You are on page 1of 29

Relatório Children Accused of Wichcraft

Sumário executivo

Introdução Este estudo aborda a questão das crianças que são vítimas de violência e maus-tratos devido a crenças locais, representações e práticas, em particular, relativos à feitiçaria. Enquanto as conseqüências prejudiciais dessas crenças foram divulgados internacionalmente, suas origens, muitas vezes permanecem obscuros. O objetivo do presente documento, portanto, é revelar e analisar a diversidade e complexidade desses fenômenos - muitas vezes falsamente associado a "tradição Africano" relacionado com as crenças na feitiçaria e no mundo "mística". Usando exemplos de sub-saariana, o estudo pretende esclarecer a base de certas práticas sociais que estão total ou parcialmente mal entendido pelos observadores ocidentais. Esta ignorância dos locais normas sociais, cria um abismo de desentendimento entre os atores sociais e do quadro internacional de normas. Comportamentos comumente associado a acusações de bruxaria incluem violência, maus tratos, abuso, o infanticídio eo abandono de crianças. Partir de uma perspectiva ocidental, tais práticas são violações dos direitos das crianças. O objetivo deste estudo é compreender tanto a complexidade ea variedade dos fenômenos descritos, bem como as causas, que são não só cultural e social, mas também econômica e política. O estudo alvos agências de proteção à criança e visa promover uma melhor compreensão das representações locais e crenças, bem como para fornecer orientações sobre as intervenções de protecção eficaz criança. Acusações de feitiçaria contra crianças Crianças acusadas de feitiçaria estão sujeitos a violência psicológica e física, primeiro por membros da família e seu círculo de amigos, depois por pastores da igreja ou curandeiros tradicionais. Uma vez acusada de bruxaria, as crianças são estigmatizadas e discriminadas por toda a vida. Cada vez mais vulnerável e preso em um ciclo de acusação, correm o risco ainda mais as acusações de feitiçaria. Crianças acusadas de feitiçaria pode ser morta, embora mais frequentemente são abandonadas pelos pais e vivem na rua. Um grande número de crianças de rua têm sido acusadas de feitiçaria dentro do círculo familiar. Estas crianças são mais vulneráveis à violência física e sexual e ao abuso pelas autoridades. A fim de sobreviver e escapar terríveis condições de vida, eles usam drogas e álcool. Muitas vezes vítimas de exploração sexual, eles estão em maior risco de exposição a doenças sexualmente transmissíveis e infecção pelo HIV. Crença na feitiçaria é muito comum entre as sub-saariana países Africano. Anteriormente acreditava-se que essas crenças e práticas sócio-culturais desapareceriam com o tempo, mas a situação atual indica o contrário. Longe de se desvanecendo, estas representações sociais e culturais foram mantidos e transformados, a fim de se adaptar a contextos contemporâneos. A noção de "bruxaria" 1 é tão flexível e elástico que é capaz de integrar todas as áreas da vida, incluindo o mais "moderno" (Geschiere, 1995). Por esta razão, a feitiçaria contemporânea não pode mais ser explicada em termos de "tradição Africano". Sem querer ignorar a história ea cultura de feitiçaria, as formas atuais de crença são mais um produto de uma "tradição inventada" (Hobsbawm, 2006), ou talvez uma tradição reinventada. Além disso, a noção de bruxaria hoje cobre uma multidão de claramente distintas "oculto" fenômenos que devem ser entendidas no seu contexto específico. A noção de bruxaria, apesar de sua sugestão de múltiplas habilidades, talvez possa ser definido, na grande maioria dos países Africano, como a capacidade de prejudicar alguém através do uso de poder místico. Conseqüentemente, o feiticeiro ou bruxa encarna esta persona ímpios, levados a cometer atos malignos sob a influência da força da bruxaria. As acusações ainda são as manifestações mais visíveis da crença na feitiçaria. Sem negar essa crença, a natureza violenta de acusações merece maior atenção por parte dos governos locais e internacionais e organizações não-governamentais (ONGs). Considerando que, no passado, as pessoas idosas, particularmente mulheres, foram acusados, estes dias o número de crianças acusadas de feitiçaria

está aumentando. As acusações freqüentes são a consequência directa de um clima generalizado de "insegurança espiritual" (Ashforth, 2005) que é criado nomeadamente através da difusão da idéia de perigo sempre presente, intimamente ligada com a de bruxaria como a fonte de todo mal. As acusações fazem parte de um movimento anti-bruxa geral encontrado dentro de famílias, igrejas, bem como instituições do Estado. Que as crianças são mais vulneráveis a acusações de feitiçaria? Crianças vulneráveis acusado de um ato de bruxaria pode ser dividido em três categorias. A primeira categoria, que inclui milhares de crianças, refere-se ao fenômeno urbano de "crianças bruxas". Estas crianças são geralmente órfãos que perderam um ou ambos os pais naturais, as crianças com deficiência física (ou qualquer anormalidade física, incluindo uma grande cabeça, barriga inchada, olhos vermelhos, etc); aqueles com uma doença física (epilepsia, tuberculose, etc) ou deficiência (autismo, Síndrome de Down, etc, ou mesmo aqueles que gaguejam), ou as crianças especialmente dotadas. Crianças mostrando qualquer comportamento incomum, por exemplo as crianças que são teimosos, agressivo, pensativo, retirada ou preguiçoso, também compõem esta categoria. A segunda categoria abrange crianças cujo nascimento é considerado anormal, como o "bad nascimento" crianças da Baía de Benin região. Estas crianças podem ser prematuro (no oitavo mês), ou a apresentação pode ser em qualquer variedade de posições culatra, ou no posterior, a posição face-up durante o parto. Também estão incluídos os gêmeos, que são associados às vezes com o ocultismo, o seu nascimento, simbolizando o mal ou a raiva dos deuses. As preocupações terceira e última categoria crianças com albinismo que são mortos por causa dos poderes mágicos supostamente contidas em partes de seus corpos, incluindo os seus órgãos, pele, cabelo e membros. Por que as crianças acusadas de feitiçaria? Existem múltiplas causas para as recentes acusações de feitiçaria e crescente contra as crianças. Antropólogos e observadores sociais são unânimes em reconhecer a complexidade dos fatores econômicos, políticos e sociais que contribuem para tais acusações. O fenômeno urbano de "crianças bruxas", ea violência que os cercam são o resultado de uma "crise multi-" (De Boeck, 2000). Vida na cidade, trabalho remunerado, o consumismo, a pressão financeira e um individualismo emergentes têm todos os levou a profundas transformações nas estruturas familiares. O resultado é uma família disfuncional e uma ruptura das relações entre os grupos de idade - em particular a legitimidade da autoridade parental - e entre homens e mulheres. As mudanças que foram introduzidas através do desenvolvimento são, portanto, um desafio à solidariedade Africano. A situação político-militar - guerras civis, golpes de Estado - tem causado considerável perda de vidas. Como resultado, há um grande número de órfãos que estão forçando as capacidades dos seus familiares. Estas crianças são um grupo particularmente vulnerável. O empobrecimento geral das populações leva a dificuldades com a escolaridade e às vezes até com subsistência básica para as crianças que têm de cuidar de si mesmas a partir de uma idade muito jovem. Acusações de feitiçaria contra crianças também pode ser uma conseqüência direta desta incapacidade das famílias para satisfazer as suas necessidades básicas. Além dessas crises econômicas e políticas, e empobrecimento geral, há também crises institucionais a considerar, tais como serviços de saúde inadequados, sistema jurídico fraco, eo papel da sociedade civil. A luta contra a bruxaria Em muitos países, as acusações de feitiçaria são exploradas pelas igrejas revivalista, carismático ou pentecostal. Seus pastores e profetas luta contra a feitiçaria em nome de Deus, identificando as bruxas através de visões e sonhos, e, em seguida, oferecendo tratamento - cura divina e exorcismo - para as bruxas se supõe. Este trabalho "espiritual", muitas vezes de natureza violenta, reforça as crenças na feitiçaria e acusações aumenta. "A luta Deus mais de servos contra a feitiçaria, mais eles se envolver no tratamento de bruxas, e no final do dia, quanto mais eles estendem os recursos de feitiçaria" (Tonda, 2002) bem como a sua própria renda. A perseguição às bruxas tornou-se um "negócio" lucrativo para muitos pastores e profetas. As ações dos pastores e profetas "complemento" dos curandeiros tradicionais, que também luta contra as forças malévolas de bruxaria através da detecção de supostas bruxas.

Aqueles considerados culpados de prisão rosto bruxaria. Desenvolver estratégias de reintegração. Recomendações Qualquer resposta a acusações de feitiçaria contra crianças devem fortalecer os sistemas nacionais de protecção da criança que prevenir e responder ao abuso. Desenvolver mecanismos e critérios para determinar o melhor interesse das crianças em relação à colocação temporária. histórica. famílias. 7. Um profundo conhecimento de crenças e práticas. famílias e crianças acusadas de feitiçaria. Deve promover bem-estar infantil e segurança de uma forma respeitosa e evitar abordagens de educação paternalista. 6. Apenas uma compreensão profunda dos sistemas de representações de crenças específicas. Mobilização comunitária e educação. nascimentos anormais. Promover o acesso à criança e serviços de bem-estar familiar para as crianças vítimas 5. Apoiar o diálogo com os líderes religiosos e curandeiros tradicionais. Esforços para educar e sensibilizar deve ser feito em parceria e diálogo com as comunidades. da educação e social) para as crianças vulneráveis e em situação de risco e suas famílias. Evitar mais estigmatização e isolamento social das crianças acusadas de feitiçaria. Em países onde a prática de bruxaria é considerado um delito. Reduzir os factores de pobreza e de estresse econômico devem fortalecer o papel protetor da família e reduzir alguns dos fatores de risco associados com as acusações de feitiçaria. espaços seguros e reinserção social das crianças acusadas de feitiçaria. a luta contra a bruxaria é oficialmente reconhecida pelo sistema judicial. igrejas e curandeiros tradicionais). que incluem um componente anti-estigma. ea situação política. Os pastores são líderes de opinião importantes e têm influência considerável sobre as acusações de feitiçaria criança. Proteção social para fortalecer as famílias vulneráveis.Em certos países da África Subsariana Africano. Respostas a acusações de feitiçaria contra crianças É impossível erradicar os atos de violência praticada contra crianças acusadas de feitiçaria sem antes ter estudado em detalhe. estruturas legais e acesso à justiça. Trabalho com famílias e comunidades para combater a estigmatização e garantir que as crianças podem voltar para casa em segurança. económica e social das sociedades contemporâneas Africano permitirá a desenvolvimento de ações efetivas para proteção da criança e da sensibilização em relação aos direitos fundamentais da criança. Crenças na feitiçaria. Além disso. exploração e violência. Fortalecer a compreensão das evidências e acusações de feitiçaria contra crianças 1. Negociação e mediação entre pastores. a programação e as intervenções de advocacia deve promover a mudança social através da sensibilização das famílias e líderes comunitários. em vez de de uma forma top-down. Desenvolver serviços como parte dos sistemas nacionais de protecção de crianças e evitar a criação de estruturas paralelas para as crianças acusadas. 8. Negociação e mediação consiste em um diálogo entre pastores. 3. incluindo a melhoria de prestação de serviços. . 4. Serviços de apoio. a fim de identificar um terreno comum para combater o abuso de crianças acusadas de bruxaria e de mobilizar os líderes religiosos e curandeiros tradicionais. Promover mudanças sociais através do diálogo sobre as acusações de feitiçaria 2. o nascimento de gêmeos ou albinos têm que ser analisados e compreendidos dentro do contexto mais amplo cultural. crianças acusadas de feitiçaria e organizações que defendem os direitos das crianças. Proporcionar o acesso a serviços básicos (saúde. Determinações melhor interesse deve avaliar os riscos associados com o retorno das crianças à sua família e comunidade. que falharam no passado. econômica e política. os acusados podem ter que comparecer em tribunal. As recomendações a seguir destacam prioridades estratégicas para a programação. Respostas programa eficaz tem que ser baseada e informada por uma compreensão profunda das causas de acusações de feitiçaria contra crianças. Diálogo com a comunidade pode ajudar a colmatar o fosso entre as normas sociais e as normas internacionais de direitos humanos. mobilizando e trabalhando com profissionais da área jurídica e igrejas regulação e curandeiros tradicionais. reintegração familiar e planejamento de permanência. as ações e mecanismos sociais relacionadas com o movimento anti-bruxa (justiça mob.

Regular os curandeiros tradicionais e as atividades de igrejas pentecostais e revivalistas. Em outras palavras. que esta "tradição Africano" não é necessariamente definido pelo passado. § 2 º) conforme necessário para seu bem-estar (artigo 3 º. § 1 º). está aumentando a cada ano. permitir a perseguição penal de pessoas prejudicar as crianças e oferecer proteção especial para as crianças em contato com a lei. protecção e tal e cuidados. § 2 º). Desenvolver legislação específica para regular as práticas nocivas por igrejas e líderes religiosos. Fornecer educação em saúde pública sobre as doenças mais comuns. Este estudo tentará classificar. discriminadas. câncer e diabetes. sites de televisão. estes são "flexíveis" tradições que foram adaptados ao mundo contemporâneo. violando assim os direitos fundamentais da criança consagrados na Convenção sobre os Direitos da Criança (adotada pela Assembléia Geral em 20 de Novembro de 1989). 13. Internet e mais recentemente em várias regiões da África regularmente relatórios números chocantes sobre o número de atos violentos contra crianças no contexto de práticas relacionadas a essas crenças. exclusão. Leis que regem o julgamento de pessoas que acusam e prejudicar as crianças vão permitir uma resposta mais robusta pelo sistema legal. o número de crianças que sofrem de maus-tratos. desde o início. Poucas pessoas. nas palavras de Eric Hobsbawm (2006). A emissão de licenças para a prática como um curandeiro tradicional devem estar sob rigoroso escrutínio. 12. o poder mágico de gêmeos ou pessoas com albinismo. eo sacrifício de pessoas com albinismo não pode ser interpretado apenas em termos de "tradição Africano". De acordo com o antropológicos bruxaria mais recente. a formação deve enfatizar o respeito ea aplicação das leis existentes. no entanto. 11. adaptadas ao contexto contemporâneo. Esta avaliação coloca questões e muitas vezes surpreende-se Africano. Embora seja verdade que certas práticas antigas foram mantidas mais ou menos. Promover uma reforma legal para descriminalizar a feitiçaria. Isto inclui os líderes religiosos e curandeiros tradicionais envolvidos em práticas que as crianças mal. outras práticas que parecem ser antigas ou pretensão de ser muitas vezes são de origem muito recente.D. rádio. Promover o acesso ao sistema legal para crianças acusadas de feitiçaria 10. estigmatização e violência física (por vezes fatal) como resultado de crenças em feitiçaria. o direito inerente à vida (artigo 6 º. Melhorar as capacidades dos profissionais de saúde ea disponibilidade e qualidade dos serviços de saúde como forma de reduzir a crença na feitiçaria como causa de doença. as conseqüências são muitas vezes os mesmos: as crianças são estigmatizadas. Fortalecer o registro de nascimento Avaliar as práticas promissoras 14. Avaliar. abandonadas. É importante esclarecer. como malária. Promover o papel dos profissionais de saúde na proteção de crianças acusadas de feitiçaria 9. então. Isto inclui. maltratadas. AIDS. por exemplo. Descriminalização bruxaria vai evitar que as crianças entrem em conflito com a lei e todas as conseqüências associadas a ele. etc . principalmente urbana de crianças acusadas de feitiçaria. mas não são adequadamente aplicadas. considerar as causas profundas destas "horríveis e terríveis" eventos que são apresentados como uma espécie de "tradição Africano". Independentemente do tipo dos chamados "tradicionais" as práticas. É mais uma tradição "novo" ou uma "tradição inventada". analisar e monitorar as iniciativas existentes para garantir que os programas são informados pela evidência de abordagens eficazes e evitar erros repetindo INTRODUÇÃO Na África subsaariana. Estas práticas estigmatizam e promover a violência contra as crianças. Tal é o caso da venda de partes do corpo (especialmente de pessoas com albinismo) ou o fenômeno. Acesso ea qualidade dos serviços de saúde. torturadas ou até mesmo morto. Promover entregas em hospitais ou centros de saúde. Nos países onde as leis de proteção à criança contra as acusações de feitiçaria foram introduzidas. a proteção contra todas as formas de discriminação ou castigo por causa das crenças dos pais da criança (artigo 2 º. Sensibilizar e educar os profissionais da área jurídica. apresentar e analisar certas crenças e práticas que actualmente afectam as crianças na África sub-saariana. A imprensa escrita.

As pessoas falam sobre tudo o tempo. ou mesmo através de alguns processos judiciais em vários países . logo que você falou sobre a feitiçaria. agora.entrega incomuns e crianças bruxas. mas através da mídia também entrou no domínio público. A segunda seção aborda o fenômeno urbano de "crianças bruxas".é geralmente caracterizado pela violência. estas representações sociais e culturais foram mantidos. Estas práticas são relacionadas tanto às crenças cosmológicas. educação. ". . E depois havia todos aqueles que já haviam sofrido de bruxaria. modernização. e às vezes até no tribunal . em particular. ela [a feitiçaria] era um tabu. A terceira seção é dedicada à apresentação e análise de diversas práticas relacionadas com "anormal" nascimentos . transformados e adaptados. urbanização. a realidade atual em grande parte da África sub-saariana é bem diferente.na cicatrização de rituais em igrejas ou por curandeiros tradicionais. Ninguém sequer queria ouvir falar de bruxas. ela é onipresente no cotidiano de muitas populações Africano.Dentro da vasta gama de crenças e sistemas de pensamento que existem na África sub-saariana com respeito às origens do mundo e cosmologia. Eles [Sowetans] vivemos em um mundo com as bruxas" (2001: 208) É importante ressaltar que a questão de saber se realmente existe bruxaria desde há muito tem sido abandonado na pesquisa antropológica.2 A rotina diária e constantes referências à feitiçaria são parte tanto do senso comum como "comportamento natural" (de Sardan. O estudo também irá tentar mostrar a diversidade e complexidade dos fenômenos e práticas relacionadas com representações contemporâneas que têm um efeito especial sobre as crianças na África sub-saariana. 1. para ser usado como base para o planejamento de ações efetivas para prevenir e proteger as crianças de acusações de feitiçaria. hospitais. sacrifício e do mundo invisível. Ela está presente em todos os aspectos da vida diária. Ele recebe a cobertura de primeira página em revistas semanais contendo "extraordinário" 3 e "chocante" 4 histórias sobre bruxas. bem como o processo de vitimização. As conseqüências diretas dessas crenças . certas crianças práticas preocupação em particular. e não serão discutidos neste relatório. em seus contextos específicos. . Crenças de bruxaria No passado. tornou-se quase banal. de acordo com a realidade contemporânea e necessidades. parece essencial analisar os mecanismos e representações de violência anti-bruxa. Assim. Todas essas práticas são geralmente acompanhadas por comportamentos sociais específicos que são discutidos na quarta seção. O discurso da feitiçaria assumiu não só a esfera privada.também são discutidos. um antropólogo trabalhando em Soweto. Por esta razão.5 Bruxaria está presente em igrejas. Embora esse comportamento às vezes é explorado . abandono assassinato ritual. A Central Africano escritor Pierre Sammy Mackfoy descreve-o nestes termos: Antes. escolas. O relatório conclui com uma breve análise do estado actual da protecção das crianças e política de ajuda no contexto desta "tradição Africano". que tem integrado um número considerável de práticas recentes envolvendo crianças. a sua distribuição geográfica.o infanticídio. ou a adopção do cristianismo ou islamismo levaria ao desaparecimento de crenças e práticas relacionadas com a bruxaria. Uma série de recomendações que foram propostas. No entanto. a fim de promover uma melhor compreensão de suas representações sócio-cultural e significado. crianças com albinismo e os gêmeos. A primeira seção deste relatório apresenta uma revisão dos históricos e mais recentes estudos antropológicos e destaca o vasto campo da bruxaria Africano (em acusações de feitiçaria particular). No entanto. o perfil das crianças que são acusados e as causas de acusações cada vez mais freqüentes contra as crianças. De acordo com Adam Ashforth. Hoje. bem como representações contemporâneas. Bruxaria não é mais limitada ao domínio do segredo ou não ditas. pensava-se que o desenvolvimento. não seria imediatamente uma forte reação. Este estudo apresenta uma análise dessas práticas diversas. Sua presença e. Bruxaria existe como uma realidade social e cultural. 1989: 128). Vários fatores explicativos são propostas. Longe de se desvanecendo. enquanto os programas de rádio confissões e experiências pessoais de witchcraft. nomeadamente na África Central e Ocidental.

o de infortúnio. O invisível não é apenas o rosto do outro lado do visível. para usar Joseph expressão Tonda (2005). 2001).especialmente o processo de modernização rápida . acima de todos os africanos compreensão. dual ambígua do discurso da feitiçaria é muitas vezes mascarado por uma interpretação simplista. Compreender a África não significa apenas compreender o mundo visível. A tradução de termos locais para as realidades locais. a bruxaria é uma "força nocivos e perversos" da qual a África deve "entregar" em si. ou Wata Mami. zumbis. pejorativo. estas personagens a partir do invisível. um caldeirão ou um conjunto de representações cobbling mais velhos que se recusam a desaparecer e um desejo de modernidade que fascina e assusta em igual medida. Por trás da face visível da África. é muitas vezes inadequada e pode conduzir a confusão. aberto a todos. sua evolução .especialmente. bem como os equivalentes Inglês. Eles são um recurso para os pobres e os políticos da mesma forma. mas entre o que se vê (visível) eo que não se vê (o invisível) "(1996: 145). Na conversação diária. No entanto. Como o filósofo Africano. portanto. bem como as de bruxaria e feitiçaria deve ser abandonada como conceitos de trabalho em antropologia (Crick. Compreender África. porque "tudo parece depender do contexto. "a grande ruptura epistemológica . "feitiçaria" e "feitiçaria". Moore e Sanders.e as representações sócio-culturais que distinguem a África em transição. Geschiere. transformadores. social . por falta de uma alternativa melhor. com base nas categorias perceptivas de um determinado grupo que se choca com o senso comum do pesquisador. Além disso. que toda a moralidade preocupação e se referem ao "bom" e "os maus". assim. em Kinshasa como em outros lugares na África. 1. É esta "realidade". especialmente o mundo invisível. meio homens meio-jacaré ou semi-leopardo. a ameaça que ela representa ainda fazem parte daquilo que o antropólogo francês Jean-Pierre Olivier de Sardan chama de "a realidade dos outros" (1989). seria um erro considerar o mundo visível como sendo do mundo real eo mundo invisível como o irreal. para citar o título de um livro pelo Irmão Dominicana. Achille Mbembe. não só os dois mundos coexistem. eles fornecem explicações não só para o infortúnio. a do mundo "místico". 2000. Um número de escritores consideram que as noções de "sorcellerie". René Luneau (2002). bruxos e bruxas. Segundo o antropólogo Filip De Boeck. diz. o mundo "segundo" está ganhando a mão superior (2004: 57). etc Todos estes "personagens do invisível ou do imaginário". Uma terminologia ambígua A noção francesa de "sorcellerie". No entanto. mas existe no visível e versa vice. mais uma vez. suas histórias.e. 1995: VII). colonizadores e missionários. é importante ressaltar que estes dois mundos não estão em oposição. Compreensão do "comportamento natural" de atores sociais com os quais as atividades de desenvolvimento são implementados é crucial para qualquer ator operacional ONG em um contexto específico. esta terminologia etnocêntrica agora tornou-se integrado em línguas Africano e é usado em linguagem cotidiana para se referir essencialmente a "forças ocultas ou místicas". esconde uma outra. Como resultado. e que representam um perigo real para eles. que se propagam por instituições estaduais e igrejas. o que pode parecer ruim pode de repente vir a oferecer proteção e apoio. mas atualmente. implica. antes de serem distribuídos pelo público em geral. A noção de bruxaria cobre vários termos em línguas locais referindo-se a vários fenômenos cuja interpretação depende fortemente de seu contexto. constantemente intervir no mundo visível. No entanto. assombrando as mentes das populações. não é essa divisão pura. são os temas de discussão recorrente. doença ou morte. mas também para o sucesso e riqueza. que foi fortemente influenciada pela história da Europa e. O personagem.1. África contemporânea é uma mistura. Seja qual for o contexto para estas conversas. mas também e. o único termo "bruxaria". 1979. uma "arma mística" (Ellis.não é entre o que se vê eo que se lê. O mundo invisível é composto de espíritos da água. nos dias de hoje agrupados sob o termo genérico bruxaria. 2000) já está disponível para todos. todo antropólogo se esforça para dar sentido a ela. Apesar do medo que geram. enquanto o bem pode estar escondendo um perigo mortal" (Geschiere . ou seja. esses termos continuar a ser utilizados por pesquisadores em diferentes campos "em tais significados variados que uma às vezes tem a impressão de assistir a um debate onde os alto-falantes estão discutindo temas bastante . foram introduzidos para a África pelos primeiros exploradores europeus. talvez.

2. Eles analisaram o grau de coesão social na ordem e na presença ou ausência de acusações de feitiçaria. Turner. teve pouca influência sobre a pesquisa antropológica do tempo. Qual seria então a função de bruxaria? Antropólogos tentaram demonstrar que a bruxaria. a feitiçaria tinha sido classificado. localizados no abdômen de pessoas chamadas "bruxas". é um modo de vida. Lévy-Bruhl. 2006. Max Marwick (citado em Douglas. metamorfoseado ou desdobrado de seu "envelope" físico. em Inglês há uma outra distinção entre "feitiçaria" e "feitiçaria". 1957). Foi apenas após a Segunda Guerra Mundial. porque esta substância. O feiticeiro sempre age de forma consciente. Jan-Lodewijk Grootaers. como parte integrante de "primitivas" ou "pré-lógica" mentalidade. Oráculos e Magia entre os Azande (1937) que a crença na feitiçaria Zande é completamente lógico e coerente quando se compreende a sua base. ser transferido de uma geração para a seguinte. Evans-Pritchard demonstra em sua monografia clássico Bruxaria. porque isso reflete no uso de realidades Africano. juntamente com a magia. pode. ou onde as relações sociais têm quebrado e / ou as expectativas e responsabilidades dos membros não estão satisfeitos. se tornou uma das principais preocupações da Escola de Manchester. Ele também mostra que a bruxaria é muito mais do que uma simples crença ou experiência religiosa. 1. um feiticeiro é alguém que é socialmente reconhecido como tal. O resultado foi um número crescente de estudos antropológicos analisar a função de feitiçaria nas sociedades Africano. enquanto a realização de pesquisas 60 anos mais tarde. 1973: 73) admite que "a classificação toda problemática era inútil. 1927  2007 ). na década de 1950 e 1960. O aspecto social. a feitiçaria fazia sentido porque funcionou (Mitchell. agiu de forma independente do controle da bruxa. por vezes. entre os Zande na Central Africano República. 2001). levou John Middleton e Edward H. Estudos antropológicos da bruxaria 1. a fim de prejudicar as vítimas devorando sua essência de vida. 2000: 68 ). de acordo com a lógica evolutiva. Bond e Ciekawy. 1890  1983 . Incluiu tanto bruxaria ou feitiçaria. historiadores e antropólogos usar a bruxaria e feitiçaria noções intercambiável (Bernault. já que feitiçaria e bruxaria estão tão sujeitos às mesmas generalizações sociológicas". Winter (1963) a propor a "wizardy" prazo. operando durante o dia e capaz de prejudicar os outros usando substâncias de plantas e rituais associados com o mal-fazer. tal distinção radical rapidamente levou a uma série de dificuldades terminológicas. foi colocado em dúvida. e em acusações de feitiçaria particular. A bruxa opera à noite. Ao contrário do que as teorias dominantes da época. que por sua vez. De acordo com Evans-Pritchard. Para os escritores funcionalista. Em contraste. foi definido. Visão histórica No início do século XX. o Zande distinguiu claramente entre "feitiçaria" e "feitiçaria". especialmente no mundo anglo-saxão. Fisiy e Peter Geschiere propuseram uma expressão que eles consideram um âmbito mais alargado e mais neutro: "oculto força" 6 (1993). no entanto. a feitiçaria que se refere a uma substância que foi herdado e inato. .2.diferentes" (Ellis.1. que poderia ser considerado neste caso como um acto inconsciente. No entanto. que a bruxaria Africano tornou-se objecto de um interesse renovado em estudos antropológicos. como uma crença irracional religiosa e um precursor para a religião (Frazer. invisível e transformado. e sua relevância em outros contextos tem. que estava trabalhando com o Zande no Sudão Anglo-Egípcio (1937). Durkheim. Esta distinção tornou-se prática comum para muitos antropólogos que trabalham dentro da abordagem "funcionalista". Esta distinção foi introduzida em 1930 pelo antropólogo britânico Edward E. Geschiere. mais do que os aspectos invisíveis ou místico da crença da feitiçaria real. Embora a monografia foi publicada em 1930. Nos estudos contemporâneos. Cyprien C. Para eles. Os estudos revelaram que as acusações foram mais frequentes em sociedades onde a ordem social era instável. e embora o seu conhecimento não é inata e pode ser praticado por qualquer pessoa. Além disso. Evans-Pritchard. 1956. Posteriormente. observou que eles já não fazia tal distinção clara entre os dois termos (1995). teve efeitos importantes sobre a estrutura social de uma sociedade particular. A classificação pela Zande tem sido alvo de críticas extenso. 1912  1968 . ou uma combinação dos dois. e que estavam interessados em bruxaria Africano na década de 1950 e 1960. muitas vezes com razão. Além disso. 2000. mas nunca pegou em linguagem antropológica.

a presença do discurso da feitiçaria nos contextos mais variados social . 1. educação e os grandes religiões monoteístas do Cristianismo e do Islã. as acusações estavam ligadas a mudanças sociais e se espalhou como uma fonte de instabilidade e insegurança dentro de um grupo familiar. por exemplo. tornou-se indissociavelmente ligado aos estudos de parentesco. em particular a acumulação de poder e riqueza por muitas vezes significa questionável (Rowlands e Warnier. ibid:. Bruxaria na África contemporânea Ao contrário de uma série de hipóteses em 1960 e 1970 sobre o "terceiro mundo". Neste sentido. Além disso. a extraordinária vitalidade e flexibilidade do conceito de bruxaria.9 Africano A partir de uma perspectiva científica. 6). adaptando a novas situações. também compõem a imaginação bruxaria. essas novas abordagens tendem a desconstruir abordagens funcionalistas. Mayer. "feitiçarias" em várias formas e em diferentes contextos sócio-históricos não existem. portanto. Geschiere. enfatizando a natureza complexa e multiforme de bruxaria contemporânea (Bernault e Tonda. 14 abril de 2006 A "modernidade da feitiçaria" (Geschiere. como resultado acusações indivíduos geralmente alvo com quem se tinha freqüentes relações sociais. Por outro lado. 1993. Feitiçaria não tem tido apenas em "novas formas".nomeadamente. moderna . e por outro lado. ou como Evans-Pritchard. Estudos de feitiçaria. Considere. Além disso. Gluckman. como no exemplo de "bruxaria riqueza". esses outros dias "produtos". 2000). uma rejeição das teorias evolucionistas que incidiu sobre bruxaria próprios processos internos ea natureza histórica de suas práticas. Mas enquanto no passado os efeitos da bruxaria poderiam ser positivos ou negativos. 1999.Bruxaria só é eficaz em um espaço geográfico limitado. 1995) constitui. "a bruxa se acredita possuir . e contribui para novos conflitos sociais e familiares. 1988. 7 provavelmente por causa da teoria evolucionista que tais crenças desapareceria com o tempo. Esse discurso afeta elites tanto quanto pessoas comuns. Feitiçaria é um discurso que se renova constantemente. 1987) ainda alimenta contos imaginário e da fantasia (Harry Potter). Certos escritores destacar o aspecto "moderno" de bruxaria contemporânea como sendo uma reação ao capitalismo e emergentes globalização (Comaroff e Comaroff. É evidente como um componente inquestionável da vida privada e pública. 1952. como resultado do aumento do desenvolvimento econômico. 1993. 1956. a crença de feitiçaria não desapareceu. urbanização. 1957). 1998). 1956. Le Citoyen N ° 2400. é evidente que é impossível dar uma definição geral de bruxaria Africano. Este poder místico é conhecida apenas por aqueles que a praticam e é atualmente o mais geralmente definida como a capacidade de prejudicar alguém (Ashworth. as acusações no seio do grupo familiar eram restritos aos membros muito específicas (Nadel. 1954. os estudos de bruxaria Africano tornou-se cada vez mais raros. portanto. analisado por Peter Geschiere em Camarões (1995).2. a imagem da bruxa voando em uma vassoura: 8 esta imagem da bruxa em seu caminho para um sabá de feiticeiras ou reunião. No entanto. Globalização e da avalanche de imagens na mídia importou elementos imaginários que anteriormente eram pouco conhecidas ou mesmo completamente desconhecido. Turner. Mitchell. para realizar rituais satânicos (Mary. 1993). No entanto. Fisiy e Geschiere. "Bruxaria Africano" não existe. A bruxa só pode operar no bairro e / ou entre parentes e. mas também integrou produtos modernos em seu discurso.2. Após a década de 1960. 1995). que se apressaram a prever o declínio ou o desaparecimento dessas crenças assim chamada supersticiosos. estes dias têm uma conotação essencialmente negativa entre populações. O florescimento atual de crenças e práticas de bruxaria é acompanhada por um ressurgimento de estudos de bruxaria na África (Bernault e Tonda. tais como aviões ou telefones celulares. Ellis. Uma bruxa voando falhas em um coqueiro e cai página privada da terra do jornal Africano Central diariamente.em ambientes urbanos e rurais (bruxaria não é mais um caso de aldeia). Como observa Marc Augé no contexto de Basse Côte d'Ivoire. Na década de 1990. esta renovação de interesse entre os antropólogos e cientistas políticos destaca por um lado. "a novas situações exigem nova magia" (1937). em vários países da África subsariana há um conceito relativamente geral de bruxaria e os poderes de bruxa. Outros se referem à importância da relação entre a feitiçaria e poder.

1. referindo-se a uma grande variedade de representações e práticas. doença e morte. Em muitas sociedades Africano. djambe (Geschiere. De acordo com André Mary. Para Augé. a fim de "devorar" ele ou ela a partir do interior (Ashworth. um órgão ou um animal que é inata. O titular da EVU pode. moralidade e humanidade. eles são uma forma de consciência histórica. 2005). tem sido proposto pelo antropólogo francês Marc Augé. As representações de uchawi bruxaria no sul da Tanzânia combinar tanto a capacidade de danos involuntários (Wilson. Por exemplo. 10 chamados mangu (Evans-Pritchard. afirma que a EVU . Isso explica por que as pessoas com albinismo. que trabalhava na região na década de 1960. cultural e social (Bond e Ciekawy. 2005: 9). cobre uma multidão de significados. 1963) ea manipulação voluntária de poderes para fins nocivos (Green. Esta substância bruxa. uma sede incontrolável e excessivo para o poder e posse. transmitido ou adquirido. 1985). 1961. 1981. vidente. e que emprega conhecimento oculto e controles de certos objetos e técnicas de mágica. Na África Central. Moore e Sanders Todd. 1995). as representações da bruxa "bons" estão perdendo terreno para a bruxa "do mal". 11 pode estar inativo ou podem agir de forma contrária à vontade de seu hospedeiro. Laburthe-Tolra. ou cada vez mais um desejo de adquirir riqueza exclusivamente para si mesmo. gêmeos e "mal-nascido" crianças simbolizam o poder dos espíritos e gênios. assim. likundu. que era tanto temido e respeitado. mas que é colocada pela bruxa no abdômen da vítima. na Central Africano República. 1997: 64). ambição. em contato com gênios e espíritos. o que mais variam não só dentro de um país. esta posição ambivalente do bem e do mal é encontrado entre os Evuzok no sul de Camarões. a bruxa em sua vassoura e até mesmo aos videntes consultados pela a população local "(1987: 126). só para dar alguns exemplos. a feitiçaria pode ser entendida como uma metonímia de configurações complexas e interligadas em vários campos: filosófico. Em Muthi bruxaria na África do Sul. talimbi. Atualmente. 2001: 120). que aborda a origem de infortúnio. etc Apesar destas várias representações. 2001: 4-5). Como exemplo. voluntariamente ou não. finalmente. A definição geral de feitiçaria. Assim. ou de forma prejudicial como uma bruxa (1981). usá-lo de uma forma positiva como um curandeiro. músico. maldade. Estendendo a definição ainda mais. que opera mais ou menos disfarçados. A concepção geral é de que bruxas pertencem a grupos que . ele está localizado no abdômen da bruxa. ou caçador. orador. também se refere a um animal. esta figura simbolizava o mal tanto quanto o bem. inveja. porque ele era parte do mundo invisível e foi. ouroukouzou. 2000) ou likundu. Gostaríamos de alargar esta definição. Este poder é por vezes descrita como uma substância. A noção de bruxaria possui uma semiologia multifacetado. eo conjunto de práticas para a detecção. a noção de bruxaria corresponde claramente fenômenos distintos. Essa ambigüidade também aparece em representações do comportamento de gênios e espíritos que estão sempre representados como nocivas e úteis. que é levado a cometer danos pela força irresistível que pode ser o produto de ciúme. "ele (feitiçaria) é um conjunto de discursos sobre a sociabilidade. Louis Mallart Guimera. acrescentando que a bruxaria é uma teoria que explica e justifica uma concepção do universo. Longe de ser um conjunto de crenças irracionais. uma espécie de diagnóstico sociais "(2001: 20). ikundu (Tonda. 1937). tais como ngbin. ango-Brotto. Mallart-Guimera. a feitiçaria obayi também é representado por uma serpente (Parish. Em Gana. por que eles são tão facilmente suspeitos de bruxaria. dançarino. ou para desviar autoridade socialmente aprovado para ganho pessoal (Marie.pode ser predominantemente social ou anti-social. herdada. mas também de acordo com diferentes grupos sócio-cultural. estruturado e compartilhado por uma determinada população. a feitiçaria é "um conjunto de crenças. A bruxa A noção da bruxa. que pode ser aplicado a vários contextos.um poder que lhe permite atacar alguém" (1976: 129).3. e por que eles são temidos e reverenciados e. EVU (s) (Fernandez. a figura da bruxa se refere a "essa personagem desconcertante. tratamento e punição que corresponde a essas crenças" (1974: 53). bem como sendo alguém que possuía dons especiais de clarividência e de cura. a bruxaria é percebida como uma potência que está localizado dentro do corpo da bruxa. para Sally F.a substância bruxa . como a de bruxaria. consequentemente. A bruxa era tanto alguém que pudesse causar danos. em muitas regiões da África sub-saariana.

nas aldeias Africano ataques bruxaria alargaram os seus limites sociais. "Witchcraft está à venda". amigo ou colega.16 Na Central Africano República. Moore e Sanders. que é. Só se pode tornar uma bruxa. 2001). 1995). Gana. é possível notar que há de fato uma troca de idéias febril. de acordo com a imaginação popular. 389 pessoas foram alegadamente mortas entre 1985 e 1995 (Niehaus. cerca de trinta . Poucas pessoas ousariam vangloriar publicamente de seus poderes de bruxa. Apenas alguns líderes Africano pode ir longe com incentivando este tipo de discurso. Como exemplo. 2007. confirmou um estudante em Bangui (Abril. Camarões. Além disso. os seguintes países: Botswana. 2004). ou a violência da multidão. Namíbia. 2006). na pior das hipóteses. Nas regiões oeste do Quênia. especialmente mulheres. Adinkrah. Nigéria ea República Unida da Tanzânia (2007: 6). Em contraste. A vinda do capitalismo e da criação de riqueza entre um grupo limitado levou ao ciúme e inveja aumentou. os atos de violência física e psicológica extrema. muitas populações indicam uma expansão em bruxaria (Ashworth. agora pode ser comprado ou transferido para qualquer um. bem como socialmente limitada -. obrigados a reviver ou restaurar (de doença ou infortúnio) a vítima sofrimento (Evans-Pritchard. embora isso seja difícil de medir. No entanto. desde o início de 2001. a acusação não citou o nome da bruxa diretamente. Em Imagining Evil. um produto no mercado. 2005. Às vezes. antropólogo Gerrie ter Haar coletados indícios de execuções em. a bruxa só podia operar dentro de sua própria linhagem . acusações de feitiçaria têm representado a manifestação mais visível da crença da feitiçaria.14 Tais atos de violência também foram registrados na Zâmbia: em 16 de maio de 2007. Sua posição altamente colocados. pelo menos. Esta bruxa. No presente momento. Ataques agora podem vir de um vizinho. No passado. em Camarões. nomeadamente graças a viajar pelo seu "avião" invisível. E que o poder da bruxa era antigamente inatas e herdadas de pai para filho e de mãe para filha. Hoje a bruxaria é. No Gabão. por extensão. Acusações de feitiçaria Desde a Escola de Manchester da antropologia. as mulheres acusadas de bruxaria são banidos e forçados a viver em "aldeias bruxa" em condições degradantes (Dovlo. uma pessoa considerada culpada terá de pagar uma multa ou. o Presidente Omar Bongo Ondimba possuía altamente desenvolvida poderes que lhe permitiu ver "pessoas nuas" e ouvir tudo. que é motivado por objetivos pessoais em detrimento dos outros (a sua saúde. Nesse contexto incentiva a existência e freqüência de acusações e. discursos e debates sobre a bruxaria. as pessoas queimadas vivas 15 mulheres acusadas de witchcraft. portanto. Essas crises pós-colonial. Outros autores também notar a recente onda de acusações seguido pela violência. 2001). que é um sinal inegável da crises que afetam a África pós-colonial. Além disso. dinheiro e poder). cujo poder pode ser aumentada através de sacrifícios humanos. Na grande maioria dos países Africano. 1. A longevidade de seu reinado político é alegadamente devido a sacrifícios humanos (Nyamnjoh. Seus funcionários se acreditava ter sido "carimbados com uma espécie de invulnerabilidade" (2005: 159). tem por Alain Marie (1997) tornar-se simbólico de pessoas que se tornaram "muito individualizada". sacrificando um membro de uma família próxima. de acordo com estimativas não oficiais. Na província de Limpopo na África do Sul. 13 execuções de supostas bruxas tenham atingido níveis alarmantes. a natureza das acusações é considerado ter mudado significantly. 2007) . enquanto a bruxa contemporânea podem operar em distâncias mais longas. ser expulso da aldeia. 1937: 39). circulam rumores sobre a acumulação ilegal de poder adquirido através de meios místicos pelo presidente Biya. mesmo que o contexto familiar continua a ser a zona mais popular de operação (Geschiere.15 No norte do Gana. e entre 1996 e 2001 mais de 600 pessoas foram mortas por linchamento na mesma província (Ter Haar. Joseph Tonda relata que.as bruxas eram geograficamente. foram acusadas de bruxaria e depois espancado e / ou mortos em Tanzania. eo poder que eles representam. 2001).4.12 Era raro para uma denúncia pública de resultar em uma sentença dura. moradores na vila Luto bater dois homens que foram identificados por um "finder bruxa" como feiticeiros que tinham causado a morte de dois children. blocos de quaisquer acusações destinadas a esses políticos. a instabilidade política. Milhares de pessoas idosas.celebram as festas noturnas durante o qual os membros devem periodicamente oferecer sacrifícios humanos. assim. guerras civis e do empobrecimento geral da população parecem ter despertado um medo geral do Outro.

explicando uma morte por causas naturais e acreditando que era devido a feitiçaria não são mutuamente exclusivas. acusações de feitiçaria que acabam em violência extrema exigem uma resposta diferente. pela prática. naturalmente. salientar que pessoas importantes ou ricos nunca são acusados em público. no extraordinário poder de certas pessoas. é necessário lembrar que há uma diferença entre a crença na feitiçaria e acusações de feitiçaria. "matança de bruxas alegada viola o direito mais básico de todo ser humano da maneira mais óbvia. Em muitas sociedades Africano. O fato de acreditar em bruxaria. É de fato uma questão de dupla causalidade. O fenômeno urbano de "crianças bruxas" De acordo com Patrice Yengo. A bruxa devorou fígado do garoto. se os eventos misfortunate morte. pelo culto e pelos ritos. doença ou outros. A questão é: por que esse menino e não outro? Por que neste preciso momento? Aqui é onde explicações de bruxaria complementar a explicação natural. consciência e religião. idosos ou mulheres que se submetem a provas de designação.pessoas suspeitas de envolvimento em mortes "suspeitas" foram acusados de bruxaria e lynched. Eles são o resultado da interferência do mundo invisível através de espíritos. no entanto. 22 pessoas foram torturados. durante o mês de janeiro de 2009. " Apesar de aceitar o direito de todos a sua própria crença. Uma outra distinção é necessária. mas sim se complementam. Em Moçambique.17 De acordo com a minha própria pesquisa. Rumores existem em toda parte. nomeadamente no Bight da região de Benin. é sempre a pior situação e mais vulneráveis. No entanto. Estes dias. Não só tais atos representam sérios problemas para a sociedade civil e instituições do Estado Africano. Primeiro. raramente é considerado como tendo ocorrido uma forma totalmente natural. as suspeitas se tornam as acusações através de um processo de designação da bruxa. etc. o fenômeno de crianças suspeitas ou acusadas de bruxaria não é um novo desenvolvimento. Em vez disso. Como Gerrie ter Haar afirma. quando ocorre algum infortúnio. excluir a compreensão empírica de causa e efeito. Para ilustrar essa teoria. Ninguém questiona que era a doença que o matou. de manifestar essa religião ou crença. Pentecostal. acusações de feitiçaria contra a recém-nascidos . Em casos de suspeita. a bruxaria não explica como a pessoa morreu por quê. entre suspeitas e acusações. O processo de designação de um autor é. No passado. etc Como EvansPritchard observou alguns 80 anos atrás entre os Zande. as viúvas que vivem sozinhas são freqüentemente acusadas de bruxaria apenas na base de ter eyes. um passo adiante no processo de suspeita já em curso. mas também para aqueles que defendem os direitos humanos. contudo. este direito inclui a liberdade de mudar de religião ou crença ea liberdade. É somente quando a designação é tornado público que a crença na feitiçaria entra em jogo e exige algum tipo de sanção. A existência desse tipo de violência exige uma série de distinções a serem feitas. as acusações de feitiçaria não são totalmente expressos.) Infortúnio. considere o seguinte exemplo de um contexto moderno: um menino morre em conseqüência de cirrose do fígado. 2. Ainda de acordo com Evans-Pritchard. com razão. não representa qualquer problema particular. há um número crescente de denúncias contra as crianças. seja sozinho ou em comunidade com outros e em público ou privado. "todos os infortúnios são devidos à feitiçaria" (1937: 53). na região de Lobaye. pelo ensino. mutilados e mortos em conseqüência de acusações de feitiçaria pelos curandeiros locais. A crença em feitiçaria não significa. mas as medidas tomadas em conseqüência da crença "(2007: 9). "Todo homem tem direito à liberdade de pensamento. Alguém suspeitar não é necessariamente o mesmo que acusá-los. esses curandeiros tradicionais normalmente contam com várias poções altamente tóxico que administrar ao suspeito ou outra bebida si. De acordo com o artigo 18 da Declaração Universal dos Direitos Humanos.18 vermelho Estes são apenas alguns de uma longa lista de exemplos. eo simples fato de alguém se comportar de maneira diferente (isto é. bruxas. que é. Atualmente. chamado de "provação". foi conduzida por médicos tradicionais que invocavam espíritos e deuses para ajudar a identificar bruxas. Note-se que designar uma bruxa é mais comum nas igrejas (revivalista. Não é a crença de que os mata. Neste sentido. não conformes às normas da sociedade e as regras de boas maneiras e respeitabilidade) pode dar origem ao aparecimento de boatos. no oeste do país. este processo. É importante.

a política de indigenização resultou em missionários das Assembleias de Deus aprender a linguagem mais e investir na tradução de texto bíblico (ibid. As representações. de data recente e ocorre em áreas urbanas. Camarões (Pirot. Pentecostais. Outra possível razão é a diferença na percepção do mal em cada uma das religiões. O pastorprofeta é uma figura importante no processo de acusando crianças de feitiçaria. 2006:113). os mecanismos sociais e escala do fenômeno em relação a recém-nascidos . comentam Christine Henry e Emmanuelle Kadya Tall. Em contraste com a prática cristã. etc). em particular na Bacia do Congo e Nigéria. Makulo.24 Com exceção da Libéria. conflitos e guerras civis intermináveis. 25. "Quem quiser louvar a Deus". 2008. por exemplo.algumas vezes levando ao infanticídio ou abandono . na República do Congo. o fenômeno urbano de crianças bruxas ocorre principalmente na Bacia do Congo. entre Brazzaville e Pointe-Noire (Yengo. por efetivamente validar a presença de um "espírito de feitiçaria". 2004). Angola. nas áreas de cultura Kongo (Yengo. em particular as bruxas. Uíge e Luanda. criança. O fenômeno de "crianças bruxas" é na verdade. Por exemplo. parece que este fenómeno é muito menos significativa nos países islâmicos. mais precisamente. apresentar sua fé como uma forma de armadura divina contra a feitiçaria. a situação é diferente quando comparado com novas representações da bruxaria que envolvem crianças nas principais cidades Africano. Os demônios são geralmente .). e submeter-se versos de aprendizagem em uma escola corânica" (2008: 19). 2. Apesar da falta de informações precisas e detalhadas.parecem ser uma prática antiga e às vezes ainda ocorrem. O fenômeno parece estar ganhando terreno nos países que estão geograficamente próximos (Camarões.devem ser estudadas em mais detalhe e dirigida pelas autoridades competentes e as organizações internacionais. o Congo ea República Democrática do Congo. eo recrutamento de crianças-soldados. Não deve haver qualquer confusão entre essas "crianças bruxas". carismático. e participam activamente na luta contra o Mal que é encarnado por meio de bruxaria. Eles são tipicamente com base nas circunstâncias da entrega ou deformidades congênitas (2008: 299). não é atribuída a uma única figura que personifica Evil. Muitos mais estão vivendo nas ruas de Mbanza Kongo. com "mal-nascido" crianças.19 2. capital da província do Zaire. típica da África Central. onde tem crescido constantemente nos últimos trinta anos.23 casos têm também foram relatados . Não é por acaso que esses países. também sofria de instabilidade política. Libéria e Serra Leoa). Bruxaria é capaz de integrar-se tão bem no discurso cristão porque foi personificado e associado com o Diabo ou Satanás. É importante compreender por que as reações à bruxaria em países da crença islâmica diferem daquelas dos países cristianizados. "deve fazê-lo em árabe. mas sim crianças mais velhas e aqueles à beira da adolescência que já estão em situações difíceis. discute o Islã "demônios". A tradução da Bíblia para a língua local era uma prioridade para primeiros ministros e sacerdotes: "A Palavra de Deus: aberto a todos" (Fancello. no plural. Em contraste. Predominância do cristianismo Igrejas.apesar de em menor número . especialmente as que pertencem ao movimento pentecostal e profético (revivalista. colocando textos sagrados ao alcance de todos. o Islã considera árabe para ser uma língua sagrada e rejeitou qualquer tentativa de traduzir os textos religiosos nas línguas locais. CAR. Se beneficiam da bruxas o mesmo suporte de Satanás ou o diabo no discurso islâmico? Embora se deva reconhecer que no Islã há referência a uma força satânica. Certos autores acreditam que a diferença decorre da capacidade de traduzir sua mensagem religiosa. Em vez disso. 2005) e na Central Africano República (CAR) 0. em Burkina Faso. desempenham um papel importante na difusão e legitimação dos medos relacionados à bruxaria e. no norte Angola. Áreas documentadas De acordo com fontes disponíveis e as nossas próprias informações.22 Um grande número de crianças acusadas de feitiçaria também foram documentados em Akwa Ibom Estado no sudeste da Nigeria. No entanto. o que não recém-nascidos preocupação. é importante esclarecer que a presente discussão de "crianças bruxas" refere-se ao fenômeno recente em áreas urbanas. milhares de crianças acusadas de feitiçaria foram expulsos de suas casas e vivem atualmente nas ruas de Kinshasa20 Lubumbashi21 e na República Democrática do Congo (RDC).em Douala. Gabão e Nigéria. o cristianismo tem facilitado a localização bem sucedida de sua mensagem e levou à criação de autênticos movimentos Africano e igrejas.1. 2008).2. Nigéria e Serra Leoa. Portanto.

As crianças entram na adolescência. No entanto. Yengo. Conseqüentemente. como notas de Boeck. Filip de trabalhar Boeck30 em Kinshasa. o outro de ter se casou novamente. 2008. Tonda. a fim de ganhar acesso ao mundo moderno. . que é a própria encarnação de uma reação cultural à crise. Acusações de feitiçaria na maioria das vezes alvo crianças pequenas. Discordâncias com o padrasto ou-mãe pode ser a origem de uma acusação. O poder da criança. acusações de feitiçaria são acionados por argumentos sobre a redistribuição da riqueza recém-adquirida. Esses adolescentes tornam-se associados à bruxaria imaginado. De um modo geral. e também pode afetar adolescentes. 26 DRC27 e Nigéria. bem como estudos antropológicos (De Boeck. por vezes. Em situações de uma inversão de poder entre os velhos e jovens. parece ser reduzida. 2004). 2. "tornar-se uma bruxa é certamente uma forma de alcançar a independência" (2000. Em contraste. houve uma transformação na percepção do poder da criança: antes as crianças eram consideradas muito fracas para a prática de bruxaria. decidir deixar a sua marca através de um ato de revolta ou rejeição em relação às atitudes e "tradições" de seus pais que eles consideram ser inútil e irracional. o Islã se apresenta como um antídoto contra a feitiçaria. Os espíritos últimos são geralmente considerados como responsáveis pela doença e loucura que é atribuído a possessão satânica. 29. porém. embora haja uma diferença na percepção do mal. Às vezes a criança é enviada para uma família de acolhimento de acordo com as regras de parentesco (matrilinear ou patrilinear). Além disso. a questão permanece como a razão pela qual as crianças são acusados com mais frequência nos círculos cristãos. O presente estudo segue a gama mais ampla de idade sugerida pelo antropólogo Flamengo.2. mas as crianças mais velhas e não com uma compreensão da responsabilidade. por talismãs desenvolvimento ou outras contra-medidas para advertir ou frustrar feitiços bruxaria ou ataques. vulneráveis e que vivem em circunstâncias socialmente precária. Crianças que perderam um dos pais.adolescente ou adolescente. parece que a resposta está dentro de doutrinas e representações que cada religião tem em relação a crianças e seu lugar no sistema religioso. às vezes até o início da adolescência aos 13 ou 14 anos.3. seu "poder" parece estar ganhando força. O perfil das crianças alvo de acusações Studies32 várias pesquisas e identificou os perfis de crianças que estão particularmente em risco de acusações de feitiçaria. na crença cristã. 2008). nomeadamente através do simbolismo da manducation31 antes restritas aos adultos. A idade certa para acusações? Um número de escritores estimam que a idade mais comum para as acusações de feitiçaria é entre quatro e sete anos de idade (Yengo.3. 2. 50). portanto. as crianças acusadas de bruxaria são muitas vezes pre. o Alcorão não aborda filhos menores. É durante a adolescência que os jovens se tornam significativos atores sociais. Agora. adolescentes. O estado central e ambivalente social das crianças toma forma na figura da bruxa. que começam a tomar o seu lugar no espaço público e que sua influência na esfera pública se torna mais aparente. E por que essas acusações menos comuns no Islã? Não há dados suficientes detalhado para responder a estas perguntas. 2008). como na crença islâmica atual. ou os adultos responsáveis por elas. 2000. a criança não seria capaz de assumir o papel de uma bruxa. Crianças que perderam ambos os pais. de acordo com de Boeck (2000: 34). Qual é o perfil de uma criança acusada de bruxaria? De acordo com estudos realizados UNICEF em Angola. enviada para viver com outro parente. pois eles distinguem-se dos antecedentes familiares. 28 de outras fontes em CAR. acusados com o rótulo de bruxa criança.encarnado como gênios e shayâtîn. e como um meio de ganhar a independência. é claro que.3. No entanto. Outras fontes referem-se a crianças entre 8 e 14 anos (D'Haeyer. Jovens que adquirem uma certa quantidade de riqueza e tornam-se figuras de sucesso são rapidamente suspeitos e acusados de bruxaria.1. Apesar da tradução da mensagem cristã ea percepção de feitiçaria como obra do Diabo. nomeadamente no que respeita aos recursos financeiros. a de entre três e 18 anos de idade. assim. 2.

não só na RDC. se eu sacrifiquei alguém. Stéphane. 2. No entanto. de acordo com Emilienne Raoul. Cahn. olhos vermelhos. Solidariedade. mas também no CAR. e as consequências fatais que podem seguir. em geral. a sereia que alimenta o imaginário coletivo.Crianças que vivem com uma deficiência física (qualquer anormalidade física: cabeça grande. Viver na rua é uma das conseqüências comuns de acusações de feitiçaria. Além disso. (De Boeck. desemprego. Segundo a crença. por exemplo as crianças que são teimosos. é importante esclarecer o contexto em que . Congo Ministro dos Assuntos Sociais. etc Mamuya explicou como e por que ele matou seu irmão. caracterizada pelo mito urbano de Mami Wata-. As crianças são. agressivo. Este é certamente o caso em d'Haeyer's (2004) observações em Kinshasa. As meninas também são suspeitos de se transformar em uma sedutora. formiga.3.3. Eles nunca mentem "(Março 2007). a capacidade de transformar-se em um animal (coruja. Isso pode ser por causa do valor atribuído a meninas fazendo o trabalho doméstico ou de acolhimento de crianças. tuberculose. mas constituem uma categoria separada. retirada ou preguiçoso. todos os tipos de comportamento que. e se aplica a crianças que vivem na rua. gato ou cobra). ele não é mais permitido para associar com outras mulheres. mesmo HIV / AIDS. etc). e é também um indicador da escala do fenômeno. malária. nos seguintes termos: Komazulu é um coronel do "segundo mundo" e ele se ofereceu para me promover para o posto de capitão. prometendo-lhe riqueza. explica: À noite. acusado de causar diarréia. 2000. portanto. etc. "Bad nascimento" as crianças podem também estar aberto a acusações de feitiçaria. tuberculose. No entanto. por exemplo. 2005) e nenhuma análise precisa estatística foi realizada para confirmar a tendência a acusar mais meninos do que meninas. Poderes bruxa outros também são atribuídos. aqueles com uma doença física (epilepsia. Nesta situação. ela acabará por levá-la louca vítima. Meninos ou meninas? Uma série de studies33 indicam que as acusações de feitiçaria alvo meninos acima de tudo. pensativo. É por isso que eu matei meu irmãozinho. Estas contas são surpreendentes raramente questionadas. aparecem como incomuns ou anormais. Ela seduz "vítima".as crianças comem suas vítimas a partir do interior.4. mesmo aqueles que gaguejam) ou crianças especialmente dotadas. 2004: 58) Embora o ato de comer continua a ser uma parte central destas contas . e seu potencial de riqueza noiva. explicou: "As crianças são muito puro e inocente demais. porque Mami Wata-é muito ciumento. Em suma. uma vez que um homem tenha assinado contrato da sereia. barata. a fim de entrar em casa da vítima. Acção Humanitária e da Família. me transformo em uma barata a sair pelas grades e encontrar-se com meu tio. em um contexto específico definido pelo discurso da feitiçaria. como a prostituição. Raoul estima ainda que as meninas constituem uma mera e cinco por cento da população sem-teto. Em geral. Como o superintendente da polícia em Bangui. O poder das bruxas criança A principal potência atribuída a crianças bruxas é a capacidade de infligir danos a partir do mundo invisível ao visível. Eu dei-lhe diarreia e morreu com ele. que está afetando as meninas cada vez mais jovens. este consiste na transmissão de uma doença de um parente que deve ser "sacrificada" em conjunto com colegas bruxos. eles também são suspeitos de provocar geral infortúnio. que havia mudado em um gato (Bangui. Mami Wata-é uma mulher branca com cabelos longos e lisos. Crianças mostrando qualquer comportamento incomum. agora com 12 anos. Os números apresentados para as meninas podem obscurecer outros fenômenos. Dezembro de 2008). os meninos provavelmente têm maior visibilidade. barriga inchada. crocodilo. etc) ou transtorno psíquico (autismo ou Síndrome de Down. insuficiência pobreza.3. 2. Outras pesquisas rejeita estas sugestões (De Boeck.

34 Embora uma criança possa possuir o poder de bruxaria. econômicos e políticos. escreveu Evans-Pritchard sobre a bruxa Zande (1937: 7). Em um ambiente emocionalmente seguro. Transformação de representações . De acordo com Christine Henry e Kadya Emmanuelle Tall (2008: 27). Nesta seção. 2. Primeiro. Eu estava enfeitiçado por minha avó. Para que uma criança a desenvolver plenamente seu potencial bruxa. Mauss sugere que presentear implica uma dupla obrigação: dar um presente e retribuir (1932 [1968]). Contas das crianças. Em todas as contas. pode criar o medo. a bruxaria é uma energia que é passada de uma geração para a next. 1976: 3). da violência ou ameaças por parte de seus pares. evus (feitiçaria) é passado de pai para filha (MallartGuimera. Uma noite. Conseqüentemente. toda a vida social é baseada neste princípio de reciprocidade. ela veio me ver quando eu estava dormindo. o conto é o resultado do medo.as crianças normalmente produzem estas contas. tanto para adultos e crianças. Uma análise a partir da perspectiva dos direitos humanos. incluindo obrigações de parentesco manutenção.1. a criança torna-se em débito com a bruxa. 2004: 27) Nesta história. O impacto de acusações de feitiçaria contra crianças em Angola. As viagens noturnas são freqüentemente iniciado pela "bruxa da guarda" e acompanhado por outras bruxas. Foi por isso que só os idosos foram acusados.desde a velha bruxa a bruxa criança Como discutido acima. 2. Em contraste. (D'Haeyer. A incapacidade de retribuir contraria o princípio da troca recíproca formulada por Marcel Mauss. e uma vez que a obrigação não podem ser satisfeitas. a UNICEF. a criança pode se retratar. de pai para filho e de mãe para filha (Evans-Pritchard. No entanto. vou sugerir alguns fatores que parece ser prevalente em recentes acusações contra as crianças. a criança "assina um contrato" com a figura da bruxa. é transmitida linhas de gênero. fatores sociais. corresponde às representações de procriação e crenças no julgamento final. nunca agem sozinhos. é difícil propor uma resposta simples para a pergunta: Por que as acusações de feitiçaria em certas regiões da África sub-Saara da África alvo crianças tantas vezes nesses dias? Observadores da sociedade Africano. Por que as crianças são acusados A bruxa criança é um paradoxo. o idoso ainda é uma figura importante no ato de feitiçaria. uma vez que ela é a pessoa que transfere o poder para a criança. Segundo esta teoria. entre os Evuzok no sul dos Camarões. No entanto. A "modernização da bruxaria" tornou possível para comprar poderes de bruxaria. que podem ter causado este fenômeno. econômicos e políticos. eles . "Quanto mais velha uma bruxa a mais potente sua bruxaria e os mais inescrupulosos use sua". Ela me deu pão e chá. Em seu estudo da cultura polinésia. Crença de bruxaria também pode fornecer um status social especial para as crianças dentro de um grupo. "a teoria de que o fenômeno é uma reação à globalização e à ascensão do individualismo é inadequada". embora um envenenado (De Boeck. Neste sentido. vou discutir como tem havido uma mudança nas representações da bruxaria. ele ou ela foi considerada como muito fracos para usá-lo. chá ou de manga. segundo relatos das crianças acusadas de feitiçaria. especialmente entre aqueles que vivem na rua. outra transformação deve ocorrer.4. a bruxa parece exigir reciprocidade para o seu dom. 2000: 55). aceitando o pão. bem como as mudanças que ocorreram dentro de feitiçaria relacionados com representações. 1981: 83). Bruxaria foi assim transformado a forma de um dom. o ato de adquirir este poder voluntariamente continua a ser um "privilégio" reservado para os adultos. Então eu vou analisar fatores sociais. Em um estado plenamente desenvolvido e eficaz. um menino de dez anos.4. Um dia ela me disse para matar papa em troca do pão e chá que ela me tinha dado. explicou como isso pode ocorrer: Eu era uma bruxa. quando tomado literalmente. especialmente antropólogos. entre os Zande no Sudão. Foi quando comecei minhas viagens astrais com ela. são unânimes no que respeita à complexidade da 18 crianças acusadas de bruxaria 34 A transmissão da feitiçaria em geral. Por exemplo. Aristote. Quando a criança é jovem. e às vezes parecem ser utilizado pelas crianças como uma maneira de assustar aqueles que maltratam. Durante essas viagens. o poder pode passar a ser transmitida a uma criança por comida ou bebida.

portanto. por extensão. De acordo com De Boeck.1. que sofreram uma crise aguda e multiforme (social. Eles têm um certo grau de independência financeira e muitas vezes são os que fornecem o alimento para a família através de suas atividades de pequena escala comercial.2.e. tinha a impressão de que tinha perdido "pista o direito de modernização" (Geschiere. ele não hesita em acusar por sua vez. senão impossível. de solidariedade "Africano". as crianças que foram abandonadas ou maltratadas aceitará o alimento de uma "mãe bruxa".participam de festas noturnas durante o qual eles comem carne humana e beber sangue. Na verdade. que deixaram para a França após a decisão de não levá-la . Quando a criança acusada de bruxaria faz sua confissão. solteiros ou viúvos. No entanto. mães. Enquanto um pequeno número de indivíduos ganharam a riqueza rapidamente. 1995). uma mãe sem nome. deixá-los em vez de alimentá-los (Brodeur. Por exemplo. 56). 2. recontada por Geneviève N'Koussou (2008): a menina acusa sua mãe e meioirmão. é necessário analisar brevemente o conceito de família. irmãos e irmãs (no sentido mais amplo). Desta forma. Nestas circunstâncias. política e cultural). apesar desses esforços. Muitas pessoas. se econômica ou emocional. Esta "mãe bruxa" pode ser alguém que a criança sabe. de acordo com Brodeur (2009). a criança deve comer a mãe dele ou dela (ou outro membro da família ou vizinho).2.4. relações de parentesco e as relações inter-geracionais. para falar da "família Africano" é difícil. Não existe um modelo único de "a família Africano" que pode ser aplicado em todas as regiões e todos os grupos étnicos no continente. bem como desejos ocultos. 2. Além disso. levando a extrema violência não só contra a criança. as mães cada vez mais jovens. as mudanças sociais que se seguiram à ascensão do atendimento urbanização capitalismo. é óbvio que houve fortes tensões entre os idosos e os jovens. No entanto.deparentalization36 . Fatores sociais Um aspecto da crisis35 multi-prova ser particularmente importante em acusações de feitiçaria contra crianças. A idéia da mãe como protetor também é posta em dúvida no caso de Magali. Estas acusações públicas ter consequências graves para os adultos. ea escola teve um efeito profundo sobre a família. 2009). a imagem da "mãe bruxa" constitui uma mudança radical a partir de "um modelo cultural profundamente enraizada onde as mulheres são considerados como criadores. ou "mães". logo se transforma em uma mãe. A fim de melhor compreender o lugar da criança na família "Africano". estão encontrando dificuldades para criar seus filhos. o da geral disfuncionamento da família . especialmente os jovens. Muitas vezes eles desencadeiam reações fortes entre a população. "Crianças bruxas" como resultado da "crise multi-" As últimas décadas do século XX foram particularmente difíceis para a maioria dos países da África Subsariana Africano. a criança não escolher alguém aleatoriamente. sobretudo.4. Talvez seja significativo que atualmente as mulheres estão cada vez mais ativo na sociedade. Eles também visitar "mercados místico". O psicólogo Togo Ferdinand Ezémbé afirma . que de alguma forma compensar o que a primeira mãe não poderia oferecer. Nas festas humanos comedores de carne humana. especialmente no que diz respeito à alimentação. Incapaz de atender às necessidades de seus filhos. Os anos pós-independência representou um período cheio de esperança. econômica. Estas promessas de riqueza para todos acabou por ser falso. Os fenômenos da bruxaria e "crianças bruxas" refletem uma profunda reestruturação de parentesco. filhos-criadores e. a maioria das pessoas afundou-se um atoleiro da pobreza. Eles normalmente são mulheres. e os grandes discursos no final da década de 1970 inspirou milhões de pessoas. e também uma de primos. que é inicialmente um fornecedor de alimentos. e que o número de famílias chefiadas por mulheres está em ascensão em áreas rurais e urbanas (Ezémbé. a "mãe bruxa". eles agem de forma inconsistente. como forças de regeneração para o sócio-cultural tecido "(2000. canibais monstruosos durante as viagens noturnas. a pessoa que supostamente transmitiu o poder de feitiçaria com ele. mas também para a pessoa mais velha que foi acusado. Essa acusação é desencadeada por emoções fortes do que resulta do abandono da menina. ou não sabe. 2009: 104).

As mudanças afetam a legitimidade da autoridade parental. mas que não dá nada para sua família pode ser acusado de feitiçaria por seus parentes. em especial. O princípio da dívida comunidade garante a longo prazo da segurança social para os contribuintes. uma linhagem ou uma comunidade. Deve ser enfatizado que as propinas representam a principal despesa entre os aldeões. um missionário que foi delegada ao mundo da modernidade e que carrega todas as esperanças de sua comunidade "(ibid. o mercado econômico. As crianças são levantadas por esta família . Através crescente individualização. Além disso. a hierarquia "tradicional" era essencialmente com base nos critérios de idade eo status social dos indivíduos. perpetuando estas relações sociais. na situação em que eles são incapazes de corresponder às expectativas e responsabilidades para com os mais velhos. se eles vivem na cidade ou no campo. Essas denúncias são muitas vezes acompanhada pela frase: "o perigo vem da vila". em detrimento dos laços comunitários e de solidariedade familiar. tais como pertencentes à mesma linhagem ou a mesma geração" (Ezémbé. Dumbai e Lallau. ou a sua sobrevivência. por sua vez tornam-se credores. para usar a expressão de Alain Marie (1997). ambos representados pelas crianças. Em seu trabalho com o Nube. Uma criança nasce em uma comunidade e deve o seu nascimento não só para seus pais biológicos e sociais. deve-se pensar grande e considerar as relações mais ampla. 1937: 18). a interdependência entre o grupo eo indivíduo é muito forte. Primeiro de tudo. No entanto. e pode ser considerado como um investimento social para o futuro. Por exemplo. Os motivos mais citados para a alta taxa de natalidade é o desejo de preservar a linhagem ea prosperidade económica. No sistema de comunidade auto-ajuda. a criança pertence à comunidade.que "através da interação de múltiplas alianças simbólicas e biológica. os indivíduos têm de ser capazes de assumir as suas responsabilidades eo seu papel na sociedade. essa dívida muitas vezes pesa sobre os filhos. o insucesso escolar ou profissionalmente também pode ser explicada em termos de bruxaria e atribuída a parentes com ciúmes. em países que estão passando por crises múltiplas e onde as instituições estão mostrando sinais de disfunção grave. uma criança que. Como investidores. 2009: 98). De maneira semelhante. o indivíduo só existe como membro de uma família. Nadel mostra que "em cada família há um número de parentes que são conhecidos por serem parentes mesmo que ninguém pode afirmar exatamente o grau ou natureza da relação" (1947). que é em si um discurso sobre moralidade. A criança. parentes enviar as crianças para o princípio da reciprocidade e à sua influência. o consumismo e as pressões financeiras têm provocado mudanças no seio da família. Esta independência precoce contribui para minar a autoridade parental (Ballet. Ele só existe porque deram-lhe vida. e que o aluno da escola simboliza o capital econômico futuro. Tão logo a criança nasce. que assim se recusa a compartilhar sua riqueza . ou dom e contra-dom. o de quid pro quo. o seu nascimento também pode ser o resultado da intervenção divina ou através da intervenção dos antepassados.seus parentes .pode ser acusada de bruxaria. e às vezes até antes. O sistema é governada pelo que Alain Marie chama de "princípio da dívida comunidade". Atualmente. mudanças sócio-económicas estão a promover um aumento do individualismo. em situações onde os pais são incapazes de prover suas necessidades (alimentação ou educação deles. É verdade que a crença de feitiçaria interfere com o sistema de valores que rege o comportamento humano (Evans-Pritchard. Neste contexto. "longe de ser individualizada e mais ou menos cortado de parentes de sua aldeia através do processo de escolarização. mas também a seus antepassados e outros espíritos. as crianças estão rapidamente se tornando responsável por suas próprias vidas. A cidade. Nessas condições. ninguém pode dizer onde uma família começa ou termina" (2009: 97). nada é deixado ao acaso.um indivíduo excessivamente individualizado . pelo contrário. Uma vez que eles se tornam adultos e os pais. e que dos mais velhos na família. No entanto. o aluno é. Embora uma criança é a prole de dois pais que são reconhecidos socialmente. 2007). com foco em "características comuns compartilhados por indivíduos.e não apenas por seus pais biológicos. Longe de desaparecer ao longo do tempo. com sucesso. Relações sociais que se formam em torno de um discurso sobre a moralidade de vários indivíduos fazem alusão freqüente à bruxaria. . Este princípio funciona de forma semelhante ao descrito acima. Para entender o conceito de família na África. os pais biológicos não têm direitos exclusivos sobre seus filhos. por exemplo).). as crianças. de acordo com Alain Marie. a família continua a ser uma fonte de segurança social e médica. um emprego remunerado. passaram pelo sistema escolar e encontrou um emprego.

Por exemplo.2. o fenômeno não aparece em todos os lugares. com um relative41 que já tem filhos. acusações de feitiçaria contra crianças são muito raros. promove o discurso da feitiçaria. Fatores econômicos e políticos Fatores de pobreza e econômicos são significativos em acusações de feitiçaria contra crianças. O fator mais citado é o da pobreza eo empobrecimento geral da população Africano. No entanto.Atualmente.4. Em certos países.). para que de ricos sobre pobres. Crianças que já estão vivendo em situação de vulnerabilidade (ou porque são vulneráveis) são mais frequentemente acusado de witchcraft. a criança mais frequentemente se encontra em uma família reconstituída. a fim de trabalhar nas minas de diamante. Alguns dos adolescentes ganham maior poder financeiro do que seus pais. eles são capazes de cuidar de si mesmas muito mais cedo. algumas delas são percebidas como um fardo. A pobreza. crises institucionais (a falta de serviços de saúde) e as crises econômicas e sociais. Neste "host" da família. tudo contribui para a morte prematura e. invertendo os papéis de fundos e de redistribuição. Nestes dias as crianças podem aparecer como uma carga extra no orçamento familiar.2. 2. com razão. CAR. O questionamento da autoridade com base na idade tornou-se um fator de acusações contra as crianças. ou seja. Javier Aguilar Molina. O aumento da desigualdade econômica criou uma profunda mudança no sistema de reciprocidade por vezes.uma consequência da crise e metas para as acusações de feitiçaria O recente aumento no número de órfãos é um resultado direto da crise política (guerras civis e golpes de Estado). As crianças que possuem dinheiro se tornam "chefes". pregadores da igreja ou o custo do tratamento. portanto. a criação de órfãos. famílias com os meios suficientes. 2. de acordo com Adam Ashforth (2005). Confrontados com dificuldades em pagar as propinas escolares ou mesmo de alimentação todas as crianças. os serviços de saúde inadequados e a incapacidade de seguir o tratamento adequado em casos de malária. nomeadamente Angola. RDC e Nigéria. a pobreza caminha junto com contextos político-militar. o desemprego ou a incapacidade econômica dos mais velhos também desempenha um papel no enfraquecimento de sua autoridade. que os fatores econômicos não podem fornecer a única explicação para este fenômeno. porque acusações de feitiçaria incorrer em despesas significativas. entre os Wagenia.4. sejam elas provenientes de taxas para os curandeiros.40 Se o órfão tenha perdido um ou ambos os pais.2. e sua idade é ignorada (ibid.37 apenas explicativa Em seu estudo de 2005. No passado (e às vezes ainda hoje). a desagregação dos laços familiares ea perda da autoridade parental são apenas dois dos possíveis fatores de acusações de feitiçaria contra crianças. a criança pode ter uma sensação de constrangimento ou ser tratado de forma diferente das . O caso de Kisangani. também acusam as crianças. o que acentua a diferença entre gerações (De Boeck. Órfãos . Nos bairros onde o Wagenia são o grupo étnico majoritário. mas também para a criação de mais orphans. o número de crianças foram uma garantia de prosperidade econômica. As famílias mais pobres são muitas vezes forçados a fazer seleções entre os seus filhos a fim de sobreviver. Estas situações levaram não só a um clima de insegurança geral que. embora muitos países Africano vivem na pobreza.39 Além disso. tuberculose e HIV / AIDS. mas eles não são os factors.3. destaca a importância do fator econômico em acusações contra as crianças. especialmente aqueles que vivem no exterior.38 Como resultado. adolescentes congolês migrar em grande número para a província angolana da Luanda Norte. Devido à insuficiência de recursos financeiros. essa relação hierárquica está sendo transformado de dominação e poder de ancião mais jovens. República Democrática do Congo. crianças a partir dos seis ou sete estão definidos para trabalhar em atividades geradoras de renda como a pesca ou de pequena escala trading. 2000: 46).

rebelde. e acusadas de feitiçaria por seus meio-irmãos e irmãs-: Um dia. Elas revelam as tensões graves entre a criança e os membros do "host" da família (madrasta. foi um fenômeno totalmente novo e chocou muitos dos habitantes da capital "(2006:. etc Não há nada de surpreendente sobre este fato. 2000: 45-46). como opus operatum e modus operandi de crise e de renovação. eu não me lembro de mais nada. o cônjuge sobrevivente geralmente começa uma nova família. "Quando Kabila tomou o poder e crianças-soldados (alguns com idade inferior a dez) entrou Kinshasa. O envolvimento das crianças no espaço público urbano vai além das crianças em situações de conflito. incluindo a negligência na prestação de cuidados de saúde. Sua nova esposa costumava bater-me e me acusou de ser uma bruxa.]. Práticas culturais: entre tradição e modernidade 3. 46). muitas vezes perderam seus pais nos conflitos. os jovens . O testemunho de crianças acusadas de feitiçaria são muitas vezes semelhantes a esses extratos. Vários conflitos políticos causaram significativa perda de vida entre as populações civis. ele ou ela agora representa um perigo.e ao afluxo de mercadorias do mundo capitalista. Papa foi muito fraco. considerado como um fardo ou como uma corpos demais para cuidar. Eles só continuou acusando me. de 10 anos. Através deste poder. Fantasias Magia e Bruxaria de outro mundo Em cidades Africano. Nos casos em que a criança perdeu apenas um dos pais. Ela me levou para longe (d'Haeyer. se tornou uma fonte de referência que se manifesta claramente os pontos de quebra de uma África em transição" (ibid. "As crianças nestas sociedades têm muitas vezes a capacidade. Eu não sabia que eles estavam falando. essas guerras e lutas políticas deram origem a outro fenômeno que alterou radicalmente as representações tradicionais da criança: a criança soldier. Pesquisas realizadas na RDC (Waddington. Eles estão na mídia. Eu neguei. sofrem maus tratos em uma base diária. cujo papel e presença estão no coração do atual contexto social "(De Boeck. a criança pode ser acusado de matar seus pais. minha madrasta sentiu mal depois de uma vigília de oração de dois dias. Embora seja certamente verdade que as crianças são muitas vezes vítimas da "crise multi-". Ao contrário de seus meio-irmãos. é no entanto importante ressaltar que eles também são "sujeitos ativos". foi abandonada por seu pai. 2004: 75). ou a violência física e psicológica. eles são encontrados em igrejas. O testemunho de Esther..1. as crianças nunca foram mais presente neste espaço. algumas crianças adquirem maior poder financeiro do que seus pais. Ester nunca conheceu sua mãe. dá uma conta. de 13 anos. Quando acontece algum infortúnio da família. como as crianças. Além disso. com novos filhos. os órfãos são frequentemente incapazes de freqüentar a escola. a infância ". Eles estão de pleno direito os atores sociais. Seus irmãos disse que eu tinha enfeitiçado ela. meio-irmãos e irmãs-. Ela disse que eu estava fazendo meu pai doente.outras crianças do casal. por exemplo). em 1997 na RDC. dadas as mudanças sociais das últimas décadas que têm afetado os jovens em particular. Ela tinha dor no estômago. no exército. acusando-o de feitiçaria ou ela serve como uma justificativa para a violência e dá origem ao desejo de se livrar deles. Quando a criança já está indesejados. Como de Boeck salienta com razão.. 2006) e Angola43 indica que crianças que foram acusadas de bruxaria.: 32).44 notas De Boeck que.42 Roger. "os fabricantes e disjuntores" destas situações. eles são ativos na produção musical. para exercer uma influência poderosa sobre o mundo em que vivem. mas ninguém queria me ouvir. De acordo com de Boeck. Em alguns casos. o órfão é um alvo favorito para as acusações de feitiçaria. tanto de uma maneira positiva e negativa [. Uma criança com uma arma e que intimida as populações locais não é mais visto como um ser frágil. crianças e jovens nunca foram tão presentes na mente do público.embora desaparecendo . Vimos acima que no domínio econômico. Travado entre os valores tradicionais . revela as tensões dentro de uma família reconstituída. Estas tensões podem levar a atos de violência em situações onde as famílias se estão sob forte tensão. 3. similar típico: Mama deixou longe quando eu era pequeno.

que só empurra-los a afirmar-se ainda mais. Nesta situação. mesmo que seja carne humana). Ele dá-me a carne e sangue e eu comer e beber. Ele me deu um dia uma manga. que. Confusão e frustração. que também é uma bruxa. (De Boeck. eu prefiro as nádegas. surgem a partir de um sentimento de fracasso e impulsiona o jovem a buscar refúgio em um mundo diferente. "A nova era da globalização pode ser visto como a produção do desejo em uma escala global.. explica um morador Kinshasa ". mas a realidade provou o contrário. e aqueles que vivem lá e sabe tudo. Em particular. comê-lo. para nossas casas das vítimas. Tenho 16 anos de idade. 2004: 58). como os descritos por Mamuya. e eles têm o poder de matar. Na noite seguinte. eu mudo para uma barata. excluídos e incluídos. maltratadas. O "segundo mundo" invisível ou. eles têm quatro olhos. com a ajuda da sereia. De acordo com a juventude Comaroff e Comaroff (1993).). Por esta razão. Enterrei-los vivos. Eu matei o meu irmão e minha irmã também. Eu os fiz sofrer acidentes de carro ou avião. Agora eu deixei o mundo das sombras. a "crise multi-" aumentou o desejo por riqueza material. É neste segundo mundo que essas crianças e jovens que foram abandonadas. matá-los. A partir de então. A oração desperta o morto e.muitas vezes se sentem frustrados e inquieto. Outra confissão torna este desejo claro: Eu comi 800 pessoas. Desta forma. O segundo regras do mundo ao longo dos primeiros "(De Boeck. 2001: 63-64). Ambos estão no centro dessas mudanças. Se não se defender muito bem. parece se espalhar mais amplamente em situações de crises graves que criam frustrações. Às vezes. em seguida. graças a uma sereia que me levou todo o caminho até o porto de Anvers. graças à oração do pregador que me tratou de uma igreja. e eles podem ver claramente no mundo do dia e do mundo da noite. Há três de nós no nosso grupo. têm estimulado o desejo de auto-expressão e auto-afirmação entre os jovens. eles são capazes de satisfazer as suas necessidades (eles podem comer o quanto eles querem. falhas e decepções. quando um homem acaba de ser enterrado no cemitério. O desenvolvimento das culturas globais através da mídia. eles também contribuem para a sua criação. Nesses relatos. que fizemos a partir da casca de uma árvore de manga. Às vezes eu viajo na minha vassoura. Eu me tornei uma bruxa por causa de um dos meus amigos. Ele faz a matança. nós voamos no nosso "plano". O testemunho de crianças acusadas de feitiçaria revela a importância do mundo segundo quando eles descrevem suas actividades nocturnas. À noite eu estou com 30 anos e tenho 100 crianças. "O mundo segundo é o mundo invisível". ele veio para casa dos meus pais e ameaçou me matar se eu não lhe dei um pouco de carne humana em troca da manga que ele tinha me dado. nós vamos lá e dizer uma oração. Seu poder é usado contra aqueles que têm . pertencente ao segundo mundo pode simbolizar uma forma de sucesso que pode compensar o fracasso eo desespero da existência difícil no mundo visível. Eu mesmo fui para a Bélgica. Komazulu é o piloto. as crianças e jovens não são apenas uma referência central no imaginário contemporâneo Africano.] O nosso grupo já matou oito pessoas." propor Comaroff e Comaroff. as crianças não têm a mesma idade. incorporar "as contradições crescentes em nosso mundo atual. às vezes uma perna. Mas os outros que ainda estão no "segundo mundo" keep me importunando. especialmente a Internet. ao mesmo tempo está se tornando cada vez mais difícil de obter.. pode encontrar abrigo e tentativa de sobreviver. Eles. As vítimas não tinha feito nada contra nós. porque eles têm medo traí-los. Eu continuo de volta um pedaço de carne para dar a minha avó. se refugiar neste mundo segundo onde se tornam alguém "importante". e na fronteira entre as esferas pública e privada. às vezes. o mundo noite se torna cada vez mais poderoso e ameaça tomar o poder no mundo visível. [. "a promessa de infinitas possibilidades colide com as impossibilidades criadas pelo aumento das disparidades em termos de riqueza" (ibid. 2000: 36) Crianças abandonadas.: 95).: 98 ). Agora eles querem me matar. voando sobre uma pele de abacate. Eu não contei a minha mãe sobre isso. então. Quando voam à noite.. Eu também matou todos os filhos de minha mãe "(Beeckman. negligenciadas ou que estão doentes. com 16 anos: Meu nome é Mamuya. e nas piores formas" (ibid.e então eu o matei. para usar termo de Boeck é (ibid. ele dá-me um braço. As imagens do mundo capitalista prometeu uma nova era. tornei-me seu parceiro noite e se juntou ao seu grupo de bruxas. Komazulu. portanto. Pessoalmente. como Mamuya têm dificuldades para encontrar seu lugar no mundo visível. À noite. especialmente para os jovens. Mas às vezes nós julgá-los de qualquer maneira. O segundo mundo é maior que a nossa. Meu pai perdeu o emprego como engenheiro por minha causa . Às vezes.

essas práticas. 2000: 47). com o cabelo que você pode fazer um colchão ou um sofá para a sala de estar. 3. por exemplo. o vidro que os clientes beber. em seus excessos grotescos. "Anormal" nascimentos Nós já discutimos como. a água no corpo é o óleo de motor. a apresentação de qualquer variedade de posições culatra. qualquer defeito físico. pois tem um duplo significado: representa tanto a liberdade e riqueza. e permite às crianças expressarem os seus próprios desejos. estas crianças viajar para outros "melhores" lugares. na Bélgica. pagar uma multa (de danças e cerimônias). por vezes em formas ligeiramente modificada. A expressão mais uma vez tem um duplo significado no mundo invisível. um telefone celular. Além disso. um balde para lavar-se. Entre os Bariba no norte do Benin. uma televisão. Eles deviam ser mortos ou abandonados logo que nascem. um Gnango ou criança-bruxa é considerado um perigo potencial e sua morte imediata representa um ato benéfico para a comunidade. xarope medicinais e outros medicamentos. não têm nem desapareceu nem perdeu seu valor social e cultural. (Ibid. explicou: Tudo é útil no corpo humano. 2004). Como um menino de 12 anos. Isso apaga qualquer suspeita fina (Singleton. ou no posterior. especialmente o seu coração. um telescópio. o número de casos de infanticídio parece estar em declínio. a quem respeito e condenar em igual medida. A "criança sem sorte" não é realmente acusadas de bruxaria. em outros países. expressar a realidade diária da influência da fome.46 Embora haja um grande número de estudos antropológicos contemporâneos relativos à feitiçaria. perdura até hoje. Ele oferece a expressão de um empreendimento de sucesso individual. ou sob a influência de missionários durante o período colonial (Bastian. porque eles usam forças místicas para se tornarem ricos. o porto de embarque diamante que é bem conhecido na África Central. em casos de nascimento "extraordinário". tal como concebido no Bariba ordem social. uma piscina. Por exemplo. O sangue é o combustível. uma bruxa e que seus pais ainda não . um empreendimento arriscado no clima atual. Em contraste. como resultado da legislação e as ações de ONGs que defendem os direitos da criança. Em alguns países. a prática de infanticídio ou o abandono de crianças "anormalmente" nascido e que trazem infelicidade (Yôobinu). 1995). 2008). a fim de matá-los. Para o Bariba. É claro. A coluna vertebral é um rádio. aqueles sobre o infanticídio e o abandono de crianças são muito menos freqüentes. os olhos são um espelho. nasceu com dentes. querosene e vinho tinto. perfume. O ato de "comer" incorpora "a possibilidade de acesso imediato à noite aos frutos da modernidade" (De Boeck.) Bruxaria é perigoso porque ele faz o impossível eo proibido possível. como pomadas para esfregar em seu corpo. Ele é uma fonte potencial de infortúnio para seus parentes. Usando uma vassoura noturna. diesel. O estômago vazio e fechado é substituído aqui com a "barriga cheia" (Geschiere. se são ricos ou parentes que eles não ficam com. A referência acima à cidade de Anvers.influência no mundo visível ou real. As crianças também se referem aos ricos. ou que causou a morte de um dos pais são chamado gnando ou assistente (Yengo. nascimentos prematuros (no oitavo mês). a noção de "comer" deve ser entendida aqui no âmbito dos poderes da bruxa imaginou que permitem comer remoto ou cannibalism. 2001). Indo para a Europa e deixando para trás a miséria na África é um desejo recorrente de que muitas vezes é relatado nas contas. ou através da introdução de práticas alternativas. em certas culturas Africano. O infanticídio deve ser entendida como uma resposta às noções do bem e do mal. a posição face-up durante o parto. água potável.45 As bruxas comer partes do corpo de suas vítimas. do aceitável e inaceitável. a casca de uma árvore de manga ou uma casca de amendoim. um avião feito de pele de abacate. um rádio transmissor. Tenta justificar o infanticídio confiar no fato de que a criança está em primeiro lugar. reflete o grau de desespero das crianças abandonadas e maltratadas. crianças cujos nascimentos são considerados "anormais" são rotulados como bruxas. Este estômago é atormentado pela fome (fome de carne humana e de riqueza) que devem ser amenizada a qualquer preço. A barriga "cheia" é onde se encontra a substância bruxa. então mortos ou abandonados por seus parents. a cabeça é uma panela. Estas contas também referir-se festas que. mas abre as portas ao consumismo e ao mundo "moderno".2. as práticas e crenças relacionadas aos nascimentos anormais desapareceram. O fato de que eles o fazem através de tais confissões. o óleo de freio. de normal e anormal.

Shinyanga e Mara. que lançaram uma campanha contra essas práticas (Yengo. também conhecida como a vila "fixer". 2005) e são comercializadas. Nos casos de gnando ". até o sul da África. rico e próspero. porque segundo a crença local. especialmente no Burundi e na República Unida da Tanzânia. O segundo tipo refere-se a representações muito mais ampla relacionada com poderes mágicos. 2008). 56 albinos são fortemente discriminadas e estigmatizadas. a violência contra albinos51 atingiu proporções alarmantes. Uma mulher albina foi morto no Quênia. abandonados e expulsos da aldeia. tais como a pele. como Camarões. Crianças albinas na market50 Vários artigos na mídia recentemente publicado na internet revelam a extrema discriminação e violência contra as pessoas com albinismo.3. Ele não ganha esse status até a idade de dois. a cerimônia marca a transição para a plena personalidade e ocorre logo após o nascimento (2009: 35).53 Embora o número de atos de violência contra albinos em outros países não se aproxima das figuras da Tanzânia. Essas partes do corpo são. por vezes chamado de "peças de reposição" (Tonda.49 Apesar das semelhanças nas conseqüências da crença (a violência. Certas partes do corpo. Um 18-year-old Benin albino fugiu por medo de ser morto em um ritual murder. Nos Camarões. Na República Unida da Tanzânia. língua. As crianças que escapar do "fixer do" garras são sistematicamente rejeitados. o nascimento precisa ser "fixa". o HIV pode ser curada por ter relações sexuais com uma mulher albina. mas também na Côte d'Ivoire. que faz campanha para abolir o assassinato de crianças rotuladas como "bruxas" e cuida de crianças abandonadas. presidente da Associação Mundial para a Defesa e Solidariedade de Albinos (Asmodisa). a criança não é considerado uma pessoa de pleno direito. A fim de restabelecer a ordem social. em maio de 2008. "57 Em contraste com a "crianças bruxas". 1988). é essencial para analisar dois tipos de representações.47 Embora seja reconhecido socialmente. e 35 albinos têm relatado a ser ameaçado ou atacado em 2008. O nome está dizendo. As representações sociais e os mecanismos que levam a uma criança que está sendo rotulada como uma bruxa são profundamente diferentes. que nós viemos de volta dos mortos como um castigo de Deus para algo fizemos na nossa vida anterior. não é uma criança. do outro lado da África Central. Por exemplo. a família apela a um "carrasco". é uma bruxa que tem escondido dentro dele". mãos. Final dentição é mais um sinal da presença de uma bruxa (Sargent. eles ainda são alarmantes. porque é normalmente proibida pelo Estado. 48 ea decisão de fazê-lo parece pertencer ao pai da família. o padre Patrick Sabi Sika fundou uma ONG chamada Esperança Lutas contra o infanticídio no Benin (ELIB). Enquanto ele não tem nome. pois se refere a uma ordem social que tem sido perturbado por um parto mal. República Democrática do Congo. o infanticídio é ainda realizado em segredo. Em 2005. esse fenômeno não deve ser confundido com o de "crianças bruxas" descrito anteriormente. mesmo que a cerimônia de nomeação só ocorre depois que ele tem os dentes primeiro. 55 mulheres albinos são vítimas de estupro. três filhos albinos e dois adultos foram mortos. O primeiro tipo está ligado à idéia de que albinos possuem poder "mágico". o ex-ministro da Justiça. 2009: 19). Senegal e Zimbábue.54 No Zimbábue. Em outros países. Várias dezenas foram mortos em 2008. explica: "As pessoas pensam que somos criaturas mágicas. abandono. A cabeça de uma criança albina foi descoberto na mala de um homem atravessando a fronteira Congo (Schnoebelen. bem . Parece que infanticídios eo abandono de crianças "nasceram mal" têm chegado ao conhecimento das autoridades do Benin e de ONGs. as crianças albinas são atacados e mortos. A fim de entender o caráter especial do assassinato ritual de albinos e de negociação "mágico" em seus corpos. etc). De acordo com Delaunay. Se ele decidir que a criança deve ser morto. Mali e Senegal. Quênia. . explica o deputado Gnonlonfoum. A idéia de que albinos possuem "mágico" ou "sobrenatural" características. orelhas. 3.52 especialmente nas regiões do Lago Vitória de Mwanza. crânio. Jean-Jacques Ndoudoumou.nomeou. Essa crença existe na África Ocidental. Escolhendo para eliminar uma criança não é automática. em Benin. coração e órgãos genitais são acreditados para ter poderes mágicos e são usados para fazer poções e encantos. ELIB foi cuidar de cerca de trinta crianças que foram abandonadas por seus pais e providenciou para muito mais a ser adopted. a fim de tornar as pessoas mais poderoso. No país vizinho do Burundi. ele não é dado um nome.

a acumulação da riqueza e do empobrecimento geral das populações. no Kongo.positiva ou negativa .). histórias abundam de ganhos ilícitos. bem como o desenvolvimento policies. Assim nasce uma "obsessão com a modernidade" (Mbembe. essa "economia oculta oferece os meios para produzir riqueza usando técnicas místicas cujos princípios operacionais não são nem transparentes nem explicáveis em qualquer forma convencional" (ibid. adotada a partir de Jean e Comareff John (1999). A fim de reforçar o poder do rei. Eles são respeitados por todos. e levam o que precisam em termos de alimentos ou outras coisas "(1877: 79-80). "um albino também foi sacrificado durante a coroação do rei Segu. implica em geral a implantação de magia meios para fins puramente materialista. portanto. a fim de garantir um bom partido o peixe também são considerados os "filhos" de espíritos da água. Nigéria (Bastian. Por outro lado. Conseqüentemente. 2000). 2000). desde o seu nascimento é o resultado de uma transgressão (incesto). 1981. consumo. Vários estudos antropológicos têm relatado este comércio em Gana (Parish. moradias e roupas de alta costura agora são parte da vida entre os moradores da cidade Africano). a adotar termo de Heusch (2000). A maioria dos autores acreditam que o fenômeno está diretamente relacionada à globalização. 2000). Da mesma forma. A criança divina. O rei de Loango. No contexto da globalização ea presença muito visível de riqueza material (carros de luxo. que só contribui para a percepção de sua natureza imoral. África do Sul (Comaroff e Comaroff. que é sempre representado como um de pele branca figura. Na cosmologia dogon estudado por Germaine Dieterlen (1957). 2000: 10). seguido por uma festa canibal (De Heusch. um estudante de . a República Unida da Tanzânia (Sanders. No oeste do Kongo. Esta expressão. Mas como uma criança santa. O sangue da vítima foi derramado sobre a cabeça raspada do rei (ibid. Albinos também foram sacrificados para Faro (o espírito das águas terrestres). Como filhos de Mami Wata-. "Nas mentes daqueles que levam suas vidas nas situações mais difíceis e precárias. um sacrifício humano com um albino foi exigido três anos após a coroação. não é uma representação recente. a chegada do capitalismo e do mercado. O nascimento de um bebê albino sempre despertou uma forte reação . não é surpreendente que os albinos são especialmente valorizados no mercado oculto.: 79). os albinos são tratados com a veneração máxima.58 Ele integra os mistérios do crescimento econômico. também conhecido como Mami Wata-(Ogrizek. 1995). Tais representações ainda estão vivos na RCA. 253). Grootaers. Patrice. estas técnicas envolvem a destruição da raça humana. o seu extraordinário poder mágico lhe faz o último sacrifício para o hogon. No Benin. Cada vez mais marcante das desigualdades sociais são mais freqüentemente explicado em termos de "economia oculta". mercadoria.como o sacrifício ritual. trabalhando no oeste do Sudão. Pessoas consideram-se honrado se albinos entre sua casa e tomar um pouco de comida ou qualquer outra coisa. ou bruxa. o "feitiço da modernidade". "monstro sagrado".nas sociedades Africano. é. "albinos são considerados como pessoas especiais. 1995). 1992). A ligação entre feitiçaria e albinos também foi observado por Henri Labouret. fica claro que os bens de dinheiro. foi cercado por servos albino real que possuía o poder da bruxa e tinha aprendido magia (ibid. onde o nascimento de um albino é o resultado de uma mulher ter relações sexuais com um espírito de água. Louis Jacolliot relata na África Misteriosa que no Kongo. ao mesmo tempo temido e reverenciado. albinos deve ser reverenciado. consumo básicos de subsistência. Considerando o seu valor "mística". para citar apenas alguns países. Para a maioria das pessoas. tanto que eles estão autorizados a visitar o mercado e casas. os albinos são pensados para ser a prole maldita de uma relação incestuosa entre os deuses. Além disso. o que leva a uma "caça all-out para a riqueza "(Geschiere. onde albinos eram suspeitos de participar de "práticas estranhas e perigosas" relacionados com a bruxaria (1935: 464). Comércio de partes do seu corpo fazem parte das representações relacionadas ao mercado de ocultismo e economia. que estão no poder estão se tornando mais poderosos e os ricos estão ficando ainda mais rico. nomeadamente através da albinos. o líder religioso entre os Dogon. Gobbi. um albino também representa perigo. 1999). 241). e de estado são tomadas como essenciais (Florença Beranault e José Tonda. 2001) e Zâmbia (Colson. Entre os Bambara. Mais amplamente. quando o reino estava em perigo (ibid. 1986: 240). um albino possui grande poder e pode atuar como um mediador entre os mundos celeste e terrestre. Luc de Heusch relatos de que os albinos são considerados como "espíritos da água" (2000). 1995). produção. ou uma "obsessão com objetos relacionados à riqueza nova" (Geschiere.

infelizmente. portanto. depende do contexto e do destinatário. a resposta social é claramente menos acolhedor. permanecem em aberto: dada a caçar all-out para a riqueza. Uganda e Tanzânia. Seu cabelo foi supostamente usado pelos pescadores para atrair os peixes no Lago Victoria. onde gêmeos são reverenciados como deuses. explica a situação nos seguintes termos: Witchcraft é mais poderoso do que nunca. Em alguns países. e todos podem alcançá-los.e. entre os. da mesma forma como os albinos e todos os tipos de outras crianças anormais" (2000: 145). surpreendente que o acesso ao mundo capitalista é buscado por meio do "místico" poderes de albinos. a explicação das desigualdades sociais através do mercado de ocultismo.). o fenômeno de assassinatos de albinos ritual irá gradualmente se espalhou para outros países? 3.monstros sagrados Em muitas sociedades Africano. Na África Ocidental. o nascimento de gêmeos. o cerne da questão. magia pós e poções. é necessário primeiro entender como essas sociedades perceber o mundo. sua cosmologia. porque a perda de geminação foi o preço pago pela humanidade para a transgressão cometida por um dos seus antepassados. então ele pode usar magia . talismãs. Uma série de perguntas. que. sem dúvida. as pessoas queriam apenas pequenas coisas. 2000). por que então fazer estas práticas existem tão fortemente na Tanzânia. (Bangui. crença na feitiçaria e os poderes místicos de albinos. Torna-se sacralizado por causa de sua anomalia e. através de imagens e representações. O nascimento de gêmeos pode ser interpretado de uma forma positiva . não é. portanto. como Burundi. alguns aparentemente feita a partir de partes do corpo. uma casa grande. rejeição ou o infanticídio imediatamente após o nascimento. a democracia eo mercado livre também democratizou o ocultismo (Sanders.amuletos . citado em De Heusch. partes do corpo de albinos parecem ser particularmente valorizado. Hoje tudo está à venda: encantos. geralmente é cercado por um complexo sistema de representações e rituais. Gêmeos são muitas vezes pensado para ser mediadores entre os mundos visível e invisível.embora isso seja bastante raro . As pessoas estão cada vez mais ciumento. Porque "os gêmeos são criaturas pertencentes ao sobrenatural". escreve Luc de Heusch ".. porque eles podem ser usados para fazer poções e feitiços mágicos . Agora eles querem um celular. e ele não. As interpretações em torno do nascimento "anormal" de gêmeos variam de uma sociedade para outra. um carro. O nascimento de gêmeos é um lembrete de sua condição de ex feliz e é comemorado em todos os lugares com . De acordo com suas cosmologias. partes do corpo de albinos são acusados de ter sido usado para fazer encantos que dão sorte para quem procura diamantes. Todo mundo quer chegar à frente.4.ou pode levar ao abandono. devido à falta de dados precisos. este mercado oculto transcende as fronteiras étnicas e nacionais. o passado eo presente. studies59 antropológicos revelam uma grande variedade de representações sócio-culturais e comportamentos sociais. apesar do fato de que o uso varia e adapta-se continuamente. material "moderno" bens-e com o mundo dos espíritos e bruxaria. enquanto que no sul e leste. no entanto. 2000). Se seu vizinho tem um rádio ou telefone. A expansão do capitalismo. Parece que o nascimento de gêmeos é considerado um evento alegre entre as populações da África Ocidental e Central.que aumentam a riqueza. É. uma TV. as primeiras criaturas vivas eram casais de gêmeos de sexo oposto. "há uma explosão de alegria do público sem reservas" (ibid. Na Tanzânia. Esta última crença lembra as ligações entre albinos e os espíritos da água na África Central. pelo que a razão dada para o uso de um ou outro órgão. Sua pele branca parece fazer uma referência para os europeus . Sobre o tema do nascimento eo estado dos gêmeos. e às vezes até dentro do mesmo grupo.. seu nascimento é sempre marcada de alguma forma. e os seus vizinhos (Burundi e Uganda)? Podemos esperar que. Também parece que diferentes partes do corpo simbolizam vários poderes. Twins . mitologias. Os serviços de curandeiros tradicionais para combater o mundo da magia também estão disponíveis no mercado. Março de 2006).Yakoma estudando em Bangui. diz respeito à toda a comunidade. No entanto. No passado. a ordem social. Dogon e Bambara Malinké. 60 que já foram assimiladas na idéia de "unidade harmoniosa e indissociável" (Cartry. Quando nascem gêmeos. não são particulares para a Tanzânia. não podem ser respondidas. A fim de compreender estas diversas interpretações. O caráter ambivalente dos albinos em representações atuais na África sub-saariana inspira tanto medo e desconfiança. Além disso. os gêmeos são a encarnação de um ideal mítico. como com todos os nascimentos considerado "anormal" ("malnascido" crianças bruxas ou albinos). consequentemente.

Março de 2006) A associação freqüente de gêmeos com influências nocivas causa um medo de nascimentos de gêmeos que podem afetar tanto a pais e filhos. No sudeste da Nigéria. eles primeiro vieram nos ver. Os rituais podem envolver pais e filhos. de acordo com Wendy James. entre os Suku no Congo. com menos freqüência os dois. 1973). Gêmeos são reverenciados como deuses em Mobaye pouco. 1909). E logo que eles tinham acabado de pesca. e às vezes também a mãe do (ibid. o nascimento de gêmeos também é visto como uma anomalia bem-vinda. como é o caso entre os Lele na RDC. e eles estão associados com gênios e do mundo espiritual. caso contrário. a personalidade única de gêmeos pertence ao reino do sagrado. Bangui). Estudos antropológicos também relatam a existência de mais violência radical: o infanticídio de gêmeos. pode ser associada a um ritual especial para limpar ambos os gêmeos e os pais de seus condition.: 112). Uma das crianças foi então condenado à morte e enterrado (De Heusch. descrito por Monica Wilson. 1987). que atribuem poderes especiais para gêmeos e pagar-lhes grande respeito. Por outro lado. sentiu-se muito perigoso para seus parentes e vizinhos "(citado em Turner. apenas um ou dois anos de idade. Entre os Yaka no Congo. 1988). 1969: 52). os gêmeos foram sistematicamente eliminados porque . Entre as populações bantu na África Austral. por exemplo. porque eles são acreditados para ter a capacidade de transformar-se (Kuper. (Bangui. 2000: 149). a quem eles consideram ser uma ligação especial com o mundo espiritual (Diduk. que significa "cobra". Na RCA. Na visão de Turner. (Erny. os gêmeos são "marcados com uma característica animal" (Devisch. 1971). Eu era muito jovem. Até recentemente. onde os pais têm de realizar os rituais apropriados e pagamentos. explica nos seguintes termos: Em Mobaye (situada 600 quilômetros da capital. reações tomou um rumo mais negativo no século XX. eles sempre nos trouxe a maior peça. Ele continua: "eles matá-los se dois mortos nascem. Quando as pessoas iam pescar. Casos de infanticídio também são relatados entre os M'bali em Angola. a fim de obter uma boa captura. onde o nascimento de gêmeos representou um desastre para o país inteiro. Mas eles podem também afetar os gêmeos. os gêmeos são muitas vezes associados aos animais. A idéia de unidade espiritual também está presente nas representações Nuer.grande alegria (Dieterlen. Eles são classificados como criaturas celestiais ou filhos de Deus (Turner. Um jovem explicou o nascimento de gêmeos para o antropólogo. O Kedjom em Camarões também admirar e venerar os gêmeos. nestes termos: "É amaldiçoado por Uduk. 1993). que considerou os gêmeos como uma ameaça de seca. Salvar as crianças das aldeias tornaram-se uma prioridade para os missionários. Entre os Ga em Gana. quando nascemos. os medrosos. Os pais de gêmeos e os gêmeos em si são abipasya. Uduk dizem que é muito ruim "(1988: 111). de acordo com estudos de Evans-Pritchard. Nestas populações. 1969: 53). Eles matam um e manter um "(ibid. os gêmeos estão associados com perigosos poderes / bruxa. a fim de ganhar a sua boa vontade. e as crianças foram mortas.61 contagiosa Os rituais podem incidir sobre os pais. Outro exemplo é encontrado entre os Thonga no sul da África. porque simboliza o poder reprodutivo de seus pais (Kilson. fomos reverenciados. A história é similar entre os Mende em Serra Leoa. Nós eram vistos como bruxos. e sua dualidade com o mundo secular. que são simultaneamente sobre-humana e sub-humano (1967: 52). e as pessoas tinham medo de nós. os gêmeos são permitidas apenas para a comunidade depois de um longo período de segregação (Van Gennep. Um jornalista Yakoma. e parece que seu trabalho tem sido bem sucedidas na erradicação da prática. a chamada Yakoma gêmeos ngbô. o nascimento pode levar à adoração dos filhos gêmeos. As pessoas vinham para a casa dos meus pais e prostraram-se e pediu a nossa bênção para que a pesca seria bom. que é ele próprio um irmão gêmeo. Enquanto as práticas relacionadas com o nascimento de gêmeos entre os Uduk no Sudão têm variado no passado.: 110). nos seguintes termos: "nascimento gêmeos é um evento terrível para o Nyakyusa. eles mataram um dos gêmeos. Eles são mediadores entre o mundo animal eo divino. Para os Nuer. os gêmeos representam o mundo místico. Por exemplo. Em outras sociedades. portanto. entre os ibo. a aldeia vai estar em perigo (Douglas. 1976: 457). que têm de passar por um período de segregação da vida pública. 1963: 212). Por um lado. como é o caso entre os Nyakyusa.

Na Nigéria. os gêmeos foram mortos por uma bruxa. Durante os serviços. o "histórico" igrejas pentecostais (Assembléia de Deus ou da Igreja Pentecostal). 1909). elas são bruxas. As práticas são. e. não é surpreendente que eles têm sido associados à bruxaria. o Espírito Santo é chamado a descer sobre os fiéis e é uma presença necessária em cerimônias. mais pesquisas são necessárias para melhorar a compreensão geral do comportamento social tal. 1958). 4. houve um aumento de vários movimentos religiosos na África sub-saariana.eram considerados uma abominação contra o deus da terra (Achebe. De um modo semelhante ao infanticídio de crianças bruxas na baía da região de Benin. que também é característica das bruxas. e não outros. de acordo com eles. pentecostais acreditam que todos podem ser salvos pela fé em Jesus. Além disso.62 Novamente na Nigéria. Lutando contra o mal . considerada como meio legítimo de eliminar o perigo. use seu poder para fins anti-sociais. A força do Espírito Santo dentro daqueles que foram verdadeiramente salvos é a característica mais evidente que o Pentecostalismo distingue de outras formas de cristianismo evangélico. por exemplo. Em países onde a feitiçaria é legalmente reconhecida em lei e aplicada. parece que algumas mudanças ocorreram nas representações do poder de gêmeos. estadual André Mary e André Corten. Além disso. portanto. substituídos por outros. consequentemente. a criança também pode ser julgado em tribunal. nos contextos sócio-cultural onde ocorre o infanticídio. 2004). De modo geral. abandono ou o infanticídio são muitas vezes baseadas. apostólicos. a fim de proteger seus pais (Van Gennep. os gêmeos eram chamados de bruxos por moradores que expressaram sua raiva e medo. encarnada em um perigo na criança. os gêmeos são seres especiais que podem voar. pelo menos na imaginação popular. . a criança pode ser tomado à igreja ou aos curandeiros tradicionais. É claro que é necessário distinguir. alguns dos quais estiveram presentes mais de cem anos. Pentecostal. entre os Chaga (Singleton. o espaço público é preenchido com essas igrejas. Tal como acontece com albinos. espíritas ou Africano igrejas profética (2000: 12). Os grupos mais visíveis se originam nas grandes "religiões universais": movimentos protestantes (evangélicos. deve ser punished. O infanticídio é justificada pela necessidade de restaurar a ordem social e eliminar um perigo. Igrejas revivalista Desde o final da década de 1980. O pentecostalismo é um movimento religioso em que os seguidores afirmam experiência pessoal de uma força sobrenatural. 2001). outras possibilidades estão disponíveis. Além disso. Tirá-los antes que eles matem a todos nós.1. e causar doenças e infortúnios (Masquelier. A capacidade de "brincar" com o destino dos membros da sua sociedade . A libertação de crianças bruxas 4. a presença de gêmeos é mais freqüentemente explicado em termos de infortúnio. Entre os Antambahoaka em Madagascar. a fim de ser "curado". Gêmeos são eliminados. Na África sub-saariana cidades. do Espírito Santo. dizendo: "Leve-os longe de nós. os gêmeos representam uma imagem de um espírito de casal. No contexto atual e urbano das crianças acusadas de feitiçaria. algumas legítimas. tais como rejeição. como evangélicos.bem como com eventos naturais . Considerando todas essas representações que indicam a natureza nociva dos gêmeos para o seu círculo familiar. os pais podem optar por outras soluções: uma vez rotulada como uma bruxa. e as igrejas pertencentes à Pentecostal " movimento ". Bruxas. o ato não é considerado como homicídio. porque eles pertencem a uma categoria social relacionadas com "difícil" nascimentos. em 2007. 4. foram criados para lutar contra o mal.o combate a bruxaria Diferentes mecanismos sociais e legais. o infanticídio de gêmeos trata das normas do bem e do mal. matando a criança parece ser a solução mais eficaz. Em casos de "anormal" nascimentos.1. Em um artigo em 1966. Enquanto matar a criança é uma forma de "corrigir o problema". Embora essas práticas parecem estar cada vez mais raros. como o abandono. Práticas.1. Helen Ball e Catherine Colina questionar a validade de se considerar o fenômeno de uma posição puramente cultural. "63 Infanticídio de gêmeos tem sido freqüentemente explicado como sendo a consequência directa de crenças em seu status na sociedade. Infanticídio de gêmeos foi também praticada no norte da Tanzânia.ea capacidade de se transformar em animais leva a associações de gêmeos com as bruxas. Batista ou Metodista) e da renovação carismática no catolicismo.

o da guerra espiritual e libertação das forças do mal. mas também através de sua capacidade de identificar bruxas. Pentecostalismo leva todos esses personagens imaginários Africano a sério e lhes dá um novo status através da assimilação com Satanás. os milagres e as ofertas. a família pentecostal. Em seu objetivo principal de combater um mal onipresente (bruxaria é uma força do mal que ainda é onipresente).no seio da família .2."libertação" muitas vezes contém uma dimensão coletiva. os pastores e profetas oferecer aos seus seguidores não apenas uma vida melhor prosperidade financeira . Estes incluem diabólica. 2005: 27) O fenômeno da libertação é. Ela está intimamente ligada com a cura divina através da luta contra a gênios e espíritos malignos que assombram as populações Africano infligindo danos físicos e psicológicos. sermões. vídeos sobre os estudos antropológicos e Internet64 . de acordo com Sandra Fancello. O papel dos pastores e profetas e tratamento "espiritual" O papel dos pastores e profetas nestas igrejas parece ser de grande importância na "bruxa anti-caça". que são muitas vezes acompanhada de cantar ou de desempenho que reduzem a ansiedade. e faz parte da validação ou procedimento de certificação do profeta.a cura milagrosa .1. "no coração da explosão do pentecostalismo na África desde o início da década de 1990" (2006: 147).3. Muitas confissões por membros envolvem visões ou ser possuído por espíritos malignos. bem como certos comportamentos.: 17). A prática da libertação está essencialmente baseado em uma visão dualista do mundo entre as forças do mal e poder divino. as orações. Contas por pessoas que têm sido "curado" da Aids pode ser ouvido todos os dias no rádio ou na televisão. Libertação e da "guerra espiritual" A maioria das igrejas pentecostais (revivalista e carismática). 4. De acordo com Fancello. que é suposto ser capaz de curar todos os tipos de doenças. naturalmente. igrejas altamente sincretista que integraram com êxito crenças Africano em seu discurso. Maman Joséphine L. Ao manipular as forças do bem para combater as forças do mal. O "alto" pontos são. Em 1997. as sessões públicas ou privadas libertação. Na sua opinião. é Deus quem lhe deu esse dom. não só através da possibilidade de trazer libertação para as pessoas possuíam. transes. maus espíritos e espíritos ancestrais.mas acima de tudo. A personalização da imagem do demônio. que integra-los em um novo tipo de comunidade.a pessoa já é suspeita por parte da família ou membros da comunidade que confirmar e legitimar a acusação. Através de dependência crescente de aspectos terapêuticos . ela começou a ajudar as crianças a superar os maus espíritos através de libertação. cura divina e testemunhar normalmente relacionadas com as forças do mal. como transes e posse.discurso dessas igrejas se concentra na cura e salvação da alma.1. a cura divina e libertação (de onde o comumente chamado "igrejas de cura"). "do homem branco") não podem curar.a cura rituais pela imposição das mãos. o pentecostalismo opera essencialmente no universo da demonização. câncer e diabetes. revelações . como AIDS. (Aguilar Molina. "cura milagrosa está no centro das estratégias de conversão de igrejas pentecostais" (2006: 148).Seguidores freqüentam serviços várias vezes por semana que pode durar muitas horas e ocorrem em uma atmosfera altamente carregada de cantar. 4. mas é igualmente válida para as igrejas revivalista outros. Estes são. Esta cura pelo Espírito Santo é interpretado como sendo milagrosa. Em várias cidades Africano.testemunhando e confissões . permite que igrejas para declarar uma "guerra contra Satanás" (Meyer. especialmente na figura da bruxa. A encantadora de crianças é apresentada a ela por um espírito e através da oração. são em torno de um pastor ou profeta que afirma ter sido escolhido por Deus através da revelação divina. 1995). A principal mensagem destas igrejas se concentra em sua capacidade de usar a presença do Espírito Santo para lutar contra o mundo satânico que é encarnado por bruxas. Enquanto exorcismo e promessas de cura divina ou milagrosa aplicar ao indivíduo . sem dúvida. De acordo com André Corten e Mary André. através de "exorcismos". Eles dão esperança a todos aqueles que ainda não receberam esse livramento de Deus. Centro de seguidores vida inteira na sua igreja. Apesar de não serem sempre na origem da acusação . satânica doenças que a medicina moderna (isto é. esses profetas pastor-desempenham um papel essencial em acusações de feitiçaria contra crianças. Inúmeros artigos na imprensa. Eles chamam uns outros irmãos e irmãs. nasceu em 1954 e começou a trabalhar em 1974 em resposta a um chamado milagre divino. os ganhos discurso Pentecostal "sua força e capacidade de mobilizar os dois mundos imaginários do espaço público e forças invisíveis pelo entrelaçamento-los e inventar uma nova sintaxe" (ibid.

Em mais uma igreja. narra a sua "libertação": As cerimônias de cura ocorreu nas igrejas revivalista. O "espiritual" tratamentos descritos em estudos realizados em Angola68 e DRC69 também apresentam uma natureza violenta. e de uma região para outra. eles também são abusadas e torturadas dentro das igrejas. enquanto reivindicando para lutar contra as bruxas. onze idosos. em seguida. como uma acusada de bruxaria. então. Gostaria de começar por rezar com a criança e. e geralmente começam com a imposição de mãos e orações. No entanto. A "cura" de crianças acusadas de feitiçaria varia de uma igreja para a próxima. derramaram a seiva de uma árvore nos meus olhos. nos seguintes termos: Quando o primeiro filho vem aqui. Entre bruxas e contra-bruxa. a quem será confiada a um pastor. A mama profeta cobria meu corpo com um pano vermelho. No quarto dia. (Ballet. privados de comida e água durante períodos tão longos que algumas crianças morrem. esses pastores detectar bruxas através de visões e sonhos. Na verdade. As crianças são. Então eu admitiu as acusações eo tratamento dura parado. em Angola. molhos condimentados. assim como a gasolina injetando nos olhos ou ouvidos. por um período que varia de alguns dias a vários meses. Dumbi e Lallou. explica: Durante três dias não tínhamos permissão para comer ou beber.4. O tratamento também pode consistir de engolir poções. isolados nas igrejas. DRC66 e Nigéria. 4. ele vai ser estigmatizado como sendo uma bruxa e rejeitada por sua família. Milagre Merchants 71 Todas as "espirituais" tratamentos oferecidos por pastores e profetas que pertencem a Pentecostal. O fenômeno das crianças bruxas ilustra. que consiste na cura divina ea libertação da criança. a partir do centro de Eben Ezer em Kinshasa.70 As pesquisas realizadas por Ballet. Eu não sou apenas um profeta. eles se transformam em regularmente extremamente violento "exorcismos". (D'Haeyer. 2007: 15) Desta forma. Durante este tempo. Um pastor meu corpo queimado com velas. A confissão é muitas vezes obtida sob coação ou violência. 65 CAR. Eu uso as referências e posso dizer muito rapidamente se uma criança está enfeitiçado ou não. Na linguagem das igrejas pentecostais. Eles também são muitas vezes beaten. Meus olhos doem tanto. chama-se um profeta e explica-lhe presentes. eles são forçados a jejuar. Não é raro que depois de ter sido inicialmente convencido. 30 de setembro de 2005) Em troca de dinheiro. De acordo com de Boeck. depois de experimentar uma desgraça novo single. "o espaço da igreja de cura permite a deslocalização e reformulação da violência física e psicológica. Outro resultado é que os pais. as crianças não só são estigmatizadas porque são acusadas de bruxaria. Lá. Maman Putu. às vezes extremas. peço-lhe algumas perguntas sobre seus sonhos e sua situação alimentar. administração de perfume. 67 como no resto da África subsaariana. Doeu muito. Glodie Mbete. mas também um clarividente.1. Kinshasa. eu primeiro verificar a condição de sua alma. As igrejas afirmam eliminar o mal definitivamente do corpo da criança. Bruno. Dumbi e Lallou em Kinshasa oferecer mais uma prova da extrema violência infligida a certas crianças. que a criança sofre acusado dentro do grupo familiar. por vezes. a criança é extraído da situação familiar em que ameaça o seu lugar tornou-se muito problemático. Aqueles que não confessam foram ameaçados com chicotadas. por vezes. há uma mudança constante de lugares (2008: 78). os pastores. igrejas e outros revivalista . o profeta colocar nossas mãos sobre uma vela para fazer-nos confessar. (Entrevista da Human Rights Watch com Bruno. propor a "cura da alma". O curandeiro disse que a feitiçaria tinha ido. Cerimônias libertação pode durar vários dias. a criança é novamente acusado. como Facello corretamente observa. se a criança sobrevive este tratamento "espiritual". o tratamento é muitas vezes tão graves. dúvidas de que seu filho foi curado após a libertação cerimônias nas igrejas. uma criança que é possuída por espíritos malignos de "bruxaria" deve ser entregue "das forças da escuridão". que pode ser individual ou coletivo com outras crianças bruxas "(2000: 41). 2004: 37) O tratamento "espiritual" só poderá começar quando a criança confessou. começando com um período de reclusão ou de quarentena.indicam que. "o paradoxo de igrejas que são eles próprios na armadilha de acusações de feitiçaria.

para quem o pastor havia detectado cinco casos de bruxaria. Sem ignorar a sua função social. pelo menos simbolicamente. que representam o seu "riqueza em números". portanto.requerem alguma forma de pagamento. pastores e profetas são os novos modelos de sucesso social e poder. eles não podem escapar da suspeita de que eles são de fato colaborar com essas forças. como mostra o seguinte cartaz: 72 Todos promoção isso é parte do objetivo de aumentar o número de membros. ninguém escapa. jóias. Outra família teve que pagar o equivalente a € 27 por criança. e assim por diante . "Através de gestos de cura e outros" milagres "que é suposto para substituir a" bruxa charlatão ". De acordo com Marshal-Fratani (2001). embora pastores e profetas representam os combatentes na luta contra as forças do mal." (Marechal Fratani. Para esses profetas pastor ". Enquanto a taxa pode variar de uma igreja para o próximo. mais um pedaço de metal de folha para cada criança. têm encontrado sua vocação na caça anti-bruxa. nenhuma igreja oferece esses serviços gratuitamente. e leva a renda ainda mais.roupas. Ela fundou a Fundação Liberdade Gospel Ministérios. incluindo mulheres. (D'Haeyer. Um jovem crente explicou-o assim: O dinheiro suado das mulheres vendendo verduras no mercado vai para a construção de moradias do pastor ou a manutenção de um ou outro de seus amantes. telefones celulares e computadores. carros de luxo. status social. quando o prato de coleta gira em torno. Além disso. Que eu saiba. e eles não hesitam em anunciar-se. como é o caso com o Profeta Ukpabio Helen na Nigéria. um número de pastores e profetas. Acusações contra a criança. cujo principal objetivo tornou-se a detecção e libertação de crianças bruxas. 2001: 43). (Aguilar Molina. em vez de ação. as conexões com redes transnacionais e os contactos entre a elite política. enquanto luta contra o mal. Sua riqueza conspícua . uma família congolesa. Eles estão associados com a riqueza. mais perto de sua "competição" direta. é geralmente maior do que a maioria das pessoas pode pagar. Isto leva-los. teve que pagar o equivalente a € 24. 2005: 29). Conseqüentemente. villas. Por exemplo. . detectar" crianças bruxas não traz só dinheiro. curandeiros tradicionais. igrejas revivalista manter os seus membros com medo de seus vizinhos e promovem o fatalismo. não são insignificantes. e por isso são bruxas. esses pastores parecem estar dotados da mesma extraordinários poderes mágicos. mas também um certo status social e popularidade que atrai novos membros e "clientes". etc -. e também durante um serviço regular. fazem parte deste círculo vicioso do "negócio" dos profetas e seu status. Eles próprios canais de televisão e estações de rádio. estes dias. 2004: 45) Os ganhos de uma cerimônia de libertação.