You are on page 1of 4

Matriz de atividade individual* Módulo: 4 Atividade: Individual Título: Contratos de Locação.

Natureza, tipo e formas de extinção Aluno: Marcos Viana Gabriel de Souza e Silva Disciplina: Contratos – Visão Negocial e Turma: MBA – B LAW 08 Prática – MB03 Introdução Nesse trabalho iremos abordar os contratos de locação, sua natureza jurídica, modalidades e formas de extinção. Quando se fala em locação, segundo o atual panorama legal, devemos pensar que o termo está adstrito a coisas. Essa limitação inicial é importante, uma vez que no antigo Código Civil de 1916 encontrávamos disposições acerca da locação de serviços e o contrato de empreitada como sendo espécies do tipo contrato de locação. Ocorre que essa sistematização fora abolida pelo atual sistema civil, pois encontramos disposições específicas acerca dos contratos de prestação de serviços, de trabalho, de empreitada, de agência e de aprendizagem, que não mais são considerados espécies do gênero locação. Assim sendo, ao falar-se em locação, o leitor desse trabalho deverá ter em mente que a terminologia é empregada exclusivamente para os casos em que alguém faça o uso e gozo de uma coisa infungível mediante contraprestação pecuniária. Natureza jurídica dos contratos de locação Segundo Carlos Roberto Gonçalves1, locação de coisas é o “contrato pelo qual uma das partes se obriga a conceder à outra o uso e gozo de uma coisa não fungível, temporariamente e mediante remuneração”. A sua natureza jurídica é diversa e poder ser resumida da seguinte forma: (i) É contrato bilateral ou sinalagmàtico, pois envolve prestações e obrigações reciprocas; (ii) É necessariamente oneroso, sendo de sua essência a onerosidade, sob pena de o contrato transmudar-se para comodato; (iii) É consensual, pois depende da vontade livre das partes; (iv) É cumutativo, visto que não envolve risco já que as prestações são certas e não aleatórias; (v) É não solene, ou seja, pode ser pactuado de forma livre entre os contratantes; (vi) É de trato sucessivo ou de execução continuada, porque se prolonga ao longo do tempo com respectivas prestações periódicas.

Do exposto, extrai-se, ainda, os elementos dos contratos de locação, ou seja, o objeto
1

GONÇALVES, Carlos Roberto. Direito Civil Brasileiro, Vol. III: contratos e atos Unilaterais. São Paulo: Saraiva, 2004, p. 284.

1

que rege esse tipo de locação. pois a ideia da locação é garantir o retorno do bem locado ao locador. cinge-se unicamente ao uso e gozo de bem infungível e mediante contraprestação. que tais tipos não são contratos de locação nos termos do conceito anteriormente aduzido. O atual Código Civil não dispõe a respeito da locação de prédios. A Lei 8. podemos afirmar que o contrato de locação de coisa (locatio conductio rerum). levando-se. atualmente encontramos muitos contratos desse tipo para coisas móveis.245/91 se aplica aos imóveis urbanos destinados à residência ou à atividade comercial. (iv) em apart-hotéis. aponta quais são as locações que continuam a ser reguladas por aquele diploma e pela legislação especial. Nessa quadra. sendo certo que a Lei 8. Em que pese a locação de bens imóveis ser mais comum. hotéis-residência e equiparados. em seu art. a destinação e não apenas a locação do objeto da locação. como por exemplo. equipamentos para festas. (v) arrendamento mercantil. sempre em consideração. entendidos estes últimos conforme sua destinação e não de acordo com a sua localidade.245/91. o preço (onerosidade) e o consentimento das partes (consensualidade). dos Estados e dos Municípios. a locação de dvds. bicicletas. (iii) de espaços destinados à publicidade. Da Lei do Inquilinato extraem-se os seguintes tipos de contratos: i) ii) iii) Locação residencial Locação comercial com direito à renovatória Locação para temporada Formas de extinção ‘ 2 . em que se objetiva a execução de certa obra ou de determinado trabalho possui regramento próprio aos contratos de prestação de serviços. cuja fruição importará em imediata destruição da coisa – ex. (ii) de vagas autônomas de garagem ou de espaços para estacionamento de veículos. 1°. de suas autarquias e fundações públicas. que a Lei do Inquilinato não abrange a locação de bens móveis. Tipos de contratos Considerando o entendimento de que a locação de serviços (locatio conductio operarum) em que uma parte presta serviços à outra mediante pagamento fora praticamente absorvido pelo contrato de trabalho. afirma-se. assim como os imóveis rurais. Assim sendo. entre outros. Cumpre salientar. energia elétrica -. Fechado esse primeiro aspecto. por meio de lei própria.(coisas). passemos a analisar os tipos de contrato de locação. portanto. pois se fungível for o contrato será de mútuo. Do mesmo modo não podem ser locadas coisas móveis consumíveis. que a locação de obra ou empreitada (locatio conductio operis). o atual Código Civil regula os seguintes contratos de locação: (i) de imóveis de propriedade da União. O objeto do contrato de locação deve ser necessariamente coisas móveis ou imóveis infungíveis.

quer exista descumprimento obrigacional por uma das partes ou por ambas. operando-se a chamada rescisão contratual. como ocorre nos casos de perecimento do objeto contrato – incêndio de um automóvel objeto do contrato. conclui-se que os contratos de locação devem ser interpretados e analisados à luz do Código Civil para os casos não previstos na Lei de Locação e Despejo e outras Especiais. como geralmente ocorre nos contratos de locação. Dessa feita. podemos citar os contratos firmados com menores de 16 anos. Quando ausente o fator culpa.Os contratos se extinguem de diferentes formas: a) por imperfeição anterior à sua formação. como no clássico exemplo do pintor que não pode pintar um quadro. porque quebrou o braço. que é o acordo de vontade dos contratantes para por fim ao contrato. Quanto ocorrer a perda do objeto do contrato sem a ação das partes contratantes estamos diante da resolução contratual. como nos casos das diversas modalidades de pagamento. d) pela extinção da obrigação com a morte do devedor. quando a obrigação não se pode transferir a seus herdeiros ou sucessores por ser personalíssima. quando uma das partes pretende antecipar o contrato antes de seu termo final. em seu contexto atual. A inexecução culposa poderá ser unilateral ou bilateral. cujo contrato obriga uma das partes a ceder à outra o uso e gozo de uma coisa não fungível. poderá ocorre a resilição contratual. Na resilição unilateral. oportunidade em que forma-se o distrato. como explano inicialmente. ou impossibilidade do cumprimento de uma obrigação pessoal. quando as partes de comum acordo rescindem o contrato. como. uma vez que a nova sistematização disciplina de forma autônoma tais contratos. por tempo determinado e mediante remuneração. A resilição poderá ser bilateral. Outrossim. b) pelo cumprimento de todas as obrigações assumidas pelas partes. cujo objeto será ilícito ou com os maiores de 17 anos sem assistência do representante legal (anulabilidade). é apenas para coisas. sendo necessária analisar a existência ou não de culpa que acarrete o evento extintivo do negócio. causando sua nulidade ou anulabilidade: como exemplo. Verificada a incidência da culpa é preciso ressarcir as perdas e danos e cumprir as demais consequências desse inadimplemento. alcançando o contrato suas finalidades. nos casos de uma rescisão consensual de um contrato de prestação de serviços em que não mais exista o ânimo de contratar. Conclusão Diante do exposto. deve-se ter em mente que a locação. os contratos de locação de serviços e de obra não devem ser considerados como espécies do contratos de locação. apenas uma das partes pretende romper o liame contratual. Referências bibliográficas ‘ 3 . c) pela inexecução da obrigação contratual. por exemplo.

Vol.. Locação e Despejo.fgv. Gildo.adv. Disponível em Moodle. DOS SANTOS. Disponível em Moodle. Comentários à Lei.br/?tag=contratos-de-locacao. Disponível http://www.245/91 – 4ª ed. Acesso em: 18 jun 2013 Extinção dos Contratos.br. III: contratos e atos Unilaterais. rev. Acesso em: 18 jun 2013 em GONÇALVES. São Paulo: Editora Revista dos Tribunais. Acesso em: 18 jun 2013 Aspectos gerais de locação de imóvel urbano. Carlos Roberto. 8.fgv.Apenas 20% das empresas ganham da renda fixa. 2001 *Esta matriz serve para a apresentação de trabalhos a serem desenvolvidos segundo ambas as linhas de raciocínio: lógico-argumentativa ou lógico-matemática. São Paulo: Saraiva.fgv.br. Direito Civil Brasileiro. atual. Disponível em Moodle. e ampl. Mariane Ribas. Acesso em: 18 jun 2013 BARROSO. ‘ 4 .br.marciomiranda. Extinção dos contratos. 2004.