SEMINÁRIO TEOLÓGICO DO NORDESTE MEMORIAL IGREJA PRESBITERIANA DA CORÉIA

CURSO DE BACHAREL EM TEOLOGIA

EXEGESE DE ATOS 10.34-43

André Aloísio Oliveira da Silva

Trabalho apresentado ao Rev. Tiago Canuto Baía para avaliação na disciplina Exegese do Novo Testamento 2.

TERESINA Junho de 2013

2

SUMÁRIO

1. TRADUÇÃO DA PASSAGEM ......................................................................................... 3 2. ESTRUTURA DA PASSAGEM ........................................................................................ 4 3. EXPOSIÇÃO DA PASSAGEM ......................................................................................... 5 4. ESBOÇO DO SERMÃO ................................................................................................... 7

3

1. TRADUÇÃO DA PASSAGEM
34 E abrindo Pedro a boca, disse: percebo verdadeiramente que Deus não é alguém que mostra parcialidade, 35 mas em toda nação aquele que o teme e pratica a justiça lhe é bem-vindo. 36 [Vós sabeis] a palavra que enviou aos filhos de Israel anunciando a paz por meio de Jesus Cristo (este é o Senhor de todos). 37 Vós sabeis o evento que aconteceu por toda a Judéia, começando da Galiléia depois do batismo que João pregou, 38 Jesus de Nazaré, como Deus o ungiu com o Espírito Santo e poder, o qual andou por toda parte fazendo o bem e curando todos os oprimidos pelo diabo, porque Deus estava com ele. 39 E nós somos testemunhas de tudo o que fez, tanto na terra da Judéia quanto em Jerusalém, ao qual também mataram, perdurando sobre um madeiro. 40 A este, Deus levantou no terceiro dia e concedeu que ele fosse manifesto, 41 não a todo o povo, mas às testemunhas que foram previamente escolhidas por Deus – a nós, que comemos e bebemos com ele depois de tê-lo levantado dos mortos – 42 e nos mandou pregar ao povo e testificar que ele é quem foi designado por Deus juiz de vivos e de mortos. 43 Deste todos os profetas dão testemunho [de que], por meio do seu nome, todo o que nele crê recebe perdão de pecados.

4

2. ESTRUTURA DA PASSAGEM
vv.34,35: O que? Deus aceita pessoas de todas as nações vv.36-42: Por que? Por causa da pessoa e obra de Cristo vv.36-38: Evento: unção de Cristo e curas realizadas por Ele vv.39-42: Testemunhas: vida, morte, ressurreição, manifestação de Cristo e ordem para pregar v.43: Como? Concedendo perdão de pecados pela fé

5

3. EXPOSIÇÃO DA PASSAGEM
A grande verdade ensinada por Lucas nesta passagem é que Deus aceita pessoas de todas as nações, por causa da pessoa e obra de Cristo, concedendo perdão por meio da fé. Isso pode ser percebido por alguns fatos: Primeiro, o contexto mais amplo indica que Deus aceita pessoas de todas as nações, tanto na visão de Cornélio (vv.1-6) quanto na de Pedro (vv.9-16). Enquanto Cornélio, um gentio, estava orando às três horas da tarde, um anjo lhe apareceu dizendo que Deus tinha ouvido a sua oração e lhe ordenou que chamasse Pedro. Ou seja, Deus ouviu a oração de um gentio e providenciou uma forma para que ele ouvisse a pregação do Evangelho e fosse salvo, o que indica que Deus aceita pessoas de todas as nações. Além disso, Pedro também teve uma visão, na qual um lençol era baixado à terra, o qual continha diversos animais imundos para os judeus. Porém, Deus lhe ordenou que comesse desses animais, afirmando que aquilo que Deus purificou ele não deveria considerar comum. Depois Pedro reconhecerá que essa visão era uma referência ao fato de que Deus passaria a aceitar também os gentios entre o Seu povo (v.28). Segundo, na primeira parte da passagem em análise, vv.34,35, Pedro afirma explicitamente que Deus não é alguém que mostra parcialidade, mas pessoas de qualquer nação que o temem e fazem o que é justo lhe são bem-vindas. Ou seja, Deus aceita pessoas de todas as nações. Essa afirmação pode causar alguma estranheza a princípio, especialmente o v.35, porque aparentemente estaria ensinando a salvação pelas obras. Porém, essa parte da passagem não pode ser separada das demais. Aqui Pedro está afirmando o que Deus faz, que é receber pessoas de todas as nações. O porquê disso e a forma como Deus o faz Pedro explicará na continuação. Temer a Deus e fazer o que é justo não são a razão pela qual Deus aceita pessoas de todas as nações, mas um resultado disso. Por isso, em terceiro lugar, Pedro mostra o porquê de Deus aceitar pessoas de todas as nações: por causa da pessoa e obra de Cristo (vv.36-42). Pedro começa falando da palavra enviada por Deus aos filhos de Israel, que anunciava a paz por meio de Jesus Cristo (v.36). A paz com Deus, a reconciliação, só é conseguida por meio de Cristo e não por obras humanas. Pedro ainda acrescenta que esse Jesus é Senhor de todos, não só de judeus (v.36). Pedro continua falando do evento que aconteceu desde a Galiléia até a Judéia depois de João Batista, o qual é o próprio Jesus de Nazaré (vv.37,38). Ele foi ungido com o Espírito Santo de tal modo que andou por toda parte fazendo o bem e efetuando curas (v.38). Então Pedro apresenta a si mesmo e aos apóstolos como testemunhas de tudo o que Jesus fez durante a Sua vida, de Sua morte em um madeiro (v.39) e de Sua ressurreição ao terceiro dia (v.40). Foram esses apóstolos, previamente escolhidos por Deus, que comeram e beberam com Jesus após a ressurreição (v.41). Além disso, receberam a incumbência de Deus de pregar que Jesus, com a Sua ressurreição, foi constituído juiz não só dos judeus, mas de todos, vivos e mortos (v.42). É por causa de tudo o que Jesus é e do que fez que Deus agora pode aceitar pessoas de todas as nações. Em quarto lugar, Pedro apresenta como Deus aceita pessoas de todas as nações: concedendo perdão de pecados por meio da fé (v.43). Pedro diz que os profetas do Antigo Testamento já havia profetizado isso e aqui ele provavelmente está pensando no capítulo 53 de Isaías. O que eles profetizaram foi que Deus concede perdão por meio do nome de Cristo,

6

isto é, em virtude daquilo que Cristo é e do que fez, e que esse perdão é concedido a todo aquele que crê em Cristo. Enquanto a pessoa e a obra de Cristo são o fundamento sobre o qual Deus pode aceitar pessoas de todas as nações, a fé é o instrumento pelo qual Deus efetivamente o faz. Finalmente, vemos no contexto posterior imediato essa verdade, de que Deus aceita pessoas de todas as nações, por causa da vida e obra de Cristo, concedendo perdão por meio da fé, ilustrada na prática. Enquanto Pedro ainda pregava, o Espírito Santo foi derramado sobre os gentios que o ouviam (vv.44-46), de modo que Pedro ordenou que fossem batizados com água (v.47,48). Posteriormente, Pedro afirma que o Espírito Santo dado aos gentios foi o mesmo dom dado aos judeus quando creram no Senhor Jesus (11.17), o que significa que aqueles gentios também creram no Senhor Jesus e por isso foram aceitos por Deus. Assim, de fato, Deus aceita pessoas de todas as nações, por causa da pessoa e obra de Cristo, concedendo perdão por meio da fé.

7

4. ESBOÇO DO SERMÃO
Tema: Deus aceita pessoas de todas as nações, por causa da vida e obra de Cristo, concedendo perdão por meio da fé 1. O que? Deus aceita pessoas de todas as nações (vv.34,35) 2. Por que? Por causa da vida e obra de Cristo (vv.36-42) 3. Como? Concedendo perdão por meio da fé (v.43)

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful