You are on page 1of 54

4T16

Relatório de Resultados
Teleconferência de Resultados Números de Acesso:
Data: 10 de março de 2017 (Sexta-Feira) Brasil: +55 11 3193-1001
Português: 11h00 (Brasília) +55 11 2820-4001
Inglês: 12h30 (Brasília) EUA: +1 (888) 700-0802
Webcast : ri.multiplan.com.br Outros países:
+1 (786) 924-6977
Código: Multiplan
Aviso Legal
Este documento pode conter considerações futuras que estão sujeitas a riscos e incertezas uma vez que se baseiam nas
expectativas da administração da Companhia, bem como nas informações disponíveis. A Companhia não está obrigada a
atualizar tais afirmações.

As palavras "antecipar“, “desejar“, "esperar“, “prever“, “pretender“, "planejar“, "prognosticar“, “projetar“, “objetivar" e termos
similares são utilizados para identificar tais afirmações.

As projeções referem-se a eventos futuros que podem ou não vir a ocorrer. Nossa futura situação financeira, resultados
operacionais, participação de mercado e posicionamento competitivo podem diferir substancialmente daqueles expressos ou
sugeridos em tais projeções. Muitos dos fatores e valores que estabelecem esses resultados estão fora do controle ou da
expectativa da Companhia. O leitor/investidor não deve basear-se exclusivamente nas informações contidas neste relatório para
tomar decisões com relação à negociação de valores mobiliários de emissão da Multiplan.

Este documento contém informações sobre projetos futuros que poderão tornar-se diversas devido a alterações nas condições
de mercado, alterações de lei ou políticas governamentais, alterações das condições de operação do projeto e dos respectivos
custos, alteração de cronogramas, desempenho operacional, demanda de lojistas e consumidores, negociações comerciais ou
de outros fatores técnicos e econômicos. Tais projetos poderão ser modificados no todo ou parcialmente, a critério da Companhia,
sem prévio aviso. As informações não contábeis não foram revisadas pelos auditores externos.

Neste relatório, a Companhia optou por apresentar os saldos consolidados, de forma gerencial, de acordo com as práticas
contábeis vigentes até 31 de dezembro de 2012, conforme informado abaixo.

Para maiores informações, favor consultar as Demonstrações Financeiras, o Formulário de Referência e outras informações
relevantes disponíveis no nosso site de Relações com Investidores ri.multiplan.com.br.

Relatório Gerencial
Durante o exercício de 2012, o Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC) emitiu os seguintes pronunciamentos que afetam
as atividades da Companhia e suas controladas, dentre outros: (i) CPC 18 (R2) - Investimento em Coligada, em Controlada e em
Empreendimento Controlado em Conjunto; (ii) CPC 19 (R2) - Negócios em Conjunto. Esses pronunciamentos passaram a ter
sua aplicação requerida para os exercícios iniciados a partir de 1º de janeiro de 2013. Tais pronunciamentos determinam, dentre
outras coisas, que empreendimentos controlados em conjunto sejam registrados nas demonstrações financeiras através do
método de equivalência patrimonial. Nesse caso, a Companhia deixa de consolidar proporcionalmente os 50% de participação
na Manati Empreendimentos e Participações S.A., empresa detentora de 75% do ShoppingSantaÚrsula, e os 50% de
participação na Parque Shopping Maceió S.A., empresa detentora de 100% do shopping center do mesmo nome. Este relatório
possui caráter gerencial e, por essa razão, não considera a aplicação dos CPCs 18 (R2) e 19 (R2). Dessa forma, as informações
e/ou análises de desempenho constantes deste relatório consideram a consolidação proporcional da Manati Empreendimentos
e Participações S.A., e da Parque Shopping Maceió S.A. Para informações adicionais, favor consultar a nota 8.4 das
Demonstrações Financeiras de 31 de dezembro de 2016.

A Multiplan está apresentando seus resultados em formato gerencial para fornecer ao leitor dados operacionais mais completos.
Favor acessar seu website ri.multiplan.com.br para consultar suas Demonstrações Financeiras de acordo com o Comitê de
Pronunciamentos Contábeis – CPC.

Favor consultar a página 46 para uma breve descrição das mudanças determinadas pelos Pronunciamentos Contábeis CPC 18
(R2) e CPC 19 (R2), e a conciliação entre os números contábeis e gerenciais.

2
Sumário

1. Demonstração de Resultados Consolidados – Gerencial ............................................................................ 8
2. Aquisições de Participações Minoritárias ..................................................................................................... 9
3. Indicadores Operacionais .......................................................................................................................... 11
4. Receita Bruta ............................................................................................................................................. 16
5. Resultados da Participação em Propriedades ........................................................................................... 17
6. Resultados da Administração de Shopping Centers .................................................................................. 23
7. Resultados do Desenvolvimento de Shopping Centers ............................................................................. 24
8. Resultados de Empreendimentos Imobiliários ........................................................................................... 25
9. Resultados Financeiros ............................................................................................................................. 26
10. Desenvolvimento de Projetos .................................................................................................................. 33
11. MULT3 e Mercado de Ações ................................................................................................................... 37
12. Valor Justo das Propriedades para Investimento de acordo com CPC 28 .............................................. 38
13. Portfólio .................................................................................................................................................... 40
14. Estrutura Societária ................................................................................................................................. 42
15. Dados Operacionais e Financeiros .......................................................................................................... 44
16. Conciliação entre IFRS com CPC 19 (R2) e Gerencial ............................................................................ 46
17. Anexos ..................................................................................................................................................... 49
18. Glossário .................................................................................................................................................. 53

Evolução dos Indicadores Financeiros da Multiplan

Variação CAGR %
2007
R$ Milhões 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 % (2016/ (2016/
(IPO)¹
2007) 2007)
Receita Bruta 368,8 452,9 534,4 662,6 742,2 1.048,0 1.074,6 1.245,0 1.205,2 1.257,5 +241,0% +14,6%
NOI 212,1 283,1 359,4 424,8 510,8 606,9 691,3 846,1 934,8 964,6 +354,8% +18,3%
EBITDA 212,2 247,2 304,0 350,2 455,3 615,8 610,7 793,7 789,2 818,3 +285,6% +16,2%
FFO 200,2 237,2 272,6 368,2 415,4 515,6 426,2 552,9 530,7 484,2 +141,9% +10,3%
Lucro Líquido 21,2 74,0 163,3 218,4 298,2 388,1 284,6 368,1 362,2 311,9 +1.374,4% +34,8%

¹ EBITDA de 2007 ajustado pelas despesas referentes ao processo de abertura de capital

1.245 1.205 1.258
1.048 1.075
935 965
846 818
742 691 794 789
663 607 616611
534 511 516 553 531
453 455 484
425 426
369 359 350 368 415 388 368 362 312
283 247 304 200 237
273 298 285
212 212 163 218
21 74

Receita Bruta NOI EBITDA FFO Lucro Líquido
2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016
Desempenho histórico dos resultados da Multiplan (R$ Milhões)

Visão Geral

A Multiplan Empreendimentos Imobiliários S.A. é uma das maiores empresas de shopping centers do Brasil. Fundada como uma
empresa full service, responsável pelo planejamento, desenvolvimento, propriedade e administração de um dos maiores e
melhores portfólios de shopping centers do Brasil. A Companhia também participa estrategicamente do setor de desenvolvimento
de imóveis comerciais e residenciais, gerando sinergias para operações relacionadas a shopping centers ao criar projetos
multiuso em áreas adjacentes. Ao final de 2016, a Multiplan detinha – com uma participação média de 75,9% - 18 shopping
centers com ABL total de 775.575 m², dos quais 17 shopping centers são administrados pela Companhia, mais de 5.400 lojas e
tráfego anual estimado em 180 milhões de visitas. Adicionalmente, a Multiplan detinha – com uma participação média de 92,4%
- 2 conjuntos de torres comerciais com ABL total de 87.558 m², que adicionados à ABL de shopping center somam uma ABL total
de 863.133 m².

3
RECEITA DE LOCAÇÃO CRESCE DOIS DÍGITOS
NO 4T16, ALCANÇANDO R$298 MILHÕES E
R$929 MILHÕES EM 2016
Tempo de oportunidades: aquisiçoes recentes aumentaram a
participaçao da Companhia nos ativos mais produtivos do portfolio. Na
parte operacional, os numeros mostraram melhora substancial ao longo
de 2016, apesar do cenario desafiador.

As Vendas na Mesma Área (SAS) dos lojistas Evolução das Vendas na Mesma Área – Base: 2013

cresceram 3,3% em 2016, replicando o +460 19.370
+528
+1.518
crescimento de 2015 e acumulando um
16.864 +14,9%
crescimento de 14,9% desde 2013. No 4T16, a
melhoria do mix de lojas levou o SAS a crescer
2,5%, superando novamente as Vendas nas 2013 2014 2015 2016 2016

Mesmas Lojas (SSS). Evolução da Inadimplência como
% da Receita de Locação
A inadimplência bruta caiu sequencialmente ao 4,5%
4,5% 4,0%
4,0%
longo do ano, chegando a 2,4% no 4T16. Fortes 3,1%
3,1%
2,4% 3,5%
1,9% 2,4%
recuperações levaram a inadimplência líquida a cair 1,9% 3,6% 3,6%
2,4% 1,9%
ainda mais. A taxa de ocupação média em 2016 2,4% 0,9%0,9%

ficou em 97,5%. 4T15 1T16 2T16 3T16 4T16
4T15 1T16 2T16 3T16 4T16 2015 2016
A receita de locação acelerou e cresceu 11,7% Inadimplência Bruta
Inadimplência Líquida
no 4T16, ou 7,9% em 2016, com a receita de
Evolução da Taxa de Ocupação
estacionamento também evoluindo 7,9% no ano. O dos Shopping Centers

NOI de R$964,6 milhões apresentou uma margem 97,5%
97,3%
de 86,4%.
98,3%
98,0%

97,6%
97,9%

97,4%

O Morumbi Corporate apresentou fortes
resultados em 2016, com a receita de locação
4T15 1T16 2T16 3T16 4T16 2015 2016
crescendo 27,6% no ano. A taxa de ocupação das
torres atingiu 96,2% em dezembro de 2016. Evolução da Receita de Locação do Morumbi Corporate
(R$) e sua Taxa de Ocupação Média (%)
O CAPEX de 2016 foi o maior dos últimos quatro +27,6%

anos, e o segundo maior desde a Abertura de
83,8 M
Capital da Companhia, em 2007, alcançando 81,1 M
76,8 M
72,5 M
R$952,1 milhões, devido principalmente às 94,9%
65,7 M
aquisições minoritárias no BarraShopping e no 92,1%
91,5% 91,5%
MorumbiShopping. 90,5%

dez/15 mar/16 jun/16 set/16 dez/16
Receita de locação (12M) Taxa de ocupação

4
Por conta das aquisições de participação Evolução da Relação Dívida Líquida/EBITDA
mencionadas, a relação dívida líquida/EBITDA Menor
4,00x Covenant
aumentou para 3,04x no final do ano, mantendo (4,00x)
3,00x
uma diferença confortável para o covenant mais 3,04x
baixo de dívida, de 4,00x. Em 2016, o lucro líquido 2,00x 2,44x 2,43x 2,40x
2,33x

ficou em R$311,9 milhões e o FFO em R$484,2
1,00x
milhões dez/15 mar/16 jun/16 set/16 dez/16 dez/16
mar/17+
Aumento de
Capital
A Companhia emitiu em dezembro de 2016
Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI), Evolução do CAPEX (R$)

totalizando R$300,0 milhões com um prazo de 6
1.344,4 M
anos, a uma taxa de 95,0% do CDI. A emissão
estendeu o prazo de amortização de dívida da 952,1 M
775,0 M
Companhia e foi avaliada com um rating BrAAA
pela Fitch Ratings. 301,7 M 297,2 M

Um total de 56.500 m² de ABL total está 2012 2013 2014 2015 2016
programado para inaugurar em 2017. O
% da ABL a inaugurar em 2017
cronograma inclui o ParkShoppingCanoas, 76,0%
locado em dezembro de 2016, assim como a
Nova ABL de 2017
Expansão do Centro Médico RibeirãoShopping 6,8%
e a segunda fase da Expansão II do Pátio Savassi.

A ação da Multiplan (MULT3 na BM&FBOVESPA)
valorizou 56,3% no ano, com um volume médio
diário de R$39,5 milhões. ABL total de
shopping center
93,2%
Eventos recentes: em 9 de janeiro de 2017,
a Multiplan anunciou uma nova
aquisição de participação minoritária no
Evolução da MULT3 na BM&FBOVESPA
ParkShoppingBarigüi, aumentando sua
participação em 9,3% para um total de 93,3% da
ABL do shopping center. MULT3 IBOV
+56,3% +38,9%
180
Na mesma data, o Conselho de Administração
aprovou um Aumento de Capital Privado. A 160

operação foi concluída em 8 de março, no montante 140

de R$600,0 milhões, o que representa 10.256.411 120
 MULT3 /
novas ações ordinárias, nominativas e escriturais, 100 IBOV: +480 p.b.

a um preço de emissão de R$58,50 por ação.
80
dez/15 mar/16 jun/16 set/16 dez/16

5
4T16
MULT3

Mensagem do Presidente

Prezados Acionistas,

Em julho de 2017, completaremos dez anos desde que a companhia realizou sua Abertura de Capital, com valor
de mercado fixado em R$3,7 bilhões. Hoje (março de 2017) a Multiplan está avaliada na BM&FBovespa em valores
superiores a R$12,0 bilhões. Nesta última década, a Companhia realizou investimentos em dezenas de projetos,
expansões de shoppings centers, construção de edifícios comerciais e residenciais, culminando num crescimento
de seu capital de mais de três vezes em relação a 2007, enquanto retornou a seus acionistas R$1,1 bilhão em
dividendos e Juros sobre Capital Próprio.

Analisando os principais indicadores econômicos entre 863 m il m ²

2007 e 2016 – Receita, EBITDA, FFO, Lucro Líquido e
Valor das Ações – podemos constatar que o crescimento +512 m il m ²
da companhia foi de 241%, 367%, 142%, 1.374% e
138%, respectivamente.

Essa retrospectiva resume parte da nossa história e
+171 m il m ²
ressalta como foi importante contar com o apoio do
mercado de capitais e com a confiança de nossos
+60 m il m ²
acionistas. Se fizermos uma análise do período completo, +101 m il m²
veremos o quanto uma companhia, com 43 anos, cresceu 19 m il m ²

nestes últimos dez anos de capital aberto.
1979-85 1986-95 1996-05 2006-16
Evolução da ABL Total da Multiplan – 1979-2016

Devemos ressaltar que a maior parte deste crescimento foi construído dentro da própria empresa, com projetos e
empreendimentos desenvolvidos e executados pelo nosso corpo técnico e pelos nossos colaboradores.

Contribuímos expressivamente para o setor de shopping centers no Brasil através de diversas inovações.
Movimento este que certamente se tornará ainda mais importante nestes momentos de dificuldade que o país
atravessa, em que o esforço criativo da Companhia está sendo superado.

Nunca tememos as crises, porque sempre vimos nestas situações uma grande oportunidade de crescimento. Os
números em si e a história atestam uma empresa altamente dinâmica e criativa.

Em 2016, ano que o povo brasileiro quis tanto deixar para trás, nós ainda realizamos investimentos da ordem de
R$950 milhões, o segundo maior desde a nossa abertura de capital, incluindo três importantes aquisições (duas
no BarraShopping e uma no MorumbiShopping, não considerando uma no ParkShoppingBarigüi no começo de
2017) e investimentos em nossos projetos existentes e em desenvolvimento.

Finalizamos em 8 de março de 2017, uma fantástica façanha no mercado de capitais que se iniciou de um projeto
idealizado ainda em 2016. A companhia concluiu um aumento de capital privado, acrescendo seu capital em R$600
milhões, sendo 100% das ações subscritas. A ação adquirida a R$58,50 no aumento de capital ofereceu um ganho
de 10,0% em relação à cotação de R$64,35, no fechamento de ontem, 8 de março, data em que também
celebramos o Dia das Mulheres, que são as grandes protagonistas deste nosso país.

6
4T16
MULT3

Neste ano, vamos inaugurar o nosso 19º shopping center, o ParkShoppingCanoas, empreendimento que se
encontra com 76% da área locada. As obras estão em adiantado processo de finalização e serão concluídas em
novembro de 2017.

Gostaríamos de destacar que este empreendimento é uma das mais importantes contribuições para cidade de
Canoas, no Rio Grande do Sul. Fizemos obras viárias, urbanização e a renovação do Parque Getúlio Vargas,
localizado em área contígua ao novo shopping, dando àquela região uma nova energia e valorização imobiliária.

Finalmente, completo esta mensagem dirigindo-me a vocês, certo de que a economia brasileira está sendo
resgatada pela nova administração, cujas reformas em curso, ao seu término, nos recolocarão no status de uma
entre as dez mais importantes economias do mundo.

Reconheço que a excelente gestão econômica do governo, que muito além dos atuais resultados, encontra-se
voltada para a indispensável reconstrução do país. Continuamos sempre confiando nesta nação, acreditando que,
em 2017, teremos a satisfação de ver o Brasil novamente crescendo econômica e socialmente.

Nas páginas deste documento e das nossas Demonstrações Financeiras, vocês encontrarão todos os detalhes do
nosso resultado de 2016.

Espero que apreciem a leitura tanto quanto nós apreciamos levá-la até vocês.

Obrigado por seu apoio contínuo,

José Isaac Peres
Presidente

7
4T16
MULT3

1. Demonstração de Resultados Consolidados – Gerencial

(R$'000) 4T16 4T15 Var. % 2016 2015 Var. %
Receita de locação 297.585 266.527 +11,7% 929.458 861.647 +7,9%
Receita de serviços 24.092 27.777 -13,3% 119.914 110.435 +8,6%
Receita de cessão de direitos 4.293 4.266 +0,6% 13.932 24.914 -44,1%
Receita de estacionamento 53.930 49.690 +8,5% 190.742 176.757 +7,9%
Venda de imóveis (6.303) 1.467 n.d. (724) 18.859 n.d.
Apropriação de receita de aluguel linear (29.875) (16.858) +77,2% (3.489) 7.917 n.d.
Outras receitas 2.541 718 +254,0% 7.698 4.709 +63,5%
Receita Bruta 346.263 333.586 +3,8% 1.257.532 1.205.238 +4,3%
Impostos e contribuições sobre vendas e serviços
(35.196) (34.005) +3,5% (127.779) (119.811) +6,7%
prestados
Receita Líquida 311.067 299.581 +3,8% 1.129.753 1.085.426 +4,1%
Despesas de sede (34.643) (33.422) +3,7% (136.305) (124.564) +9,4%
Remuneração baseada em opções de ações 5.299 (2.982) n.d. (13.585) (12.794) +6,2%
Despesas de shopping centers (42.465) (27.654) +53,6% (144.309) (101.052) +42,8%
Despesas com escritórios para locação (2.361) (2.401) -1,7% (7.833) (10.451) -25,0%
Despesas com novos projetos para locação (5.646) (2.894) +95,1% (11.147) (14.796) -24,7%
Despesas com novos projetos para venda (694) (1.028) -32,4% (2.626) (4.204) -37,5%
Custo de imóveis vendidos 10.097 (2.098) n.d. 2.046 (18.954) n.d.
Resultado de equivalência patrimonial (128) (27) +366,3% (101) (2) +4.680,1%
Outras receitas (despesas) operacionais (748) 184 n.d. 2.440 (9.451) n.d.
EBITDA 239.777 227.259 +5,5% 818.331 789.157 +3,7%
Receitas financeiras 15.890 18.118 -12,3% 81.885 56.253 +45,6%
Despesas financeiras (80.760) (65.766) +22,8% (296.226) (243.392) +21,7%
Depreciações e amortizações (42.397) (39.505) +7,3% (160.387) (157.645) +1,7%
Lucro Antes do Imposto de Renda 132.510 140.106 -5,4% 443.604 444.372 -0,2%
Imposto de renda e contribuição social (41.970) (4.416) +850,5% (119.917) (71.554) +67,6%
Imposto de renda e contribuição social diferidos (5.651) 1.989 n.d. (11.885) (10.859) +9,4%
Participação dos acionistas minoritários 271 24 +1.047,1% 139 226 -38,4%
Lucro Líquido 85.160 137.703 -38,2% 311.941 362.185 -13,9%

(R$'000) 4T16 4T15 Var. % 2016 2015 Var. %
NOI 276.815 269.303 +2,8% 964.569 934.817 +3,2%
Margem NOI 86,1% 90,0% -390 p.b. 86,4% 89,3% -297 p.b.
NOI + Cessão de Direitos 281.108 273.569 +2,8% 978.502 959.731 +2,0%
Margem NOI + Cessão de Direitos 86,2% 90,1% -385 p.b. 86,5% 89,6% -305 p.b.
EBITDA de propriedades 241.277 232.149 +3,9% 830.725 812.279 +2,3%
Margem EBITDA de propriedades 76,2% 77,8% -166 p.b. 73,5% 76,0% -254 p.b.
EBITDA 239.777 227.259 +5,5% 818.331 789.157 +3,7%
Margem EBITDA 77,1% 75,9% +122 p.b. 72,4% 72,7% -27 p.b.
Lucro Líquido 85.160 137.703 -38,2% 311.941 362.185 -13,9%
Margem Líquida 27,4% 46,0% -1.859 p.b. 27,6% 33,4% -576 p.b.
Lucro Líquido Ajustado 90.811 135.714 -33,1% 323.826 373.044 -13,2%
Margem Líquida ajustada 29,2% 45,3% -1.611 p.b. 28,7% 34,4% -570 p.b.
Fluxo de Caixa Operacional FFO 133.208 175.219 -24,0% 484.213 530.689 -8,8%
Margem FFO 42,8% 58,5% -1.567 p.b. 42,9% 48,9% -603 p.b.

8
4T16
MULT3

2. Aquisições de Participações Minoritárias

Multiplan adquire participações em dois dos seus ativos mais produtivos: BarraShopping e MorumbiShopping

Em 2016, a Multiplan anunciou duas aquisições de participação minoritária no BarraShopping e no MorumbiShopping, que
aumentaram a participação da Companhia para 65,8% e 73,7%, respectivamente, da Área Bruta Locável (ABL) de cada
shopping.

A primeira compra foi assinada em 1º de setembro de 2016, 100,0%
com a coproprietária Fundação Sistel de Seguridade Social,
98,0%
por um total de R$495,9 milhões, divididos entre R$311,2
milhões pela participação de 10,3% da ABL do 96,0%
BarraShopping e R$184,7 milhões pela participação de
94,0%
8,0% da ABL do MorumbiShopping. A negociação foi
concluída em 31 de outubro de 2016. 92,0%
4T13 4T14 4T15 4T16
Em 9 de novembro de 2016, a Companhia anunciou um
Portfólio BarraShopping MorumbiShopping
segundo acordo com outra coproprietária, Carvalho Hosken
97,4% 99,5% 99,5%
S.A Engenharia e Construções, pela fração ideal do terreno
Taxa média de ocupação (%)
correspondente a 4,5% da ABL do BarraShopping, por um
total de R$143,9 milhões. A negociação foi concluída em 7
de dezembro de 2016. 31.820 m²
28.225 m²
Sobre o MorumbiShopping: O shopping center foi
19.851 m²
inaugurado em 1982 em São Paulo, SP – a maior cidade
do Brasil – e está localizado em uma região de elevado
crescimento na cidade. Desde sua inauguração, a
Companhia desenvolveu cinco torres comerciais em torno
Portfólio BarraShopping MorumbiShopping
do shopping, incluindo o Morumbi Corporate, um complexo
Vendas totais/m2 2016 (R$)
de alto padrão com duas torres para locação, inaugurado
em 2013. O shopping atualmente, possui as maiores
40.257 m²
vendas e aluguel por m² do portfólio, com grande potencial
33.211 m²
para futuras expansões. 27.106 m²

Sobre o BarraShopping: Inaugurado em 1981 no Rio de
Janeiro, RJ – a segunda maior cidade do Brasil – o
BarraShopping está localizado na Barra da Tijuca, região
que possui um dos maiores potenciais de consumo do país1 Portfólio BarraShopping MorumbiShopping
e recentemente se beneficiou com os investimentos e 2
Vendas de lojas satélites/m 2016 (R$)

infraestrutura feitos para os Jogos Olímpicos 2016. Desde
sua inauguração, a Multiplan desenvolveu 11 edifícios 2.801 m²
2.597 m²
comerciais e 20 edifícios residenciais, próximos ao
1.422 m²
shopping. Após sete expansões – incluindo a recente
expansão do Centro Médico – o BarraShopping possui a
segunda maior venda e aluguel por m² do portfólio.
Portfólio BarraShopping MorumbiShopping
Aluguel/m² 2016 (R$)

1 De acordo com pesquisa da empresa de inteligência de mercado Geofusion, relatada pelo jornal O Globo em 2 de março de 2016
9
4T16
MULT3

Evento Recente: Multiplan adquire participação minoritária no ParkShoppingBarigüi

Após anunciar as aquisições mencionadas na página anterior, em janeiro de 2017 a Companhia adquiriu uma participação de
9,33% da ABL no ParkShoppingBarigüi por um total de R$91,0 milhões, que serão pagos em 24 parcelas a partir de fevereiro
de 2017. O shopping, que possui potencial para o desenvolvimento de futuros projetos de expansão multiúso, tornou-se uma
referência no estado do Paraná por possuir um mix diversificado. No 4T16, o ParkShoppingBarigüi apresentou uma taxa de
ocupação média de 98,9%.

As recentes aquisições reafirmam o compromisso da Companhia com o crescimento e geração de valor para seus acionistas.
Estas últimas aquisições somaram um CAPEX de R$730,8 milhões, com um NOI dos últimos 12 meses 1 de R$59,0 milhões.

NOI (LTM):
NOI do
R$59.0M
Portfólio

CAPEX e NOI 1 (R$) das aquisições recentes
1
Considerando o NOI dos últimos 12 meses encerrado em junho de 2016 para o BarraShopping I e MorumbiShopping e em setembro de 2016 para o
BarraShopping II e ParkShoppingBarigüi, ponderado pelas participações adquiridas.

BarraShopping, Rio de Janeiro MorumbiShopping, São Paulo

ParkShoppingBarigüi, Curitiba

10
4T16
MULT3

3. Indicadores Operacionais

 Nos últimos dez anos, as vendas dos lojistas cresceram trimestre após trimestre...
 chegando a um recorde de vendas totais, e aumento de 2,9% em 2016...
 impulsionadas pela constante troca de mix dos shoppings (spread positivo de 1,4% do SAS/SSS)...
 terminando um ano de desafios com uma alta taxa de ocupação, de 97,4%...
 e uma inadimplência líquida reduzida gradualmente para menos de 1,0% – um sinal de recuperação.

3.1 Vendas dos Lojistas

Um ano de desafios termina com o último trimestre crescendo mais do que os primeiros nove meses

4T16: Os lojistas dos shopping centers da
15
, 0B

Multiplan registraram um crescimento de 3,0% nas
vendas do 4T16, atingindo R$4,4 bilhões, a maior
14
, 5B
+2,9%
+3,0% 13,7 B
venda já apurada em um único trimestre. O
14
, 0B

4,4 B 13,3 B
4,2 B
crescimento ocorreu sobre uma forte base de
13
, 5B

vendas do 4T15, onde a Companhia realizou uma 13
, 0B

bem-sucedida campanha de marketing de fim de 12
, 5B

ano nos shopping centers. Apesar do cenário 12
, 0B

4T15 4T16 2015 2016
econômico desafiador do país no último ano, o
portfólio da Companhia conseguiu manter o Evolução das vendas dos lojistas (R$ bilhão)
desempenho de sucesso nas vendas, e continuar
registrando crescimento em todos os trimestres
desde a Abertura de Capital, em julho de 2007.

Os cinco primeiros shopping centers desenvolvidos pela Multiplan, entre 1979 e 1983 (BH Shopping, RibeirãoShopping,
BarraShopping, MorumbiShopping e ParkShopping), registraram um crescimento combinado de 4,1% no trimestre. Este
resultado é notável não apenas por superar o crescimento médio do portfólio, mas também por ser atingido sobre uma alta
produtividade de vendas/m², como detalhado na tabela de desempenho do portfólio, na página 40.

2016: As vendas dos lojistas atingiram R$13,7 bilhões em 2016, um
+716 27.106
novo recorde histórico para os shopping centers da Multiplan,
+777
crescendo 2,9% sobre 2015. Os cinco shopping centers em fase de +1.675
consolidação, ParkShoppingSãoCaetano, JundiaíShopping,
ParkShoppingCampoGrande, VillageMall e Parque Shopping 23.938 +13,2%
Maceió, registraram um crescimento combinado de 6,4%, acima da
média do portfólio, totalizando R$2,4 bilhões.
As lojas satélite registraram vendas de R$27.106/m², acumulando 2013 2014 2015 2016 2016
um aumento de 13,2% desde 2013. Vendas/m² (R$) de lojas satélite
nos shopping centers da Multiplan

11
4T16
MULT3

Vendas nos Shopping Center (100%) Abertura 4T16 4T15 Var.% 2016 2015 Var.%
BH Shopping 1979 359,5 M 352,3 M +2,0% 1.128,2 M 1.129,2 M -0,1%
RibeirãoShopping 1981 256,8 M 245,6 M +4,6% 784,8 M 769,7 M +2,0%
BarraShopping 1981 647,4 M 615,8 M +5,1% 1.978,2 M 1.931,0 M +2,4%
MorumbiShopping 1982 550,7 M 533,8 M +3,2% 1.748,8 M 1.671,7 M +4,6%
ParkShopping 1983 369,5 M 350,5 M +5,4% 1.137,2 M 1.120,3 M +1,5%
DiamondMall 1996 176,0 M 178,7 M -1,5% 601,5 M 595,3 M +1,0%
New York City Center 1999 58,7 M 59,3 M -0,9% 218,7 M 205,9 M +6,2%
Shopping Anália Franco 1999 350,1 M 333,7 M +4,9% 1.074,0 M 1.019,8 M +5,3%
ParkShoppingBarigüi 2003 300,8 M 290,1 M +3,7% 924,8 M 887,0 M +4,3%
Pátio Savassi 2007 ¹ 126,3 M 128,0 M -1,4% 405,2 M 395,3 M +2,5%
ShoppingSantaÚrsula 2008 ² 42,8 M 50,0 M -14,3% 151,1 M 173,5 M -12,9%
BarraShoppingSul 2008 221,5 M 240,9 M -8,0% 741,3 M 765,5 M -3,2%
ShoppingVilaOlímpia 2009 123,6 M 119,9 M +3,1% 422,9 M 407,5 M +3,8%
ParkShoppingSãoCaetano 2011 187,4 M 178,2 M +5,2% 589,0 M 549,0 M +7,3%
JundiaíShopping 2012 137,8 M 131,3 M +5,0% 439,3 M 427,3 M +2,8%
ParkShoppingCampoGrande 2012 160,1 M 148,4 M +7,9% 468,9 M 434,2 M +8,0%
VillageMall 2012 163,3 M 160,0 M +2,1% 534,1 M 506,8 M +5,4%
Parque Shopping Maceió 2013 120,3 M 111,1 M +8,3% 378,4 M 348,5 M +8,6%
Total 4.352,7 M 4.227,3 M +3,0% 13.726,4 M 13.337,6 M +2,9%
¹ Pátio Savassi iniciou suas operações em 2004, e foi adquirido pela Multiplan em junho de 2007.
2 ShoppingSantaÚrsula iniciou suas operações em 1999, e foi adquirido pela Multiplan em abril de 2008.
5,0%
5,0%
3,9% 4,2% 4,1%
2,5% 3,2%
4,2% 4,2%4,1%
3,9% 3,9% 4,1% 2,7% 2,8%
Vendas nas Mesmas Lojas mais fortes do que no último
2,5% 3,2%3,2% 2,1% 2,3%
2,7% 0,6%2,8%2,5% 3,3%
1,6% 3,3%
ano, e gestão de mix adicionando 1,4% às vendas. 2,1% 0,0%2,3%
0,6% 1,6%
0,0% 2,1% 1,6% 2,3% 2,8% 1,9%
1,5% 1,8%
4T16: No trimestre, as Vendas na Mesma Área (SAS) 3T15
4T15 1T16 2T16 3T16
-2,5%
4T15 4T15
3T15 1T16 1T162T162T163T163T16Vendas
4T16 na Mesma
2015Área 2016
apresentaram crescimento de 2,5% comparado ao 4T15,
-2,5%
Vendas na Mesma Área Vendas nas Mesmas Lojas
enquanto as Vendas nas Mesmas Lojas (SSS) cresceram Vendas
Evolução dasnas Mesmas
Vendas na Lojas
Mesma Área e Mesmas Lojas (ano/ano)
1,5%. É importante destacar que este aumento ocorreu
sobre um forte desempenho, considerando os crescimentos +460 19.370
+528
de 8,8% e 3,9% no 4T14 e 4T15, respectivamente. +1.518

16.864 +14,9%
2016: O SAS cresceu 3,3% no ano, totalizando um aumento
de 14,9% desde 2013, enquanto o SSS apresentou alta de
1,9% no ano. 2013 2014 2015 2016 2016

O spread de 140 p.b. entre o SAS e o SSS continua a Evolução das Vendas na Mesma Área – Base: 2013

demonstrar o valor adicionado ao portfólio pelo sucesso da
estratégia de melhoria do mix de lojas.

12
4T16
MULT3

Segmento de serviços lidera crescimento do SSS e Artigos do Lar & Escritório quase atinge aumento de dois dígitos no trimestre

4T16: No trimestre, as Vendas nas Mesmas Lojas foram impulsionadas pelos segmentos de Serviços, no qual farmácias e lojas
de telefonia registraram fortes desempenhos, e de Artigos do Lar & Escritório, que cresceu com a ajuda de lojas satélite de
utensílios do lar.

2016: Todos os segmentos Vendas nas Mesmas Lojas 4T16 x 4T15 2016 x 2015
apresentaram crescimento em 2016. Âncora Satélite Total Âncora Satélite Total
Serviços e Artigos do Lar & Escritório Alimentação/Áreas Gourmet - +1,2% +1,2% - +1,7% +1,7%
foram também o destaque do ano, Vestuário -1,0% -0,6% -0,8% +1,0% +0,1% +0,4%
embora Serviços tenha mostrado um Artigos do Lar & Escritório -3,4% +16,8% +9,7% -3,8% +7,5% +3,5%
desempenho relativo ainda mais forte, Artigos Diversos +0,8% -0,9% -0,5% +3,9% +0,3% +1,4%
suportado pela tendência de crescimento Serviços +1,6% +14,7% +11,2% +3,6% +10,8% +8,6%
das operações de conveniência e Total -0,5% +2,3% +1,5% +1,5% +2,1% +1,9%
entretenimento nos shopping centers da
Companhia.

Trocas de mix continuam gerando um impacto positivo nas vendas dos lojistas

Em 2016, a troca de mix (turnover) alcançou 5,1% da ABL do portfólio. Mesmo em um cenário mais desafiador, foram assinados
375 novos contratos no ano, representando 36.491 m² de área trocada.

Aprimorando a conveniência e a experiência dos consumidores, os segmentos de Artigos Diversos e Alimentação aumentaram
novamente sua ABL em 2016, diminuindo os espaços destinados aos segmentos de Vestuário e Artigos para o Lar.

Artigos para o Lar
& Escritório
8,5%
Alimentação
48,6%
Saiu Entrou 11,2% Vestuário
35,9%
33,1%
30,3%
25,3%
18,8%
15,5%
11,4% Artigos
5,7% 5,5% 5,8% Diversos
21,3%

Vestuário Alimentação Artigos Diversos Serviços Artigos para o Lar &
Escritório
Serviços
23,1%

Composição da troca de mix (turnover) de 36.491 m² em 2016, por segmento ABL por segmento – dez/16

13
4T16
MULT3

3.2 Indicadores Operacionais

Apesar do ambiente econômico de 2016, em todos os trimestres, todos os shoppings apresentaram taxa de ocupação acima
de 90%

4T16: A taxa de ocupação média dos shopping centers encerrou o 4T16 praticamente inalterada em 97,3%, representando um
ligeiro decréscimo quando comparada à taxa do 3T16, de 97,4%, enquanto em dezembro a ocupação final atingiu 97,4%. O
BarraShopping e o MorumbiShopping, que são os shoppings com as maiores produtividades de aluguel do portfólio,
apresentaram taxas de ocupação de 99,5% no trimestre.

2016: O portfólio da Companhia manteve uma alta taxa de ocupação durante o ano, com média de 97,5%. A resiliência
operacional e a atratividade do portfólio da Multiplan são refletidas pela forte taxa de ocupação média dos dez primeiros
shopping centers da Companhia, que foi de 98,5% em 2016.

98,6% 99,0%
98,1% 98,0% 97,3%
98,8%

98,6%
98,5%

98,4%
98,4%
98,1%

98,1%

97,9%
97,6%

97,6%
97,5%

97,4%
4T12 1T13 2T13 3T13 4T13 1T14 2T14 3T14 4T14 1T15 2T15 3T15 4T15 1T16 2T16 3T16 4T16

Evolução da taxa de ocupação de shopping center: 4T12 – 4T16

Enquanto as vendas/m² quase dobraram em 10 anos, o custo de ocupação se mantém em níveis históricos

4T16: O custo de ocupação foi de 12,1%, 50 p.b. maior quando comparado com o 4T15, principalmente como consequência do
crescimento de receitas de aluguel e custos de condomínio acima das vendas no período.

2016: Apesar do crescimento do aluguel ter superado o crescimento das vendas nos trimestres anteriores, o aumento das vendas a
longo prazo permitiu que o custo de ocupação em 2016 permanecesse em linha com a média de 10 anos. No ano, o custo de
ocupação foi de 13,1%, apenas 20 p.b. acima do custo médio de 10 anos.

12,4% 13,0% 12,9% 12,7% 12,6% 13,1% 12,9%
11,7%
11,7%13,1% 13,7% 11,6% 12,1% 13,7%
12,9% 12,8% 12,7% 12,6% 12,9% 12,8% 13,1% 12,7% 12,6%
4,5% 4,3% 4,3%6,0% 4,1% 4,4% 5,2% 5,2% 5,2% 4,9% 5,3% 5,1%
5,6% 5,3% 5,5% 5,2% 5,6% 5,3% 5,5% 6,0%
5,5% 5,5% 5,2%

7,9% 7,4% 7,4% 7,5% 7,7% 7,8% 7,8% 7,8% 7,6% 7,8% 7,8%
7,3% 7,5% 7,6% 7,7% 7,2% 7,4% 7,3% 7,5% 7,6% 7,7% 7,2% 7,4%

4T12 4T13 4T14 4T15 4T16 2012 2013 2014 2015 2016 Média de
2T10 2T11 2T12 2T13 2T14 2T15 2T10 2T11 2T12 2T13 2T14 10 anos
2T15
Custo
Aluguel como % de Ocupação
das vendas Outros como % das vendas Aluguel como % das vendas Outros como % das vendas
Outros como % das vendas Custos de Ocupação
AberturaOutros como
do custo % das vendas
de ocupação: 4T12 – 4T16 Abertura do custo de ocupação: 2012 – 2016

14
4T16
MULT3

Inadimplência bruta cai desde o primeiro trimestre, e a inadimplência líquida ainda mais

4T16: Inadimplência bruta da receita de locação (atraso no pagamento de aluguel superior a 25 dias) continuou diminuindo,
chegando a 2,4% no trimestre, sendo a menor taxa trimestral em 2016.

Seguindo a mesma tendência, a inadimplência líquida, que considera as recuperações de inadimplências passadas, caiu para
0,9%. No mesmo período, a perda de aluguel aumentou para 1,8%.

2016: A taxa de inadimplência bruta foi de 3,5% no ano, principalmente como resultado da maior inadimplência no início do
ano. A perda de aluguel foi de 1,3% em 2016.

4,5%
4,0%
3,1%
2,4% 1,8%
1,9% 3,6% 1,2% 1,2%
1,0% 1,1%
2,4%
1,1% 0,9%
4T15 1T16 2T16 3T16 4T16 4T15 1T16 2T16 3T16 4T16

Inadimplência Bruta Perda de Aluguel
Inadimplência Líquida

Histórico da taxa de inadimplência e perda de aluguel: 4T15 – 4T16

3,5%
2,5%
1,8% 1,9% 1,9% 1,9%
1,5% 1,3%
0,8% 0,7% 0,9%
0,4% 0,7%
1,3%

2011 2012 2013 2014 2015 2016 Média 10
anos
Inadimplência Perda de aluguel

Histórico da taxa de inadimplência e perda de aluguel: 2011 – 2016

15
4T16
MULT3

4. Receita Bruta

 Receita bruta: R$52,3 milhões adicionados em 2016...
 mesmo sem lançamento de projetos para venda...
 impulsionada pelo crescimento de 7,9% da receita mais importante da Companhia: locação.

Receita bruta atinge R$346,3 milhões no 4T16, impulsionada pelo crescimento de dois dígitos na receita de locação

4T16: A receita bruta totalizou R$346,3 milhões no 4T16, um
Cessão de
crescimento de 3,8% em relação ao 4T15, tendo a receita de locação Direitos Outros ¹
1,1% 0,3%
como maior componente, representando R$297,6 milhões. Serviços
9,5%

As receitas de locação e estacionamento foram os principais Estacionamento
15,2%
destaques, adicionando juntas R$35,3 milhões em relação ao 4T15.

A combinação do não lançamento de novos projetos para venda e a
rescisão de contratos criou um valor negativo na conta “venda de
imóveis” no trimestre. Locação
73,9%
2016: A receita bruta totalizou R$1.257,5 milhões no ano, um
aumento de 4,3% comparado a 2015, com a receita de locação
representando 73,9% desse total (R$929,5 milhões). Detalhamento da receita bruta – 2016
¹ Outros inclui venda de imóveis, linearidade e outras
receitas

+11,7% +77,2% -13,3% +0,6% +8,5% n.a. +254,0%

31,1 M 0,0 M 4,2 M 346,3 M
333,6 M 1,8 M
(13,0 M) (3,7 M) (7,8 M)
+3,8%

Receita bruta Locação Linearidade Serviços Cessão de Estacionamento Venda de Outras Receita bruta
4T15 direitos imóveis 4T16

Crescimento da receita bruta – 4T16 (A/A) (R$)

+7,9% n.a. +8,6% -44,1% +7,9% n.a. +63,5%

67,8 M 9,5 M 14,0 M 1.257,5 M
3.0 M
1.205,2 M
(11,4 M) (11,0 M) (19,6 M)

+4,3%

Receita bruta Locação Linearidade Serviços Cessão de Estacionamento Venda de Outras Receita bruta
2015 direitos imóveis 2016

Crescimento da receita bruta – 2016 (A/A) (R$)

16
4T16
MULT3

5. Resultados da Participação em Propriedades

 NOI cresceu 3,2% no ano...
 apesar do aumento de R$43,3 milhões nas despesas de shopping centers...
 dado o forte crescimento do Aluguel nas Mesmas Lojas (7,1%),...
 o crescimento constante da receita e das novas áreas locadas do Morumbi Corporate...
 e o ainda pequeno efeito das aquisições minoritárias.

5.1 Receita de Locação

A maior receita com o maior crescimento
4T16: A receita de locação aumentou 11,7% em relação ao 4T15, de R$266,5 milhões para R$297,6 milhões no 4T16. A receita
de locação é composta por aluguel mínimo, merchandising e complementar, que no 4T16 representaram 89,1%, 7,7% e 3,2%
do total da receita de locação, respectivamente.

Merchandising
Complementar 7,7% +12,8% -15,5% +13,1%
3,2%

+30,2 M 297,6 M
266,5 M +2,6 M

(-1,8 M)

+11,7%
Mínimo
89,1%

Receita de Mínimo Complementar Merchand. Receita de
locação 4T15 locação 4T16

Detalhamento da receita de locação – 4T16 Crescimento da receita de locação no 4T16 (A/A) (R$)

No 4T16, o BarraShopping apresentou um crescimento de 45,0% em relação ao 4T15, enquanto o MorumbiShopping cresceu
18,5%. Ambos os shopping centers foram impulsionados pelas recentes aquisições de participações minoritárias, conforme
detalhado na seção 2. A receita de locação do BarraShopping no trimestre também foi beneficiada pela consolidação da
expansão do Centro Médico BarraShopping, inaugurada em abril de 2016. O New York City Center continuou se beneficiando
com as novas operações de restaurante e um sólido aumento na receita de merchandising, crescendo 9,2%. O
ShoppingAnáliaFranco foi impulsionado pela inauguração de novos restaurantes e apresentou um crescimento de 7,7% no
trimestre.

O ShoppingSantaÚrsula e o ShoppingVilaOlímpia foram impactados pelos aumentos dos descontos e da vacância comparados
ao 4T15, apresentando uma queda na receita de locação de 24,8% e 7,9%, respectivamente.

2016: Em 2016 a receita de locação totalizou R$929,5 milhões, 7,9% acima
do ano anterior. O BarraShopping, o New York City Center e o 2017
12%
MorumbiShopping foram novamente os principais destaques no ano,
2022+
2018
adicionando, juntos R$34,3 milhões em receita de locação, crescendo 30%
15%
21,2%, 12,3% e 10,5% respectivamente.

O cronograma de vencimentos dos contratos de locação indica que apenas 2021 2019
13% 17%
12% dos contratos (% da ABL) deverão expirar em 2017. 2020
13%
Calendário de vencimentos dos contratos de
locação (% da ABL)

17
4T16
MULT3

Em 2016, o aluguel mínimo representou 89,7% do total da receita de aluguel, um aumento de 550 p.b. desde 2007 (abertura
de capital da Companhia), mostrando a força e a solidez da principal receita da Multiplan ao longo dos anos.

1.100,0 M 97,4% 96,6% 96,9% 98,6% 98,2% 97,9% 98,1% 98,7% 98,3% 97,5% 100,0%
929,5 M 95,0%
900,0 M 861,6 M
801,3 M 90,0%
679,0 M 85,0%
700,0 M
561,9 M 80,0%
486,3 M
500,0 M 416,1 M 75,0%
360,2 M 89,7%
295,3 M 88,7% 88,9% 70,0%
300,0 M 239,4 M 88,6%
87,3% 65,0%
84,7% 86,2%
83,2% 85,8% 60,0%
100,0 M 84,2%
55,0%
(100,0 M) 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 50,0%
Mínimo (e como % do total) Merchandising Complementar Taxa de ocupação média (%)

Detalhamento da Receita de locação (R$) e taxa de ocupação (%)

Receita de Locação (R$) Abertura 4T16 4T15 Var.% 2016 2015 Var.%
BHShopping 1979 26,7 M 25,0 M +6,9% 84,8 M 81,4 M +4,2%
RibeirãoShopping 1981 15,9 M 15,5 M +2,8% 49,0 M 49,5 M -0,9%
BarraShopping 1981 46,5 M 32,1 M +45,0% 125,7 M 103,7 M +21,2%
MorumbiShopping 1982 40,5 M 34,2 M +18,5% 119,1 M 107,8 M +10,5%
ParkShopping 1983 17,4 M 16,3 M +6,8% 56,9 M 53,7 M +5,9%
DiamondMall 1996 14,3 M 13,5 M +6,0% 46,2 M 42,8 M +8,0%
New York City Center 1999 2,6 M 2,3 M +9,2% 8,8 M 7,8 M +12,3%
ShoppingAnáliaFranco 1999 8,8 M 8,2 M +7,7% 27,8 M 26,7 M +4,1%
ParkShoppingBarigüi 2003 18,1 M 17,2 M +5,3% 55,4 M 52,9 M +4,7%
Pátio Savassi 2007 ¹ 10,1 M 9,4 M +7,4% 31,9 M 29,2 M +9,2%
ShoppingSantaÚrsula 2008 ² 1,2 M 1,5 M -24,8% 4,3 M 5,3 M -19,7%
BarraShoppingSul 2008 17,5 M 17,5 M -0,3% 57,5 M 57,4 M +0,3%
ShoppingVilaOlímpia 2009 5,5 M 5,9 M -7,9% 18,6 M 19,5 M -4,5%
ParkShoppingSãoCaetano 2011 14,2 M 13,5 M +5,1% 44,9 M 42,9 M +4,6%
JundiaíShopping 2012 10,3 M 9,9 M +4,4% 30,2 M 32,5 M -7,0%
ParkShoppingCampoGrande 2012 10,9 M 10,5 M +4,3% 35,0 M 34,0 M +3,0%
VillageMall 2012 10,7 M 10,8 M -0,7% 34,5 M 35,3 M -2,4%
Parque Shopping Maceió 2013 4,3 M 4,1 M +5,8% 13,6 M 12,9 M +5,2%
Morumbi Corporate 2013 21,7 M 19,0 M +14,5% 83,8 M 65,7 M +27,6%
ParkShopping Corporate 2014 0,5 M 0,3 M +61,2% 1,5 M 0,7 M +115,2%
Total 297,6M 266,5M +11,7% 929,5M 861,6M +7,9%
¹ Pátio Savassi iniciou suas operações em 2004 e foi adquirido pela Multiplan em junho de 2007.
2 ShoppingSantaÚrsula iniciou suas operações em 1999 e foi adquirido pela Multiplan em abril de 2008.

18
4T16
MULT3

Morumbi Corporate apresenta constante aumento de ocupação, em um ano instável

4T16: O Morumbi Corporate, complexo de duas +27,6%
torres comerciais localizado em frente ao
MorumbiShopping e agora integrado a ele através de
uma passarela, contribuiu com R$21,7 milhões para
83,8 M
a receita de locação no 4T16, um aumento de 14,5% 81,1 M
76,8 M
em relação ao 4T15. A taxa média de ocupação foi 72,5 M
de 94,9% no trimestre. 65,7 M 96,2%
2016: As torres contribuíram com R$83,8 milhões
durante o ano, um aumento de 27,6% sobre 2015. 92,4%
91,4% 91,4% 91,4%
90,0%
Em dezembro de 2016, 96,2% da ABL do dez/15 mar/16 jun/16 set/16 dez/16
empreendimento estava locada, um crescimento de Evolução da receitade
receita delocação (12M)
locação do taxa(R$)
Morumbi Corporate deeocupação
da taxa de

480 p.b sobre dezembro de 2015. ocupação (%) – 12M

Passarela que conecta o MorumbiShopping com o Morumbi Corporate – São Paulo

Aluguel nas Mesmas Lojas (SSR) cresce 8,1% no 4T16, encerrando o ano melhor do que começou

4T16: A Multiplan registrou um Aluguel nas Mesmas Lojas (SSR) de R$146/m² por mês no 4T16, um aumento de 8,1% sobre
o 4T15, quando o SSR apresentou um crescimento de 6,2%. Considerando apenas o SSR do aluguel mínimo, o crescimento
seria ainda maior, de 9,7%, mostrando que os lojistas respeitaram os contratos de locação, fato que também é ressaltado pelas
menores taxas de inadimplência.

2016: O SSR cresceu 7,1% comparado a 2015, um decréscimo real de 2,2%, considerando o efeito do ajuste do IGP-DI de
9,5% no ano, o maior valor anual desde a abertura de capital da Companhia.

SSR Real:

2,6% 4,3% 0,6% 3,5% 1,2% 0,9% 4,1% 2,7% 3,4% 4,1% 2,4% 2,4% 0,3% -1,7% -3,3% -2,2% -2,4%

11,4% 11,4%
10,1% 8,8% 9,5%
8,6% 8,0% 8,0% 9,2% 10,8% 10,7%
6,8% 7,0% 6,8% 6,2% 9,3%
6,8% 7,4% 7,6% 7,5%
5,9% 6,7% 5,9% 5,8% 5,9% 5,9% 8,4% 8,1%
5,6% 5,2% 4,5% 4,4% 5,8% 6,0%

4T12 1T13 2T13 3T13 4T13 1T14 2T14 3T14 4T14 1T15 2T15 3T15 4T15 1T16 2T16 3T16 4T16

Aluguel nas Mesmas Lojas Efeito do ajuste do IGP-DI

Aluguel nas mesmas lojas (SSR) – crescimento real e nominal

19
4T16
MULT3

5.2 Receita de Estacionamento

Lazer e conveniência levam a receita de estacionamento a aumentar 8,5% para R$53,9 milhões no 4T16

4T16: A receita de estacionamento totalizou R$53,9 milhões no trimestre, representando um crescimento de 8,5% quando
comparada ao 4T15. O aumento de serviços, conveniência, lazer e experiências gastronômicas nos shoppings não só melhorou
as vendas e o aluguel, como também aumentou a permanência dos consumidores. Consequentemente, a receita de
estacionamento apresentou um forte desempenho no quarto trimestre de cada um dos últimos cinco anos, refletido por um CAGR
de 13,8% no período.

2016: Em 2016, a receita de estacionamento foi de R$190,7 milhões, 7,9% acima do mesmo período do ano anterior, pelas
mesmas razões explicadas acima.

CAGR: +13,8% +8,5%

53,9 M +7,9% 190,7 M
49,7 M
45,6 M
38,0 M
32,1 M
176,8 M

4T12 4T13 4T14 4T15 4T16 2015 2016
Receita de Estacionamento (R$)

5.3 Despesas de Shopping Centers e Torres Comerciais

Aquisições, inadimplência e a vacância aumentaram as despesas de shopping centers em R$14,8 milhões no 4T16, valor
equivalente a menos da metade do crescimento da receita

4T16: As despesas de shopping center totalizaram R$42,5 milhões no 4T16, 53,6% acima do 4T15. Os maiores impactos
resultaram dos custos de condomínio relacionados ao efeito do aumento de participação (proveniente das aquisições de
participações minoritárias), custos de áreas vagas e provisões de inadimplência. Vale ressaltar que as despesas de shopping
centers aumentaram R$14,8 milhões, enquanto a receita de shopping aumentou R$32,1 milhões.

2016: As despesas de shopping centers em 2016 foram de R$144,3 milhões, 42,8% acima do registrado em 2015. Como
percentual da receita de shopping centers, as despesas de shopping centers atingiram 12,9% em 2016, 313 p.b. acima de 2015.

+53,6%
+42,8%
144,3 M
42,5 M
38,4 M
29,3 M 101,1 M
27,7 M
23,6 M
15,1% 12,9%
10,7% 12,1% 9,7%
9,5% 8,7%

4T12 4T13 4T14 4T15 4T16 2015 2016

Evolução das despesas de shopping centers (R$) e como % das receitas de shopping centers¹
¹ Receita de locação e estacionamento de shopping center.

20
4T16
MULT3

Enquanto a taxa de ocupação das torres comerciais aumenta, a margem atinge nível recorde em 2016

4T16: As despesas com torres comerciais para locação totalizaram R$2,4 milhões, uma queda de 1,7% em relação ao 4T15. A
margem das torres comerciais aumentou 180 p.b., de 87,9% no 4T15 para 89,7% no 4T16.

2016: As despesas com torres comerciais para locação reduziram de R$10,5 milhões em 2015 para R$7,8 milhões em 2016,
equivalente a uma queda de 25,0%, uma vez que o Morumbi Corporate registrou uma taxa de ocupação média de 94,9% no
ano, comparada a 90,5% em 2015. A margem foi de 91,1%, superior em 610 p.b. quando comparada ao ano anterior. Essa
margem foi a mais alta desde a abertura das propriedades.

-25,0%
-1,7%
10,5 M
7,8 M
2,4 M 2,4 M
1,9 M 1,8 M 1,7 M 91,1%

87,9% 91,2% 91,0% 92,5% 89,7% 85,0%

4T15 1T16 2T16 3T16 4T16 2015 2016
Evolução das despesas (R$) e da margem operacional (%) de torres comerciais

21
4T16
MULT3

5.4 Resultado Operacional Líquido (NOI)

Em um ano desafiador, o NOI cresce 3,2%

4T16: O Resultado Operacional Líquido (NOI) apresentou um crescimento de 2,8% no trimestre, atingindo R$276,8 milhões,
apesar do aumento das despesas de shopping centers, beneficiado pelo crescimento de 11,7% na receita de locação. O NOI
+ Cessão de Direitos atingiu R$281,1 milhões no 4T16, 2,8% acima quando comparado ao mesmo período em 2015.

2016: No ano, o NOI cresceu 3,2% em relação a 2015, atingindo R$964,6 milhões, representando um CAGR de cinco anos de
13,9%. O NOI + Cessão de direitos foi de R$978,5 milhões em 2016, 2,0% acima de 2015.

+2,8% 6,00 5,11 5,19 CAGR:
4,69 +13,9%
5,00
276,8 M 3,97
269,3 M 4,00
3,62
3,09
3,00
2,00 1,37 1,46 1,49 CAGR:
0,94 1,14 1,09
1,00 +12,3%
90,0%
86,1% -
dez-11 dez-12 dez-13 dez-14 dez-15 dez-16

4T15 4T16 NOI + Cessão de Direitos por ação (12M)
NOI + Cessão de Direitos por ação (4T)
NOI (R$) e margem NOI (%)
NOI + Cessão de direitos por ação¹ (R$)
¹Ações em circulação, ajustadas pelas ações em tesouraria.

CAGR: +13,6%
+3,2%

934,8 M 964,6 M
846,1 M
691,3 M
606,9 M
510,8 M
89,0% 89,3%
87,4% 86,4%
89,8% 84,7%

2011 2012 2013 2014 2015 2016
NOI Margem NOI

Evoluções do NOI (R$) e da margem NOI (%)

Cálculo do NOI (R$) 4T16 4T15 Var.% 2016 2015 Var.%
Receita de locação 297,6 M 266,6 M +11,7% 929,5 M 861,6 M +7,9%
Linearidade (29,9 M) (16,9 M) +77,2% (3,5 M) 7,9 M -144,1%
Receita de estacionamento 53,9 M 49,7 M +8,5% 190,7 M 176,8 M +7,9%
Receita operacional 321,6 M 299,4 M +7,4% 1.116,7 M 1.046,3 M +6,7%
Despesas de shopping centers (42,5 M) (27,7 M) +53,6% (144.3 M) (101,1 M) +42,8%
Despesas com torres para locação (2,4 M) (2,4 M) -1,7% (7,8 M) (10,5 M) -25,0%
NOI 276,8 M 269,3 M +2,8% 964,6 M 934,8 M +3,2%
Margem NOI 86,1% 90,0% -390 p.b. 86,4% 89,3% -297 p.b.
Cessão de direitos 4,3 M 4,3 M +0,6% 13,9 M 24,9 M -44,1%
Receita operacional + CD 325,9 M 303,6 M +7,3% 1.130,6 M 1.071,2 M +5,5%
NOI + Cessão de direitos 281,1 M 273,6 M +2,8% 978,5 M 959,7 M +2,0%
Margem NOI + Cessão de direitos 86,2% 90,1% -385 p.b. 86,5% 89,6% -305 p.b.

22
4T16
MULT3

6. Resultados da Administração de Shopping Centers

 Receita de serviços cresceu 8,6% em 2016 mesmo com o aumento de participação em dois shopping centers...
 enquanto as despesas de sede aumentaram 9,4% no ano e apenas 3,7% no 4T16.

6.1 Receita de Serviços

Receita de serviços totaliza R$119,9 milhões em 2016

4T16: A receita de serviços, composta principalmente por taxas de corretagem, de transferência de pontos e de administração
de portfólio, registrou R$24,1 milhões no 4T16, menor em 13,3% quando comparada ao 4T15. A queda foi principalmente
causada por menores taxas de gestão de merchandising, assim como uma menor corretagem, como resultado das aquisições
de participações minoritárias em shopping centers detidos pela Multiplan. Os aumentos de participação elevaram o NOI da
Companhia, mas reduziram marginalmente a receita de serviços, dado a diminuição da área detida por terceiros no portfólio
da Multiplan.

2016: A receita de serviços aumentou 8,6% em 2016, para R$119,9 milhões, a maior receita anual já registrada pela Multiplan.
Este resultado foi impulsionado por maiores taxas de administração, assim como taxas de gestão de merchandising recebidas
no primeiro semestre do ano.

+8,6%
-13,3% 119,9 M
110,4 M
28,4 M 27,1 M 29,3 M 27,8 M 24,1 M

4T12 4T13 4T14 4T15 4T16 2015 2016
Evolução da receita de serviços (R$) – 4T Evolução da receita de serviços (R$) – ano

6.2 Despesas Gerais e Administrativas (Sede)

Despesas de sede aumentam 3,7% no 4T16, menos que a inflação

4T16: As despesas de sede totalizaram R$34,6 milhões no trimestre, 3,7% acima do 4T15, e abaixo da inflação (IPCA) média
do trimestre, de 7,0% (fonte: Bloomberg). As despesas de sede foram impactadas pela folha de funcionários e por despesas
de marketing, parcialmente compensadas por menores despesas com serviços contratados.

2016: As despesas de sede foram de R$136,3 milhões em 2016, um aumento de 9,4% comparado a 2015. A receita de
serviços correspondeu a 88,0% das despesas de sede no ano.

+9,4%
+3,7% 136,3 M
124,6 M

31,3 M 33,4 M 34,6 M
28,2 M
24,0 M

4T12 4T13 4T14 4T15 4T16 2015 2016
Evolução das despesas de sede (R$) – 4T Evolução das despesas de sede (R$) – ano

Remuneração baseada em ações: Devido à redução de 6,0% no preço da ação no trimestre, o reconhecimento de
remuneração baseada em ações registrou uma reversão de R$5,3 milhões, comparado à provisão de R$3,0 milhões no 4T15.

23
4T16
MULT3

7. Resultados do Desenvolvimento de Shopping Centers

 Receita de cessão de direitos gerou R$13,9 milhões em 2016;
 Despesas com novos projetos para locação decresceu R$3,7 milhões comparado a 2015.

Receita de cessão de direitos soma R$4,3 milhões no 4T16

4T16: O reconhecimento de cessão de direitos totalizou R$4,3 milhões de receita no 4T16, um aumento de 0,6% comparado
ao 4T15, e foi composto principalmente por receitas provenientes do giro recorrente de áreas em operação há mais de cinco
anos. A cessão de direitos proveniente de áreas entregues nos últimos cinco anos (cessão de direitos “não recorrente”)
adicionou R$1,5 milhão às receitas do trimestre.

2016: A receita de cessão de direitos apresentou queda de 44,1% no ano, para R$13,9 milhões, principalmente devido à
redução da receita não recorrente, que está relacionada ao fim do reconhecimento de cessão de direitos do
ParkShoppingSãoCaetano e expansão ParkShopping Gourmet.

Receita de Cessão de Direitos (R$) 4T16 4T15 Var. % 2016 2015 Var. %
Operacional (recorrente) 2,8 M 1,0 M +176,5% 5,4 M 4,4 M -5,4%
Projetos abertos nos últimos 5 anos (não recorrente) 1,5 M 3,2 M -52,3% 8,5 M 16,2 M -57,0%
Receita de Cessão de Direitos 4,3 M 4,3 M +0,6% 13,9 M 24,9 M -44,1%

Despesa com novos projetos para locação reduz 24,7% em 2016

4T16: As despesas pré-operacionais relacionadas a estudos de viabilidade e corretagem de novos projetos para locação, assim
como impostos sobre propriedade de terrenos para projetos futuros, foram responsáveis pela despesa de R$5,6 milhões no
trimestre.

2016: As despesas com novos projetos para locação totalizaram R$11,1 milhões no ano, uma queda de 24,7% comparado a
2015.

-24,7%
12,8 M 13,7 M 14,8 M
+95,1%
11,1 M
5,6 M
1,9 M 2,9 M

4T12 4T13 4T14 4T15 4T16 2015 2016
Despesas com novos projetos para locação (R$) – 4T Despesas com novos projetos para locação (R$) – ano

24
4T16
MULT3

8. Resultados de Empreendimentos Imobiliários

 Em 2016, R$1,3 milhão foi registrado como resultado líquido de imóveis para venda, comparado a um resultado
negativo de R$0,1 milhão em 2015.

4T16: Os últimos projetos imobiliários entregues pela Multiplan em 2015 – Résidence du Lac e Diamond Tower – contabilizaram
no trimestre R$3,8 milhões de resultado líquido (receitas menos custos), comparado a um resultado negativo de R$0,6 milhão
no 4T15.

A combinação da ausência de novos projetos para venda e distratos criou reversões na receita de vendas de imóveis e custos
de imóveis vendidos no quarto trimestre.

2016: No ano, o resultado líquido de imóveis para venda foi de R$1,3 milhão, comparado a um resultado negativo de R$0,1
milhão em 2015. Despesas com novos projetos para venda, compostas principalmente por corretagem e impostos sobre
propriedades (IPTU) do banco de terrenos, somaram R$2,6 milhões em 2016, dos quais R$0,7 milhão no 4T16.

12,4 M
9,2 M

1,3 M
3,8 M
1,8 M

-0,1 M
-0,6 M
2015 2016
4T12 4T13 4T14 4T15 4T16

Resultado líquido de imóveis para venda (R$) – 4T Resultado líquido de imóveis para venda (R$) – ano

25
4T16
MULT3

9. Resultados Financeiros

 Aquisições minoritárias em shopping centers aumentaram a alavancagem da Companhia...

 levando a uma menor distribuição de Juros sobre Capital Próprio e, consequentemente, menores lucro líquido e FFO
no curto prazo…

 mas aumentaram o EBITDA, sustentando a estratégia de longo prazo.

9.1 EBITDA

EBITDA cresce 5,5% no 4T16 com aumento da receita líquida e da margem

4T16: O EBITDA Consolidado do trimestre apresentou um aumento de 5,5% sobre o 4T15, totalizando R$239,8 milhões. A
margem EBITDA Consolidado aumentou 122 p.b., de 75,9% no 4T15 para 77,1% no 4T16. Esses resultados ocorreram
principalmente por conta de um crescimento de 3,8% na receita líquida – decorrente de uma evolução de 11,7% na receita de
locação – e de uma reversão na remuneração baseada em opções de ações. O crescimento do EBITDA Consolidado foi
parcialmente compensado por um aumento de 53,6% nas despesas de shopping centers.

EBITDA Consolidado (R$) 4T16 4T15 Var. % 2016 2015 Var. %
Receita Líquida 311,1 M 299,6 M +3,8% 1.129,8 M 1.085,4 M +4,1%
Despesas de sede (34,6 M) (33,4 M) +3,7% (136,3 M) (124,6 M) +9,4%
Remuneração baseada em opções de ações 5,3 M (3,0 M) n.d. (13,6 M) (12,8 M) +6,2%
Despesas de shopping centers (42,5 M) (27,7 M) +53,6% (144,3 M) (101,1 M) +42,8%
Despesas com escritórios para locação (2,4 M) (2,4 M) -1,7% (7,8 M) (10,5 M) -25,0%
Despesas com novos projetos para locação (5,6 M) (2,9 M) +95,1% (11,1 M) (14,8 M) -24,7%
Despesas com novos projetos para venda (0,7 M) (1,0 M) -32,4% (2,6 M) (4,2 M) -37,5%
Custo de imóveis vendidos 10,1 M (2,1 M) n.d. 2,0 M (19,0 M) n.d.
Resultado de equivalência patrimonial (0,1 M) (0,0 M) +366,3% (0,1 M) (0,0 M) +4.680,1%
Outras receitas (despesas) operacionais (0,7 M) 0,2 M n.d. 2,4 M (9,5 M) n.d.
EBITDA Consolidado 239,8 M 227,3 M +5,5% 818,3 M 789,2 M +3,7%
Margem EBITDA Consolidado 77,1% 75,9% +122 p.b. 72,4% 72,7% -27 p.b.

35
0, 0M

+3,7%
30
0, 0M
+5,5%
789,2 M 818,3 M
239,8 M
25
0, 0M

227,3 M
20
0, 0M

75,9% 77,1%
72,7% 72,4%
15
0, 0M

10
0, 0M

4T15 4T16 2015 2016
EBITDA Consolidado (R$) e EBITDA Consolidado (R$) e
margem EBITDA (%) – 4T margem EBITDA (%) – ano

2016: Pela primeira vez, a Companhia quebrou a marca dos R$800,0 milhões e apresentou um EBITDA Consolidado anual de
R$818,3 milhões, representando um crescimento de 3,7% sobre 2015, dado um aumento de 4,1% na receita líquida e reduções
nas despesas com escritórios para locação (-25,0%), assim como nas despesas com novos projetos (-27,5%), levando a uma
margem EBITDA Consolidado de 72,4%.

26
4T16
MULT3

Quando comparado a 2011, o EBITDA Consolidado cresceu 79,7%, levando a um crescimento anual composto (CAGR) de
12,4%. A margem EBITDA Consolidado registrou um aumento de 511 p.b., de 67,3% em 2011 para 72,4% em 2016.
CAGR: +12,4% +3,7%

793,7 M 818,3 M
789,2 M

615,8 M 610,7 M

455,3 M 72,7% 72,4%
70,2%
67,3%
64,0% 62,4%

2011 2012 2013 2014 2015 2016
EBITDA Consolidado Margem EBITDA Consolidado
Evoluções do EBITDA Consolidado (R$) e da margem EBITDA (%)

EBITDA de Propriedades ultrapassa o crescimento do NOI, crescendo 3,9% no 4T16

4T16: O EBITDA de Propriedades, que exclui as receitas e despesas advindas da atividade imobiliária para a venda e de
projetos futuros, aumentou 3,9% no 4T16, totalizando R$241,3 milhões, dado um crescimento de 6,2% na receita bruta de
propriedades, porém parcialmente compensado por um crescimento de 53,6% em despesas de shopping centers. A margem
EBITDA de Propriedades diminuiu 166 p.b., de 77,8% no 4T15 para 76,2% no 4T16.

2016: o EBITDA de Propriedades aumentou 2,3% em 2016 se comparado a 2015, chegando a R$830,7 milhões, com uma
margem de 73,5%.

EBITDA de Propriedades (R$) 4T16 4T15 Var. % 2016 2015 Var. %

Receita Bruta de Propriedades ¹ 352,6 M 332,1 M +6,2% 1.258,3 M 1.186,4 M +6,1%
Impostos e contribuições sobre vendas e serviços
(35,8 M) (33,9 M) +5,9% (127,9 M) (117,9 M) +8,4%
prestados ²
Receita Líquida 316,7 M 298,3 M +6,2% 1.130,4 M 1.068,4 M +5,8%
Despesas de sede ² (35,3 M) (33,3 M) +6,0% (136,4 M) (122,6 M) +11,2%
Remuneração baseada em ações ² 5,4 M (3,0 M) n.d. (13,6 M) (12,6 M) +7,9%
Despesas de shopping centers (42,5 M) (27,7 M) +53,6% (144,3 M) (101,1 M) +42,8%
Despesas com escritórios para locação (2,4 M) (2,4 M) -1,7% (7,8 M) (10,5 M) -25,0%
Outras receitas (despesas) operacionais (0,7 M) 0,2 M n.d. 2,4 M (9,5 M) n.d.
EBITDA de Propriedades ³ 241,3 M 232,1 M +3,9% 830,7 M 812,3 M +2,3%
Margem EBITDA de Propriedades 76,2% 77,8% -166 p.b. 73,5% 76,0% -254 p.b.

(1) Receita Bruta de Propriedades: não inclui a receita com a venda de imóveis.
(2) Despesa de sede, remuneração baseada em ações e impostos proporcionais ao percentual da receita bruta de propriedades sobre a receita bruta.
(3) EBITDA de Propriedades: não inclui operações imobiliárias para venda (receitas, impostos, custos e despesas) e despesas relacionadas a projetos futuros.

32
0, 0M
+2,3%
812,3 M 830,7 M
+3,9%
27
0, 0M

232,1 M 241,3 M
22
0, 0M
76,0%
73,5%
77,8% 76,2%
17
0, 0M

12
0, 0M

4T15 4T16 2015 2016
EBITDA de Propriedades (R$) e margem EBITDA de Propriedades (R$) e margem
EBITDA de Propriedades (%) – 4T EBITDA de Propriedades (%) – ano

27
4T16
MULT3

9.2 Resultados Financeiros, Endividamento e Disponibilidades

Otimização da estrutura de capital em prol do crescimento

A Multiplan apresentou uma dívida líquida de R$2.485,2 milhões no final de dezembro de 2016, um aumento de R$552,5
milhões sobre a dívida líquida registrada no final de setembro de 2016. A dívida bruta aumentou 13,5%, principalmente devido
à emissão dos Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI), no valor total de R$300,0 milhões, e por um novo contrato de
empréstimo de R$80,0 milhões para financiar parte da aquisição de participação minoritária no BarraShopping no 4T16.

Essas oportunidades levaram a alavancagem da Multiplan
3,03x 3,04x
para 3,04x dívida líquida/EBITDA ao final do 4T16, um 1.344,4 M
2,36x 2,44x
patamar semelhante ao de 2013. Como detalhado na página
2,44x 952,1 M
seguinte, a Companhia anunciou um aumento de capital 775,0 M
privado no começo de janeiro de 2017, que deve contribuir
para a diminuição da alavancagem, criando flexibilidade e
301,7 M 297,2 M
gerando recursos para sustentar sua estratégia de
crescimento
2012 2013 2014 2015 2016
CAPEX Dívida líquida/EBITDA
CAPEX e dívida líquida/EBITDA da Multiplan

Posição Financeira (R$) 31/12/2016 30/09/2016 Var. %

Passivo Circulante 414,4 M 230,4 M +79,9%
Empréstimos e financiamentos 373,6 M 171,4 M +118,0%
Debêntures 12,0 M 27,0 M -55,7%
Obrigações por aquisição de bens 28,9 M 32,0 M -9,8%

Passivo não Circulante 2.550,5 M 2.382,1 M +7,1%
Empréstimos e financiamentos 1.849,9 M 1.965,9 M -5,9%
Debêntures 688,6 M 398,2 M +72,9%
Obrigações por aquisição de bens 12,0 M 17,9 M -33,2%
Dívida Bruta 2.964,9 M 2.612,5 M +13,5%
Caixa e Equivalentes de Caixa 479,7 M 679,8 M -29,4%
Dívida Líquida 2.485,2 M 1.932,7 M +28,6%
EBITDA 12M 818,3 M 805,8 M +1,6%
Valor Justo das Propriedades para
16.567,8 M 15.485,1 M +7,0%
Investimento

Caixa e equivalentes de caixa foram reduzidos principalmente pelas aquisições de participações minoritárias no BarraShopping
e MorumbiShopping, como detalhado na seção 2, mas parcialmente compensado pela emissão dos Certificados de Recebíveis
Imobiliários (CRI) e um novo contrato de empréstimo de R$80,0 milhões assinado em dezembro de 2016. Caixa e equivalentes
de caixa no final de dezembro de 2016 são suficientes para cobrir todo o passivo dos próximos 12 meses.

Em 2016, a Multiplan investiu R$952,1 milhões em CAPEX,
Indicadores Financeiros ¹ 31/12/2016 30/09/2016
o maior montante nos últimos quatro anos e mais de três Dívida Líquida/EBITDA 3,04x 2,40x
vezes o valor investido em 2014 ou 2015. Desse total, Dívida Bruta/EBITDA 3,62x 3,24x
EBITDA/Despesa Financeira Líquida 3,82x 4,09x
R$655,7 milhões foram investidos em aquisições. Como
Dívida Líquida/Valor Justo 15,0% 12,5%
resultado, a relação dívida líquida/EBITDA aumentou de Dívida Total/Patrimônio Líquido 0,67x 0,60x
Dívida Líquida/Valor de Mercado 22,0% 16,1%
2,40x em setembro de 2016 para 3,04x em dezembro de
Prazo Médio de Amortização (meses) 49 49
2016, ainda distante do covenant mais próximo, de 4,00x.
1 EBITDA e Despesa Financeira Líquida acumulados nos últimos 12 meses.

28
4T16
MULT3

Emissão de R$300,0 milhões em Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI), período de 6 anos, a 95,0% do CDI

Em dezembro de 2016, foi emitida uma debênture de R$300,0 milhões para cumprir com a emissão dos Certificados de
Recebíveis Imobiliários (CRI). A transação recebeu um rating BrAAA da Fitch Ratings. Em 8 de dezembro de 2016, através de
um processo de bookbuilding, o preço da emissão foi fixado em 95,0% do CDI, e em 29 de dezembro de 2016 a operação foi
concluída. Os juros serão pagos semestralmente e o principal será devolvido em uma única parcela ao final do sexto ano, o
que contribuiu para estender o cronograma de amortização de dívida da Companhia.

Novo empréstimo de R$80,0 milhões para apoiar as aquisições

Também em dezembro de 2016, a Multiplan assinou um novo empréstimo a fim de fortalecer sua posição de caixa e auxiliar o
pagamento das aquisições recentes. Os juros foram de 106,0% do CDI a.a., a serem pagos semestralmente, e o principal
integralmente em dezembro de 2017.

29 M 12 M
2017 375 M 416 M

2018 358 M 12 M 369 M
2017
14,0% 2019 598 M 199 M 797 M
> 2021
25,4% 2020 200 M 199 M 399 M
2018
12,5%
2021 231 M 231 M

2021 2022 109 M 290 M 400 M
7,8%
2020 2019 2023 109 M 109 M
13,5% 26,9%
Empréstimos e financiamentos (bancos)
2024 99 M 99 M
Obrigações por aquisição de bens (terrenos e participações)
2025 146 M 146 M Debêntures

Perfil de amortização da dívida bruta em Perfil de amortização da dívida bruta em 31 de dezembro de 2016 (%)
31 de dezembro de 2016 (%)

Evento Recente: Aumento de Capital Privado de R$600,0 milhões

A fim de fortalecer a estrutura de capital da Multiplan, Menor
4,00x Covenant
permitindo a continuidade de sua estratégia de crescimento (4,00x)
através de aquisições e desenvolvimento de novas áreas, a 3,00x
3,04x
Companhia aprovou em 9 de janeiro de 2017 um aumento de 2,43x
2,00x 2,44x 2,33x 2,40x
capital privado. A operação foi concluída no montante de
R$600,0 milhões, representando 10.256.411 novas ações 1,00x
dez/15 mar/16 jun/16 set/16 dez/16 dez/16
mar/17+
ordinárias, nominativas e sem valor nominal, a um preço de
Aumento de
emissão de R$58,50 por ação. Capital
Evolution of Net Debt / EBITDA

29
4T16
MULT3

Diminuição no custo da dívida: aumento da exposição ao CDI à medida que as taxas de juros caem

Após a emissão de R$300,0 milhões em Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI) e um empréstimo de R$80,0 milhões –
ambos indexados ao CDI – a dívida total indexada ao CDI aumentou de 51,5% ao final de dezembro de 2015 para 62,7% ao
final de dezembro de 2016. Com a taxa Selic diminuindo de 14,25% a.a. ao final de setembro de 2016 para 13,75% a.a. ao
final de dezembro de 2016, o custo médio ponderado da dívida da Companhia diminuiu de 13,50% a.a. para 13,18% a.a.,
mantendo por três anos o custo da dívida abaixo da taxa Selic.

A dívida atrelada à TR diminuiu de 40,4% para 33,0%, enquanto outros índices, como TJLP, IGP-M e outros, diminuíram de
8,1% para 4,3% do total da dívida em dezembro de 2016. Todas as dívidas da Multiplan são em moeda local – Reais – deixando-
a sem exposição direta a flutuações cambiais.

 : -57 p.b.

14,25% 14,25% 14,25% 14,25% 14,25% 13,75%
13,75%
12,75%
11,75% 13,50%
10,75% 11,00% 11,00% 13,09% 13,22% 13,23% 13,18%
12,81%
10,00% 12,29%
10,96% 11,53%
9,87% 10,41% 10,50% 10,54%

dez/13 mar/14 jun/14 set/14 dez/14 mar/15 jun/15 set/15 dez/15 mar/16 jun/16 set/16 dez/16

Custo médio da dívida bruta Taxa básica de juros (Selic)

Custo médio ponderado da dívida (% a.a.)

Indexadores do endividamento em 31 de dezembro de 2016 Outros Outros
8,1% 4,3%
Desempenho do Taxa de Custo da Saldo da
Indexador Juros Média ¹ Dívida Dívida (R$) TR
TR ² 2,01% 9,04% 11,05% 979,0 M TR 33,0%
CDI 13,75% 0,77% 14,52% 1.859,6 M 40,4%
TJLP 7,50% 3,25% 10,75% 68,1 M
IGP-M ² 7,19% 1,15% 8,34% 5,1 M
IPCA ² 6,29% 7,62% 13,91% 11,1 M CDI
Outros 0,00% 8,03% 8,03% 42,1 M CDI 62,7%
Total 9,50% 3,69% 13,18% 2.964,9 M 51,5%

¹ Média ponderada da taxa de juros anual.
² Desempenho acumulado dos índices nos últimos 12 meses. dez/15 dez/16
Comparação dos índices da dívida
da Multiplan entre dez/15 e dez/16

30
4T16
MULT3

9.3 Lucro Líquido e Fluxo de Caixa Operacional (FFO)

Oportunidades únicas de aquisição reduzem Juros sobre Capital Próprio, impactando a comparação do lucro líquido

4T16: O lucro líquido totalizou R$85,2 milhões no 4T16, uma diminuição de R$52,6 milhões sobre o mesmo período do ano
anterior. A redução ocorreu principalmente por conta de um aumento de R$37,6 milhões em imposto de renda e contribuição
social, conduzido por uma menor distribuição de Juros sobre Capital Próprio no 4T16 comparado com o 4T15.

Ao investir R$605,9 milhões em aquisições de participações minoritárias durante o 4T16, a Multiplan priorizou seu crescimento
de longo prazo em detrimento de resultados de curto prazo, mantendo a alavancagem em um nível adequado e alocando seu
capital em oportunidades para aumentar sua participação no BarraShopping e MorumbiShopping, dois dos mais importantes
shopping centers de seu portfólio em termos de vendas/m² e aluguel/m², ao invés de devolver mais capital aos investidores.

2016: O lucro líquido diminuiu 13,9% no ano, de R$362,2 milhões em 2015 para R$311,9 milhões em 2016, novamente
impactado pela estratégia mencionada acima e pelo aumento da alavancagem. A Companhia anunciou R$95,0 milhões em Juros
sobre Capital Próprio em 2016, levando a uma distribuição de 32,1% do lucro líquido após reserva legal.
64,7%
52,8% 50,0% 50,0% 50,0%
225,0 M
183,7 M 174,9 M 32,1%
149,0 M 135,0 M
95,0 M

2011 2012 2013 2014 2015 2016
Distribuição de dividentos incluindo Juros sobre o Capital Próprio (R$)
Payout - % do lucro líquido após reserva legal
Distribuição de dividendos (R$) e payout (%)

362,2 M
-13,9%
311,9 M
137,7 M -38,2%
33,4%
85,2 M 27,6%
46,0%
27,4%

4T15 4T16 2015 2016

Lucro líquido (R$) e margem (%) – 4T Lucro líquido (R$) e margem (%) – ano

Cálculo do FFO & Lucro Líquido 4T16 4T15 Var. % 2016 2015 Var. %
Receita Líquida 311,1 M 299,6 M +3,8% 1.129,8 M 1.085,4 M +4,1%
Despesas operacionais (71,3 M) (72,3 M) -1,4% (311,4 M) (296,3 M) +5,1%
Resultado financeiro (64,9 M) (47,6 M) +36,1% (214,3 M) (187,1 M) +14,5%
Depreciação e amortização (42,4 M) (39,5 M) +7,3% (160,4 M) (157,6 M) +1,7%
Imposto de renda e contribuição social (42,0 M) (4,4 M) +850,5% (119,9 M) (71,6 M) +67,6%
Participações minoritárias 0,3 M 0,0 M +1.047,1% 0,1 M 0,2 M -38,4%
Lucro Líquido Ajustado 90,8 M 135,7 M -33,1% 323,8 M 373,0 M -13,2%
Imposto de renda e contribuição social diferido (5,7 M) 2,0 M n.d. (11,9 M) (10,9 M) +9,4%
Lucro Líquido 85,2 M 137,7 M -38,2% 311,9 M 362,2 M -13,9%
Depreciação e amortização 42,4 M 39,5 M +7,3% 160,4 M 157,6 M +1,7%
Imposto de renda e contribuição social diferido 5,7 M (2,0 M) n.d. 11,9 M 10,9 M +9,4%
Fluxo de Caixa Operacional FFO 133,2 M 175,2 M -24,0% 484,2 M 530,7 M -8,8%

31
4T16
MULT3

FFO diminui 8,8% em 2016, seguindo a mesma tendência do lucro líquido

4T16: O FFO diminuiu 24,0% no 4T16 sobre o mesmo período do ano passado, seguindo a mesma tendência do lucro líquido,
descrito acima. A margem FFO no período diminuiu de 58,5% para 42,8%.

2016: O FFO reduziu de R$530,7 milhões para R$484,2 milhões, uma redução de 8,8% sobre 2015. A margem FFO apresentou
uma diminuição de 603 p.b., de 48,9% em 2015 para 42,9% em 2016.
-8,8%
-24,0% 530,7 M
484,2 M
175,2 M

133,2 M 48,9%
58,5% 42,9%
42,8%

4T15 4T16 2015 2016
FFO (R$) e margem FFO (%) – 4T FFO (R$) e margem FFO (%) – ano

32
4T16
MULT3

10. Desenvolvimento de Projetos

 A Multiplan investiu R$952,1 milhões em 2016, o segundo maior valor anual desde a Abertura de Capital;

 Foram investidos R$655,7 milhões em aquisições no ano.

10.1 CAPEX

Investimentos de R$952,1 milhões em 2016, o maior nos últimos 4 anos

4T16: A Multiplan investiu R$694,0 milhões durante o 4T16, 716.568
669.749 m²
sendo o maior valor, R$605,9 milhões, destinado a aquisições, 634.981 646.827 649.087 m²
m² m² m²
2500,0 M 650.000
enquanto R$44,6 milhões foram investidos no desenvolvimento 528.119
2000,0 M m²
de shopping centers. 550.000
411.424
1500,0 M m² 1.344,4 M 450.000
Os investimentos em desenvolvimento de shopping centers 952,1 M
1000,0 M 689,1 M 775,0 M 350.000
foram focados no ParkShoppingCanoas (fotos e detalhes na
301,7 M 297,2 M
seção 10.3) e outros futuros projetos. Os investimentos500,0
em M 250.000

000,0
expansões de shopping centers totalizaram R$22,4 milhões no M 150.000
2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 ¹
4T16 e incluiu a Expansão do Centro Médico do
RibeirãoShopping, a Expansão II do Pátio Savassi e outras Capex total (R$) ABL própria

futuras expansões. CAPEX total e evolução da ABL própria
¹ Considera na ABL a entrega do ParkShoppingCanoas, do Centro
Médico RibeirãoShopping e da Exp. II do Pátio Savassi – Fase 2

2016: A Multiplan investiu R$952,1 milhões durante o ano, o maior valor nos últimos quatro anos e o segundo maior desde a
Abertura de Capital da Companhia. Foram investidos R$655,7 milhões ou 68,9% do CAPEX total nas recentes aquisições de
participações minoritárias no BarraShopping e no MorumbiShopping, dois dos shoppings center mais consolidados do portfólio,
conforme detalhado na seção 2.

Adicionalmente, a Companhia continuou a construção do ParkShoppingCanoas e a análise de futuros novos negócios,
investindo R$185,5 milhões no desenvolvimento de shopping centers. As expansões de shopping centers, que incluem o Centro
Médico BarraShopping, o Centro Médico RibeirãoShopping, a Expansão II do Pátio Savassi e outras expansões, demandaram
R$54,3 milhões do CAPEX no ano.

Os investimentos em torres para locação, que inclui uma moderna passarela integrando o MorumbiShopping e o Morumbi
Corporate, somaram R$32,7 milhões no ano, enquanto revitalizações, TI e outros totalizaram R$22,8 milhões.

Investimento (R$) 4T16 % do total 2016 % do total

Novos Shopping Centers 44,6 M 6,4% 185,5 M 19,5%

Expansões 22,4 M 3,2% 54,3 M 5,7%

Revitalizações, TI e Outros 9,1 M 1,3% 22,8 M 2,4%

Torres para Locação 11,8 M 1,7% 32,7 M 3,4%

Aquisições 605,9 M 87,3% 655,7 M 68,9%

Compra de Terrenos 0,3 M 0,1% 1,2 M 0,1%

Investimento 694,0 M 100,0% 952,1 M 100,0%

33
4T16
MULT3

10.3 Expansões de Shopping Centers

Multiplan lança segunda fase do Centro Médico RibeirãoShopping

Devido ao sucesso de locação da primeira fase, em novembro de 2016 a Multiplan lançou a segunda fase do Centro Médico
RibeirãoShopping.

A segunda fase do Centro Médico RibeirãoShopping terá 2.000 m² de Área Bruta Locável (ABL) e o investimento da Multiplan
será de R$12,0 milhões. As duas fases compõem a 9ª expansão do RibeirãoShopping, totalizando 6.200 m² de ABL, e estão
programadas para inaugurar no segundo trimestre de 2017. Após a entrega do projeto, o shopping center terá 74.842 m² de
ABL, tornando-se o segundo maior shopping center da Multiplan.

O projeto reunirá diversas especialidades médicas, e uma das principais características é a forte sinergia com todo o complexo
multiúso em que o shopping está inserido. A Companhia estima que o Centro Médico irá trazer um fluxo de aproximadamente
90 mil pessoas por mês ao complexo.

Centro Médico RibeirãoShopping – ilustração artística do projeto – sujeito a modificações

Expansão II do Pátio Savassi: Em construção e totalmente locada

A construção da segunda fase da Expansão II do Pátio Savassi estava 45% concluída no final de dezembro de 2016.

Essa fase irá adicionar duas novas lojas âncoras: uma operação de vestuário e um minimercado/delicatessen, ambos espaços
com contratos já assinados. As duas operações contarão com uma ABL de 2.300 m² e sua inauguração está prevista para
novembro de 2017. Serão construídas 95 novas vagas de estacionamento em dois pisos de subsolo. Considerando as duas
fases da Expansão II, serão adicionados ao shopping center 4.100 m² de ABL, que atingirá 21.100 m² - um aumento de 21,4%,
tornando o Pátio Savassi ainda mais completo.

O investimento previsto no projeto da Expansão II é de R$34,9 milhões, considerando apenas a participação da Multiplan.

Pátio Savassi Expansão II – ilustração artística do projeto – sujeito a modificações

34
4T16
MULT3

10.4 Novos Shopping Centers

ParkShoppingCanoas: status de construção

O ParkShoppingCanoas está progredindo de acordo com o orçamento e sua data de inauguração está marcada para novembro
de 2017. Em dezembro de 2016, 76,0% da ABL já estava locada e a parte final da obra já havia sido iniciada.

A fase atual de construção inclui a aplicação de estruturas de concreto pré-moldadas e moldadas in loco, piso, estruturas
metálicas e cobertura, esquadrias e vidros, instalações elétricas e hidráulicas, ar condicionado, alvenaria, revestimentos
externos, fachada pré-moldada e dry wall.

ParkShoppingCanoas em construção (dez-16)

Sobre o ParkShoppingCanoas: localizado no estado do Rio Grande do Sul, na cidade de Canoas, o projeto foi oficialmente
anunciado em junho de 2015. O ParkShoppingCanoas é o 19º shopping center da Multiplan, e terá uma Área Bruta Locável
(ABL) de 48.000 m². A Companhia terá participação de 80,0% na renda do ParkShoppingCanoas, e de 94,7% no custo de
construção do empreendimento, o qual na participação da empresa deverá representar R$359,3 milhões. A estimativa de NOI
(Resultado Operacional Líquido) no 3º ano é de R$36,0 milhões. O retorno do NOI do 3º ano, considerando o investimento
líquido é de 10,8%. Seguindo o conceito multiúso desenvolvido pela Multiplan em diversos complexos, que integra shopping
centers com outros empreendimentos imobiliários, o ParkShoppingCanoas já nasce com uma expansão planejada de 12.000
m² de ABL, além do projeto de desenvolvimento de três torres no entorno do shopping center, com área privativa total de 22.500
m².

35
4T16
MULT3

10.5 Bancos de Terrenos e Futuros Projetos Multiúso

A Multiplan possuí atualmente 820.519 m² para o desenvolvimento de futuros projetos multiúso

A Multiplan possui 820.519 m² de terreno para futuros projetos multiúso. Com base em estudos internos dos projetos, a
Companhia estima uma potencial área privada para venda1 de mais de um milhão de m². Todas as áreas listadas abaixo são
integradas aos shopping centers da Companhia e deverão ser utilizadas para o desenvolvimento de projetos multiúso,
primariamente para venda.

A Companhia também estima um potencial aumento de aproximadamente 150.000 m² de ABL através de expansões em seus
shopping centers, que não estão incluídos na tabela abaixo.

Área do Área privativa
Shopping Center Tipo de projeto % Multiplan
terreno para venda¹
BarraShoppingSul 159.587 m² 304.515 m² Hotel, Apart-Hotel, Escritório e Residencial 100%
JundiaíShopping 4.500 m² 11.616 m² Escritório 100%
ParkShoppingBarigüi 28.214 m² 43.376 m² Apart-Hotel e Escritório 94%
ParkShoppingCampoGrande 317.755 m² 92.774 m² Escritório e Residencial 90%
ParkShoppingCanoas 18.721 m² 22.457 m² Hotel, Apart-Hotel e Escritório n.a.
ParkShoppingSãoCaetano 36.948 m² 138.000 m² Escritório 100%
Parque Shopping Maceió 86.699 m² 182.665 m² Escritório e Residencial 50%
RibeirãoShopping 102.295 m² 138,749 m² Hotel, Apart-Hotel, Escritório e Residencial 100%
ShoppingAnáliaFranco 29.800 m² 89.600 m² Residencial 36%
VillageMall 36.000 m² 34.038 m² Escritório 100%
Total 820.519 m² 1.057.790 m² 83%

Projeto multiúso no complexo do RibeirãoShopping
Ilustração artística do projeto preliminar – sujeito a modificação sem aviso prévio
1Estes dados têm caráter informativo para o melhor entendimento do potencial de crescimento da Companhia, não constituindo uma obrigação de
executar estes projetos, além de poderem ser modificados ou cancelados sem qualquer aviso prévio.

36
4T16
MULT3

11. MULT3 e Mercado de Ações

 Preço da ação da Multiplan subiu 56,3% em 2016;
 MULT3 superou IBOV e IBrX50 desde a inclusão em ambos os índices.

A ação da Multiplan (MULT3 na BM&FBOVESPA) foi cotada a R$59,38 ao final de 2016, um aumento de 56,3% sobre o preço
ao final de 2015. O valor médio diário negociado foi de R$35,6 milhões no 4T16, um crescimento de 12,1% sobre o 4T15. Em
2016, esse indicador acumulou média de R$39,5 milhões, um aumento de 2,5% sobre 2015. O número diário de ações
negociadas foi de 714.464 em 2016.

As ações da Multiplan estão listadas em 76 índices globais, incluindo o Ibovespa (IBOV), Índice Brasil 50 (IBrX50) e Índice
Carbono Eficiente (ICO2). A MULT3 superou o IBOV e o IBrX50 desde sua inclusão em ambos os índices, como observado
nos gráficos abaixo.

 MULT3 / IBOV:  MULT3 / IBrX50:
+480 p.b. +660 p.b.

Volume médio negociado (média de 15 dias) 80,0 M 140 Volume médio negociado (média de 15 dias) 80,0 M
145 Multiplan +25,2% Multiplan +12,0%
IBOV +20,4% 70,0 M IBrX50 +5,4% 70,0 M
130 120
60,0 M 60,0 M
115
50,0 M 100 50,0 M
100
40,0 M 40,0 M
80
85 30,0 M 30,0 M

70 20,0 M 60 20,0 M
dez/14 jun/15 dez/15 jun/16 dez/16 abr/15 ago/15 nov/15 fev/16 jun/16 set/16 dez/16

MULT3, Ibovespa e volume MULT3 (desde a inclusão da MULT3) MULT3, IBrX50 e volume MULT3 (desde a inclusão da MULT3)
Base 100 = 31 de dezembro de 2014 Base 100 = 30 de abril de 2015

MULT3 na BM&FBOVESPA 4T16 4T15 Var. % 2016 2015 Var. %
Preço de fechamento médio (R$) 60,04 43,48 +38,1% 56,24 47,71 +17,9%
Preço de fechamento (R$) 59,38 38,00 +56,3% 59,38 38,00 +56,3%
Valor médio diário negociado (R$) 35,6 M 31,8 M +12,1% 39,5 M 38,6 M +2,5%
Volume médio diário negociado (nº ações) 595.805 729.808 -18,4% 714.464 809.890 -11,8%
Valor de mercado (R$) – fim do período 11.282,0 M 7.219,9 M +56,3% 11.282,0 M 7.219,9 M +56,3%

Em 31 de dezembro de 2016, 28,7% das ações da Companhia eram detidas direta ou indiretamente pelo Sr. e pela Sra. Peres. A
Ontario Teachers’s Pension Plan (OTPP) detinha 28,8% e o free-float era equivalente a 41,8%. As ações detidas pela
administração e em tesouraria totalizavam 0,7% do total das ações emitidas. O total de ações era de 189.997.214.
Adm. + Tesouraria
0,7%

Free Float Ordinárias
41,8% 22,6%
OTPP
28,8% Preferenciais
6,2%

MTP+Peres
28,7%

Abertura da estrutura societária em 31 de dezembro de 2016.
OTPP – Ontario Teachers’ Pension Plan

37
4T16
MULT3

12. Valor Justo das Propriedades para Investimento de acordo com CPC 28

A Multiplan avaliou internamente suas Propriedades para Investimento e determinou seu Valor Justo seguindo a metodologia
de Fluxo de Caixa Descontado (DCF). A Companhia calculou o valor presente dos fluxos de caixa futuros utilizando uma taxa
de desconto seguindo o modelo CAPM, Capital Asset Pricing Model. Foram consideradas premissas de risco e retorno com
base em (i) estudos realizados e publicados por “Aswath Damodaran” (professor da New York University), (ii) desempenho das
ações da Companhia (Beta), além de (iii) projeções macroeconômicas publicadas pelo Banco Central, e (iv) dados sobre o
prêmio de risco do mercado nacional (Risco País, medido pelo Emerging Markets Bond Index Plus Brazil). Baseado nessas
premissas, a Companhia estimou uma taxa de desconto média ponderada, nominal e desalavancada, de 13,69% em 31 de
dezembro de 2016, como resultado de uma taxa de desconto base de 13,30%, calculada de acordo com o modelo CAPM, e
um prêmio de risco médio ponderado de 38 pontos base. O prêmio de risco foi calculado de acordo com avaliações internas e
adicionado à taxa de desconto base em um intervalo entre zero e 200 pontos base na avaliação de cada shopping center, torre
comercial ou projeto futuro.

Custo de Capital Próprio 2016 2015 2014 2013 2012

Taxa livre de risco (Risk free rate) 3,42 % 3,45% 3,49% 3,53% 3,57%
Prêmio de risco de mercado 6,11 % 6,05% 6,11% 6,02% 5,74%
Beta ajustado 0,79 0,78 0,72 0,77 0,74
Risco país 270 p.b. 232 p.b. 230 p.b. 205 p.b. 184 p.b.
Prêmio de risco adicional 38 p.b. 51 p.b. 44 p.b. 43 p.b. 59 p.b.
Custo de capital próprio – US$ nominal 11,30% 11,00% 10,65% 10,66% 10,25%

Premissas de inflação
Inflação (Brasil) (1) 4,59 % 6,53% 6,53% 5,98% 5,47%
Inflação (EUA) 2,40 % 2,40% 2,40% 2,30% 2,30%
Custo de capital próprio – R$ nominal 13,69% 15,47% 15,11% 14,64% 13,66%

(1) A inflação estimada (BR) para dezembro de 2016 considera a média de 4 anos, entre janeiro de 2017 e dezembro de 2020. A premissa de inflação utilizada
nos modelos de 2012, 2013, 2014 e 2015, considerou a inflação estimada para os 12 meses seguintes.

O cálculo de Valor Justo das propriedades para investimento reflete o conceito de participantes de mercado. Assim, a
Companhia desconsiderou para cálculo dos fluxos de caixa descontados os impostos sobre as receitas, impostos e
contribuições sobre o lucro, e receitas e despesas decorrentes da prestação de serviços de administração e comercialização.

O fluxo de caixa futuro do modelo foi estimado com base nos fluxos de caixa individuais das propriedades, incluindo o resultado
líquido operacional (NOI), cessão de direito recorrente (baseada somente na troca de mix, salvo em projetos em
desenvolvimento e projetos futuros), receitas com taxas de transferência, investimentos em revitalização e investimentos em
obras em andamento. Para o cálculo da perpetuidade foi considerada uma taxa de crescimento real de 2,0% para shopping
centers e zero para torres comerciais.

A Companhia classificou suas propriedades para investimento de acordo com o status de cada uma. A tabela abaixo apresenta
a descrição do valor identificado para cada categoria de propriedade e o valor dos ativos na participação da Companhia:

Valor Justo de Propriedades para Investimento 2016 2015 2014 2013 2012

Shopping centers e torres comerciais em operação ¹,²,³ R$ 16.116 M R$ 15.465 M R$ 15.683 M R$ 14.089 M R$ 13.418 M
, ,
Projetos em desenvolvimento (anunciados) ¹ ² ³ R$ 295 M R$ 181 M R$ 32 M R$ 123 M R$ 715 M
Projetos futuros (ainda não anunciados) R$ 156 M R$ 379 M R$ 284 M R$ 430 M R$ 569 M
Total R$ 16.568 M R$ 16.024 M R$ 15.999 M R$ 14.642 M R$ 14.702 M

¹ Em 2012, os projetos JundiaíShopping, ParkShoppingCampoGrande, VillageMall, ParkShopping Corporate e a Expansão VII do RibeirãoShopping foram
concluídos e seus ativos transferidos de projetos em desenvolvimento para Shopping Centers e torres comerciais em operação.
² Em 2013, os projetos Expansão VII e Expansão VIII do RibeirãoShopping e o Morumbi Corporate foram concluídos e seus ativos transferidos de projetos em
desenvolvimento para shopping centers e torres comerciais em operação.
³ Em 2014, o projeto Expansão VII do BarraShopping foi concluído e seus ativos transferidos de projetos em desenvolvimento para shopping centers e torres
comerciais em operação.

38
4T16
MULT3

Seguindo o pronunciamento CPC 19 (R2) – Investimento em Coligada, emitido pelo Comitê de Pronunciamentos Contábeis
(CPC), as participações de 37,5% no ShoppingSantaÚrsula e de 50,0% no projeto Parque Shopping Maceió através de
Controladas em Conjunto não foram consideradas na avaliação do valor justo.

Valor Projetos Futuros (ainda não anunciados)
Justo Projetos em Desenvolvimento (anunciados)
Propriedades em Operação 87,80
84,99 85,30
17,5 B 82,45
16,6 B 78,06
15,0 B 73,21
12,5 B 68,87
10,0 B
7,5 B
5,0 B
2,5 B 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016
0,0 B
2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016

Evolução do Valor Justo¹ (R$) Valor Justo¹ por ação (R$)

Valor Justo das propriedades em operação
NOI das propriedades em operação
224
ABL Própria das propriedades em operação 217 +20,3% 16,6 B
197 13,8 B
169 11,3 B
168
163 166

143 160 166
162 160
120 145
140
138
111
100 111 Valor de Valor da Valor Justo
Mercado Empresa (EV)
2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016

Crescimento do Valor Justo¹, NOI e ABL própria Valor de Mercado² vs. Valor da Empresa³ (EV) vs. Valor Justo¹
(Base 100: 2010) – 31 de dezembro de 2016

Valor Justo Valor da Empresa (EV) Valor Justo / Valor da Empresa (EV)

16,0 B 16,0 B 16,6 B
14,7 B 14,6 B
13,0 B 13,8 B
12,3 B 12,3 B 11,3 B
10,9 B
9,1 B
7,3 B
6,4 B
1,93x 1,79x 1,75x
1,20x 1,29x 1,47x 1,20x

2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016

Valor da Empresa³ (EV) e Valor Justo¹ (R$)
¹ Calculado de acordo com o CPC 28
² Baseado no valor da ação em 31 de dezembro de 2016, de R$59,38
³ A soma do Valor de Mercado e da Dívida Líquida

39
4T16
MULT3

13. Portfólio

Taxa de
Multiplan ABL Total Vendas Aluguel
Portfólio – 2016 Abertura Estado
%1 Média (ano)2 (ano)3
Ocupação
Média
Shopping centers em operação
BH Shopping 1979 MG 80,0% 47.148 m² 24.586 R$/m² 2.166 R$/m² 98,1%
RibeirãoShopping 1981 SP 80,0% 68.658 m² 12.742 R$/m² 928 R$/m² 96,8%
BarraShopping 1981 RJ 65,8% 77.332 m² 28.688 R$/m² 2.597 R$/m² 99,5%
MorumbiShopping 1982 SP 73,7% 56.102 m² 31.639 R$/m² 2.801 R$/m² 99,5%
ParkShopping 1983 DF 61,7% 53.519 m² 22.372 R$/m² 1.725 R$/m² 97,7%
DiamondMall 1996 MG 90,0% 21.386 m² 28.561 R$/m² 2.296 R$/m² 99,6%
New York City Center 1999 RJ 50,0% 22.257 m² 9.904 R$/m² 698 R$/m² 100,0%
ShoppingAnáliaFranco 1999 SP 30,0% 51.708 m² 21.849 R$/m² 1.728 R$/m² 97,9%
ParkShoppingBarigüi 2003 PR 84,0% 51.902 m² 18.458 R$/m² 1.201 R$/m² 98,4%
Pátio Savassi 2004 MG 96,5% 19.312 m² 21.815 R$/m² 1.651 R$/m² 99,0%
ShoppingSantaÚrsula 1999 SP 62,5% 23.137 m² 7.577 R$/m² 318 R$/m² 90,2%
BarraShoppingSul 2008 RS 100,0% 73.004 m² 14.975 R$/m² 762 R$/m² 98,4%
ShoppingVilaOlímpia 2009 SP 60,0% 28.374 m² 16.415 R$/m² 1.122 R$/m² 93,3%
ParkShoppingSãoCaetano 2011 SP 100,0% 39.253 m² 15.462 R$/m² 1.103 R$/m² 98,7%
JundiaíShopping 2012 SP 100,0% 34.396 m² 13.812 R$/m² 858 R$/m² 95,7%
ParkShoppingCampoGrande 2012 RJ 90,0% 43.236 m² 11.786 R$/m² 869 R$/m² 95,3%
VillageMall 2012 RJ 100,0% 25.704 m² 22.717 R$/m² 1.201 R$/m² 96,7%
Parque Shopping Maceió 2013 AL 50,0% 37.505 m² 10.590 R$/m² 736 R$/m² 95,6%
Subtotal shopping centers em operação 75,9% 773.932 m² 19.851 R$/m² 1.422 R$/m² 97,5%
Torres Comerciais
ParkShopping Corporate 2012 DF 50,0% 13.360 m² 22,9%
Morumbi Corporate 2013 SP 100,0% 74.198 m² 94,9%
Subtotal torres comerciais 92,4% 87.558 m²
Total propriedades para locação 77,6% 861.490 m²
Shopping center em desenvolvimento
ParkShoppingCanoas 2017 RS 80,0% 48.000 m² 76,0%
Subtotal shopping center em desenvolvimento 80,0% 48.000 m²
Expansões em desenvolvimento
Exp. Centro Médico
2017 SP 100,0% 6.200 m² 73,9%
RibeirãoShopping
Exp. II Pátio Savassi – Fase 2 2017 MG 96,5% 2.300 m² 100,0%
Subtotal expansões em desenvolvimento 99,1% 8.500 m²
Total portfólio 77,9% 917.990 m²

1
Neste relatório, a participação da Multiplan não considera a última aquisição anunciada em janeiro de 2017 no ParkShoppingBarigüi.
2
Vendas por m²: O cálculo de vendas/m² considera apenas a ABL de lojas âncoras e satélites que reportam vendas, e exclui as vendas de
quiosques, uma vez que estas operações não estão incluídas na ABL total.
3
Aluguel por m²: soma de aluguel mínimo e complementar cobrado dos lojistas dividido pelas respectivas ABL. É válido notar que esta ABL
inclui lojas que já estão locadas, contudo ainda não começaram a operar (ex: lojas que estão sendo preparadas para a inauguração).

40
4T16
MULT3

Mapa de Operações

Shopping Center em operação
Torre para locação em operação
Shopping Center em desenvolvimento

AL Maceió
Parque Shopping Maceió

Brasília Belo Horizonte
ParkShopping DF Pátio Savassi
ParkShopping Corporate DiamondMall
MG BH Shopping

SP
Rio de Janeiro
Curitiba
PR RJ BarraShopping
ParkShoppingBarigüi New York City Center
VillageMall
ParkShoppingCampoGrande
Porto Alegre RS
São Paulo
BarraShoppingSul
ShoppingAnáliaFranco
MorumbiShopping
ShoppingVilaOlímpia
Canoas Morumbi Corporate
ParkShoppingCanoas
Jundiaí
JundiaíShopping

Ribeirão Preto
Shopping Santa Úrsula
RibeirãoShopping

São Caetano
ParkShoppingSãoCaetano

41
4T16
MULT3

14. Estrutura Societária

A estrutura societária da Multiplan, em 31 de dezembro de 2016, está descrita no gráfico abaixo. De um total de 189.997.214
ações emitidas, 178.138.867 são ordinárias e 11.858.347 são preferenciais e detidas exclusivamente pela Ontario Teachers’
Pension Plan (OTPP) e não são listadas nem negociadas em nenhuma bolsa de valores.

Maria Helena Tesouraria
Free Float
Kaminitz Peres
22,25%
Ontario Teachers’
44,55% ON 0,73% ON Pension Plan
Multiplan Planejamento,
41,77% Total 0,68% Total
Participações e 1,38% ON
Administração S.A. 23,65% ON 1,29% Total 100,0%
22,17%Total 1700480
77,75% Ontario Inc.
Jose Isaac Peres 24,11% ON
5,47% ON 100,0% PN
5,13% Total Pátio Savassi Administração 100,0%
28,85% Total de Shopping Center Ltda.***

14,8% Multiplan Barra 1
CSHG Multiplus Empreendimento Imobiliário Ltda.* 100,0%
FIM 0,11% ON
0,10% Total 8,0% Multiplan Morumbi 1 100,0%
Empreendimento Imobiliário Ltda.*
Shopping Centers %
1,00% Multiplan Administradora 50,0% Morumbi Business Center 100,0%
99,00%
de Shopping BarraShopping 65,8% Empreendimento Imobiliário Ltda. *
Centers Ltda.**** BarraShoppingSul 100,0% MPH 50,00%
BH Shopping 80,0% 60,0% Empreendimento Imobiliário Ltda.
0,01% Embraplan DiamondMall 90,0% 50,00%
99,99% Manati Empreendimentos e
Empresa Brasileira MorumbiShopping 73,7% 75,0%
% Participações S.A.
de Planejamento Ltda. ** New York City Center 50,0% 50,00%
ParkShopping 61,7% 100,0% Parque Shopping Maceió S.A.
2,00% SCP Royal Green 98,00% ParkShoppingBarigüi 84,0%
Península Pátio Savassi 96,5% 100,0%
Danville SP Empreendimento
RibeirãoShopping 80,0% Imobiliário Ltda. *
CAA - Corretagem 100,0% ShoppingAnáliaFranco 30,0% 100,0%
Imobiliária Ltda. * ShoppingVilaOlímpia 60,0% Multiplan Holding S.A.
ShoppingSantaÚrsula 62,5%
CAA - Corretagem e 100,0%
Parque Shopping Maceió 50,0% Ribeirão Residencial
Consultoria 100,0% ParkShoppingSãoCaetano 100,0% Empreendimento Imobiliário Ltda. *
Publicitária Ltda. * JundiaíShopping 100,0% 100,0%
Multiplan Greenfield I
VillageMall 100,0%
Multiplan Arrecadadora Empreendimento Imobiliário Ltda. *
100,0% ParkShoppingCampoGrande 90,0% 100,0%
Ltda * BarraSul
Empreendimento Imobiliário Ltda. *
100,0% Renasce - 99,99%
100,0% 100,0%
Rede Nacional de Torres Comerciais % Jundiaí Shopping Center Ltda. *
100,0% Shopping Centers Ltda.** 0,45%
ParkShopping Corporate 50,0% 100,0%
Multiplan Greenfield III
County Estates Limited Morumbi Corporate 100,0% Empreendimento Imobiliário Ltda. *
90,0% 100,0%
Parkshopping Campo Grande Ltda. *
Embassy Row Inc
50,0% 100,0%
ParkShopping Corporate
Empreendimento Imobiliário Ltda. *
46,88% Multiplan Greenfield II 100,0%
Empreendimento Imobiliário Ltda. *
* A Multiplan Holding S.A. detém participação igual ou inferior a 1,00% nessas empresas. 53,12%
Multiplan Greenfield IV 100,0%
** José Isaac Peres detém participação de 0,01% nessa empresa.
*** Renasce - Rede Nacional de Shopping Centers Ltda. Detém participação de 0,01% nessa empresa. Empreendimento Imobiliário Ltda. *
**** José Isaac Peres detém 1,00% de participação nessa empresa. 94,67%
***** 17 SPE’s relacionadas a novos projetos para venda. Multiplan Holding S.A. possui participação igual ParkShopping Canoas Ltda.
ou inferior a 1,00% nessas empresas.
ParkShopping Global Ltda. 87,0%

ParkShopping Jacarepaguá Ltda.* 100,0%

17 SPE’s ***** 100,0%

A Multiplan detém participações nas Sociedades de Propósito Específico (SPE) e nos empreendimentos, conforme descrito
abaixo:

MPH Empreendimento Imobiliário Ltda.: possui 60,0% de participação no ShoppingVilaOlímpia, localizado na cidade de São
Paulo, SP. A Multiplan, através de participações direta e indireta, possui 100,0% de participação na MPH.
Manati Empreendimentos e Participações S.A.: possui 75,0% de participação no ShoppingSantaÚrsula, localizado na cidade
de Ribeirão Preto, SP. A Multiplan possui 50,0% de participação na Manati.
Parque Shopping Maceió S.A.: possui 100,0% de participação no Parque Shopping Maceió, localizado na cidade de Maceió,
AL. A Multiplan possui 50% de participação na Parque Shopping Maceió S.A.

42
4T16
MULT3

Danville SP Empreendimento Imobiliário Ltda.: SPE criada para o desenvolvimento de projeto imobiliário na cidade de
Ribeirão Preto, SP.
Multiplan Holding S.A.: subsidiária integral da Multiplan, que tem por objeto a participação em outras sociedades do grupo
Multiplan.
Ribeirão Residencial Empreendimento Imobiliário Ltda.: SPE criada para o desenvolvimento de projeto imobiliário na
cidade de Ribeirão Preto, SP.
BarraSul Empreendimento Imobiliário Ltda.: SPE criada para o desenvolvimento de projeto imobiliário na cidade de Porto
Alegre, RS.
Morumbi Business Center Empreendimento Imobiliário Ltda.: possui 30,0% de participação indireta no
ShoppingVilaOlímpia via 50,0% de participação na MPH, que por sua vez possui 60,0% de participação no
ShoppingVilaOlímpia. A Multiplan possui 100,0% de participação na Morumbi Business Center Empreendimento Imobiliário
Ltda.
Multiplan Greenfield I Empreendimento Imobiliário Ltda.: SPE criada para o desenvolvimento de projeto imobiliário na
cidade de Porto Alegre, RS.
Multiplan Greenfield II Empreendimento Imobiliário Ltda.: detém 46,88% de participação no Morumbi Corporate, um
complexo de torres comerciais na cidade de São Paulo, SP.
Multiplan Greenfield III Empreendimento Imobiliário Ltda.: SPE criada para o desenvolvimento de projeto imobiliário na
cidade do Rio de Janeiro, RJ.
Multiplan Greenfield IV Empreendimento Imobiliário Ltda.: detém 53,12% de participação no Morumbi Corporate. A
Multiplan possui indiretamente 100,0% de participação no Morumbi Corporate.
Jundiaí Shopping Center Ltda.: possui 100,0% de participação no JundiaíShopping, localizado na cidade de Jundiaí, SP. A
Multiplan possui 100,0% de participação na Jundiaí Shopping Center Ltda.
ParkShopping Campo Grande Ltda.: possui 90,0% de participação no ParkShoppingCampoGrande, localizado na cidade do
Rio de Janeiro, RJ. A Multiplan possui 100,0% de participação na ParkShopping Campo Grande Ltda.
ParkShopping Corporate Empreendimento Imobiliário Ltda.: detém 50,0% de participação no ParkShopping Corporate,
uma torre comercial localizado na cidade de Brasília, DF.
ParkShopping Canoas Ltda.: SPE criada para o desenvolvimento de projeto imobiliário na cidade de Canoas, RS.
Pátio Savassi Administração de Shopping Center Ltda.: Atua na administração do estacionamento do Shopping Pátio
Savassi, localizado na Cidade de Belo Horizonte, MG.
ParkShopping Global Ltda.: SPE criada para o desenvolvimento de projeto imobiliário na cidade de São Paulo, SP.

ParkShopping Jacarepaguá Ltda.: SPE criada para o desenvolvimento de projeto imobiliário na cidade do Rio de Janeiro,
RJ.
Multiplan Barra 1 Empreendimento Imobiliário Ltda.: SPE criada para a aquisição de participação adicional de 14,8% no
BarraShopping. A conclusão da aquisição está sujeita ao cumprimento de determinadas condições resolutivas e aprovações
exigidas por lei.
Multiplan Morumbi 1 Empreendimento Imobiliário Ltda.: SPE criada para a aquisição de participação adicional de 8,0%
no MorumbiShopping. A conclusão da aquisição está sujeita ao cumprimento de determinadas condições resolutivas e
aprovações exigidas por lei.

43
4T16
MULT3

15. Dados Operacionais e Financeiros

Destaques Operacionais e Financeiros
Desempenho
Desempenho Financeiro (MTE %) 4T16 4T15 Var.% 2016 2015 Var.%
Receita bruta R$'000 346.263 333.586 +3,8% 1.257.532 1.205.238 +4,3%

Receita líquida R$'000 311.067 299.581 +3,8% 1.129.753 1.085.426 +4,1%

Receita líquida R$/m² 477,4 473,7 +0,8% 1.769,9 1.721,2 +2,8%

Receita líquida US$/pé² 13,6 11,1 +22,5% 50,5 40,4 +25,0%
Receita de locação (com efeito da linearidade)
267.710 249.669 +7,2% 925.969 869.564 +6,5%
R$'000
Receita de locação R$/m² 410,9 394,8 +4,1% 1.450,7 1.378,9 +5,2%

Receita de locação US$/pé² 11,7 9,3 +26,5% 41,4 32,3 +27,9%

Receita de locação mensal R$/m² 152,2 140,5 +8,4% 485,4 455,4 +6,6%

Receita de locação mensal US$/pé² 4,3 3,3 +31,7% 13,8 10,7 +29,5%

Resultado Operacional Líquido (NOI) R$'000 276.815 269.303 +2,8% 964.569 934.817 +3,2%

Resultado Operacional Líquido R$/m² 424,9 425,8 -0,2% 1.511,1 1.482,4 +1,9%
Resultado Operacional Líquido US$/pé² 12,1 10,0 +21,3% 43,1 34,8 +23,9%
Margem NOI 86,1% 90,0% -390 p.b. 86,4% 89,3% -297 p.b.
NOI por ação R$ 1,47 1,43 +2,3% 5,11 4,98 +2,7%
NOI + CD R$'000 281.108 273.569 +2,8% 978.502 959.731 +2,0%

NOI + CD R$/m² 431,5 432,6 -0,3% 1.533,0 1.521,9 +0,7%
NOI + CD US$/pé² 12,3 10,1 +21,2% 43,7 35,7 +22,4%
Margem NOI + CD 86,2% 90,1% -385 p.b. 86,5% 89,6% -305 p.b.
NOI + CD por ação R$ 1,49 1,46 +2,3% 5,19 5,11 +1,5%

Despesas de sede R$'000 34.643 33.422 +3,7% 136.305 124.564 +9,4%
Despesas de sede/Receita líquida 11,1% 11,2% -2 p.b. 12,1% 11,5% +59 p.b.
EBITDA R$'000 239.777 227.259 +5,5% 818.331 789.157 +3,7%
EBITDA R$/m² 368,0 359,4 +2,4% 1.282,0 1.251,4 +2,4%
EBITDA US$/pé² 10,5 8,4 +24,5% 36,6 29,4 +24,5%
Margem EBITDA 77,1% 75,9% +122 p.b. 72,4% 72,7% -27 p.b.
EBITDA por ação R$ 1,27 1,21 +5,0% 4,34 4,20 +3,2%

Lucro líquido ajustado R$'000 90.811 135.714 -33,1% 323.826 373.044 -13,2%

Lucro líquido ajustado R$/m² 139,4 214,6 -35,1% 507,3 591,5 -14,2%
Lucro líquido ajustado US$/pé² 4,0 5,0 -21,1% 14,5 13,9 +4,2%
Margem líquida ajustada 29,2% 45,3% -1.611 p.b. 28,7% 34,4% -570 p.b.
Lucro líquido ajustado por ação R$ 0,48 0,72 -33,4% 1,72 1,99 -13,6%
FFO R$'000 133.208 175.219 -24,0% 484.213 530.689 -8,8%
FFO R$/m² 204,5 277,1 -26,2% 758,6 841,5 -9,9%
FFO US$'000 40.880 44.238 -7,6% 148.600 133.985 +10,9%
FFO US$/pé² 5,8 6,5 -10,3% 21,6 19,7 +9,6%
Margem FFO 42,8% 58,5% -26,8% 42,9% 48,9% -12,3%
FFO por ação R$ 0,71 0,93 -24,3% 2,57 2,83 -9,2%

Dólar (US$) final do período 3,2585 3,9608 -17,7% 3,2585 3,9608 -17,7%

44
4T16
MULT3

Dados Operacionais e Financeiros
Desempenho
Desempenho do Mercado 4T16 4T15 Var.% 2016 2015 Var.%
Número de ações 189.997.214 189.997.214 - 189.997.214 189.997.214 -
Ações ordinárias 178.138.867 178.138.867 - 178.138.867 178.138.867 -
Ações preferenciais 11.858.347 11.858.347 - 11.858.347 11.858.347 -
Preço médio da ação R$ 60,04 43,48 +38,1% 56,24 47,71 +17,9%
Preço de fechamento da ação R$ 59,38 38,00 +56,3% 59,38 38,00 +56,3%
Volume médio diário negociado (R$ '000) 35.619 31.762 +12,1% 39.507 38.556 +2,5%
Valor de mercado (R$ '000) 11.282.035 7.219.894 +56,3% 11.282.035 7.219.894 +56,3%
Dívida bruta (R$ '000) 2.964.920 2.307.934 +28,5% 2.964.920 2.307.934 +28,5%
Caixa (R$ '000) 479.726 382.106 +25,5% 479.726 382.106 +25,5%
Dívida líquida (R$ '000) 2.485.194 1.925.828 +29,0% 2.485.194 1.925.828 +29,0%
P/FFO (Últimos 12 meses) 23,3 x 13,6 x +71,3% 23,3 x 13,6 x +71,3%
EV/EBITDA (Últimos 12 meses) 16,8 x 11,6 x +45,2% 16,8 x 11,6 x +45,2%
Dívida Líquida/EBITDA (Últimos 12 meses) 3,0 x 2,4 x +24,4% 3,0 x 2,4 x +24,4%

Desempenho
Operacional (100%) 4T16 4T15 Var.% 2016 2015 Var.%
ABL Shopping Center total final (m²) 775.575 770.270 +0,7% 775.575 770.270 +0,7%
ABL Shopping Center própria final (m²) 588.871 569.141 +3,5% 588.871 569.141 +3,5%
ABL Shopping Center própria % 75,9% 73,9% +204 p.b. 75,9% 73,9% +204 p.b.
ABL Torre Comercial total final (m²) 87.558 87.558 - 87.558 87.558 -
ABL Torre Comercial própria final (m²) 80.878 80.878 - 80.878 80.878 -
ABL total final (m²) 863.133 857.828 +0,6% 863.133 857.828 +0,6%
ABL própria final (m²) 669.749 650.019 +3,0% 669.749 650.019 +3,0%
ABL Shopping Center total ajustada (med.) (m²) ¹ 757.402 752.112 +0,7% 755.774 752.112 +0,5%
ABL Shopping Center própria ajustada (med.) (m²) ¹ 570.649 551.518 +3,5% 557.434 549.751 +1,4%
ABL Torre Comercial total (med.) (m²) ¹ 87.558 87.558 - 87.558 87.558 -
ABL Torre Comercial própria (med.) (m²) ¹ 80.878 80.878 - 80.878 80.878 -
ABL total ajustada (avg.) (m²) ¹ 844.960 91 +0,6% 843.332 839.670 +0,4%
ABL própria ajustada (avg.) (m²) ¹ 651.527 632.396 +3,0% 638.312 630.629 +1,2%
Vendas totais R$'000 4.352.717 4.227.292 +3,0% 13.726.376 13.337.560 +2,9%
Vendas totais R$/m² ² 6.187 5.986 +3,4% 19.851 18.970 +4,6%
Vendas totais US$/pé² ² 176 140 +25,6% 566 445 +27,2%
Vendas das lojas satélites R$/m² ² 8.466 8.206 +3,2% 27.106 25.795 +5,1%
Vendas das lojas satélites USD/pé² ² 241 192 +25,4% 773 605 +27,7%
Aluguel total R$/m² 441 421 +4,7% 1.422 1.365 +4,2%
Aluguel total USD/pé² 12,6 9,9 +27,3% 40,5 32,0 +26,6%
Vendas nas Mesmas Lojas ³ +1,5% +2,1% -57 p.b. +1,9% +1,8% +13 p.b.
Vendas na Mesma Área ³ +2,5% +3,9% -134 p.b. +3,3% +3,3% +3 p.b.
Aluguel nas Mesmas Lojas ³ +8,1% +6,2% +190 p.b. +7,1% +7,4% -35 p.b.
Aluguel na Mesma Área ³ +5,6% +4,6% +99 p.b. +5,5% +6,0% -57 p.b.
Efeito IGP-DI +10,7% +5,9% +484 p.b. +9,5% +5,0% +452 p.b.
Custos de ocupação ³ 12,1% 11,6% +53 p.b. 13,1% 12,6% +50 p.b.
Aluguel como % das vendas 7,7% 7,5% +23 p.b. 7,8% 7,6% +15 p.b.
Outros como % das vendas 4,4% 4,1% +30 p.b. 5,3% 4,9% +35 p.b.
Turnover ³ 1,1% 0,8% +32 p.b. 5,1% 4,3% +81 p.b.
Taxa de ocupação ³ 97,3% 98,0% -66 p.b. 97,5% 98,3% -76 p.b.
Inadimplência ³ 2,4% 1,9% +46 p.b. 3,5% 1,9% +158 p.b.
Perda de aluguel ³ 1,8% 1,2% +58 p.b. 1,3% 0,7% +63 p.b.
¹ ABL ajustada corresponde à ABL média do período, excluindo a área do supermercado BIG no BarraShoppingSul.
² Considera apenas lojas que reportam venda. E desconsidera vendas reportadas por quiosques.
³ Considera apenas resultados de shopping centers.

45
4T16
MULT3

16. Conciliação entre IFRS com CPC 19 (R2) e Gerencial

16.1 - Variações na Demonstração de Resultados – CPC 19 (R2) e Gerencial

IFRS com Efeito IFRS com Efeito
Demonstração de Resultados CPC 19 R2 Gerencial CPC 19 R2 CPC 19 R2 Gerencial CPC 19 R2
(R$'000) 4T16 4T16 Diferença 2016 2016 Diferença
Receita de locação 292.593 297.585 4.992 913.326 929.458 16.132
Receita de Serviços 24.102 24.092 (11) 120.087 119.914 (172)
Receita de cessão de direitos 3.931 4.293 362 12.398 13.932 1.535
Receita de estacionamento 52.938 53.930 993 187.163 190.742 3.579
Venda de imóveis (6.303) (6.303) - (724) (724) -
Apropriação de receita de aluguel linear (29.279) (29.875) (596) (3.603) (3.489) 114
Outras receitas 2.457 2.541 84 7.527 7.698 171
Receita Bruta 340.440 346.263 5.823 1.236.173 1.257.532 21.359
Impostos e contribuições sobre vendas e
(34.750) (35.196) (446) (126.223) (127.779) (1.556)
serviços prestados
Receita Líquida 305.690 311.067 5.377 1.109.950 1.129.753 19.803
Despesas de sede (34.643) (34.643) - (136.259) (136.305) (46)
Remuneração baseada em ações 5.299 5.299 - (13.585) (13.585) -
Despesas de shopping centers (40.121) (42.465) (2.344) (137.662) (144.309) (6.647)
Despesas com escritórios para locação (2.361) (2.361) - (7.833) (7.833) -
Despesas com novos projetos para locação (5.646) (5.646) - (11.147) (11.147) -
Despesas com novos projetos para venda (694) (694) - (2.626) (2.626) -
Custo de imóveis vendidos 10.097 10.097 - 2.046 2.046 -
Resultado de equivalência patrimonial 1.021 (128) (1.149) 5.501 (101) (5.602)
Outras receitas (despesas) operacionais (765) (748) 17 2.412 2.440 27
EBITDA 237.876 239.777 1.901 810.797 818.331 7.534
Receitas financeiras 15.399 15.890 491 80.330 81.885 1.555
Despesas financeiras (79.752) (80.760) (1.008) (292.257) (296.226) (3.969)
Depreciações e amortizações (41.431) (42.397) (966) (156.556) (160.387) (3.832)
Lucro Antes do Imposto de Renda 132.092 132.510 418 442.315 443.604 1.289
Imposto de renda e contribuição social (41.996) (41.970) 26 (119.931) (119.917) 14
Imposto de renda e contribuição social diferidos (5.207) (5.651) (444) (10.582) (11.885) (1.303)
Participação dos acionistas minoritários 271 271 - 139 139 -
Lucro Líquido 85.160 85.160 - 311.941 311.941 -

As diferenças entre o Pronunciamento CPC 19 (R2) e os números gerenciais referem-se à participação de 37,5% no
ShoppingSantaÚrsula, através da participação de 50,0% na Manati Empreendimentos e Participações S.A., e à participação
de 50,0% no Parque Shopping Maceió, através da participação de 50,0% na Parque Shopping Maceió S.A.

As principais variações no 4T16 e em 2016 são: (i) aumentos de R$5,0 M e R$16,1 M na receita de locação; (ii) aumentos de
R$2,3 M e R$6,6 M nas despesas de shopping centers, (iii) aumentos de R$0,5 M e R$2,4M na despesa financeira líquida, e
(iv) aumentos de R$1,0 M e R$3,8 M com depreciação e amortização. Em decorrência das variações acima, houve diminuições
de R$1,1 M e R$5,6 M no resultado de equivalência patrimonial, visto que o resultado dessas empresas passou a ser
apresentado nesta conta.

46
4T16
MULT3

16.2 - Variações no Balanço Patrimonial - CPC 19 (R2) e Gerencial: Ativo Total

IFRS com Efeito

ATIVO CPC 19 R2 Gerencial CPC 19 R2
(R$‘000) 31/12/2016 31/12/2016 Diferença
Ativo Circulante
Disponibilidades e valores equivalentes 105.647 118.005 12.358
Aplicações financeiras 361.721 361.721 -
Contas a receber 297.249 302.177 4.928
Terrenos e imóveis a comercializar 47.222 47.222 -
Partes relacionadas 6.169 6.169 -
Impostos e contribuições sociais a compensar 6.560 6.560 -
Adiantamentos diversos 19.699 19.699 -
Custos diferidos 33.381 33.830 448
Outros 20.297 20.697 400
Total do Ativo Circulante 897.945 916.078 18.134
Ativo não Circulante
Contas a receber 114.982 114.982 -
Terrenos e imóveis a comercializar 247.120 247.120 -
Partes relacionadas 10.806 10.806 -
Depósitos judiciais 17.765 18.395 631
Imposto de renda e contribuição social diferidos 14.468 16.519 2.051
Custos diferidos 75.812 77.084 1.272
Outros 19.344 19.908 564
Investimentos 128.947 2.720 (126.227)
Propriedades para investimento 6.049.155 6.201.957 152.802
Imobilizado 30.453 30.453 -
Intangível 347.649 348.591 943
Total do Ativo não Circulante 7.056.501 7.088.535 32.034

Total do Ativo 7.954.446 8.004.614 50.168

As principais diferenças referentes à participação de 37,5% no ShoppingSantaÚrsula e à participação de 50,0% no Parque
Shopping Maceió são: (i) aumento de R$152,8 M em propriedades para investimentos; e (ii) aumento de R$12,4 M em caixa
e equivalentes a caixa; e (iii) aumento de R$4,9 M nas contas a receber.

Em decorrência das variações acima houve uma queda de R$126,2 M na conta de investimento, dado que ativos e passivos
dessas empresas passaram a ser apresentados nesta conta de acordo com o CPC 19 (R2).

47
4T16
MULT3

16.3 - Variações no Balanço Patrimonial - CPC 19 (R2) e Gerencial: Total do Passivo e Patrimônio Líquido

IFRS com Efeito
PASSIVO CPC 19 R2 Gerencial CPC 19 R2
(R$‘000) 31/12/2016 31/12/2016 Diferença
Passivo Circulante
Empréstimos e financiamentos 368.801 373.598 4.797
Debêntures 11.977 11.977 -
Contas a pagar 147.526 148.268 742
Obrigações por aquisição de bens 28.866 28.866 -
Impostos e contribuições a recolher 39.381 39.092 (289)
Juros sobre capital próprio a pagar 81.341 81.341 -
Receitas diferidas 33.336 33.395 60
Outros 5.796 6.091 295
Total Passivo Circulante 717.024 722.629 5.605
Passivo não Circulante
Empréstimos e financiamentos 1.812.873 1.849.887 37.014
Debêntures 688.638 688.638 -
Imposto de renda e contribuições social diferidos 176.080 180.510 4.429
Obrigações por aquisição de bens 11.954 11.954 -
Phantom Stock Options 7.277 7.277 -
Provisão para contingências 13.211 13.831 620
Receitas diferidas 71.029 73.528 2.499
Total do Passivo não Circulante 2.781.062 2.825.625 44.563
Patrimônio Líquido
Capital social 2.388.062 2.388.062 -
Reserva de capital 983.540 983.540 -
Reserva de lucros 1.270.179 1.270.179 -
Gasto com emissão de ações (39.004) (39.004) -
Ações em tesouraria (62.611) (62.611) -
Efeitos em transação de capital (89.996) (89.996) -
Lucros Acumulados - - -
Participação dos acionistas minoritários 6.190 6.190 -
Total do Patrimônio Líquido 4.456.360 4.456.360 -

Total do Passivo 7.954.446 8.004.614 50.168

As diferenças referentes ao CPC 19 R2: (i) aumento de R$41,8 M nas contas de empréstimos e financiamentos, dada a
inclusão de 50,0% do Parque Shopping Maceió, que contratou um financiamento do Banco do Nordeste; e (ii) aumento de
R$4,5 M em receitas e custos diferidos.

48
4T16
MULT3

17. Anexos

17.1 Demonstração de Resultados Consolidados – De acordo com o Pronunciamento Contábil CPC 19 (R2)

De acordo com o Pronunciamento Contábil CPC 19 (R2)
(R$'000) 4T16 4T15 Var. % 2016 2015 Var. %
Receita de locação 292.593 261.522 +11,9% 913.326 845.547 +8,0%
Receita de Serviços 24.102 27.769 -13,2% 120.087 110.476 +8,7%
Receita de cessão de direitos 3.931 3.906 +0,6% 12.398 23.308 -46,8%
Receita de estacionamento 52.938 48.885 +8,3% 187.163 173.929 +7,6%
Venda de imóveis (6.303) 1.467 n.d. (724) 18.859 n.d.
Apropriação de receita de aluguel linear (29.279) (17.510) +67,2% (3.603) 6.487 n.d.
Outras receitas 2.457 836 +194,1% 7.527 4.672 +61,1%
Receita Bruta 340.440 326.874 +4,2% 1.236.173 1.183.277 +4,5%
Impostos e contribuições sobre vendas e serviços
(34.750) (33.406) +4,0% (126.223) (118.247) +6,7%
prestados
Receita Líquida 305.690 293.467 +4,2% 1.109.950 1.065.030 +4,2%
Despesas de sede (34.643) (33.420) +3,7% (136.259) (124.497) +9,4%
Remuneração baseada em ações 5.299 (2.982) n.d. (13.585) (12.794) +6,2%
Despesas de shopping centers (40.121) (26.351) +52,3% (137.662) (96.201) +43,1%
Despesas com escritórios para locação (2.361) (2.401) -1,7% (7.833) (10.451) -25,0%
Despesas com novos projetos para locação (5.646) (2.894) +95,1% (11.147) (14.796) -24,7%
Despesas com novos projetos para venda (694) (1.028) -32,4% (2.626) (4.204) -37,5%
Custo de imóveis vendidos 10.097 (2.098) n.d. 2.046 (18.954) n.d.
Resultado de equivalência patrimonial 1.021 3.524 -71,0% 5.501 7.730 -28,8%
Outras receitas (despesas) operacionais (765) 184 n.d. 2.412 (9.459) n.d.
EBITDA 237.876 226.002 +5,3% 810.797 781.404 +3,8%
Receitas financeiras 15.399 17.730 -13,1% 80.330 54.450 +47,5%
Despesas financeiras (79.752) (64.714) +23,2% (292.257) (239.482) +22,0%
Depreciações e amortizações (41.431) (38.548) +7,5% (156.556) (153.842) +1,8%
Lucro Antes do Imposto de Renda 132.092 140.470 -6,0% 442.315 442.531 -0,0%
Imposto de renda e contribuição social (41.996) (4.892) +758,5% (119.931) (71.336) +68,1%
Imposto de renda e contribuição social diferidos (5.207) 2.100 n.d. (10.582) (9.236) +14,6%
Participação dos acionistas minoritários 271 24 +1.015,8% 139 226 -38,2%
Lucro Líquido 85.160 137.703 -38,2% 311.941 362.185 -13,9%

(R$'000) 4T16 4T15 Var. % 2016 2015 Var. %
NOI 273.771 264.145 +3,6% 951.391 919.310 +3,5%
Margem NOI 86,6% 90,2% -362 p.b. 86,7% 89,6% -287 p.b.
NOI + Cessão de direitos 277.702 268.051 +3,6% 963.789 942.618 +2,2%
Margem NOI + Cessão de Direitos 86,7% 90,3% -358 p.b. 86,9% 89,8% -295 p.b.
EBITDA de Propriedades 238.215 227.344 +4,8% 817.587 796.842 +2,6%
Margem EBITDA de Shopping Centers 76,5% 77,8% -131 p.b. 73,6% 76,0% -241 p.b.
EBITDA 237.876 226.002 +5,3% 810.797 781.404 +3,8%
Margem EBITDA 77,8% 77,0% +81 p.b. 73,0% 73,4% -32 p.b.
Lucro Líquido 85.160 137.703 -38,2% 311.941 362.185 -13,9%
Margem Líquida 27,9% 46,9% -1.906 p.b. 28,1% 34,0% -590 p.b.
Lucro Líquido Ajustado 90.367 135.603 -33,4% 322.523 371.421 -13,2%
Margem Líquida 29,6% 46,2% -1.665 p.b. 29,1% 34,9% -582 p.b.
FFO 131.798 174.150 -24,3% 479.078 525.263 -8,8%
Margem FFO 43,1% 59,3% -1.623 p.b. 43,2% 49,3% -616 p.b.

49
4T16
MULT3

17.2 Fluxo de Caixa: De acordo com o Pronunciamento Contábil CPC 19 (R2)

Fluxo de Caixa (R$'000) 4T16 2016
Lucro antes dos impostos 132.093 442.315
Depreciações e amortizações 41.433 156.556
Atualização de debêntures, empréstimos e obrigações por aquisição de bens 75.557 276.361
Outros ajustes ao lucro líquido (1.825) 33.187
(Aumento) e redução de ativo circulante (55.086) (50.596)
(Aumento) e redução em terrenos e imóveis a comercializar 9.629 (8.996)
(Aumento) e redução de passivo circulante (28.159) (197.913)
Fluxo de caixa gerado pelas operações 173.642 650.914

(Aumento) redução em propriedades para investimentos (653.970) (894.935)
Adições em imobilizado (1.672) (5.405)
Adições em intangível (671) (2.998)
Aplicações financeiras 185.351 (148.409)
Outros 2.135 5.862
Fluxo de caixa de investimento (468.827) (1.045.885)

Aumento (redução) de empréstimos e financiamentos 68.725 363.011
Debêntures emitidas 290.415 290.415
Pagamento de encargos sobre debentures (29.422) (58.372)
Pagamento de juros dos empréstimos e financiamentos obtidos (53.279) (182.877)
Dividendos pagos - (115.786)
Participação de não controladores (122) 48
Outros 725 45.179
Fluxo de caixa gerado pelas atividades de financiamento 277.042 341.618

Disponibilidades e valores equivalentes no início do período 123.790 159.000
Disponibilidades e valores equivalentes no final do período 105.647 105.647
Variação no caixa (18.143) (53.353)

50
4T16
MULT3

17.3 Demonstração de Resultados Consolidados – Relatório Gerencial

(R$'000) 4T16 4T15 Var. % 2016 2015 Var. %
Receita de locação 297.585 266.527 +11,7% 929.458 861.647 +7,9%
Receita de Serviços 24.092 27.777 -13,3% 119.914 110.435 +8,6%
Receita de cessão de direitos 4.293 4.266 +0,6% 13.932 24.914 -44,1%
Receita de estacionamento 53.930 49.690 +8,5% 190.742 176.757 +7,9%
Venda de imóveis (6.303) 1.467 n.d. (724) 18.859 n.d.
Apropriação de receita de aluguel linear (29.875) (16.858) +77,2% (3.489) 7.917 n.d.
Outras receitas 2.541 718 +254,0% 7.698 4.709 +63,5%
Receita Bruta 346.263 333.586 +3,8% 1.257.532 1.205.238 +4,3%
Impostos e contribuições sobre vendas e
(35.196) (34.005) +3,5% (127.779) (119.811) +6,7%
serviços prestados
Receita Líquida 311.067 299.581 +3,8% 1.129.753 1.085.426 +4,1%
Despesas de sede (34.643) (33.422) +3,7% (136.305) (124.564) +9,4%
Remuneração baseada em ações 5.299 (2.982) n.d. (13.585) (12.794) +6,2%
Despesas de shopping centers (42.465) (27.654) +53,6% (144.309) (101.052) +42,8%
Despesas com escritórios para locação (2.361) (2.401) -1,7% (7.833) (10.451) -25,0%
Despesas com novos projetos para locação (5.646) (2.894) +95,1% (11.147) (14.796) -24,7%
Despesas com novos projetos para venda (694) (1.028) -32,4% (2.626) (4.204) -37,5%
Custo de imóveis vendidos 10.097 (2.098) n.d. 2.046 (18.954) n.d.
Resultado de equivalência patrimonial (128) (27) +366,3% (101) (2) +4.680,1%
Outras receitas (despesas) operacionais (748) 184 n.d. 2.440 (9.451) n.d.
EBITDA 239.777 227.259 +5,5% 818.331 789.157 +3,7%
Receitas financeiras 15.890 18.118 -12,3% 81.885 56.253 +45,6%
Despesas financeiras (80.760) (65.766) +22,8% (296.226) (243.392) +21,7%
Depreciações e amortizações (42.397) (39.505) +7,3% (160.387) (157.645) +1,7%
Lucro Antes do Imposto de Renda 132.510 140.106 -5,4% 443.604 444.372 -0,2%
Imposto de renda e contribuição social (41.970) (4.416) +850,5% (119.917) (71.554) +67,6%
Imposto de renda e contribuição social
(5.651) 1.989 n.d. (11.885) (10.859) +9,4%
diferidos
Participação dos acionistas minoritários 271 24 +1.047,1% 139 226 -38,4%
Lucro Líquido 85.160 137.703 -38,2% 311.941 362.185 -13,9%

(R$'000) 4T16 4T15 Var. % 2016 2015 Var. %
NOI 276.815 269.303 +2,8% 964.569 934.817 +3,2%
Margem NOI 86,1% 90,0% -390 p.b. 86,4% 89,3% -297 p.b.
NOI + Cessão de direitos 281.108 273.569 +2,8% 978.502 959.731 +2,0%
Margem NOI + Cessão de Direitos 86,2% 90,1% -385 p.b. 86,5% 89,6% -305 p.b.
EBITDA de Propriedades 241.277 232.149 +3,9% 830.725 812.279 +2,3%
Margem EBITDA de Propriedades 76,2% 77,8% -166 p.b. 73,5% 76,0% -254 p.b.
EBITDA Consolidado 239.777 227.259 +5,5% 818.331 789.157 +3,7%
Margem EBITDA Consolidado 77,1% 75,9% +122 p.b. 72,4% 72,7% -27 p.b.
Lucro Líquido 85.160 137.703 -38,2% 311.941 362.185 -13,9%
Margem líquida 27,4% 46,0% -1.859 p.b. 27,6% 33,4% -576 p.b.
Lucro Líquido Ajustado 90.811 135.714 -33,1% 323.826 373.044 -13,2%
Margem líquida ajustada 29,2% 45,3% -1.611 p.b. 28,7% 34,4% -570 p.b.
Fluxo de Caixa Operacional FFO 133.208 175.219 -24,0% 484.213 530.689 -8,8%
Margem FFO 42,8% 58,5% -1.567 p.b. 42,9% 48,9% -603 p.b.

51
4T16
MULT3

17.4 Balanço Patrimonial (R$’000) – Gerencial

ATIVO 31/12/2016 30/09/2016 Var. %
Ativo Circulante
Disponibilidades e valores equivalentes 118.005 132.699 -11,1%
Aplicações financeiras 361.721 547.072 -33,9%
Contas a receber 302.177 259.738 +16,3%
Terrenos e imóveis a comercializar 47.222 69.815 -32,4%
Partes relacionadas 6.169 6.636 -7,0%
Impostos e contribuições sociais a compensar 6.560 7.969 -17,7%
Adiantamentos diversos 19.699 5.006 +293,5%
Custos diferidos 33.830 33.013 +2,5%
Outros 20.697 21.531 -3,9%
Total do Ativo Circulante 916.078 1.083.479 -15,5%
Ativo não Circulante
Contas a receber 114.982 120.547 -4,6%
Terrenos e imóveis a comercializar 247.120 234.031 +5,6%
Partes relacionadas 10.806 11.329 -4,6%
Depósitos judiciais 18.395 17.681 +4,0%
Imposto de renda e contribuição social diferidos 16.519 16.681 -1,0%
Custos diferidos 77.084 82.804 -6,9%
Outros 19.908 20.631 -3,5%
Investimentos 2.720 2.848 -4,5%
Propriedades para investimento 6.201.957 5.531.197 +12,1%
Imobilizado 30.453 30.190 +0,9%
Intangível 348.591 349.424 -0,2%
Total do Ativo não Circulante 7.088.535 6.417.362 +10,5%
Total do Ativo 8.004.614 7.500.842 +6,7%

PASSIVO 31/12/2016 30/09/2016 Var. %
Passivo Circulante
Empréstimos e financiamentos 373.598 171.360 +118,0%
Debêntures 11.977 27.027 -55,7%
Contas a pagar 148.268 89.293 +66,0%
Obrigações por aquisição de bens 28.866 32.010 -9,8%
Impostos e contribuições a recolher 39.092 29.120 +34,2%
Juros sobre capital próprio a pagar 81.341 81.341 -
Receitas diferidas 33.395 39.045 -14,5%
Outros 6.091 5.767 +5,6%
Total do Passivo Circulante 722.629 474.964 +52,1%
Passivo não Circulante
Empréstimos e financiamentos 1.849.887 1.965.944 -5,9%
Debêntures 688.638 398.220 +72,93%
Imposto de renda e contribuições social diferidos 180.510 175.020 +3,1%
Obrigações por aquisição de bens 11.954 17.907 -33,2%
Phantom Stock Options 7.277 14.357 -49,3%
Provisão para contingências 13.831 15.081 -8,3%
Receitas diferidas 73.528 70.524 +4,3%
Total do Passivo não Circulante 2.825.625 2.657.055 +6,3%
Patrimônio Líquido
Capital social 2.388.062 2.388.062 -
Reserva de capital 983.540 982.078 +0,1%
Reserva de lucros 1.270.179 1.053.637 +20,6%
Gasto com emissão de ações (39.004) (39.004) -
Ações em tesouraria (62.611) (63.245) -1,0%
Efeitos em Transação de Capital (89.996) (89.996) -
Lucros Acumulados - 130.979 n,a,
Participação dos acionistas minoritários 6.190 6.312 -1,9%
Total do Patrimônio Líquido 4.456.360 4.368.823 +2,0%

Total do Passivo 8.004.614 7.500.842 +6,7%

52
4T16
MULT3

18. Glossário

12M: referente aos últimos 12 meses.
ABL própria: ou ABL da Companhia ou ABL Multiplan, refere-se à ABL total ponderada pela participação da Multiplan em cada shopping.
ABL própria esperada: ABL correspondente à participação da Companhia nos projetos em desenvolvimento.
Abrasce: Associação Brasileira de Shopping Centers.
Aluguel complementar: É a diferença (quando positiva) entre o aluguel mínimo e o aluguel com base em porcentagem de vendas paga como
aluguel, conforme definida em contrato.
Aluguel sazonal: Aluguel adicional cobrado normalmente da maioria dos locatários em dezembro, devido às maiores vendas promovidas pelo
natal, além de maiores despesas incorridas nesta época do ano.
Aluguel na Mesma Área (na sigla em inglês SAR): É a relação entre o aluguel faturado em uma mesma área no ano anterior com o ano
atual incluindo somente áreas ativas.
Aluguel nas Mesmas Lojas (na sigla em inglês SSR): Variação do aluguel faturado de lojas em operação nos dois períodos comparados.
Aluguel mínimo (ou Aluguel-base): É o aluguel mínimo do contrato de locação de um lojista. Caso um lojista não tenha contratado um
aluguel-base, o aluguel mínimo será uma porcentagem de suas vendas.
Aluguel por m²: soma de aluguel mínimo e complementar cobrado dos lojistas dividido pelas respectivas ABL. É válido notar que esta ABL
inclui lojas que já estão locadas, contudo ainda não começaram a operar (ex: lojas que estão sendo preparadas para a inauguração
Banco de terrenos: Terrenos adquiridos pela Multiplan para empreendimentos futuros.
BMF&Bovespa: Bolsa de Valores de São Paulo.
Brownfield: projetos de expansões em shopping centers existentes.
CAGR (Compounded Annual Growth Rate): Taxa Composta de Crescimento Anual. Corresponde à taxa média de crescimento em bases
anuais.
CAPEX: (Capital Expenditure): É a estimativa do montante de recursos a ser desembolsado para o desenvolvimento, expansão ou melhoria
de um ativo. O valor capitalizado representa a variação do ativo permanente, imobilizado, intangível, propriedades para investimento e
depreciação.
CDI: Certificado de Depósito Interbancário. Certificados emitidos pelos bancos para geração de liquidez. Sua taxa média de 1 (um) dia,
anualizada, é utilizada como referência para as taxas de juros da economia brasileira.
Cessão de direitos (CD): Cessão de Direitos é o valor pago pelo lojista para ingressar no shopping center. O contrato de cessão de direitos,
quando assinado, é reconhecido na conta de receita diferida e na conta de recebíveis, mas sua receita é reconhecida na conta de receita de
cessão de direitos em parcelas lineares, somente no momento de uma abertura, pelo período do contrato de locação. Cessão de Direitos não
recorrentes refere-se a contratos de lojas novas em novos empreendimentos ou expansões (inaugurados nos últimos 5 anos). Cessão de
Direitos “Operacional” refere-se a lojas que estão mudando em um shopping center já em funcionamento.
Custo de ocupação: É o custo de locação de uma loja como porcentagem das vendas. Inclui o aluguel e outras despesas (despesas de
condomínio e fundo promocional).
Crescimento orgânico: Crescimento da receita que não seja oriundo de aquisições, expansões e novos empreendimentos apurados no
período em questão.
Debênture: instrumento de dívida emitido pelas companhias para captação de recursos. As debêntures da Multiplan são do tipo não
conversíveis, significando que não podem ser convertidas em ações. Além disso, o titular da debênture não tem direito a voto.
Despesas com novos projetos para locação: Despesas pré-operacionais, atreladas a projetos greenfield e expansões, contabilizada como
despesa na demonstração de resultados, conforme estabelecido no pronunciamento CPC 04 em 2009.
Despesas com novos projetos para venda: Despesas pré-operacionais, geradas nas operações de desenvolvimento imobiliário para venda,
contabilizada como despesa na demonstração de resultados, conforme pronunciamento CPC 04 em 2009.
EBITDA: Earnings Before Interest, Tax, Depreciation and Amortization. Lucro (prejuízo) líquido adicionado das despesas com IRPJ e CSLL,
resultado financeiro, depreciação e amortização. O EBITDA não possui uma definição única, e sua definição pode não ser comparável ao
EBITDA utilizado por outras companhias.
EBITDA de propriedades: EBITDA relacionado com o principal negócio da Multiplan, propriedades para locação. A métrica exclui imóveis
para venda e despesas com desenvolvimentos futuros.
Efeito da linearidade: Método contábil que tem como objetivo retirar a volatilidade e sazonalidade das receitas de aluguel. O reconhecimento
contábil da receita de locação, incluindo o aluguel sazonal e reajustes contratuais quando aplicáveis, é baseado na linearização da receita
durante o prazo do contrato independente do prazo de recebimento.
Efeito do reajuste no IGP-DI: É a média do aumento mensal do IGP-DI com um mês de atraso, multiplicada pela porcentagem da ABL
ajustada no respectivo mês.
EPS: Earnings per Share. Ganhos por Ação; constitui-se do Lucro Líquido dividido pelo número total de ações da Companhia.
Equivalência patrimonial: A contabilização do resultado da participação societária em coligadas é demonstrada na demonstração do resultado
da controladora como equivalência patrimonial, representando o lucro líquido atribuível aos acionistas da coligada.
FFO (Fluxo de Caixa Operacional): É a soma do Lucro Líquido Ajustado, depreciação e amortização.
Greenfield: Desenvolvimento de novos projetos de shopping centers.
IBGE: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.
53
4T16
MULT3

IGP-DI (Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna): Índice de inflação apurado pela Fundação Getúlio Vargas, com período de
coleta do primeiro ao último dia do mês de referência e divulgação próxima ao dia 20 do mês posterior. Possui a mesma composição do IGP-
M (Índice Geral de Preços do Mercado), diferenciando-se apenas o período de coleta.
Inadimplência: Percentual não recebido do aluguel vencido trimestralmente.
IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo): Calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, é o indicador nacional de
inflação controlado pelo Banco Central do Brasil.
Lojas âncora: Grandes lojas conhecidas pelo público, com características estruturais e mercadológicas especiais, que funcionam como força
de atração de consumidores, assegurando permanente afluência e trânsito uniforme destes em todas as áreas do shopping center. As lojas
devem ter mais de 1.000 m² para serem consideradas âncoras.
Lojas satélite: Pequenas lojas, sem características estruturais e mercadológicas especiais, localizadas no entorno das Lojas Âncora e
destinadas ao comércio em geral.
Lucro líquido ajustado: Lucro Líquido Ajustado pelas despesas não recorrentes com o IPO, custos de reestruturação e amortizações de ágio
provenientes de aquisições e fusões (incluindo impostos diferidos).
Margem EBITDA: EBITDA dividido pela Receita Líquida.
Margem NOI: NOI dividido pela receita de locação, linearidade e receita líquida de estacionamento.
Merchandising: É todo tipo de locação em um shopping não vinculada à área da ABL do shopping. Merchandising inclui receitas de quiosques,
stands, cartazes, locação de espaços em pilares, portas e escadas rolantes, entre outros pontos de exposição em um shopping.
Mix de lojistas: Composição estratégica das lojas definida pelo administrador dos shoppings.
Multiuso: Estratégia baseada no desenvolvimento de empreendimentos residenciais e torres comerciais em áreas próximas aos shoppings.
Participação minoritária: Resultado das empresas controladas que não correspondem à participação da Companhia controladora e,
consequentemente, é deduzido do resultado da mesma.
Perda de aluguel: Baixas decorrentes de inadimplência com mais de seis meses e parecer legal.
Receitas diferidas: Cessão de Direitos diferida e despesas com recompra de lojas.
Receita de estacionamento: resultado líquido da receita de estacionamento menos os valores repassados aos sócios da Multiplan nos
shopping centers e condomínios.
Resultado Operacional Líquido (NOI): Net Operating Income, ou NOI. Refere-se à soma do resultado operacional (receita de locação,
linearidade, despesas de shopping centers e despesas com torres imobiliárias) e o resultado das operações de estacionamento (receitas e
despesas). Impostos sobre receita não são considerados. O NOI+CD também inclui a receita de cessão de direitos.
Taxa de ocupação: ABL locada dividida pela ABL total
Taxa de administração: Tarifa cobrada aos locatários e aos demais sócios do shopping para custear a administração do shopping.
TJLP: Taxa de Juros de Longo Prazo – custo usual de financiamento apurado pelo BNDES
TR: Taxa Referencial – Taxa média de juros utilizada pelo mercado.
Turnover (giro): Consiste na ABL locada nos shopping centers em operação no período dividida pela ABL total disponível dos shopping
centers em operação.
Vacância: Área bruta locável no shopping disponível para ser alugada.
Vendas: Vendas declaradas pelas lojas em cada um dos shoppings.
Vendas na Mesma Área (na sigla em inglês SAS): Aumento de vendas/m² das áreas existentes no portfólio há mais de um ano. Esta base
considera as trocas de lojas dos períodos anteriores.
Vendas nas Mesmas Lojas (na sigla em inglês SSS): Vendas de lojas em operação há mais de um ano.
Vendas por m²: O cálculo de vendas/m² considera apenas a ABL de lojas que reportam vendas, e exclui as vendas de quiosques, uma vez
que estas operações não estão incluídas na ABL total.
VGV (Valor Geral de Vendas): Refere-se ao total de unidades à venda em um empreendimento imobiliário multiplicado pelo valor de tabela
de cada uma.
Segmentos de shopping centers:
Praça de Alimentação & Área Gourmet – Inclui operações de fast food e restaurantes
Diversos – Cosméticos, livrarias, cabeleireiros, lojas para animais, etc.
Artigos para o lar e escritório – Lojas de aparelhos eletrônicos, decoração, arte, materiais para escritório, etc.
Serviços – Centros esportivos, centros de lazer, teatros, salas de cinema, centros médicos, bancos, etc.
Vestuário – Lojas de roupas, calçados e acessórios femininos e masculinos.

54