You are on page 1of 18

RECURSOS HÍDRICOS EM RONDÔNIA: CONSERVANDO PARA O FUTURO Leomar Pereira da Silva 1 Catia Zuffo 2

Resumo - A água é um bem natural, com valor econômico, social e ecológico, é patrimônio de todos e deve ser compartilhado por todos desta geração e das próximas, sendo de importância fundamental para o desenvolvimento sustentável. A água existe em quase toda parte do planeta, na atmosfera, na superfície dos continentes, nos mares e oceanos, no subsolo e acha-se em permanente circulação. A esse processo convencionou-se chamar ciclo hidrológico. Segundo dados de BARTH (1987) a água existente no planeta ocupa 75 % de sua superfície. No Brasil, os recursos hídricos superficiais representam 11% do total dos recursos mundiais. A Amazônia brasileira representa 70% do total gerado no Brasil e 8% a nível mundial TUCCI et al. (2001). Nenhum recurso natural, salvo talvez o ar, apresenta tantos usos legítimos quanto a água, que pode ser utilizada de diversas maneiras pelo homem. Entre os vários usos, pode-se citar: abastecimento humano e industrial, diluição e afastamento de despejos, irrigação, recreação, pastoril, preservação da flora e fauna, navegação e geração de energia elétrica. Este documento faz parte do Atlas Geoambiental que está sendo produzido pelo Núcleo de Sensoriamento Remoto e Climatologia da SEDAM contribuindo para o conhecimento sobre recursos hídricos nas escolas e sociedade em geral.

1

SEDAM- Secretaria de Estado do Desenvolvimento Ambiental-NUSEC- Núcleo de Sensoriamento Remoto e Climatologia, Estrada do Santo Antônio, Nº 900, Bairro Cujubim, Porto Velho, RO, Brasil, CEP–78900-000, Fone 069-2290222, e-mail: leuca@enter-net.com.br
2

UNIR- Universidade Federal de Rondônia, Departamento de Geografia- BR-364, Porto Velho,RO, Brasil, CEP–78900000, Fone 069-, e-mail: zuffo@enter-net.com.br

that can be used in several ways by the man. sailing and generation of electric energy. . in the seas and oceans. being of fundamental importance for the maintainable development. According to data of BARTH (1987) the existent water in the planet occupies 75% of its surface. with economic. This document is part of the Atlas Geoambiental that is being produced in general by the Nucleus of Remote Sensoring and Climatology of SEDAM contributing to the knowledge on water resources in the schools and society. irrigation. The water exists in almost every part of the planet. In Brazil.Abstract – The water is a very natural one. Palavras-chave: recursos hídricos. usos múltiplos da água. in the atmosphere. in the surface of the continents. in the underground and he/she is in permanent circulation. social and ecological value. (2001). To that process it was stipulated to call hidrological cycle . Brazilian Amazônia represents 70% of the total generated in Brazil and 8% at world level TUCCI et al. dilution and removal of pouring out. presents so many legitimate uses as the water. Among the several uses. pastoril. Any natural resource. it is patrimony of everybody and it should be shared by everybody of this generation and of the close ones. the water resources superficial represent 11% of the total of the world resources. it can make an appointment: human and industrial provisioning. except for perhaps the air. preservation of the flora and fauna. recreation.

dotado de valor econômico. A esse processo convencionou-se chamar ciclo hidrológico. Entre os vários usos. nos mares e oceanos. A Amazônia brasileira representa 70% do total gerado no Brasil e 8% a nível mundial TUCCI et al. o vocábulo água e a expressão recursos hídricos muitas vezes são empregados como sinônimos. é um recurso natural limitado. em situações de escassez.º 9. uso industrial e nem consumo humano. na atmosfera.433. porém ele afirma que "Água é o elemento natural. que não é utilizável na agricultura. navegação e geração de energia elétrica. a gestão dos recursos hídricos deve sempre proporcionar o uso múltiplo das águas. salvo talvez o ar. Segundo dados de BARTH (1987) a água existente no planeta ocupa 75 % de sua superfície sendo que esse bem precioso se encontra distribuído da seguinte maneira: • • • 97 % está nos oceanos. diluição e afastamento de despejos. 1997). definiu que: • • • • • a água é um bem de domínio público. Recurso hídrico é a água como bem econômico. no subsolo e acha-se em permanente circulação. 2 % formam as geleiras e calotas polares.INTRODUÇÃO A água3 é um bem natural. (2001). social e ecológico. portanto é água salgada. o uso prioritário dos recursos hídricos é o consumo humano e a dessedentação de animais. A Lei n. No Brasil. é patrimônio de todos e deve ser compartilhado por todos d esta geração e das próximas. com valor econômico. A água existe em quase toda parte do planeta. recreação. 1% de água doce em estado líquido tornando-se disponível para consumo. apresenta tantos usos legítimos quanto a água. que instituiu a Política Nacional de Recursos Hídricos. que pode ser utilizada de diversas maneiras pelo homem. a bacia hidrográfica é a unidade territorial para a operacionalização dessa política e para a atuação do Sistema Nacional de Gerenciamento de Recursos Hídricos (BRASIL. É o gênero. pode-se citar: abastecimento humano e industrial. 3 Segundo Pompeu (1999). passível de utilização com tal fim". preservação da flora e fauna. sendo inúteis como recurso. os recursos hídricos superficiais representam 11% do total dos recursos mundiais. descomprometido com qualquer utilização. na superfície os continentes. pastoril. . sendo de importância fundamental para o desenvolvimento sustentável. irrigação. de 8 de janeiro de 1997. Nenhum recurso natural.

Com o objetivo de subsidiar a Lei Estadual de Recursos Hídricos foi realizado em Rondônia um estudo através do CREA/RO (Conselho Regional de Engenharia. 1987). . GOVERNO DE RONDÔNIA/MMA/1999. Figura 01: Mapa das Bacias Hidrográficas do Estado de Rondônia. Fonte: CREA/RO. para a qual convergem as águas que drenam a área considerada (BRASIL. Governo de Rondônia e MMA (Ministério do Meio Ambiente).A bacia hidrográfica é definida como sendo uma área drenada por um curso d’água e seus afluentes a montante de uma determinada seção transversal. onde o Estado foi dividido em sete bacias hidrográficas conforme Figura 01. Agronomia e Arquitetura).

31 683.2904 ÁREA ( Km ²) 3. estas sub-divisões foram feitas para facilitar estudos posteriores.9431 5.585.57 570.1525 29. ÁREA ( Km ²) 59.4098 5.941.526.578.56 700.823.790.89 362.6631 4.90 PERÍMETRO ( Km ) 518.9785 10.005.51 393.630.0038 1.3805 22.5663 15.2105 31.4819 8.8759 7.79 606.5302 2.538.Foram estabelecidos parâmetros para a divisão do Estado em 42 sub-bacias hidrográficas a partir das bacias hidrográficas identificadas conforme Tabelas 01 e 02: Tabela 01 .68 522.436.7078 80.4615 9.52 BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO MAMORÉ 4 Embora todas as bacias hidrográficas do Estado de Rondônia pertençam a bacia do Rio Madeira. .º 11 12 13 RIO NOVO RIO PACAAS NOVAS / RIO MAMORÉ SUB-BACIA RIO VERMELHO / RIO CABIXI RIO ESCONDIDO / RIO GUAPORÉ RIO CORUMBIARA / RIO GUAPORÉ RIO VERDE / RIO GUAPORÉ RIO COLORADO / RIO GUAPORÉ RIO BRANCO / RIO GUAPORÉ RIO SÃO MIGUEL / RIO GUAPORÉ RIO CANTARINHO / RIO GUAPORÉ RIO SÃO DOMINGOS / RIO GUAPORÉ RIO CAUTÁRIO / RIO GUAPORÉ SUB-BACIA RIO SOTÉRIO / RIO MAMORÉ ÁREA ( Km ²) 2. GOVERNO DE RONDÔNIA/MMA/1999.0202 4.293.795.º 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 N.41 316.102.792.339.Bacias Hidrográficas do Estado de Rondônia4 NOME 01 BACIA DO RIO GUAPORÉ 02 BACIA DO RIO MAMORÉ 03 BACIA DO RIO ABUNÃ 04 BACIA DO RIO MADEIRA 05 BACIA DO RIO JAMARI 06 BACIA DO RIO MACHADO 07 BACIA DO RIO ROOSEVELT Fonte: CREA/RO.717.0631 PERÍMETRO ( Km ) 291.09 754.422.831.69 372.461.73 225.6110 3.337.6703 9.1922 Tabela 02 -SUB-BACIAS HIDROGRÁFICAS DO ESTADO DE RONDÔNIA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO GUAPORÉ N.

169.559.339.54 567.85 325.00 465.9990 7.3627 3.º 16 N.97 242.2282 2.22 442.5682 5.379.604.184.696.º 17 18 19 20 21 22 N.598.2763 2.º 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 RIO OURO PRETO RIO LAJE / RIO MAMORÉ SU-BACIA RIO ABUNÃ SUB-BACIA ALTO RIO MADEIRA MÉDIO RIO MADEIRA RIO RIBEIRÃO / RIO MADEIRA RIO MUTUM PARANÁ ALTO RIO JACI PARANÁ BAIXO RIO JACI PARANÁ SUB-BACIA ALTO RIO CANDEIAS BAIXO RIO CANDEIAS ALTO RIO JAMARI BAIXO RIO JAMARI SUB-BACIA RIO PRETO BAIXO RIO MACHADO MÉDIO RIO MACHADO ALTO RIO MACHADO RIO MACHADINHO ALTO RIO JARU BAIXO RIO JARU RIO URUPA RIO MUQUI RIO ROLIM DE MOURA BAIXO RIO PIMENTA BUENO ALTO RIO PIMENTA BUENO RIO COMEMORAÇÃO 4.57 564.8161 5.4860 3.637.52 522.854.29 BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO JAMARI .85 316.1047 5.82 461.823.984.72 492.26 PERÍMETRO ( Km ) 504.818.5446 5.8658 3.669.63 369.495.792.14 234.45 294.8029 5.45 PERÍMETRO ( Km ) 707.544.21 649.14 15 N.9516 7.1000 ÁREA ( Km ²) 5.0281 ÁREA ( Km ²) 4.73 447.8272 8.29 809.41 PERÍMETRO ( Km ) 442.6758 2.55 389.514.191.2501 BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO MADEIRA ÁREA ( Km ²) 7.037.953.36 318.5439 3.94 775.7186 4.44 397.4958 6.063.9300 ÁREA ( Km ²) 11.3178 7.037.70 537.921.116.º 23 24 25 26 N.9204 5.6483 BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO MACHADO BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO ABUNÃ 425.9001 6.7683 10.960.54 PERÍMETRO ( Km ) 549.

º 40 41 42 SUB-BACIA RIO BRANCO DO ROOSEVELT RIO ROOSEVELT RIO CAPITÃO CARDOSO / TENENTE MARQUES Fonte: CREA/RO/GOVERNO DE RONDÔNIA/MMA/1999. manutenção da vida selvagem e aos usos recreativos. As águas superficiais são aquelas que escoam ou se acumulam na superfície do solo. quando não há perdas entre o que é retirado e o que retorna ao curso natural: navegação (fluvial e lacustre). 2001). geração de energia elétrica.11 509. são as precipitações e.3789 PERÍMETRO ( Km ) 387. aqueles que fazem restrições quanto à existência de produtos químicos que possam danificar equipamentos e instalações (Branco.3831 6.897. há os usos consuntivos. engarrafamento de águas minerais e potáveis de mesa entre outros (BRASIL. balneoterapia. irrigação. 1996). Observa-se. as águas superficiais e subterrâneas as mais utilizadas para os diversos usos.4302 3. São denominados usos não consuntivos . .94 Dentro dos segmentos do ciclo hidrológico. ÁREA ( Km ²) 4. ainda. que se denominam aqüíferos. pois há usos que afetam o volume disponível (usos consuntivos). Para cada tipo de utilização são feitas exigências quanto aos limites de impurezas na água. Elas representam a parcela da chuva que se infiltra no sub-solo e migram continuamente em direção às nascentes. Alguns usos requerem elevados padrões sanitários. As águas subterrâneas ocorrem preenchendo espaços formados entre os grânulos minerais e nas fissuras das rochas. pesca. isso é conseguido através do planejamento integrado de 5 Água usada e poluída descarregada por cidades ou indústrias. outros. outros a qualidade (como a assimilação e afastamento de esgotos) e os que podem alterar o regime (como a construção de barragens). assimilação e transporte de efluentes5 urbanos e industriais. calefação. diluição. o insumo básico em termos hídricos. quando há perdas entre o que é consumido e o que retorna ao seu curso natural. que há necessidade de uma utilização ordenada dos recursos hídricos.904. limitam a presença de elementos que possam influir mais no aspecto estético. lagos e oceanos. Quanto a utilização. A qualidade desejada para determinado recurso hídrico vai depender dos usos para os quais o mesmo se destina. Existem. a irrigação e para alguns tipos de indústria. como por exemplo: o abastecimento urbano e rural. Os usos múltiplos das águas subterrâneas são: abastecimento.47 589.BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO ROOSEVELT N. leitos de rios.836. 1991 e Setti. de modo a permitir o seu mais amplo aproveitamento. como os esportes náuticos e piscicultura. assim.

Costa Marques. reservatórios ou dos aqüíferos.bacias hidrográficas. Em Rondônia a CAERD (Companhia de Água e Esgotos de Rondônia) é a empresa que coordena o planejamento. Novo Horizonte. Rio Crespo.000 km de extensão de rede de água.000 ligações. que deve ser entendido aqui. Cujubim. Além da água distribuída pela CAERD existem vários poços de água particulares. em vários níveis. Espigão do Oeste. USOS MÚLTIPLOS DA ÁGUA EM RONDÔNIA Consumo humano (residencial e comercial) O consumo humano constitui o uso prioritário da água. execução e exploração dos serviços públicos de saneamento básico (abastecimento de água e coleta de esgoto sanitário). Cerejeiras. Nova Londrina. O abastecimento de água potável à população pode ser obtido dos rios. A Companhia. Jaru. São Felipe. Nova Brasilândia. Santa Luzia do Oeste. para abastecimento público. Presidente Médici. a empresa conta hoje com 596 empregados. Castanheiras.745. como serviço de água e esgoto. Ariquemes. Nova Estrela. Porto Velho. Nova Esperança. Pimenta Bueno. Rondominas. 2001). Guajará-Mirim. A distribuição da água feita pela CAERD em ROndônia pode ser observada na figura 02 a seguir: .000 habitantes. sem qualquer risco de contaminação (Granziera. Rolim de Moura. Colorado do Oeste. Ji-Paraná. produz mensalmente 3. Candeias do Jamari. O abastecimento de água potável insere-se no saneamento básico. pois relaciona-se diretamente como o direito à vida. 2. deve possuir condições tais que. Montenegro. Machadinho do Oeste. Nova Colina. Cabixi. Ouro Preto do Oeste. Teixeirópolis e Urupá. Cacaulândia. Para levar água tratada e prestar seus serviços. abastece com água tratada os seguintes núcleos urbanos: Abunã. A água que se deriva dos mananciais. mediante tratamento. através de aproximadamente 75. Iata. Nova União.706m3 de água e atende a uma população de 380. Ministro Andreazza. possa ser fornecida à população nos padrões legalmente estabelecidos de potabilidade. Alto Paraíso. Nova Mamoré. Estrela de Rondônia. Novo Riachuelo.

instalada no município de pimenta Bueno. indústria de bebidas. que distribui a marca Lind’Água.0. fábrica de conservas. Em Rondônia existem várias empresas que utilizam a água para fins industrias como laticínios.7 Residencial Comercial Industrial Públicas Mistas 91. Indústria A indústria utiliza os recursos hídricos de várias formas. para o resfriamento de máquinas.. responsável por 77% das vendas de água mineral classificada como magnesiana cloretada hipotermal na fonte (análise de 1994). porém em temperatura diferente daquela em que houve a captação e também para a diluição de efluentes. indústria de couros-curtumes. A Empresa de Águas Kaiary Ltda.4 Fonte: CAERD/RO (2001) Figura 02 – Distribuição de Água pela CAERD em Rondônia . Indústria de água mineral Segundo dados da CPRM (1999) a principal empresa engarrafadora de água mineral do estado é a Indústria e Comércio de Água Mineral Pimenta Bueno Ltda. comercializando a marca Kaiary. em que a água é devolvida praticamente na mesma quantidade captada. etc. . como é o caso da indústria de bebidas. detém o restante da participação no mercado estadual.4 2.3 1. água classificada como hipotermal na fonte.2 4. que devem respeitar os padrões de lançamento estabelecidos pela legislação em vigor. frigoríficos. de Porto Velho. em seus processos produtivos: uso consuntivo. em que há consumo da água na própria produção com pequeno retorno.

Nova Brasilândia d'Oeste e Colorado d'Oeste também possuem importantes garimpos de ouro. o Rio Madeira é a principal via de transporte da Amazônia. conteiners. servindo de escoamento da produção através do Porto de Porto Velho. milho. Esta garimpagem é feita por intermédio de balsas e dragas.Mineração A atividade garimpeira desenvolve-se principalmente. madeira. onde é local de lazer e turismo. e Guayara- . e nas laterais do rio. É bastante intensa a navegação de travessia de passageiros entre Guajará-Mirim (Brasil) Merim (Bolívia). Também é utilizado como via de navegação para acesso a outras regiões do país. nas bacias do rio Madeira. açúcar. Com a entrada em operação do Terminal Graneleiro de Porto Velho são transportados todos os anos toneladas de soja e outros grãos provenientes das plantações do Centro-Oeste. Navegação Fluvial A navegação consiste em uso de recurso hídrico para o transporte fluvial . materiais de construção. Locais como Serra Sem-Calça. A areia é geralmente extraída de rios por intermédio de dragas. Segundo dados da SOPH (Sociedade de Portos e Hidrovias de Rondônia-2001) a hidrovia do Madeira movimenta cerca 4 milhões de toneladas de carga anualmente. O Rio Mamoré e seu afluente Guaporé são rios navegáveis a partir de Guajará-Mirim seguindo em direção ao Estado do Mato Grosso. bacia do rio Roosevelt o diamante e cassiterita no garimpo Bom Futuro sendo que a atividade de mineração em Rondônia é intensa. quando demandar a manutenção de vazões mínimas em cursos d´água. derivados de petróleo e bebidas em geral. Depois do Amazonas. As principais são cimento. Arapapá. arroz. As argilas para a fabricação de telhas e tijolos são geralmente extraídas por escavadeiras e ainda são beneficiadas em olarias. Vagalume. com a retirada do ouro. regiões de Rondônia e do Amazonas com influência na hidrovia. Os dois rios servem de fronteira entre o Brasil e a Bolívia. através de um processo denominado “desmonte hidráulico” (bombas de pressão que produzem fortes jatos d'água) assim como com tratores de esteira.

. sendo uma das maiores reservas de produção pesqueira do Estado e local de turismo ecológico. com acesso através do Rio Madeira. Fonte: Sérgio Ramos/www. rural e contribui com grande quantidade de pescado. chegou em Rondônia via Rio Madeira. lazer e turismo. além de servir como meio de recreação.talentosbrasil. dos mais diversos tamanhos e anualmente é palco de tradicional campeonato de pesca . Anualmente é feito campeonato de pesca na cachoeira do Teotônio localizada no Rio Madeira. localizada a 150 Km de Porto Velho. Um exemplo de importância histórica do Rio madeira ainda pode ser observado na “Estrada de Ferro Madeira-Mamoré” construída entre 1907 e 1912 para ligar Porto Velho a Guajará-Mirim (na fronteira boliviana) destinada a servir de via de escoamento da produção da borracha boliviana ao Porto Fluvial de Manaus.Por do sol no Rio Madeira-Porto Velho RO. no distrito de Fortaleza do Abunã. município de Porto Velho.com. O Lago do Cuniã faz parte da Estação Ecológica do Cuniã. Todo o material destinado à construção da EFMM. Nas áreas de lazer e turismo merece destaque o tradicional “Festival de praia” que é realizado no Rio Abunã. apresenta grande variedade de peixes. que também serviu de rota para os bandeirantes que vieram para esta região.br Turismo e Lazer O Rio Madeira é fonte para abastecimento urbano. inclusive vagões e locomotivas.

Segundo dados da ELETRONORTE (2000) o potencial hidrelétrico inventariado/projetado nas bacias hidrográficas de Rondônia é da ordem de 16. Os enormes blocos de pedras para construí-lo. localizado na área central do estado banha a maior parte dos municípios de Rondônia e seus afluentes. O Real Forte Príncipe da Beira é o maior monumento histórico da região.120 mw correspondendo aos dados abaixo: . localizado na margem direita do Rio Guaporé no município de Costa Marques. O Rio Machado. Nessas localidades também são realizados festivais anuais de praia. Vista aérea do Forte Príncipe da Beira em Costa Marques –RO. além de servir como fonte de irrigação de áreas agrícolas é também utilizado para lazer e turismo.No Rio Guaporé. Geração de Energia Elétrica O aproveitamento de recursos hídricos para a geração de energia elétrica é a principal forma de utilização não consuntiva da água. os municípios de Pimenteiras e Costa Marques aparecem como local de lazer e turismo. bem como seus canhões seculares foram transportados até ali via fluvial. Os rios de Rondônia possuem um importante potencial hidroenergético.

A UHE Samuel contribui com (34 %). município de Candeias do Jamari se encontra a UHE (usina hidrelétrica) de Samuel. GERAÇÃO DE ENERGIA EM RONDÔNIA . Além desta hidrelétrica existem várias PCHs (Pequenas Centrais Hidrelétricas) localizadas no interior do Estado. junto com outros sistemas de produção de energia contribui com o abastecimento de energia do município de Porto Velho e outros municípios localizados ao longo da BR 364.666 31 23 511 505 16.120 Localizada no Rio Jamari. seguida das PCHs (10 %) do total de energia gerada no estado (Figura 03).080 504 1.Tabela 03 –Potencial Hidrelétrico das Bacias Hidrográficas De Rondônia BACIA HIDROGRÁFICA BACIA DO RIO MADEIRA BACIA DO RIO GUAPORÉ BACIA DO RIO JAMARI BACIA DO RIO MACHADO BACIA DO RIO JACI-PARANÁ BACIA DO RIO CANDEIAS BACIA DO RIO ROOSEVELT BACIA DO RIO ABUNÃ TOTAL Fonte : ELETRONORTE (2000) POTÊNCIA IVENTARIADA (MW) 11.800 1. que é a mais importante hidrelétrica de Rondônia. .2001 10% PCH SAMUEL 56% 34% TÉRMICA Fonte: CERON/RO-2001 Figura 03: Geração de Energia Elétrica em Rondônia (2001).

O esgotamento dos estoques pesqueiros associado ao sistema predatório de captura e de poluição dos rios.Hidrelétrica de Samuel – Candeias do Jamari/RO. porém com perspectivas de decréscimo no curso do período 1990/2000. 6 Criação de animais no meio aquático. Aqüicultura. Piscicultura e Pesca Artesanal: O rico potencial hídrico das bacias Hidrográficas de Rondônia. além de possuir a variedade de espécies aquáticas está contribuindo para a implantação da crescente aquicultura 6 em quase todos os municípios do Estado de Rondônia. Candeias do Jamari.Fonte : ELETRONORTE/2001. Porto Velho e Ariquemes. Pesca Artesanal Constitui-se numa das atividades econômicas de expressão dentre as atuais potencialidades do Estado de Rondônia. Piscicultura Segundo dados do CNPq/PROTA/SEPLAN/EMATER e IBAMA em 1999 existiam aproximadamente 646 piscicultores e uma produção de 1412 toneladas de pescado no estado. Pimenta Bueno. . destacando-se a produção dos municípios de Rolim de Moura.

Centro Nacional dos Quelônios da Amazônia (CENAQUA) em parceria com a Secretaria de Agricultura – SEAGRI e Fundo Mundial para a Natureza –WWF. contribuindo para a desigualdade entre a oferta do produto e seu abastecimento nos mercados locais. Existem no estado também criadores particulares de quelônios que são licenciados e orientados pelo IBAMA nesta atividade. Irrigação e pecuária Os agricultores são importantes usuários dos recursos hídricos através de irrigação de suas culturas. .ocasionou retração na demanda e consumo de pescado. Agricultura.Fonte: ELETRONORTE Projeto Quelônios da Amazônia Em Costa Marques e Pimenteiras existe um projeto de criação de quelônios (tartarugas e tracajás) executado pelo Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis – IBAMA/RO. sendo que a pecuária utiliza a água para dessedentação dos animais. uso considerado prioritário em caso de escassez . O fenômeno da piracema –Rio Madeira –Porto Velho . O projeto Quelônios tem por objetivo reestabelecer as populações de tartaruga e tracajás no Rio Guaporé e desenvolver técnicas que permitam explorar racionalmente essas espécies através de criação em cativeiro.

00 ha) BANCO DA AMAZÔNIA S/A .00 105.00 100.Quanto às águas destinadas à irrigação são considerados os tipos de culturas a serem irrigadas.00 40.00 15.00 519.00 4.00 100.00 200. Ministro Mário Andreazza (150.25 IV SUB-TOTAL (IV) V SUB-TOTAL (V) VI SUB-TOTAL (VI) VII SUB-TOTAL (VII) VIII SUB-TOTAL (VIII) TOTAL GERAL Fonte : BANCO DA AMAZÔNIA S/A . Rolim de Moura (3.00 135.00 40.00 10.00 ha) e Espigão do Oeste (100.600.00 84.no Estado de Rondônia: MICRORREGIÃO III SUB-TOTAL (III) JI-PARANÁ JARU NOVA UNIÃO OURO PRETO DO OESTE PRESIDENTE MÉDICI URUPÁ VALE DO PARAÍSO NOVA COLINA NOVA LONDRINA ALVORADA DO OESTE NOVA BRASILÂNDIA SÃO MIGUEL GUAPORÉ SERINGUEIRAS CACOAL MINISTRO ANDREAZZA ALTA FLORESTA CASTANHEIRAS ESPIGÃO DO OESTE NOVO HORIZONTE ROLIM DE MOURA PRIMAVERA DE RO SÃO FELIPE COLORADO DO OESTE MUNICÍPIOS/DISTRITOS DE ABRANGÊNCIA ARIQUEMES ALTO PARAÍSO MACHADINHO MONTE NEGRO ÁREA (ha) 20.00 40.00 5.00 ha).25 10.00 3.691.00 ha ).25 5. Vale do Paraíso (200. sendo elas alimentícias. Tabela 04 – Demonstrativo de Lavoura de Café Irrigada por Microrregião.00 40.00 110.00 40.336.00 40.336.00 100.00 70.00 20.00 3. produtoras de frutas e verduras cruas ou alimentos que se desenvolvem rente ao solo. Ji-Paraná (100.00 300.00 ha). No interior do estado alguns municípios estão utilizando a irrigação como forma de melhorar a produção das plantações de café.00 150. EMATER (2000) . EMATER (MAIO 2000) .00 20.00 15.00 60. Destacam-se os municípios de Cacoal.00 50.00 20.00 20.

enxofre. A Lei Estadual de Recursos Hídricos apresentará uma organização administrativa para o setor. sem o uso do solo). Destaca-se o . Plantação de alface -Candeias do Jamari-RO Fonte: Sérgio Ramos/www. nitrogênio. CONSIDERAÇÕES FINAIS Verifica-se a necessidade de uma adequada Gestão das Águas. magnésio. que contemple a compatibilização das disponibilidades hídricas. potássio. sendo necessário o acompanhamento técnico para evitar alterações significativas no meio ambiente. de forma a dirimir conflitos e impactos decorrentes do uso do solo e das águas nas respectivas bacias hidrográficas.Salienta-se que a irrigação consome água. O solo é substituído por água rica em nutrientes (fósforo.). etc.com. em quantidade e qualidade com as demandas apresentadas pelos diferentes usos.br Hidroponia Está ganhando mercado em Rondônia a técnica de hidroponia (cultivo de plantas como hortaliças. Salienta-se que sendo compartilhada. cálcio.talentosbrasil. a gestão dos recursos hídricos será mais eficaz.

GRANZIERA M. Brasília. _______..433 de janeiro de 1997: Política Nacional de Recursos Hídricos. & NETTO O. A . 1997. A Gestão da Água no Brasil: Uma primeira Avaliação da Situação Atual e das Perspectivas para 2025. A. Fundamentos para Gestão de Recursos Hídricos ABRH.2001. 2001. Programa de Águas Subterrâneas. www.talentosbrasil.GOVERNO DE RONDÔNIA/MMA. Ministério do Meio Ambiente. . DF. 1999. 1996. Ministério da Agricultura. S. Ministério da Agricultura. E. BRASIL. A água e o homem .1999.) São Paulo . Al. M. TUCCI C.1987 BRANCO. In: Hidrologia Ambiental. Brasília: IBAMA . Brasco (et. Edusp: ABRH 1991. Secretaria de Recursos Hídricos. A Necessidade do uso Sustentável dos Recursos Hídricos . Brasília.) Rubem La Lama Porto (org. _______. T. F. M. C. Informações de BARTH.A. São Paulo.com.MME -MMA/SRH. CREA/RONDÔNIA. SETTI . de M. ANA-Agência Nacional de Águas. Ministério do Meio Ambiente. Disciplina Jurídica de Águas Doces. Brasília-DF. Samuel M.Editora Atlas S. O Estado das Águas no Brasil –1999 . L. Coordenação Nacional do PNMH. OMM Brasília.Perspectivas de Gestão e Recursos Hídricos . Lei nº 9. Manual Operativo.papel de cada usuário (cidadão ou instituição) como agente multiplicador do Movimento de Cidadania pelas Águas. São Paulo. Programa Nacional de Microbacias Hidrográficas. : Direito de Águas . Brasília: SRH/MMA.br 8 de . Bacias e Sub-bacias Hidrográficas do Estado de Rondônia. 1987. 2001. HESPANHOL I. DF. Secretaria de Recursos Hídricos.Secretaria dos Recursos Hídricos. BIBLIOGRAFIA: ANEEL. M.