You are on page 1of 7

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DA _____ VARA DO TRABALHO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO/RJ

MARIA, brasileira, casada, empregada doméstica, portadora da CTPS nº xxxxx, série xxxx/RJ, inscrita no CPF nº xxx.xxx.xxx-xx e no PIS nº25412365, nascida em 10/04/1980, filha de Marta da Silva, residente e domiciliada à Rua da Feira, nº 171, Bangu, CEP nº 23.000000, Rio de Janeiro, RJ, por seu advogado que esta subscreve, com endereço profissional na Avenida Barcelos Domingos, nº 10, Campo Grande, CEP 23.225-254, Rio de Janeiro, RJ, onde receberá intimações, vem à presença de Vossa Excelência propor a presente

RECLAMAÇÃO TRABALHISTA

Contra seu ex-empregador EDUARDO, brasileiro, casado, comerciante, portador da carteira de identidade nº 1234567-8, inscrito no CPF/MF sob o nº 000.000.000-00inscrit no CNPJ sob o nº 01.123.008/0001-09, residente e domiciliado na Rua das Marrecas, nº 01, Campo Grande, CEP 23.000-001, Rio de Janeiro, RJ, pelos fatos a seguir expostos:

2. altera a redação do parágrafo único do art. O reclamado. o descanso semanal remunerado deverá ser pago computando as horas extraordinárias habitualmente prestadas. "in casu": "COMPUTAM-SE NO CÁLCULO DO REPOUSO REMUNERADO AS HORAS EXTRAS HABITUALMENTE PRESTADAS. DO DESCANSO SEMANAL REMUNERADO E EM FERIADOS Considerando o teor da Lei nº 7. Sua Carteira de Trabalho nunca foi anotada pelo Reclamado. para exercer a função de Empregada Doméstica para o Reclamado. Seu último salário correspondeu à quantia de R$ 678.T." A Emenda Constitucional nº 72 de 02 de abril de 2013 . no horário de 07h00min as 20h00min horas. tendo apenas 15 minutos para sua refeição. de segunda a sábado.S.415 de 1985. 7º da Constituição Federal passa a vigorar com a seguinte redação: “Art. 7º da Constituição Federal para estabelecer a igualdade de direitos trabalhistas entre os trabalhadores domésticos e os demais trabalhadores urbanos e rurais. 7º…………… .1. alíneas ‘a’ e ‘b’. 7º. 1. A Súmula 172 do E.1 DO CONTRATO E JORNADA DE TRABALHO A Reclamante foi contratada pelo Reclamado em 04/04/2013. T. Artigo único. deixou de pagar todos os direito que a Reclamante tem por direito. é pertinente.2 DA DISPENSA A reclamante descontente com o não cumprimento pelo empregador das obrigações trabalhistas pertinentes a este contrato pediu demissão em 01/05/2014. O parágrafo único do art.00 (seiscentos e setenta e oito reais). em seu art. DOS FATOS 1.

principais e acessórias. decorrentes da relação de trabalho e suas peculiaridades. Férias e FGTS sobre todos os períodos. Horas extras. XXI. bem como a sua integração à previdência social.4. incluindo nesta. XV. considerando o real salário da reclamante. VI. As horas extras por sua habitualidade devem ser consideradas com reflexos e integrações para o cálculo das férias integrais e proporcionais acrescidas de 1/3 constitucional. por terem sido prestadas com habitualidade. 13º Salário. 59 da CLT. independentemente da limitação prevista no "caput" do art. as horas extraordinárias. os previstos nos incisos I. II. XIII.Parágrafo único. Reflexos. VII. XXV e XXVIII. XXXI e XXXIII e. atendidas as condições estabelecidas em lei e observada a simplificação do cumprimento das obrigações tributárias. X. Horas Extraordinárias e RSR deverão ser realizados utilizando como parâmetro o salário da classe dos empregados domésticos. XVII. Art. DAS VERBAS RESCISÓRIAS Denota-se que os cálculos referentes em. XXVI. XVIII. VIII.” (NR) 3. (Conversão das Orientações Jurisprudenciais nºs 89 e 117 da SDI-I) I – omissis II – O valor das horas extras habitualmente prestadas integra o cálculo dos haveres trabalhistas. XXII. 13º salário. XIX. Férias. 13º salários integrais e proporcionais e FGTS. III. XXX. XVI. 59 da CLT. XII. São assegurados à categoria dos trabalhadores domésticos os direitos previstos nos incisos IV. Limitação. consoante os Enunciado do Tribunal Superior do Trabalho: Nº 376. IX. XXIV. faz jus ao pagamento da diferença percebida em Aviso Prévio. . (ex-OJ SDI-I nº 89 – Inserida em 28.1997) Em razão do pagamento efetuado a menor pela Reclamada. referentes ao período de todo pacto laboral. FGTS.

cuja duração exceda de 6 (seis) horas. com apenas 15 (quinze) minutos de intervalo para refeição. obrigatório um intervalo de 15 (quinze) minutos quando a duração ultrapassar 4 (quatro) horas. § 4º – Quando o intervalo para repouso e alimentação. Importante transcrever o Art.4. não poderá exceder de 2 (duas) horas. está transgredindo o art. se verificar que o estabelecimento atende integralmente às exigências concernentes à organização dos refeitórios e quando os respectivos empregados não estiverem sob regime de trabalho prorrogado a horas suplementares. não for concedido pelo empregador. no mínimo. § 3º – O limite mínimo de 1 (uma) hora para repouso ou refeição poderá ser reduzido por ato do Ministro do Trabalho quando. de 1 (uma) hora e. DOS FUNDAMENTOS O reclamado ao submeter a reclamante a 13 (treze) horas diárias de trabalho contínuo. 71 da CLT. o qual será. será. 71 – Em qualquer trabalho contínuo. da CLT: Art. 71. § 1º – Não excedendo de 6 (seis) horas o trabalho. § 2º – Os intervalos de descanso não serão computados na duração do trabalho. . previsto neste artigo. salvo acordo escrito ou contrato coletivo em contrário. entretanto. é obrigatória a concessão de um intervalo para repouso ou alimentação. este ficará obrigado a remunerar o período correspondente com um acréscimo de no mínimo 50% (cinqüenta por cento) sobre o valor da remuneração da hora normal de trabalho. ouvida a Secretaria de Segurança e Higiene do Trabalho.

XXI . dentre outros direitos. nos termos da lei. (Vide Del 5. um terço a mais do que o salário normal. habitualmente. além de outros que visem à melhoria de sua condição social: I . 5. de segunda a sábado. DAS HORAS EXTRAS Conforme demonstrado no item “jornada e horário de trabalho” desta. que preverá indenização compensatória.relação de emprego protegida contra despedida arbitrária ou sem justa causa. a Reclamante. como empregada doméstica.gozo de férias anuais remuneradas com. laborava para o reclamado. XVI . III . sendo no mínimo de trinta dias. em cinqüenta por cento à do normal. no mínimo. de 27 de julho de 1994 Com base no Art. 7º da Constituição Federal: Art. com apenas 15 minutos de intervalo para refeições. pelo menos.fundo de garantia do tempo de serviço.** § 4° acrescentado pela Lei n° 8923. art. .remuneração do serviço extraordinário superior.452. 7º São direitos dos trabalhadores urbanos e rurais. das 07:00 às 21:00 horas.décimo terceiro salário com base na remuneração integral ou no valor da aposentadoria. 59 § 1º) XVII . VIII .aviso prévio proporcional ao tempo de serviço. nos termos de lei complementar. durante todo o pacto laboral.

mandar notificar o Reclamado. DIANTE DO EXPOSTO. que a Reclamante laborava em regime de trabalho extraordinário. referentes ao período de todo pacto laboral descrito no item 1. 477 parágrafo 8º da CLT. postular durante o pacto laboral. VIRequer a aplicação da Multa do art.Conclui-se. as verbas a seguir alinhadas. para apuração das horas extraordinárias mensais do mesmo. Em relação às Horas Extraordinárias não integradas IVRequer a Integrações das Horas Extraordinárias para o cálculo das férias integrais e proporcionais acrescidas de 1/3 constitucional. bem como o recebimento das diferenças salariais decorrentes do salário da função.1 desta. férias. as quais deverão ser apuradas em liquidação de Sentença. e o consequente pagamento. IAnotação da função de Empregada Doméstica na CTPS da Reclamante. vem o Reclamante. requer seja notificada a Reclamada para que consigne as folhas de pagamento da Reclamante. Juízo. caso queira no prazo legal. sob pena de . abono de férias. Para tanto. DOS PEDIDOS Em razão da falta de pagamento das diferenças salariais e da falta de pagamento das integrações das horas extraordinárias como alhures mencionado. 6. por não terem sido pagas corretamente as verbas rescisórias. a apurar. a fim de responder a todos os termos da presente "RECLAMAÇÃO TRABALHISTA". inclusive nas HE. requer a V. no décimo terceiro salário. no endereço indicado. para comparecer à audiência a ser designada por esse M. Juízo. Exa. pois. a apurar. a esse MM.. horas extras prestadas e demais parcelas rescisórias. IIIReflexos dos pedidos retro. porém não recebendo corretamente as horas extras a que tinha direito. 13º salários integrais e proporcionais e FGTS. II Pagamento do FGTS calculado no importe de 8% sobre as parcelas deferidas. a apurar. a apurar.

na base de 20% (vinte por cento). caso necessário for.revelia. gestor do PIS/FGTS e o Ministério do Trabalho.060/59 e declaração em anexo. Rio de Janeiro. perícia e juntada de outros documentos no decorrer da lide. Requer e protesta por todos os meios de prova em direito permitido. com as cautelas legais. Pede deferimento. testemunhal. 29 de abril de 2013 Eduardo Rodrigo Afonso Guadagno Advogado OAB/RJ nº xxx.000. sendo esta pessoa deste patrono que declara aceitar o encargo. juros de mora. bem como outras provas que se revelarem necessárias no desenvolvimento da controvérsia. Nestes termos. sob pena de confissão e aceitação dos fatos articulados.xxx . Requer a concessão do benefício da Justiça e a assistência judiciária gratuita a Reclamante. depoimento pessoal do Reclamado. documentos anexos. sobre o valor da condenação. pede que seja julgado PROCEDENTE a presente ação. correção monetária. condenando a Reclamada no pagamento dos pedidos supra pleiteados mais custas processuais. após o procedimento legal de estilo. seja oficiado o INSS. confissão e aceitação dos fatos articulados. desde a data do desligamento da Reclamante e honorários advocatícios.00 (quinze mil reais). pelo que. e demais cominações legais. Requer outrossim. Dá-se a causa o valor de R$ 15. a teor da Lei nº 1.