You are on page 1of 6

Escola Bíblica Dominical 1 O Livro de Juízes

LIÇÕES NO LIVRO DE JUÍZES INTRODUÇÃO AO LIVRO Depois do falecimento de Josué, seguiu-se um período de desorganização, de discórdia entre as tribos e de derrotas, o que é descirto no livro de Juízes. Durante o período da vida de Josué, Canaã foi ocupada e dividida entre as tribos de Israel. Contudo, fortes grupos de resistência permaneceram. A presença de povos inimigos no meio do território de Israel e a força da oposição vinda de fora produziu a situação política descrita no livro de Juízes. Depois da morte de Josué. (Cons. Js. 1:1.). Assim como a morte de Moisés marcou o fim da peregrinação de Israel no deserto, a morte de Josué marcou o final da primeira fase da conquista de Canaã. Quem . . . subirá? Dentro das porções distribuídas por Josué havia ainda muito território por conquistar. As tribos deviam ocupar os territórios que lhes tinham sido concedidos. Juízes é o sétimo livro do Antigo Testamento. Israel havia escapado da servidão no Egito e conquistado, com sucesso, a Terra Prometida, mas muitos adversários permaneceram instalados em derredor, e gostariam de expelir os israelitas dali. Assim, Israel esteve em turbulência constante, e sob ameaça de extinção. Os juízes, pois, foram, entre outras coisas, libertadores de várias opressões estrangeiras.  TRADIÇÃO: A falta de água restringia os cananeus a certas áreas da Palestina. As descobertas arqueológicas mostram que Israel trouxe do Egito ou então, desenvolveu grandemente o

conceito de armazenar água potável em cisternas. Era usada a forração das paredes das cisternas, tornando-se em tanques. Essa invenção possibilitou a ocupação dos israelitas em áreas que, antes disso, haviam sido ocupadas muito esparsamente. Mas, o povo de Israel sofria de baixo da tentação de adotar os ritos de fertilidade dos cananeus. O Senhor havia realmente guiado Israel no deserto, mas para eles, Baal parecia melhor habilitado para fazer as colheitas serem produzidas abundantemente pela terra. O livro de Juízes, dessa maneira, exibe um ciclo repetido de pecado (adoração a Baal), de servidão (a agressores estrangeiros), de súplica (pela misericórdia de Deus, para conseguir alívio), e de salvação (mediante juízes divinamente levantados).  CURIOSIDADES Curiosamente comentam-se dentro do livro sete períodos de apostasia, sete opressões pelas nações pagãs e sete livramentos da parte de Deus.  OS JUÍZES O título "juízes" é conferido a uma lista de 14 pessoas diferentes que presidiram os israelitas durante um período de quase 450 anos [Atos 13:20 “E, depois disto, por quase quatrocentos e cinquenta anos, lhes deu juízes, até ao profeta Samuel.”], entre o falecimento de Josué e a subida de Saul ao trono, como primeiro rei de Israel. A essa lista devem-se adicionar os nomes de Eli e Samuel. Débora deve ser contada juntamente com Baraque, em Jz 4.1 - 5.31. E Gideão e Abimeleque também devem ser associados um ao outro, formando um único juizado. Isso nos daria doze períodos de juizado no livro de Juízes. Mas, se
Por: Shirley Militão

não havia nenhum governo centralizador em Israel. levantados e estabelecidos por YHWH para libertarem o povo da opressão e escravidão dos inimigos. Os juízes foram líderes militares e religiosos. e Israel. tomando decisões legais quando chamados para fazê-lo (4:4. O livro está permeado pela crença. Eram pessoas tementes a YHWH. 1º) Juízes Menores – Estatais: Abimeleque ( 9 ).1-16. Os juízes eram homens dotados com o Espírito. 5. 8:7).3-5 ). Os juízes eram homens e mulheres carismáticos. mas caía em desgraça. Eles também tinham a função de julgar. então acharemos catorze deles.31. chamados por Deus e capacitados por Ele a resolver crises especificas na história de Israel.140 ). Pois. que gradualmente se solidificou para formar uma nação que deixou uma marca perpétua na história da humanidade. é o seguinte: "Naqueles dias não havia rei em Israel: cada um fazia o que achava mais reto" (Jz 21. Foram ao total. embora o pecado do povo frequentemente reduzisse este ideal a um estado de anarquia (Jz.12-31 ). O livro de Juízes reveste-se de capital importância para entendermos esse período de transição. QUEM ERAM OS JUÍZES O livro de Juízes recebeu o seu nome dos líderes (shopetim) que libertaram Israel de uma série de opressores estrangeiros durante o período compreendido entre a morte de Josué e o começo da monarquia. no sentido de líder em ocasião de guerra e de governante em período de paz. 31 ). e nunca da nação inteira. sendo que eles eram classificados como: 1º) Juízes Maiores – Carismáticos ou salvadores: Otniel ( 3. O livro de Juízes é a história da sobrevivência de um pequeno e ameaçado povo.35 ). como nação. Elon ( 12. marcadas por uma forte personalidade.11-8. O próprio Deus era considerado o Rei de Israel (I Sm.Escola Bíblica Dominical 2 O Livro de Juízes contarmos os juízes individualmente. Débora e Barac ( 4.32 ). Os juízes exerciam autoridade sob orientação divina tanto em questões militares como em civis. O comentário dos editores finais do livro de Juízes. bem poderia ter desaparecido durante aquele período. dentro da história de Israel. Ibsã ( 12. com suas doze tribos. Não tivessem surgido aqueles heróis locais. que se levantaram para defender o que a conquista da Terra Prometida havia ganho.5). Jefté ( 11.7-11 ).810 ).25).1-5. Jair ( 10. e Sansão ( 13.6). usualmente em defesa de tribos (uma ou duas). Sangar (3. e Abdon ( 12. decadência e destruição quando não obedecia a essa lei. Gideão ( 6. 21: 25). acerca dos frouxos laços que unificavam o povo de Israel. doze juízes. comum aos livros históricos do Antigo Testamento.1-2 ).13-15 ).11-12 ). capazes de se imporem moralmente perante as tribos. Tola ( 10. as tribos de Israel com frequência entraram em conflito interno. Para piorar ainda mais a situação. Eúde ( 3.  Os Juízes de Israel e seus juizados Por: Shirley Militão . de que Israel prosperava quando obedecia à lei de Deus. até então. umas contras as outras.

11.7. mas ia mal quando não obedecia. Os israelitas deixaram então de fazer guerra.1 2 12. atraíram-lhe a cólera. e serviram a Baal e a Astarote" (Juízes 2. 40 Por: Shirley Militão .1.11-23 demonstra isso. ele afirma a tese de sua teologia histórica.31 20 4-5 7 6-8 9. Assim. O trecho de Juízes 2. segundo se vê a seguir: 1. Nessa passagem o autor explicita os pontos principais de sua narrativa.22 18 10. a saber. desejando apenas desfrutar em paz e com prazer os muitos bens de que se viam cumulados. que o povo de Israel ia bem quando obedecia ao Senhor. Não se incomodavam mais em observar a antiga disciplina e tornaram-se surdos à voz de Deus e à suas santas leis.12-30 3.8-10 12. e Ele lhes fez saber que era contra a sua ordem que eles poupavam os cananeus e que tempo viria em que.13). e também como se conseguiu impor tributo a alguns filisteus.2 10.11 18 3. como é óbvio. no lugar da bondade dispensada aos cananeus. quais tribos de Israel tinham obtido êxito e quais haviam falhado. Sua abundante riqueza lançou-os no luxo e na volúpia. não conseguindo dominar regiões alocadas. No primeiro capítulo do livro. Em seguida. Juizes 2. experimentariam a crueldade deles.3-5 10-12 12. ele diz até que ponto progredira a guerra contra os cananeus. A apostasia aparece como o principal impedimento ao pleno sucesso de Israel: "Porquanto deixaram o Senhor. Anos Tribo de Paz Judá 40 Benjamim 80 Estrangeiro Efraim 40 Manassés 40 Manassés 03 Issacar Manassés Manassés Judá Zebulom Efraim Dã 23 22 06 07 10 08 20 Anos de Texto Juizado 08 3.1-10 dá-nos algumas informações nesse sentido.1315 13-16 Juízes Otniel Eúde Sangar Débora Gideão Abimeleque Tola Jair Jefté Ibsã Elom Abdom Sansão Opressor Arameus Moabitas Filisteus Cananeus Midianitas Guerra civil Amonitas Filisteus 2. tinha um plano bem definido ao escrever o livro. O texto de Juízes 2.Escola Bíblica Dominical 3 O Livro de Juízes  Plano do Livro O autor sagrado.

Ele não queria apenas ser um cronista. A ira de Deus volta-se contra o pecador (Jz 2.8. portanto.16. e não apenas um relato sobre condições sociais e políticas. Os magistrados não tinham autoridade e não se observava mais o antigo costume de eleger Senadores. o livro de Juízes apresenta-nos uma história teológica. Presume-se que o desígnio do autor sagrado não era fornecer uma narrativa definitiva sobre o período dos juízes. predominava o caos. sim. Ver Juízes 21.15). e por que finalmente impôs-se o surgimento da monarquia. mas desejava explicar por que houve um declínio moral. não havendo um governo central que unificasse as coisas. mas castigado quando se rebelava. a mão do Senhor era contra eles para seu mal. (Flávio Josefo) O castigo era imposto.16-18). Israel era abençoado quando obedecia ao Senhor. aos desobedientes: "Por onde quer que saíssem. Os juízos corretivos de Deus tocavam tanto sobre cada indivíduo quanto sobre a sociedade israelita como um todo. quando se arrependiam. A idolatria passou a ser tolerada no seu meio e o casamento com os cananeus tornou-se uma coisa corriqueiras. Embora tivessem experimentado o poder de Deus durante o período do êxodo do Egito e na conquista de Canaã. Não havia mais entre eles nenhuma forma de República. novamente as coisas lhes corriam bem (ver Jz 2. no entanto não os fez mudar de idéia e recomeçar a guerra. 1.Escola Bíblica Dominical 4 O Livro de Juízes Esse oráculo deixou-os assustados. por causa dos tributos que recebiam daqueles povos e porque as delícias os haviam tornado tão efeminados que o trabalho agora lhes era insuportável. como o Senhor lhes havia dito e jurado. pois cada um fazia o que lhe parecia melhor. e estavam em grande aperto" (Jz 2. e. mediante a graça divina. durante aquele período. ou não sucederam. Por: Shirley Militão . Esforços de cooperação que rendiam resultados positivos tinham de estar alicerçados sobre a lealdade coletiva a Deus (Jz 5.11.25.9. e tornou-se parte integrante de suas narrativas. mas com o intuito de mostrar-nos que certas coisas sucederam. religioso e político em Israel. Mas. logo os israelitas se esqueceram da aliança que tinham feito com Deus no Sinai. Isto posto. Ninguém se incomodava com o povo e cada qual só pensava no interesse e no lucro próprio.14).  Propósito do Livro O autor do livro de Juízes ansiava por destacar ideias espirituais e juízos morais. prover um esboço que ilustrasse a sua tese. em face das condições espirituais do povo de Israel. E ele conclui com a melancólica observação de que. A nação de Israel só podia sobreviver cercada como estava por poderosos adversários.23).

NUNCA pelo Senhor. Foi o homem que pecou. O pacto tem compromissos recíprocos. 4. "Naqueles dias não havia rei em Israel: cada qual fazia o que achava mais reto" (Jz 17. As opressões de povos estrangeiros serviam de meios para corrigir as condições de decadência moral. comum aos livros históricos do Antigo Testamento. Uma sociedade individualista por excelência estava repleta de erros. manifesta a sua misericórdia.  Teologia Tem um livro desses uma teologia? Tem e ela fica bastante evidenciada. que tinha de ser aprendida de novo a cada geração. O anjo do Senhor foi uma teofania. que diz: "Sucedia. Israel comprometera sua lealdade a Deus com sua idolatria. Deus faz a sua. Contudo não obedecestes a minha voz.6 e 21. Não os expulsarei de diante de vós. Jz 2. seguindo após outros deuses. e que se comprovariam ser uma armadilha para Israel. A mensagem do Anjo do Senhor foi de julgamento. e isso tinha em vista o bem de Israel (Jz 3. Os sistemas centralizados no homem fracassam. apesar da apostasia. então. Suas misericórdias deviam ter produzido uma reação de gratidão. O Senhor declarou que os habitantes de Canaã não seriam completamente expulsos. um ser decadente. que.25).. Esta é a lição geral ensinada pelo livro de Juízes. Daí chamarem a erre lugar Boquim (os que choram). nem da obstinação dos seus caminhos".1-4). Deus fora fiel a Sua aliança.19. reincidiam e se tornavam piores do que seus pais. Ver Jz 2. História subsequente indica que aquele choro foi superficial.  TEOLOGIA DO PACTO  A teologia do livro. Deus respondeu a idolatria e a injustiça desenfreada e repetida do povo com fidelidade misericordiosa à aliança.16). é a do pacto (ou aliança).. 3. porém. ou. pois Israel não foi dissuadido de suas práticas idólatras. mas Israel se esquecera do seu voto de obediência á Lei dada através de Moisés nu Sinai. Juízes procura responder à seguinte pergunta: por que os israelitas não desfrutaram das bênçãos da aliança (firmada e reafirmada tantas vezes)? A mensagem é clara: os desastres foram provocados pela persistente desobediência de Israel ao Senhor. 3. apreende-se que a única esperança reside na espiritualidade. Este. Estas palavras antecipam a história do período dos Juízes. Parece que essa lição nunca foi absorvida. 2.4. Embora o homem não cumpra a sua parte. O homem é. uma aparição de Deus em forma perceptível pelos sentidos humanos. Assim Por: Shirley Militão . Israel escorregava novamente para a idolatria. o que exigia ainda outro ato de juízo divino e outro libertador. Na história de Israel. 2 . Deus se identificou como Aquele que cuidou das necessidades do Seu povo na hora da angústia. quando uma série de opressores subjugaram Israel. Deus não mudou. Levantou o povo a sua voz e chorou. falecendo o juiz. servindo-os e adorando-os. Após cada livramento descrito no livro de Juízes. 5.Escola Bíblica Dominical 5 O Livro de Juízes Jz 2. nada deixavam das suas obras. O arrependimento produz a misericórdia divina (Jz 2.1 . verdadeiramente. pessoais e coletivos.

Escola Bíblica Dominical 6 O Livro de Juízes mesmo.10). a mão do Senhor era contra eles para derrotá-los. Grand Rapids – 1975 MOODY Por: Shirley Militão . Como diria o apóstolo Paulo: de Deus não se zomba (Gálatas 6. A síntese é clara: "O povo prestou culto ao Senhor durante toda a vida de Josué e dos líderes que sobreviveram a Josué e que tinham visto todos os grandes feitos do Senhor em favor de Israel" (Jz 2. Precisamos de líderes que se preocupem com a sua geração e com a próxima. Deus) está em ação perto de 200 vezes. Quando perdiam. Esta divina soberania está na base do surgimento dos líderes: "Então o Senhor levantou juízes. até em situações bastante bizarras para nós ("Sempre que os israelitas saíam para a batalha. Josué não formou um líder (como Moisés fizera com o filho de Num). conforme lhes havia advertido e jurado. Precisamos de lideres que pensem. Thomas Tronco Bíblica Exegética . que os libertaram das mãos daqueles que os atacavam" (Jz 2. era a intervenção direta de Deus. Isto nos chama a atenção para a necessidade de líderes e para o cuidado nas sucessões. surgiu uma nova geração que não conhecia o Senhor e o que ele havia feito por Israel" (Juízes 2.16). na igreja e na nação.  BIBLIOLOGIA  SANTOS. nos que virão depois.A Cronologia do Período dos Juízes Ed. Diante do que foi estudado. "depois que toda aquela geração foi reunida a seus antepassados.7).  SOBERANIA DE DEUS  O autor quer mostrar que. na família. Tudo o que aconteceu a Israel estava sob a direção de Deus. Precisamos de líderes sábio e santos. era porque pagavam o preço da desobediência (em algumas das quais Deus agiu diretamente para prover o castigo). o homem paga um preço por não ser fiel ao pacto. que exemplifica instruções divinas que fazem jus ao cânon judaico. Mesmo os líderes que Deus levanta pode se tornar um Sansão. No entanto.7). mas com consciência crítica. dotando os futuros tempos de lideres e de visão para que possam prosseguir na boa jornada. Ele (Senhor. Deus é o Senhor.  CONCLUSÃO O Livro de Juizes é uma narrativa histórica. mas homem colocados por Deus. que lhes fala mas fala a todos os que querem ouvir. mesmo no caos.  A RESPONSABILIDADE DO LÍDER  O autor quer mostrar também que o problema de Israel era a falta de um líder. quando perdiam. Os líderes não são Deus.15). aprendemos que o melhor caminho é a obediência ao Senhor é à Sua Santa Palavra. Grande angústia os dominava" (Jz 2. Também devemos entender que não devemos seguir cegamente os líderes.