You are on page 1of 12

McGREW, W. The cultured chimpanzee: reflections on cultural primatology. Cambridge, 2004, p.

262 Introduction O autor se deparou com o que ele chama de: diversidade comportamental em chimpanzés, aparentemente ao nível de populações. Todas as explicações das ciências naturais para variações fenotípicas que estavam disponíveis na época, não pareciam suficientes para explicar o que os chimpanzés estavam fazendo. Precisávamos olhar em campos mais longínquos e a alternativa óbvia era as Ciências Sociais. (p. 3) Homo sapiens é único. Assim como qualquer outra espécie. A singularidade de uma espécie não nos impede de usar métodos comparativos para empreender, por exemplo, imunologia ou para elucidar um fenômeno como lactação em nossas relações vivas mais próximas. Pesquisas sobre vacinas e transfusão de sangue são feitas porque entendemos que somos espécies muito próximas e compartilhamos muitos traços. (p. 7) Os humanos são considerados únicos pois pilotam aviões, fazem cálculos e comemoraram o dia de São Valentino. Mas, nem todos os seres humanos fazem isso (p. 7) e, mesmo assim não são considerados menos humanos. Os autistas sem linguagem não têm sua humanidade negada porque falharam no teste de competência linguística. ( p. 8) A verdadeira medida da singularidade da espécie humana é saber qual (se houver algum) de seus traços universais são qualitativamente diferentes (em tipo) dos traços universais do chimpanzé. (p. 8) Não se pode julgar se os comportamentos de primatas não humanos são ou não ritualísticos ou simbólicos porque um rito é uma ideia e não uma ação. (p. 11) Como não se pode perguntar a um primata porquê ele faz isso ou aquilo e obter uma resposta, temos que acreditar no que é possível assistir e desacreditar no que pode estar por trás daquilo. "Ausência de evidência não é evidência de ausência." Estudar cultura em qualquer espécie não é fácil, mas primatólogos culturais e antropólogos culturais têm o suficiente em comum para ajudar um ao outro. (p. 12) 2. Definition Não há um consenso na definição de cultura nem mesmo na antropologia que inventou o termo. O principal assunto do livro é: a perspectiva de que cultura como a humana exista em espécies não humanas. (p. 15) Definição de cultura por Tylor: 1 - cultura enquanto entidade (todo complexo); 2 - cultura enquanto conteúdo (conhecimento, crença, etc.); 3 - cultura enquanto coletividade (membro de uma sociedade). Os essenciais da cultura: (p. 21)

(p. contado. não há mudança no gene) restrito e aprendido (soft-wired). etc.) ou biótico (plantas. (p. Mas. mas é difícil de saber se isso é assim por mais tempo.Cultura é aprendida: ou seja. chuva.A MANEIRA: refere-se à forma no comportamento ou artefato que esteja padronizado ou mesmo estilizado. TAREFA: falsificar qualquer uma das premissas ou ENCONTRAR CULTURA EM UMA ESPÉCIE NÃO HUMANA E NÃO LINGUÍSTICA. tribo ou nação.FAZER COISAS: refere-se às ações. 4 . 29) 3. é possível dizer que esta manifestação indique que chimpanzés têm noção de NÓS e ELES. 3 . medido. logo. NÓS e ELES. Disciplines Assim como a língua envolve mais do que linguistas e inteligência envolve mais do que psicrométricos. enquanto oposição às alternativas de outras formas ou a falta de uma forma. inata (hard-wired) apesar da capacidade ser inata. Ela é aprendida de outros membros da mesma espécie e não do ambiente abiótico (sol.). ou seja.1 . isto é. não é adquirido solitariamente ou por tentativa e erro ou por ideias complexas individuais. (p. ao invés de meramente comportamento individual feito paralelamente aos outros. enquanto nossa maneira de fazer coisas diferencia-nos da maneira que outros fazem coisas. assim. aos atos ou objetos que são socialmente significativos. comportamento que pode ser registrado. não é instintiva. etc. DEFINIÇÃO DE CULTURA DE McGREW: (p. Diversidade é igual a cultura. sua expressão não é plástica ou aleatória. ar. 24) HIPÓTESE DO AUTOR: linguagem e cultura são intrínsecos e apenas seres humanos têm linguagem. 4 .NÓS: refere-se à coletividade. nenhum não-humano é cultural. 3 . 25) The way we do things . Uma vez que o encontro entre duas comunidades de chimpanzés se mostram muito violentas.Cultura é normativa: ou seja. mas sim é característica de um grupo natural. 31) . mas sim é limitada no tempo e no espaço de forma que o incomum destaca-se contra o comum.Cultura é aprendido socialmente: ou seja. através de interação significativa. cruza disciplinas. não é idiossincrática. animas etc. 2 . 22) Cultura humana é acumulada mais rapidamente do que a cultura de outra espécie. ela não é necessariamente interdisciplinar.A MANEIRA COMO NÓS FAZEMOS AS COISAS: Esta frase captura 4 características que se presentes em uma criatura o qualifica enquanto cultural: 1 . (p. no nível de comunidade.Cultura é coletiva: ou seja. a cultura é um fenômeno que desafia as fronteiras impostas pelo acadêmicos e. 2 . epigenticamente (estável durante as várias divisões celulares.The way we do things: é referente à fonte de uma sensação de identidade. geneticamente determinada e mecânica. ou seja.

abordando questões da História. (p. Zoologia: Questões sobre POR QUE? . 41): IMITAÇÃO VERDADEIRA: O indivíduo ingênuo aprende diretamente sobre um padrão comportamental novo de outro indivíduo que o realiza na presença do aprendiz. (p. 43) O que distingue ENSINAR de TREINAR é TEORIA DA MENTE. Mas. sapiens vivos (P. nós humanos temos boas razões para acreditar que os processos cognitivos são a chave para entender o que faz a cultura humana diferente daquela de outras formas. assim como Memes estão para genes enquanto unidades de informação transmitidas de um indivíduo para outro. habilidade de atribuir ignorância ou conhecimento à mente do aprendiz: 'eu sei o que você sabe. 31) Antropologia: Questões sobre O QUE? . ao mesmo tempo. (p.significação).abordando assunto sobre o mecanismo.abordando assunto sobre adaptação. ENSINAR: transmissão intencional e direta de informação de um indivíduo mais informado à um indivíduo menos informado. mas está longe de ser uma condição necessária. ou não sabe'. Isto exige que o imitador armazene uma representação visual do padrão em seu cérebro e depois combine suas respostas motoras à essa representação armazenada. Visão sociobiológica para Cultura: Para ser útil. Por causa da imitação verdadeira.Quatro disciplinas lidam com o conceito de Cultura a partir de diferentes métodos e diferentes questões. ensinar pode ser uma condição suficiente para atribuir cultura. a cultura deve aprimorar a sobrevivência e a aptidão física. (p. 40) É apenas entre chimpanzés cativos que mecanismos de aprendizagem social podem ser observadas. DEFINIÇÃO DE APRENDIZAGEM SOCIAL: termo geral rerente à vários processos comportamentais que permite interações sociais para enviesar o que os indivíduos aprendem. Psicologia: Questões sobre COMO? . o que nós sabemos de diversidade cultural humana vem da antropologia cultural que não tem prestado muita atenção à tais processos. Se conhecimento é poder. (p. Implicação exigida para que o ensinar aconteça é a Teoria da Mente. 45) Teoria dos MEMES de Dawkins (1976): Evolução cultural está para evolução orgânica. isto é. então devemos explicar por que o conhecimento é .abordando questões de fenomenologia (estudo de fenômenos que busca descobrir estruturas essenciais dos atos . (p. Arqueologia: Questões sobre QUANDO? . 41) Psicólogos consideram que a possibilidade de cultura entre espécies não humanas parece estar dois fatores cognitivos que são frequentemente considerados únicos aos H. 44) Dado nossos cérebros enormes e inteligência abstrata.

apesar de estar em um habitat diferente. Chineses na Indonésia. A partir destes fundamentos. ter sido bem sucedido no processo evolutivo é acabar com os free-riders. peixes e roedores. então o aprendizado social e não ambiental é a influência provável. de tempo e riscos. 52) VARIABILIDADE É CULTURA. Logo. DEFINIÇÃO DE CULTURA PARA LALAND & HOPPIC (2003): Culturas são aqueles padrões de comportamento de um grupo-típico compartilhados pelos membros da comunidade que confiam nas informações aprendidas e transmitidas socialmente. OS ALUNOS PODE FORMULAR SEUS PRÓPRIOS TERMOS DESDE QUE ELES SEJAM EXPLÍCITOS. 53) Candidatos à seres que têm habilidade para aprender (uma vez que aprendizado social é igual cultura): Polvo mediterrâneo: (responde corretamente quando vê outro polvo ter uma experiência ruim) . e apenas em cativeiro. fatores ambientais poderiam explicar isso. (p. MAS SIM. então um segundo experimento é necessário. Indianos em Trinidad. (p. por exemplo: os Amish na América do Norte. Se cada um permanecer fiel aos seus padrões comportamentais estabelecidos. apenas o primeiro experimento pode ser observado entre humanos. etc. Estes experimentos foram feitos apenas com pássaros. (p. Creatures other than primates Proposta de Laland e Hoppit (2003) de experimento para testar evidência de cultura separando seres culturados de aculturados: PRIMEIRO EXPERIMENTO: indivíduos de diferentes populações são trocados entre eles. Libaneses na África. 48) 4. A resposta para um o ensino. sapiens é fraca pois. Mas. 51) A antropologia nunca impôs condições rígidas para a cultura. E não é possível observar o segundo experimento em qualquer época da história. cada um agora ocupando a primeira casa do anterior. traço evolutivo que gera gastos de energia. conceitualmente ou operacionalmente. Se o comportamento dos visitantes mudar para equiparar-se com o dos novos hóspedes. COMPREENSÍVEIS E CLAROS. então diferenças genéticas não podem contar como resultante de convergência comportamental. (p. Antropólogos não conseguem nem mesmo chegar a uma única definição para a cultura.compartilhado. ALUNOS DA PRIMATOLOGIA CULTURAL NÃO PRECISAM SE PREOCUPAR EM PROCURAR UM CONSENSO. SEGUNDO EXPERIMENTO: duas populações são totalmente intercambiadas no espaço. a evidência de cultura em H.

55) para modificar suas próprias estratégias para esconder comida.duas técnicas são usadas .Formigas sociais: (trabalham e times para achar e recolher alimento . Primates . parece que temos que confrontar adaptação comportamental por uma única espécie que não é boa em apenas um único aspecto de aprendizagem social. ou seja. que poderia ser confundido com cultura humana. golfinhos demonstram adaptações comportamentais que excedem a todos os outros não humanos: eles demonstram super coalizão. (p. alianças de alianças entre os machos e incomparável comunicação vocal. Eles usam rotas para forrageios diários e tradicionais que dependem de aprendizagem social. (p. escolha de parceiros sexuais. (p. Outras lontras na costa do pacífico no Alasca não fazem isso. 61) Não há nada no aprendizado social de não primatas. Além disso. Experiência com Condores da Califórnia que estavam quase extintos e foram colocados em cativeiro para aumentar seu número na natureza. Novamente. Logo. golfinhos em lagoas da Austrália dão luz à algumas questões. (p. Também têm locais para acasalamento que permanecem constante por gerações e substituições experimentais não alteram o apego ao local. aprendizagem social pode ser diádica. 62) 5. aqueles que foram criados juntos com condores mais velhos e que haviam sido criados em seu habitat natural tiveram mais sorte quando foram soltos. 58) Discussão: Variações ocorrem de uma espécie para outra e não dentro delas. 55) Pássaros: aprender o canto em passeriformes e também usam o conhecimento obtido depois de terem sido ladrões de comida estocada de outros passarinhos (p. Cetáceos: golfinhos e baleias são difíceis de pesquisar. Por esse viés. 54) Evidências para cultura em peixes vem de recifes de corais como habitat estáveis com residentes de longos períodos. 60) Cultura é coletiva mas. migração e orientação. eavesdropping (comunicação com outros animais através de observar a mudança de comportamento de co-específicos). forrageio. (p.criação cruzada demonstrou aprendizagem intergeracional. Eles têm uma forma de organização social de fissão-fusão (grandes grupo que de subdividem e se comunicam). Mais sorte ainda tiveram aqueles que foram soltos juntamente com condores mais velhos. (p.aprendem a coordenar ações para encontrar o caminho de volta pra casa) Peixes: antipredação (camuflagem. Aqueles pássaros que foram criados por humanos e depois colocados na natureza morreram mas. imitar características do ambiente). apensar de maravilhoso e impressionante. 56) Ou seja. os golfinhos parecem com os chimpanzés. coletar dados e não se pode mantê-los em cativeiro para esses fins. (p. 57) Mamíferos: aprendizagem social para extrair sementes . Muitos dos exemplos de candidatos à cultura demonstram aprendizagem social que poderiam se apenas transmissões de um-para-um. produzindo uma convergência aquática-terrestrial conveniente. (p. eles reajustam seu comportamento agora sob a luz da experiência para evitar ter sua comida tomada por outros. 57) Lontras na Califórnia são famosas por esmagar moluscos em pedras bigornas equilibradas em seus peitos. (p.

Muitas vezes.é comum. 5 . 7 . Demonstram capacidade para resolver problemas e facilidade em adquirir sistemas humanos de comunicação. 3 . Todas as 4 espécies demonstram similar habilidade em auto-reconhecimento no espelho. ou seja. (p. gorilas. demonstrada por vários indivíduos. 2 . 82) Variante de comportamento pode ser considerado tradição quando: de acordo com Perry 2003 (p. observado em um local uma única vez. ou por gestos ou por computador. 6 . e essa observação acaba por ser generalizada como se acontecesse com todos os membros de um grupo ou até mesmo espécie. ou seja. (p. 77) É mai difícil olhar para tradições em termos de transmissão intergeracional quando uma espécie não reproduz até sua segunda década de vida! Note que difusão está ausente nas quatro populações uma vez que nenhuma delas tem registrado um padrão de comportamento que tenha se espalhado de um grupo para outro. 2 . 4 . 72) Falta de dados em Bonobos e Gorilas selvagens (p. Mais de dois terços de citações sobre anedotas (acontecimentos raros) em primatologia estão incorretas. 82) 1 .As 4 espécies de grandes primatas . 81) 1 . orangotangos e chimpanzés demonstram um alto nível de inteligência quando testados em CATIVEIRO.ocorrer pelo menos uma vez a cada 100 horas de observação.mostrar variação intergrupo. o uso de uma ferramenta foi feita por um macaco. persiste através de gerações. .é socialmente aprendido.van Schaik 2003 (p. (p. ou seja.é durável. capacidade relacionadas à uso de ferramentas (p.de acordo com . (isso não pode nunca ser preenchido na natureza por padrões experimentais mas.durar pelo menos 6 meses.aumentar em número de agentes com o tempo.bonobos.mostrar variação intragrupo. 72 e 73) Em primatologia acontecem generalizações incorretamente. pode ser deduzido por meios indireto). 71) Apesar disso. 3 . (p.ser conduzido na transmissão pelo contexto social.ser realizada por pelo menos 3 indivíduos. apenas o chimpanzé demonstra evidências convincentes de cultura em questões material e social. geralmente através de supergeneralizações. mantido pelo social de alguma forma. 81) Variante de comportamento pode ser considerado tradição quando: .

Ingold dá boas vindas àqueles que estudam não humano e querem fazer tal trabalho.grupo-típico. ou seja.compartilhado. (p. Tradição é mantida através da transmissão de cultura do velho para o jovem. 100) Tudo o que podemos fazer com ambas as espécies é desenhar a mais forte dedução possível em qualquer caso dado. gestos ou posturas. 83) 1 . 6. mesmo comportamento mostrado pelos interagentes. nós podemos refinar supostas relações entre variáveis. ou seja.transmissão de informação social. mostrado pela maioria do grupo. ou seja. Nós podemos derrubar premissas hipotéticas e explicitamente e responder à suas consequências. 2 . Temos para os chimpanzés provavelmente o maior número de grupos culturais disponíveis para comparações de qualquer espécie de não humanos. evidência de transmissão cultural horizontalmente em chimpanzés NA NATUREZA. Assim. Tais métodos não são menos aplicáveis para comportamentos verbais do que para não verbais. senão qualquer.Variante de comportamento pode ser considerado tradição quando: . para suas maneiras de perceber. 87) .de acordo com Laland & Hoppitt 2003: (p. (p. 99) Sobre CULTURA: As crenças de Tylor (1871) e a proposta de Ingold (2001) são estados mentais que nunca poderão ser verificadas. comportamento do indivíduo mudou por causa de exposição à outros. (p. 5 . As interações se acumulam. (p. a mente do indivíduo mudou pela exposição aos outros. uma vez que o último seja vocalização. 98) Há pouca evidência.aprendizagem social. 94) DEFINIÇÃO DE TRADIÇÃO: um corpo coletivo de conhecimentos e ações que demonstram continuidade com o passar do tempo (gerações e não alguns meses) dentro de um grupo. indivíduos mostram sinais de solidariedade em grupo. Chimpanzee ethnography Se a etnografia é essencial para o estudo da cultura humana. lembrar e organizar suas experiências e para o contexto no qual eles agem. a apropriada etnografia vai alem do mero registro de comportamentos observados para pelo menos dez tipo de deduções. começar com correlações e mover em direção à causalidade. 87) Podem ser feitas etnografias de espécies não humanas? Resposta de Ingold (p. expressões faciais. 4 . então primatólogos culturalistas devem prestar atenção.membros comunitários. (p. ou seja. 3 . mas insiste que eles devem evitar o positivismo e o reducionismo quando o fizerem. Eles são . ou seja.a etnografia deveria alcançar um entendimento que seja sensível às intenções e propósitos das pessoas e seus valores e orientações.

nem são usados para criar os filhotes ou estocar alimento. 111) . São geralmente locais para descansar uma vez no dia ou na noite. Apesar de comer carne. Chimpanzee material culture A predominância por vegetais significa que a maioria dos materiais culturais de chimpanzés é perecível.sincronia.macacos e ungulados (animais de cascos) (p. todos dividem a caça que é de macacos adultos preferencialmente Mahale: não há colaboração e os machos alfas controlam a matança e a distribuição de carne é restrita. 102) Material cultural: material padronizado de uma maneira coletiva que seja característica do grupo . etc. chimpanzés são preferencialmente herbívoros e o consumo de frutas é o mais importante em sua dieta.igualmente aplicáveis para atos evanescentes (fugazes). arquivados e reanalisados (p. como a flauta por exemplo. 116) A maneira de caçar macaco por chimpanzés varia: Gombe: chimps caçam sozinhos e preferem filhotes que se perderam da mãe Taï: caçam socialmente . 100) Tabu entre chimpanzés que não comem carne de veado. 7. como para objetos permanentes das ações. (p. Subsistência: práticas alimentares de animais: (p. (p. 105) Objetos concretos permanentes podem ser medidos.pesca-de-cupim . coordenação. 106). (p.pesca-de-formiga . 117) . Uma clara distinção entre primatas de grandes cérebros e os outros é a construção de abrigos. (p. 107) Não há nada mais previsível na vida diária de um chimpanzé do que esta sequência comportamental universal e os artefatos produzidos dela. (p.cultural.pescar formigas raivosas com as duas mãos .ant-dipping . nenhuma foi testada.108) A pergunta que ainda resta sem resposta por falta de pesquisa é: por que esses ninhos são construídos? Existem algumas hipóteses: proteção. não são fixos ou centrais.caça de vertebrados . colaboração. (p. Esses abrigos são chamados de ninhos (nests) mas. Mas. principalmente sob as condições quentes e úmidas dos trópicos. como tocar uma flauta por exemplo. evitar cair durante os sonhos.

foi verificado primeiramente décadas atrás por observadores em Mahale. Intersubjetividade ocorre quando duas pessoas interagem co-dependentemente em sequências de satisfações mútuas. se nós encontrássemos variações similares em outras áreas de vida chimpanzé.se envolvem na forma mais exótica de grooming. ou seja.quando um macho adulto mata filhotes machos de seu mesmo grupo. uma capacidade até agora restrita aos seres humanos. nós nomearíamos 'cultural'. B grooms A. Eles são mais do que comportamento cru em um indivíduo. Isso parece ser uma escolha de parceiro. (p. A grooms B e ao mesmo tempo. instituição. 149) Mas. 133) Apenas chimpanzés e bonobos . Isso ocorre em diversas populações de chimpanzés provavelmente por ser uma estratégia populacional direta de matar os descendentes de competidores ou de garantir que os machos que permanecerão em sua terra natal sejam geneticamente ligados à ele. código. brincar de esconde com um bebê. 152) Instituições entre chimpanzés: Uma instituição é um complexo de padrões que são ligados funcionalmente. isto é. por exemplo. (p. ou seja.isso pode não se encaixar nesse quesito. se envolver em coça social é demonstrar intersubjetividade. construções mentais que permitem atos dotados de significância social ou sentido. pois. Outra instituição entre os chimpanzés é o cortejar . 136) O que costume. (p. 148) Costume em chimpanzés: O grooming mãos dadas pode ser qualificado enquanto costume de acordo com a definição de Winick. um adulto macho é dominante em relação a todas as fêmeas adultas. (p. 152) A instituição mais óbvia e abrangente é a hierarquia (domínio) social.macho e fêmea sexualmente maduros se afastam do grupo durante horas ou até mesmo dias se expondo à riscos e perigos. que é a mútua. (p. rito-ritual. diferenças entre grupos vizinhos.mas não gorilas . quando afastados não estarão sujeitos ao domínio do macho alfa . Chimpanzee society O resultado de comunicação em chimpanzés é que ela é influenciada socialmente de maneira que.8. e demonstra características específicas do grupo. Por quê? Talvez porque seja uma tarefa mais exigente cognitivamente ocupando duas ações ao mesmo tempo. Logo. a matança de filhotes machos por machos adultos do próprio grupo pode ser explicável evolutivamente como costume . (p. papel-status e tabu têm em comum? Eles são normas sociais ou convenções. (p. Assim. corre o risco de matar o próprio filho. ou seja. Entre os chimpanzés. costume implica em uma percepção religiosa e supernatural . sem exceções.134) INTERSUBJETIVIDADE ENTRE CHIMPANZÉS: quem coça deve lembrar-se de ter sido coçado e que isso faz sentir bem e assim. pela segunda ordem de intencionalidade (I sei que você sabe) pode colocar-se no lugar de quem é coçado.

Isso pode levar meses. existe uma demonstração de êxtase e adrenalina quando no topo de uma cachoeira. Como as ações sobrenaturais estão implícitas. Entre os chimpanzés. um código é algo presente em alguns grupos e ausente em outros. uma por uma. violação e punição são fáceis de serem observados. 157) Papel-status entre chimpanzés: O tópico papel foi coberto anteriormente pela esplêndida divisão de trabalho praticado por chimpanzés de grupos de caça em Taï. uma vez cumprida a tarefa. Nenhuma comunidade de chimpanzés empreende a sua vida diária enquanto uma tropa. mas sim é o mais criativo ou melhor relacionado. Ao invés disso. Existem trajetórias e maneiras de como ganhar o status de alfa e como mantê-lo. (p. Os chimpanzés de . tomar uma decisão intencional de reproduzir um com o outro. 154) A patrulha é um caso especial de código típico da espécie entre chimpanzés em uma organização social: fissão-fusão. Além disso.esse casal que se afastou parece escolher. pois deve incluir coletividade ao invés de apenas a soma dos atos individuais. apesar disso ser comum para primatas não humanos. Entre chimpanzés. (p. Um pode ser considerado como condutor. Quem ganha esse papel nem sempre é o mais forte ou o maior chimpanzé. 157) Tabu entre chimpanzés: Quando uma ação é proibida e sua violação penalizada por um agente sobrenatural é tabu. 156) Inclusive sua mãe deve ser intimidada e. mas proibição e consequências sobrenaturais não. (p. chimpanzés percorrem a área em grupos que estão sempre mudando para sub-grupos. (p. partir disso. O chimpanzé não se acostuma e nem se torna indiferente às cachoeiras talvez porque seja um ritual de respeito ou abnegação ao deus água. O chimpanzé realiza impressionantes acrobacias quando está no pé de uma cachoeira mesmo quando está sozinho. (p. isto é. (p. os etólogos consideram possível deduzir do que está implícito nas atitudes incomuns de humanos assim como deduzir o que está implícito na ação incomum de um chimpanzé. imbuídos com o supernatural. (p. 153) Códigos entre chimpanzés: Uma norma é predominância estatística.sobre a fêmea e dos acasalamentos promíscuos dos machos em massa . o relacionamento deles não será o mesmo. um jovem macho parece ter que cumprir uma tarefa: ele deve dominar cada fêmea adulta. 156) E ritos de passagem? Para se tornar um membro completamente aceito entre os machos adultos de uma comunidade. este jovem tem o status de macho adulto. mas. Um código vai além da norma. armador e o agressor quase como peças num tabuleiro de xadrez. uma mistura de grupos de sexo. 155) Rito-ritual entre chimpanzés: Rito ou ritual acarreta uma sequência tradicional de atos. bloqueador. idade e parentesco de constante integridade.

176) 2 .chimpanzé que segura um graveto como se fosse um bebê boneca . (p. 166) Quem tem cultura? Presumivelmente. e holística. (p. quem sabe então qual outro tipo poderá escorregar através desta porta entreaberta? . etc. então pode ser chamado de cultura . nós devemos atribuir status cultural tanto para o extinto Homo como para a extensão Pan. relativista.Gombe têm fobia da superfície da água. Dificuldade em discutir quando a epistemologia é tão dispare. 160) 9. Aspectos essenciais da cultura: checklist Qualquer coisa tão complexa quanto a cultura ou linguagem ou inteligência deve ser encapsulado em uma lista. são considerados antiquados ou mesmo anátema na antropologia pós-moderna. (p. Lessons from cultural primatology Cultura pertence aos humanos. (p. a maior parte dos seres humanos não seriam culturais. 169) Cultura significa novas soluções para problemas antigos. (p.Muitas das ideias e métodos que a primatologia cultural está descobrindo (e em alguns casos.significado. quasi-cultura. 164) Cultura funciona de acordo com quem faz o que.primatologia cultural é quantitativa. 176) Se primatas são admitidos ao Clube da Cultura. 171) Em cativeiro e estimulados por seres humanos. reducionista enquanto a antropologia é qualitativa. (p. É difícil ser um humanista quando as fronteiras da humanidade não são claras. (p.proto-cultura. (p. eles evitam a beira do rio e do mar. 167) Se cultura fosse construir naves espaciais ou compor sinfonias ou descobrir álgebra. (p. sub-cultura. 172) Brinquedos de chimpanzé . reinventando) e desenvolvendo. 176) Enquanto primatologistas coletam dados que são analisados estatisticamente. 159) Mesmo andando dentro da floresta. (p. (p. 175) Problemas que a crescente primatologia infringe à antropologia: 1 . 163) Se o que os animais fazem é perto mas não é exatamente cultura. (p. antropólogos culturais se debruçam em discursos com O Outro ou tiram seu conhecimento de textos que podem ser qualquer coisa de literalmente transcrições de entrevistas a utensílios domésticos. primatas não humanos podem demonstrar uma grande variedade de criatividade. quando e onde. pre-cultura. positivista. um chimpanzé rodeia uma poça d'água ao invés de passar por ela. tradições podem ser deixadas para animais não humanos. se sabemos ou não como. (p.

difusão e tradição. então a espécie será levada a sério como um candidato ao Clube da Cultura. 177) . mas ela ainda se afunda na dedução. Padrões de diversidade comportamental em chimpanzés parecem ser mais como a diversidade comportamental nos humanos do que outros animais. Does cultural primatology have a future? O livro termina com um apelo para a proteção e preservação dos chimpanzés. 184) Cultura sem tradição . aprendizado social é necessário mas não é condição suficiente para a cultura. Há tradição sem cultura. (p. a linguagem é uma pista falsa (p. . curto ou longo. 184) Tradição não pode ser confundida com cultura.memes? Tradição leva tempo. explica nada. e cultura sem tradição. se é pra ter algum significado. padronização. (p. durabilidade. 186) DEFINIÇÃO DE ENSINAR: quando um indivíduo com conhecimento (tutor) age de forma a melhorar a compreensão de ações de um indivíduo com menos conhecimento (pupilo). enquanto genes dependem da feliz improbabilidade da fusão de gametas mais a ontogenia bem sucedida. (p. disseminação. necessariamente faz dela cultura. assim como cultura. (p. Para os primatas não humanos é claro: cultura existe sem linguagem.Antropologia pode oferecer para a primatologia: . (p. 179) Aprendizado social não é igual cultura. Apesar de terem comunição e vocalização. (p. parece que algumas espécies realmente têm cultura sem ter linguagem. (p. 183) Mostre-me uma escola de lebistes (um tipo de peixe) com alguma coisa parecida com inovação. Logo. (p.técnicas de como lidar com dados podem ser emprestados da etnologia. ao invés disso. Há igualmente uma relação consistente entre bipedia e linguagem e cultura. mas tempo nenhum. 185) Linguagem. 186) Cultura está limitada a apenas a capacidade de ensinar e ao companheirismo. Algo que explica quase tudo. 185) É muito difícil imaginar a linguagem sem a cultura pela simples razão que todos os grupos de seres humanos possuem ambas. é maravilhosa. 187) 10.métodos etnográficos que podem ser adaptados para a primatologia (p. Tradição é comportamento aprendido que mostra continuidade através de gerações.