You are on page 1of 80

Curso de Direito Administrativo, em exercícios, para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17

AULA 17: IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA
Fala Pessoal, A Lei de Improbidade (LIA) é a “mais curtinha” do Edital de vocês. Ao lado de muitas questões de ESAF, recorri a outras organizadoras, para “fulminar” todos os importantes detalhes da LIA. Ah! Se nunca viu nada sobre improbidade, faz o seguinte. Nas páginas finais, postei a lei de forma esquematizada. Faça a leitura da lei seca e vai perceber que 99% das questões serão resolvidas. Vamos que vamos. Cyonil Borges. Observação: postei um simuladinho de improbidade. Tenho a convicção de que, depois dos vários exercícios, das mais variadas bancas, vocês vão gabaritar!

Prof. Cyonil Borges

www.estrategiaconcursos.com.br

Página 1 de 80

Curso de Direito Administrativo, em exercícios, para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17

Das disposições gerais 1) (2002/Esaf – AFPS) Para efeitos penais, assinale o conceito de funcionário público: a) quem, embora transitoriamente ou sem remuneração, exerce cargo, emprego ou função pública. b) quem exerce cargo público efetivo ou em comissão. c) todos os servidores dos órgãos e entidades da Administração Pública direta e indireta. d) quem exerce qualquer função pública remunerada, independente de seu regime jurídico. e) todos aqueles que tenham vínculo com o Poder Público, incluídos os empregados terceirizados. 2) (2002/Esaf – Fiscal de Tributos Estaduais/PA) Em relação à legislação referente à improbidade administrativa, assinale a opção incorreta. a) O sucessor do agente público que tiver obtido enriquecimento ilícito responderá pelo ressarcimento do dano, integralmente. b) Os bens do indiciado como responsável pela lesão ao patrimônio público ficarão indisponíveis, ainda que não tenha havido enriquecimento ilícito. c) Ocorrendo lesão ao patrimônio público, ainda que por ato culposo, haverá o integral ressarcimento do dano. d) Comprovado o enriquecimento ilícito, o terceiro beneficiário perderá os bens acrescidos ao seu patrimônio. e) As disposições desta legislação podem se aplicar mesmo às pessoas que não sejam agentes públicos. 3) (2005/Esaf – AFRE/MG) Um servidor público do Estado de Minas Gerais praticou um ato que configura infração disciplinar grave, punível com a pena de demissão. Esse mesmo ato está previsto na Lei nº 8.429/92 como ato de improbidade administrativa e, no Código Penal, como crime contra a Administração Pública. Ele foi punido administrativamente, com a pena de demissão. Nessa hipótese: a) não poderá ser punido criminalmente porque ninguém pode ser punido duas vezes pelo mesmo fato. b) a sanção administrativa disciplinar impede a sanção por improbidade administrativa porque ambas têm a mesma natureza e finalidade. c) não há impedimento para que seja punido criminalmente e, também,
Prof. Cyonil Borges www.estrategiaconcursos.com.br Página 2 de 80

Curso de Direito Administrativo, em exercícios, para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17

por improbidade administrativa. d) poderá ser punido criminalmente, também, mas, não, por ato de improbidade administrativa. e) a punição por ato de improbidade administrativa dependerá da ocorrência de dano ao erário. 4) (2005/Esaf – Juiz do Trabalho Substituto/TRT 7ª Região) A improbidade administrativa é objeto da Lei nº 8.429/92. Assinale, nesse contexto, a afirmativa falsa. a) Para os efeitos da Lei nº 8.429/92, reputa-se agente público todo aquele que exerce função em entidade privada que receba subvenção do Poder Público, correspondente a pelo menos 50% de seu patrimônio. b) No caso de enriquecimento ilícito, perderá o agente público ou o terceiro beneficiário os bens ou valores acrescidos ao seu patrimônio. c) O sucessor daquele que causar lesão ao patrimônio público ou se enriquecer ilicitamente está sujeito ao ressarcimento do dano, até o limite do valor da herança. d) Ocorrendo lesão ao patrimônio público por ação ou omissão, do agente ou de terceiro, dar-se-á o integral ressarcimento do dano. e) Incorre em improbidade administrativa a pessoa que mesmo não sendo agente público induza ou concorra para a prática do ato danoso ou dele se beneficie. 5) (2008/FCC – TCE-SP/Auditor) É regra estranha ao regime da Lei Federal no 8.429/92, dita Lei da Improbidade Administrativa, a a) possibilidade de determinação da indisponibilidade de bens do indiciado em inquérito para apuração de ato de improbidade administrativa, quando esse ato causar lesão ao patrimônio público ou ensejar enriquecimento ilícito. b) sujeição do sucessor daquele que causar lesão ao patrimônio público ou se enriquecer ilicitamente, às cominações da Lei, até o limite do valor da herança. c) inclusão, no conceito de agente público, para os efeitos da Lei, daqueles que exercem, transitoriamente ou sem remuneração, função nas entidades da administração direta ou indireta. d) impossibilidade de cumulação de sanções penais, administrativas, com as cominações previstas na Lei. civis e

e) sujeição às penalidades da Lei dos atos de improbidade praticados contra o patrimônio de entidade que receba subvenção de órgão público, limitada a sanção patrimonial à repercussão do ilícito sobre a contribuição dos cofres públicos.
Prof. Cyonil Borges www.estrategiaconcursos.com.br Página 3 de 80

Curso de Direito Administrativo, em exercícios, para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17

6) (2008/FGV – TCM/PA – Auditor) A sanção patrimonial, na hipótese de atos de improbidade administrativa praticados em detrimento de entidade cujo erário público haja concorrido para a criação do respectivo patrimônio, pressupõe uma participação anual de: a) mais de cinquenta por cento. b) menos de cinquenta por cento. c) mais de quarenta por cento. d) menos de quarenta por cento. e) mais de vinte por cento. 7) (2010/FCC – TCM/PA – Técnico) Nos termos da Lei de Improbidade Administrativa (Lei no 8.429/1992), quando o ato de improbidade causar lesão ao patrimônio público ou ensejar enriquecimento ilícito, caberá à autoridade administrativa responsável pelo inquérito (A) representar ao superior hierárquico do indiciado para tornar indisponíveis os bens deste. (B) propor ação judicial para indisponibilidade dos bens do indiciado. (C) decretar, administrativamente, a indisponibilidade dos bens do indiciado. (D) representar ao Ministério Público, para a indisponibilidade dos bens do indiciado. (E) aguardar a conclusão do inquérito e a propositura da competente ação de improbidade administrativa para pedir a indisponibilidade dos bens do indiciado. Dos Atos de Improbidade Administrativa 8) (2005/Cesgranrio – SEAD/Advogado) São classificados como atos de improbidade administrativa aqueles, praticados por agente público, que: I - importam enriquecimento ilícito; II - causam prejuízo ao erário; III - atentam contra os princípios da Administração Pública. Está(ão) correto(s) o(s) item(ns): a) I, apenas. b) II, apenas. c) III, apenas.
Prof. Cyonil Borges www.estrategiaconcursos.com.br Página 4 de 80

e atos de improbidade administrativa que atentam contra os princípios da Administração Pública.com.Curso de Direito Administrativo. b) se constitui pela aquisição. bens de qualquer natureza cujo valor seja desproporcional à evolução do patrimônio ou à renda do agente público. emprego ou função pública. e atos de improbidade administrativa que atentam contra o poder de polícia. atos de improbidade administrativa que causam prejuízo ao Prof. 10) (2007/NCE-UFRJ/MP-RJ/Técnico) A Lei nº 8. para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 d) I e II. apenas. c) caracteriza ato de improbidade administrativa utilizar-se o agente público de veículo oficial para realizar compras para sua família. c) atos de improbidade administrativa dos quais decorre enriquecimento sem causa. e atos de improbidade administrativa que atentam contra os princípios gerais de Direito. cargo. de 2 de junho de 1992. em exercícios.429/92 apresenta distintas classes de atos de improbidade administrativa. atos de improbidade administrativa que causam prejuízo ao erário.estrategiaconcursos. que tenha interesse suscetível de ser atingido ou amparado por ação ou omissão decorrente de suas atribuições.br Página 5 de 80 . durante a atividade. b) atos de improbidade administrativa dos quais decorre enriquecimento ilícito. atos de improbidade administrativa que atentem contra a hierarquia e a disciplina administrativa. d) agente público que exerce atividade de consultoria ou assessoramento para pessoa física ou jurídica. II e III. deixar de prestar contas quando estiver obrigado a fazê-lo. para si ou para outrem.429. no exercício de mandato. Cyonil Borges www. incorre em ato de improbidade administrativa. e) retardar ou deixar de praticar indevidamente ato de ofício configura improbidade administrativa. São elas: a) atos de improbidade administrativa dos quais decorre enriquecimento ilícito. 8. é incorreto afirmar que: a) caracteriza-se como ilícito disciplinar. atos de improbidade administrativa que causam prejuízo ao administrado. 9) (2008/Esaf – CGU – Correição) A respeito da improbidade administrativa de que trata a Lei n. d) atos de improbidade administrativa dos quais decorre enriquecimento ilícito. e) I. mas não constitui ato de improbidade administrativa. mesmo quando autorizado por superior hierárquico.

a) Frustrar a licitude de processo licitatório.Curso de Direito Administrativo. indevidamente. ato de ofício. d) deixar de prestar contas quando esteja obrigado a fazê-lo. se não conseguir justificar a origem lícita desse aumento.429/92: a) retardar ou deixar de praticar. d) frustrar a licitude de processo licitatório. 13) (2004/ESAF – CGU) Assinale. e) o servidor público aumentar o seu patrimônio de forma desproporcional à sua renda. no rol abaixo. 11) (2002/Esaf – Procurador do Município de Fortaleza) Assinale.estrategiaconcursos. aquele que não se insere no rol dos atos de improbidade administrativa que atentam contra os princípios da Administração Pública. Cyonil Borges www.br Página 6 de 80 .com. 12) (2005/Esaf – AFTE/RN) exercício da função pública Configura enriquecimento ilícito no a) agir negligentemente na arrecadação de tributo. c) Permitir ou facilitar a aquisição. c) permitir a aquisição de bem público por valor superior ao de mercado. d) Frustrar a licitude de concurso público. nos termos da Lei Federal nº 8. b) a liberação de verba pública sem a observância das normas pertinentes. Prof. b) Permitir. b) ordenar ou permitir a realização de despesas não autorizadas em lei ou regulamento. e atos de improbidade administrativa que atentam contra os princípios da Administração Pública. permuta ou locação de bem ou serviço por preço superior ao do mercado. para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 erário. c) frustrar a licitude de concurso público. entre os seguintes atos. e) atos de improbidade administrativa dos quais decorre enriquecimento sem causa. e atos de improbidade administrativa que atentam contra os princípios gerais de Direito. facilitar ou concorrer para que terceiro se enriqueça ilicitamente. e) negar publicidade aos atos oficiais. a conduta considerada como improbidade administrativa que está sujeita a pena mais branda do que as demais. atos de improbidade administrativa que atentam contra a hierarquia e a disciplina administrativa. em exercícios.

b) Nos processos perante o Tribunal de Contas da União asseguram-se o contraditório e a ampla defesa quando da decisão puder resultar anulação. em exercícios. para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 e) Ordenar ou permitir a realização de despesas não autorizadas em lei ou regulamento. Cyonil Borges www. d) Os processos administrativos de que resultem sanções poderão ser revistos no prazo de 05 (cinco) anos. Das penas 15) (2000/Esaf – AFRF) Os atos de improbidade administrativa importarão. e) A Administração pode. as seguintes consequências. exceto: a) a perda da função pública. após sentença condenatória transitada em julgado. b) a perda dos direitos políticos. exceto: a) perda da função pública b) perda dos direitos políticos c) indisponibilidade dos bens d) responder à ação penal cabível e) ressarcimento do erário 16) (2007/Esaf – SEFAZ/CE) São consequências da prática de ato de improbidade pelo agente público infrator. cassação ou suspensão de ato administrativo que beneficie o interessado. a) Constitui ato de improbidade administrativa que atenta contra os princípios da Administração Pública negar publicidade aos atos oficiais. 14) (2007/Esaf – Procurador) Analise os itens a seguir e marque a opção correta. após sentença condenatória transitada em julgado.estrategiaconcursos. quando surgirem fatos novos. para o servidor público. a critério de sua conveniência e discricionariedade. Prof. c) Ao titular do cargo de procurador de autarquia exige-se a apresentação de instrumento de mandato para representá-la em juízo. reforma e pensão. deixar de emitir explicitamente decisão nas reclamações. podendo da revisão resultar agravamento da sanção.Curso de Direito Administrativo. a pedido ou de ofício. em matéria de sua competência.com.br Página 7 de 80 . excetuada a apreciação da legalidade do ato de concessão inicial de aposentadoria.

(D) oito a doze anos e pagamento de multa civil de até duzentas vezes o valor da remuneração percebida pelo agente. à suspensão dos direitos políticos de (A) três a cinco anos e pagamento de multa civil de até cem vezes o valor da remuneração percebida pelo agente. dentre outras penalidades. c) suspensão da função pública. permuta ou locação de bem público ou o fornecimento de serviço por ente estatal por preço inferior ao valor de mercado” importa em pena de: a) suspensão dos direitos políticos por até dez anos. (E) de quatro a dez anos e pagamento de multa civil de até cem vezes o valor da remuneração percebida pelo agente.Curso de Direito Administrativo. e) proibição de contratar com o Poder Público. 17) (2000/Esaf – AFRF) Tratando-se de atos de improbidade administrativa que causam prejuízo ao erário. conforme previsto na Lei no 8. Prof.com.br Página 8 de 80 . Cyonil Borges www. se houver. b) pagamento de multa civil de até duas vezes o valor do dano.estrategiaconcursos. d) pagamento de multa civil. (B) cinco a oito anos e pagamento de multa civil de até duas vezes o valor do dano.429/92. para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 c) ressarcimento integral do dano. para facilitar a alienação. d) proibição de contratar com o Poder Público pelo prazo de cinco anos. em exercícios. 19) (2002/Esaf – Fiscal de Tributos Estaduais/PA) O ato de “perceber vantagem econômica. (C) cinco a dez anos e pagamento de multa civil de até cinquenta e três vezes o valor da remuneração percebida pelo agente. direta ou indireta. a pena prevista de suspensão dos direitos políticos está fixada: a) de cinco a oito anos b) de seis a oito anos c) de oito a dez anos d) de três a cinco anos e) de dois a três anos 18) (2010/FCC – TRE/AM – Analista Judiciário) Pela prática de ato de improbidade administrativa que atenta contra os princípios da Administração Pública. o agente está sujeito.

Espec. b) Indisponibilidade dos bens. 20) (2003/ESAF – Auditor-Fiscal do Trabalho/MTE) Não se inclui entre as possíveis consequências do ato de improbidade administrativa.estrategiaconcursos. (C) A perda da função pública e a proibição de contratar com o Poder Público. aquela que não se coaduna com as consequências pela prática dos atos de improbidade administrativa. Do Procedimento Administrativo e do Processo Judicial Prof. Cyonil Borges www. para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 e) perda da nacionalidade brasileira. (E) A proibição de receber benefícios do Poder Público e incentivos fiscais.Curso de Direito Administrativo. constitucionalmente previstas: a) perda da função pública b) suspensão dos direitos políticos c) confisco de bens d) ressarcimento ao erário e) ação penal cabível 21) (2009/Esaf . (D) A reclusão e a detenção. em exercícios.br Página 9 de 80 . Assinale. c) A perda da nacionalidade. d) Ressarcimento ao erário.429/92. 22) (2010/FCC – TRE/AL – Analista Judiciário-Administrativa) Dentre as penalidades previstas na Lei no 8.com. para o administrador público que pratica ato de improbidade administrativa NÃO se incluem: (A) A suspensão dos direitos políticos e o pagamento de multa civil. em Políticas Públicas e Gestão Governamental) A Constituição da República previu consequências graves para os administradores que praticam atos de improbidade administrativa. entre as opções abaixo. (B) A perda dos bens acrescidos ilicitamente ao patrimônio e o ressarcimento integral do dano. a) Suspensão dos direitos políticos. e) Perda da função pública.MPOG .

relativos à improbidade administrativa. para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 (2002/Cespe – DPF) Julgue os itens abaixo. 23) O MP pode efetuar transação ou acordo com o réu. também. Os valores pagos à empresa Zeta eram 50% maiores que os preços praticados no mercado. assinale a opção correta. que Carlos depositara valores em dinheiro nas contas de Francisco.429. em exercícios. amigo de Francisco. contratou os serviços de vigilância da empresa Zeta. Diante desses fatos.429/1992 porque.º 8. b) Carlos não pode ser sujeito passivo da ação de improbidade administrativa de que trata a Lei n. desde que não dispense a integral reparação do dano. (Certo/Errado) 24) (2008/Cespe – PGE/CE – Procurador) Francisco. (2007/Cespe – AGU) Quanto à improbidade administrativa.429/1992. com dispensa de licitação. Com base nessa situação hipotética. e) Caso os envolvidos procurem o MP ou os representantes da pessoa jurídica lesada e proponham a recomposição dos prejuízos causados. as partes poderão realizar transação com o objetivo de extinguir a ação de improbidade administrativa. d) A ação de improbidade administrativa poderá ser proposta pelo MP ou pela pessoa jurídica interessada. Prof. descobriu-se que a empresa Zeta pertencia a Carlos. a) Francisco não poderá ser processado por improbidade administrativa com base na Lei n. que deixou de iniciar processo licitatório mesmo ciente de que o contrato anterior estava prestes a vencer. e que a emergência alegada fora criada intencionalmente pelo próprio agente público.com. desde que isso se afigure útil ao interesse público. Posteriormente. o governador demitiu Francisco da presidência da autarquia e o Ministério Público (MP) do estado denunciou-o. julgue os seguintes itens. a pessoa jurídica interessada poderá atuar ao lado do autor da ação ou abster-se de contestar o pedido. conforme disciplinada na Lei nº 8. de 2/6/1992. juntamente com Carlos. argumentando que não havia tempo hábil para realizar procedimento licitatório e que a autarquia não poderia ficar sem aquele serviço. em razão da demissão. não será considerado mais agente público.º 8. Caso a ação seja ajuizada pelo MP. Cyonil Borges www. por crimes de dispensa ilegal de licitação e corrupção.Curso de Direito Administrativo.estrategiaconcursos. Descobriu-se. presidente de determinada autarquia estadual. c) A ação de improbidade administrativa só poderá ser ajuizada se ficar constatado prejuízo financeiro aos cofres públicos.br Página 10 de 80 .

Cyonil Borges www. pelos mesmos fatos. quando pessoa física. a perda da função pública e a suspensão dos direitos políticos são penas alternativas. d) de qualquer pessoa jurídica de fins filantrópicos designada pelo Juiz.com. à comissão processante também será possível representar à procuradoria do órgão para que requeira ao juízo competente a decretação do sequestro dos bens do agente ou terceiro que tenha enriquecido ilicitamente ou causado dano ao patrimônio público. e) do autor da ação. a propositura da ação de improbidade administrativa não impede que se intente a ação penal. conforme o caso. II. II e VI. V. por ato de improbidade administrativa. a indisponibilidade de bens é uma medida de natureza cautelar que visa a garantir o ressarcimento do erário. a lei deve estabelecer a gradação das penas a serem aplicadas. (Certo/Errado) 26) (2004/Esaf – CGU) A sentença decorrente de ato de improbidade administrativa que julgar procedente ação civil de reparação de dano ou decretar a perda dos bens havidos ilicitamente determinará o pagamento ou a reversão dos bens. para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 25) Havendo fundados indícios de responsabilidade de servidor público por ato de improbidade administrativa. b) do Ministério Público que atuou na ação. II e IV. VI. não sendo lícito ao legislador ordinário apontar outras hipóteses de improbidade. sob pena de afrontar a Constituição Federal. Estão corretas as afirmativas a) I.br Página 11 de 80 . I. d) III. Prof. não sendo lícito ao julgador aplicá-las cumulativamente. os atos de improbidade administrativa são apenas os relacionados nesse dispositivo constitucional. c) I. em exercícios. IV. a favor a) da pessoa jurídica prejudicada pelo ilícito.estrategiaconcursos. b) I. pelos mesmos fatos. III. V e VI. 37 da Constituição Federal. a aplicação das penas previstas na Lei de Improbidade Administrativa impede que se intente a ação penal.Curso de Direito Administrativo. 27) (2005/Esaf – AFTE/RN) De acordo com o § 4º do art. V e VI. c) de fundo especialmente constituído para esta finalidade.

Estão corretas a) apenas as afirmativas I. o Ministério Público deve ser informado da existência de procedimento administrativo instaurado para apurar a prática de ato de improbidade. Prof. para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 e) III. para oferecer manifestação por escrito. e) 30 dias. pode ser requerido o sequestro dos bens do beneficiário. após autuada. II. na fixação das penas previstas. mesmo não sendo agente público. III e IV. ainda que sem remuneração.429/92). o Juiz levará em conta: a) a escolaridade do réu.br Página 12 de 80 .estrategiaconcursos. II. havendo fundados indícios de enriquecimento ilícito. antes mesmo da sua conclusão. em exercícios. as sanções nela previstas aplicam-se. III. pode ser requerida antes de transitar em julgado a sentença condenatória. também. no prazo de: a) 20 dias. antes mesmo de concluído o procedimento administrativo. àquele que. b) 10 dias. o Juiz ordenará a notificação do requerido. para fins de garantir o ressarcimento do dano. b) a natureza e hierarquia do cargo exercido. 28) (2003/ESAF – Auditor-Fiscal do Trabalho/MTE) Nos termos da Lei de Improbidade Administrativa (Lei nº 8. 29) (2008/FGV – TCM/PA – Auditor) Proposta ação de improbidade administrativa. reputa-se agente público a pessoa que exercer um cargo público. IV e V. a indisponibilidade dos bens.com. d) a extensão do dano causado. Cyonil Borges www. V. 30) (2006/Esaf – AFC/CGU) Administrativa é correto afirmar: Sobre a Lei da Improbidade I. c) 15 dias. induza ou concorra para a prática do ato de improbidade. IV. d) 5 dias. e) o reconhecimento da culpa pelo réu. c) o meio utilizado para a lesão ao patrimônio público.Curso de Direito Administrativo.

SEFAZ/RJ – FISCAL DE RENDAS) Com relação ao tema da improbidade administrativa. IV e V. cargo.Curso de Direito Administrativo. para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 b) as afirmativas I. IV. I. III. os quais estão submetidos a um regime especial de responsabilidade com prerrogativa de foro. é necessária a presença do elemento má-fé para caracterização do ato de improbidade administrativa. ainda que transitoriamente ou sem remuneração. em nenhuma hipótese.br Página 13 de 80 . Conforme o atual posicionamento jurisprudencial do STJ. De acordo com a atual jurisprudência do STF. b) tratando-se de penalidades personalíssimas. o réu da ação de improbidade administrativa pode ter decretada judicialmente a indisponibilidade de seus bens. c) se somente as afirmativas I. 32) (2009/Esaf – AFRFB – Auditor) Quanto à disciplina da Lei de Improbidade Administrativa – Lei n. II. em exercícios. II e IV estiverem corretas. e) apenas as afirmativas I. é incorreto afirmar: a) considera-se agente público todo aquele que exerce. a lei de improbidade administrativa não se aplica aos agentes políticos. Cyonil Borges www. II. designação. III e V. contratação ou qualquer outra forma de investidura ou vínculo. III. Para garantir o ressarcimento do erário público. d) se somente as afirmativas I e IV estiverem corretas. e) se somente as afirmativas I e II estiverem corretas. Assinale: a) se somente as afirmativas II. emprego ou função nas entidades mencionadas no art. por eleição. de 2 de junho de 1992. analise as afirmativas a seguir. II. 8. 31) (2009/FGV. d) apenas as afirmativas II. mandato. II e III estiverem corretas. III. b) se somente as afirmativas I. II. além de incidir em um dos tipos previstos na Lei nº 8. nomeação.estrategiaconcursos.429. IV e V. Prof. c) apenas as afirmativas I. O Ministério Público ou pessoa jurídica interessada pode celebrar transação judicial com o réu da ação de improbidade administrativa desde que o ato ímprobo não cause prejuízo ao erário. poderá o sucessor ser alcançado por sanções previstas na Lei de Improbidade Administrativa. IV e V.429/92.com. 1o da Lei. III e IV estiverem corretas.

e) aplicam-se também as disposições da Lei de Improbidade Administrativa. 33) (2008/FGV – SEFAZ/RJ . no que couber. e) reclusão de seis meses a um ano e multa. mesmo não sendo agente público. induza ou concorra para a prática do ato de improbidade ou dele se beneficie sob qualquer forma direta ou indireta. Das Disposições Penais 34) (2002/Esaf – AFPS) A representação por ato de improbidade contra agente público ou terceiro beneficiário. b) somente se caracteriza ato de improbidade administrativa quando ocorre dano patrimonial ao erário. c) constitui ato de improbidade administrativa facilitar a aquisição de bem ou serviço por preço superior ao de mercado. d) permitir a realização de despesas não autorizadas em lei ou regulamento constitui exemplo de ato de improbidade administrativa. é crime punível com a pena de: a) detenção de seis meses a 10 meses e multa. e) a lei prevê ser improbidade administrativa o ato de facilitar ou concorrer para que terceiro se enriqueça ilicitamente. d) detenção de seis meses a dois anos e multa.com. perderá o agente público ou terceiro beneficiário os bens ou valores acrescidos ao seu patrimônio. b) reclusão de três meses a ano e multa.Fiscal de Rendas) Assinale a afirmativa incorreta. do agente ou de terceiro. para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 c) o Supremo Tribunal Federal excluiu da sujeição à Lei de Improbidade Administrativa os agentes políticos que estejam sujeitos ao regime de crime de responsabilidade. d) ocorrendo lesão ao patrimônio público por ação ou omissão. Prof. em exercícios.br Página 14 de 80 . c) detenção de seis meses a dois anos ou multa. a) é vedada ao servidor a utilização de bens da administração pública para fins particulares. quando o autor da denúncia o sabe inocente. no caso de enriquecimento ilícito. àquele que. Cyonil Borges www. dar-se-á o integral ressarcimento do dano e. dolosa ou culposa.estrategiaconcursos.Curso de Direito Administrativo.

Cyonil Borges www. depende do trânsito em julgado da condenação. para a apuração de ilícito penal previsto na Lei n. podendo. contra agente público.249/92 não contém disposição própria que defina como crime a representação por ato de improbidade. d) não acarreta ônus ou responsabilidade ao denunciante. o que não fez ao se referir às sanções administrativas e civis. d) no que se refere a suspensão dos diretos políticos.429/92. em exercícios.br Página 15 de 80 . b) sujeita-o. c) sujeita-o.249/92. a) além de constituir crime. a responder por danos morais. 36) (2004/Esaf – CGU) A aplicação de sanções previstas na Lei nº 8. relativamente ao terceiro apontado como beneficiário do agente público. 37) (2007/Esaf – PGDF) Com relação aos aspectos penais da Lei n. 8. a) A Constituição Federal atribui aos atos de improbidade natureza penal.Curso de Direito Administrativo. Prof. a) depende de efetiva ocorrência de dano ao patrimônio público. requisitar a instauração de inquérito policial. e) fica prejudicada. e) acarreta a perda dos direitos políticos do denunciante. independe da prévia existência de procedimento administrativo por ato de improbidade. se as contas respectivas forem aprovadas pelo Tribunal de Contas. independe do trânsito em julgado da condenação. sujeita o denunciante a indenizar o denunciado por danos materiais e morais. e) A perda da função pública e a suspensão dos direitos políticos independem do trânsito em julgado da sentença penal condenatória. b) A atuação do Ministério Público. Tal conclusão pode ser inferida da ressalva que faz em seu texto quanto à possibilidade de propositura da ação penal cabível. previsto na Lei nº 8. c) no que se refere a perda da função pública. para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 35) (2004/Esaf – CGU) A representação por ato de improbidade. c) A aprovação ou rejeição das contas pelo Tribunal de Contas é condição de punibilidade das sanções penais previstas na Lei de Improbidade Administrativa. quando o autor da denúncia o sabe inocente. que dispõe sobre atos de improbidade administrativa. apenas. a seu critério. a responder por denunciação caluniosa. b) depende da rejeição das contas respectivas pelo Tribunal de Contas. d) A Lei n. quando o autor da denúncia o sabe inocente. apenas. 8.249/92. 8. marque a opção correta.com.429/92.estrategiaconcursos.

d) se apenas as afirmativas II e III estiverem corretas. e) se todas as afirmativas estiverem corretas. b) sim. ato imoral que.Senado Federal . sob pena de nulidade. nessa qualidade. 38) O Ministério Público. atuará obrigatoriamente. em exercícios. III. o servidor responsável pelo ato.º 8. o terceiro que concorreu para o resultado e a pessoa jurídica a que pertence o servidor. c) se apenas as afirmativas I e II estiverem corretas.Curso de Direito Administrativo. ao princípio da moralidade administrativa. II. Na ação de improbidade administrativa devem figurar como réus. não reflete corrupção econômica? a) sim.estrategiaconcursos. Prof. Assinale: a) se apenas a afirmativa I estiver correta. A revelação a terceiros de fato sigiloso de que o servidor tenha ciência em virtude de suas atribuições somente pode enquadrar-se como ato de improbidade que atenta contra os princípios da Administração Pública. prescinde da ocorrência de dano ao patrimônio público e de indício de corrupção econômica. em litisconsórcio passivo.Fiscal de Rendas) O agente público pode ser condenado nas penas de improbidade administrativa por praticar. se não intervier no processo como parte. porque a improbidade administrativa.com. o sucessor do autor da conduta está sujeito às sanções previstas na Lei 8. 40) (2006/FGV – SERC/MS . como fiscal da lei. ainda que culposa.br Página 16 de 80 . de assento constitucional. para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 (2008/CESPE – MPE/RR – Procurador) Com base na Lei n. No caso de improbidade administrativa em que haja enriquecimento ilícito ou lesão ao patrimônio público.429/92 até o limite do valor da herança. (Certo/Errado) 39) (2008/FGV . além de não ter gerado prejuízo para a Administração. Cyonil Borges www. b) se apenas a afirmativa III estiver correta.Advogado do Senado Federal) Analise as seguintes afirmativas: I.429/1992 — Lei de Improbidade Administrativa —. por ofensa. embora dependa de uma ação ou omissão dolosa do agente público. julgue os itens seguintes.

porque a improbidade se relaciona. o dolo ou culpa do sujeito ativo. como elemento subjetivo. sendo ilícito de resultado. Prof. (E) o ato de improbidade administrativa é sempre uma conduta ativa.429/92).ALESP.br Página 17 de 80 . Téc. podem ser propostas: a) até dez anos após o término do exercício da atividade pública. b) dentro do prazo prescricional previsto em lei específica para faltas disciplinares puníveis com demissão a bem do serviço público. e) depende da gravidade do ato imoral. (B) são enquadradas como sujeito passivo do ato de improbidade as entidades em relação as quais o erário haja concorrido para formação do patrimônio. Cyonil Borges www. por se tratar de bens indisponíveis. dolosa ou culposa. 41) (FCC/2010 . d) a qualquer tempo. em exercícios. independentemente da data em que ocorreu a perda patrimonial.º 8. c) até cinco anos após a ocorrência da improbidade ou dilapidação dos bens ou haveres das entidades públicas. Legislativo – M13) A respeito dos elementos constitutivos dos atos de improbidade administrativa é correto afirmar que (A) o sujeito ativo do ato de improbidade é. um agente público. para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 c) sim. uma vez que as ações contra atos de improbidade são imprescritíveis. sempre. d) não.com.Curso de Direito Administrativo. nos casos de exercício de cargo efetivo ou emprego. necessariamente. como elemento objetivo. a ocorrência de prejuízo financeiro para o erário e. com valores e questões materiais. desvio. desde que em montante superior a 50%. (D) o ato de improbidade pressupõe. (C) são sujeitos ativos do ato de improbidade o agente público ou o terceiro que induza ou concorra para a prática do ato ou dele se beneficie direta ou indiretamente. apropriação dos bens públicos.Ag. desde que o ato de improbidade administrativa vise à satisfação de interesse pessoal do agente ou de terceiro.estrategiaconcursos. que enseja enriquecimento ilícito para o agente e prejuízo econômico para o erário. Da Prescrição 42) (2007/NCE/UFRJ/MP-ES/Assessor) As ações destinadas a levar a efeito as sanções previstas na Lei de Improbidade Administrativa (Lei n.

Cyonil Borges www. sejam omissivos ou comissivos. o legislador federal optou por tornar as ações respectivas imprescritíveis. em face da extensão do dano ou do proveito patrimonial obtido pelo agente. III. e) Todas as afirmativas estão corretas. c) a regra de que o sucessor responde por dívidas do sucedido não se aplica em hipóteses de improbidade administrativa. prescrevem em cinco anos.com. nos casos de agente público que não seja titular de cargo ou emprego efetivo. prescrevem em cinco anos. dependem. somente o servidor público pode praticar atos de improbidade administrativa. não se aplicam. V. na forma como disciplinada em legislação federal. para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 e) até dez anos após a ocorrência da improbidade ou dilapidação dos bens ou haveres das entidades públicas. b) a obrigação de ressarcimento do dano se restringe aos atos de lesão ao patrimônio público dolosos. c) Estão corretas apenas as afirmativas III. da efetiva ocorrência de dano ao patrimônio público. é correto dizer que: a) é possível se falar em improbidade administrativa para atos que não importem enriquecimento ilícito e não tenham causado prejuízo ao erário. o que deu azo a duras críticas pela doutrina e jurisprudência pátrias. contados da data da prática do ato. em exercícios. dada a natureza personalíssima da responsabilidade pelos atos envolvidos. e) tecnicamente. Prof. IV e V. em qualquer hipótese. se as contas do responsável tiverem sido aprovadas pelo Tribunal de Contas. a) Apenas a afirmativa V está correta. para aplicação. podem ser graduadas pelo juiz. contados da data da prática do ato. d) em vista da gravidade dos atos de improbidade administrativa. d) Estão corretas apenas as afirmativas I e V. b) Todas as afirmativas estão erradas.estrategiaconcursos.br Página 18 de 80 . 44) (2006/Esaf – AFC/CGU) Improbidade Administrativa: As sanções previstas na Lei da I. Assinale a opção correta.Curso de Direito Administrativo. II. 43) (2006/Esaf – PFN) Sobre improbidade administrativa. IV.

designação. Comentários: As questões de improbidade não representam problema nas provas. Vamos lá.429/1992 dispõe: “Reputa-se agente público. para os efeitos desta lei. 2) (2002/Esaf – Fiscal de Tributos Estaduais/PA) Em relação à legislação referente à improbidade administrativa. embora transitoriamente ou sem remuneração.com. incluídos os empregados terceirizados. mandato. serão apresentados os comentários que entendo convenientes. O art. e) todos aqueles que tenham vínculo com o Poder Público. assinale a opção incorreta. Cyonil Borges www. contratação ou qualquer outra forma de investidura ou vínculo. Enfim. b) quem exerce cargo público efetivo ou em comissão. assinale o conceito de funcionário público: a) quem. com ou sem remuneração. com ou sem caráter de permanência nos quadros da Administração. em exercícios. para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 Improbidade Administrativa Das disposições gerais 1) (2002/Esaf – AFPS) Para efeitos penais. emprego ou função nas entidades mencionadas no artigo anterior”. exerce cargo. independente de seu regime jurídico.Curso de Direito Administrativo. porque costumam ser literais. por eleição. Em todo caso. daí a correção do item “A”. 2º da Lei 8. ainda que transitoriamente ou sem remuneração. a lei atinge todos aqueles que.estrategiaconcursos.br Página 19 de 80 . sejam responsáveis pela execução dos fins da Administração. cargo. c) todos os servidores dos órgãos e entidades da Administração Pública direta e indireta. todo aquele que exerce. Gabarito: item A. nomeação. d) quem exerce qualquer função pública remunerada. emprego ou função pública. Prof.

ainda que não tenha havido enriquecimento ilícito. Nas lições preliminares de Direito Constitucional. daí a incorreção do quesito.com. porém. 37. §4º. aprendemos que os sucessores até respondem. ainda que por ato culposo. d) Comprovado o enriquecimento ilícito. em sua maioria. isso só é possível nos casos de enriquecimento ilícito e de prejuízo ao erário. Item B – CORRETO. A responsabilidade pela prática de atos de improbidade é. Prof. c) Ocorrendo lesão ao patrimônio público. em se tratando de atos que causam prejuízo ao erário. haverá o integral ressarcimento do dano. Cyonil Borges www. entre outras consequências. daí a correção do item ao afirmar que mesmo em não havendo enriquecimento poderá haver a indisponibilidade. admite a indisponibilidade dos bens. mas sim até o limite da herança transferida. o terceiro beneficiário perderá os bens acrescidos ao seu patrimônio. admitida tão-somente em caso de dolo. Comentários: Item A – INCORRETO. integralmente. nosso legislador admite também a responsabilidade por atos culposos (fiquem ligados!). e) As disposições desta legislação podem se aplicar mesmo às pessoas que não sejam agentes públicos. em exercícios. b) Os bens do indiciado como responsável pela lesão ao patrimônio público ficarão indisponíveis.Curso de Direito Administrativo. pois pode ter havido prejuízo ao erário. para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 a) O sucessor do agente público que tiver obtido enriquecimento ilícito responderá pelo ressarcimento do dano. não integralmente. Item C – CORRETO. De acordo com a Lei de Improbidade Administrativa – LIA. porém. O art.br Página 20 de 80 . do texto constitucional.estrategiaconcursos.

para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 Item D – CORRETO. só será responsabilizado se tiver agido com dolo (intencionalmente).429/92 como ato de improbidade administrativa e. por improbidade administrativa. e) a punição por ato de improbidade administrativa dependerá da ocorrência de dano ao erário. como crime contra a Administração Pública. não. Literalidade da LIA. Gabarito: item A. não será responsabilizado a título de culpa. 3) (2005/Esaf – AFRE/MG) Um servidor público do Estado de Minas Gerais praticou um ato que configura infração disciplinar grave. c) não há impedimento para que seja punido criminalmente e. com a pena de demissão. terceiros podem ser sujeito ativo da pratica de ato de improbidade. Vejamos o conceito de terceiros. também. 3º da Lei: “As disposições desta lei são aplicáveis. Prof. além dos agentes públicos. também. ao ser beneficiado pela improbidade. Esse mesmo ato está previsto na Lei nº 8. Cuidado! O terceiro. em exercícios. no que couber. d) poderá ser punido criminalmente. É verdade. Ele foi punido administrativamente. induza ou concorra para a prática do ato de improbidade ou dele se beneficie sob qualquer forma direta ou indireta”. Comentários: À vista da literalidade.com. Item E – CORRETO. mas.estrategiaconcursos.br Página 21 de 80 . Cyonil Borges www. Portanto. mesmo não sendo agente público. nos termos do art. vamos às análises. por ato de improbidade administrativa. àquele que. punível com a pena de demissão. no Código Penal. tiver ciência da ilicitude do ato.Curso de Direito Administrativo. Nessa hipótese: a) não poderá ser punido criminalmente porque ninguém pode ser punido duas vezes pelo mesmo fato. enfim. b) a sanção administrativa disciplinar impede a sanção por improbidade administrativa porque ambas têm a mesma natureza e finalidade.

as esferas administrativa e penal poderão ser atingidas. ao contrário disso. sendo.estrategiaconcursos. daí a incorreção do quesito. conforme o caso. civil. Veremos isso um pouco mais à frente. Item D – INCORRETA. como decorrência da Gabarito: item C. Prof. Existem três instâncias: administrativa. até mesmo acumuláveis. como já situado. e penal. Portanto. Com outras palavras. para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 Item A – INCORRETO. portanto. e. independentes entre si. Item E – INCORRETA. Idem item “A”. em exercícios. Item C – CORRETA. é uma lei de natureza civil-política. punido na esfera penal e na civil. conforme o caso.Curso de Direito Administrativo. está incorreto afirmar que a aplicação de penalidade administrativa impede a punição em âmbito civil. Exatamente independência entre as instâncias. Cyonil Borges www. Antecipo que para a configuração de ato de improbidade administrativa é de pouca importância o fato de ter ou não ocorrido dano econômico. a punição administrativa não afasta a possibilidade de ser o agente.com. Obviamente. Item B – INCORRETO. as instâncias são independentes.br Página 22 de 80 . afinal de contas. como parece transmitir a adjetivação da própria Lei (Lei de Improbidade Administrativa). A ação de improbidade não é administrativa. de regra. igualmente.

para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 4) (2005/Esaf – Juiz do Trabalho Substituto/TRT 7ª Região) A improbidade administrativa é objeto da Lei nº 8. Art. em exercícios. b) No caso de enriquecimento ilícito. Cyonil Borges www. dos Estados. d) Ocorrendo lesão ao patrimônio público por ação ou omissão. dar-se-á o integral ressarcimento do dano.br Página 23 de 80 .429/92.com. perderá o agente público ou o terceiro beneficiário os bens ou valores acrescidos ao seu patrimônio. do Distrito Federal. e) Incorre em improbidade administrativa a pessoa que mesmo não sendo agente público induza ou concorra para a prática do ato danoso ou dele se beneficie. Comentários: Vamos direto às análises. Item A – INCORRETO. de Território. dos Municípios. servidor ou não. até o limite do valor da herança. de empresa incorporada ao patrimônio público ou de entidade para cuja criação ou custeio o erário haja concorrido ou concorra com mais de cinquenta por cento do patrimônio ou da receita anual. a) Para os efeitos da Lei nº 8. serão punidos na forma desta lei. Art. c) O sucessor daquele que causar lesão ao patrimônio público ou se enriquecer ilicitamente está sujeito ao ressarcimento do dano. 1º da LIA. contra a administração direta. indireta ou fundacional de qualquer dos Poderes da União. reputa-se agente público todo aquele que exerce função em entidade privada que receba subvenção do Poder Público.Curso de Direito Administrativo. 6º da LIA. nesse contexto. correspondente a pelo menos 50% de seu patrimônio. Prof. Item B – CORRETO. É literal do art.estrategiaconcursos. 1° Os atos de improbidade praticados por qualquer agente público. a afirmativa falsa. Assinale.429/92. do agente ou de terceiro.

administrativas. para os efeitos da Lei. 5) (2008/FCC – TCE-SP/Auditor) É regra estranha ao regime da Lei Federal no 8. no conceito de agente público. para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 Item C – CORRETO. Art. Art. b) sujeição do sucessor daquele que causar lesão ao patrimônio público ou se enriquecer ilicitamente. d) impossibilidade de cumulação de sanções penais. Art. Gabarito: item A.429/92. dita Lei da Improbidade Administrativa. quando esse ato causar lesão ao patrimônio público ou ensejar enriquecimento ilícito. 5º da LIA. função nas entidades da administração direta ou indireta.com.Curso de Direito Administrativo.br civis e Página 24 de 80 . a a) possibilidade de determinação da indisponibilidade de bens do indiciado em inquérito para apuração de ato de improbidade administrativa. transitoriamente ou sem remuneração. 3º da LIA. até o limite do valor da herança. c) inclusão. Cyonil Borges www.estrategiaconcursos. Prof. em exercícios. com as cominações previstas na Lei. Item D – CORRETO. Item E – CORRETO. daqueles que exercem. 8º da LIA. às cominações da Lei.

Nessas entidades e Prof. aquelas em que o Estado haja concorrido com mais de cinquenta por cento do patrimônio ou da receita anual. Cyonil Borges www. 7º da LIA. inclusive. 8º da LIA). da LIA. para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 e) sujeição às penalidades da Lei dos atos de improbidade praticados contra o patrimônio de entidade que receba subvenção de órgão público. 1º. Item B – CORRETO. sujeitos às penalidades da Lei os atos contra o patrimônio de entidades ou de órgãos em que o Estado concorra com menos de cinquenta por cento do patrimônio ou da receita anual. nesse caso. O art. Contudo. caput. estabelece quais são as entidades submetidas à Lei de Improbidade. Comentários: Questão de reforço. alcançando. em exercícios. temos os agentes públicos. além da repercussão patrimonial. limitada a sanção patrimonial à repercussão do ilícito sobre a contribuição dos cofres públicos.estrategiaconcursos. 2º da LIA. Item A – CORRETO. Item D – INCORRETO.br Página 25 de 80 .com. as penalidades ficam limitadas à sanção patrimonial referente às contribuições dos cofres públicos. Nos termos do art. Apesar de a LIA ser de natureza civil. não se afasta a cumulação entre as esferas penal e administrativa. Nessas entidades e órgãos. Já o parágrafo único do dispositivo prevê que estão. O item está perfeito (art. logo. igualmente. Item E – CORRETO. Nos termos do art. daí a incorreção do item. poderá haver perda da função pública. Item C – CORRETO.Curso de Direito Administrativo.

por esse motivo. pressupõe uma participação anual de: a) mais de cinquenta por cento. para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 órgãos. Nessas entidades e órgãos.429/1992).br Página 26 de 80 . Prof. por esse motivo. Gabarito: alternativa B. e) mais de vinte por cento. b) menos de cinquenta por cento. Contudo. da LIA. 7) (2010/FCC – TCM/PA – Técnico) Nos termos da Lei de Improbidade Administrativa (Lei no 8. poderá haver perda da função pública. Nessas entidades e órgãos. não há como cogitarmos da existência de agentes públicos. (B) propor ação judicial para indisponibilidade dos bens do indiciado. Já o parágrafo único do dispositivo prevê que estão. as penalidades ficam limitadas à sanção patrimonial referente às contribuições dos cofres públicos. inclusive. na hipótese de atos de improbidade administrativa praticados em detrimento de entidade cujo erário público haja concorrido para a criação do respectivo patrimônio. alcançando. em exercícios.Curso de Direito Administrativo. Comentários: O art. em sentido estrito. d) menos de quarenta por cento. nesse caso. não há como cogitarmos da existência de agentes públicos. por exemplo.com. aquelas em que o Estado haja concorrido com mais de cinquenta por cento do patrimônio ou da receita anual. a repercussão é meramente patrimonial (não haverá perda de cargo e suspensão de direitos políticos). a repercussão é meramente patrimonial. igualmente. Cyonil Borges www. 6) (2008/FGV – TCM/PA – Auditor) A sanção patrimonial. perda de cargo e suspensão de direitos políticos. caput. 1º. c) mais de quarenta por cento. estabelece quais são as entidades submetidas à Lei de Improbidade. Não haverá. sujeitos às penalidades da Lei os atos contra o patrimônio de entidades ou de órgãos em que o Estado concorra com menos de cinquenta por cento do patrimônio ou da receita anual. quando o ato de improbidade causar lesão ao patrimônio público ou ensejar enriquecimento ilícito. temos os agentes públicos. logo. Gabarito: item D. além da repercussão patrimonial. caberá à autoridade administrativa responsável pelo inquérito: (A) representar ao superior hierárquico do indiciado para tornar indisponíveis os bens deste.estrategiaconcursos.

Prof.Curso de Direito Administrativo.com. inclusive fixando.estrategiaconcursos. Comentários: Há três tipos de atos de improbidade: os que causam enriquecimento ilícito. (D) representar ao Ministério Público. Nos dois primeiros casos. No caso. (E) aguardar a conclusão do inquérito e a propositura da competente ação de improbidade administrativa para pedir a indisponibilidade dos bens do indiciado.br Página 27 de 80 . recairá sobre os bens que assegurem o integral ressarcimento ao erário ou sobre o acréscimo patrimonial resultante do enriquecimento ilícito. Dos Atos de Improbidade Administrativa Inicialmente. para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 (C) decretar. na forma e gradação previstas em lei. em exercícios. de modo genérico. a autoridade administrativa responsável pelo inquérito administrativo poderá representar ao Ministério Público para a indisponibilidade dos bens do indiciado (alternativa D). a indisponibilidade dos bens e o ressarcimento ao erário. cumpre registrar que a própria Constituição Federal trata de improbidade administrativa. Cyonil Borges www. Vejamos o §4º do art. que causam prejuízo ao erário. para a indisponibilidade dos bens do indiciado. a perda da função pública. Gabarito: alternativa D. a indisponibilidade dos bens do indiciado. sem prejuízo da ação penal cabível. sanções aplicáveis no caso de cometimento de ato de improbidade. 37 da CF/1988: Os atos de improbidade administrativa importarão a suspensão dos direitos políticos. a indisponibilidade não ocorre de forma de desmedida. os que ferem princípios da Administração Pública. administrativamente. ao contrário disso.

Cyonil Borges www. por um período que pode variar de três a dez anos. mas tão só judicialmente. pode ocorrer em razão de improbidade administrativa. essas duas sanções possíveis em razão do cometimento de improbidade não podem ser aplicadas administrativamente.estrategiaconcursos.com. conforme a gravidade da conduta do infrator. Perda da Função Pública Como destacado. Destaco que a LIA informa ser necessário o trânsito em julgado da sentença penal condenatória para que ocorra a suspensão dos direitos políticos e a perda da função pública (art. em exercícios.Curso de Direito Administrativo. mas depende do trânsito em julgado de sentença judicial condenatória. 20). bem como a partir da Lei de improbidade fazer algumas observações: Direitos Políticos Não haverá perda ou cassação dos direitos políticos. Assim. mas sim suspensão destes. Indisponibilidade de bens Prof. para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 A partir do regramento constitucional.br Página 28 de 80 .

Tanto assim que no trecho final do dispositivo constitucional. ou seja. 7º. para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 É verdadeira “medida cautelar” e não penalidade. não pode ser feita administrativamente. Nesse sentido. de nada adiantaria ser condenado a ressarcir ao erário. Imaginemos que um sujeito se enriqueça ilicitamente ou venha a causar prejuízo ao erário.br Página 29 de 80 . Caso ele viesse a vender seu patrimônio. Em síntese: não há crime de improbidade.429/1992 apenas em único momento faz menção ao aspecto criminal: será submetido à detenção de seis a dez meses e multa aquele que fizer denúncia por improbidade contra alguém que sabe inocente (art.com. com vistas a garantir o ressarcimento.. Não é demais repetir que improbidade não é crime. 8º). caput) Ressarcimento ao Erário Deve ser feito no exato valor do quantum do prejuízo ao erário. deve-se buscar na legislação penal a capitulação (enquadramento) da conduta do agente em nos tipos de crime previstos por lá. Prof. Vejamos. 19). na exata medida do prejuízo causado ou da parcela ilicitamente acrescida ao patrimônio do infrator.estrategiaconcursos.. então. Assim. em exercícios. A decretação da indisponibilidade. Cyonil Borges www. uma vez que depende da ação do Ministério Público para tanto (art. a natureza de tal medida preventiva. A Lei 8. menciona-se “sem prejuízo da ação penal cabível.Curso de Direito Administrativo. Registro que o dever de ressarcir o erário pode ser transmitido aos sucessores/herdeiros daquele que causar prejuízo ao erário até o limite do valor da herança recebida.’. todavia. a indisponibilidade de bens recairá sobre bens que assegurem o integral ressarcimento do dano. para que seja garantida a eficácia de uma eventual sentença condenatória. ou sobre o acréscimo patrimonial resultante do enriquecimento ilícito (parágrafo único do art.

Curso de Direito Administrativo. em exercícios. que: I . apenas. praticados por agente público.atentam contra os princípios da Administração Pública. que a CF/1988 fala no dispositivo em forma e gradação previstas em Lei.estrategiaconcursos. Cyonil Borges www. II .br Página 30 de 80 .importam enriquecimento ilícito. III . para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 Pois bem.causam prejuízo ao erário.com. ainda. Está(ão) correto(s) o(s) item(ns): a) I. apenas. c) III. b) II. Destaco. Prof. apenas. Podemos traçar um quadroresumo das sanções decorrentes dos atos de improbidade: SANÇÕES PELA PRÁTICA DE IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA Enriquecimento Ilícito Ressarcimento ao erário Perda da Função Pública Suspensão dos direitos Políticos Aplicável Aplicável Prejuízo ao erário Aplicável Aplicável Lesão a princípios Aplicável Aplicável De 8 a 10 anos De 5 a 8 anos De 3 a 5 anos Perda dos Bens acrescidos Deve ser aplicada ilicitamente Até três vezes o valor do acréscimo patrimonial SIM (por 10 anos) Pode ser aplicada Pode ser aplicada Multa civil Até duas vezes Até 100 vezes o valor do a remuneração dano do cargo Proibição de contratar com o Poder Público SIM (por cinco anos) SIM (por três anos) 8) (2005/Cesgranrio – SEAD/Advogado) São classificados como atos de improbidade administrativa aqueles.

em exercícios. d) agente público que exerce atividade de consultoria ou assessoramento para pessoa física ou jurídica. durante a atividade. 11. Comentários: Vamos direto às análises. é incorreto afirmar que: a) caracteriza-se como ilícito disciplinar. apenas.br Página 31 de 80 . daí a correção do item “E”. cargo. b) se constitui pela aquisição. II e III. e) retardar ou deixar de praticar indevidamente ato de ofício configura improbidade administrativa. exatamente conforme indicado nos incisos I a III. para si ou para outrem. mesmo quando autorizado por superior hierárquico. Prof.429. bens de qualquer natureza cujo valor seja desproporcional à evolução do patrimônio ou à renda do agente público. Comentários: Conseguimos identificar três modalidades de atos de improbidade administrativa. que tenha interesse suscetível de ser atingido ou amparado por ação ou omissão decorrente de suas atribuições. daí a incorreção do item em análise. mas não constitui ato de improbidade administrativa. emprego ou função pública. De acordo com o inciso VI do art. de 2 de junho de 1992. Item A – INCORRETO. incorre em ato de improbidade administrativa.Curso de Direito Administrativo. c) caracteriza ato de improbidade administrativa utilizar-se o agente público de veículo oficial para realizar compras para sua família. no exercício de mandato.com.estrategiaconcursos. 8. configura ato que viola princípios da Administração “deixar de prestar contas quando esteja obrigado a fazê-lo”. 9) (2008/Esaf – CGU – Correição) A respeito da improbidade administrativa de que trata a Lei n. e) I. para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 d) I e II. Cyonil Borges www. deixar de prestar contas quando estiver obrigado a fazê-lo. Gabarito: item E.

daí a correção do quesito. Nos termos do inciso II do art. O inciso IV do art. b) atos de improbidade administrativa dos quais decorre enriquecimento ilícito. 9º. São elas: a) atos de improbidade administrativa dos quais decorre enriquecimento ilícito. e atos de improbidade administrativa que atentam contra o poder de polícia. 9º capitula como ato de improbidade. Cyonil Borges www. e atos de improbidade administrativa que atentam contra os princípios da Administração Pública. Prof. É suficiente lembrar que são atos que provocam a entrada no patrimônio do agente ou de terceiro de vantagem econômica indevida.estrategiaconcursos. isso não vai. 10) (2007/NCE-UFRJ/MP-RJ/Técnico) A Lei nº 8. em exercícios. O agente.com. Item E – CORRETO. atos de improbidade administrativa que atentem contra a hierarquia e a disciplina administrativa.429/92 apresenta distintas classes de atos de improbidade administrativa. 11 (atos que firam princípios da Administração). 9º da LIA fornece-nos os atos de improbidade que causam enriquecimento ilícito. para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 Item B – CORRETO. De acordo com o inciso VIII do art. O art. O inciso VII do art. nesses casos. Item D – CORRETO. atos de improbidade administrativa que causam prejuízo ao erário. não pode alegar que o dinheiro caiu do céu. colar! Item C – CORRETO. 9º estabelece ser ato de improbidade a aquisição de bens cujo valor seja desproporcional à evolução do patrimônio ou renda do agente.Curso de Direito Administrativo.br Página 32 de 80 . Gabarito: item A. provavelmente.

Cyonil Borges www. nos termos da Lei Federal nº 8. Comentários: O art. entre os seguintes atos. d) atos de improbidade administrativa dos quais decorre enriquecimento ilícito.frustrar a licitude de concurso público. indevidamente. b) ordenar ou permitir a realização de despesas não autorizadas em lei ou regulamento. e atos de improbidade administrativa que atentam contra os princípios gerais de Direito. III . 11) (2002/Esaf – Procurador do Município de Fortaleza) Assinale.revelar fato ou circunstância de que tem ciência em razão das atribuições e que deva permanecer em segredo. Prof. atos de improbidade administrativa que atentam contra a hierarquia e a disciplina administrativa. c) frustrar a licitude de concurso público. na regra de competência. percebam. V .retardar ou deixar de praticar. IV . violadores dos deveres de honestidade. e atos de improbidade administrativa que atentam contra os princípios da Administração Pública. Gabarito: item D. ato de ofício. existem três espécies de atos de improbidade. não cita moralidade! Isso já foi cobrado pela Esaf: I . ato de ofício. 11 é responsável por nos fornecer a listagem (exemplificativa) de atos de improbidade ofensores aos princípios da Administração Pública. e) atos de improbidade administrativa dos quais decorre enriquecimento sem causa. atos de improbidade administrativa que causam prejuízo ao administrado. legalidade. aquele que não se insere no rol dos atos de improbidade administrativa que atentam contra os princípios da Administração Pública.429/92: a) retardar ou deixar de praticar. para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 c) atos de improbidade administrativa dos quais decorre enriquecimento sem causa. e atos de improbidade administrativa que atentam contra os princípios gerais de Direito. e) negar publicidade aos atos oficiais. enfim. e lealdade às instituições.br Página 33 de 80 . em exercícios. d) deixar de prestar contas quando esteja obrigado a fazê-lo.Curso de Direito Administrativo. por exemplo. indevidamente. Comentários: Questão de reforço.com. II .negar publicidade aos atos oficiais.praticar ato visando fim proibido em lei ou regulamento ou diverso daquele previsto. imparcialidade. Como aprofundamos.estrategiaconcursos. atos de improbidade administrativa que causam prejuízo ao erário. encontradas no item “D”.

c) permitir a aquisição de bem público por valor superior ao de mercado. Comentários: Vamos direto às análises. para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 VI . bem ou serviço. é ato que causa prejuízo ao erário.estrategiaconcursos.Curso de Direito Administrativo. IX do art. Cyonil Borges www. Item A – INCORRETO. é ato que causa prejuízo ao erário (um dia isso vai ser solicitado!). se não conseguir justificar a origem lícita desse aumento. chegamos à resposta – item “B”. 10 da LIA. é ato que causa prejuízo ao erário. não é caso de enriquecimento ilícito. Item D – INCORRETO. 10. De acordo com inciso VIII do art. Item B – INCORRETO. daí a incorreção do quesito.com. nos termos do inc. é ato que causa prejuízo ao erário. Prof. Não existe enriquecimento ilícito culposo (será que alguém desvia milhões de reais por negligência ou imperícia?). 10. em exercícios. Ver figura na questão 7. Esse quesito configura prejuízo ao erário. Ah! Peço sua atenção nesse quesito: frustrar a licitude de concurso público é ato que fere princípios. já frustrar a licitude de licitação.revelar ou permitir que chegue ao conhecimento de terceiro. antes da respectiva divulgação oficial. Houve vantagem econômica indevida? Não dá para afirmar. 12) (2005/Esaf – AFTE/RN) Configura enriquecimento ilícito no exercício da função pública a) agir negligentemente na arrecadação de tributo. e) o servidor público aumentar o seu patrimônio de forma desproporcional à sua renda. Gabarito: item B. logo. teor de medida política ou econômica capaz de afetar o preço de mercadoria.deixar de prestar contas quando esteja obrigado a fazê-lo. Houve vantagem econômica indevida? Não dá para afirmar. logo.br Página 34 de 80 . 10. VII . d) frustrar a licitude de processo licitatório. Nos termos do inciso XI do art. b) a liberação de verba pública sem a observância das normas pertinentes. Sem perder de vista o rol acima. Item C – INCORRETO. Nos termos do inciso V do art. não é caso de enriquecimento ilícito.

A banca foi “maldosa”. Na Lei de Licitações. no rol abaixo.br Página 35 de 80 . tem um detalhe. o princípio da seleção da proposta mais vantajosa. Gabarito: item E. o dinheiro que gerou o aumento de seu patrimônio não deve ter caído do céu. logo. Cyonil Borges www. ainda. em exercícios. existe uma presunção na LIA de que. o princípio da isonomia. A priori. e) Ordenar ou permitir a realização de despesas não autorizadas em lei ou regulamento.estrategiaconcursos. Ficamos. o agente público estaria provocando prejuízo ao erário. Gabarito: alternativa D. Nos itens “A” e “D”. Assim. responderá por enriquecimento ilícito.Curso de Direito Administrativo. Porém. facilitar ou concorrer para que terceiro se enriqueça ilicitamente. d) Frustrar a licitude de concurso público. b) Permitir. perceba que a organizadora fez resgate de hipóteses previstas na LIA que iniciam com idêntico verbo. c) Permitir ou facilitar a aquisição.com. para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 Item E – CORRETO. um bom candidato ficaria em dúvida. ao lado do princípio da isonomia. a conduta considerada como improbidade administrativa que está sujeita a pena mais branda do que as demais. assim. induvidosamente. Houve vantagem econômica indevida? Certamente. permuta ou locação de bem ou serviço por preço superior ao do mercado. ao frustrar a licitação. com a alternativa D. afinal deixar de licitar fere. Prof. 13) (2004/ESAF – CGU) Assinale. destaca-se. Comentários: A pena mais branda é aplicável para os casos de ferimento a princípios da Administração. a) Frustrar a licitude de processo licitatório.

percentagem. c) Ao titular do cargo de procurador de autarquia exige-se a apresentação de instrumento de mandato para representá-la em juízo. direta ou indireta. cassação ou suspensão de ato administrativo que beneficie o interessado. dinheiro. Prof. gratificação ou presente de quem tenha interesse. reforma e pensão.com. ou qualquer outra vantagem econômica. em exercícios. para facilitar a alienação.estrategiaconcursos.Curso de Direito Administrativo. bem móvel ou imóvel. Cyonil Borges www. b) Nos processos perante o Tribunal de Contas da União asseguram-se o contraditório e a ampla defesa quando da decisão puder resultar anulação. para si ou para outrem. que possa ser atingido ou amparado por ação ou omissão decorrente das atribuições do agente público Causem prejuízo ao erário Atenta contra os princípios da Administração Pública Frustrar a licitude de processo licitatório ou dispensá-lo indevidamente Frustrar a licitude de concurso público Atos de improbidade administrativa Ordenar ou permitir a realização de despesas não autorizadas em lei ou regulamento Deixar de prestar contas quando esteja obrigado a fazê-lo Pena Mais severa Intermediária Mais branda 14) (2007/Esaf – Procurador) Analise os itens a seguir e marque a opção correta. permuta ou locação de bem público ou o fornecimento de serviço por ente estatal por preço inferior ao valor de mercado Receber. para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 Importem enriquecimento ilícito Perceber vantagem econômica. direta ou indireta. excetuada a apreciação da legalidade do ato de concessão inicial de aposentadoria. a título de comissão. direto ou indireto. a) Constitui ato de improbidade administrativa que atenta contra os princípios da Administração Pública negar publicidade aos atos oficiais.br Página 36 de 80 .

e) A Administração pode. O item está (quase) perfeito.Curso de Direito Administrativo. Das penas INCORRETO. a pedido ou de ofício. a critério de sua conveniência e discricionariedade. Cyonil Borges www. O STF entende que os procuradores não precisam de mandatos. quando surgirem fatos novos.br Página 37 de 80 . em matéria de sua competência. as seguintes consequências.com. Do recurso é cabível a reformatio in pejus. para o servidor público. facilmente. não se admite o agravamento. 15) (2000/Esaf – AFRF) Os atos de improbidade administrativa importarão. deixar de emitir explicitamente decisão nas reclamações. chegamos. para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 d) Os processos administrativos de que resultem sanções poderão ser revistos no prazo de 05 (cinco) anos. já da revisão. a representação decorre do vínculo funcional. Item B – INCORRETO. Nos processos perante o Tribunal de Contas da União asseguram-se o contraditório e a ampla defesa quando da decisão puder resultar anulação ou revogação de ato administrativo que beneficie o interessado. Literalidade do inciso IV do art. Item E – discricionariedade. 11 da LIA. Item A – CORRETO.estrategiaconcursos. podendo da revisão resultar agravamento da sanção. reforma e pensão. não fossem os termos cassação e suspensão. Comentários: Estamos prontos para a análise dos quesitos. exceto: a) perda da função pública Prof. à incorreção do quesito (anulação ou revogação e não suspensão ou cassação). em exercícios. Item C – INCORRETO. daí a incorreção do quesito. excetuada a apreciação da legalidade do ato de concessão inicial de aposentadoria. Item D – INCORRETO. A partir da leitura do texto acima. Não há conveniência e sequer Gabarito: item A.

Curso de Direito Administrativo. exceto: a) a perda da função pública. e) proibição de contratar com o Poder Público. vimos que não há perda de direitos políticos. daí a incorreção do item “B”. 17) (2000/Esaf – AFRF) Tratando-se de atos de improbidade administrativa que causam prejuízo ao erário. linhas atrás. após sentença condenatória transitada em julgado. Gabarito: item B. d) pagamento de multa civil. para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 b) perda dos direitos políticos c) indisponibilidade dos bens d) responder à ação penal cabível e) ressarcimento do erário Comentários: De acordo com o quadro-resumo. a pena prevista de suspensão dos direitos políticos está fixada: Prof. Ver figura na questão anterior. Comentários: De acordo com o quadro-resumo. em exercícios. c) ressarcimento integral do dano. após sentença condenatória transitada em julgado. Gabarito: item B.estrategiaconcursos.com.br Página 38 de 80 . Cyonil Borges www. b) a perda dos direitos políticos. há sim suspensão. há sim suspensão. vimos que não há perda de direitos políticos. 16) (2007/Esaf – SEFAZ/CE) São consequências da prática de ato de improbidade pelo agente público infrator. daí a incorreção do quesito “B”. se houver.

à suspensão dos direitos políticos de (A) três a cinco anos e pagamento de multa civil de até cem vezes o valor da remuneração percebida pelo agente.429/92. para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 a) de cinco a oito anos b) de seis a oito anos c) de oito a dez anos d) de três a cinco anos e) de dois a três anos Comentários: De acordo com o quadro-resumo. (E) de quatro a dez anos e pagamento de multa civil de até cem vezes o valor da remuneração percebida pelo agente. daí a correção do item “A”. Prof. (C) cinco a dez anos e pagamento de multa civil de até cinquenta e três vezes o valor da remuneração percebida pelo agente. (D) oito a doze anos e pagamento de multa civil de até duzentas vezes o valor da remuneração percebida pelo agente. o agente está sujeito.Curso de Direito Administrativo. Cyonil Borges www. Comentários: Então. a suspensão varia de 5 a 8 anos. ATOS DE IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA SANÇÕES Enriquecimento Ilícito De 8 a 10 anos Prejuízo ao erário De 5 a 8 anos Lesão a princípios De 3 a 5 anos Suspensão dos direitos Políticos Gabarito: item A. em exercícios. gravou a tabelinha? Isso mesmo.estrategiaconcursos. (B) cinco a oito anos e pagamento de multa civil de até duas vezes o valor do dano. dentre outras penalidades. E o pagamento da multa civil é de até 100 X o valor da R$. antes de avançarmos.com. peço a releitura do quadro-resumo.br Página 39 de 80 . conforme previsto na Lei no 8. A suspensão dos direitos políticos varia de três a cinco anos. Se o amigo concursando está em apuros. Gabarito: alternativa A. 18) (2010/FCC – TRE/AM – Analista Judiciário) Pela prática de ato de improbidade administrativa que atenta contra os princípios da Administração Pública.

estrategiaconcursos. permuta ou locação de bem público ou o fornecimento de serviço por ente estatal por preço inferior ao valor de mercado” importa em pena de: a) suspensão dos direitos políticos por até dez anos. 20) (2003/ESAF – Auditor-Fiscal do Trabalho/MTE) Não se inclui entre as possíveis consequências do ato de improbidade administrativa. c) suspensão da função pública. b) pagamento de multa civil de até duas vezes o valor do dano. a penalidade de confisco não é aplicável. reveja o esquema. tudo de acordo com nosso quadro-resumo. Comentários: O primeiro ponto é identificar a categoria de ato de improbidade administrativa. e) perda da nacionalidade brasileira. portanto. constitucionalmente previstas: a) perda da função pública b) suspensão dos direitos políticos c) confisco de bens d) ressarcimento ao erário e) ação penal cabível Comentários: Mais uma questão de fixação. Gabarito: item A. Nos termos do §4º do art. a penalidade variará de 8 a 10 anos. d) proibição de contratar com o Poder Público pelo prazo de cinco anos. em exercícios.Curso de Direito Administrativo. para facilitar a alienação. houve a obtenção de vantagem ilícita.br Página 40 de 80 . para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 19) (2002/Esaf – Fiscal de Tributos Estaduais/PA) O ato de “perceber vantagem econômica. caso de enriquecimento ilícito. direta ou indireta. Daí a correção do item “A”. logo.com. 37 da CF. de 1988. No presente caso. Cyonil Borges www. Ver tabela na figura anterior. Prof. Abaixo.

No entanto. d) Ressarcimento ao erário. a) Suspensão dos direitos políticos.com. 21) (2009/Esaf . a LIA faz destaque. Acrescento que. Comentários: Perda da nacionalidade? Eita! Tudo bem que as provas devem conter questões fáceis. que merece os candidatos que se preparam para concursos públicos. Cyonil Borges www. médias e difíceis.429/92.. ainda. b) Indisponibilidade dos bens. com todo o respeito que merece a banca. Assinale. e) Perda da função pública.Curso de Direito Administrativo. além das penalidades previstas na CF. à multa civil e à suspensão do direito de licitar e contratar e de receber benefícios e incentivos fiscais. 22) (2010/FCC – TRE/AL – Analista Judiciário-Administrativa) Dentre as penalidades previstas na Lei no 8. aquela que não se coaduna com as consequências pela prática dos atos de improbidade administrativa. para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 Gabarito: alternativa C. c) A perda da nacionalidade...estrategiaconcursos. Gabarito: alternativa C.MPOG .Espec. Prof. ops. uma questão como esta desafia a classificação acima. em exercícios. para o administrador público que pratica ato de improbidade administrativa NÃO se incluem: (A) A suspensão dos direitos políticos e o pagamento de multa civil. em Políticas Públicas e Gestão Governamental) A Constituição da República previu consequências graves para os administradores que praticam atos de improbidade administrativa.br Página 41 de 80 . entre as opções abaixo.

da chamada “delação premiada” (redução da pena pela denúncia – delação – de um dos participantes) não serão admitidas em sede de ação de improbidade administrativa. Ora. desde que não dispense a integral reparação do dano. para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 (B) A perda dos bens acrescidos ilicitamente ao patrimônio e o ressarcimento integral do dano.429. 1. relativos à improbidade administrativa. com dispensa de licitação. (D) A reclusão e a detenção.035 do Código Civil de 2002. amigo de Francisco. a aplicação da transação e. presidente de determinada autarquia estadual. mesmo. 23) O MP pode efetuar transação ou acordo com o réu. descobriu-se que a empresa Zeta pertencia a Carlos. fez destaque a todas as sanções previstas na CF e na LIA.br Página 42 de 80 . (C) A perda da função pública e a proibição de contratar com o Poder Público. 24) (2008/Cespe – PGE/CE – Procurador) Francisco.Curso de Direito Administrativo. à vista da preservação do interesse público.estrategiaconcursos. e que a Prof. aplicável quando diante de direitos disponíveis. conforme disciplinada na Lei nº 8. em uma única questão. a supremacia do interesse público sobre o particular e indisponibilidade do interesse público.025 e 1. argumentando que não havia tempo hábil para realizar procedimento licitatório e que a autarquia não poderia ficar sem aquele serviço. direitos patrimoniais de caráter privado. Comentários: Questão de fixação. Gabarito: ERRADO. Cyonil Borges www. em exercícios. o regime jurídico administrativo conta com dois pilares de formação. Agora o rol está completo. (E) A proibição de receber benefícios do Poder Público e incentivos fiscais. A resposta é letra “D”. Do Procedimento Administrativo e do Processo Judicial (2002/Cespe – DPF) Julgue os itens abaixo. de 2/6/1992. como dispõe os arts.com. mediante concessões mútuas. Perceba que a banca. Gabarito: alternativa D. logo. (Certo/Errado) Comentários: A transação é instituto processual utilizado para pôr fim ao litígio (discussão). todavia. contratou os serviços de vigilância da empresa Zeta. Posteriormente.

No presente caso. depois do conhecimento do fato.429/1992.429/92. que em seu artigo Art. e) Caso os envolvidos procurem o MP ou os representantes da pessoa jurídica lesada e proponham a recomposição dos prejuízos causados. os Estatutos dos Servidores costumam estabelecer a prescrição em cinco anos.estrategiaconcursos. juntamente com Carlos. Comentários: Vamos direto às análises. por improbidade administrativa. c) A ação de improbidade administrativa só poderá ser ajuizada se ficar constatado prejuízo financeiro aos cofres públicos. que deixou de iniciar processo licitatório mesmo ciente de que o contrato anterior estava prestes a vencer.com. O fato de o agente público ter sido demitido não importa a não-responsabilidade. Diante desses fatos. Caso a ação seja ajuizada pelo MP. o governador demitiu Francisco da presidência da autarquia e o Ministério Público (MP) do estado denunciou-o. a pessoa jurídica interessada poderá atuar ao lado do autor da ação ou abster-se de contestar o pedido. 21 estabelece: Art. b) Carlos não pode ser sujeito passivo da ação de improbidade administrativa de que trata a Lei n. as partes poderão realizar transação com o objetivo de extinguir a ação de improbidade administrativa. A aplicação das sanções previstas nesta lei independe: I . para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 emergência alegada fora criada intencionalmente pelo próprio agente público.º 8. Item C – INCORRETO. afinal de contas. Com base nessa situação hipotética. também.º 8. só a partir do que se esvai a pretensão de punir do Estado. Descobriu-se. em razão da demissão. Os valores pagos à empresa Zeta eram 50% maiores que os preços praticados no mercado. em exercícios.da efetiva ocorrência de dano ao patrimônio público. Até mesmo um terceiro pode ser alvo de improbidade administrativa.br Página 43 de 80 . assinale a opção correta. que Carlos depositara valores em dinheiro nas contas de Francisco.429/1992 porque. d) A ação de improbidade administrativa poderá ser proposta pelo MP ou pela pessoa jurídica interessada. Item A – INCORRETO. portanto. a) Francisco não poderá ser processado por improbidade administrativa com base na Lei n. 21. Mera transcrição da Lei 8. Cyonil Borges www. por crimes de dispensa ilegal de licitação e corrupção. Item B – INCORRETO. não será considerado mais agente público. Prof. desde que isso se afigure útil ao interesse público. devendo responder.Curso de Direito Administrativo. Carlos agiu conscientemente (dolosamente).

Mais um detalhe: atos que importem em violação.da aprovação ou rejeição das contas pelo órgão de controle interno ou pelo Tribunal ou Conselho de Contas. (2007/Cespe – AGU) Quanto à improbidade administrativa. especificamente. que. em exercícios. Havendo fundados indícios de responsabilidade. a comissão representará ao Ministério Público ou à procuradoria do órgão para que requeira ao juízo competente a decretação do sequestro dos bens do agente ou terceiro que tenha enriquecido ilicitamente ou causado dano ao patrimônio público. para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 II . 16. O art. requer ao Poder Judiciário. 25) Havendo fundados indícios de responsabilidade de servidor público por ato de improbidade administrativa. Os negritos acima fornecem o caminho a ser seguido para a decretação de “sequestro”. é sim quem solicita ao Ministério Público. 17 veda a transação. 17 da LIA.Curso de Direito Administrativo. por sua vez. percebemos que a comissão não é responsável pela decretação. Nos termos do §3º do art. vejamos: Art. à comissão processante também será possível representar à procuradoria do órgão para que requeira ao juízo competente a decretação do sequestro dos bens do agente ou terceiro que tenha enriquecido ilicitamente ou causado dano ao patrimônio público. como já tivemos a oportunidade de aprofundar. Prof. Gabarito: item D. julgue os seguintes itens.com. a princípios da Administração não autorizam a decretação de “sequestro” e a indisponibilidade dos bens. (Certo/Errado) Comentários: A leitura do art. De pronto.estrategiaconcursos. apenas os que causem prejuízo ao erário e provoquem enriquecimento ilícito (cuidado!). Item E – INCORRETO. no juízo cível Federal ou Estadual. unicamente. mas. Item D – CORRETO. conforme a natureza do patrimônio da Entidade atingido pelo ato de improbidade. Cyonil Borges www.br Página 44 de 80 . 16 elucida o item.

a indisponibilidade de bens é uma medida de natureza cautelar que visa a garantir o ressarcimento do erário. a perda da função pública e a suspensão dos direitos políticos são penas alternativas. em favor da pessoa jurídica prejudicada pelo ilícito. pelos mesmos fatos. a favor a) da pessoa jurídica prejudicada pelo ilícito. Cyonil Borges www. II. os atos de improbidade administrativa são apenas os relacionados nesse dispositivo constitucional. 27) (2005/Esaf – AFTE/RN) De acordo com o § 4º do art.br Página 45 de 80 . d) de qualquer pessoa jurídica de fins filantrópicos designada pelo Juiz. 26) (2004/Esaf – CGU) A sentença decorrente de ato de improbidade administrativa que julgar procedente ação civil de reparação de dano ou decretar a perda dos bens havidos ilicitamente determinará o pagamento ou a reversão dos bens. conforme o caso. I. em exercícios. quando pessoa física. a aplicação das penas previstas na Lei de Improbidade Administrativa impede que se intente a ação penal. IV. não sendo lícito ao legislador ordinário apontar outras hipóteses de improbidade. Comentários: Vejamos o que estabelece o art. para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 Gabarito: CERTO. conforme o caso.Curso de Direito Administrativo. 18 da Lei: A sentença que julgar procedente ação civil de reparação de dano ou decretar a perda dos bens havidos ilicitamente determinará o pagamento ou a reversão dos bens. b) do Ministério Público que atuou na ação. não sendo lícito ao julgador aplicá-las cumulativamente. 37 da Constituição Federal.com. III. sob pena de afrontar a Constituição Federal. Gabarito: item A.estrategiaconcursos. Prof. Daí a correção do item “A”. e) do autor da ação. c) de fundo especialmente constituído para esta finalidade.

em sua parte final. Já comentado.com. V e VI. Cyonil Borges www. podendo entender pela aplicação alternativa e. II e VI. IV e V. O art. garante certa margem de exclusão nos concursos. pois. Item III – CORRETO. qual seja: apenas! O uso de apenas. a propositura da ação de improbidade administrativa não impede que se intente a ação penal. Item V – CORRETO. da CF/1988. serve-nos para apagar a lamentável informação de que a improbidade é crime! Por repetitivo: improbidade não é crime. é o juiz quem dosará a penalidade. por vezes. assim como o proveito patrimonial obtido pelo agente”. cumulativa. VI. inclusive. b) I. mas infração contra a ordem civil e política. fala sobre as consequências dos atos de improbidade e faz menção expressa às ações penais cabíveis. Essa passagem. V e VI. c) I. Comentários: Vamos direto às análises. No presente quesito.estrategiaconcursos. Estão corretas as afirmativas a) I. o erro é afirmar que a Lei de Improbidade é inconstitucional por ter fixado outros casos de improbidade. para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 V. Item I – INCORRETO. Item II – INCORRETO. daí a incorreção do quesito. O que isso quer dizer? Quer significar que o juiz é quem medirá o grau de reprovação. e. de acordo com o princípio do livre convencimento e da proporcionalidade. Penas alternativas?! Olha o que dispõe o parágrafo único do art. 12 da Lei. d) III.br Página 46 de 80 . e) III. isso porque foi o próprio texto constitucional que assim garantiu. 37 da CF/1988. sempre existe um caminho viável. pode configurar crime ou infração administrativa. 12: “Na fixação das penas previstas nesta lei o juiz levará em conta a extensão do dano causado. em exercícios. Item IV – INCORRETO. Exatamente nos termos do art. §4º. II e IV. Prof. Essa palavra parece mágica. por ato de improbidade administrativa. 37. a lei deve estabelecer a gradação das penas a serem aplicadas. pelos mesmos fatos. Conforme determina o §4º do art. Item VI – CORRETO.Curso de Direito Administrativo. por vezes. especialmente no ramo do Direito.

após autuada. isso é fato. no prazo de: a) 20 dias.429/92). Prof. segundo o livre convencimento racional. A partir da colheita das provas. para oferecer manifestação por escrito.estrategiaconcursos.Curso de Direito Administrativo. Gabarito: alternativa D. para a fixação da pena. não pode agir de forma desmedida. Comentários: Aqui temos a aplicação do princípio da dosimetria ou da razoabilidade. o juiz. c) o meio utilizado para a lesão ao patrimônio público. e) o reconhecimento da culpa pelo réu. deverá levar em conta a extensão do dano causado (alternativa D) e o proveito patrimonial obtido pelo agente. d) a extensão do dano causado. Cyonil Borges www. No entanto. o Juiz ordenará a notificação do requerido. b) 10 dias. O juiz é livre para decidir. para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 Gabarito: item D. o Juiz levará em conta: a) a escolaridade do réu. em exercícios. 28) (2003/ESAF – Auditor-Fiscal do Trabalho/MTE) Nos termos da Lei de Improbidade Administrativa (Lei nº 8. na fixação das penas previstas.com. 29) (2008/FGV – TCM/PA – Auditor) Proposta ação de improbidade administrativa. e. b) a natureza e hierarquia do cargo exercido.br Página 47 de 80 .

com. em exercícios. àquele que. e) 30 dias. 17. deixando de lado nosso descontentamento. d) 5 dias. antes mesmo da sua conclusão. 30) (2006/Esaf – AFC/CGU) Sobre a Lei da Improbidade Administrativa é correto afirmar: I. havendo fundados indícios de enriquecimento ilícito. dentro do prazo de quinze dias.br Página 48 de 80 . reputa-se agente público a pessoa que exercer um cargo público. nós (cão)didatos temos que conviver com também com esse modelo de questão. V. que poderá ser instruída com justificações. as sanções nela previstas aplicam-se. Estão corretas Prof. 17 da Lei de Improbidade. A ação principal. a resposta pode ser extraída a partir da leitura do art. pode ser requerida antes de transitar em julgado a sentença condenatória. para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 c) 15 dias. Gabarito: alternativa C. Comentários: Essa não é uma questão decoreba! Concordam? Ela é muito decoreba! O que se mede com isso? Conhecimento? Penso que não. III. pode ser requerido o sequestro dos bens do beneficiário. antes mesmo de concluído o procedimento administrativo. a indisponibilidade dos bens. dentro de trinta dias da efetivação da medida cautelar. Vejamos: Art. para oferecer por escrito. o juiz mandará autuará a notificação do requerido. Cyonil Borges www. II. para fins de garantir o ressarcimento do dano. No entanto.estrategiaconcursos.Curso de Direito Administrativo. será proposta pelo Ministério Público ou pela pessoa jurídica interessada. ainda que sem remuneração. que terá o rito ordinário. §7o Estando a e ordenará manifestação documentos e inicial em devida forma. mesmo não sendo agente público. Bom. também. o Ministério Público deve ser informado da existência de procedimento administrativo instaurado para apurar a prática de ato de improbidade. induza ou concorra para a prática do ato de improbidade. IV.

Item I – CORRETO. ou sobre o acréscimo patrimonial resultante do enriquecimento ilícito.790/1999 (art. IV e V. Se a Administração esperasse por esse momento. provavelmente. b) as afirmativas I. Cyonil Borges www. 2º da LIA. respectivamente. pela regulamentação das Organizações Sociais – OS e Organizações Civis de Interesse Público Prof. A indisponibilidade dos bens é medida cautelar. A indisponibilidade a que se refere o caput deste artigo recairá sobre bens que assegurem o integral ressarcimento do dano. 7° Quando o ato de improbidade causar lesão ao patrimônio público ou ensejar enriquecimento ilícito.br Página 49 de 80 . 13). para a indisponibilidade dos bens do indiciado. 3º da LIA. destacamos que as Leis 9. Parágrafo único. logo. não haveria. Comentários: Vamos direto às análises.Curso de Direito Administrativo. III e IV. caberá a autoridade administrativa responsável pelo inquérito representar ao Ministério Público. para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 a) apenas as afirmativas I. de seu campo de aplicação. IV e V. II. De acordo com o art. não haveria lógica de tornar indisponíveis os bens depois do trânsito em julgado. II. e) apenas as afirmativas I. III e V. responsáveis. em exercícios. II. III. Item II – CORRETO. Item III – CORRETO. IV e V. d) apenas as afirmativas II.637/1998 (art. 10) e 9.com. 7º da LIA: Art.estrategiaconcursos. II. Definição encontrada no art. III. quaisquer bens para garantir o ressarcimento ao erário. Para termos ideia da abrangência da Lei. c) apenas as afirmativas I. Vejamos o que estabelece o art.

Peço não confundir o conceito de agente público com o de servidor público. logo.br Página 50 de 80 . (Lei 8. como as pessoas físicas que prestam serviços ao Estado e às entidades da Administração Indireta (Autarquia.com. para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 – OSCIP. eles exercem função. E.745/1993. percebam que servidor público.: membros dos juris. ao seu lado existem ainda: particulares em colaboração com o Poder Público (p. por fim. Em nosso caso. Cyonil Borges www.Curso de Direito Administrativo.112/1990) 2. ex. Aqui vale um lembrete. os empregados públicos. A expressão “sentido amplo” quer significar gênero. com vínculo empregatício e mediante remuneração paga pelos cofres públicos. os servidores estatutários. e Empresa Pública). Fundação. 37 da Constituição).estrategiaconcursos. A autora Maria Sylvia Zanella Di Pietro define-o. contratados por tempo determinado para atender à necessidade temporária de excepcional interesse público (art. contratados sob o regime da legislação trabalhista vigente e ocupantes de emprego público. Por esclarecedor. alterada pela Lei 9. em seu sentido amplo. Prof. sujeitos ao regime estatutário e ocupantes de cargos públicos. sentido estrito (estatutários). sem estarem vinculados a cargo ou emprego público. (CLT) 3.849/1999). realçamos que agente político é uma das espécies do gênero agente público. (Lei 8. cumpre-nos a apresentação do conceito de agente político. Sociedade de Economia Mista. é apenas uma espécie do gênero servidor em sentido amplo. comporta espécies. mesários – chamados honoríficos na classificação do Prof. assim distribuídos: 1. estabelecem a responsabilidade dos agentes por ato de improbidade administrativa. Hely Lopes) e os servidores (sentido amplo – já examinado). os servidores temporários. em exercícios.

Para garantir o ressarcimento do erário público. sendo o vínculo formado com o Estado. Senadores. Prefeito). analise as afirmativas a seguir.429/92. O Ministério Público ou pessoa jurídica interessada pode celebrar transação judicial com o réu da ação de improbidade administrativa desde que o ato ímprobo não cause prejuízo ao erário. o réu da ação de improbidade administrativa pode ter decretada judicialmente a indisponibilidade de seus bens. Item V – CORRETO. Deputados. Governador. II. além de incidir em um dos tipos previstos na Lei nº 8.SEFAZ/RJ – FISCAL DE RENDAS) Com relação ao tema da improbidade administrativa. ex. 16 da LIA. é necessária a presença do elemento má-fé para caracterização do ato de improbidade administrativa. Gabarito: item B. localizando-se nos primeiros escalões da Administração. Assinale: Prof.br Página 51 de 80 . via de regra. em exercícios.com. para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 Os agentes políticos são responsáveis pela definição dos destinos do Estado.: Magistrados. os quais estão submetidos a um regime especial de responsabilidade com prerrogativa de foro. De acordo com a atual jurisprudência do STF. e Vereadores. por eleição. a lei de improbidade administrativa não se aplica aos agentes políticos. Item IV – CORRETO. I. Conforme o atual posicionamento jurisprudencial do STJ. e Chefes dos Executivos (Presidente. Nos termos do art. É o que dispõe o art.estrategiaconcursos. 15 da LIA.Curso de Direito Administrativo. IV. Cyonil Borges www. 31) (2009/FGV. III. p.

Curso de Direito Administrativo, em exercícios, para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17

a) se somente as afirmativas II, III e IV estiverem corretas. b) se somente as afirmativas I, II e IV estiverem corretas. c) se somente as afirmativas I, II e III estiverem corretas. d) se somente as afirmativas I e IV estiverem corretas. e) se somente as afirmativas I e II estiverem corretas. Comentários: Vamos às análises. Item I - CORRETO. No julgamento da Reclamação 2.138/DF, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que o regime da ação de improbidade não é aplicável aos agentes políticos, os quais são regidos pelos crimes de responsabilidade, detendo, portanto, foro privativo na Constituição Federal de 1988. Item II - CORRETO. Vejamos o §4º do art. 37 da CF/1988: Os atos de improbidade administrativa importarão a suspensão dos direitos políticos, a perda da função pública, a indisponibilidade dos bens e o ressarcimento ao erário, na forma e gradação previstas em lei, sem prejuízo da ação penal cabível. Item III - INCORRETO. A transação é instituto processual utilizado para pôr fim ao litígio (discussão), mediante concessões mútuas, todavia, aplicável quando diante de direitos disponíveis, enfim, direitos de caráter privado, como dispõe os arts. 1.025 e 1.035 do Código Civil de 2002. Ora, o regime jurídico administrativo conta com dois pilares de formação, a supremacia do interesse público sobre o do particular e indisponibilidade do interesse público, logo, à vista da preservação do interesse público, a aplicação da transação e, mesmo, da chamada “delação premiada” (redução da pena pela denúncia – delação – de um dos participantes) não serão admitidas em sede de ação de improbidade administrativa, daí a incorreção da alternativa. Item IV - INCORRETO. Preliminarmente, a banca assinalou o quesito como correto, no entanto, depois dos recursos, o gabarito foi alterado para incorreto. De acordo com os precedentes do STJ (REsp 708.170, REsp 1.054.843 e REsp 737.273), a má-fé só é exigida nas hipóteses dos artigos 9º e 11 da lei de improbidade, enquanto que, nos casos do art. 10 (prejuízo ao erário), o elemento subjetivo do ato de improbidade administrativa tanto poderia ser o dolo quanto a culpa. Verifica-se, portanto, que a conduta praticada com má-fé não é requisito indispensável para a configuração da improbidade em todos os tipos previstos na Lei 8.429/92.
Prof. Cyonil Borges www.estrategiaconcursos.com.br Página 52 de 80

Curso de Direito Administrativo, em exercícios, para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17

Gabarito: alternativa E. 32) (2009/Esaf – AFRFB – Auditor) Quanto à disciplina da Lei de Improbidade Administrativa – Lei n. 8.429, de 2 de junho de 1992, é incorreto afirmar: a) considera-se agente público todo aquele que exerce, ainda que transitoriamente ou sem remuneração, por eleição, nomeação, designação, contratação ou qualquer outra forma de investidura ou vínculo, mandato, cargo, emprego ou função nas entidades mencionadas no art. 1o da Lei. b) tratando-se de penalidades personalíssimas, em nenhuma hipótese, poderá o sucessor ser alcançado por sanções previstas na Lei de Improbidade Administrativa. c) o Supremo Tribunal Federal excluiu da sujeição à Lei de Improbidade Administrativa os agentes políticos que estejam sujeitos ao regime de crime de responsabilidade. d) ocorrendo lesão ao patrimônio público por ação ou omissão, dolosa ou culposa, do agente ou de terceiro, dar-se-á o integral ressarcimento do dano e, no caso de enriquecimento ilícito, perderá o agente público ou terceiro beneficiário os bens ou valores acrescidos ao seu patrimônio. e) aplicam-se também as disposições da Lei de Improbidade Administrativa, no que couber, àquele que, mesmo não sendo agente público, induza ou concorra para a prática do ato de improbidade ou dele se beneficie sob qualquer forma direta ou indireta. Comentários: Questão de fixação. O item “B” está escandalosamente incorreto. Uma questão tão bem elaborada e com um item tão fácil. Lastimável. O sucessor poderá ser responsabilizado pelo eventual ressarcimento, até o limite da herança transmitida. Ah! Vejam o item “C”. É um avanço, em termos de provas de ESAF. Como vimos, é entendimento do STF de que a Lei de Improbidade não se aplica aos agentes políticos. As provas de ESAF variam de decoreba a doutrinária, de doutrinária a jurisprudencial. Assim, os candidatos que estudam, horas-a-fio, toda a literatura constitucional, civil, administrativa, quando se deparam com provas “babacas”, não conseguem ingressar nos quadros da Administração. Os candidatos “decoradores” quando pegam a variação doutrinária, lascam-se!
Prof. Cyonil Borges www.estrategiaconcursos.com.br Página 53 de 80

Curso de Direito Administrativo, em exercícios, para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17

Os que gostam de jurisprudência, ao pegarem a variante literal, lascamse idem! Ou seja, o negócio é ser Robocop! Um pedaço homem (para aprender as coisas e interpretá-las) e pedaço máquina (para decorar até a vírgula do dispositivo, sem preocupação com o aprendizado). Gabarito: alternativa B. 33) (2008/FGV – SEFAZ/RJ - Fiscal de Rendas) Assinale a afirmativa incorreta. a) é vedada ao servidor a utilização de bens da administração pública para fins particulares. b) somente se caracteriza ato de improbidade administrativa quando ocorre dano patrimonial ao erário. c) constitui ato de improbidade administrativa facilitar a aquisição de bem ou serviço por preço superior ao de mercado. d) permitir a realização de despesas não autorizadas em lei ou regulamento constitui exemplo de ato de improbidade administrativa. e) a lei prevê ser improbidade administrativa o ato de facilitar ou concorrer para que terceiro se enriqueça ilicitamente. Comentários: Mera transcrição da Lei 8.429/1992, que em seu artigo art. 21 estabelece: Art. 21. A aplicação das sanções previstas nesta lei independe: I - da efetiva ocorrência de dano ao patrimônio público; II - da aprovação ou rejeição das contas pelo órgão de controle interno ou pelo Tribunal ou Conselho de Contas. Enfim, pode o agente público ofender, tão-somente, princípios da Administração (“negar publicidade oficial aos atos”), sem que tenha ocorrido, no caso concreto, qualquer dano economicamente mensurável, daí a correção da alternativa B. Gabarito: alternativa B.

Das Disposições Penais 34) (2002/Esaf – AFPS) A representação por ato de improbidade contra agente público ou terceiro beneficiário, quando o autor da denúncia o sabe inocente, é crime punível com a pena de: a) detenção de seis meses a 10 meses e multa.
Prof. Cyonil Borges www.estrategiaconcursos.com.br Página 54 de 80

Curso de Direito Administrativo, em exercícios, para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17

b) reclusão de três meses a ano e multa. c) detenção de seis meses a dois anos ou multa. d) detenção de seis meses a dois anos e multa. e) reclusão de seis meses a um ano e multa. Comentários: Esse tipo de representação é o que aquilo que os penalistas denominam denunciação caluniosa. Sendo a Lei de Improbidade datada de 1992, aplicam-se suas disposições quanto à denunciação de ato de improbidade, mesmo porque o Código Penal fala em atribuir falsamente a prática de crime e, como vimos, atos de improbidade não se encaixam, via de regra, nesse perfil (são ilícitos de natureza civil). Vejamos o art. 19: Art. 19. Constitui crime a representação por ato de improbidade contra agente público ou terceiro beneficiário, quando o autor da denúncia o sabe inocente. Pena: detenção de seis a dez meses e multa. Já o parágrafo único do dispositivo esclarece que, além da sanção penal, o denunciante está sujeito a indenizar o denunciado pelos danos materiais, morais ou à imagem que houver provocado. Gabarito: item A. 35) (2004/Esaf – CGU) A representação por ato de improbidade, previsto na Lei nº 8.429/92, contra agente público, quando o autor da denúncia o sabe inocente, a) além de constituir crime, sujeita o denunciante a indenizar o denunciado por danos materiais e morais. b) sujeita-o, apenas, a responder por danos morais. c) sujeita-o, apenas, a responder por denunciação caluniosa. d) não acarreta ônus ou responsabilidade ao denunciante. e) acarreta a perda dos direitos políticos do denunciante. Comentários: A leitura do parágrafo único do art. 19 estabelece, inclusive, a possibilidade de cumulação dos danos morais e materiais, daí a correção do item “A”.

Prof. Cyonil Borges

www.estrategiaconcursos.com.br

Página 55 de 80

21 esclarece ser a aplicação da Lei de Improbidade independente da ocorrência de efetivo dano econômico. O inciso I do art. conforme o art. c) no que se refere a perda da função pública. b) depende da rejeição das contas respectivas pelo Tribunal de Contas. 5º. é no sentido de que a aplicação das sanções.429/1992. independem “da aprovação ou rejeição das contas pelo órgão de controle interno ou pelo Tribunal ou Conselho de Contas”. e) fica prejudicada. depende do trânsito em julgado da condenação. da Lei 8. 36) (2004/Esaf – CGU) A aplicação de sanções previstas na Lei nº 8. em exercícios. da CR (“a lei não excluirá da apreciação do Poder Judiciário lesão ou ameaça a direito”). Comentários: Vamos direto às análises.429/92. d) no que se refere a suspensão dos diretos políticos. Esse dispositivo é decorrência lógica da aplicação do princípio da inafastabilidade do Poder Judiciário (sistema inglês ou de jurisdição una).br Página 56 de 80 . para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 Gabarito: item A. Item B – INCORRETO. Item A – INCORRETO.com.Curso de Direito Administrativo. Cyonil Borges www. O art.estrategiaconcursos. Prof. por improbidade administrativa. se as contas respectivas forem aprovadas pelo Tribunal de Contas. inciso II. XXXV. 21. independe do trânsito em julgado da condenação. a) depende de efetiva ocorrência de dano ao patrimônio público. que dispõe sobre atos de improbidade administrativa.

“a aprovação por órgão de controle interno ou pelo Tribunal de Contas não poderia mesmo elidir a aplicação de sanções à improbidade administrativa. Como observa ODETE MEDAUAR. nas decisões do Tribunal de Contas.com. não vigora entre nós o sistema do contencioso administrativo (sistema francês ou jurisdição dual). o caráter de definitividade ou imutabilidade dos efeitos. não obstante a importância atribuída às Cortes de Contas. daí a correção do item. Item C – CORRETO.Curso de Direito Administrativo. são administrativas e não jurisdicionais. “ausente se encontra. inerente aos atos jurisdicionais” . nenhuma lesão a direito ficará imune ao controle judiciário”. portanto. órgão de natureza administrativa. à medida que. em exercícios. Dessa forma.estrategiaconcursos. ensina Marino Pazzaglini Filho. Prof. formam coisa julgada com caráter de definitividade. à semelhança das judiciais. em que as decisões administrativas. traduzindo-se em verdadeira jurisdição administrativa. são elas: perda função pública e suspensão dos direitos políticos. Cyonil Borges www. ou seja. Duas são as consequências que dependem do trânsito em julgado da condenação. as decisões dos Tribunais de Contas. por imposição constitucional.br Página 57 de 80 . para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 Assim.

Curso de Direito Administrativo. Ressalto que a Lei de Improbidade não fixou o prazo de afastamento. o afastamento do agente público do exercício de suas funções. quando o autor da denúncia o sabe inocente. relativamente ao terceiro apontado como beneficiário do agente público. prejuízo de sua remuneração. para a apuração de ilícito penal previsto na Lei n. 8. Cyonil Borges www. caso a caso. 20 da Lei esclarece que só se efetiva a suspensão dos direitos políticos com a sentença transitada em julgado. 22 da LIA dispõe que: Para apurar qualquer ilícito previsto nesta lei. esclareço que a Lei de Improbidade tem caráter eminentemente de natureza políticocivil.br Página 58 de 80 . 8. o Ministério Público. não depende da aprovação ou rejeição dos Tribunais de Contas.com. Item A – INCORRETO. 37) (2007/Esaf – PGDF) Com relação aos aspectos penais da Lei n. Comentários: Vamos direto às análises. poderá lançar feixes no mundo administrativo e mesmo no campo penal. a exemplo do que fez a Lei 8. é claro. Gabarito: item C.112/1990 (prazo de até 60 dias. o que não fez ao se referir às sanções administrativas e civis. O que pode ser feito pela autoridade administrativa ou judicial é determinar. prorrogável. conforme o caso). como já esclarecido. a requerimento de autoridade Prof. c) A aprovação ou rejeição das contas pelo Tribunal de Contas é condição de punibilidade das sanções penais previstas na Lei de Improbidade Administrativa. Obviamente. independe da prévia existência de procedimento administrativo por ato de improbidade. 8. Tal conclusão pode ser inferida da ressalva que faz em seu texto quanto à possibilidade de propositura da ação penal cabível. O art. Item B – CORRETO.249/92. requisitar a instauração de inquérito policial.249/92 não contém disposição própria que defina como crime a representação por ato de improbidade. d) A Lei n. e) A perda da função pública e a suspensão dos direitos políticos independem do trânsito em julgado da sentença penal condenatória. podendo. para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 Item D – INCORRETO. de ofício. em exercícios. Leitura do item “B”. a) A Constituição Federal atribui aos atos de improbidade natureza penal. a seu critério. marque a opção correta.249/92. Por repetitivo. antes do trânsito em julgado. Item E – INCORRETO.estrategiaconcursos. sem. b) A atuação do Ministério Público. O art.

inciso II. 17. Dependem sim do trânsito em julgado da sentença. julgue os itens seguintes. Ver figura do item A na questão anterior. como fiscal da lei.º 8. 17 da LIA. O art. seja a gravidade que for. daí a incorreção do item. atuará obrigatoriamente. atuará obrigatoriamente. Leitura do art. se não intervir no processo como parte.Curso de Direito Administrativo. Cyonil Borges www. (2008/CESPE – MPE/RR – Procurador) Com base na Lei n. sob pena de nulidade”). a denunciação. nos termos do art. se não intervier no processo como parte. Ver figura na questão 26. da Lei – não depende da aprovação ou rejeição. (Certo/Errado) Comentários: O item está CERTO. Gostaria de acrescentar ao rol de conhecimento já adquirido que a comunicação do Ministério Público e sua efetiva participação ocorrem em qualquer ato de improbidade. Ver figura do item C na questão anterior. É o que determina o §4º do art. daí a incorreção do item.br Página 59 de 80 . 14. para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 administrativa ou mediante representação formulada de acordo com o disposto no art. a sua não-participação como fiscal do procedimento acarretará a nulidade da ação de improbidade. sob pena de nulidade.estrategiaconcursos.com.429/1992 — Lei de Improbidade Administrativa —. em exercícios. como fiscal da lei.Senado Federal . 38) O Ministério Público. poderá requisitar a instauração de inquérito policial ou procedimento administrativo. 19 traz. Item C – INCORRETO.Advogado do Senado Federal) Analise as seguintes afirmativas: Prof. Gabarito: item B. Inclusive. atuará obrigatoriamente. sob pena de nulidade. Item E – INCORRETO. §4º (“O Ministério Público. Item D – INCORRETO. 39) (2008/FGV . como fiscal da lei. Vejamos: § 4º O Ministério Público. expressamente. 21. se não intervir no processo como parte.

Item II – INCORRETO. dado o princípio da intranscedência penal. com isso. e.br Página 60 de 80 . obviamente. a pessoa jurídica atua (ou pode atuar) sim como assistente qualificado do MP. No caso de improbidade administrativa em que haja enriquecimento ilícito ou lesão ao patrimônio público. decorrendo daí a sua imprescritibilidade. os sucessores responderão pelo débito. b) se apenas a afirmativa III estiver correta. porém. Na ação de improbidade administrativa devem figurar como réus. a priori. 17 da LIA. c) se apenas as afirmativas I e II estiverem corretas. d) se apenas as afirmativas II e III estiverem corretas. A revelação a terceiros de fato sigiloso de que o servidor tenha ciência em virtude de suas atribuições somente pode enquadrar-se como ato de improbidade que atenta contra os princípios da Administração Pública.estrategiaconcursos.429/92 até o limite do valor da herança. II. incorre apenas em ofensa aos princípios da Administração? Obviamente não! Na verdade. em um mesmo fato. É bem verdade que as penalidades não poderão ser aplicadas aos sucessores. o sucessor do autor da conduta está sujeito às sanções previstas na Lei 8. o servidor responsável pelo ato. Assim. por prejuízo ao erário (“frustrar a licitude de licitação”). daí a correção da alternativa. Assinale: a) se apenas a afirmativa I estiver correta. o ressarcimento não é penalidade. Quando. e) se todas as afirmativas estiverem corretas. daí a incorreção da alternativa. há o cometimento de duas ou mais espécies de improbidade. Cyonil Borges www. Enfim. em litisconsórcio passivo. responderá. até o limite da herança recebida. para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 I. Prof. Responda rápido: agente público que deixa de dar publicidade ao instrumento convocatório de concorrência. Item III – INCORRETO. o terceiro que concorreu para o resultado e a pessoa jurídica a que pertence o servidor. frustra a licitude da licitação.Curso de Direito Administrativo. Caso a ação seja ajuizada pelo MP. o chamado princípio da subsunção. A ação de improbidade administrativa poderá ser proposta pelo MP ou pela pessoa jurídica interessada.com. desde que isso se afigure útil ao interesse público. em exercícios. III. a pessoa jurídica interessada poderá atuar ao lado do autor da ação ou abster-se de contestar o pedido. Nos termos do §3º do art. não há formação litisconsorcial passiva. Comentários: Item I – CORRETO. a mais grave absorve a menos grave. Gabarito: alternativa A.

Na letra E. Cyonil Borges www. para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 40) (2006/FGV – SERC/MS . ainda que não tenha causado prejuízo econômico. ao princípio da moralidade administrativa. Galerinha. ato imoral que. é claro. ESAF.Curso de Direito Administrativo. mata a questão e vá embora! Vejamos. a i. Na letra B. em exercícios. Isso mesmo. Logo não de discussão.da efetiva ocorrência de dano ao patrimônio público. porque a improbidade administrativa. Então a resposta deve ser “sim”? Certo? Vejamos os itens dos “sins”. a improbidade não depende sempre de uma ação dolosa. Art. 21 da LIA. A aplicação das sanções previstas nesta lei independe: I . Na letra A. b) sim. porque a improbidade se relaciona. ops. atos imorais são imorais e ponto! E qual a resposta? Por incrível que possa parecer. prescinde da ocorrência de dano ao patrimônio público e de indício de corrupção econômica.Fiscal de Rendas) O agente público pode ser condenado nas penas de improbidade administrativa por praticar. o erro é que só por ação ou omissão dolosa. sempre. com valores e questões materiais. d) não. embora dependa de uma ação ou omissão dolosa do agente público.com. imoralidade não tem gradação. Pode ter agido dolosamente e incorrido em ofensa aos princípios da Administração. Comentários: Questão horrorosa! Só resolve por eliminação. organizadora apontou a letra D como resposta. ainda que culposa. Isso acontece com a ERRAF. 21.br Página 61 de 80 . e) depende da gravidade do ato imoral. Isso mesmo. Sabemos que o agente público pode ser condenado sim por improbidade. não há esse pressuposto para se configurar ato de improbidade por ferir princípios da Administração. Abaixo veja o que diz o art. desde que o ato de improbidade administrativa vise à satisfação de interesse pessoal do agente ou de terceiro. Opa! A resposta não é “SIM”! Vejamos a letra E. Na letra C.estrategiaconcursos. nessa qualidade. não concordo com a resposta. de assento constitucional. além de não ter gerado prejuízo para a Administração. É possível responder culposamente por prejuízo ao erário. Prof. c) sim. não reflete corrupção econômica? a) sim. sendo ilícito de resultado. por ofensa.

. Ah! Eu teria marcado letra B.ALESP. (B) são enquadradas como sujeito passivo do ato de improbidade as entidades em relação as quais o erário haja concorrido para formação do patrimônio.. desde que em montante superior a 50%. em exercícios. Comentários: A resposta é letra “C”. necessariamente. como elemento subjetivo.da aprovação ou rejeição das contas pelo órgão de controle interno ou pelo Tribunal ou Conselho de Contas. àquele que. (E) o ato de improbidade administrativa é sempre uma conduta ativa. como elemento subjetivo. 3º da LIA: Art. a ocorrência de prejuízo financeiro para o erário e. a ocorrência de prejuízo financeiro para o erário e. mesmo não sendo agente público. para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 II .Curso de Direito Administrativo.snif. como elemento objetivo. Legislativo – M13) A respeito dos elementos constitutivos dos atos de improbidade administrativa é correto afirmar que (A) o sujeito ativo do ato de improbidade é. (B) são enquadradas como sujeito passivo do ato de improbidade as entidades em relação as quais o erário haja concorrido para formação do patrimônio.br Página 62 de 80 . 3° As disposições desta lei são aplicáveis... (A) o sujeito ativo do ato de improbidade é. um agente público. o dolo ou culpa do sujeito ativo. um agente público OU TERCEIRO QUE CONCORRA DE FORMA DOLOSA. como elemento objetivo. que enseja enriquecimento ilícito para o agente e prejuízo econômico para o erário.estrategiaconcursos. Prof. snif. AFINAL. Dispõe o art. necessariamente. Vejamos os erros. e erraria a questão. dolosa ou culposa.. 41) (FCC/2010 . induza ou concorra para a prática do ato de improbidade ou dele se beneficie sob qualquer forma direta ou indireta. o dolo ou culpa do sujeito ativo. desde que em AINDA QUE EM montante superior INFERIOR a 50%. rsrs.. Gabarito: alternativa D (para a BANCA). Cyonil Borges www.. (D) o ato de improbidade pressupõe. O FERIMENTO A PRINCÍPIOS NÃO ACARRETA PREJUÍZO FINANCEIRO. (D) o ato de improbidade pressupõe.com. (C) são sujeitos ativos do ato de improbidade o agente público ou o terceiro que induza ou concorra para a prática do ato ou dele se beneficie direta ou indiretamente. no que couber. Téc.Ag.

estrategiaconcursos.º 8. nos casos de exercício de cargo efetivo ou emprego. 23 da Lei. Da Prescrição 42) (2007/NCE/UFRJ/MP-ES/Assessor) As ações destinadas a levar a efeito as sanções previstas na Lei de Improbidade Administrativa (Lei n. b) dentro do prazo prescricional previsto em lei específica para faltas disciplinares puníveis com demissão a bem do serviço público. 23. dolosa ou culposa. passo à reprodução do art. independentemente da data em que ocorreu a perda patrimonial.dentro do prazo prescricional previsto em lei específica para faltas disciplinares puníveis com demissão a bem do serviço público. de cargo em comissão ou de função de confiança. Prof. Comentários: Para encontrarmos a resposta. nos casos de exercício de cargo efetivo ou emprego. Gabarito: alternativa C. mesmo assim. uma vez que as ações contra atos de improbidade são imprescritíveis.429/92).br Página 63 de 80 . para o exercício de mandato. para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 (E) o ato de improbidade administrativa é sempre uma conduta ativa OU PASSIVA (OMISSIVA). em exercícios. e prejuízo econômico para o erário OU FERIMENTO A PRINCÍPIOS DA ADMINISTRAÇÃO. c) até cinco anos após a ocorrência da improbidade ou dilapidação dos bens ou haveres das entidades públicas.Curso de Direito Administrativo. que enseja enriquecimento ilícito para o agente.com.até cinco anos após o término do exercício de mandato. as ações destinadas a levar a aplicabilidade das sanções previstas nesta lei estão sujeitas à prescrição: I . desvio. d) a qualquer tempo. O prazo previsto na Lei é de cinco anos. e II . e. Item A – INCORRETO. de cargo em comissão ou de função de confiança. podem ser propostas: a) até dez anos após o término do exercício da atividade pública. e) até dez anos após a ocorrência da improbidade ou dilapidação dos bens ou haveres das entidades públicas. e contados do término do mandato ou da função (e não da prática do ato!). apropriação dos bens públicos. por se tratar de bens indisponíveis. Cyonil Borges www. Nos termos do art.

para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 Item B – CORRETO. mas não as ações de ressarcimento. c) a regra de que o sucessor responde por dívidas do sucedido não se aplica em hipóteses de improbidade administrativa.br Página 64 de 80 .com. os prazos de prescrição serão fixados nos respectivos Estatutos. um prazo prescricional. 37 da CF/1988. b) a obrigação de ressarcimento do dano se restringe aos atos de lesão ao patrimônio público dolosos. A qualquer tempo?! Uma penalidade pode ser eterna? Aprendemos. Não posso afirmar ser no prazo de cinco anos. sejam omissivos ou comissivos. Em síntese: tratando-se cargos efetivos ou empregos. acertadamente.Curso de Direito Administrativo. acertadamente. Gabarito: item B. Prof. a priori. na forma como disciplinada em legislação federal. Idem item “C”. Cyonil Borges www. dada a natureza personalíssima da responsabilidade pelos atos envolvidos. Em resumo: os ilícitos prescreverão. Gostaria de reforçar que são imprescritíveis as ações de ressarcimento movidas pelo Estado contra servidores ou não. o que poderia acarretar a sua inconstitucionalidade. em exercícios. Item E – INCORRETO. não fixou. Item C – INCORRETO. Perceba que o Legislador. que não. pois. estaria adentrando na competência administrativa de todos os entes políticos (federados). isso porque a Lei não foi expressa. por força do §5º do art. é correto dizer que: a) é possível se falar em improbidade administrativa para atos que não importem enriquecimento ilícito e não tenham causado prejuízo ao erário. É exatamente o que diz a Lei. Item D – INCORRETO. devido a prejuízos causados à fazenda pública. se assim fizesse. deixando que cada lei específica disponha a respeito. 43) (2006/Esaf – PFN) Sobre improbidade administrativa.estrategiaconcursos.

IV e V.estrategiaconcursos. V. Não dependem. e) Todas as afirmativas estão corretas. o art. em face da extensão do dano ou do proveito patrimonial obtido pelo agente. d) Estão corretas apenas as afirmativas I e V. até o limite da herança recebida. Vamos às análises. Item A – CORRETO. podem ser graduadas pelo juiz. nos casos de agente público que não seja titular de cargo ou emprego efetivo. Item C – INCORRETO. a) Apenas a afirmativa V está correta. I). enfim. Ver figura do item A na questão 27. decorrendo daí a sua imprescritibilidade. 21.Curso de Direito Administrativo. e) tecnicamente. contados da data da prática do ato. daí a incorreção do quesito. em qualquer hipótese. 44) (2006/Esaf – AFC/CGU) As sanções previstas na Lei da Improbidade Administrativa: I. c) Estão corretas apenas as afirmativas III. porém. Gabarito: item A. temos os que firam os princípios da Administração Pública. daí a incorreção do quesito. Os atos de improbidade assumem tríplice espécie. O art. Questão de reforço. Prof. Comentários: Vamos direto aos comentários. o legislador federal optou por tornar as ações respectivas imprescritíveis. É bem verdade que as penalidades não poderão ser aplicadas aos sucessores. somente o servidor público pode praticar atos de improbidade administrativa. da efetiva ocorrência de dano ao patrimônio público. não se aplicam. o ressarcimento não é penalidade.com. 2º da Lei).br Página 65 de 80 . em exercícios. Vimos que o conceito de servidor público é mais restrito do que o de agente público (art. b) Todas as afirmativas estão erradas. IV. para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 d) em vista da gravidade dos atos de improbidade administrativa. os sucessores responderão pelo débito. Cyonil Borges www. Comentários: Questão de fixação. Item E – INCORRETO. além dos que importem enriquecimento ilícito e prejuízo ao erário. III. obviamente. 23 revela isso. dependem. Assinale a opção correta. dado o princípio da intranscedência penal. 10 da LIA esclarece que a responsabilidade por atos provocadores de prejuízos ao erário tanto ocorre por DOLO como CULPA. daí a correção do quesito. Item D – INCORRETO. prescrevem em cinco anos. As penalidades não são imprescritíveis. Assim. o que deu azo a duras críticas pela doutrina e jurisprudência pátrias. II. Item I – INCORRETO. logo. prescrevem em cinco anos. se as contas do responsável tiverem sido aprovadas pelo Tribunal de Contas. daí a incorreção (art. para aplicação. Item B – INCORRETO. incorreto o quesito. contados da data da prática do ato.

mas sim depois do término do exercício. a prescrição dar-se-á em cinco anos. Excelente quesito. em exercícios. 21. Agora é pra valer. a Lei não faz menção expressa a qualquer prazo. Item V – CORRETO. Por favor. daí a incorreção do item (art. Gabarito: item A. Tratando-se de detentores de cargos ou empregos efetivos. 12 da LIA. deixando esse papel para a legislação específica (art. É verdade que para nãodetentores de cargos ou empregos efetivos.estrategiaconcursos.Curso de Direito Administrativo. porém. o prazo é contato não da data da prática do ato. Um “simuladinho”.br Página 66 de 80 . como é o caso de quem exerce mandato eletivo ou cargo comissionado. Cyonil Borges www. arrepiem! Prof. II). Item III – INCORRETO.com. Pouco importa a aprovação ou rejeição das contas. para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 Item II – INCORRETO. II). Item IV – INCORRETO. 23. É exatamente o que dispõe o parágrafo único do art.

amigo do Prefeito de Bocaina do Sul. por se tratar de desvio ético de conduta de agente público no desempenho de função pública. daí a correção da letra B. b) Manezinho Araújo pode ser condenado pela prática de improbidade administrativa. b) o ressarcimento integral do erário não é exigido quando o agente tenha causado o prejuízo sem dolo.2 3. b) Sim.Juiz) Sobre improbidade administrativa disciplinada na Lei n. d) Não. recebia do alcaide cártulas emitidas pela municipalidade para pagamento de supostos serviços prestados. sendo que. (2011 TJ SP Juiz) Manezinho Araújo. é incorreto afirmar: a) o sucessor daquele que causou lesão ao patrimônio público ou se enriquecer ilicitamente está sujeito às cominações da referida lei.com. o agente público também pode responder por improbidade em caso de culpa (ato não intencional). d) constitui ato de improbidade administrativa facilitar ou concorrer de qualquer forma para a incorporação ao patrimônio particular. É correto afirmar que: a) somente o prefeito municipal pode ser condenado por improbidade administrativa.º 8.Curso de Direito Administrativo. c) Sim. 1 A resposta é SIM. até os limites da herança. notadamente o ressarcimento ao erário. Cyonil Borges www. porque a improbidade administrativa não se aplica à função judicial.429/92. Prof. agindo com identidade de propósitos. no caso de prejuízo ao erário. pode ser enquadrado no conceito de improbidade administrativa? a) Não. em exercícios. para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 SIMULADO 1. rendas. Como vimos que terceiros também pode ser sujeito ativo da improbidade. Ao depois. c) não poderá haver conciliação. de pessoa física ou jurídica. depositava as quantias respectivas na conta de Expedita Brancaleone. verbas ou valores integrantes do acervo patrimonial do Estado ou de entidade pública. desde que o perito seja funcionário público. acordo ou transação na ação cautelar de sequestro de bens e na ação principal (de ressarcimento ou recuperação de bens para o erário).estrategiaconcursos.1 2. (2007 – OAB) Um perito judicial que receba um bem imóvel para elaborar laudo que favoreça uma das partes em juízo. 2 A resposta é letra B. de bens. Há três atos de improbidade. porque seu enriquecimento ilícito não acarretou danos à Administração. Assim. você fica entre as alternativas B e C. (2011 – TJ SP .br Página 67 de 80 . mulher do chefe do executivo local.

Nesse caso concreto. 3 Perceba que em todos os itens há a expressão “somente”. c) a posse e o exercício de agente público ficam condicionados à apresentação de declaração dos bens e valores que compõem o seu patrimônio privado. Letra D (o MP não é titular exclusivo.com. d) a representação à autoridade administrativa competente para que seja instaurada investigação destinada a apurar a prática de ato de improbidade é de competência exclusiva do Ministério Público. o acordo ou a conciliação nas ações de improbidade administrativa. Está-se diante de competência concorrente disjuntiva). Letra E (é crime).Curso de Direito Administrativo. as informações sobre o fato e sua autoria. daí a correção da letra B. e) somente Expedita Brancaleone pode ser condenada pela prática de ato de improbidade administrativa.º 8. pode-se afirmar a) quando o ato de improbidade causar lesão ao patrimônio público ou ensejar enriquecimento ilícito.º 8. pois terceiros que atuem em conluio são sujeito ativo da improbidade. dentro de trinta dias da efetivação da medida cautelar.429/92. Letra A (representação ao MP) Letra B (sujeição até o limite da herança). a) O cidadão brasileiro e eleitor não poderá representar à autoridade policial competente para que seja instaurada investigação destinada a apurar a prática de ato de improbidade. (2011 TJ SP Escrevente) Em relação ao procedimento administrativo e ao processo judicial previstos na Lei n.429/92. Prof. será proposta pelo Ministério Público ou pela pessoa jurídica interessada. sendo desnecessária a apresentação de provas. para a indisponibilidade dos bens do indiciado.3 4. b) A representação. d) somente Manezinho pode ser responsabilizado por ato de improbidade. quando o autor da denúncia o sabe inocente. a fim de ser arquivada no Serviço de Pessoal competente. que terá o rito ordinário. em exercícios. b) o sucessor daquele que causar lesão ao patrimônio público ou se enriquecer ilicitamente não ficará sujeito às cominações da lei.estrategiaconcursos. caberá à autoridade administrativa responsável pelo inquérito representar ao juiz. que (2010 TJ SP Escrevente) Nos termos da Lei n. c) A ação principal. 4 A resposta é letra C. d) É facultativa a transação. que poderá ser escrita ou oral. para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 c) tanto o alcaide quanto Manezinho somente podem ser responsabilizados na esfera penal. deverá conter a qualificação do representante.4 5. assinale a alternativa correta. Cyonil Borges www. e) não constitui crime a representação por ato de improbidade contra agente público ou terceiro beneficiário. todos podem responder por improbidade.br Página 68 de 80 .

Está correto apenas o contido nas afirmativas: a) I e II. c) I. e) II. c) dois a quatro anos. d) I. II e III. I. analise as seguintes afirmativas.com. bem como frustrar a licitude de concurso público. b) I. obviamente). b) dois a três anos. III e IV. III. Agir negligentemente na arrecadação de tributo ou renda. bem como no que diz respeito à conservação do patrimônio público. IV. Letra D (é vedada a transação). d) cinco a seis anos. o agente público está sujeito. da decisão que receber a petição inicial.estrategiaconcursos. à suspensão dos direitos políticos de: a) um a dois anos. Peço que guardem o quadro-resumo com os prazos. II. 6 Letra E.br Página 69 de 80 . Praticar ato. constituem atos de improbidade administrativa que causam prejuízo ao erário. (2011 TJ SP Escrevente) Considerando o disposto na Lei n.6 7. (2011 TJ SP Escrevente) Na hipótese de ato de improbidade administrativa que importe em prejuízo ao erário.Curso de Direito Administrativo. não caberá recurso. para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 e) Recebida a petição inicial. Cyonil Borges www.º 8. Letra E (cabe recurso.429/92.5 6. e) cinco a oito anos. constituem atos de improbidade administrativa que atentam contra os princípios da Administração Pública. Questão certa em prova! Prof.7 5 A resposta é letra C. o réu será notificado para apresentar contestação. III e IV. e. dentre outras penalidades. Letra A (o cidadão é parte legítima) Letra B (deve ser escrita). II e IV. visando fim proibido em lei ou regulamento ou diverso daquele previsto na regra de competência constitui ato de improbidade administrativa que atenta contra os princípios da Administração Pública. em exercícios. Negar publicidade aos atos oficiais. Deixar de prestar contas quando esteja obrigado a fazê-lo constitui ato de improbidade administrativa que causa prejuízo ao erário.

br Página 70 de 80 . Cyonil Borges www. o juiz mandará a parte emendar a inicial. 9 Letra E.com. Letra A (é crime. Letra C (envolve um conceito de processo civil. b) A perda da função pública e a suspensão dos direitos políticos se efetivam. para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 8. Letra D (em favor da pessoa jurídica prejudicada). em favor do Ministério Público quando este for o Autor da ação. d) A sentença que julgar procedente a ação civil de reparação de dano ou decretar a perda dos bens havidos ilicitamente determinará o pagamento ou a reversão dos bens. b) suspensão dos direitos políticos do réu pelo prazo de até oito anos. A resposta é letra E. mesmo se o autor da denúncia o sabe inocente. previstas na Lei n. Letra B (só com o trânsito em julgado).º 8. a) Não constitui crime a representação por ato de improbidade contra agente público ou terceiro beneficiário. (2010 Ceagesp Advogado) Conforme legislação pertinente. agente público ou não.429/92. sem prejuízo da remuneração. e) A aplicação das sanções previstas na Lei de Improbidade Administrativa independe da efetiva ocorrência de dano ao patrimônio público. com a sentença condenatória de primeira instância. desde que necessária à instrução processual e garantida a sua ampla defesa. antes da decisão final. de perda dos bens ou valores acrescidos ilicitamente ao patrimônio. equiparado à denunciação caluniosa). no processo da apuração de improbidade administrativa. c) cassação dos direitos políticos do réu. d) devolução imediata aos cofres públicos dos valores percebidos indevidamente pelo réu.9 10. Deixar de prestar contas fere o princípio da publicidade (item II Falso). quando necessária à instrução processual. imediatamente. acusado de enriquecimento ilícito. por ordem judicial. Prof.Curso de Direito Administrativo. salvo quanto à pena de ressarcimento. Letra A (perda só com o trânsito em julgado). Letra D (é possível a indisponibilidade dos bens e sequestro). (2009 TJ SP Oficial de Justiça) As penas. por ordem administrativa. em exercícios. Emenda até a fase de saneamento). são penalidades que podem ser impostas ao servidor público que: 7 8 Letra D. perda da função pública e suspensão dos direitos políticos de oito a dez anos. Letra B (suspensão só depois da sentença final). conforme o caso. (2010 MPE Analista de Promotoria) Assinale a alternativa que está de acordo com as disposições da Lei de Improbidade Administrativa. Letra C (o atual ordenamento jurídico veda a cassação). reconhecida a inadequação da ação de improbidade. c) Em qualquer fase do processo.8 9.estrategiaconcursos. poderá ser determinada a seguinte medida: a) perda da função pública do agente público acusado. e) afastamento do agente público do exercício do cargo.

para si ou para outrem.11 12. (2010 TJ SP Agente de Fiscalização) Considere as seguintes assertivas no que concerne ao regramento que o art. a representação por ato de improbidade contra agente público ou terceiro beneficiário.429/92. Letra A (a indisponibilidade pode ser requerida pela autoridade administrativa. (2009 TJ SP Oficial de Justiça) Assinale a alternativa que contém afirmativa em consonância com o disposto na Lei n.429/92 dispensa à declaração dos bens e valores que compõem o patrimônio privado do agente público: I. quando a medida se fizer necessária à instrução processual. para garantir o ressarcimento do Erário. caberá à autoridade administrativa responsável pelo inquérito determinar a indisponibilidade dos bens do indiciado.º 8. sujeito à pena de detenção de um a três anos. Letra D (a perda da função é pelo juiz.10 11. c) frustrar a licitude de processo licitatório ou dispensá-lo indevidamente. para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 a) adquirir. mas a decretação é pelo Juiz). d) Na ação de improbidade administrativa.com. As demais alternativas dispõem sobre hipóteses de prejuízo ao erário. b) permitir ou facilitar a aquisição. Letra C (detenção de 6 a 10 meses e multa). d) agir negligentemente na arrecadação de tributo ou renda. Letra B (até o limite da herança). a posse e o exercício de agente público ficam condicionados à apresentação de declaração dos bens e valores que compõem o seu patrimônio privado. a autoridade judicial ou administrativa competente poderá decretar a perda da função pública do acusado. Prof.br Página 71 de 80 . de cargo em comissão ou de função de confiança. sem prejuízo da remuneração. em exercícios. cargo. bens de qualquer natureza cujo valor seja desproporcional à evolução do patrimônio ou à renda do agente público. De oito a 10 anos de suspensão é para enriquecimento ilícito. e depois da sentença transitar em julgado). no exercício de mandato. e) As ações destinadas a levar a efeito as sanções previstas na lei podem ser propostas até cinco anos após o término do exercício de mandato. o sucessor daquele que causar lesão ao patrimônio público ou se enriquecer ilicitamente não fica sujeito às cominações da Lei de Improbidade Administrativa quanto à pena cominada contra aquele a quem sucedeu. a fim de ser 10 Letra A. permuta ou locação de bem ou serviço por preço superior ao de mercado.º 8. emprego ou função pública. Cyonil Borges www. c) Constitui crime. 13 da Lei n. a) Quando o ato de improbidade causar lesão ao patrimônio público ou ensejar enriquecimento ilícito. bem como no que diz respeito à conservação do patrimônio público.estrategiaconcursos. e) permitir. 11 Letra E. facilitar ou concorrer para que terceiro se enriqueça ilicitamente.Curso de Direito Administrativo. b) Em virtude do princípio da individualização da pena. quando o autor da denúncia o sabe inocente.

13 12 Letra E. títulos. c) I e II. Cyonil Borges www. de veículos automotores a serviço do ente público. d) II e III. quando for o caso. nomear parente ou amigo próximo para cargo de confiança. apenas. legalidade. e) I.estrategiaconcursos. em exercícios. indevidamente.º 8. apenas. semoventes. dos filhos e de outras pessoas que vivam sob a dependência econômica do declarante. móveis. (2010 TJ SP Agente de Fiscalização) O art. apenas. ações. as situações expressamente mencionadas no referido artigo de lei. O mesmo dispositivo legal descreve algumas situações em que isso se verifica. 11 da Lei n. dentro do prazo determinado.br Página 72 de 80 . utilizar-se. imparcialidade.Curso de Direito Administrativo. É correto o que se afirma em: a) I. e) Praticar ato visando fim proibido em lei ou regulamento ou diverso daquele previsto na regra de competência. a) Retardar ou deixar de praticar. e qualquer outra espécie de bens e valores patrimoniais. apenas. 13 da Lei 8429 de 1992. será punido com a pena de demissão. o agente público que se recusar a prestar declaração dos bens. ou que a prestar falsa. estabelecer diferenciação entre os particulares em razão de raça ou gênero. Prof. b) II. ato de ofício.12 13. a declaração compreenderá imóveis. Leitura do art. para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 arquivada no serviço de pessoal competente. e lealdade às instituições. apenas. Assinale a alternativa que traz. abrangerá os bens e valores patrimoniais do cônjuge ou companheiro. excluídos apenas os objetos e utensílios de uso doméstico e III. em proveito próprio. a bem do serviço público. priorizar o atendimento público a conhecidos ou indicados por estes.429/92 normatiza que constitui ato de improbidade administrativa que atenta contra os princípios da administração pública qualquer ação ou omissão que viole os deveres de honestidade. c) Deixar de prestar contas quando esteja obrigado a fazê-lo. II e III. localizados no País ou no exterior. sem prejuízo de outras sanções cabíveis.com. negar publicidade aos atos oficiais. e. dinheiro. II. d) Revelar fato ou circunstância de que tenha ciência em razão das atribuições e que deva permanecer em segredo. b) Frustrar a licitude de concurso público.

a) ordem ou ato .com. dar-se-á o integral ressarcimento do dano. descuidado ou imprudente . Cyonil Borges www.. c) cassação dos seus direitos políticos.estrategiaconcursos. e) suspensão da função pública.br Página 73 de 80 . as expressões suprimidas do texto do art. responsável legal b) ação ou omissão . b) pagamento de multa civil de até dez vezes o valor do seu acréscimo patrimonial. à pena de: a) perda dos bens ou valores acrescidos ilicitamente ao patrimônio.Curso de Direito Administrativo.. entre outras. do agente ou de terceiro.. d) suspensão dos direitos políticos por um prazo de cinco a oito anos. respectivamente.º 8. particular e) ato discricionário . dolosa ou culposa . José estará sujeito. 15 A resposta é letra A... para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 14. mas suspensão).. 5º da Lei n. dar-se-á o integral ressarcimento do dano. (2010 TJ SP Agente de Fiscalização) Assinale a alternativa que contém. só os primeiros itens estão expressos. nas demais alternativas. recebeu dinheiro para deixar de tomar determinada providência a que estava obrigado em decorrência do cargo que ocupa. Ocorrendo lesão ao patrimônio público por __________ .. premeditado ou intencional . Questão maldosa por exigir a decoreba do dispositivo. funcionário público.. Letra E (perda da função e não suspensão). agente ou de terceiro c) qualquer conduta .15 13 Letra A. em exercícios. Prof. doloso ou culposo .. agente público14 15. Art.. Letra B (multa civil de até 3 vezes o enriquecimento).. Letra C (não há cassação no ordenamento.. Letra D (de oito a dez).. do _____________...... No caso. em virtude da Lei de Improbidade Administrativa. funcionário público d) conduta ou ato . 5° Ocorrendo lesão ao patrimônio público por ação ou omissão. Cometeu enriquecimento ilícito. ___________... (2009 TJ MT Juiz) José.429/92. culposa ou dolosa . Assim sendo. 14 Letra B. dolosa ou culposa.

cargo. para a indisponibilidade dos bens do indiciado (que recairá sobre bens que assegurem o integral ressarcimento do dano.No caso de enriquecimento ilícito. impessoalidade.com. de Território. do agente ou de terceiro. .br Página 74 de 80 . servidor ou não. contratação ou qualquer outra forma de investidura ou vínculo. dos Estados. indireta ou fundacional de qualquer dos Poderes da União. moralidade e publicidade no trato dos assuntos que lhe são afetos. 2º) Mesmo não sendo agente público.Qualquer pessoa pode representar a autoridade administrativa competente para que seja instaurada investigação destinada a apurar a prática de ato de improbidade. por eleição.Quando o ato de improbidade causar lesão ao patrimônio público ou ensejar enriquecimento ilícito. emprego ou função nas entidades mencionadas no artigo anterior. ainda que transitoriamente ou sem remuneração. Cyonil Borges www. .A administração direta. designação.estrategiaconcursos. . . aquele que induza ou concorra para a prática do ato de improbidade ou dele se beneficie sob qualquer forma direta ou indireta. do Distrito Federal. para os efeitos desta lei. nomeação. CARACTERÍSTICAS . dolosa ou culposa.O sucessor daquele que causar lesão ao patrimônio público ou se enriquecer ilicitamente está sujeito às cominações desta lei até o limite do valor da herança. do Distrito Federal. em exercícios. para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 CONCEITO São atos de improbidade os atos praticados por qualquer agente público. todo aquele que exerce. perderá o agente público ou terceiro beneficiário os bens ou valores acrescidos ao seu patrimônio.Ocorrendo lesão ao patrimônio público por ação ou omissão. servidor ou não. de Território. . 1º) Reputa-se agente público. de empresa incorporada ao patrimônio público ou de entidade para cuja criação ou custeio o erário haja concorrido ou concorra com mais de cinquenta por cento do patrimônio ou da receita anual. dar-se-á o integral ressarcimento do dano. dos Municípios. SUJEITO(S) ATIVO(S) (art. dos Estados. de empresa incorporada ao patrimônio público ou de entidade para cuja criação ou custeio o erário haja concorrido ou concorra com mais de cinquenta por cento do patrimônio ou da receita anual. indireta ou fundacional de qualquer dos Poderes da União. caberá a autoridade administrativa responsável pelo inquérito representar ao Ministério Público.Curso de Direito Administrativo. ou sobre o acréscimo patrimonial resultante do enriquecimento ilícito). . -Agente público. contra a administração direta. mandato.Os agentes públicos de qualquer nível ou hierarquia são obrigados a velar pela estrita observância dos princípios de legalidade.As sanções independem de efetiva ocorrência de dano ao patrimônio público e da aprovação ou rejeição das contas pelo órgão Prof. dos Municípios. 1º) SUJEITO(S) PASSIVO(S) .

perceber vantagem econômica. medida. de contrabando.Atos de Improbidade Enriquecimento Ilícito. qualidade ou característica de mercadorias ou bens fornecidos a qualquer das entidades mencionadas no art. ou aceitar promessa de tal vantagem.A aplicação das sanções previstas nesta lei independe: I . bem como o trabalho de servidores públicos. de lenocínio. em exercícios. ou a contratação de serviços pelas entidades referidas no art. cargo. IV . para facilitar a alienação. bens de qualquer natureza cujo valor seja desproporcional à evolução do patrimônio ou à renda do DOS ATOS DE IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA QUE IMPORTAM ENRIQUECIMENTO ILÍCITO (ART. para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 de controle interno ou Tribunal de Contas. de narcotráfico.receber. II . no exercício de mandato. equipamentos ou material de qualquer natureza. III . 1º desta lei. máquinas. 1° desta lei.com.perceber vantagem econômica. para fazer declaração falsa sobre medição ou avaliação em obras públicas ou qualquer outro serviço. emprego ou função. de propriedade ou à disposição de qualquer das entidades mencionadas no art. II . sem prejuízo da remuneração. direta ou indireta. A autoridade judicial ou administrativa competente poderá determinar o afastamento do agente público do exercício do cargo. gratificação ou presente de quem tenha interesse. para si ou para outrem.receber vantagem econômica de qualquer natureza. permuta ou locação de bem público ou o fornecimento de serviço por ente estatal por preço inferior ao valor de mercado. VII . a título de comissão.perda da função pública e a suspensão dos direitos políticos só se efetivam com o trânsito em julgado da sentença condenatória. V . para facilitar a aquisição.Atos de Improbidade Administrativa que Causam Prejuízo ao Erário. Cyonil Borges www. de usura ou de qualquer outra atividade ilícita. emprego ou função pública. direta ou indireta. direta ou indireta. ou sobre quantidade. I . veículos. ou qualquer outra vantagem econômica. direto ou indireto. direta ou indireta. VI . peso.9º): auferir qualquer tipo de vantagem patrimonial indevida em razão do exercício de cargo. .Atos de Improbidade Administrativa que Atentam Contra os Princípios da Administração Pública. permuta ou locação de bem móvel ou imóvel. para tolerar a exploração ou a prática de jogos de azar. emprego ou atividade nas entidades mencionadas nesta Prof. direta ou indireta. empregados ou terceiros contratados por essas entidades. dinheiro.receber vantagem econômica de qualquer natureza. 1° por preço superior ao valor de mercado. percentagem. . para si ou para outrem.da aprovação ou rejeição das contas pelo órgão de controle interno ou pelo Tribunal ou Conselho de Contas.br Página 75 de 80 . III . função.da efetiva ocorrência de dano ao patrimônio público.adquirir.estrategiaconcursos.Curso de Direito Administrativo. mandato. I . bem móvel ou imóvel. em obra ou serviço particular. Administrativa que Importam ATOS DE IMPROBIDADE (ASSIM CONSIDERADOS) II . que possa ser atingido ou amparado por ação ou omissão decorrente das atribuições do agente público.utilizar. quando a medida se fizer necessária à instrução processual.

doar à pessoa física ou jurídica bem como ao ente despersonalizado.permitir ou facilitar a aquisição.incorporar.liberar verba pública sem a estrita observância das normas ATOS DE IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA QUE CAUSAM PREJUÍZO AO ERÁRIO (art.realizar operação financeira sem observância das normas legais e regulamentares ou aceitar garantia insuficiente ou inidônea. XI . ao seu patrimônio bens. III . 1º desta lei.permitir ou facilitar a alienação. 1º desta lei. verbas ou valores integrantes do acervo patrimonial das entidades mencionadas no art. 1° desta lei. X . para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 Lei. V . verbas ou valores integrantes do acervo patrimonial das entidades mencionadas no art. de bens. XII .conceder benefício administrativo ou fiscal sem a observância das formalidades legais ou regulamentares aplicáveis à espécie.permitir ou concorrer para que pessoa física ou jurídica privada utilize bens. rendas. ainda que de fins educativos ou assistências. apropriação. IX .estrategiaconcursos.facilitar ou concorrer por qualquer forma para a incorporação ao patrimônio particular. em exercícios.receber vantagem econômica de qualquer natureza. IV . sem observância das formalidades legais e regulamentares aplicáveis à espécie. rendas. ou ainda a prestação de serviço por parte delas.br Página 76 de 80 . permuta ou locação de bem ou serviço por preço superior ao de mercado. agente público.agir negligentemente na arrecadação de tributo ou renda. bem como no que diz respeito à conservação do patrimônio público. malbaratamento ou dilapidação dos bens ou haveres das entidades referidas no art. IX . VI . XI . X . verbas ou valores integrantes do acervo patrimonial das entidades mencionadas no art. rendas. em proveito próprio. II . desvio. VIII . I . Prof. permuta ou locação de bem integrante do patrimônio de qualquer das entidades referidas no art.aceitar emprego. de pessoa física ou jurídica. para omitir ato de ofício. VII .ordenar ou permitir a realização de despesas não autorizadas em lei ou regulamento. verbas ou valores integrantes do acervo patrimonial das entidades mencionadas no art.10): qualquer ação ou omissão. rendas. durante a atividade. 1° desta lei. 1º desta lei. 1º desta lei. direta ou indiretamente. 1º desta lei.frustrar a licitude de processo licitatório ou dispensá-lo indevidamente.usar.Curso de Direito Administrativo.com. por preço inferior ao de mercado. dolosa ou culposa. verbas ou valores do patrimônio de qualquer das entidades mencionadas no art. bens. VIII . por qualquer forma.perceber vantagem econômica para intermediar a liberação ou aplicação de verba pública de qualquer natureza. sem a observância das formalidades legais ou regulamentares aplicáveis à espécie. comissão ou exercer atividade de consultoria ou assessoramento para pessoa física ou jurídica que tenha interesse suscetível de ser atingido ou amparado por ação ou omissão decorrente das atribuições do agente público. bens. Cyonil Borges www. que enseje perda patrimonial. rendas. providência ou declaração a que esteja obrigado.

permitir que se utilize. bem ou serviço.frustrar a licitude de concurso público. I .retardar ou deixar de praticar. . bem como o trabalho de servidor público.praticar ato visando fim proibido em lei ou regulamento ou diverso daquele previsto. facilitar ou concorrer para que terceiro se enriqueça ilicitamente.Perda da função pública. em exercícios. DAS PENAS (art. DOS ATOS DE IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA QUE ATENTAM CONTRA OS PRINCÍPIOS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA (art. XV – celebrar contrato de rateio de consórcio público sem suficiente e prévia dotação orçamentária. veículos.Multa civil de até 3 vezes o valor do acréscimo patrimonial. ou sem observar as formalidades previstas na lei.12) . 1° desta lei. LEI Nº. 8. XIII . . empregados ou terceiros contratados por essas entidades. de propriedade ou à disposição de qualquer das entidades mencionadas no art. indevidamente.Proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios. V . 12) ART. assim como o proveito patrimonial obtido pelo agente.permitir. para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 pertinentes ou influir de qualquer forma para a sua aplicação irregular. legalidade. direta ou indiretamente. máquinas. XIV – celebrar contrato ou outro instrumento que tenha por objeto a prestação de serviços públicos por meio da gestão associada sem observar as formalidades previstas na lei.com.br Página 77 de 80 . equipamentos ou material de qualquer natureza. Sanção Política (art. imparcialidade.negar publicidade aos atos oficiais.Perda dos bens ou valores acrescidos ilicitamente ao patrimônio.429/92 Sanção Administrativa (art. II . 11): qualquer ação ou omissão que viole os deveres de honestidade.deixar de prestar contas quando esteja obrigado a fazê-lo.revelar ou permitir que chegue ao conhecimento de terceiro. Prof. e lealdade às instituições. ainda Sanção Civil (art.12): Na fixação das penas previstas nesta lei o juiz levará em conta a extensão do dano causado.estrategiaconcursos.Suspensão dos direitos políticos de 8 a 10 anos. em obra ou serviço particular. 12) . antes da respectiva divulgação oficial.9º: Atos que dão ensejo ao enriquecimento ilícito (Auferir qualquer tipo de vantagem . IV .Curso de Direito Administrativo. na regra de competência. teor de medida política ou econômica capaz de afetar o preço de mercadoria.revelar fato ou circunstância de que tem ciência em razão das atribuições e que deva permanecer em segredo. Cyonil Borges www. VI . III . ato de ofício. XII . VII .

quando houver. que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário. .Qualquer pessoa poderá representar à autoridade administrativa competente para que seja instaurada investigação destinada a apurar a prática de ato de improbidade.A autoridade administrativa rejeitará a representação. . ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário. conterá a qualificação do representante. . pelo prazo de 10 anos. direta ou indiretamente. (a rejeição não impede a representação ao Prof.Ressarcimento integral do dano.Curso de Direito Administrativo. . . Pública (Qualquer ação ou omissão que viole os deveres de honestidade.Perda dos bens ou valores acrescidos ilicitamente ao patrimônio. 11: Atos que atentam contra os princípios da Adm. . .Proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios.Procedimento Judicial. se esta não contiver as formalidades estabelecidas na lei.estrategiaconcursos.Multa civil de até 100 vezes o valor da remuneração percebida pelo Agente. desvio. . que será escrita ou reduzida a termo e assinada.10: Atos que geram prejuízo ao Erário (Qualquer ação ou omissão. direta ou indiretamente. pelo prazo de 5 anos.Perda dos bens ou valores acrescidos ilicitamente ao patrimônio. apropriação. . . pelo prazo de 3 anos. mandato. Cyonil Borges www.Perda da função pública.Suspensão dos direitos políticos de 3 a 5 anos.A representação. DOS PROCEDIMENTOS . . imparcialidade.Multa civil de até 2 vezes o valor do dano. malbaratamento ou dilapidação dos bens ou haveres das entidades referidas no art. para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 patrimonial indevida em razão do exercício de cargo. . função.br Página 78 de 80 . se houver.Proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios. em despacho fundamentado. legalidade e lealdade às instituições). que enseje perda patrimonial. 1º). ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário. dolosa ou culposa. emprego ou atividades mencionadas no art. . se concorrer esta situação. em exercícios. . se concorrer esta situação.Procedimento Administrativo .com. as informações sobre o fato e sua autoria e a indicação das provas de que tenha conhecimento. . .Perda da função pública. ART.Ressarcimento integral do dano.Ressarcimento integral do dano.Suspensão dos direitos políticos de 5 a 8 anos. 1º) ART.

o juiz extinguirá o processo sem julgamento do mérito. rejeitará a ação. se não intervir no processo como parte. dentro de trinta dias da efetivação da medida cautelar. -A Fazenda Pública. .Curso de Direito Administrativo. caberá agravo de instrumento .Estando a inicial em devida forma. em decisão fundamentada.Recebida a manifestação. para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 DO PROCEDIMENTO ADMINISTRATIVO Ministério Público).Quando for o caso. será o réu citado para apresentar contestação.A ação principal. em exercícios.Recebida a petição inicial. . reconhecida a inadequação da ação de improbidade.Havendo fundados indícios de responsabilidade. se convencido da inexistência do ato de improbidade. -O Ministério Público.A comissão processante dará conhecimento ao Ministério Público e ao Tribunal ou Conselho de Contas da existência de procedimento administrativo para apurar a prática de ato de improbidade. da improcedência da ação ou da inadequação da via eleita. dentro do prazo de quinze dias. A sentença que julgar procedente ação civil de reparação de dano ou decretar a perda dos bens havidos ilicitamente determinará o DO PROCEDIMENTO JUDICIAL Prof. o juiz mandará autuá-la e ordenará a notificação do requerido. que poderá ser instruída com documentos e justificações. . quando for o caso. . o juiz. contas bancárias e aplicações financeiras mantidas pelo indiciado no exterior. nos termos da lei e dos tratados internacionais.Da decisão que receber a petição inicial. inclusive as disposições inscritas nos arts. promoverá as ações necessárias à complementação do ressarcimento do patrimônio público. o pedido incluirá a investigação.Em qualquer fase do processo. acordo ou conciliação nas ações de improbidade.br Página 79 de 80 . Cyonil Borges www. no prazo de trinta dias.É vedada a transação.com. observada a legislação vigente. a comissão representará ao Ministério Público ou à procuradoria do órgão para que requeira ao juízo competente a decretação do sequestro dos bens do agente ou terceiro que tenha enriquecido ilicitamente ou causado dano ao patrimônio público. . . como fiscal da lei. .A propositura da ação prevenirá a jurisdição do juízo para todas as ações posteriormente intentadas que possuam a mesma causa de pedir ou o mesmo objeto . sob pena de nulidade. . . 16 a 18 do Código de Processo Civil. será proposta pelo Ministério Público ou pela pessoa jurídica interessada.estrategiaconcursos.A ação será instruída com documentos ou justificação que contenham indícios suficientes da existência do ato de improbidade ou com razões fundamentadas da impossibilidade de apresentação de qualquer dessas provas. para oferecer manifestação por escrito. . que terá o rito ordinário. atuará obrigatoriamente. o exame e o bloqueio de bens.

As ações destinadas a levar a efeitos as sanções previstas nesta lei podem ser propostas: I . conforme o caso.Curso de Direito Administrativo.As ações civis de ressarcimento ao erário são imprescritíveis (art. para AFT Profº Cyonil Borges – Aula 17 pagamento ou a reversão dos bens.br Página 80 de 80 .estrategiaconcursos. 23) Prof.com.até cinco anos após o término do exercício de mandato. §5° CF/88). nos casos de exercício de cargo efetivo ou emprego. 37. Cyonil Borges www. DA PRESCRIÇÃO (art. em favor da pessoa jurídica prejudicada pelo ilícito. de cargo em comissão ou de função de confiança.dentro do prazo prescricional previsto em lei específica para faltas disciplinares puníveis com demissão a bem do serviço público. II . . . em exercícios.