You are on page 1of 5

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS Física Experimental

Interferência e difração da luz

Alunos: Lucas Corrêa Aranha Alex Silva Henrique Camargos Turma: R7 Professor: Leonardo Teixeira Neves

Os fenômenos de interferência e difração demonstram a natureza ondulatória da luz. como mostrado na figura 1 a seguir. e possui certas propriedades e características que permitem comprovar tal fato. Sendo a luz uma onda eletromagnética.os máximos das ondas coincidem e a amplitude da onda resultante é a soma das amplitudes de cada uma.Introdução A luz é uma forma de energia radiante. de acordo com a diferença de fase entre elas. as ondas provenientes de cada fenda superpõem-se e interferem construtiva ou destrutivamente em cada ponto. divergindo radialmente. que tem duas fendas estreitas e difratar-se em cada fenda.os máximos e mínimos coincidem e a amplitude da onda resultante é a diferença das amplitudes de cada uma. alternadas com outras regiões em que a intensidade da luz é mínima. um tipo de energia que se propaga por meio de ondas eletromagnéticas. Um modo de percebermos a natureza ondulatória da luz é comparando seu comprimento de onda com as dimensões de obstáculos ou aberturas no percurso da mesma. Por isto. ocorre interferência construtiva e se a intensidade for menor que a de cada uma delas. Se a intensidade resultante é maior que a intensidade de cada uma delas. segundo o qual ao se encontrarem.interferência em fenda dupla Quando fazemos uma onda plana incidir sobre uma placa opaca. há interferência destrutiva. Interferência destrutiva total ocorre quando as ondas estão completamente fora de fase . ela é constituída por campos elétrico e magnético perpendiculares entre si. Podemos determinar o resultado do encontro de duas ou mais ondas em certo ponto do espaço num dado momento através do princípio da superposição. em um anteparo colocado na frente das fendas observam-se regiões em que a intensidade da luz é máxima. . Interferência construtiva total ocorre quando as ondas estão todas em fase . Experimento de Young . tais ondas produzem uma onda resultante cujos campos elétrico e magnético são a soma vetorial dos campos de cada uma. que oscilam periodicamente no tempo e no espaço.

Mas. 1 Observando uma onda plana que incide em uma placa com duas fendas. para atingir o ponto P no anteparo.Fig. as ondas provenientes de cada fenda percorrem distâncias diferentes. 2 Em que : d – é a separação entre as fendas. aproximadamente. podemos considerar que as retas FP e F’P são praticamente paralelas e a diferença entre os dois percursos é. as ondas chegam em P fora de fase e a intensidade da luz nesse ponto será mínima. Fig. nesse ponto. sendo a diferença entre essas distâncias igual a um número ímpar de meios comprimentos de onda. como na figura 2 abaixo.  é o comprimento de onda da luz. será máxima. essas ondas chegam em fase em P e a intensidade da luz. Sendo a diferença entre essas distâncias igual a um número inteiro m de comprimentos de onda. d sen. Se D >> d. D – é a distância da placa ao anteparo. determinado pelo ângulo . .

se a largura dessa fenda é da ordem do comprimento de onda da luz. aparecem no anteparo regiões claras alternadas com regiões escuras. respectivamente. As ondas provenientes de cada ponto da fenda podem chegar ao anteparo em fase ou fora de fase.. para que haja um mínimo de difração nesse ponto temos que: a senm. regiões claras ou escuras.. Considerando o ponto P no anteparo. produzindo.2. m 1. e a intensidade I da luz no anteparo em função de é dada por: .. para haver um máximo ou um mínimo de interferência em P : Fazendo incidir uma onda plana sobre uma fenda vertical em uma placa opaca.3. em uma posição indicada pelo ângulo . segundo o qual cada porção da fenda atua como uma fonte de luz. Esse efeito pode se analisado de acordo com o modelo de Huygens.Sendo assim.

” Como pode ser visto na figura abaixo: Fig.Princípio de Babinet Enunciado: “O padrão de difração observado quando a luz incide sobre uma abertura de qualquer forma é o mesmo obtido quando a luz incide sobre um objeto que é o complemento da abertura. Material utilizado Laser. trena. 3 Parte experimental Objetivos Analisar padrões de difração e de interferência da luz. suporte para lâmina. . lâmina com fendas e orifícios de várias dimensões. Determinar a largura e a distância entre fendas a partir dos padrões de interferência e de difração produzidos por elas. computador com interface para aquisição de dados. Determinar a espessura de um fio de cabelo analisando o padrão de difração que ele produz. detector de luz. anteparo.