio A recepcionista conhece o Sergio Portanto.mas masesta estapode podeser serfalsa! falsa! © Sergio Navega www.br 18 . indutivos.br snavega@intelliwise.as aspremissas premissasoferecem oferecemforça forçapara para acreditarmos acreditarmosna naconclusão.Raciocínios Dedutivos e Indutivos P P C Todas as baleias são mamíferos Todos os mamíferos têm pulmões Portanto. todas as baleias têm pulmões A maioria dos cães são amigáveis Aqui temos um cão Portanto. falacioso) Nos Nosindutivos. todas as pessoas deste edifício conhecem o Sergio Dedutivo (sempre forte) Indutivo (plausível) Indutivo (fraco.com.com.intelliwise.

com.intelliwise.Raciocínios Analógicos Paciente A tem sintomas 1. A e B têm a mesma doença Paciente A está internado no Hospital H Paciente B está internado no Hospital H Portanto.com.br snavega@intelliwise. 2 e 3 Paciente B tem sintomas 1. A e B têm a mesma doença Analógico (plausível) Analógico (fraco) Avaliamos a qualidade de um argumento através da força dada pelas premissas no suporte à conclusão © Sergio Navega www.br 19 . 2 e 3 Portanto.

vale.com.com.Silogismos: Este Daqui é Válido? Alguns B não são A Todos os C são B Alguns A são C Alguns médicos não são cabeludos Todos os psiquiatras são médicos Alguns cabeludos são psiquiatras Parece Pareceque quevale.br 20 .intelliwise.br snavega@intelliwise.certo? certo? Confirmações Confirmações e e Refutações Refutações © Sergio Navega www.

com.Analisando o Silogismo B A C3 C1 C2 Alguns B não são A Todos os C são B Alguns A são C © Sergio Navega www.br snavega@intelliwise.br FA F AL LS SO O! ! 21 .intelliwise.com.

Argumentar Não É Isso! Argumentar é a arte de convencer o outro através da espontânea aceitação do que se está alegando. sem cometer erros lógicos. e com premissas razoáveis © Sergio Navega www.br snavega@intelliwise.com.intelliwise.com.br 22 .

br snavega@intelliwise..com.br 23 ..Também Não É Isso.. © Sergio Navega www. Mas é Quase! Isso Issonos nosleva levapara paraa aprincipal principalvantagem vantagem da daboa boaargumentação.intelliwise.. argumentação.com.

br 24 .com.br snavega@intelliwise. o que nos obriga a refazer nossas premissas e argumentos SÍNTESE © Sergio Navega www.Progresso Pelo Conflito de Ideias TESE a) Minha tese demonstrase correta (usa bons argumentos e/ou boas evidências) ANTÍTESE b) Meu oponente consegue demonstrar sua antítese (argumentos ou evidências) c) Há algo que transcende o pensamento de ambos.intelliwise.com.

levar a um melhor entendimento conjunto da questão que se está analisando Isso é essencial para o progresso das ideias! © Sergio Navega www. se ambos os lados dispuserem desse objetivo.com.Colhendo o Que Foi Plantado IMPORTANTE! TESE Desse processo o intelecto de ambos os argumentadores é refinado.br 25 . ANTÍTESE SÍNTESE Aquilo que era mera discordância pode.intelliwise.br snavega@intelliwise. permitindo que enxerguem o problema todo com maior clareza.com.

com.O Pensamento Crítico Desafiando e questionando algumas de nossas intuições mais espontâneas Obtendo (buscando) justificativas para aquilo que não parece ser razoável © Sergio Navega www.intelliwise.br snavega@intelliwise.br 26 .com.

temos que aceitar certas dúvidas. principalmente sobre aqueles assuntos que ainda não analisamos cuidadosamente.com.intelliwise. Mas assim como nos acostumamos a muita coisa inconveniente na vida.Convivência Com as Dúvidas A dúvida é uma sensação desagradável.com.br snavega@intelliwise.br 27 . © Sergio Navega Não precisamos ter uma “posição definida” sobre tudo. principalmente quando não temos como resolvê-las no curto prazo. www.

14/Agosto/2006 © Sergio Navega www.Um Caso Para Análise Crítica Revista Época.intelliwise.com.br 28 .br snavega@intelliwise.com.

com.com.intelliwise. Paulo 22 Abril 2001 Por Quê? © Sergio Navega www.br 29 .Anti-Exemplo de Argumento Folha de S.br snavega@intelliwise.

com.intelliwise.br snavega@intelliwise.com.br 30 . Paulo 11 Fev.Exemplo de Bom Argumento Folha de S. 2001 © Sergio Navega www.

intelliwise.br 31 .br snavega@intelliwise.O Que É Um Argumento? CONCLUSÃO (Alegação) PREMISSAS (Razões) Para argumentar bem é necessário achar premissas aceitáveis e relevantes.com. incluindo-as em um argumento que tenha estrutura lógica correta O Formato Padrão © Sergio Navega www.com.

opinião.br snavega@intelliwise.com.br 32 .intelliwise.Isto Isto é é somente somente a a expressão expressão de de uma uma opinião. Nada Nada é é dito dito para para nos nos fazer fazer acreditar acreditar nessa nessa tese tese Aqui Aqui existe existe a a exposição exposição de de razões razões fortes fortes para para que que acreditemos acreditemos na na conclusão conclusão © Sergio Navega www.com.

com.com.br 33 © Sergio Navega .br snavega@intelliwise.Questionando Um Argumento C1 P1 P2 P3 C1 Toda arma deve ser registrada por seu usuário Falta de registro dificulta prevenção de crimes Criminosos têm acesso a armas sem registro Registro de armas ineficaz na prevenção de crimes Trocas argumentativas saudáveis envolvem o questionamento das premissas. e nunca a conclusão P1 P2 P3 A Conclusão deve decorrer das premissas usadas www.intelliwise.

intelliwise.br snavega@intelliwise.com.Argumentos Encadeados P1 P2 P3 C1 Toda arma deve ser registrada por seu usuário Falta de registro dificulta prevenção de crimes Criminosos têm acesso a armas sem registro Registro de armas ineficaz na prevenção de crimes C1 P3 C2 P1 P2 P4 P5 P6 P4 P5 P6 C2 Há um mercado negro de armas no país Governo não tem condições de controlá-lo Criminosos têm acesso a esse mercado Criminosos podem obter armas sem registro P3 www.com.br 34 © Sergio Navega .

com.br 35 .intelliwise.Os Quatro Critérios dos Bons Argumentos Aceitabilidade Relevância Suficiência Refutabilidade © Sergio Navega www.com.br snavega@intelliwise.

Primeiro Critério Aceitabilidade Tudo o que comemos ou mata ou engorda Comer agrião não mata Portanto. comer agrião engorda © Sergio Navega www.intelliwise.br snavega@intelliwise.br 36 .com.com.

o filme trata de caso verídico © Sergio Navega www.br 37 .intelliwise.com.Segundo Critério Relevância O filme “O Sexto Sentido” teve ótima direção Os atores atuaram de forma brilhante Portanto.com.br snavega@intelliwise.

com.intelliwise.br snavega@intelliwise.br 38 . governos devem controlar a venda de sal © Sergio Navega www.Terceiro Critério Suficiência Comer comida com muito sal não é saudável Governos devem zelar pelo bem-estar das pessoas Portanto.com.

Quarto Critério Refutabilidade Gremlins solares habitam o interior do Sol A atividade dos gremlins gera calor Portanto.intelliwise.br 39 . o calor do Sol é gerado pelos gremlins © Sergio Navega www.com.br snavega@intelliwise.com.

Ad Hominem Ataque ao Homem Ad Hominem Abusivo Ataca-se o oponente através de insultos e ataques verbais Não é só “xingar”.com. é usar isso para desacreditar ou reduzir a força do argumento A falácia ocorre quando se confunde atacar o argumento com atacar a pessoa que o proferiu © Sergio Navega www.br 40 .br snavega@intelliwise.intelliwise.com.

vi no balcão do açougueiro uns miolos parecidos com os seus” Está-se Está-seatacando atacandoa apessoa.intelliwise.com.e enão nãoas assuas suasidéias idéias © Sergio Navega www.br 41 . Como é que podemos concordar com sua ideia de redução de impostos?” “Senhor.Ad Hominem “Todos sabemos que o nobre deputado é um mentiroso contumaz.com.br snavega@intelliwise. pessoa.

Clamando Pela Questão Begging the Question Petitio Principii Petição de Princípio Argumento Circular Usa-se a conclusão que se quer estabelecer como componente ou suporte de uma das premissas Argumento circular é construção na qual se reescreve a conclusão e se usa como premissa © Sergio Navega www.br 42 .intelliwise.br snavega@intelliwise.com.com.

br snavega@intelliwise.intelliwise.estão estãodizendo dizendoque quese seX Xééverdadeiro. porque não fiz nada de criminoso” “Esta empresa é muito paternalista em sua política de treinamento.br 43 . então entãoééporque porqueX Xééverdadeiro verdadeiro © Sergio Navega www.com.com. porque ela trata seus funcionários como crianças” Em Emoutras outraspalavras. verdadeiro.Clamando Pela Questão “Eu não sou um marginal. palavras.

Humoroso (e desculpável) Argumento Circular © Sergio Navega www.com.intelliwise.br snavega@intelliwise.com.br 44 .

br 45 .br snavega@intelliwise.com.com.Mais Humor: Conclusão Contrária a Premissa “Sou um vegetariano que come carne” © Sergio Navega www.intelliwise.

esta frase não tem o menor sentido” Millôr Fernandes (1923-2012) © Sergio Navega www.br 46 .com.com.intelliwise.A Genialidade do Saudoso Millôr “Como todos que fazem afirmativas peremptórias estão sempre enganados.br snavega@intelliwise.

os homossexuais farão de tudo para esconder o seu segredo e dessa forma estarão suscetíveis a chantagem. devem ser demitidos. Não podemos permitir pessoas no governo suscetíveis a chantagens. todos os homossexuais que estejam ocupando esses cargos.br snavega@intelliwise. homossexuais não podem ser admitidos para cargos críticos do governo” Discussão real no Serviço Secreto Britânico © Sergio Navega www.com. Por causa disso.br 47 .intelliwise.com. Por isso.Argumento Circular Mais Complexo “Homossexuais não podem ser admitidos em cargos críticos do governo. Portanto.

com.Tu Quoque “Você Também Faz” Ad Hominem Tu Quoque Usa-se os erros cometidos pelos outros (principalmente o oponente) para desconsiderar o argumento sendo colocado Não se quer eximir o uso de erros de outros como antiexemplos.br snavega@intelliwise. Quer-se apenas evitar usar isso como forma de combate a um argumento “Não posso aceitar sua acusação de que estamos escrevendo com muitos erros de português.br 48 .com. pois você também erra muito” “Como é que posso aceitar o argumento de que fumar faz mal à saúde se me é dito por um médico que fuma tanto quanto eu?” © Sergio Navega www.intelliwise.

br snavega@intelliwise.Apelo à Ignorância Ad Ignorantium Prova por Ignorância Conclui-se que algo é verdadeiro somente porque não é possível prová-lo como falso (ou vice-versa) Usa-se (indevidamente) a dificuldade em substanciar uma posição como “prova” de que a outra posição é verdadeira “Como não provaram que fantasmas não existem. então existe razão para acreditar que elas gritam. mas você é quem não as ouve” © Sergio Navega www.intelliwise.com. então eles devem existir” “Você não conseguiu me mostrar que as plantas não gritam quando são arrancadas do chão.com.br 49 .

mas sim através de opinião de um especialista que faz declaração fora de sua área de especialidade Argumentos podem ser respaldados na opinião de especialistas na matéria de que trata o argumento.br 50 .com.com.br snavega@intelliwise. há casos em que é lícito duvidar © Sergio Navega www. Mesmo assim.Apelo à Autoridade Ad Verecundiam Falácia da Especialidade Universal Procura-se suportar o argumento não através de suas premissas.intelliwise.

br snavega@intelliwise. e ele deve saber.Apelo à Autoridade “Vou comprar as vitaminas ABZ.intelliwise.com.a aautoridade autoridadede demil mil pessoas pessoasnão nãovale valetanto tantoquanto quantoo ohumilde humilde argumento argumentode deum umsó sóindivíduo” indivíduo” Galileu GalileuGalilei Galilei © Sergio Navega www. pois George Clooney falou que elas são ótimas. ciência.br 51 .com. pois atuou como médico no seriado ER” “Em “Emquestões questõesde deciência.

Essa falácia.com.br 52 .br snavega@intelliwise. impede o progresso através da restrição da criatividade © Sergio Navega www.intelliwise.Apelo à Tradição Ad Antiquitatem Apelo ao Velho Apelo ao Passado Justifica-se a aceitação de um argumento baseado no fato de que “sempre foi feito assim” Funciona com base na esperança indutiva de que o futuro irá refletir o passado. Ataca-se novas ideias com esse tipo de falácia. se usada de forma ostensiva.com.

intelliwise. sempre foi assim. já que esta sociedade primitiva vem fazendo isso há séculos” Debate muito intenso.com.br snavega@intelliwise. pois há questões morais/éticas que precisam de justificação racional © Sergio Navega www. e não é por termos agora acionistas femininas que isto precisa mudar” Esse caso é terrível.Apelo à Tradição “Nesta empresa nunca foi permitido que mulheres ascendessem à posição de diretoria.com. pois já incorpora no próprio argumento uma informação capaz de derrubá-lo.br 53 . queimar até a morte as viúvas de homens recém-falecidos deve ser considerado moralmente aceitável. “Embora seja horrendo a nossos olhos.

com. não vale pois não é eficaz contra a ideia original © Sergio Navega www. entretanto.Espantalho Straw Man Tentativa de reconstrução do argumento de forma diferente.br 54 .com.br snavega@intelliwise. da intenção original Essa reconstrução enfraquece o argumento. tornando-o mais fácil de ser atacado. O ataque.intelliwise.

intelliwise.br 55 . por isso o capitalismo é um fracasso” © Sergio Navega www. mas isso é claramente falso.br snavega@intelliwise.Espantalho João: “Eu acho que o capitalismo é bom porque ele incentiva as pessoas a trabalhar e a poupar” José: “Você acha que o capitalismo é bom porque diz que a riqueza vem à mão de quem trabalha. já que muitas pessoas ricas simplesmente herdam suas fortunas sem nunca precisar trabalhar.com.com.

e sim introdução de material irrelevante © Sergio Navega www.intelliwise.com.br 56 .com. em geral mais fácil de ser atacada Isto é diferente do Espantalho.Red Herring Falácia da Diversão A “manjuba fedorenta” Introduz-se material irrelevante ao ponto em discussão com o objetivo de desviar o argumento inteiro para uma outra conclusão.br snavega@intelliwise. pois não há distorção (enfraquecimento) do argumento original.

br snavega@intelliwise.br 57 .com. Sou contra a igualdade entre os sexos. imagine o que aconteceria se os banheiros fossem unissex: tanto homens quanto mulheres ficariam constrangidos” © Sergio Navega www.intelliwise.Red Herring “Não acho que homens e mulheres devam ganhar o mesmo salário por funções iguais. Em um shopping center.com.

Non Sequitur Não há implicação lógica Argumentos em que não há conexão lógica entre as premissas e a conclusão Tanto as premissas quanto a conclusão podem eventualmente ser verdadeiras.com.com.intelliwise.br 58 .br snavega@intelliwise. Entretanto. a conclusão não é verdadeira por causa das premissas utilizadas © Sergio Navega www.

ECO-92 Exagerando “Gatos gostam de leite.Non Sequitur “Como os Egípcios fizeram muitas escavações para construir pirâmides. verdadeiras. devemos concluir que eram exímios paleontólogos” “Protegendo os macacos estaremos protegendo a nós mesmos. portanto David Hume foi um grande filósofo” © Sergio Navega www.br Tanto Tantopremissa premissaquanto quanto conclusão conclusãosão são verdadeiras.mesmo mesmo assim assimo oargumento argumentoé é inválido inválido snavega@intelliwise.br 59 . porque eles são os animais mais próximos do homem” Brigitte Bardot.com.com.intelliwise.

intelliwise.br snavega@intelliwise. portanto ela não deve comê-la” Adicionando-se uma premissa corrige-se o Non Sequitur: “Ela é vegetariana” © Sergio Navega www.com.Correção de Non Sequitur Alguns Non Sequiturs podem ser corrigidos com a adição de uma premissa esclarecedora: “Esta refeição contém carne.com.br 60 .

intelliwise. pela concordância da maioria com o que se está alegando Não confundir com os conceitos relacionados à democracia.br 61 . por exemplo. Não é possível.com. somente pelo fato de ter sido majoritário © Sergio Navega www.Apelo às Massas Justifica-se a aceitação do argumento por causa de sua popularidade.Apelo ao Público Ad Populum .br snavega@intelliwise.com. dizer que o candidato eleito pela maioria toma sempre as melhores decisões. ou seja.Ad Numerum Mob Appeal .

br snavega@intelliwise. afinal todos aqui estão de acordo que ele merece uma surra.com. pois aquele caolho ali disse que viu o sujeito abusando daquela menina” “Todos estão votando no Ricardo para ser líder de projeto.Apelo ao Público “Vinte milhões de pessoas compraram um Xique-Xique.intelliwise. Talvez eles saibam de algo que você não sabe” “Vamos linchar este sujeito.com.br 62 . por isso você deve votar nele também” Em Emciência ciênciao oapelo apeloao aopúblico públicoé éespecialmente especialmente danoso danoso(vide (videcaso casode deGalileu GalileuGalilei) Galilei) © Sergio Navega www.

com.br snavega@intelliwise.intelliwise. mas sim pela força das premissas que a suportam © Sergio Navega www.com.br 63 .Apelo à Pena Ad Misericordiam Justifica-se a aceitação do argumento pelo uso de termos que procuram conquistar a simpatia emocional das pessoas Veracidade ou falsidade de uma conclusão não deve ser julgada pela emoção que provoca.

com.intelliwise.br snavega@intelliwise. nunca chegando às mãos das pessoas necessitadas) Exagerando “A promotoria acaba de demonstrar que o réu matou seu pai e sua mãe com um machado” “Como podem vocês me condenar? Não veem que sou agora um pobre órfão?” © Sergio Navega www. mulheres e crianças que estão morrendo de fome por lá” (não combate o contra-argumento de que dinheiro é desviado por grupos terroristas para compra de armamentos.br 64 .Apelo à Pena “Como você pode ser cruel e não destinar recursos financeiros à Etiópia? Pense em todos os homens.com.

br 65 .br snavega@intelliwise.com.com.Descida Escorregadia Slippery Slope Falácia do Dominó Reductio Ad Absurdum Assume-se que uma pequena movimentação para uma direção em particular irá desencadear um processo irreversível e incontrolável de movimentações na mesma direção Baseia-se na falsa ideia de que não se deve dar um primeiro passo porque ele deflagraria necessariamente todos os passos seguintes em direções mais radicais © Sergio Navega www.intelliwise.

mas péssimo para as instituições” Miguel Esteves Cardoso.br snavega@intelliwise. escritor português Exagerando “Não acho que devemos fabricar pizzas muito gostosas.intelliwise. o que seria ótimo para o corpo.com.Descida Escorregadia “Hoje o Estado me obriga a usar cinto de segurança.com.br 66 . pois uma vez iniciado esse processo iríamos consumir cada vez mais pizza até ficarmos completamente obesos © Sergio Navega www. amanhã vai me obrigar a fazer ginástica e me proibir de comer gordura.

com.br snavega@intelliwise.Analisando Alguns Casos Práticos © Sergio Navega www.com.br 67 .intelliwise.

Escritor e Ativista Mario Vargas Llosa.intelliwise. acostumado a polêmicas Uma de suas investidas polêmicas foi contra a campanha do governo de restringir a propaganda do fumo Llosa sabe ganhar a simpatia dos ouvintes © Sergio Navega www.com.com. escritor e ativista peruano.br 68 .br snavega@intelliwise.

br . Deve o governo regular o que vai à nossa mesa? A perseguição à indústria do fumo pode parecer justa.com.br 69 Há SEIS falácias neste texto de Llosa © Sergio Navega www.com.intelliwise. mas pode também ser o começo do fim para a liberdade” snavega@intelliwise.As Várias Falácias Deste Trecho “O álcool e uma dieta pobre também são grandes assassinos.

Formato Padrão do Argumento Premissa. Premissa.br 70 .intelliwise. Premissa.com. “Governo não deveria proibir a propaganda de cigarros” “O álcool e uma dieta pobre também são grandes assassinos. mas pode também ser o começo do fim para a liberdade” © Sergio Navega www. Deve o governo regular o que vai à nossa mesa? A perseguição à indústria do fumo pode parecer justa.br snavega@intelliwise.com.

intelliwise.com.br 71 . mais fácil de atacar © Sergio Navega www.As Falácias “O álcool e uma dieta pobre também são grandes assassinos” Non Sequitur: Álcool e dieta nada tem a ver com proibição de propaganda de cigarros. Equivale a dizer que devemos retirar os pneus dos carros pois eles não estão nos ajudando a preparar o almoço Analogia Imprópria: Dieta pobre não guarda relação analógica convincente com o vício do fumo Red Herring: Tentativa de desviar o foco do problema para outro.br snavega@intelliwise.com.

“Deve o governo regular o que vai à nossa mesa?” Apelo à Emoção: Está-se apelando ao medo coletivo de o governo influir em nossas vidas privadas. como fazem alguns regimes ditatoriais Apelo ao Ridículo: É uma tentativa de desacreditar a iniciativa do governo baseado em uma sugestão cômica e ridícula.intelliwise.com.com.br snavega@intelliwise.br 72 . cuja resposta parece óbvia © Sergio Navega www.

..As Falácias “A perseguição à indústria do fumo pode parecer justa.intelliwise.br 73 ..” implica que o ouvinte deveria julgar a proposta do governo como sendo enganadora.br snavega@intelliwise.pode parecer justa. Essas intenções não são declaradas explicitamente no argumento. escusas. interessando ao argumentador apenas sugeri-las e incentivar a dúvida © Sergio Navega www.” Acento Impróprio: O segmento “.. escondendo intenções maliciosas.com.com...

br 74 ..mas pode também ser o começo do fim para a liberdade” Descida Escorregadia: Não há como justificar que essa proibição em particular vá descambar para o total tolhimento da liberdade dos indivíduos.com. algo muito mais sério.intelliwise.com. Talvez esta seja a principal falácia cometida por Vargas Llosa. © Sergio Navega www.A Principal Falácia “.br snavega@intelliwise..

Não se pode fazer julgamentos causais sem levar em conta toda a constelação de circunstâncias em torno dos eventos que observamos. porque não proibir o sexo fora do casamento. pois ele causa AIDS!” Analogia Imprópria.Ainda Sobre o Tema Fumo “Se o cigarro é proibido porque causa câncer.com. © Sergio Navega www.br 75 . Falha em Causa/Efeito: Comer é a principal causa de indigestão. Automóveis são os principais responsáveis pelas mortes na estrada.br snavega@intelliwise.com.intelliwise.

em 1996 © Sergio Navega www.com.br snavega@intelliwise.Horrorosa Analogia Imprópria “Nós estamos em uma batalha que é procurar por uma agulha em um palheiro. para achar a agulha você tem que queimar todo o palheiro” Presidente de Israel Ezer Weizman.intelliwise.br 76 . Algumas vezes.com.

Non Sequitur ou Raciocínio Circular © Sergio Navega www.br snavega@intelliwise.intelliwise.com.br 77 .com.

com.Analogia Bonitinha.br 78 . Mas Criticável © Sergio Navega www.br snavega@intelliwise.intelliwise.com.

intelliwise.com.br snavega@intelliwise.com.br 79 .Uma Foto Equivale a Uma Mensagem “Precisamos Poupar Energia!” Argumentos “emocionais” como esses PRECISAM ser suportados por justificativas racionais © Sergio Navega www.

com.intelliwise.com.br 80 .br snavega@intelliwise.Preservativos: Um Bom Uso de Analogia Um detalhe: O sujeito é careca! © Sergio Navega www.

br 81 .br snavega@intelliwise.com.intelliwise.com.© Sergio Navega www.

com.As Desculpas Esfarrapadas © Sergio Navega www.intelliwise.br snavega@intelliwise.com.br 82 .

com.intelliwise.Mais Desculpas Esfarrapadas © Sergio Navega www.br 83 .com.br snavega@intelliwise.

Algo Que Faz Sentido Contra-argumentação: apresentar evidências de que o Banco Ibi realmente foi o causador disso © Sergio Navega www.intelliwise.Finalmente.br snavega@intelliwise.com.com.br 84 .

mas Polêmica CONTRA Gosto que cada um sente na boca não é da conta do governo A FAVOR Inclusão de sabor é estratégia para conquistar novos fumantes © Sergio Navega www.br snavega@intelliwise.com.br 85 .intelliwise.com.Uma Decisão Importante.

com.br snavega@intelliwise.br 86 .com.intelliwise.© Sergio Navega www.

br snavega@intelliwise.intelliwise.br 87 .com.com.© Sergio Navega www.

Princípio da liberdade individual.br snavega@intelliwise. como o nazismo. o comunismo e o fascismo.com. não cabe ao governo nos proteger de nós mesmos O risco de vício é conhecido antes de o sujeito começar a fumar (o mesmo ocorre com o álcool) “Regimes coletivistas. seguiram esse caminho desembocando no totalitarismo” “Uma pessoa pode levar uma vida de abstinência total das substâncias prejudiciais à saúde e sofrer um acidente ou mesmo contrair uma doença terrível como o câncer” “Ao dificultar a venda legal de cigarros […] apenas transfere a oferta para a informalidade” © Sergio Navega www.com.intelliwise.br 88 .

br snavega@intelliwise. física e psíquica Nove entre cada dez iniciam seu uso antes dos 18 anos É uma indústria que mente e comete fraudes em pesquisas e dados científicos Quase 60% dos jovens entre 13 e 15 anos que fumam preferem os cigarros com sabor É um dever do estado regular uma indústria com um produto com tantos ônus impostos à sociedade © Sergio Navega www.com.Duzentas mil mortes anuais no Brasil.com.br 89 .intelliwise. além de doenças incapacitantes Dependência química.

br 90 .br snavega@intelliwise.com.A Esperada reação do Lobby das Indústrias “A indústria tabagista vai jogar pesado” Folha de S.com.intelliwise.Paulo 12/Maio/2012 As Falácias “impacto econômico” “interferência do Estado” © Sergio Navega www.

a história da maior fraude contra a saúde pública de todos os tempos.Para Quem Quiser Se Informar Robert Proctor conta.com.intelliwise. em mais de 700 páginas cheias de detalhes.br 91 . perpetrada pelas companhias tabaqueiras.br snavega@intelliwise. e que ainda hoje continua de forma deslavada © Sergio Navega www.com.

intelliwise.com.br 92 .com.Ficha Limpa no STF © Sergio Navega www.br snavega@intelliwise.

com.intelliwise. o melhor dos contrários à Ficha Limpa Falho.br 93 .br snavega@intelliwise.com. dizendo porque deve ser relativizada © Sergio Navega www. desconsidera dezenas de milhões de contrários à eleição de um político corrupto É bom.Rápido Exercício Sobre os Votos Bom argumento. mas precisa de complementação.

“Ninguém pode ser considerado culpado enquanto couber recurso à Justiça” “Não é legítimo […] violar um princípio fundamental do ordenamento jurídico” © Sergio Navega www.br 94 .br snavega@intelliwise.com.com.intelliwise.

a ideia de que a Ficha Limpa não impõe sanções.Vitória do Bom Senso “Prevaleceu.intelliwise.com. Caso similar: impedimento de ser eleito caso seja analfabeto. passam a ter o direito se forem alfabetizados © Sergio Navega www.br 95 .com. apenas condições de elegibilidade” Funcionários públicos não podem ser contratados caso estejam submetidos a processo na justiça.br snavega@intelliwise. assim.

br/ © Sergio Navega www.br snavega@intelliwise.org.intelliwise.Ficha Limpa Avança Mais http://www.com.com.br 96 .fichalimpa.

com.br snavega@intelliwise.com.br 97 .intelliwise. após ser acusado de bolinar meninas de 9 a 14 anos em uma piscina em Brasília © Sergio Navega www.As Safadezas do Iraniano Hekmatollah Ghorbani O diplomata iraniano deixou o país às pressas.

com.A desculpa esfarrapada O argumento certeiro © Sergio Navega www.com.br 98 .intelliwise.br snavega@intelliwise.

em outros perseverar © Sergio Navega www.br 99 .intelliwise.Há casos em que é melhor desistir.com.com.br snavega@intelliwise.

intelliwise.com.br snavega@intelliwise.br 100 .com.Uma Defesa Bem Sucedida © Sergio Navega www.

Exemplo de Analogia Imprópria © Sergio Navega www.com.intelliwise.br snavega@intelliwise.com.br 101 .

Será Que Falta Alguma Coisa? O teor de sódio é gigantesco! © Sergio Navega www.intelliwise.com.br 102 .br snavega@intelliwise.com.

Insanidade Política

Alegações Alegações Extraordinárias Extraordinárias Requerem Requerem Evidências Evidências Extraordinárias Extraordinárias
© Sergio Navega
www.intelliwise.com.br snavega@intelliwise.com.br 103

Marketeiros Clamando Pela Questão
Tudo é muito gostoso porque tudo é muito gostoso! Entendi!

© Sergio Navega

www.intelliwise.com.br

snavega@intelliwise.com.br

104

Juros No Brasil: Um Caso Complexo

Não dá para discordar, são todas verdades claras
© Sergio Navega
www.intelliwise.com.br snavega@intelliwise.com.br 105

com.O Outro Extremo da Batalha E E agora? agora? Quem Quem está está com com a a razão? razão? © Sergio Navega www.br 106 .com.intelliwise.br snavega@intelliwise.

e as respostas muitas vezes requerem compromissos de ambos os argumentadores © Sergio Navega www.com.br 107 .intelliwise.com.Uma Visão Mais Equilibrada Muitas discussões só podem ser resolvidas através da exibição de evidências que suportem os argumentos oferecidos.br snavega@intelliwise.

com.Como Progredir? “A arte do progresso é preservar a ordem em meio às mudanças e preservar as mudanças em meio à ordem” Alfred North Whitehead (1861-1947) Um matemático que virou filósofo © Sergio Navega www.com.br 108 .br snavega@intelliwise.intelliwise.

com.br snavega@intelliwise. É a Liberdade Intelectual de se deixar convencer apenas quando os argumentos forem realmente bons © Sergio Navega www.br 109 .Manter uma mente aberta ao mesmo tempo em que se pensa criticamente sobre o que nos é dito é uma forma de liberdade.intelliwise.com.

br snavega@intelliwise.intelliwise.intelliwise.br 110 .com.com.com.br © Sergio Navega www.Para Terminar Slides desta palestra disponíveis no site: www.