You are on page 1of 4

Ano 3 - Edição 6 Julho 2013

cana-de-açúcar

PROJEÇÕES DE CUSTOS E RENTABILIDADE DO SETOR SUCROENERGÉTICO NA REGIÃO CENTRO-SUL PARA A SAFRA 2013/2014
A expectativa é de redução dos custos de produção do setor sucroenergético na safra 2013/2014 na região Centro-Sul, avaliação que leva em conta a continuidade da recuperação de produtividade agrícola, das melhores taxas de utilização da capacidade industrial e da redução do preço do Açúcar Total Recuperável (ATR). As projeções da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e do Programa de Educação Continuada em Economia e Gestão de Empresas (PECEGE) consideram as características de uma usina média representativa da região Centro-Sul tradicional, que compreende os estados de São Paulo e Paraná. Esses dois estados concentram 60% da produção brasileira do setor. Apesar da redução de custos, apenas para a produção de etanol projeta-se aumento de rentabilidade no ano-safra. Para a produção de cana e de açúcar, as expectativas são de queda de preços em ritmo superior à redução de custos, o que significa redução da rentabilidade da atividade. Essa safra representa um desafio para os produtores que devem buscar maiores eficiências operacionais e planejamento de produção adequado às expectativas de mercado.

ESTIMATIVA DOS CUSTOS PARA A SAFRA 2013/2014
As estimativas de custos e rentabilidades para safra 2013/2014 consideram os seguintes itens: i) o modelo de cálculo de custos de produção do PECEGE/ CNA; ii) banco de dados do acompanhamento de safra 2012/2013 do PECEGE/CNA; iii) informações do levantamento mensal de inflação do setor sucroenergético PECEGE e da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) entre o período de março de 2012 e março de 2013; iv) entrevistas e pré-resultados do 9º levantamento de custos PECEGE/CNA, realizado entre abril e junho de 2013 e v) a estimativa de safra 2013/2014 da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica). As variações de preços observadas entre março de 2012 e março de 2013, de acordo com o levantamento PECEGE/FAPESP, são indicadas na tabela 1, onde também se encontram as projeções de variação de custos dos principais fatores de produção consideradas para a safra 2013/2014.

custo de Corte. qualidade de 136.00% 13.16% 7.00% 9.4800/quilo ATR.00 por metro cúbico (m³).00% 0.55% 13.00% 4.85 40.74 *COT – Custo Operacional Total: considera dispêndios com todos os fatores utilizados na produção.56% 9.00% 1. perdas industriais de 8.00% 7.46% -0.49% 0. .00% 13. Consideradas as premissas acima e as variações de custos indicadas na tabela 1. e preço do etanol hidratado de R$ 1.25 Etanol Hidratado (R$/m³) 1. taxa de utilização de 95.7% da capacidade industrial. preço do açúcar VHP de R$ 41.00% 0.22% para açúcar.74% 0.00% Variação considerada na projeção de custos da safra 2013/14 -22.03% 13.20 77.00% 1. TABELA 2 – PROJEÇÃO DOS CUSTOS AGROINDUSTRIAIS PARA A SAFRA 2013/2014: CENTRO-SUL Custo COT* CT** Cana-de-açúcar (R$/t) 66. preço de arrendamento de 18. ou seja.00% 13.33% 7. foi utilizado o modelo do PECEGE/CNA para calcular os custos esperados para a safra 2013/2014.00% As premissas técnicas consideradas nas projeções foram: produtividade média do canavial de 80 toneladas por hectare (t/ ha). **CT – Custo Total: inclui ao COT custos de oportunidade do capital próprio imobilizado no negócio e pagamento de juros sobre financiamentos para investimentos.14/t.96% -5.50% 7. Variação de preços mar/12 e mar/13 -23.70 quilos de ATR/t de cana. Carregamento e Transporte (CCT) de R$ 25.275.00% -5.TABELA 1 – VARIAÇÕES DE PREÇOS CONSIDERADAS NA PROJEÇÃO DE CUSTOS DA SAFRA 2013/2014: REGIÃO CENTRO-SUL Área Fator de produção Eletrodos Energia elétrica Insumos químicos INDUSTRIAL Lubrificantes Peças e serviços de manutenção Sacaria Mão de obra Corretivos Fertilizantes Herbicidas AGRÍCOLA Inseticidas Diesel Manutenção agrícola Mão de obra Fonte: PECEGE/ESALQ/USP/FAPESP (2013).78% para etanol e 46. preço do ATR de R$ 0.97 quilo ATR/t cana).88% 13.7 t/ ha (com ATR padrão = 121.27 Açúcar VHP (R$/sc 50kg) 34. conforme a tabela 2.58% 3. mix de produção de 53.00% 0.00% -18.92 1.094. custos e despesas operacionais mais depreciação de máquinas e instalações agroindustriais.25%.21% -18.279.25/saca. Fonte: PECEGE/ESALQ/USP/FAPESP (2013).

desta forma o preço médio mensal do ATR (R$/Kg de ATR) coincide com o preço médio acumulado. considerando os níveis de preços do ATR do cenário base. * Abril é o primeiro mês de safra.4800/quilo de ATR.5100 31. Mesmo com a redução de custos. A redução de custos é estimada em 3.5% -19. que.1% em relação ao Custo Total (CT) da cana.A safra 2013/2014 da região Centro-Sul terá redução de custos de todos os produtos.4470 -24.36 43. A tabela 3 apresenta as rentabilidades da produção de cana para 12 cenários .SAFRA 2013/2014 . a projeção de Custo Operacional Total da cana (COT) de R$ 66.CENTRO-SUL Margem CT Preço ATR (R$/kg ATR) Pessimista 0.3% para o etanol hidratado. Por outro lado.413.58 maior que a expectativa de preços de R$ 65. TABELA 3 – ANÁLISE DE SENSIBILIDADE PARA A RENTABILIDADE AGRÍCOLA: CENÁRIOS PARA PREÇO E QUANTIDADE DE ATR .002.20/t é R$ 0. Nesse cenário.6% para o etanol hidratado.205. Dessa forma. considerando valores médios (cenário base).6% -14. ou seja. as expectativas de rentabilidade não são boas.80 Abril/2013* 0. Nesse caso.87 1. R$ 0. .62/t. após a queda de preços. respectivamente . as expectativas de mercado futuro do açúcar orientadoras das projeções dessa análise consideram preços mais atraentes aos produtores. Considerando as premissas do cenário inicial. Para que haja margem de rentabilidade.8% Produtividade t/ha COE COT CT Fonte: PECEGE/ESALQ/USP/CNA (2013).4800 1. a projeção é de rentabilidade levemente negativa mesmo após a melhora em relação à safra 2012/2013 em função dos incentivos governamentais recentes da alíquota do PIS/COFINS. Esse produto só atinge níveis positivos de rentabilidade em cenários de preços ou produtividades em patamares otimistas.% para o açúcar Very High Polarization (VHP) e 1. Destaca-se nas projeções a atual conjuntura de preço do açúcar. Os principais fatores dessa redução.08 37. em ordem de importância. redução da taxa de ociosidade industrial e redução no preço do ATR. A queda desse último reduz os custos com arredamento e pagamento de cana de fornecedores.82 77.3% para o açúcar VHP e de -0. sendo o etanol a alternativa de produção mais atrativa nesse momento. Considerando os preços atuais. As tabelas 4 e 5 apresentam as expectativas de rentabilidade do açúcar VHP e etanol hidratado.9% para a cana.85 64. Para produção de cana. as projeções de rentabilidade.4500 45. As análises de sensibilidade associadas à rentabilidade da produção do açúcar e do etanol também indicam maior probabilidade de rentabilidade negativa para o etanol hidratado. indicam maior atratividade na produção do açúcar VHP. projeta-se rentabilidade negativa em todos os cenários analisados. espera-se o nível de rentabilidade de -15.66 1. são aumento da produtividade agrícola. ambos os produtos apresentam rentabilidade negativa. encontra-se abaixo dos valores previstos no cenário pessimista. 7. As projeções do cenário base são de rentabilidade de 1. um nível de produtividade bastante alto nas condições de produção dos canaviais nesta safra. na comparação com o desempenho da safra 2012/2013.56 Otimista 0. formados pela combinação de estimativas sobre a produtividade agrícola da cana própria e nível de preço do ATR.12 Base 0. a produtividade deve atingir 94.73 t/ha.

Também é esperado o incremento do porcentual de produtores de alta eficiência. TABELA 5 – ANÁLISE DE SENSIBILIDADE DA RENTABILIDADE DO ETANOL HIDRATADO NO CENTRO-SUL . os resultados da atividade mostram-se suficientes para reposição de todos os custos operacionais dos produtos industriais.75 0.830-903 Brasília .sut@cna.canaldoprodutor.3% Base 41.USP Pecege SGAN .2% Abril/2013 35.66 -13. Pelo lado positivo.5% -0.25 -5.7% -3.4% Abril/2013 1245. Reprodução permitida desde que citada a fonte.0% 3.00 -1.org. quando se considera valores médios de produção.75 -7.3% 5. em termos médios.1% -1.TABELA 4 – ANÁLISE DE SENSIBILIDADE DA RENTABILIDADE AÇÚCAR VHP NO CENTRO-SUL .8% 8.5% 10. Apesar da expectativa de redução de custos. ESALQ .com.SAFRA 2013/2014 Margem CT Preço Açúcar VHP (R$/saca 50 kg) Pessimista 1.10 -6.00 -3.5% 3. a produção sucroenergética é mais uma vez uma atividade econômica de baixa atratividade em relação a investimentos em outros setores da economia brasileira. a expectativa é que a manutenção do vigor na recuperação de produtividade permita a redução de custos e a melhoria das condições de rentabilidade do setor agrícola. os quais superem os desafios de um mercado de baixa rentabilidade.9% Produtividade t/ha Pessimista Base Otimista 75 80 85 Fonte: PECEGE/ESALQ/USP/CNA (2013).350.Quadra 601 .3% 4.6% 5.1% -4.1% -4.DF Fone (61) 2109-1458 Fax (61) 2109-1490 E-mail: cna. Considerando os investimentos recentes em replantio da cana.SAFRA 2013/2014 Margem CT Preço Açúcar VHP (R$/saca 50 kg) Pessimista 38.275.Módulo K 70.1% 1.200.br .0% 1.6% -0.00 -9.2% Otimista 1.0% Produtividade t/ha Pessimista Base Otimista 75 80 85 Fonte: PECEGE/ESALQ/USP/CNA (2013). ATIVOS DA CANA-DE-AÇÚCAR é um boletim elaborado pela Superintendência Técnica da CNA e o Pecege (Programa de Educação Continuada em Economia e Gestão de Empresas).3% Base 1.9% Otimista 43.5% -9. da Escola Superior Luiz de Queiroz (Esalq).br Site: www.