You are on page 1of 21

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CAMPUS TUCURUÍ FACULDADE DE ENGENHARIA ELÉTRICA

DISCIPLINA: LABORATÓRIO DE CIRCUITOS ELÉTRICOS II PROFESSOR: ANDREY RAMOS

EXPERIMENTO: CIRCUITO RC SÉRIE

ALUNOS: JOSÉ WILSON 10134003518 LIEL NEVES 10134001518 WESLEI RAMOS 10134004418

TUCURUÍ-PA

1-Introdução Os circuitos RC são circuitos onde um resistor de resistência R é associado em série a um capacitor de capacitância C, assim como uma bateria de fem E. É preciso lembrar que não hã passagem de corrente contínua entre as placas de um capacitor, de modo que o tipo de corrente que se vai estudar é variável com o tempo. O papel da resistência R é aumentar o tempo para que o capacitor atinja a carga máxima. Da mesma forma, o capacitor não se descarrega imediatamente, mas aos poucos. Essa é a principal utilidade do circuito RC, o que faz com que seja usado em eletrônica.

2- Objetivos Verificar, experimentalmente, o comportamento de um circuito RC Série.

3- Materiais Equipamentos: Gerador de Sinais; Osciloscópio; Protoboard. Componentes: resistor: 3,9 kΩ; capacitor: 1µF.

4- Fundamentos teóricos Um circuito, composto por um resistor em série com um capacitor, denominado RC série é visto na figura 1.

Figura 1: circuito RC série

Assim sendo. . lembrando que no resistor a tensão e a corrente estão em fase e no capacitor a corrente está adiantada de 90°. montou-se o circuito da figura 3.Figura 2: diagrama fasorial do circuito RC série Na construção do diagrama fasorial apresentado na figura 2 (b). a soma fasorial das tensões do resistor e do capacitor é igual ao da tensão na fonte. Do diagrama tem-se que. pode-se escrever a relação entre os módulos das tensões do circuito: Equação 1 e seu ângulo de defasagem: ( ) ( ) Equação 2 Com a redução da frequência. pois sendo um circuito série. o ângulo caminha para zero grau.Procedimentos experimentais: Inicialmente. até atingir um valor máximo de 90°. se aumentarmos a frequência. θ aumenta. 5. Figura 3: montagem do circuito RC série. considera-se como referência a corrente. Por outro lado. esta é a mesma em todos os componentes. e ajustou-se o gerador de sinais para 6Vpp.

mediu-se e anotou-se na tabela 1 os valores obtidos da tensão de pico a pico no resistor (VRpp) e no capacitor (VCpp). Figura 4: montagem do circuito RC série ligado ao osciloscópio. em seguida calculou-se a defasagem. ligado ao osciloscópio conforme a figura 4. que foi utilizada para preencher a tabela 4. montou-se a tabela 1 com os valores das tensões de pico a pico medidas no osciloscópio. mediu-se os valores de 2a e 2b para cada frequência da tabela 3.Resultados Após os procedimentos experimentais acima. como se observa nas figuras abaixo: Para 100Hz: .Em seguida variou-se a frequência utilizando o gerador de sinais. Utilizando o circuito da figura 3. conforme os valores da tabela 1. Para cada valor de frequência ajustado. Com os valores das tensões de pico a pico medidos no osciloscópio pôde-se calcular os valores de tensão eficaz no resistor (VRef) e no capacitor (VCef). 6. As tensões de pico a pico foram obtidas através da análise dos sinais de tensão geradas pelo osciloscópio. isso foi feito separadamente para cada componente do circuito da figura 3.

Figura 6: sinal de tensão gerada pelo osciloscópio para 100Hz sobre o capacitor. .Figura 5: sinal de tensão gerada pelo osciloscópio para 100Hz sobre o resistor.

Para 200Hz: Figura 7: sinal de tensão gerada pelo osciloscópio para 200Hz sobre o resistor. . Figura 8: sinal de tensão gerada pelo osciloscópio para 200Hz sobre o capacitor.

Para 400Hz: Figura 9: sinal de tensão gerada pelo osciloscópio para 400Hz sobre o resistor. Figura 10: sinal de tensão gerada pelo osciloscópio para 400Hz sobre o capacitor. .

Para 600Hz: Figura 11: sinal de tensão gerada pelo osciloscópio para 600Hz sobre o resistor. . Figura 12: sinal de tensão gerada pelo osciloscópio para 600Hz sobre o capacitor.

Para 800Hz: Figura 13: sinal de tensão gerada pelo osciloscópio para 800Hz sobre o resistor. . Figura 14: sinal de tensão gerada pelo osciloscópio para 800Hz sobre o capacitor.

Figura 16: sinal de tensão gerada pelo osciloscópio para 1000Hz sobre o capacitor.Para 1000Hz: Figura 15: sinal de tensão gerada pelo osciloscópio para 1000Hz sobre o resistor. .

92 6 6 6 VCpp (V) 2. pôde-se calcular a tensão eficaz sobre o resistor (R) e o capacitor (C).28 720m 560m 480m 400m De posse dos valores das tensões de pico a pico da tabela 1 e utilizando as equações 3 e 4. temos: √ Para 400Hz.32 1. temos: √ .44 5. f(Hz) 100 200 400 600 800 10000 VRpp (V) 5. Para o cálculo da tensão eficaz sobre R: √ Equação 3 Para 100Hz.Tabela 1: valores das tensões de pico a pico medidas no osciloscópio. temos: √ Para 200Hz.76 5. respectivamente.

temos: √ Para 200Hz. temos: √ Para 1000Hz. temos: √ Para 800Hz.Para 600Hz. temos: √ . temos: √ Para o cálculo da tensão eficaz sobre C: √ Equação 4 Para 100Hz.

temos: √ Para 800Hz. temos: √ .Para 400Hz. temos: √ Para 600Hz. temos: √ Para 1000Hz.

temos: Figura 17: oscilograma para uma frequência de 100Hz.32 1.12 VCpp (V) 2. pôde-se calcular a defasagem para cada frequência. mediu-se os valores de 2a e 2b.98 169.Terminados os cálculos práticos. para cada frequência da tabela 3.7 141. como mostra a figura 4.42 Agora. . f(Hz) 100 200 400 600 800 10000 VRpp (V) 5. com os valores de 2a e 2b.24 452.54 254. com o circuito ligado ao osciloscópio. montou-se a tabela 2.28 720m 560m 480m 400m VCef (mV) 820.76 5. Os valores de 2a e 2b foram obtidos através da análise das figuras geradas pelo osciloscópio. com estes devidos valores: Tabela 2: valores das tensões de pico a pico e eficaz sobre o resistor e o capacitor.09 2.12 2.92 2.55 197. onde este valor foi utilizado para preencher a tabela 4.92 6 6 6 VRef (V) 1.03 2. Em seguida. Para 100Hz.12 2. como mostram as figuras abaixo.44 5.

temos: Figura 19: oscilograma para uma frequência de 400Hz. . temos: Figura 18: oscilograma para uma frequência de 200Hz.Para 200Hz. Para 400Hz.

. temos: Figura 20: oscilograma para uma frequência de 600Hz. Para 800Hz. temos: Figura 21: oscilograma para uma frequência de 800Hz.Para 600Hz.

6 0.5 5. temos: ( ) Equação 5 . f(Hz) 100 200 400 600 800 1000 2a 2.4 0. Tabela 3: valores de 2a e 2b para cada frequência sugerida.Para 1000Hz.9 6 6 6 6 Para o cálculo da defasagem utilizou-se a equação 5 e os valores de 2a e 2b da tabela 3: ( ) Para 100Hz.2 1.3 0.25 2b 5.2 0. temos: Figura 22: oscilograma para uma frequência de 600Hz.

38° .86° 2.2 1.5 5.3 0. Tabela 4: valores de 2a.57° 11.25 2b 5.Para 200Hz. montou-se a tabela 4.9 6 6 6 6 Δθ 23. f(Hz) 100 200 400 600 800 1000 2a 2. temos: ( ) Para 800Hz.73° 5. temos: ( ) Para 600Hz. temos: ( ) A partir dos valores obtidos.4 0. 2b e da defasagem.73° 3. temos: ( ) Para 400Hz.2 0. temos: ( ) Para 1000Hz.6 0.82° 2.

Δθ Gráfico Δθ = f(f) 25 20 15 10 5 Gráfico Δθ = f(f) f(f)Hz 0 .

7. a tensão eficaz no resistor tem um pequeno aumento e a tensão eficaz no capacitor apresenta uma queda gradual. .Conclusão A partir dos resultados obtidos pôde-se observar que a medida que a frequência aumenta. Esses resultados foram comprovados a partir da análise da tabela 2 e dos cálculos realizados. Através dos gráficos 1 e 2 observou-se que a medida que a frequência aumenta seu ângulo de defasagem diminui. pois os valores de 2a diminuem e os valores de 2b aumentam.

O.8. Edição 2008.. AMGH Editora LTDA.Referências Sadiku. Matthew N. Fundamentos de circuitos elétricos. .