Cadências harmônicas

Cadência, na teoria musical ocidental, é uma sequencia particular de intervalos, ou acordes que finalizam uma frase, seção ou obra musical. Cadências dão às frases um final próprio, que pode, por exemplo, sugerir ao ouvinte se a peça continuará ou se concluiu. Uma analogia pode ser feita em relação à pontuação, com algumas cadências mais fracas funcionando como vírgulas, indicando uma pausa ou descanso momentâneo, enquanto que uma cadência mais forte irá atuar como o ponto, indicando o final de uma frase ou sentença musical. Na teoria harmônica tonal, a cadência propriamente dita são os dois últimos acordes da frase ou da sentença. Quatro são os tipos mais comuns:       Cadência Perfeita; Cadência Plagal Cadência Imperfeita Cadencia de Picarda. Cadência á Dominante Cadência Interrompida deceptiva ou de engano;

Cadências conclusivas
Cadência Perfeita De dominante (V) para tônica (I) Também é conhecida como ponto final ou cadência autêntica. É a cadência básica de conclusão de uma música, dando, a quem escuta, a sensação de finalização da frase. É formada pelos acordes de dominante (V) e tônica (I). Exemplo na tonalidade de Dó Maior: Sol – Dó

Cadência Plagal subdominante (IV) para tônica (I) A cadência plagal é conhecida como a cadência do amém, por ser utilizada para harmonizar esta palavra no final dos hinos. É formada pelos acordes de subdominante (IV) e tônica (I). Exemplo na tonalidade de Lá menor: Ré – Lá

Cadência Imperfeita A Cadência Imperfeita acontece quando um ou ambos os acordes da Cadência Perfeita (V e I) estão invertidos ou ainda no caso de VII - I , O peso desta resolução é bem menor e mais discreto comparado a Cadência Perfeita. Cadência Picarda A Cadência Picarda ou Cadência Picardia é característica das tonalidades menores. A resolução é feita dominante - tónica, sendo o acorde da tônica Maior. Exemplo: Algumas obras do período clássico e posteriores começam tipicamente em tom menor e terminam em maior, ou pelo menos num acorde maior. Se o tema musical está na tonalidade de Dó menor, seu acorde final, isto é, sua "resolução final", será feita pelo acorde tônico da mesma tonalidade, porém maior , logo, esse acorde final será o acorde de Do maior. Desta cadência provém o termo "Terceira Picarda" "Terça Picarda" ou "Terça de Picardia", que é a prática de terminar os temas com a terça maior (acorde maior) ao invés de menor (no modo menor). A palavra "Picardia", neste sentido, significa travessura, pelo fato de substituirem a terça menor do acorde tônico da tonalidade(menor)por uma terça maior.

Interrompida Modulante: Quanto o acorde sucessor da dominante (V) não faz parte da tonalidade da música. A cadência interrompida pode ser denominada como Diatônica ou Modulante: Interrompida Diatônica: Quando o acorde sucessor da dominante (V) faz parte da tonalidade da música que está sendo tocada. Cadência Interrompida A cadência interrompida também pode receber o nome de deceptiva ou de engano. Esta cadência deixa a sensação de que a música está sendo interrompida.Cadências não conclusivas Cadência à Dominante Também chamada de meia cadência ou ponto de continuação ou cadência suspensiva. pois o compositor cria a expectativa de resolver a frase em uma cadência perfeita (V . Com o efeito similar ao de uma vírgula. mas. Ela é construída ao se colocar praticamente qualquer acorde diatônico.I). concluindo no acorde de Dominante (V). no entanto. não finaliza com o acorde da tônica. mais frequentemente o de tônica (I). . mas sim com qualquer outro acorde. Está cadência é usada em caso de empréstimos modais e modulações definitivas. supertônica (II) ou subdominante (IV).