You are on page 1of 10

PROGRAMA DE INTEGRAÇÃO EXECUTIVA DA SECRETARIA DE ESTADO DE OBRAS PÚBLICAS – GOVERNO DO PARÁ PROCEDIMENTOS EM LICITAÇÕES

O certame licitatório divide-se, inicialmente em duas grandes fases: FASE INTERNA – Onde se coletam todos os elementos, preços, prazos, condições, tipos de contrato, preços máximos, enfim todas as informações que darão início ao procedimento licitatório mas que ainda não são de conhecimento público. FASE EXTERNA – Elaborada pela Comissão de Licitação da SEOP conforme o fluxograma abaixo:

Fontes: Hely Lopes Meireles, Toshio Mukai, Marçal Justen Filho – 1994 (segundo as Leis 8.666/93 e 8.883/94)

de que não foi declarada inidônea e nem está suspensa em nenhum órgão público Federal. Os documentos que não mencionarem o prazo de validade serão considerados válidos por 90 (noventa) dias da data da emissão. Fontes: Hely Lopes Meireles.883/94) . dentro dos seus prazos de validade. c) Todos os documentos exigidos deverão estar dentro de seus prazos de validade. CND e FGTS. Toshio Mukai.Habilitação para Convite Os interessados pleitearão sua habilitação mediante a apresentação dos documentos abaixo relacionados em envelope fechado: a) Prova de inscrição no Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) ou no Cadastro Geral de Contribuintes (CGC). que desenvolve atividade pertinente e compatível com o objeto da presente licitação. Estadual ou Municipal.666/93 e 8. assinada pelo representante legal da empresa. não se admitindo a autenticação depois de abertos os envelopes ou no momento da abertura.Documentação 1) Documentação Referente a Habilitação Jurídica. e) Na hipótese do interessado pretender servir-se de autenticação por membro da Comissão de Licitação deverá oferecer previamente original e cópia. Para esse procedimento a Comissão de Licitação ficará antecipadamente à disposição dos interessados no horário de expediente definidos no edital. c) Declaração da licitante da inexistência de superveniência de fato impeditivo da habilitação. Marçal Justen Filho – 1994 (segundo as Leis 8. consistirá na apresentação de: a) Certificado de Registro de Habilitação fornecido pela SEOP. sob pena de ser inabilitada da presente licitação. salvo disposição contrária de Lei a respeito. a exceção de fotocópias em papel termo-sensível (fac-símile). d) Os documentos necessários à habilitação poderão ser apresentados por qualquer processo de cópia. demonstrando situação regular no cumprimento dos encargos sociais instituídos por Lei ( artigo 29 inciso IV da Lei 8666/93 e alterações). b) Prova de regularidade relativa à Seguridade Social. b) Comprovação através do Certificado acima mencionado. nos termos do artigo 32 § 2º da Lei 8666/93 e alterações. autenticada por tabelião de notas ou por funcionário da unidade que realiza a licitação ou publicação em órgão de imprensa oficial. sob pena de inabilitação do licitante se assim não estiverem. declarando também que analisou os termos do Edital com os quais está de pleno acordo. Habilitação para Tomada de Preços Os interessados pleitearão sua habilitação mediante a apresentação dos documentos abaixo relacionados em envelope fechado: Envelope nº 01 .

º 8. hipótese em que tal comunicação não terá efeito de recurso. na forma prevista no Art.666/93 e 8. dentro dos seus prazos de validade. inclusive quanto a recursos. artigo 29 inciso III da Lei 8666/93 e alterações. 4) Os documentos acima aludidos deverão ser do domicílio ou sede do licitante. assim se resume: · · · · Certidão de Quitação de Tributos Federais expedido pela Secretaria da Receita Federal. Estadual e Municipal do domicílio ou sede do licitante. autenticada por tabelião de notas ou por funcionário da unidade que realiza a licitação ou publicação em órgão de imprensa oficial.666/93 e alterações. Os documentos que não mencionarem o prazo de validade serão considerados válidos por 90 (noventa) dias da data da emissão. deverá ser apresentada de conformidade com o Artigo 41. sob pena de inabilitação do licitante se assim não estiverem. 10) A impugnação de que trata o item acima. se houver. 41. salvo disposição contrária de Lei a respeito. Marçal Justen Filho – 1994 (segundo as Leis 8.SRP Fontes: Hely Lopes Meireles. CND e FGTS. não se admitindo autenticação depois de abertos os envelopes ou no momento da abertura.666/93 e alterações. 3) Documentação Relativa a Qualificação Econômica e Financeira: a) Certidão Negativa de Falência ou Concordata ou execução patrimonial. expedida até 90 (noventa) dias antes da data de recebimento dos documentos. Certidão Negativa de Tributos Estaduais expedida pela Secretaria de Estado da Fazenda. Certidão Negativa de Tributos Municipais expedida pela Prefeitura Municipal. deverá oferecer previamente original e cópia. na forma da lei. A exigência de que trata a letra "a" deste item. § 2º da Lei n. Habilitação para Concorrência Pública .2) Documentação Relativa a Regularidade Fiscal. demonstrando situação regular no cumprimento dos encargos sociais instituídos por lei (artigo 29 inciso IV da Lei 8666/93 e alterações). 9) Decairá do direito de impugnar os termos do Edital de Licitação perante a Administração o licitante que não o fizer até o segundo dia útil que anteceder a abertura dos envelopes. 7) Na hipótese do interessado pretender servir-se da autenticação por membro da Comissão de Licitação. pelo distribuidor da sede do proponente. normas administrativas e técnicas aplicáveis. parágrafos 1º e 2º. cobrindo os últimos 05 (cinco) anos. 5) Todos os documentos exigidos deverão estar dentro de seus prazos de validade. Para esse procedimento a Comissão de Licitação ficará antecipadamente à disposição dos interessados no horário de expediente fixado no edital. ou Certidão de Regularidade. da Lei n. 8) A participação nesta Tomada de Preços importa ao proponente. consistirá em: a) Prova de regularidade para com a Fazenda Federal. na irrestrita aceitação das condições estabelecidas no presente Edital. 6) Os documentos necessários à habilitação poderão ser apresentados por qualquer processo de cópia. a exceção de fotocópias em papel termo-sensível (fac-símile). bem como na observância dos regulamentos. ou outra equivalente. b) Prova de regularidade relativa à Seguridade Social.883/94) . Toshio Mukai. Certidão Negativa de Dívida Ativa da União expedida pela Fazenda Nacional.º 8.

º 8.Os interessados pleitearão sua habilitação mediante a apresentação dos seguintes documentos. Certidão Negativa de Dívida Ativa de Tributos Municipais. 1. Marçal Justen Filho – 1994 (segundo as Leis 8. Certidão Negativa de Dívida da União expedida pela Procuradoria da Fazenda Nacional. 1. 2.CNPJ/MF ou Cadastro de Pessoas Físicas CPF. em se tratando de Sociedades Comerciais e.666/93 e 8. no caso de Sociedades por Ações. expedida pela Prefeitura Municipal. no caso de firma individual.5. Estatuto ou Contrato Social em vigor. esse comprovante. nos termos do Artigo 32.666/93. Observação: Fotocópia simples da guia de recolhimento deverá ser incluída no envelope de Habilitação para cumprimento do item 1. devidamente registrado. 2. 1. autárquico.4) Declaração do licitante de inexistência de fato impeditivo à habilitação. do domicílio ou sede do licitante. na forma do Artigo 29 inciso III da Lei n. Estadual e Municipal. fundacional ou de economia mista do Estado do Pará.5. 2) Documentação Referente a Regularidade Fiscal 2. e que não está declarado inidôneo em qualquer esfera da Administração Pública e nem está suspenso de participar em licitações.1) Registro comercial. A exigência de que trata esta alínea. Toshio Mukai. em se tratando de Empresa ou Sociedade Estrangeira em funcionamento no país.3) Prova de Regularidade relativa à Seguridade Social (Certidão Negativa de Débitos . 1.666/93.2) Ato Constitutivo. parágrafo 2º da Lei 8. declarando ainda que analisou todos os termos do Edital com os quais está de pleno acordo.1) Quando a empresa não possuir domicílio e/ou sede em Belém-PA. 1. assim se resume: · · · · Certidão de quitação de Tributos Federais expedida pela Secretaria da Receita Federal. ou Certificado de Regularidade Fiscal expedida pela Secretaria Estadual da Fazenda. por qualquer Órgão governamental.3) Decreto de autorização.5) Xerox simples da guia de recolhimento da taxa referente a aquisição do Edital. e ato de registro ou autorização para funcionamento expedido pelo órgão competente. assinada pelo representante legal da empresa.883/94) .1) Prova de Regularidade para com a Fazenda Federal . acompanhado de documentos da eleição de seus administradores. fornecida pelo MPAS-INSS e ao Fundo de Garantia por Tempo de Serviço – FGTS.2) Prova de Inscrição no Cadastro Geral de Contribuintes do Ministério da Fazenda . quando a atividade assim o exigir.CND). via fax. Certidão Negativa de Dívida Ativa de Tributos Estaduais expedida pela Secretaria de Estado da Fazenda. poderá adquirir o Edital efetuando o recolhimento das taxas e remetendo à CPL. A CPL remeterá o Edital e seus anexos via SEDEX. A ausência da comprovação deste recolhimento implicará na inabilitação do licitante. em envelope fechado: 1) Documentação Referente a Habilitação Jurídica 1. Fontes: Hely Lopes Meireles.

7) Os documentos necessários à habilitação poderão ser apresentados por qualquer processo de cópia.2 e 4.autenticada por tabelião de Notas ou pela Comissão Permanente de Licitação. em substituição ao balanço patrimonial. que consignem natureza. 6) Todos os documentos exigidos deverão estar dentro de seus prazos de validade.1) Comprovação de Capital Social integralizado ou valor do patrimônio líquido mínimo de 10% sobre o valor estimado da contratação. deverá. vedada a sua substituição por balancetes ou balanços provisórios.4. conforme o Edital. Fontes: Hely Lopes Meireles.666/93 e 8. conforme Artigo 31.2) Balanço Patrimonial e demonstrações contábeis do último exercício social. atestada por documento assinado por profissional legalmente habilitado.0 4. já exigíveis e apresentados na forma da Lei.883/94) . 4. Toshio Mukai. sob pena de inabilitação do licitante. através de declaração assinada pelo responsável contábil da empresa e cumulativamente apresentar. primeiramente comprovar a sua condição de inscrita no sistema SIMPLES. fornecidos por pessoas jurídicas de direito público ou privado. podendo ser atualizados por índices oficiais quando encerrados há mais de 3(três) meses da data de apresentação da proposta. Parágrafos 2º e 3º da Lei 8. devidamente registrado na Junta Comercial ou Certificado simplificado da Junta Comercial que aponte aquele capital mínimo. quando a empresa participante for pessoa jurídica optante pelo "SIMPLES". do último exercício. à exceção de fotocópia em papel termo sensível(fac-símile).666/93. 4. Esta comprovação deverá ser através da apresentação do balanço patrimonial e demonstrações contábeis do último exercício social ou alterações do Contrato Social.3) Documentação Referente a Capacidade Técnica 3. (capacidade técnica). Os documentos que não mencionarem o prazo de validade serão considerados válidos por 90 (noventa) dias da data da emissão. em fornecimento pertinente e compatível com o objeto da licitação. Marçal Justen Filho – 1994 (segundo as Leis 8. com exceção do item 3. expedida até 90 (noventa) dias antes da data de recebimento dos documentos. A Declaração de Imposto de Renda de Pessoa Jurídica. pelo distribuidor da sede do licitante.4) Comprovação da situação financeira do licitante. que comprovem a situação financeira da empresa.5) Para os cumprimentos dos itens 4.0(um).1) Atestado(s) de bom desempenho anterior do licitante. prazo e grau de satisfação com o serviço prestado. · Se o atestado for emitido por pessoa jurídica de direito privado deverá constar o reconhecimento de firma passada em Cartório. 4) Documentação Referente a Qualificação Econômica e Financeira 4. 4. 5) Os documentos citados deverão ser emitidos por Órgão competente do respectivo domicílio ou sede do licitante. calculados pelas fórmulas abaixo: ILG = Circulante Ativo + Passivo Circulante + ILC = Ativo Passivo Circulante Realizável a Longo Exigível a Circulante Prazo Longo > > 1.0 Prazo 1.3) Certidão Negativa de Falência ou Concordata ou execução patrimonial. demonstrando que a empresa apresenta "Índice de Liquidez Geral (ILG)" e "Índice de Liquidez Corrente (ILC)" iguais ou superiores a 1. salvo disposição contrária em lei ou em regulamento a respeito.

FUNDAMENTAÇÃO LEGAL – Lei Federal nº 8666/93 e suas alterações.666/93 e 8. na forma prevista no Artigo 41. APLICABILIDADE . se houver. não se admitindo a autenticação depois de abertos os envelopes ou no momento da abertura. 2 . considerar como referência o preço da proposta. sob pena de inabilitação. isolada ou cumulativamente. aceleração dos prazos legais exigidos para a formalização dos atos administrativos inerentes a licitação.LICITAÇÃO – é o conjunto de procedimentos adotados pela Administração Pública visando a aquisição de bens e serviços. facilidade na distribuição (o produto segue uma linha reta entre fornecedor usuário). Para esse procedimento a Comissão ficará à disposição dos interessados. 12) O licitante deve indicar obrigatoriamente.º 01 – HABILITAÇÃO. na sua atual redação. Fontes: Hely Lopes Meireles. 13) No caso do item anterior o licitante terá por referência o preço máximo estipulado pela SEOP. OBJETIVO PRINCIPAL DO REGISTRO DE PREÇOS . dentro do envelope n. Eles apenas comparecem ao certame para informar que estão dispostos a vender e/ou prestar os serviços ao Estado por um preço determinado e válido por um período de 12 (doze) meses. serão avaliadas proporcionalmente ao volume de itens cotados e informados no Edital. deverá oferecer previamente original e cópia.FORNECEDOR/PRESTADOR DE SERVIÇO – é aquele que. CONCEITOS EM LICITAÇÕES 1 .USUÁRIO/CLIENTE – são todos os setores da Administração Pública que se utilizam do processo licitatório para a aquisição de bens e/ou serviços.666/93. o item ou itens para os quais oferecerá cotação. parágrafo 2º da Lei 8.redução de custos. no horário de expediente fixado no edital.666/93. dispensa da obrigatoriedade de manutenção de estoques nas dependências do estado (o produto fica com o licitante vencedor. hipótese em que tal comunicação não terá efeito de recurso. 9) Decairá do direito de impugnar os termos do Edital de Licitação perante a Administração o licitante que não o fizer até o segundo dia útil que anteceder a abertura dos envelopes de habilitação. na sua atual redação. e por sua conta). garantia de fornecimento sempre ao menor preço praticado pelo mercado. no seu armazém. as seguintes situações: a) aquisição de bem/serviço freqüente b) para aquisição de bens com entrega parcelada c) quando houver mais de um órgão ou entidade usuária do produto/serviço. parágrafo 1º e 2º da Lei 8. otimização dos procedimentos licitatórios.o registro de preços é indicado principalmente quando se apresentarem. oferece à Administração o objeto da licitação. 3 . Marçal Justen Filho – 1994 (segundo as Leis 8. REGISTRO DE PREÇOS – é um tipo de licitação onde os ganhadores não efetivam imediatamente após a adjudicação e homologação do certame a entrega de seus produtos/serviços nem recebem os empenhos assim que forem declarados aptos a negociarem com o órgão licitante. sendo absolutamente vedado. deverá ser apresentada em conformidade com o Artigo 41. 11) As qualificações econômica e financeira exigidas.8) Na hipótese do interessado pretender servir-se da autenticação por membro da Comissão Permanente de Licitação. Toshio Mukai. 10) A impugnação de que trata o item acima. através de proposta escrita e assinada.883/94) .

PUBLICAÇÃO – são todos os atos que tem por finalidade divulgar de forma ampla e irrestrita o processo licitatório. Ter direito à correção dos créditos por critérios do edital: Direito à publicação de alteração do edital e a devolução do prazo. 16.HOMOLOGAÇÃO – é o ato privativo da Autoridade Instauradora que confirma a proposta.PROPOSTA – é o documento através do qual o licitante participa do certame oferecendo seu bem/serviço à Administração Pública. 11. remessa de avisos eletrônicos (via e-mail) abertura de envelopes de habilitação/propostas.883/94) . 5 . como a vencedora do certame Os Direitos das Empresas Concorrentes e do Cidadão: Face ao edital de licitacâo § § § § § § § § § § Direito subjetivo do participante ao fiel cumprimento da legislação. determinando o início de seus atos e a homologação de seus procedimentos.AUTORIDADE INSTAURADORA – é a pessoa responsável pelo deferimento do processo licitatório. que indica à Autoridade Instauradora. através de documento formal –ata – . 13.4 .COMISSÃO DE LICITAÇÃO – é o órgão colegiado composto por no mínimo tres(03) servidores estaduais e/ou pessoas indicadas pela Autoridade Instauradora.ATA DE JULGAMENTO/CLASSIFICAÇÃO – é a manifestação expressa da Comissão apontando a proposta que atendeu as condições do edital. Não se sujeitar as exigências excessivas ou ilegais. para que estes possam oferecer seus bens/serviços ao Estado. – jornais – boletins – INTERNET – murais.OBJETO – é o bem/serviço o qual pretende adquirir a Administração.JULGAMENTO – é o ato da Comissão de Licitação que classifica as propostas apresentadas pelos licitantes e.PROCEDIMENTO – é o ato que compõe o processo licitatório. 6 . a proposta que apresentou total compatibilidade com a solicitação do Edital de Licitação. 10. dos participantes do certame licitatório. Toshio Mukai.ADJUDICAÇÃO – é o ato privativo da Comissão de Licitação. nas condições solicitadas pelo Edital. controlar e dar seguimento até final adjudicação dos procedimentos licitatórios. qual foi.666/93 e 8. conforme o caso. indica qual aquela que atendeu as condições exigidas pelo Edital. para efetivar.EDITAL DE LICITAÇÃO – é o caderno processual que traz todas as condições e exigências de um determinado bem/serviço do qual necessita a Administração Estadual. pela Administração Pública. dentre as propostas apresentadas pelos fornecedores/prestadores de serviço. Direito do cidadão de participar sem perturbar. Direito a ter no edital pontuações técnicas que não sejam distanciadas ou subjetivas: Direito ao contraditório e a ampla defesa na revogação e/ou anulação da licitação e/ou na rescisão do contrato. 8 .HABILITAÇÃO – são as condições exigidas. Exemplo: publicação do edital. além dos recursos cabíveis: Face ao procedimento licitatório Fontes: Hely Lopes Meireles. 14. Marçal Justen Filho – 1994 (segundo as Leis 8. 15. 7 . 12. Ex: D. Não ter que comprovar atividade anterior com limitação de tempo ou de época ou em locais específicos. 9 . indicada pela Comissão de Licitação. Direito a critérios objetivos no edital para julgamento do certame.PROCESSO – é o conjunto de atos e documentos que compõe a rotina legal que objetiva a aquisição de bens e/ou serviços.O.E. Não se sujeitar a exigência de capital sem limite.

par.par. Ver publicada a adjudicação (inclusive do convite). Preço excessivo na venda de editais(art. § § Conhecer os termos do contrato e do respectivo processo licitatório. 5º. 3º . Na falta de indicação do diploma legal que regerá a licitação (caput do art.I .par. se vencedora. 27). Estar liberada dos compromissos da licitação. 40).I. par. extrapolando o que prevê o art.4 1 . (fere o art. Exigências excessivas ou ilegais. § Vícios com relação aos procedimentos de julgamento § § § Não indicação do tipo de licitação. tomada de preços ou concurso (ressalvar). Marçal Justen Filho – 1994 (segundo as Leis 8.212. 27 ou outros previstos em Lei Especial. e 56). o a 50. 32. observado o disposto no par. 45. (art. 195 da CF e Lei n 8. salvo revogação ou anulação. Imposto sindical e outros não autorizados em lei para fins de licitação. ver a adjudicação registrada na própria ata de julgamento. 50 a 100). critérios de preferências). arts. de preço oculto). se não convocada no prazo de 60 (sessenta) dias da data da entrega das propostas (art. Somente os do art.883/94) . Não devem exigir PIS. ferindo o art. Edital incompleto.§ § § § § § § Não concessão de prazos aos concorrentes para complementar documentação: Ver propostas abertas somente após o julgamento da habilitação ou julgamento dos eventuais recursos: Ver os recursos decididos somente após a manifestação dos demais licitantes. 2º. Fontes: Hely Lopes Meireles. 2º) é a única forma. Vícios com relação a habilitação: § Exigências impertinentes e não autorizadas em Lei. 64.2º) desde que tenha reclamado contra ele até o segundo dia útil que anteceder: a) a abertura do envelope de habilitação em Concorrência: b) a abertura dos envelopes com as propostas em Convite. 3º) Principais vícios dos Editais de Licitações: § § § § § § Na definição do objeto da licitação (incompleto ou dirigido). impreciso ou omisso em pontos essenciais.art. 3º ( em igualdade de condições. 40.A. 47. e CND-INSS(par. 5º). 0 0 CRSFGTS(art. Impugnar o edital. O sorteio (art. 45. Toshio Mukai. Pontuações técnicas totalmente subjetivas (graus de pontuações muito distanciados .27 da Lei n 8036/90. Se vencedor. de base. par. (permite que poucos saibam dos detalhes por informações extras). 45. c) a realização de leilão. Fere art.666/93 e 8. Ex.(art. 1º) Tipo de licitação não previsto em lei ou misto de dois ou mais tipos(de média. Ver a justificativa escrita quando a proposta escolhida não for a de menor preço. Homologação sem alteração do resultado: Outros direitos das empresas § § Ter direito a ser contratada. autorizados a serem exigidos em licitações. Critérios de desempate com base em documentos apresentados na fase de habilitação. 27. art.par.

Permitir julgamentos que levem necessariamente ao empate. (art. Vícios na abertura das propostas § § § § § § § § § Abertura sem comunicação aos interessados da data. 43. O Dec. observando: a) objeto descrito de modo claro e sucinto. Marçal Justen Filho – 1994 (segundo as Leis 8. hora e local aos licitantes. Falta de ata circunstanciada. 4º). 48. determina seja efetuada pesquisa junto a pelo menos 2 outros fornecedores do ramo pertinente. Falta de publicação do julgamento. Vícios na revogação e na anulação § § § § Em ambos os casos ausência de justificativa. inc. Toshio Mukai.6º.lI. O art. Fontes: Hely Lopes Meireles. (havia ocorrência de empate na licitação do tipo preço-base( revogado pela atual Lei) Vícios do procedimento Iicitatório(da fase de habilitação): § § § Concessão de prazo e beneficios para completar a documentação. b) modalidade não pode ser escolhida sem critérios.883/94) . Não previstas na Lei. Fed. Direito subjetivo do vencedor. sem ser exageradamente detalhista que leve à marca única. veda inclusão de documentos posteriores ou informação que deveria constar da proposta. Outros vícios nas licitações § § Efetuar diligências in loco sem comunicação do dia. 21. Indicar motivos de desclassificação subjetivos e/ou distanciados da efetiva inviabilidade técnica ou econômica da proposta. Decidir recursos sem dar oportunidade aos demais licitantes de se manifestar sobre eles. ou transformar a aferição técnica da fase de habilitação em julgamento técnico. Protelação da adjudicação sem causa. art. par. Considerar vantagens a mais do que foi exigido no edital. Não publicação da decisão. quando aquela influir na elaboração da proposta.666/93 e 8. Falta da decisão na ata de julgamento. Privilégios da Administração(poder discricionário): § Fase Interna da Licitação: Escolha do objeto e da modalidade de licitação.(art. Julgamento em desconformidade com o edital. local e hora. Impugnações durante as sessões. (os famosos protestos durante as sessões nao valem como recurso). Direito ao contraditório e a ampla defesa não podem ser negados. Porém a Administração pode adotar a Tomada de Preços no lugar do Convite e a Concorrência no lugar da Tomada de Preços. Abertura das propostas sem observância do prazo recursal. Homologação sem a devida verificação da razoabilidade dos preços. Não oferecimento do direito de recurso na decisão de revogação ou anulação. 449/92. Desqualificação ou inabilitação / Desclassificação. determina a desclassificação de preços excessivos e inexeqüíveis.§ § § Considerar no julgamento documentos apresentados na fase de habilitação. par 3º). Alteração do instrumento convocatório (edital) sem publicação e sem devolução do prazo.

em qualquer fase da licitação. Marçal Justen Filho – 1994 (segundo as Leis 8. efetuar o julgamento em recinto fechado sem a presença dos licitantes. f) examinar a documentação apresentada. anular. revogar a licitação(interesse público decorrente de fato superveniente). por ilegalidades que justifiquem tal decisão.§ Fase Externa da Licitação (observar principios de igualdade e competitividade): a) fixação das condições para os participantes. com preços excessivos ou inexeqüíveis. no todo ou em parte. pela Comissão. que torne o licitante sem condições de continuar no certame. com a obrigatória publicação e devolução do prazo. e) promover diligências. por fato superveniente ocorrido após a habilitação. não podendo essa atribuição ser avocada pela autoridade superior. ( o caso de cargo comissionado).883/94) . Secretário de Estado de Obras Públicas Joaquim Passarinho Pinto de Souza Porto Consultor Jurídico do Estado Reginaldo da Motta Corrêa de Melo Jr Presidente da CPL/SEOP Antônio Lobato Coutinho Fontes: Hely Lopes Meireles. c) alteração do edital. d) não admitir apresentação de documentos após a hora fatal determinada. antes da decisão final da autoridade superior. se a alteração comprometer a preparação das propostas. b) fixação dos critérios de julgamento. indicação do vencedor do objeto. desclassificar propostas desconformes do ato convocatório. com privacidade. Toshio Mukai.666/93 e 8. § § § § § § § § reconsiderar a decisão recorrida. destinadas a esclarecer ou a complementar a instrução do processo.