You are on page 1of 42

COMPANHIA DOCAS DO ESTADO DE SÃO PAULO AUTORIDADE PORTUÁRIA

TERMO DE REFERÊNCIA EXECUÇÃO DE SERVIÇOS E OBRAS DE CONSTRUÇÃO E ADEQUAÇÃO PARA ALINHAMENTO DO CAIS DE OUTEIRINHOS NO PORTO DE SANTOS

TÍTULO I - CONDIÇÕES GERAIS 1) DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Trata-se de serviços de Engenharia Civil, necessários para a execução serviços e obras de construção e adequação para alinhamento do Cais de Outeirinhos no Porto de Santos. 2) OBJETIVO DO TERMO DE REFERÊNCIA O presente "Termo de Referência" tem por objetivo o estabelecimento das normas gerais de execução das obras e serviços propostos no item um deste Título, dos requisitos de qualidade, bem como a descrição dos serviços e respectivos critérios e unidades de medição para pagamento. 3) DESCRIÇÃO DAS OBRAS O atual Cais de Outeirinhos, onde se localiza o Terminal de Passageiros do Porto de Santos, com profundidade de cais de 7,50 m, necessita de obras de realinhamento e construção de novo cais conforme desenho D-4710-300-00-001 da EXE Engenharia, numa extensão de 1320 m, em 07 trechos, indicados no mencionado desenho, aprofundando o cais para até 15,00 metros. Tais obras propiciarão uma melhor logística de navios de cruzeiros marítimos, atendimento diferenciado aos passageiros durante a Copa 2014, otimização do desempenho dos terminais localizados na região e melhoria da operação das embarcações da Marinha do Brasil. A ampliação será realizada em uma área a ser construída de, aproximadamente, 27.000 m². Este alinhamento permitirá um maior aproveitamento do Porto, havendo maiores
TR Página 1 de 42

COMPANHIA DOCAS DO ESTADO DE SÃO PAULO AUTORIDADE PORTUÁRIA

combinações de atracações de navios, tanto de passageiros quanto de carga geral, modernizando assim um trecho do cais que se apresenta subutilizado devido ao seu desalinhamento e falta de calado de trabalho. O escopo das obras compreende o fornecimento dos materiais, mão-de-obra e equipamentos, necessários às OBRAS DE CONSTRUÇÃO E ADEQUAÇÃO PARA ALINHAMENTO DO CAIS DE OUTEIRINHOS NO PORTO DE SANTOS, envolvendo os serviços de: Execução de Píer e Ponte de Acesso; Execução de Ampliação do Cais Existente, para a Readequação e Alinhamento do mesmo; Instalação de novas redes de utilidades, como água potável, incêndio, drenagem de águas pluviais, energia elétrica e iluminação pública; Instalação de Equipamentos Complementares: Defensas e Cabeços.

A documentação do projeto está apresentada no Anexo 01, contendo 545 pranchas de desenhos e memoriais descritivo, de cálculo e critério do projeto adotado. Deve-se salientar que as obras devem ser realizadas de forma harmônica com o pleno desenvolvimento das operações de atracação e navegação do canal do Porto de Santos, dentro da seguinte metodologia de trabalho: Início: pelos Trechos 1, 2 (Marinha) e 3; Operação provisória T-Grão / Citrovita: Trechos 1, 2 e parte do 3; Construção: Trecho 4; Operação provisória: T-Grão / Citrovita / Passageiros – Trechos 1, 2, 3 e 4; Construção: Trechos 5, 6 e 7;

3.1) PLANO DE EXECUÇÃO DO EMPREENDIMENTO As obras ora licitadas, numa extensão total de 1.320m, em 07 trechos, conforme desenho de implantação serão, numa 1ª fase, executadas nos trechos 1, 2, 3, 4, numa extensão total de 780 m.
TR Página 2 de 42

COMPANHIA DOCAS DO ESTADO DE SÃO PAULO AUTORIDADE PORTUÁRIA

O prazo de execução desta 1ª fase é de 16 meses a contar da 1ª Ordem de Serviço a ser emitida pela Autoridade Portuária. Não fazem parte destas obras as necessárias adaptações de vias férreas e transportadores de granéis sólidos e líquidos, de forma provisória, para compatibilizar a obra com a operação portuária. Tais serviços serão contratados pela CODESP em licitação própria e compatibilizados em prazos com o atual empreendimento. Numa segunda fase, serão executadas as obras nos trechos 5, 6, 7, numa extensão de 540 m, com prazo de 10 meses a contar da 2ª Ordem de Serviço a ser emitida pela Autoridade Portuária. A CODESP mediará ações no sentido de minimizar ao máximo a boa sequência do empreendimento como um todo, em função das operações sazonais do Terminal de Passageiros de Cruzeiros Marítimos e da Copa 2014. Em função ainda das operações de carga, a CODESP fará gestões no sentido de antecipar as obras da segunda fase, não medindo esforços para não criar lacunas de tempo entre o final da primeira fase e início da segunda fase. 3.2) OBRAS A SEREM REALIZADAS • SERVIÇOS PRELIMINARES Instalação, operação e desmobilização de canteiro de obras; Levantamento topográfico e batimétrico; Sondagem Geotécnica; Administração local. FUNDAÇÃO Fornecimento de estacas tubulares metálicas; Cravação de estacas tubulares metálicas; Perfuração em rocha e limpeza das estacas tubulares metálicas; Concretagem e arrasamento das estacas.

• -

TR

Página 3 de 42

COMPANHIA DOCAS DO ESTADO DE SÃO PAULO AUTORIDADE PORTUÁRIA

ESTRUTURAS AUXILIARES

- Estacas prancha; - Estacas raiz; - Blocos; - Jet-grouting. SUPERESTRUTURA Fornecimento de peças pré-moldadas; Montagem de pré-moldados; Execução de escoramento e contraventamentos; Execução de concreto e armação in loco; Execução de concretagem de acabamento; Pavimentação; Rede de energia elétrica; Rede de água fria; Rede de combate contra incêndio; Rede de iluminação pública. ACESSÓRIOS Fornecimento e instalação de defensas; Fornecimento e instalação de cabeços de amarração duplos; Instalação de acessórios diversos.

• -

• -

4) CRONOGRAMA A proponente deverá apresentar um cronograma físico-financeiro das obras, por frentes e trechos, integrando as atividades de execução das obras de construção, dentro dos planos de execução do empreendimento definidos no item 3.1.

TR

Página 4 de 42

quer no pagamento dos respectivos prêmios. Caberá exclusivamente à Contratada o pagamento dos salários de todo o pessoal. quer na indenização por ocorrência de sinistros. bem como o cumprimento de todos os encargos da legislação trabalhista e fiscal vigentes. devidamente registrada e paga e encaminhada à CODESP.. a serem empregados nos serviços. as licenças e autorizações necessárias para o ingresso. Arquitetura e Agronomia e comprovará o recolhimento da taxa fixada pelo CONFEA. de seu pessoal. veículos. junto à CODESP e às demais autoridades do Porto de Santos.. perante CODESP e terceiros. etc. Deverá a Contratada manter sinalização diurna e noturna nos trechos em que serão executados os serviços que apresentarem riscos de acidente. sendo da própria CODESP ou de terceiros. TR Página 5 de 42 . na faixa portuária. bens ou pessoas. A Contratada cumprirá as exigências da legislação que institui a "Anotação de Responsabilidade Técnica" na prestação de serviços de Engenharia. equipamentos. etc. A Contratada será responsável única. com cópia deste. o respectivo Plano de Segurança abrangendo todas as suas fases tais como demolições. etc. em conseqüência do serviço. respondendo pelos danos causados a CODESP ou a terceiros por falhas no cumprimento deste dispositivo. PROTEÇÃO ÀS OBRAS E AO PESSOAL A Contratada deverá apresentar à CODESP. Ficará facultado à Contratada manter seguros contra fogo. para os materiais depositados nos locais dos serviços sem que isso implique encargo ou obrigação da CODESP. a materiais.COMPANHIA DOCAS DO ESTADO DE SÃO PAULO AUTORIDADE PORTUÁRIA 5) DAS LEIS E REGULAMENTOS A Contratada deverá obedecer às prescrições legais que couberem e atender aos horários de trabalho e aos regulamentos que a CODESP mantém na zona portuária. Caberá à Contratada solicitar e obter. 6) DA VIGILÂNCIA. manutenção de canteiro. construções. antes do início das obras. por quaisquer danos que vier a causar. roubo.

por outro lado. Todas as solicitações feitas pela Fiscalização ao(s) Engenheiro(s) condutor(es) dos serviços serão consideradas como se fossem dirigidas diretamente à Contratada. A Contratada deverá manter ou construir. Todas as instruções. de segurança. reclamações e quaisquer entendimentos entre a Fiscalização e a Contratada e vice-versa far-se-á sempre por escrito. 7) DA FISCALIZAÇÃO A Fiscalização se exercerá em caráter permanente por intermédio de pessoal especializado da CODESP.COMPANHIA DOCAS DO ESTADO DE SÃO PAULO AUTORIDADE PORTUÁRIA Caberá à Contratada a responsabilidade pela segurança de seu pessoal nas obras através de seu serviço de Medicina do Trabalho devidamente representado na CIPA. ou ainda omissões de responsabilidade do(s) mesmo(s). serão considerados para todo e qualquer efeito como tendo sido da Contratada. não sendo levadas em consideração quaisquer alegações fundamentadas em ordens ou declarações verbais. total ou parcialmente. Os serviços de vigilância e a responsabilidade de guarda de materiais. no canteiro de serviços. disciplinares ou TR Página 6 de 42 . através do Livro de Obras. acomodações adequadas para que o pessoal da Fiscalização possa exercer sua função com relação aos serviços objeto do contrato firmado. designado para este mister. todo e qualquer elemento julgado pela Fiscalização com conduta inconveniente e que possa prejudicar o bom andamento dos serviços. todo e qualquer ato efetuado ou disposição tomada pelo(s) referido(s) Engenheiro(s). A Contratada será obrigada a afastar imediatamente do serviço e do canteiro de obras. serão de inteira e única responsabilidade da Contratada. ferramentas e equipamentos. Caberá exclusivamente à Contratada. sempre que o julgar conveniente por motivos técnicos. assinada por seus representantes credenciados nas devidas oportunidades. refazer os serviços não aprovados pela Fiscalização. nas áreas dos trabalhos. A Fiscalização terá plena autoridade para suspender os serviços.

contados do recebimento da notificação. A Contratada deverá proporcionar à Fiscalização. Em todos os casos. no Macuco. de acordo com o modelo estabelecido pela mesma Fiscalização.000m² na frente das atuais instalações da Marinha em Outeirinhos. providenciar o imediato atendimento de todas as observações da Fiscalização da CODESP. devendo. os serviços só poderão ser reiniciados por outra ordem da Fiscalização. capazes e que tenham grande experiência de serviços desta natureza. observações de ocorrências. TR Página 7 de 42 . A área prevista para canteiro de obras se localiza defronte a Avenida Governador Mário Covas Jr. também. os meios no sentido de que a mesma Fiscalização possa exercer suas funções de forma completa. etc. a jornada de trabalho. A Contratada ficará obrigada a preencher e a fornecer à Fiscalização o "Boletim Diário". os serviços executados. Das decisões da Fiscalização. sem efeito suspensivo. A CODESP envidará esforços no sentido de disponibilizar segunda área de 4. a Contratada poderá interpor recurso. ainda. amplo acesso a qualquer local dos serviços e facilitar.COMPANHIA DOCAS DO ESTADO DE SÃO PAULO AUTORIDADE PORTUÁRIA outros. a Contratada deverá detalhar o cronograma físicofinanceiro apresentado na licitação. pessoas essas que a representarão e receberão as orientações e reclamações da Fiscalização. os equipamentos. pessoas idôneas. A Contratada manterá para a direção geral dos trabalhos. nele registrando o pessoal em serviço. as condições do tempo.. no prazo de 10 (dias) corridos. A execução de qualquer serviço que possa interferir com a operação do Porto de Santos deverá ser previamente programada em comum acordo com a Fiscalização. 8) DA DIREÇÃO E ANDAMENTO DAS OBRAS Logo após o início das obras. com área aproximada de 4.000m². A Contratada deverá providenciar a confecção da placa indicativa dos serviços de acordo com o modelo da CODESP e instalá-la em local escolhido pela Fiscalização. ao Diretor-Presidente da CODESP.

Será obrigatório o preenchimento das Planilhas de Serviços e Preços a que se refere o "Item 11". que deverá ser totalmente preenchida pelo empreiteiro. deste "Termo de Referência". Os citados serviços constituir-se-ão. TR Página 8 de 42 . energia elétrica e iluminação. sob pena de inabilitação.COMPANHIA DOCAS DO ESTADO DE SÃO PAULO AUTORIDADE PORTUÁRIA 9) DA EXECUÇÃO DAS OBRAS À Contratada caberá toda a execução das obras e serviços objeto deste "Termo de Referência". quantitativos ou unidades na planilha de preços unitários fornecida pela CODESP. Não será admitida qualquer alteração de itens de serviços. A Autoridade Portuária teve dispensada a LP (Licença Prévia) do empreendimento. no que está contido no “Item 3 Descrição das Obras”. O empreiteiro deverá preencher totalmente as 03 planilhas anexas constando das redes de água potável. drenagem de águas pluviais. 10) DAS PROPOSTAS A apresentação das propostas deverá obedecer rigorosamente aos dispositivos e exigências do "Edital". que será obtido pela somatória dos produtos dos preços unitários pelas respectivas quantidades estimadas de serviços e materiais correspondentes. com as devidas correções decorrentes. O início das obras está condicionado ao processo de regularização ambiental do Porto de Santos. que está sendo tratado junto ao IBAMA pela CODESP. objetivando estabelecer seu preço global para os 07 trechos do empreendimento. incêndio. tudo de conformidade com a estrutura da planilha de serviços e preços do "Item 11". as propostas deverão indicar o preço global. Todos os serviços e ou materiais que constam da planilha de preços deverão ser fornecidos pela Contratada. Qualquer erro constante nessas 03 planilhas acarretará consequente alteração do valor global cotado na planilha principal. Apenas para fins de julgamento da licitação. resumidamente. não sendo admitidas alterações de qualquer espécie. e deste "Termo de Referência". O empreiteiro deverá preencher totalmente a planilha de preços unitários anexa.

da mão de obra e dos equipamentos. Os tributos IRPJ e CSLL não devem integrar o cálculo do BDI. IMPORTANTE: Por determinação do Tribunal de Contas da União – TCU: A itemização do BDI deve conter apenas gastos que contabilmente são classificados como despesas indiretas. cordoalhas. dos serviços contemplados nas planilhas do "Item 11". custos diretos e indiretos. mão de obra e equipamentos. pavimentos. deverão ser apresentadas. dos materiais. concreto e outros). além dos custos decorrentes dos controles tecnológicos para as obras (aterros. Tais preços deverão também conter as parcelas de encargos sociais. Qualquer outro custo deve ser considerado nos preços unitários dos serviços integrantes da Planilha de Serviços e Preços como custo direto. etc. A Contratada deverá apresentar Itemização pormenorizada de cada componente das leis sociais e do BDI – Benefícios e Despesas Indiretas – e respectivos pesos percentuais. ISS. Os custos relativos à Administração Local devem ser cotados no item específico da Planilha de Serviços e Preços. aços. PIS. quais sejam: Administração Central. TR Página 9 de 42 . devendo estar neles inclusas todas e quaisquer despesas. usualmente previstos nas normas técnicas da ABNT. Todos os preços apresentados pela Contratada devem corresponder aos serviços prontos. mesmo quando não mencionadas expressamente. detalhadamente. com a descrição dos quantitativos. nem tampouco a planilha de custo direto.COMPANHIA DOCAS DO ESTADO DE SÃO PAULO AUTORIDADE PORTUÁRIA As Composições dos Preços Unitários. COFINS. consignando-se os coeficientes e preços de cada elemento constituinte dos serviços e não deverão apresentar vícios ou omissões que resultem em deficiências orçamentárias que venham a indicar a impossibilidade de execução face aos custos correntes de materiais. despesas financeiras e seguros/imprevistos. dos preços.

equipamentos e acessórios necessários à execução dos serviços deverão ser fornecidos pela Contratada. padronizações. que poderá solicitar os dados necessários à comprovação da natureza. durante os horários indicados pela CODESP. exigir a imediata substituição de qualquer dos seus empregados que ela venha a julgar incompetente ou prejudicial ao bom andamento dos serviços. TR Página 10 de 42 . qualidade e o fornecimento de amostras.COMPANHIA DOCAS DO ESTADO DE SÃO PAULO AUTORIDADE PORTUÁRIA O BDI máximo a ser adotado na composição dos preços unitários é de até 25.45% e nos itens relativos ao fornecimento de defensas e cabeços de amarração no máximo 10%. 11) DAS PLANILHAS DE SERVIÇOS E PREÇOS A Planilha de Serviços e Preços está apresentada no ANEXO 02. Todos os materiais rejeitados pela Fiscalização serão imediatamente removidos do canteiro de serviços ou da área da CODESP. métodos. A CODESP tem o direito de. a seu exclusivo critério e sem assumir o ônus por qualquer indenização perante a Contratada. rigorosamente adequados à finalidade a que se destinam e deverão estar enquadrados nas normas. especificações. 13) DO PESSOAL Na execução dos serviços. Os mesmos não poderão ser empregados sem a aprovação da Fiscalização. terminologias e simbologias estabelecidas pela Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT que lhe sejam aplicáveis. O não atendimento das determinações implicará na inabilitação da proposta da licitante. bem como outras 03 planilhas auxiliares das redes de utilidades. 12) DOS MATERIAIS Todos os materiais. a Contratada empregará mão-de-obra devidamente habilitada.

com total isenção e exclusão da CODESP em qualquer procedimento judicial ou extrajudicial. obrigando-os a utilizá-lo quando a disposição da CODESP. vale-refeição. se estabelecerá qualquer vínculo empregatício entre os seus funcionários e a CODESP. assistenciais. reconhecendo expressamente que em hipótese alguma. Caberá a Contratada responsabilizar-se pela obtenção de todas e quaisquer licenças e autorizações junto à Guarda Portuária da CODESP para ingresso dos veículos. E. A Contratada também responderá pecuniariamente..I. não ficará retirada ou diminuída a exclusiva e única responsabilidade da Contratada perante a CODESP. uniforme. resguardando-se seu direito a eventuais ressarcimentos pelas companhias seguradoras. assim como pelos danos materiais em bens móveis ou imóveis da CODESP ou de terceiros e por danos pessoais causados pelos seus empregados. TR Página 11 de 42 . naquilo que couber. Mediante prévia e expressa autorização formal da CODESP. mesmo com essa autorização. e ficará obrigada a assumir a responsabilidade para todos os efeitos legais. obrigando-se a repará-los imediatamente. perante CODESP ou terceiros.COMPANHIA DOCAS DO ESTADO DE SÃO PAULO AUTORIDADE PORTUÁRIA A Contratada será a responsável pelo pagamento dos salários e todos os encargos sociais e trabalhistas. como única empregadora. sejam eles dolosos ou culposos. salvo com consentimento expresso desta. securitárias e sindicais. a Contratada poderá subempreitar parte ou partes dos trabalhos de topografia. fornecendo um dispositivo de identificação (crachá). sejam empregados ou usuários do porto.P. pavimentação. etc. previdenciárias. observar os preceitos relativos às leis trabalhistas. por eventuais furtos praticados pelos seus empregados. por todos os seus funcionários. por escrito. vale-transporte. ficando entendido que. equipamentos e do pessoal. controle tecnológico e redes de utilidades. A Contratada se obrigará a não engajar pessoal que se ache admitido nos serviços da própria CODESP.

depois de devidamente conferidos e aceitos pela Fiscalização da CODESP. servirão de base ao faturamento mensal dos serviços executados que ocorrerá vinte dias após a entrada da fatura no protocolo da CODESP. bem como no Título II deste "Termo de Referência". EPI’s e mão-de-obra específica e adequada aos serviços deverão estar previstos e inclusos nos preços de cada item. inclusive. que. para fins de pagamento. A fatura mensal da medição contratual será encaminhada. porém. equipamentos. cujo montante será calculado pela somatória dos produtos entre as quantidades de serviços executados e ou materiais fornecidos. por carta a CODESP. devendo a Contratada apresentar a CODESP o respectivo demonstrativo. pelos respectivos preços unitários. acrescidos dos valores correspondentes dos serviços não quantificados e cotados pelo preço total (GLOBAL). Tais documentos. Eventualmente ou em caráter excepcional. poderá rejeitá-lo. este emitido pela CODESP e cópias autenticadas das últimas guias de recolhimento já exigíveis do FGTS e INSS. não sendo aceita a proposição de adiantamento para quaisquer delas. a Contratada poderá solicitar a CODESP o desdobramento de preços contratuais. A aceitação do pedido.COMPANHIA DOCAS DO ESTADO DE SÃO PAULO AUTORIDADE PORTUÁRIA 14) DAS MEDIÇÕES E PAGAMENTOS As unidades com que os serviços serão medidos. ferramentas. Os materiais fornecidos e serviços realmente executados nas condições descritas no Título II e considerados acabados poderão ser medidos. TR Página 12 de 42 . sendo que na sua execução estarão incluídas todas e quaisquer despesas mesmo quando não mencionadas expressamente na composição de preços unitários fornecidos pela Contratada. Todos os materiais. juntamente com o respectivo demonstrativo de medição. Os critérios de medição de todos os materiais e serviços consideram o pagamento de etapas executadas. ficará sujeita à aprovação da Fiscalização. estão expressas na Planilha do Item 11 deste Título.

15) DA LOCALIZAÇÃO. Após essa aprovação.COMPANHIA DOCAS DO ESTADO DE SÃO PAULO AUTORIDADE PORTUÁRIA O pagamento mensal dos serviços será efetuado no prazo estabelecido no contrato. No caso da CODESP julgar que as instalações de canteiro devam permanecer. a CODESP autorizará sua instalação. após a apresentação da fatura correspondente ao período vencido. TR Página 13 de 42 . em suas dependências e em local próximo aos trabalhos. na Área do Porto. em sua proposição. caso a sua permanência não seja do interesse da CODESP. Fiscalização e para guarda de materiais. equipamentos de ar comprimido. e aparelhos telefônicos adquiridos pela Contratada e redes básicas que não interfiram no perfeito funcionamento e operação do canteiro. VIGILÂNCIA DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS Após a solicitação da Contratada. Um “layout” das instalações do canteiro de serviços terá que ser submetido à aprovação prévia da CODESP. cabinas de transformadores. linhas. exceto quanto a contêiner. A CODESP fornecerá sem ônus para a Contratada área para o canteiro de obras que deverá prever instalações provisórias com escritórios para a Contratada. água potável e energia elétrica. A Contratada. deverá ter o cuidado de não permitir que materiais e equipamentos nos serviços prejudiquem. com ônus de consumo. a CODESP fornecerá. a Contratada será devidamente notificada. Não será permitido acampamento de pessoal para a execução dos serviços. Os custos decorrentes das ligações correrão por conta da Contratada. não cabendo a mesma nenhum direito de pleitear ressarcimento ou outro qualquer benefício. o tráfego rodo-ferroviário junto às áreas em obras. TRANSPORTE. após a conclusão dos serviços objeto do Contrato. no local das obras. os quais deverão ser retirados. por intermédio de pontos específicos. condicionado a conferência e aceitação pela fiscalização da CODESP. parcial ou totalmente.

os serviços que apresentarem defeitos. restos de materiais e inteiramente limpas. 16) DA CONCLUSÃO E ENTREGA DAS OBRAS A não ser em conseqüência de trabalhos extraordinários. contados da data em que a Contratada comunicar. Verificado o cumprimento e atendimento de todas as exigências contidas neste "Termo de Referência". nas frentes de trabalho. As obras ou serviços deverão ser entregues completamente acabados. o recebimento definitivo pela CODESP será efetivado 90 (noventa) dias após o recebimento provisório mediante solicitação da Contratada. e fornecidos os desenhos representativos da obra. ferramentas e equipamentos. por escrito. outras situações não deverão afetar a data fixada para a entrega dos citados serviços.COMPANHIA DOCAS DO ESTADO DE SÃO PAULO AUTORIDADE PORTUÁRIA A Contratada será responsável por todo o transporte de pessoal. será devolvida a caução a Contratada. equipamentos e acessórios às diversas frentes de trabalho. a conclusão do mesmo. IMPORTANTE Ao receber as propostas. formalizando-se a aceitação através de "Termo Final de Entrega e Recebimento". a CODESP entende que cada proponente tenha tido pleno conhecimento deste "Termo de Referência" e das condições gerais que regerão o Contrato. a Contratada deverá refazer. também por escrito. materiais. permanecendo. Os serviços de vigilância e a responsabilidade pela guarda de materiais. de materiais e TR Página 14 de 42 . serão única e exclusivamente encargos da Contratada. de condições meteorológicas desfavoráveis ("IN LOCO") ou de fatos impeditivos para os quais a Contratada não tenha concorrido. por sua própria conta. a responsabilidade deste pelo prazo previsto em lei. porém. Durante este período. Quando do recebimento definitivo do referido contrato. Uma vez corrigidos tais defeitos. e das condições com que se fará o transporte do pessoal. e após a entrega dos desenhos “as built”. livres de entulho. não previstos neste "Termo de Referência". a CODESP aceitará provisoriamente os serviços no prazo de 30 dias.

locais dos serviços como: natureza. embarcações de carga e da Marinha do Brasil. tipo e relevo do terreno. O acesso às obras em execução se dará. condições pluviométricas. no que for possível. etc. TR Página 15 de 42 .COMPANHIA DOCAS DO ESTADO DE SÃO PAULO AUTORIDADE PORTUÁRIA de equipamentos. medidas provisórias e demais dispositivos legais para a realização das obras objeto deste "Termo de Referência" e que regulam esse tipo de empreendimento. edificações próximas. intensidade e tipo de tráfego de veículos rodos-ferroviários. Cada proponente deverá ter pleno conhecimento dos acórdãos do TCU. dos Decretos-Lei. obstáculos. através dos “gates” 11 e 12 da CODESP e não deve ser prevista qualquer possibilidade de acesso pela área do atual cais da Marinha em Outeirinhos.

sinalização. para efeito de pagamento. 01. incluindo-se as instalações elétricas. saneamento e esgotos. Medição: Valor global. custos. mão de obra e serviços necessários para a instalação e posterior remoção dos canteiros de obra. etc. edificações. considerados incluídos nos preços unitários dos serviços executados com a utilização de tais equipamentos. sinalização. depois de aprovados pela Fiscalização que emitirá o respectivo demonstrativo de medição. e o fornecimento e transporte de todos os materiais. centrais de ar comprimido.01) INSTALAÇÃO DO CANTEIRO DE OBRAS Descrição: Aplica-se à instalação de todo o canteiro de obras.DESCRIÇÃO. observando os preços estabelecidos nas "Planilhas de Preços" e as quantidades efetivamente executadas ou fornecidas no período considerado da medição mensal. móveis ou fixos. tais como.. operação e manutenção dos equipamentos de produção industrial. equipamentos e serviços destinados à construção de instalações para a Fiscalização constituídas de uma sala e banheiro. placas de obras e outras utilidades. drenagem. instalações para preparo do concreto. Excluem-se deste item todas as despesas relativas à depreciação. Incluem-se neste item os materiais. (unidade) Pagamento: Preço global constante na Planilha de Preços serão pagos em duas parcelas. sem a eles se limitar. Inclui os projetos básicos dos canteiros de obra. acessos e vias de circulação.COMPANHIA DOCAS DO ESTADO DE SÃO PAULO AUTORIDADE PORTUÁRIA TÍTULO II . CRITÉRIOS DE MEDIÇÃO E PAGAMENTOS DOS SERVIÇOS Os serviços e os materiais fornecidos serão objetos de medições. equipamentos. água. TR Página 16 de 42 . energia elétrica. Os serviços executados serão medidos mensalmente em todo vigésimo dia de cada mês. móveis ou fixos. e 10% restantes quando da conclusão da remoção do canteiro de obras. de armadura e combustíveis. acessos e vias. sendo 90% na conclusão de todos os serviços referentes à instalação do canteiro de obras. redes de distribuição de ar. considerando limpeza e restauração da área. pátios de carpintaria. saneamento e drenagem. hidráulicas de abastecimento.

da alimentação. ferramentas. sendo 50% na mobilização e 50% na desmobilização.COMPANHIA DOCAS DO ESTADO DE SÃO PAULO AUTORIDADE PORTUÁRIA 01. 01. Medição: Será medida por verba (unidade) fixa mensal para a obra. combustíveis e lubrificantes necessários à execução dos serviços contratados segundo o cronograma previsto em sua proposta. 01.03) MOBILIZAÇÃO E DESMOBILIZAÇÃO DE EQUIPAMENTOS Descrição: Aplica-se à mobilização de todos os tipos de equipamentos.02) MOBILIZAÇÃO E DESMOBILIZAÇÃO DE PESSOAL Descrição: Aplica-se à mobilização do pessoal necessário para a execução dos serviços segundo o cronograma previsto em sua proposta que será devidamente analisado e aprovado pela CODESP. Medição: Valor global. dos transportes e traslados. QSMS. do planejamento e controle. veículos de apoio. de pessoal. das estadias. incluindo logísticas terrestres e/ou marítimas. TR Página 17 de 42 . Pagamento: Preço global constante na Planilha de Preços a ser pago em duas parcelas da seguinte forma: 70% quando da mobilização dos equipamentos e 30% quando da desmobilização dos equipamentos. (unidade) Pagamento: Preço global constante na Planilha de Preços a ser pago em duas parcelas. Medição: Valor global. materiais e tudo que for necessário para execução dos serviços segundo o cronograma previsto em sua proposta que será devidamente analisado e aprovado pela CODESP. dos materiais.04) ADMINISTRAÇÃO LOCAL DA OBRA Descrição: Aplica-se este item ao fornecimento de toda a estrutura indireta necessária ao apoio e administração das atividades da obra. (unidade).

Manutenção de bueiros adjacentes à obra. Alimentação. materiais de escritório e materiais de limpeza segurança. higiene e medicina do trabalho. manutenção. TR Página 18 de 42 . materiais de proteção dos trabalhadores. treinamento. Guarda e policiamento. (verba/mês) Medição: Pagamento: Preço global constante na Planilha de Preços a ser pago em tantas parcelas mensais iguais quantos forem os meses do prazo total de execução da obra. caso haja.COMPANHIA DOCAS DO ESTADO DE SÃO PAULO AUTORIDADE PORTUÁRIA Pagamento: Preço unitário na Planilha de Preços. alojamento. Valor global mensal. uniformes. O preço inclui: Todos os custos de materiais. prevenção contra incêndio e outras medidas de segurança. reabilitação e permanente limpeza do local das obras e das vias públicas adjacentes à obra e as utilizadas durante a execução dos serviços. transportes diversos de pessoal e de equipamentos entre frentes de serviços e acampamento. incluindo as instalações de Fiscalização. assistência médica. estipulado neste Termo de Referência. Cargas de extintores de incêndio. equipamento. limpeza e operação das instalações de apoio aos serviços. Abastecimento de água e energia elétrica. viagens e estadia. guias e sarjetas. Eventuais custos periódicos relativos à utilização de terrenos para instalações provisórias. mão de obra e serviços relativos à operação. 01.05) MANUTENÇÃO E OPERAÇÃO DO CANTEIRO Descrição: Aplica-se à operação e manutenção de todos os elementos de infra-estrutura do canteiro de obra que não estejam incluídos nos demais serviços relacionados na Planilha de Preços. conservação. Manutenção. Sinalização marítima de segurança para a obra.

conforme a necessidade do projeto.Terminologia NBR 7181/1984 Solo . para validação do método executivo. etc. compressão simples e tração indireta conforme NBR 7680. As sondagens rotativas ou mistas são executadas junto com SPT em solos alterados e rochas. servindo como subsídios numéricos para cálculos de PROJETOS estruturais.Análise granulométrica . O obstáculo encontrado é perfurado por meio de um amostrador (barrilete) com uma broca rotativa acoplada na extremidade de uma haste oca. petroquímicos.Sondagens de simples reconhecimento com SPT . Sendo executado em todos os terrenos penetráveis a esse tipo de sondagem. A descrição do material e suas características geotécnicas e dos ensaios de laboratório deverão ser feitos para pelo menos duas amostras.06) SONDAGEM GEOTÉCNICA Generalidades: Para subsidiar a execução das obras de fundação. de acordo com as recomendações das normas da ABNT. As brocas são estruturas metálicas muito resistentes. cravando 45cm subdivididos em três etapas de 15cm. A cravação no solo inicia após a perfuração de um metro (1. • NBR 6484/2001 Solo . poderão ser executadas.COMPANHIA DOCAS DO ESTADO DE SÃO PAULO AUTORIDADE PORTUÁRIA 01. petrofísicos.0m) com o trado concha de Ø=4" e o ensaio de penetração se dá por meio de um peso de 65Kg solto sucessivamente em queda livre a uma altura de 75 cm em cima de uma haste com o amostrador padrão acoplado.Método de ensaio NBR 8036/1983 Programação de sondagens de simples reconhecimento dos solos para fundações de edifícios – Procedimentos • NBR 13441/1995 Rochas e solos . absorção de água ou índice de absorção. estabelecendo uma relação que resulta na resistência expressa em números de SPT's. porosidade. obtendo diretamente as amostras (testemunhos). constituídas em aço nas quais estão incrustados pequenos diamantes industriais ou pedra de vídia.Simbologia As sondagens a percussão ou SPT consiste na execução de furos no terreno coletando amostras semideformadas de metro em metro com o auxílio do amostrador Padrão de Ø=2". O movimento rotativo é TR Página 19 de 42 . exatamente sobre a rocha a ser explorada proporcionando oportunidade para uma série de ensaios mineralógicos. furos adicionais de sondagens (percussão e/ou mista). a critério da fiscalização.Método de ensaio • • • NBR 6502/1995 Rochas e solos . retiradas a aproximadamente 25% e 50% do topo. compreendendo peso específico aparente.

à medida que a perfuração vai avançando. Medição: Por unidade de prancha batimétrica apresentada. mão de obra qualificada e apresentação dos correspondentes relatórios para apreciação e aprovação da CODESP. como: embarcações. equipamentos. 01. dentro dos critérios estabelecidos pela Marinha do Brasil. Medição: Por metro linear de sondagem executada e comprovada em relatório a ser aprovado pela fiscalização Pagamento: O pagamento por metro de sondagem efetuada. poderão ser solicitadas provas de carga estática e dinâmica nas estacas. de forma a subsidiar as profundidades existentes ao longo dos 1320m de cais. Este serviço compreende todos os equipamentos necessários. 01. dentro das normas técnicas estabelecidas pela ABNT. para fins de implantação da obra e aferição das profundidades alcançadas.09) PROVA DE CARGA ESTÁTICA E DINÂMICA NAS ESTACAS Descrição: A critério do consultor de fundações da CODESP e da fiscalização. será efetuado levantamento batimétrico tipo monofeixe. mais hastes e revestimentos vão sendo adicionados ao conjunto por enroscamento. ferramental e materiais necessários para o desenvolvimento dos trabalhos. Descrição: Aplica-se ao fornecimento de serviço de sondagem. transportes. equipamentos de sondagem. TR Página 20 de 42 . Pagamento: Por prancha (unidade) do trecho de 1320m de cais.08 e 01.COMPANHIA DOCAS DO ESTADO DE SÃO PAULO AUTORIDADE PORTUÁRIA produzido por um motor (elétrico ou a combustão) transmitindo torque à broca por meio de uma combinação de redutor e hastes protegidas por uma seqüência de tubos de aço (revestimento).07) LEVANTAMENTO BATIMÉTRICO Descrição: De acordo com necessidade de serviço e a critério único e exclusivo da fiscalização. mão de obra envolvida e plotagem em planta. incluindo todos os materiais. com equipamento adequado. incluindo barcos de apoio.

o projeto executivo será revisado. incluindo todos os serviços. equipamentos e plotagens necessários a revisão. dentro das premissas da medição.10 e 01. realização dos ensaios e aprovação dos competentes relatórios de controle tecnológico pela fiscalização da CODESP. estando incluso todos os profissionais. transportes.13) REVISÃO DE DOCUMENTOS "AS BUILT" Descrição: Se houver necessidade. com elaboração dos competentes relatórios. a critério da fiscalização. verba mensal a ser paga independentemente do número de ensaios TR Página 21 de 42 . Medição: Por hora de consultoria prestada.COMPANHIA DOCAS DO ESTADO DE SÃO PAULO AUTORIDADE PORTUÁRIA Medição: competente. poderão ser solicitados consultores especializados a bem de subsidiar os serviços de tecnologia do concreto e cravação das estacas previstas em projeto executivo. será efetuado o controle tecnológico do concreto utilizado. Por unidade de prova de carga executada e comprovada em relatório Pagamento: Por unidade de prova de carga 01.11) CONSULTORIA EM TECNOLOGIA DE CONCRETO E EM CRAVAÇÃO Descrição: A critério único e exclusivo da fiscalização da CODESP. 01. Medição: efetuados. Pagamento: verba mensal dentro das premissas da medição. estando incluso passagens e diárias dos consultores e elaboração dos respectivos relatórios. 01. Pagamento: Por hora de consultoria.12) CONTROLE TECNOLÓGICO DO CONCRETO Descrição: Dentro das normas para concreto estabelecidas pela ABNT.

01.03 / 01. Designing and Constructing Fixed Offshore Platforms – WSD.14. API RP2A .01.01.High Strength Bolts for Structural Steel Joints. Shapes and Sheet Piling. ou camisa metálica. as seguintes normas: • • • • • • • TR AWS D1.01 / 03.Standard Specification and General Requirements for Rolled Steel Bars. esp. 01.05 – COORDENADOR GERAL / ENGENHEIRO SENIOR / GEÓLOGO SENIOR / TECNICO DE NIVEL SUPERIOR / DESENHISTA PROJETISTA Descrição: Havendo necessidade de acompanhamento técnico de campo. 1016mm. transportes e apoios de escritório. e na omissão destas.14.01 / 6. a critério da CODESP.01.9mm) Descrição: Aplica-se este item ao fornecimento de estaca metálica circular.02 / 01..1.Structural Welding Code – Steel.14.04 / 01. depois de conferida e aprovada pela Pagamento: Por prancha revisada. Página 22 de 42 . incluso todos os encargos destes profissionais. WSD.1 .COMPANHIA DOCAS DO ESTADO DE SÃO PAULO AUTORIDADE PORTUÁRIA Medição: fiscalização. Manual of Steel Construction.1 / 7.1.1. Pagamento: Por hora de serviço prestado.01 / 04. AISC . As estruturas deverão ser fabricadas de acordo com as normas da ABNT.1.01.01 / 05. ASTM A53 .01 / 01.Welded and Seamless Pipe. Medição: Por hora de profissional utilizado. DIN (Deutsche Industrie Normen) 4114.01.1. Ext.1.1) FORNECIMENTO E EMENDA DE ESTACAS METÁLICAS (Diam. 02.14. ASTM A6 . previamente autorizado pela CODESP. poderão ser solicitados profissionais das categorias elencadas.Recommended Practice for Planning.American Institute of Steel Construction. conforme as especificações do projeto executivo. ASTM A325 . 9th Ed.14) ACOMPANHAMENTO TÉCNICO DE CAMPO – 01.1 / 8. Plates.01. Será efetuada por prancha tipo A1.01.14.

acompanhado dos prazos de entrega de cada lote.1. • • 25% na comprovação da chegada do material no canteiro/obra.01. A cravação das estacas deverá ser registrada em boletins específicos contendo: • • • TR Comprimento da estaca metálica.1.2 / 6.5mm) Descrição: Aplica-se este item à execução do transporte.01. • 20% na inspeção final em fábrica quando da partida do material para as obras no porto. com a utilização de guindastes compatíveis com o peso das cargas manuseadas e alcances requeridos.1. No caso de aquisição de materiais no mercado nacional ou internacional.02 / 05. esp.1. Medição: A medição será efetuada em parcelas.01.2 / 7.2) TRANSPORTE E CRAVAÇÃO DE ESTACAS METÁLICAS (Diam. 02.02 / 04.01. altura de queda e nega final de cravação da estaca metálica.2 / 7.01. por metro linear de camisa metálica levantada no projeto. 25% na execução das emendas em obra. A cravação será feita com o emprego de martelo compatível com as cargas de trabalho e a tipologia do solo.COMPANHIA DOCAS DO ESTADO DE SÃO PAULO AUTORIDADE PORTUÁRIA Faz parte destes itens a execução das emendas necessárias para a execução dos serviços.2. 1016mm.01.1. locação/posicionamento das estacas metálicas.01.01.2.1.1. sujeito a prévia aprovação da CODESP.2.01. sua cravação até a nega estabelecida pelo projeto executivo inclusive escavação de solo.02 / 05. Página 23 de 42 . com a anotação do número de golpes do martelo (se for o caso) por metro de penetração.2 / 8. solda e corte com mão de obra qualificada. 9/12.02. Deverão estar incluídos nos custos todas as despesas com atividades embarcadas e submersas de movimentação de cargas. Ext.1.1. as medições serão conforme os eventos destacados a seguir: • 30% do valor do item mediante apresentação do pedido/contrato com o fornecedor previsto. Comprimento de penetração. topografia e montagem. Peso do martelo.02 / 03. equipes de mergulho. içamento. Pagamento: Por metro de estaca fornecida.2 / 8.02 / 6.

3 / 7. 9/12.2.02. Esse arrasamento se deve pelo fato das estacas cravadas ficarem com a cota de topo acima da cota de projeto.1.3 / 8.01.01.03 / 6. Pagamento: Por metro de estaca. etc). Após a cravação deverá ser verificado o atendimento às tolerâncias especificadas no projeto. Medição: A medição será em metros lineares de comprimento efetivo da estaca.03 / 05. e Data da cravação da estaca metálica e da perfuração. 1016mm.01.01. necessário para manter a integridade geral das estacas cravadas até que sejam “ligadas” à superestrutura. de acordo com o projeto.1.01.COMPANHIA DOCAS DO ESTADO DE SÃO PAULO AUTORIDADE PORTUÁRIA • • Nível da ponta e da cabeça da estaca.1.01.1.1. Este serviço é feito com a fixação e montagem de perfis metálicos ligando as estacas entre si.3) ARRASAMENTO DAS ESTACAS METÁLICAS (Diam.03 / 04. Esse serviço é feito aproveitando a infraestrutura já montada para a execução do contraventamento (embarcações de apoio. 02.2. esp. Após o serviço de contraventamento é feito o arrasamento das estacas.1. por meio de corte na elevação prevista no projeto. e.1.2. caso as mesmas não sejam atendidas deverá ser consultado o projetista.1. ou seja. inclusive o contraventamento das mesmas.01. Descrição: Aplica-se este item ao serviço de corte/arrasamento das estacas metálicas. TR Página 24 de 42 .3 / 8. Medição: As medições serão efetuadas por estaca devidamente arrasada com os esmerilhamentos para obter o acabamento final.1. conforme as marcações feitas pela equipe de topografia.03 / 03. Após a cravação as estacas metálicas serão contraventadas e sequencialmente arrasadas.3 / 7.03 / 05. passarelas provisórias. dentro das premissas estabelecidas na medição acima.3 / 6.01. Ext. com toda a equipe e equipamentos necessários para a perfeita execução do serviço. entre a cota da ponta e a cota de arrasamento definida em projeto e em função do seu diâmetro.5mm) Generalidades: Na sequência do serviço de cravação das estacas segue-se o serviço de contraventamento das mesmas.01.

03 / 03.02.03 / 04.01.01.04.01. com a utilização de equipamentos adequados para este tipo de serviço.03 / 04.1.1.4 / 7.4 / 6.4 / 8. materiais e equipamentos para emendas das barras por solda.1. Deverão ser considerados os custos de aplicação e montagem “in loco”.01.03.04 / 04. espaçadores (caranguejos). dentro das premissas do item de medição acima.1.3 / 7.03 / 02. Tal pedido deverá ser feito por escrito e será analisado dentro da composição do preço unitário do item.03 / 6.02.2.2.02) ARMAÇÃO CA50 Descrição: Aplica-se. a toda armadura de aço CA-50A utilizada nas estruturas.3 / 09.4 / 6.02.02.01.03 / 05.02. conforme indicado nos Desenhos.3.03.04 / 02. TR Página 25 de 42 . transpasses.1. Inclui-se todos os serviços.3.01. ou locais de aplicação.4 / 6.3.4 / 6.01.4 / 8.04 / 03.COMPANHIA DOCAS DO ESTADO DE SÃO PAULO AUTORIDADE PORTUÁRIA Pagamento: Os serviços serão pagos por unidade de estaca arrasada 02.3.3 / 6.1.04 / 05.03 / 04.2. este item.2.01.02.2.1.02.02.4 / 7.02. também.3 / 8.4 / 7.4.04 / 05.1.2.3.3 / 6.1.1. estocagem.3 / 7.02.3 / 7.4.1.4 / 7.3. gabaritos.02. o qual apresentará certificados dos controles efetuados.2.1.3.02.1.4 / 8.04 / 03.2.02.2.01. Inclui.04 / 02.01.04 / 05.2.02.3.01.02.04 / 04.01.02.01. A CODESP poderá estudar eventual desdobramento de preços (fornecimento e montagem) caso o empreiteiro entenda necessário. transporte.03.03.01.2. bem como os serviços.1.2.03 / 03.1.02.04 / 04.01.03 / 05.1.1. materiais e equipamentos necessários para o fornecimento.04 / 05.3. limpeza e montagem das armaduras nas respectivas formas.01. o controle tecnológico que será executado por laboratório aprovado pela Fiscalização. perdas. a ser verificada pela gerenciadora do empreendimento.3 / 8.4 / 8.1.01.01. Pagamento: Preço unitário por quilograma. Medição: A medição será em quilograma de armadura. corte dobramento.4 / 8. segundo as listas de ferros dos projetos.03.01.03 / 05.3.

01.01.03.5) PERFURAÇÃO ESTACAS METÁLICAS (Diam. Wirth ou similar.6 / 7.COMPANHIA DOCAS DO ESTADO DE SÃO PAULO AUTORIDADE PORTUÁRIA 02.1.05 / 6.01.2.01.2.6 / 7.02.5mm) Descrição: Aplica-se este item a escavação da rocha pelo interior das camisas metálicas. o excedente será objeto de reequilíbrio do contrato em favor da CODESP. em metros. e que deverá ser considerado por todos os participantes.01.05 / 03.01.06 / 03.01.1.05 / 05.6 / 8. com fck = 40 MPa bombeável.06 / 03. Medição: A medição será por metro cúbico de concreto fornecido e aplicado conforme descrição acima e em acordo com o projeto.6 / 8. Pagamento: Preço unitário constante na Planilha de Preços.01.06 / 05.01.1.02. 02.01. com a utilização de perfuratriz. TR Página 26 de 42 .6 / 6.1.01. independentemente do processo executivo adotado e os eventuais reparos.01.01.01.01.3. 9/12.1.1.02.1.01. onde é aplicado jato d’água no interior da camisa para que seja limpa.5 / 8. O índice de produtividade adotado pela CODESP em sua composição de preços unitários é de 0.06 / 6. ao fornecimento na obra e aplicação do concreto submerso. no interior das camisas metálicas.01.1.1.5 / 8.1. Deverá estar considerado o serviço de limpeza das camisas com o sistema de “air lift”.01.1.01.1.06 / 05. 1016mm.3.2. esp.01.1.05 / 04.02.06 / 04. inclusive perdas.1.315 m/h.02.3. Durante a execução dos serviços a CODESP designará profissional responsável para atestar “in loco” a real produtividade da perfuratriz.6 / 8.1. materiais e equipamentos necessários.5 / 7.5 / 7. Inclui toda a mão de obra. contemplando todos os custos dos equipamentos.2.1.05 / 05. este item.6 / 6.1.2.1. Também estão compreendidos o lançamento.2. materiais e mão de obra envolvida na execução do serviço. Se o valor aferido propiciar maior produtividade que a estabelecida. Ext. Medição: A medição será efetuada pelo comprimento escavado na rocha.5 / 6.1.1.1.01.06 / 05. Na hipótese de o índice de produtividade ficar aquém do estipulado pela CODESP. adensamento e cura. o risco será assumido inteiramente pelo empreiteiro.06 / 04.6 / 7.01.06 / 02.6) CONCRETO C40 ESTACAS METÁLICAS Descrição: Aplica-se.

As estruturas deverão ser fabricadas de acordo com as normas da ABNT. • • TR 25% na comprovação da chegada do material no canteiro/obra/porto.1) FORNECIMENTO E EMENDA DE ESTACAS METÁLICAS (Diam.01 / 05. AISC . esp. por metro linear de camisa metálica levantada no projeto. Página 27 de 42 . Designing and Constructing Fixed Offshore Platforms – WSD. ASTM A325 .1.1 / 7.1 . Ext.High Strength Bolts for Structural Steel Joints.Standard Specification and General Requirements for Rolled Steel Bars. as seguintes normas: • • • • • • • AWS D1. No caso de aquisição de materiais no mercado nacional e internacional.American Institute of Steel Construction.01. • 20% na inspeção final em fábrica quando da partida do material para as obras no porto.1.02. DIN (Deutsche Industrie Normen) 4114.9mm) Descrição: Aplica-se este item ao fornecimento de estaca metálica circular.01.1 / 8.02. ou camisa metálica.. ASTM A53 .01 / 03.COMPANHIA DOCAS DO ESTADO DE SÃO PAULO AUTORIDADE PORTUÁRIA Pagamento: Preço unitário constante da Planilha de Preços.02.01 / 04. 02.3.3. ASTM A6 .01 / 6.Welded and Seamless Pipe. as medições serão conforme os eventos destacados a seguir: • 30% do valor do item mediante apresentação do pedido/contrato com o fornecedor previsto. sujeito a prévia aprovação da CODESP.1.03.01. 812.8mm. Medição: A medição será efetuada em parcelas. e na omissão destas. Shapes and Sheet Piling. API RP2A . 9th Ed. Manual of Steel Construction.01. Plates. acompanhado dos prazos de entrega de cada lote. Faz parte destes itens a execução das emendas necessárias para a execução dos serviços. conforme as especificações do projeto executivo.3.Recommended Practice for Planning.Structural Welding Code – Steel. 25% na execução das emendas em obra. WSD.

9mm) Descrição: Aplica-se este item à execução do transporte.1.COMPANHIA DOCAS DO ESTADO DE SÃO PAULO AUTORIDADE PORTUÁRIA Pagamento: Por metro de estaca fornecida.01. sua cravação até a nega estabelecida pelo projeto executivo.02.1.03. A cravação será feita com o emprego de martelo compatível com as cargas de trabalho e a tipologia do solo. caso as mesmas não sejam atendidas deverá ser consultado o projetista. Medição: A medição será em metros lineares de comprimento efetivo da estaca. solda e corte com mão de obra qualificada. locação/posicionamento das estacas metálicas. esp.2 / 7.01. altura de queda e nega final de cravação da estaca metálica. Após a cravação deverá ser verificado o atendimento às tolerâncias especificadas no projeto. e Data da cravação da estaca metálica e da perfuração. 02.8mm. A cravação das estacas deverá ser registrada em boletins específicos contendo: • • • • • Comprimento da estaca metálica. Nível da ponta e da cabeça da estaca.3.02. com a anotação do número de golpes do martelo (se for o caso) por metro de penetração. topografia e montagem. dentro das premissas estabelecidas na medição acima. TR Página 28 de 42 . com a utilização de guindastes compatíveis com o peso das cargas manuseadas e alcances requeridos. Deverão estar incluídos nos custos todas as despesas com atividades embarcadas e submersas de movimentação de cargas. içamento. inclusive escavação em solo.2) TRANSPORTE E CRAVAÇÃO DE ESTACAS METÁLICAS (Diam. Peso do martelo.3. Ext.1. entre a cota da ponta e a cota de arrasamento definida em projeto e em função do seu diâmetro.2 / 8. Comprimento de penetração.3. Pagamento: Por metro de estaca.02 / 6. ou seja. 812.02.01.01.02 / 04.02 / 05.02 / 03. e. equipes de mergulho.

Se o valor aferido propiciar maior produtividade que a estabelecida.5 / 7.03 / 6. Este serviço é feito com a fixação e montagem de perfis metálicos ligando as estacas entre si. inclusive o contraventamento das mesmas.1.1. Esse serviço é feito aproveitando a infraestrutura já montada para a execução do contraventamento (embarcações de apoio. conforme as marcações feitas pela equipe de topografia. Wirth ou similar.03 / 05.1.03.315 m/h. por meio de corte na elevação prevista no projeto. onde é aplicado jato d’água no interior da camisa para que seja limpa. Ext.05 / 05.03 / 04. esp.8mm. com a utilização de perfuratriz. com toda a equipe e equipamentos necessários para a perfeita execução do serviço. 9mm) Descrição: Aplica-se este item a escavação da rocha pelo interior das camisas metálicas.8mm.01.3) ARRASAMENTO DAS ESTACAS METÁLICAS (Diam.1. 9mm) Generalidades: Na sequência do serviço de cravação das estacas segue-se o serviço de contraventamento das mesmas.1.01.01.01. Pagamento: Os serviços serão pagos por unidade de estaca arrasada 02. Deverá estar considerado o serviço de limpeza das camisas com o sistema de “air lift”. contemplando todos os custos dos equipamentos.03. Esse arrasamento se deve pelo fato das estacas cravadas ficarem com a cota de topo acima da cota de projeto.01.03 / 03. materiais e mão de obra envolvida na execução do serviço.02.01. etc).02.02. Descrição: Aplica-se este item ao serviço de corte/arrasamento das estacas metálicas.3.3 / 7.05 / 03.3.05 / 04.3. o excedente será objeto de reequilíbrio do contrato em favor da TR Página 29 de 42 . Após o serviço de contraventamento é feito o arrasamento das estacas.01.3.5 / 8.02. O índice de produtividade adotado pela CODESP em sua composição de preços unitários é de 0. Durante a execução dos serviços a CODESP designará profissional responsável para atestar “in loco” a real produtividade da perfuratriz. passarelas provisórias.3 / 8. Após a cravação as estacas metálicas serão contraventadas e sequencialmente arrasadas. e que deverá ser considerado por todos os participantes.3. Ext. de acordo com o projeto.01. necessário para manter a integridade geral das estacas cravadas até que sejam “ligadas” à superestrutura.1.02. esp.COMPANHIA DOCAS DO ESTADO DE SÃO PAULO AUTORIDADE PORTUÁRIA 02. 812.05 / 6.3.5) PERFURAÇÃO ESTACAS METALICAS (Diam.02. 812.

01. Medição: A medição será por metro cúbico de concreto fornecido e aplicado conforme descrição acima e em acordo com o projeto.01. inclusive perdas. o risco será assumido inteiramente pelo empreiteiro.1.02.2. o qual apresentará certificados dos controles efetuados.01.02.01.02.02.01. em metros. 02.1. Estão inclusos: o fornecimento de materiais. transporte. Este concreto deverá ter resistência de fck = 40 MPa.02.1) CONCRETO C40 – ELEMENTOS PRÉ-MOLDADOS DE CONCRETO Descrição: Aplica-se.2.2) FORMAS – ELEMENTOS PRÉ-MOLDADOS Descrição: Aplica-se. de sorte a garantir a qualidade das superfícies das estruturas pré-moldadas de concreto. 02.02 / 05. com fck = 40 MPa. desforma e remoção dos detritos ou sobras.02.COMPANHIA DOCAS DO ESTADO DE SÃO PAULO AUTORIDADE PORTUÁRIA CODESP. tais como: escoramento lateral.01 / 6.2 / 7.01 / 04.02 / 03. este item.1. Inclui toda a mão de obra. Na hipótese de o índice de produtividade ficar aquém do estipulado pela CODESP. Também estão compreendidos o lançamento.2. Medição: A medição será efetuada pelo comprimento escavado na rocha. Pagamento: Preço unitário constante da Planilha de Preços. podendo ser obtido com a utilização de micro sílica.2. resistente a sulfetos.02 / 6. TR Página 30 de 42 . como indicado nos Projetos e Especificações Técnicas.2.1.01 / 03.2 / 8.1 / 8.01. travamentos.1. ao fornecimento na obra e aplicação do concreto para pré-moldados. Pagamento: Preço unitário constante na Planilha de Preços. as formas metálicas e/ou de madeira utilizadas na execução das peças pré-moldadas de concreto.01.01. independentemente do processo executivo adotado e os eventuais reparos.02. este item.01 / 05. perdas.1 / 7.02 / 04. materiais e equipamentos necessários. Os pré-moldados deverão garantir o recobrimento da armadura indicado em projeto executivo.2. reaproveitamento e serviços necessários a sua confecção. desmoldante. Inclui o controle tecnológico executado por laboratório especializado aprovado pela Fiscalização. adensamento e cura.02.1.

adensamento e cura. mão de obra.1 / 7.02. balsas. Pagamento: Preço unitário constante na Planilha de Preços.03. ferramentas e equipamentos necessários à perfeita execução do serviço. ao transporte de peças pré-moldadas de concreto do local de estocagem até o local de aplicação.2.3. 02.1.1.1 / 8.02.01.2. 02.4. Inclui toda a mão de obra.1. guindastes.04.01 / 04. o qual apresentará certificados dos controles efetuados.01.03 / 04. Inclui o controle tecnológico executado por laboratório especializado aprovado pela Fiscalização.03.02.3. TR Página 31 de 42 .3.1.03 / 05. este item.4 / 8. Medição: A medição da área de forma será em metros quadrados da área de superfície de concreto em contato com a forma.3 / 6.02.03.04 / 05.02.ELEMENTOS PRÉ-MOLDADOS DE CONCRETO Descrição: Aplica-se.2.01.02. Inclui também todos os escoramentos e travamentos necessários.3.04 / 04. materiais e equipamentos necessários. inclusive perdas.1 / 6. independentemente do processo executivo adotado e os eventuais reparos.01.2.1 / 7.01 / 05.2.3 / 7.1.3 / 8.01 / 05.2.01 / 04. transportada e aplicada.3.COMPANHIA DOCAS DO ESTADO DE SÃO PAULO AUTORIDADE PORTUÁRIA inclui ainda.01 / 6.1.03.01 / 03. tais como: caminhão cavalo. estando inclusos todos os equipamentos necessários para o transporte.2.IN LOCO.04 / 6.3.4 / 7.4) TRANSPORTE TERRESTRE E MONTAGEM .1) CONCRETO C40 . Descrição: Aplica-se. este item. Também estão compreendidos o lançamento. Pagamento: Preço unitário constante na Planilha de Preços.3.02.02. ao fornecimento na obra e aplicação do concreto estrutural com fck = 40 MPa “in loco” bombeável.02. barco de apoio e rebocador.04 / 03. Medição: A medição do será por metro cúbico de peça pré-moldada no canteiro.1 / 8. içamento e montagem dos mesmos.01.02.2.4.02.2.02.01.02.

02. efetivamente fornecidos e aceitos pela Fiscalização. da capa de rolamento.4. 02. com granulometria e composição de insumos atendendo às normas da ABNT e prévia aprovação da fiscalização da CODESP. desforma e remoção dos detritos ou sobras.4 / 7. onde a fiscalização solicitar.04 / 03.2.02.2.02.02.2. Pagamento: Preço unitário constante da Planilha de Preços.02. este item.02 / 05. as formas comuns utilizadas na execução das estruturas. TR Página 32 de 42 .03. com os caimentos necessários para as redes de drenagem.2. Medição: A medição da área de forma será em metros quadrados de forma desenvolvida em contato direto com o concreto moldado in loco.02.2) FORMAS .02 / 05.2. mão de obra.2 / 7.4) PAVIMENTAÇÃO ASFÁLTICA COM CBUQ E=5CM Descrição: Aplica-se este item ao fornecimento e execução de concreto asfáltico.02 / 03.2.02 / 04. ferramentas e equipamentos necessários à perfeita execução do serviço.2 / 8.2.2.2. reaproveitamento e serviços necessários a sua confecção. perdas. 02. Pagamento: Preço unitário constante na Planilha de Preços.02. inclusive forma revestida. usinado a quente (CBUQ).03.2 / 7.02 / 6. tais como: escoramento lateral.2.3. objetivando a não formação de poças d’água.02.02.4 / 8.CONCRETO IN LOCO Descrição: Aplica-se.04 / 6.3.02.02. Faz parte do item também o fornecimento e aplicação de imprimação betuminosa de ligação entre o concreto e o CBUQ.02.02 / 04.3.04.04 / 05.02.4.2.2 / 8.04 / 04.2.02.02. transporte.02.2 / 6.COMPANHIA DOCAS DO ESTADO DE SÃO PAULO AUTORIDADE PORTUÁRIA Medição: A medição será por metro cúbico de concreto fornecido e aplicado conforme descrição acima e em acordo com o projeto.02. inclui ainda. como indicado nos Projetos e Especificações Técnicas. travamentos. Estão inclusos: o fornecimento de materiais.3.

desde que essa atividade não prejudique obras e edificações existentes nas proximidades. equipamentos e materiais necessários à execução dos trabalhos. será medido por metro quadrado. incluso no preço unitário a camada ligante.3) REATERRO TR Página 33 de 42 A medição será feita por metros cúbicos de concreto demolido.02 / 05.4.5.3 / 7.05.03.3 / 8.03.01 / 05.COMPANHIA DOCAS DO ESTADO DE SÃO PAULO AUTORIDADE PORTUÁRIA Medição: O concreto asfáltico.03. compactado e aceito pela Fiscalização.03.1 / 7. 04.1) ESCAVAÇÃO Descrição: Este item se refere à escavação mecanizada de solos de primeira categoria.03. Inclui todos os serviços. Quando a demolição for de parte de peças ou estruturas.4. Pagamento: Peço unitário na Planilha de Preços.5.03. medido no corte. Medição: A medição será em metros cúbicos de volume escavado.3. Pagamento: Preço unitário constante na Planilha de Preços aplicado à medição executada conforme o projeto. Medição: corte.5.05.3. o método utilizado deverá garantir a integridade das partes remanescentes.03.03 / 05. mão de obra. mediante verificação das espessuras especificadas em projeto.4.03. 04.3.2 / 7.01 / 6. Quando se tratar de demolição total de peças. não haverá restrição ao método utilizado.5. mão de obra.03 / 6.5.3. inclusive de pedras soltas de dimensão máxima 50 cm.3.3.3.02 / 6.5.03. devidamente acabado e rolado com o uso de equipamento compatível com o nível de acabamento desejado. Pagamento: Preço unitário na Planilha de Preços. Inclui todos os serviços.3.1 / 8.3.05. 04. medido em .2 / 8.2) DEMOLIÇÃO DE CONCRETO ARMADO Descrição: Aplica-se este item à demolição de concreto armado necessária à execução das obras. equipamentos e materiais necessários à perfeita execução dos trabalhos qualquer que seja o método utilizado.

sendo o empilhamento feito mecanicamente.5. equipamentos. inclusive carga e empilhamento no local indicado pela fiscalização.03. mão de obra.3. 04. TR Página 34 de 42 .3. Os boletins de controle terão uma cópia fornecida à fiscalização e ao final do trecho de obra será fornecido pela empresa um relatório técnico dos controles efetuados.03.4) RECOMPOSIÇÃO DE PISO Descrição: Aplica-se à retirada e reassentamento de paralelepípedos existentes na pavimentação atual.5 / 8.5) TRANSPORTE DE MATERIAL – BOTA-FORA ATÉ 40 km.05 / 6. independentemente do processo executivo aplicado. espalhamento e compactação com umidade controlada do material escavado do local. estando compreendidos todos os serviços.5. se necessário. mão de obra e equipamentos necessários à execução desta atividade.3.4 / 7.05.3. mão de obra e materiais necessários à adequada execução dos trabalhos. Inclui o lançamento. equipamentos e materiais envolvidos nos transporte.03. Pagamento: Preço unitário na Planilha de Preços. Inclui também a carga nos caminhões e o espalhamento do material no bota-fora. Inclui todos os serviços.04 / 05.5.03.4.5. Medição: A medição será em metros quadrados de área recomposta. Medição: A medição será por metro cúbico de material compactado medido no corte.COMPANHIA DOCAS DO ESTADO DE SÃO PAULO AUTORIDADE PORTUÁRIA Descrição: Aplica-se este item à execução de aterro compactado dentro das escavações de valas.3.03. Inclui todos os serviços.4 / 8. Descrição: Aplica-se este item ao transporte de até 40 km dos materiais resultantes das escavações até os locais de bota-fora devidamente licenciados. Pagamento: Preço unitário na Planilha de Preços. inclusive compactação.03.4. O controle de compactação será feito por empresa especializada aprovada pela fiscalização e seu preço deve estar incluído na execução dos serviços.5 / 7. com o serviço acabado e aceito pela fiscalização. 04.05.04 / 6.05 / 05.3.

01. ou camisa metálica.5mm) Descrição: Aplica-se este item ao fornecimento de estaca metálica circular.1.1. incluindo a tubulação.1 / 7. Medição: A medição será efetuada pelo comprimento de perfuração.01 / 6.1.02 / 6.03.1 / 8.2) PERFURAÇÃO ESTACAS RAÍZ ø41CM – EM ROCHA Descrição: Aplica-se este item a perfuração em rocha para a execução de estaca raiz DN 41cm. 05. 04. Ext.3. equipamentos. mão de obra.03. espalhados e compactados no bota-fora. com a solda de guia de cravação (conectores) para estaca prancha metálica. mão de obra.1 / 7.2.3.2 / 8.1 / 8.1) FORNECIMENTO E EMENDA DE ESTACAS METÁLICAS (Diam.01 / 6. Incluso toda a mão de obra e equipamentos necessários à execução dos serviços Pagamento: Preço unitário constante na Planilha de Preços. equipamentos.1. em metros.03.3. TR Página 35 de 42 . 12.03.1. Medição: A medição será efetuada pelo comprimento de perfuração.2.3.02.1) PERFURAÇÃO ESTACAS RAÍZ ø41CM – EM SOLO Descrição: Aplica-se este item a perfuração em solo para a execução de estaca raiz DN 41cm. Pagamento: Preço unitário na Planilha de Preços.3.01.2 / 7. 04.3.1.01.02/ 05.1. incluindo a tubulação. Incluso toda a mão de obra e equipamentos necessários à execução dos serviços Pagamento: Preço unitário constante na Planilha de Preços.01.01 / 05. em metros.1. 1016mm.1.2. equipe de topografia e demais acessórios necessários para a execução dos serviços. equipe de topografia e demais acessórios necessários para a execução dos serviços.COMPANHIA DOCAS DO ESTADO DE SÃO PAULO AUTORIDADE PORTUÁRIA Medição: A medição será feita por metros cúbicos transportados. esp.01.

Designing and Constructing Fixed Offshore Platforms – WSD. Plates. e na omissão destas. Manual of Steel Construction. por metro linear de camisa metálica levantada no projeto.COMPANHIA DOCAS DO ESTADO DE SÃO PAULO AUTORIDADE PORTUÁRIA conforme as especificações do projeto executivo. sujeito a prévia aprovação da CODESP.1 .3.03.Structural Welding Code – Steel. Medição: A medição será efetuada em parcelas.3.G.2. 25% na execução das emendas e fixação dos conectores em obra. acompanhado dos prazos de entrega de cada lote.60. 05.1) FORNECIMENTO DE ESTACA PRANCHA Descrição: Aplica-se este item ao fornecimento.2.High Strength Bolts for Structural Steel Joints.3. • • 25% na comprovação da chegada do material no canteiro/obra/porto. de todas as estacas pranchas metálicas. AISC . ASTM A6 . ASTM A325 .. ASTM A53 . Todas as estruturas serão com emprego aço S430GP – Norma EN10248 equivalente a Norma ASTM A572. fornecidas do tipo estacas pranchas metálicas tipo PU 18 ou TR Página 36 de 42 . as medições serão conforme os eventos destacados a seguir: • 30% do valor do item mediante apresentação do pedido/contrato com o fornecedor previsto.1 / 8. WSD.2.Standard Specification and General Requirements for Rolled Steel Bars. DIN (Deutsche Industrie Normen) 4114. No caso de aquisição de materiais no mercado nacional e internacional.1 / 7.02. as seguintes normas: • • • • • • • AWS D1. 9th Ed. Pagamento: Por metro de estaca fornecida. • 20% na inspeção final em fábrica quando da partida do material para as obras no porto. Faz parte destes itens a execução de emendas necessárias para a execução dos serviços.Welded and Seamless Pipe. API RP2A .American Institute of Steel Construction.Recommended Practice for Planning.01 / 6. As estruturas deverão ser fabricadas de acordo com as normas da ABNT. Shapes and Sheet Piling.

2. acompanhado dos prazos de entrega de cada lote. locação/posicionamento das estacas metálicas.02 / 6. por metro linear de estaca prancha Medição: metálica levantada no projeto. No caso de aquisição de materiais no mercado nacional e internacional.Structural Welding Code – Steel. 9th Ed.02. Manual of Steel Construction. em conformidade com a medição referida no item anterior. Pagamento: Os serviços serão pagos pelos preços unitários contratuais. AISC .American Institute of Steel Construction. ASTM A325 . ASTM A53 .Standard Specification and General Requirements for Rolled Steel Bars.1 .High Strength Bolts for Structural Steel Joints. Plates.Welded and Seamless Pipe.2 / 7.2 / 8..2) TRANSPORTE E CRAVAÇÃO DE ESTACAS PRANCHA Descrição: Aplica-se este item à execução do transporte.COMPANHIA DOCAS DO ESTADO DE SÃO PAULO AUTORIDADE PORTUÁRIA similar. içamento.2. As estruturas deverão ser fabricadas de acordo com as normas da ABNT. • 20% na inspeção final em fábrica quando da partida do material para as obras no porto. 05. A medição será efetuada em parcelas. Designing and Constructing Fixed Offshore Platforms – WSD.03. WSD. e na omissão destas. DIN (Deutsche Industrie Normen) 4114. API RP2A .Recommended Practice for Planning. solda e corte com mão de obra TR Página 37 de 42 . • 50% na comprovação da chegada do material no canteiro/obra/porto. Deverão estar incluídos nos custos todas as despesas com atividades embarcadas e submersas de movimentação de cargas.2. ASTM A6 . as seguintes normas: • • • • • • • AWS D1. Shapes and Sheet Piling. sujeito a prévia aprovação da CODESP.3. sua cravação até a nega estabelecida pelo projeto executivo.3.3. as medições serão conforme os eventos destacados a seguir: • 30% do valor do item mediante apresentação do pedido/contrato com o fornecedor previsto.

topografia e montagem. bem como ao fornecimento e injeção de nata de cimento em colunas com diâmetro médio de 1200mm. caso as mesmas não sejam atendidas deverá ser consultado o projetista. A cravação será feita com o emprego de martelo compatível com as cargas de trabalho e a tipologia do solo. equipe de mergulho. mão de obra.01 / 6. em metros. Pagamento: Preço unitário constante na Planilha de Preços. incluindo a tubulação. Após a cravação deverá ser verificado o atendimento às tolerâncias especificadas no projeto.3.3. e Data da cravação da estaca metálica e da perfuração. Medição: A medição será efetuada pelo comprimento de coluna escavada e injetada. Comprimento de penetração.1) JET-GROUTING (VEDAÇÃO) – DIAM 1200mm . A cravação das estacas deverá ser registrada em boletins específicos contendo: • • • • • Comprimento da estaca metálica. Peso do martelo. equipamentos e demais acessórios necessários para a execução dos serviços. 05. e.03. Medição: As medições serão efetuadas por metro linear de estaca prancha cravada. altura de queda e nega final de cravação da estaca metálica. com a anotação do número de golpes do martelo (se for o caso) por metro de penetração. A solução técnica de Jet-Grouting a ser adotada na região mais próxima ao cais novo deverá prever a impossibilidade de refluxo de nata.03.COMPANHIA DOCAS DO ESTADO DE SÃO PAULO AUTORIDADE PORTUÁRIA qualificada. com a utilização de guindastes compatíveis com o peso das cargas manuseadas e alcances requeridos. objetivando não existir concretagem de solo existente que dificulte posterior dragagem. Nível da ponta e da cabeça da estaca. TR Página 38 de 42 .1 / 7. ESP 1000mm Descrição: Aplica-se este item a perfuração em solo e solo residual para a execução de Jet-Grouting. Pagamento: Preço unitário constante na Planilha de Preços.3.3.

8 26. Tipo Carga geral Tam.04. .0 318.3ª demão (intermediária): epóxi alta espessura. com ESPM de 50 µm.01. devendo o fornecedor apresentar todos os laudos que comprovem a qualidade e a resistência dos materiais empregados.01.0 115.1. As defensas. Máx.7 6. .0 7. Os componentes metálicos em contato direto com a água do mar deverão receber o seguinte tratamento de superfície para evitar corrosão: .5 B (m) 32.01. com ESPM de 125 µm.01 / 05. conforme especificação de projeto. podendo ser de fabricação nacional ou internacional. TR Página 39 de 42 .1 13.5 7.000.8 11. Mín.6 42.000.4ª demão (acabamento): esmalte poliuretano.1 / 8.4. Juntamente com a entrega do material deverão ser entregues os certificados de garantia do fabricante do lotes entregues.4. com todos os acessórios necessários para sua adequada instalação. com ESPM de 125 µm.7 7.0 194.0 30.0 37.0 5. Mín.03.0 1.000. a critério único e exclusivo da aprovação da fiscalização da Autoridade Portuária. e durante sua confecção.9 21.0 10.5 D (m) 14.210.0 L (m) 245.300.000.7 9. antes de serem embarcadas e transportadas para o canteiro de obras.4 * Contêiner Passageiros Marinha (Rebocador) Navio-Patrulha O sistema de defensas projetado é o MCN 1150G3.01 / 03.6 7. Máx.0 DT (ton) 85.1.0 55. TPB (ton) 70.0 14.03.04.0 134. .4 46.000. com esforço de reação de até 1297kN.680.000. com ESPM de 40 µm. discriminada na tabela abaixo indicada.6 3.01. de capacidade maior ou igual.9 2.01 / 6.4.0 230.000.0 110.1.2ª demão (intermediária): epóxi alta espessura. ou similar. Máx.3 16.000. serão fiscalizadas pela CODESP na fabrica correspondente.1) FORNECIMENTO DE DEFENSAS Descrição: Aplica-se este item ao fornecimento de sistemas de defensas. Mín.1ª demão (primer): epóxi rico em zinco.0 104.0 70.COMPANHIA DOCAS DO ESTADO DE SÃO PAULO AUTORIDADE PORTUÁRIA 02.1 / 7.01 / 04.0 293.

01 / 03.1.02 / 03.01 / 05.02.01 / 6.4.1) FORNECIMENTO DE CABEÇOS DE AMARRAÇÃO Descrição: Aplica-se este item ao fornecimento de sistemas de cabeços de amarração duplos com capacidade de 1000kN.1 / 8.2) MONTAGEM DE DEFENSAS Descrição: Aplica-se este item aos serviços de montagem do sistema de defensas. Pagamento: Preço unitário constante na Planilha de Preço. O fornecimento será medido por conjunto completo entregue e aceito pela TR Página 40 de 42 . do tipo MDB 100 ou similar.02.4. incluso tratamento superficial (2 demãos de Black Betumastic) inclusive com os laudos técnicos de testes apresentados pelo fabricante a serem submetidos à aprovação da CODESP.2 / 7.01. equipamentos e serviços necessários.03.COMPANHIA DOCAS DO ESTADO DE SÃO PAULO AUTORIDADE PORTUÁRIA Medição: O fornecimento será medido por conjunto completo de defensa fornecido.01.01.4.02 / 05. e aceito pela fiscalização.03.03. com todos os acessórios para sua adequada instalação.04.03.4.02.02.1.1 / 7.02 / 6. Inclui o fornecimento de todos os materiais.04.04. conforme especificação de projeto.02 / 04.04. Pagamento: Preço unitário constante na Planilha de Preços. 02.2. 02.2 / 8.2. Medição: Fiscalização. Pagamento: Preço unitário constante na Planilha de Preço.4.4.01. Medição: Os serviços serão medidos por unidade devidamente implantada.1.com todos os acessórios necessários para a adequada instalação e funcionamento.2.01 / 04.

02. equipamentos e mão de obra necessários para a execução dos serviços. Pagamento: Preço unitário constante na Planilha de Preço. Inclui o fornecimento de todos os materiais.2 / 8.4. serviço acabado e aceito pela Fiscalização. mão de obra e equipamentos necessários à adequada execução do trabalho. materiais.2) MONTAGEM DE CABEÇOS DE AMARRAÇÃO Descrição: Aplica-se este item aos serviços de montagem de cabeços de amarração e atracação. Medição: Os serviços serão medidos por metro linear de barras chumbadas/fixadas.2 / 7.2.02 / 03.01) HILT HIT RE 500 OU SIMILAR Descrição: Aplica-se este item ao fornecimento e aplicação de sistema de chumbadores estruturais.COMPANHIA DOCAS DO ESTADO DE SÃO PAULO AUTORIDADE PORTUÁRIA 02. Medição: Os serviços serão medidos por unidade devidamente implantada e aceito pela Fiscalização. conforme especificação de projeto. 09.4. 09.02 / 05.02 / 04. Inclui todos os serviços. aceita pela Fiscalização. para ancoragem da estrutura nova na estrutura antiga. conforme o projeto executivo.02. Pagamento: Preço unitário constante na Planilha de Preços.04.03. e demais materiais. com todos os acessórios necessários para a adequada instalação e funcionamento. Inclui o fornecimento da cola estrutural.2.4. Medição: A medição será por metro cúbico de concreto fornecido e aplicado.03) LASTRO DE CONCRETO (CONCRETO MAGRO) Descrição: Trata-se do fornecimento de concreto fck = 10 MPa e da sua aplicação para efeito da implantação de lastro para determinados dispositivos estruturais.02. TR Página 41 de 42 . tipo HILT-HIT ou similar.03.2. equipamentos e serviços necessários.02.04.02 / 6.

Pagamento: Preço unitário na Planilha de Preços. planilha e critérios de medição) 12 – Anexo C. para fins de cravação de estacas. Rede de Água Potável e Incêndio (caderno a parte com descrição. poderá ser necessária a retirada de pedras argamassadas existentes na soleira da murada do cais. caminhão) e mão de obra especializada para execução do serviço. Rede de Energia Elétrica e Iluminação (caderno a parte com descrição. 09. planilha e critérios de medição) TR Página 42 de 42 . incluindo todos os serviços descritos acima. Rede de Drenagem de Águas Pluviais (caderno a parte com descrição. rebocadores.04) RETIRADA DE PEDRAS DA ÁREA SUBMERSA A SER ESTAQUEADA Descrição: Na região de interface com o cais antigo. medido em caminhão e aceito pela fiscalização. escavadeira.COMPANHIA DOCAS DO ESTADO DE SÃO PAULO AUTORIDADE PORTUÁRIA Pagamento: Preço unitário na Planilha de Preços. planilha e critérios de medição) 11 – Anexo B. barcos de apoio. REDES DE UTILIDADES 10 – Anexo A. e para tanto o empreiteiro deverá utilizar todos os equipamentos necessários (drag-line. Medição: O empreiteiro será ressarcido por metro cúbico de material removido.