You are on page 1of 67

CEFET/RJ - Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca

Engenharia Mecânica: Dinâmica

Prof. José Antonio Sumam

DIREITOS RESERVADOS

1

Engenharia Mecânica: Dinâmica
Cinética de Partículas: Trabalho e Energia

2

Conceitos básicos

 Trabalho, energia e potência são grandezas escalares.

3

 A unidade básica de trabalho.Conceitos básicos  Trabalho sobre uma partícula é uma medida do efeito de uma força sobre a partícula ao ser deslocada.m 4 .  1 J = 1N. é chamada joule (J). no SI.

Partícula sujeita à força F ao movimentar-se ao longo da trajetória C. 5 .

Partícula sujeita a uma força variando em módulo e direção conforme se move ao longo da trajetória. 6 .

Representação de trabalho como área sob o gráfico força-deslocamento.
7

Conceitos básicos
 Trabalho realizado sobre uma partícula por uma força é positivo se a força tem uma componente no sentido do deslocamento da partícula.  Trabalho é negativo se a força tem uma componente oposta ao sentido do deslocamento.  Trabalho é zero se a força é perpendicular ao deslocamento.
8

Conceitos básicos
O trabalho realizado sobre uma partícula pela força da gravidade é igual ao peso do corpo multiplicado pela variação na altura do centro de gravidade do corpo. Se o corpo é abaixado, o trabalho da gravidade é positivo; se ele é levantado, o trabalho da gravidade é negativo.
9

Trabalho da força gravitacional (peso) 10 .

Trabalho da força de uma mola Fm Fm 11 .

Trabalho da força de uma mola U1-2 12 .

Trabalho da força de uma mola 13 .

* *A energia cinética é sempre positiva. 14 .Energia Cinética  A energia cinética de uma partícula é a metade do produto da sua massa pelo quadrado da sua velocidade. mas. É medida em joules [J]. sua variação pode ser negativa.

U1→2 = T2 – T1 U1→2 = ∆T T1 + U1→2 = T2 15 .Princípio do Trabalho e Energia  O trabalho total realizado sobre uma partícula é igual à variação na sua energia cinética.

P = dU/dt P = F.Potência  Potência é a taxa de variação do trabalho realizado em relação ao tempo. 16 .dr/dt P = F.v * 1 W = 1 J/s * v é a velocidade do ponto em que F é aplicada.

v 17 .P = F.

Ps e = Ps / Pe * perdas *É sempre < 1 ou < 100% 18 .Eficiência ou rendimento  Eficiência mecânica de uma máquina é a razão entre a potência útil de saída da máquina e a potência de entrada fornecida à máquina. perdas Pe Maq.

Exemplo 1a 19 .

Exemplo 1b 20 .

Exemplo 2a 21 .

Exemplo 2b 22 .

Exemplo 2c 23 .

Exemplo 2d 24 .

Exemplo 2e 25 .

Exemplo 2f 26 .

Exemplo 3 27 .

Exemplo 4 28 .

Exemplo 5 29 .

30 . este é não conservativo. Se o atrito atua sobre um sistema.Conceitos básicos O trabalho gasto em um sistema conservativo é recuperável.

Sistema conservativo. 31 . movimento em um campo gravitacional.

32 .Sistema conservativo.

Sistema não conservativo. 33 . deslizamento em superfície áspera.

34 .Conceitos básicos O trabalho de uma força conservativa não depende do caminho percorrido pelo sistema. O trabalho de uma força não conservativa depende do caminho percorrido pelo sistema.

Conceitos básicos A energia mecânica total de um sistema conservativo é constante durante qualquer movimento do sistema. 35 .

Conceitos básicos O trabalho realizado sobre um sistema conservativo. 36 . Energia potencial representa a capacidade de um sistema realizar trabalho. para movimentá-lo de uma posição para outra. é armazenado como energia potencial no sistema.

Conceitos básicos Energia potencial gravitacional é positiva ou negativa. conforme o corpo esteja acima ou abaixo do nível de referência adotado. 37 .

38 .

39 .Conceitos básicos Energia potencial elástica é sempre positiva.

40 .

41 . conforme se movimente de uma posição para outra.Conceitos básicos O trabalho de forças não conservativas produz uma variação equivalente na energia mecânica de um corpo.

Exemplo 6a 42 .

Exemplo 6b 43 .

Exemplo 6c 44 .

Exemplo 7a Cabos inextensíveis 45 .

Exemplo 7b Cabos inextensíveis 46 .

Exemplo 7c Cabos inextensíveis 47 .

Exemplo 7d Cabos inextensíveis 48 .

Exemplo 8a 49* .

Exemplo 8b 50 F .

• μd = 0.3. 51 . Pede-se: vB .Exemplo resolvido 1 Dados: • m = 50 kg. • vA = 4 m/s.

: vB = 3.Exemplo resolvido 1 Solução: Resp.15 m/s 52 .

28 entre caixote e carroceria. • A parte do repouso. 53 . • vA = 72 km/h após 75 m. • Aceleração constante.3 e μd = 0. • μe = 0.Exemplo resolvido 2 Dados: • mB = 80 kg. Pede-se: Trabalho da força de atrito em 75 m.

Exemplo resolvido 2 Solução: DCL do caixote: Se caixote não desliza. sua aceleração é igual à do caminhão: Força de atrito: Força de atrito máxima: Resp.0 kJ 54 .: U1→2 = 16.

55 . • Bloco parte do repouso.233 m.Exemplo resolvido 3 Dados: • Bloco m = 50 kg. Pede-se: Velocidade do bloco em B. • Força de 300 N constante. • Mola estendida em A com x1 = 0. • k = 80 N/m.

Exemplo resolvido 3 Solução: Trabalho da força da mola: Resp.0 m/s 56 .: vB = 2.

• Plano inclinado de 30º. 1 HP = 550 lbf. Pede-se: (a) μd. • Velocidade constante. • Guincho A desenvolve 6 hp.Exemplo resolvido 4 Dados: • Peso P = 800 lbf. (b) Aceleração da carga se a potência do guincho aumenta subitamente para 8 hp.pé/s 57 .

Exemplo resolvido 4 Solução: (a) Cálculo do coeficiente de atrito: (1) Potência e força de tração: (2) (2) em (1): continua 58 .

61.Exemplo resolvido 4 Solução: (b) Ao aumentar a potência para 8 hp: E a aceleração atinge: Resp.07 m/s2 59 .: (a) μd = 0. (b) a = 11.

• k = 60 N/m. • Atrito desprezível. Pede-se: 1 2 Velocidade do cursor ao passar no ponto C. x1 = 0. • Força de 250 N constante.6 m.Exemplo resolvido 5 Dados: • Cursor com massa = 10 kg. partindo do repouso. 60 .

o ponto de aplicação da força percorre a distância: E seu trabalho é: continua: 61 . 1 é o trabalho das forças não gravitacionais e elásticas. Enquanto o cursor desloca-se de A para C.Exemplo resolvido 5 Solução: Equação aplicável: 2 onde.

1 2 Substituindo na equação inicial: Resp.R.: v = 0.97 m/s 62 . gravitacional e elástica: N.Exemplo resolvido 5 Solução: Cálculo das variações de energias cinética.

25x2) ft Pede-se: Velocidade ao passar em B e Força normal em B.Exemplo resolvido 6 Dados: • Cursor com peso = 5 lb • Comprimento normal mola = 4 ft • Coeficiente mola k = 10 lb/ft • Cursor com vA = 5 ft/s • Trajetória y = (16 – 0. 63 .

Exemplo resolvido 6 Solução: continua: 64 .

Exemplo resolvido 6 Solução: Resp.4 lb 65 .: vA = 150 ft/s. N = 62.

Exemplo resolvido 7 Dados: • Massa total elevador = 400 kg • Massa contrapeso C = 60 kg • Eficiência motor ε = 0. 66 .6 Pede-se: Potência a ser fornecida ao motor para o elevador subir com velocidade constante de 4 m/s.

2 kW 67 .Exemplo resolvido 7 Solução: Resp.: Pe = 22.