You are on page 1of 42

Gestão Pública e Organizacional p/ ANAC Teoria e exercícios comentados Prof.

Rodrigo Rennó – Aula 02

AULA 2: Evolução da Administração Pública
Olá pessoal, tudo bem? Modifiquei o cronograma e o tema anteriormente planejado para esta aula será tratado na aula 7. Na aula de hoje iremos cobrir os seguintes itens:  A evolução da Administração Pública e a reforma do Estado. Irei trabalhar com muitas questões do CESPE e das principais bancas do país, ok? Espero que gostem da aula!

Prof. Rodrigo Rennó

www.estrategiaconcursos.com.br

1 de 42

Gestão Pública e Organizacional p/ ANAC Teoria e exercícios comentados Prof. Rodrigo Rennó – Aula 02

Sumário
Reformas Administrativas........................................................................ 3  Getúlio Vargas e a criação do DASP. ...................................................... 3  Administração para o Desenvolvimento – Governo JK e a administração paralela. ..... 7  A Reforma de 1967 – DL nº200/67. ....................................................... 9  A Constituição de 88 – o retrocesso burocrático e o Governo Collor/Itamar. .......... 17  A Reforma de 1995. ...................................................................... 24  Lista de Questões Trabalhadas na Aula........................................................ 36  Gabarito ........................................................................................ 41  Bibliografia ..................................................................................... 41 

Prof. Rodrigo Rennó

www.estrategiaconcursos.com.br

2 de 42

Gestão Pública e Organizacional p/ ANAC Teoria e exercícios comentados Prof. Rodrigo Rennó – Aula 02

Reformas Administrativas.
Getúlio Vargas e a criação do DASP. Até o governo de Getúlio Vargas, a administração pública era dominada pelo patrimonialismo e pelo clientelismo, com a política do país controlada por grupos oligárquicos, principalmente de Minas Gerais e São Paulo (a conhecida política do “Café com Leite”). Desta maneira, o Estado brasileiro era dominado por uma elite que garantia privilégios indevidos dentro da máquina do governo para seus amigos e aliados. Com isso, a maior parte da população era excluída. Até a revolução de 1930, a oligarquia agrária dominava o cenário político1. Com a tomada do governo após o golpe revolucionário de 1930, outras classes se apoderaram do governo federal, sendo dominantes alguns setores das forças armadas2. Na visão de Flávio Resende3: “até 1930, o Estado brasileiro era um verdadeiro mercado de troca de votos por cargos públicos; uma combinação de clientelismo com patrimonialismo”. O cenário era de grande crise econômica, pois o “carro chefe” da economia brasileira no momento era a cultura do Café e o mercado para o produto tinha despencado após a crise da Bolsa de Nova York no ano anterior. Com a crise, os mercados consumidores do produto, particularmente os Estados Unidos e a Europa, entraram em recessão. Desta forma, o preço despencou no mercado internacional. Sem as divisas do Café, a economia brasileira não tinha como pagar as importações de produtos que a sociedade demandava. O governo Getúlio então procurou fechar a economia e buscar alternativas econômicas, voltando-se então para o mercado interno através de incentivos à industrialização e da modernização da máquina estatal. Os empresários brasileiros passaram a ter um grande incentivo para investir, pois o mercado interno passava a ser protegido da concorrência

1 2 3

(Torres, 2004) (Bresser Pereira, 2001) (Resende, 2004) apud (Paludo, 2010)

Prof. Rodrigo Rennó

www.estrategiaconcursos.com.br

3 de 42

Gestão Pública e Organizacional p/ ANAC Teoria e exercícios comentados Prof. Rodrigo Rennó – Aula 02

internacional, e os consumidores não tinham mais acesso aos produtos estrangeiros a preços competitivos. Além disso, com a aceleração da industrialização, começa também a ocorrer um crescimento da massa urbana de trabalhadores, introduzindo outros “atores” no processo político. Vargas iniciou seu governo retirando poder dos governos estaduais, centralizando o poder na União. O governo federal iniciou também uma maior intervenção econômica, saindo de um papel mais passivo para outro mais ativo na promoção do desenvolvimento econômico. Portanto, as saídas para a crise foram o protecionismo e o intervencionismo econômico. O Estado teve de se estruturar pra exercer estas funções, principalmente a segunda. O velho modelo patrimonialista da administração pública não era mais adequado a uma economia industrial cada vez mais complexa e competitiva! É nesse contexto que se criou o Conselho Federal do Serviço Público Civil em 1936, depois transformado em 1938 no Departamento Administrativo do Serviço Público – DASP. De acordo com Lustosa da Costa4: “O Dasp foi efetivamente organizado em 1938, com a missão de definir e executar a política para o pessoal civil, inclusive a admissão mediante concurso público e a capacitação técnica do funcionalismo, promover a racionalização de métodos no serviço público e elaborar o orçamento da União.”

Aviso: 

• apesar de boa parte dos autores  considerarem 1938 como o ano  em que o DASP foi instituído,  algumas bancas consideram  correto 1936!

Esta foi uma reforma ambiciosa, que tinha como modelo a Burocracia profissional de Weber. Segundo Lustosa da Costa, foi a primeira tentativa sistemática de superar o modelo patrimonialista que tivemos na administração pública brasileira: “A reforma administrativa do Estado Novo foi, portanto, o primeiro esforço sistemático de

4

(Costa, 2008)

Prof. Rodrigo Rennó

www.estrategiaconcursos.com.br

4 de 42

Visava constituir uma administração pública mais racional e eficiente.com. Dentro deste âmbito. de Frederick Taylor.. de compra de materiais e finanças e a centralização e reorganização da administração pública federal6. a frase está errada. que buscava introduzir no aparelho administrativo do país a centralização. processos e procedimentos. a impessoalidade. Com a introdução do modelo burocrático na administração pública brasileira. fortaleceu-se o princípio da meritocracia. a definição da política de recursos humanos. a atuação do DASP ocorreu em três dimensões diferentes: 5 6 7 (Costa. Ao contrário do que está descrito na questão. Assim sendo. 2008) (Bresser Pereira.” 5 Desta forma. foram utilizados para “nortear” a padronização e divisão do trabalho. 2001) (Paludo. a hierarquia. 2010) Prof.br 5 de 42 . Foi uma ação deliberada e ambiciosa no sentido da burocratização do Estado brasileiro. na década de 30 do século passado. A reforma administrativa que foi implantada no Brasil nos anos 30 não foi inovadora. a separação entre o público e o privado. o sistema de mérito. os principais objetivos do DASP eram: A racionalização de métodos. que pudesse assumir seu papel na condução do processo de desenvolvimento.2006) A reforma administrativa empreendida pelo DASP. foi inovadora por não estar alinhada aos princípios da administração científica presentes na literatura mundial da época. Rodrigo Rennó – Aula 02 superação do patrimonialismo. os princípios da Administração Científica. Portanto. bem como a profissionalização dos servidores. promovida pelo DASP.MDS / TECNICO SUPERIOR . em que os servidores passaram a ser selecionados mediante concurso público e promoção baseada em avaliações de desempenho7.Gestão Pública e Organizacional p/ ANAC Teoria e exercícios comentados Prof.(CESPE. Veja como esse tema já foi cobrado: 1 .estrategiaconcursos. pois o modelo racional-legal (ou Burocrático) já havia sido implantado nos países desenvolvidos décadas antes. Rodrigo Rennó www. a reforma esteve sim alinhada aos princípios da administração científica..

carreiras consideradas estratégicas para o sucesso deste novo Estado (como a dos diplomatas) eram valorizadas – tendo um treinamento mais completo. 2001) (Torres. sem considerar a repressão política dura e autoritária. o DASP foi o órgão que formulou e executou as mudanças na administração pública no período. fundações públicas.  Expansão de órgãos da administração direta. Rodrigo Rennó www. outras carreiras de nível mais baixo continuaram sob as práticas patrimonialistas e clientelistas. promoção por mérito e salários adequados. com a criação de empresas estatais. as mudanças não alcançaram toda a administração pública9. o DASP foi utilizado como instrumento político-administrativo (pois ocorreu uma grande centralização administrativa e política). ao invés deste ser somente uma relação detalhada de despesas e 8 9 10 (Torres. o governo Vargas tinha ainda dois pilares importantíssimos de sustentação política: o controle da administração pública e a nomeação dos dirigentes das províncias. Ou seja. que seriam responsáveis por formar “consensos” dentro da sociedade sobre diversos temas.Gestão Pública e Organizacional p/ ANAC Teoria e exercícios comentados Prof. 2004) Prof. A Burocracia convivia com o patrimonialismo! Foi também introduzida a noção de planejamento no orçamento público. Rodrigo Rennó – Aula 02  Criação de órgãos formuladores de políticas públicas. garantias legais e salários competitivos10. De acordo com Torres8: “Assim.com.br 6 de 42 . Para certas carreiras foram introduzidos os concursos públicos. de forma que a administração pública se tornasse capaz de dar sustentação ao regime ditatorial. como os conselhos. com nomeações políticas. Portanto.estrategiaconcursos. De certo modo. salários defasados e promoções somente por tempo de serviço. como ministérios e agências de fiscalização (neste governo foram criados diversos ministérios.  Expansão das atividades empresariais do Estado. Entretanto. sociedades de economia mista e autarquias (a Companhia Vale do Rio Doce e a CSN – Companhia Siderúrgica Nacional foram criadas nesta época!). como o do Trabalho).” Apesar disso. 2004) (Bresser Pereira.

O governo Juscelino Kubitschek ficou marcado pelo que se chamou de Administração Paralela11. com a instalação de grandes multinacionais no país e a construção de Brasília. Rodrigo Rennó www. Seu estilo era voltado a evitar ao máximo os conflitos.(CESPE – MCT / ANALISTA PLENO . evitando ter de lidar com a ineficiência gerada pelas práticas patrimonialistas e clientelistas (que continuavam existindo. O período que se inicia com a redemocratização em 1946 e termina com o golpe militar de 1964 se caracterizou pela preocupação dos governantes com o desenvolvimento nacional. Nesta fase ocorreu um grande crescimento econômico. 1998) Prof. Após esse momento.estrategiaconcursos. Os principais fatores deste período foram: o aumento da intervenção do Estado e uma descentralização do setor público através da criação de várias autarquias e sociedades de economia mista (que teriam mais autonomia e flexibilidade do que a Administração Direta). como o excesso de “papelada” e lentidão12.Gestão Pública e Organizacional p/ ANAC Teoria e exercícios comentados Prof. O Estado se preparava então para atuar de forma mais ativa no desenvolvimento econômico. Vamos ver uma questão que aborda esse tema? 2 . A reforma não se completou. 11 12 (Martins. Rodrigo Rennó – Aula 02 receitas previstas. inserida no plano de metas do governo JK. portanto quando tinha um problema a resolver ele preferia criar outra estrutura estatal (normalmente uma autarquia) do que reformar ou extinguir alguma já existente.br 7 de 42 .com. 1997) (Junior. o departamento perdeu muitas de suas funções e passou a fazer um trabalho mais rotineiro. bem como as disfunções da Burocracia que já se mostravam presentes.2004) A administração paralela do governo JK assim se denominava devido à replicação. O DASP perdeu muito de sua força modernizadora com a saída de Vargas do poder em 1945. nem tampouco foi revertida. Administração para o Desenvolvimento – Governo JK e a administração paralela. tendo ocorrido inclusive um “trem da alegria” em 1946 – a Constituição promulgada neste ano incorporou como servidores efetivos inúmeros funcionários que haviam entrado no governo sem concurso público). Com isso ele “contornava” a administração direta.

br 8 de 42 . De acordo com Lustosa13: “Esse período se caracteriza por uma crescente cisão entre a administração direta. evitando-se os órgãos convencionais. das estruturas federais que existiam no Rio de Janeiro. dotados de maior autonomia gerencial e que podiam recrutar seus quadros sem concursos. A coordenação das ações fazia-se por meio de grupos executivos escolhidos diretamente pela Presidência da República. Rodrigo Rennó – Aula 02 em Brasília.com. Rodrigo Rennó www. Os órgãos existentes não eram adequados aos desafios de seu governo. para atingir seus objetivos. e a administração descentralizada (autarquias. aos ditames de normas rígidas e controles. evidenciou-se o papel fundamental das chamadas “ilhas de excelência” (órgãos que contavam com funcionários mais capacitados.” 13 (Costa. que eram contratados por mérito e recebiam salários muito maiores do que os da administração direta) no processo de desenvolvimento nacional que ocorreu naquela época. enquanto se deteriorava o núcleo central da administração. preferencialmente entre os formados em think thanks especializados. Portanto. remunerando-os em termos compatíveis com o mercado. Constituíram-se assim ilhas de excelência no setor público voltadas para a administração do desenvolvimento. Em vez de reformá-los. empresas. institutos e grupos especiais ad hoc). cada vez mais.Gestão Pública e Organizacional p/ ANAC Teoria e exercícios comentados Prof. Desta forma. necessitava de estruturas mais ágeis. 2008) Prof. A questão está incorreta. flexíveis e que tivessem uma maior facilidade em trocar informações e coordenar os trabalhos. Juscelino compreendeu que. A administração paralela foi chamada assim não por causa de uma cópia de estruturas que existiam no Rio de Janeiro na nova capital – Brasília. entregue ao clientelismo e submetida. ele preferiu criar novos órgãos (paralelos aos existentes) para resolver os problemas.estrategiaconcursos. a administração do plano de metas do governo JK foi executada desta forma.

br 9 de 42 . destacamos: a restrição do crédito e dos aumentos salariais. 1998) (Resende. algumas ideias foram aproveitadas na reforma de 1967. começou a se formar um consenso de que o modelo burocrático deveria ser reformado. 1990) Prof. uma reforma tributária (que reduziu impostos em cascata). Assim. O plano econômico que buscava estabilizar a economia foi chamado de Programa de Ação Econômica do Governo (PAEG). Rodrigo Rennó www. portanto. A Reforma de 1967 – DL nº200/67. O golpe militar de 1964 abortou essa iniciativa. a criação do Sistema Nacional da Habitação e do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). com o objetivo de coordenar estudos para uma reforma do modelo administrativo no Brasil. que nem tinha sido completamente instalado em toda a administração pública. a criação do Banco Central (para administrar a emissão de moeda).estrategiaconcursos. uma série de iniciativas modernizadoras foram implementadas buscando criar um ambiente mais propício ao crescimento econômico e a uma administração pública mais moderna e eficiente. Dentre outras medidas. como uma resposta às dificuldades que a máquina pública tinha com o modelo 14 15 (Junior. O governo militar assumiu com uma proposta modernizadora do Estado. temos de entender o contexto que existia na época. ficou evidente a necessidade de reformas em seu modelo. através do Decreto-Lei nº200 do mesmo ano14. Rodrigo Rennó – Aula 02 O modelo burocrático. Desta forma. Neste contexto. Ainda no governo de João Goulart. A economia estava desequilibrada e a inflação estava aumentando. Existia uma análise de que a inflação era causada pelos aumentos salariais acima do aumento da produtividade e por gastos excessivos do governo15. A reforma de 67 apareceu. a instituição da correção monetária nos contratos.Gestão Pública e Organizacional p/ ANAC Teoria e exercícios comentados Prof. a administração pública brasileira se mostrava cada vez menos adequada aos desafios de um país em desenvolvimento acelerado. Desta forma.com. mostrava-se então inadequado para uma sociedade cada vez mais complexa e para um país imenso. formou-se a Comissão Amaral Peixoto. Todavia. com realidades muito diferentes e distâncias continentais. Antes de iniciar uma análise mais profunda da reforma em si.

ineficiente e irresponsável17. podemos incluir: a falta de profissionais capacitados no governo. Rodrigo Rennó www. 2010) Prof. abriu espaço para a participação do capital privado em sociedades de economia mista e esvaziou um dos emblemas do Estado populista. Esta descentralização foi feita com a transferência de responsabilidades dos órgãos centrais para a administração indireta. O planejamento passou a ser encarado como uma condição imprescindível para que a Administração Pública alcançasse uma maior racionalidade em seus programas e ações. De acordo com Andrews e Bariani16: “A reforma de 1967 introduziu na administração pública procedimentos gerenciais típicos do setor privado. Desta maneira.br 10 de 42 .com.estrategiaconcursos. 16 17 (Andrews & Bariani.Gestão Pública e Organizacional p/ ANAC Teoria e exercícios comentados Prof. buscou-se flexibilizar para a administração indireta certos procedimentos burocráticos que existiam na administração direta. controlar e coordenar as ações e programas governamentais. Dentre os “gargalos” que tinham de ser solucionados para que este planejamento pudesse ocorrer. Rodrigo Rennó – Aula 02 burocrático que vinha desde os anos 30. o Departamento Administrativo do Serviço Público (DASP). a descentralização ocorreria em três planos principais: “a) dentro dos quadros da Administração Federal. A excessiva centralização do governo e a falta de planejamento tornavam a administração pública ineficaz. os proponentes da reforma se baseavam em uma noção de que haveria uma defasagem cada vez maior entre as demandas de um país em desenvolvimento e as capacidades da máquina pública. Além da descentralização. um sistema de controle insuficiente e a falta de supervisão das atividades do governo. buscou-se uma maior descentralização das ações governamentais.” Desta forma. distinguindo-se claramente o nível de direção do de execução. 2010) (Andrews & Bariani. De acordo com o DL200. Os órgãos centrais teriam de ser liberados da execução das tarefas para poderem planejar. o diagnóstico era de que as ações do Estado não eram planejadas. Assim.

Coordenação. Dentre algumas mudanças incluídas na reforma.htm (Andrews & Bariani. De acordo com o Decreto Lei n° 20018: “Art. Rodrigo Rennó www.br 11 de 42 . esta reforma foi uma tentativa de se superar a rigidez do modelo burocrático e é considerada por algumas bancas como a primeira iniciativa da administração gerencial no Brasil. passaram a ser desempenhadas pelo Ministério do Planejamento e Coordenação Geral19.com. Foi sem dúvida uma reforma pioneira.” Portanto. Outro aspecto importante foi a inclusão da descentralização e do planejamento como princípios da Administração Pública. Portanto. possibilitando assim uma maior flexibilidade na contratação temporária e na gestão de pessoal. o próprio DASP foi extinto. V . foi permitido que os órgãos da Administração Indireta contratassem por meio da CLT. mediante contratos ou concessões.planalto.br/CCIVIL/Decreto-Lei/Del0200. que trazia aspectos ligados à descentralização administrativa (apesar da forte centralização política 18 19 http://www. 6º As atividades da Administração Federal obedecerão aos seguintes princípios fundamentais: I . a reforma “cortou” muitas das atribuições do antigo DASP.gov. quando estejam devidamente aparelhadas e mediante convênio. Portanto.Planejamento. IV . por exemplo. As funções de planejamento.estrategiaconcursos.Contrôle. a transferência de atividades para os estados e municípios e até mesmo da Administração Pública para a iniciativa privada (através de concessões e contratos). O Decreto n°200 criou em seu lugar o Departamento Administrativo do Pessoal Civil (com a mesma sigla – DASP).Gestão Pública e Organizacional p/ ANAC Teoria e exercícios comentados Prof.” Além disso. não existiria mais a estabilidade no emprego para os empregados das empresas e órgãos da administração indireta. II . III . Rodrigo Rennó – Aula 02 b) da Administração Federal para a das unidades federadas. tornando-o um mero “setor de pessoal”.Descentralização. Desta forma. c) da Administração Federal para a órbita privada. a descentralização envolveria a transferência de atribuições “dentro” da própria administração direta (mediante a delegação de poderes e responsabilidades para os níveis inferiores – nível operacional).Delegação de Competência. 2010) Prof.

fundações. Instituíram-se como princípios de racionalidade administrativa o planejamento e o orçamento. Rodrigo Rennó www. empresas públicas e sociedades de economia mista. Mediante o referido decretolei.Gestão Pública e Organizacional p/ ANAC Teoria e exercícios comentados Prof. constitui um marco na tentativa de superação da rigidez burocrática. a coordenação e o controle.br 12 de 42 . a tentativa de reunir competência e informação no processo decisório. a fim de obter-se maior dinamismo operacional por meio da descentralização funcional. Aviso:  • o aspecto mais cobrado  desta reforma em concursos  é a descentralização para a  Administração Indireta! De acordo com o Plano Diretor da Reforma do Aparelho do Estado PDRAE20: “A reforma operada em 1967 pelo Decreto-Lei 200.com. 1995) Prof. ao planejamento e à autonomia. o descongestionamento das chefias executivas superiores (desconcentração/descentralização). a sistematização. realizou-se a transferência de atividades para autarquias. podendo ser considerada como um primeiro momento da administração gerencial no Brasil. a reforma de 67  foi a primeira tentativa de  implantar o modelo gerencial  no Brasil! Vamos ver algumas questões agora? (Plano Diretor da Reforma do Aparelho do Estado. Rodrigo Rennó – Aula 02 que ocorreu).” Aviso:  20 • para o PDRAE.estrategiaconcursos. entretanto. buscando mais agilidade e eficiência da máquina pública.

submetendo-as às mesmas regras previstas para a Administração direta. O que ocorreu foi uma descentralização administrativa. o processo de centralização da atuação (C) introduziu mecanismos de parceria com instituições privadas sem fins lucrativos. a alternativa B está incorreta. apesar de nem todos os autores concordarem como válida a afirmação de que a reforma de 67 pode ser considerada o começo da administração gerencial no Brasil. (D) desencadeou um movimento de descentralização da atuação estatal. A questão foi considerada correta. através das sociedades de economia mista (que contém capital público e privado). 4 .br 13 de 42 .(CESPE . pois o Estado não se retirou da prestação direta de serviços públicos. Prof. Rodrigo Rennó www. a alternativa D. O que ocorreu foi uma descentralização e não uma centralização. pois o Decreto 200/67 fez exatamente o contrário.Gestão Pública e Organizacional p/ ANAC Teoria e exercícios comentados Prof.   A primeira alternativa está errada.estrategiaconcursos.2008) A reforma iniciada pelo Decreto n. ampliou a autonomia destas entidades integrantes da Administração Indireta.º 200/1967 foi uma tentativa de superação da rigidez burocrática. Em provas do Cespe. Nosso gabarito é.com. Rodrigo Rennó – Aula 02 3 . empresas públicas e sociedades de economia mista. A letra C não constitui um dos aspectos da reforma de 67. (B) retomou administrativa. (A) cerceou a autonomia das entidades integrantes da Administração indireta.(FCC – MP/SE – ADMINISTRADOR – 2009) A Reforma Administrativa de 1967. Pelo mesmo motivo. como licitações e concurso público. portanto. ou seja. (E) priorizou a atuação do Estado no fomento e regulamentação dos setores produtivos e a sua retirada como prestador direto de serviços públicos. fundações. e pode ser considerada como o começo da administração gerencial no Brasil.TCE-AC / ACE . portanto. portanto está incorreta. A letra D está correta. Já a alternativa E está equivocada. implementada pelo Decreto-lei federal no 200. aceitem como correta esta afirmação do PDRAE. A parceria que ocorreu foi com a iniciativa privada com fins lucrativos. com a transferência de atividades a autarquias.

Isto ocorria porque a administração direta pagava menos e oferecia menos oportunidades aos seus servidores.da administração direta. De acordo com Andrews e Bariani21: 21 (Andrews & Bariani. o que possibilitou a coexistência de núcleos de eficiência e de competência na administração indireta e formas arcaicas e ineficientes no plano da administração direta ou central. que estavam ligados a estes mesmos órgãos públicos (onde eram mal pagos e tinham diversas “amarras” em sua gestão). pois os militares (a exemplo do governo JK) não queriam se “indispor” com o corpo burocrático existente. Esta autonomia dada à administração indireta levou a uma grande expansão da intervenção do Estado na economia.o 200/1967 não desencadearam mudanças no âmbito da administração burocrática central. Esta realidade levou a um enfraquecimento do núcleo estratégico do Estado e a uma constante tensão entre os órgãos centrais e as empresas e autarquias da administração indireta. com a criação de diversas empresas públicas. que continuava com práticas clientelistas aliadas a um modelo rígido da burocracia que se somava a baixos salários.Gestão Pública e Organizacional p/ ANAC Teoria e exercícios comentados Prof. A maior autonomia dada à administração indireta tornou mais fácil a continuação de práticas clientelistas e patrimonialistas. preferindo criar novas estruturas com outro modelo mais flexível. a reforma não alterou os procedimentos básicos da administração direta. mais ágil e flexível . – 2010) As reformas realizadas por meio do Decreto-lei n.com. Veja como o Cespe já cobrou isso: 5 .br 14 de 42 . Isso levou a uma crescente diferenciação entre a administração direta e a indireta. Rodrigo Rennó www. 2010) Prof. A questão está certa. Logo. neste período a administração indireta ganhou uma grande autonomia. Entretanto.estrategiaconcursos.AGENTE ADM. tendo facilidades em sua gestão que não existiam na administração direta. podendo contratar sem concursos públicos. criando cada vez mais um fosso que separou a administração indireta – mais capacitada. O gabarito é frase correta. acabava gerando uma situação de conflito com os empregados das autarquias e fundações. A reforma foi focada principalmente na administração indireta.(CESPE – AGU. sociedades de economia mista e autarquias. Rodrigo Rennó – Aula 02 Desta forma. Infelizmente a reforma não atingiu seus objetivos e levou a conseqüências desagradáveis.

mas.MPS . criou novas oportunidades para a captura do Estado por interesses privados.br 15 de 42 . tomar dinheiro emprestado ficou muito difícil. Com isso. que “empurrava” os investimentos públicos na economia passou a ser insustentável.(CESPE . Adotada em pleno período ditatorial. o Estado. O processo de endividamento público. Desta forma. que já vinha desde os anos 50. Veja o seu artigo n° 10 abaixo: 22 (Bresser. apesar de buscar a maior eficiência da administração pública. pois não ocorreu uma centralização funcional com o Decreto-lei n°200/67. Os juros internacionais subiram muito nesta época e a liquidez do mercado financeiro internacional caiu muito. A crise política do regime militar. acabaram inviabilizando a administração para o desenvolvimento. em grave crise fiscal e administrativa. 2008) Prof. Rodrigo Rennó – Aula 02 “a diferenciação entre administração direta e indireta flexibilizou os controles burocráticos.com.2010) A reforma administrativa materializada pelo Decreto-lei n.ADMINISTRADOR .Gestão Pública e Organizacional p/ ANAC Teoria e exercícios comentados Prof. 1996) apud (Costa. agrava ainda mais a situação da administração pública. que se inicia já em meados dos anos 70.º 200/1967 é associada à primeira experiência de implementação da administração gerencial no país. Rodrigo Rennó www. Segundo Bresser22: “A reforma administrativa embutida no Decreto-Lei 200 ficou pela metade e fracassou. os governos militares perderam o controle da máquina pública.estrategiaconcursos. em 1973 e 1979.” Em certo momento. A questão está incorreta. 6 . com a criação de inúmeras subsidiárias das empresas públicas e a atuação do Estado em áreas que não deveriam ser prioritárias. A Descentralização foi um dos princípios norteadores da reforma. reforçou a centralização funcional e promoveu a criação das carreiras da administração pública de alto nível. A administração indireta cresceu excessivamente até o fim da década de 70. na medida que a burocracia estatal é identificada com o sistema autoritário em pleno processo de degeneração” As crises do Petróleo. teria cada vez menos condições de ser o indutor do crescimento nacional.

o gabarito é questão errada. principalmente. Enquanto a administração indireta teve um grande impulso.MDS / TÉCNICO ADM . nos anos 70 foi explosivo. quando estejam devidamente aparelhadas e mediante convênio. § 1º A descentralização será posta em prática em três planos principais: a) dentro dos quadros da Administração Federal.” Portanto. são conseqüências da estratégia flexibilizadora do DL 200.2002) O crescimento ordenado da administração indireta e o fortalecimento das funções formuladoras e supervisoras dos níveis centrais de governo. c) da Administração Federal para a órbita privada.estrategiaconcursos. A execução das atividades da Administração Federal deverá ser amplamente descentralizada.(CESPE .º 200/1967 instituiu maior flexibilidade administrativa para todos os órgãos da administração pública. A questão já começou “errando” na primeira informação da frase. muito pelo contrário! O crescimento de empresas estatais e sociedades de economia mista nos anos 60 e.Gestão Pública e Organizacional p/ ANAC Teoria e exercícios comentados Prof.br 16 de 42 . Rodrigo Rennó – Aula 02 “Art. O gabarito é questão errada. Os instrumentos flexibilizadores do Decreto n°200 não incluíram a administração direta. Rodrigo Rennó www. 8 . O gabarito é questão errada. distinguindo-se claramente o nível de direção do de execução. mediante contratos ou concessões.(CESPE . b) da Administração Federal para a das unidades federadas.com. Prof. 7 . pois o crescimento da administração indireta não foi ordenado. 10. A questão está incorreta porque o Decreto n°200 só flexibilizou as formalidades burocráticas para a administração indireta! A administração direta continuou com os mesmos entraves burocráticos instituídos pelo DASP. levando ao seu enfraquecimento relativo.2006) O Decreto-lei n. notadamente ministérios.SENADO / CONSULTOR ADM . reduzindo a rigidez burocrática imposta pelas reformas do DASP. a administração direta e seu núcleo estratégico se mantiveram rígidos e formais.

existiram novas tentativas de alterar o modelo burocrático. 2010) (Paludo. o enxugamento da máquina pública também foi proposto. destinatário de toda a atividade do Estado”. Esta ação foi focada principalmente nas áreas onde havia superposição e duplicidades26. ocorreu com a vitória de Tancredo Neves sobre Paulo Maluf na eleição indireta (através do colégio eleitoral) em 1985. buscando a saída do Estado de áreas que claramente não deveria estar presente (têxteis. Além disso. por exemplo). já no governo militar. 1997) (Beltrão) apud (Paludo.estrategiaconcursos. em busca de tornar os órgãos públicos menos rígidos23.br 17 de 42 . Rodrigo Rennó – Aula 02 A Constituição de 88 – o retrocesso burocrático e o Governo Collor/Itamar. os governos militares iniciaram uma distensão política que acabaria por levar a uma anistia dos perseguidos políticos e à transição para o primeiro governo civil.com. o primeiro civil desde 64. Sem o crescimento econômico que sustentava a lógica do sistema. Iniciou-se também o processo de privatizações. Além disso. De acordo com Beltrão24: “deve-se retirar o usuário da condição colonial de súdito para investi-lo na de cidadão. o programa visava à simplificação e racionalização de métodos.Gestão Pública e Organizacional p/ ANAC Teoria e exercícios comentados Prof. 1998) Prof. Beltrão buscava redirecionar a máquina pública para o atendimento das demandas dos cidadãos. Este primeiro governo de transição. Sob o comando de Helio Beltrão. Portanto. No plano da administração pública. já em 1979. aconteceram iniciativas visando rever algumas distorções do modelo burocrático. que levaria depois à criação do Ministério da Desburocratização. Rodrigo Rennó www. pela primeira vez aparece em um programa governamental a noção de que se deveriam voltar as atenções do Estado para o atendimento dos cidadãos25. 2010) (Junior. 23 24 25 26 (Martins. Cabe lembrar que este período foi marcado pela crise da dívida dos países latino americanos. Em 1979 foi criado o Programa Nacional de Desburocratização. Desta forma.

chegava ao seu limite. Veja algumas questões que comentam este tema? 9 . de alguns estilos gerenciais baseados nos modelos e princípios administrativos do setor privado. Rodrigo Rennó www. Prof. pois Beltrão não buscou uma centralização administrativa. deixar de lado a dimensão política do governo. a atuação administrativa centralizada. ou seja. caracterizou-se (A) pela retomada dos conceitos contidos no Decreto-Lei no 200. idealizado pelo Ministro Hélio Beltrão. buscando. A letra B não faz nenhum sentido e está incorreta. (C) pela implementação por meio de uma sólida base parlamentar de apoio. Portanto. pois um dos objetivos do Programa era conter a expansão da Administração Indireta. A letra C também está incorreta. (D) por focalizar o usuário do serviço público e divulgar amplamente seus princípios norteadores.(FCC – ISS-SP – AFTM – 2007) O Programa Nacional de Desburocratização. Nosso gabarito é a questão D. a ampla adesão de empresas estatais e dos principais grupos financeiros do País. e não política.br 18 de 42 .Gestão Pública e Organizacional p/ ANAC Teoria e exercícios comentados Prof.com. implantado no início dos anos 80. conseguindo. Não estávamos em uma democracia. o Brasil se via cada vez mais incapacitado de induzir o crescimento econômico. mas o contrário. Cabe lembrar que este foi um período em que o Brasil era comandado por um governo militar. no entanto. pois o Programa de Desburocratização buscava uma reforma administrativa. O modelo desenvolvimentista “fazia água”. (E) pela introdução. não contou com o apoio das empresas estatais. A alternativa A está errada. assim. assim. A letra D está correta e é nosso gabarito. concentrando-se na produção de mudanças no comportamento e na atuação da burocracia pública. pois a eficiência foi sim um objetivo e não foram retomados procedimentos tradicionais da rotina administrativa (o objetivo foi exatamente rever estes procedimentos). Já a letra E está incorreta. no setor público. procurando retomar alguns procedimentos tradicionais da rotina administrativa. o que lhe forneceu condições inéditas de sustentabilidade. Rodrigo Rennó – Aula 02 Desta forma. (B) pela diminuição do peso das instituições burocráticas no serviço público. de 1967. não necessariamente alinhados com a eficiência. sem.estrategiaconcursos.

tratar o cidadão com respeito.estrategiaconcursos. Apesar da crise econômica e fiscal que o Estado se via naquele momento. Rodrigo Rennó – Aula 02 10 . Infelizmente. ele utilizou a máquina pública para “assentar” várias correntes que apoiaram a sua coligação na eleição indireta. a democratização trazia seu custo. O gabarito é questão certa. destinatário de toda a atenção do Estado”. Estes controles somente tornavam a vida da população mais difícil sem gerar nenhum ganho efetivo ao Estado. ou seja. seu vice. registrou-se uma nova tentativa de reformar o Estado na direção da administração gerencial. que promoveria o crescimento nacional. a doença saiu vitoriosa e Tancredo não chegou a governar. 2001) Prof. Desta forma. O velho “troca troca” político voltava a mostrar sua cara. Estes fatores não eram tão visíveis nos governos militares.com. a sociedade ainda via como ideal um Estado desenvolvimentista. Sarney teria de governar com a “equipe” escolhida por Tancredo. foi empossado em seu lugar. José Sarney. Rodrigo Rennó www. Apesar de eleito. Tancredo não chega a assumir a presidência. inchando mais uma vez a estrutura governamental. A centralização administrativa e a lentidão da administração em tomar decisões e resolver problemas eram vistos como os principais problemas na administração pública.(CESPE .Gestão Pública e Organizacional p/ ANAC Teoria e exercícios comentados Prof. Seria um 27 (Bresser Pereira. Ele acabou ficando doente na véspera da posse. Uma das idéias inovadoras foi a noção de que era necessário “tirar o contribuinte da situação de súdito para colocá-lo na situação de cidadão. O primeiro problema que ocorreu foi que o ministério tinha sido escolhido por Tancredo. pois levou a um aumento do populismo e a um voluntarismo político – a percepção da sociedade de que só faltava “vontade” para que a realidade fosse alterada. A criação do Ministério da Desburocratização foi uma tentativa de reformar o Estado visando dar mais agilidade e flexibilidade à máquina pública. que o processo democrático resolveria todos os problemas27. Desta maneira.TCE-AC / ACE ADMINISTRAÇÃO . Assim sendo. O país passou então dias lutando a beira da televisão ao seu lado. Desta forma.2006) No início dos anos 80 do século passado. Desta forma.br 19 de 42 . o Estado deveria oferecer melhores serviços e acabar com diversos controles ineficazes. com a criação do Ministério da Desburocratização e do Programa Nacional de Desburocratização.

 Retomou os ideais burocráticos da reforma de 1930 administração pública volta a ser hierárquica e rígida. praticamente igualando as condições entre administração indireta e direta. 2001) Prof.  Criou privilégios descabidos para servidores. a Constituição acabou seguindo nesta linha. Rodrigo Rennó – Aula 02 Estado que seguisse uma política econômica keynesiana (de investimento pesado na economia. A Constituição Federal de 1988 foi concebida em um ambiente de crise econômica. Com a redemocratização. ganhando força os governos estaduais e até as prefeituras.Gestão Pública e Organizacional p/ ANAC Teoria e exercícios comentados Prof. foram concedidos diversos benefícios (alguns extremamente caros) sem que houvesse a preocupação com a capacidade real do estado de cumprir com esses gastos. se no plano político a Constituição Federal de 88 foi um avanço. Rodrigo Rennó www. a base de déficits públicos).  Criou o Regime Jurídico único.br 20 de 42 . pois a máquina estatal foi engessada e voltou a aplicação de normas rígidas e inflexíveis para toda a administração direta e indireta. no plano administrativo foi considerada um retrocesso28.  Limitou enormemente a autonomia da administração indireta. incorporando diversos celetistas como estatutários e engessando a situação (“status quo” é mantido). de retorno à vida política de personagens políticos que tinham sido perseguidos por muitos anos. o poder político volta a se descentralizar.estrategiaconcursos. 28 (Bresser Pereira.com. No plano administrativo. Desta forma. tornando a revisão de vários de seus dispositivos uma necessidade na década que se seguiu. a Constituição:  Levou à centralização administrativa. como aposentadorias integrais sem a devida contribuição e estabilidade para antigos celetistas. Além disso. Assim sendo. Esse maior poder levará a grandes mudanças na estrutura estatal na assembléia constituinte. e refletiu esse contexto de forças.

de que uma das razões da crise do Estado estaria na excessiva descentralização e na autonomia concedida à administração indireta através do DL20029. Esta questão do Cespe reflete corretamente o caráter descentralizador da Constituição Federal de 1988. 2001) Prof.. cujo ímpeto descentralizante se manifesta. muito comum na época.TRE-MA / ANAL JUD . ocorreu a descentralização de recursos orçamentários e da execução dos serviços públicos para estados e municípios.br 21 de 42 . foi uma reação aos vinte anos de centralização política na União. de certa forma.rs) foi que o país tinha uma forte tradição municipalista (ou seja. O gabarito é questão correta. a CF/88.(CESPE . reforçado pela longa duração do período transcorrido entre 1964 e 1985. voltou a ter uma descentralização. como a 29 (Bresser Pereira. Veja algumas questões sobre este tema? 11 .Gestão Pública e Organizacional p/ ANAC Teoria e exercícios comentados Prof. na Constituição de 1988. 13 .2008) A Constituição Federal de 1988 acabou com a rigidez burocrática e possibilitou a adoção de técnicas modernas da administração gerencial. Rodrigo Rennó www.com.TCU / ACE . passou por uma fase de centralização política entre 64 a 85 e.2005) Com a Constituição de 1988. A centralização que ocorreu no período militar (1964-85) levou ao ímpeto descentralizador da Assembleia Constituinte. Os governadores eleitos em 82 passaram a ter um poder político muito maior do que no regime militar e influenciaram a constituinte na transferência de recursos orçamentários e de competências relativas aos serviços públicos para a população. Rodrigo Rennó – Aula 02 Uma das razões para esse retrocesso foi a noção (equivocada). O que a questão falou (traduzindo.2008) A estruturação da máquina administrativa no Brasil reflete a forte tradição municipalista do país.. depois da CF/88.(CESPE . ok? Assim. marcadamente caracterizado pela associação entre autoritarismo e centralização.estrategiaconcursos. existia uma descentralização antes do regime militar).TCE-AC / ACE . O gabarito é questão correta. Uma das características principais da transição democrática e da nova constituição de 88 foi a reversão da centralização política ocorrida nos governos militares.(CESPE . 12 .

não considerou desta forma. Rodrigo Rennó www.estrategiaconcursos. Rodrigo Rennó – Aula 02 instauração do regime jurídico único para os servidores públicos federais. gerando sobreposição de órgãos nas diversas esferas de governo.com. a frase também está incorreta. entretanto. a alternativa A está errada. Desta forma. após a edição da Constituição Federal de 1988. pois reintroduziu "amarras" formais ao modelo de administração. Desse modo. A transferência de recursos e atribuições a municípios e estados não se relaciona com o enrijecimento burocrático. Portanto. Desta forma. o gabarito é questão incorreta. não obstante a exclusão. (A) a generalização do procedimento licitatório também para os entes descentralizados.br 22 de 42 . Alguns autores ligam esta isonomia salarial entre os poderes como um exemplo de enrijecimento da máquina pública. (C) a subordinação dos entes descentralizados às mesmas regras de controle formal utilizadas na Administração direta. muito pelo contrário! Ela foi considerada um retrocesso burocrático. (B) a transferência maciça de atribuições e recursos a Estados e Municípios. O próprio regime jurídico único foi uma medida que levou uma redução da flexibilidade no modelo de administração. pelo contrário. A Constituição de 1988 não retirou a exigência de concursos públicos. A letra E também se relaciona com a reforma política e não com o enrijecimento burocrático. e forçou a adoção pela administração indireta dos mesmos controles burocráticos que existiam na administração direta. A alternativa D descreve uma das mudanças trazidas pela CF/88. da regra do concurso público.(FCC – ISS-SP – AFTM – 2007) Constitui exemplo do enrijecimento burocrático sofrido pela Administração Pública contemporânea. (E) a não delimitação das atribuições e competências da União. em relação aos mesmos. A constituição de 1988 não acabou com a rigidez burocrática. Estados e Municípios. A banca.Gestão Pública e Organizacional p/ ANAC Teoria e exercícios comentados Prof. 14 . (D) a obrigatoriedade de isonomia salarial entre os diversos poderes. a letra E está errada e nosso gabarito é a letra C. Prof. A letra C está perfeita.

ou postos em disposição. O processo de privatização foi acelerado. 2001) (Costa.TCE-AC / ACE ADMINISTRAÇÃO . tendo como objetivo a diminuição do tamanho do Estado. A percepção da sociedade naquela época era extremamente ruim do papel do Estado e dos servidores públicos. A CF88 engessou a administração pública ao conceder estabilidade a milhares de celetistas. 2008) (Torres. Esse cenário vai levar a uma hiperinflação no final da década de 80. ao passar a exigir os mesmo procedimentos burocráticos da administração indireta que já eram cobrados da administração direta e ao retirar sua autonomia (principalmente em gestão de pessoas e no processo de compra). Collor não reajustou os salários dos servidores. O gabarito é questão errada. muito pelo contrário.   A Constituição de 88 não concedeu mais flexibilidade ao aparelho estatal. concedendo mais flexibilidade ao aparelho estatal. 2004) 30 31 32 Prof. A CF/88 gerou despesas para o Estado sem se preocupar com o financiamento destas. Rodrigo Rennó www. na administração pública. mais de cem mil servidores (muitos depois conseguiram ser readmitidos judicialmente). A reforma de Collor. Collor. Neste processo. O vencedor.Gestão Pública e Organizacional p/ ANAC Teoria e exercícios comentados Prof. da centralização Estas mudanças ocorridas com a nova Constituição acabam gerando um número muito maior de demandas para o Estado brasileiro. Dentre diversas mudanças econômicas (troca de moeda. concorreu tendo como slogan “acabar com os marajás” do serviço público. buscou-se um forte ajuste fiscal31. quando aconteceu a primeira eleição para presidente da República em três décadas30. Desta forma. De acordo com Torres32: “A rápida passagem de Collor pela presidência provocou.(CESPE .br 23 de 42 . ocorreu um aumento administrativa. foram demitidos. de viés neoliberal (visando a um estado dito mínimo).2006) A Constituição de 1988 promoveu um avanço significativo na gestão pública. levando a um grande arrocho salarial (a inflação era imensa na época).estrategiaconcursos.com. Rodrigo Rennó – Aula 02 15 . congelamento e bloqueio de dinheiro em contas bancárias). desejava reduzir a presença do Estado na vida social e econômica da nação. uma desagregação e um estrago cultural e psicológico (Bresser Pereira.

br 24 de 42 . tendo readmitido alguns servidores e revertido algumas das ações de Collor.estrategiaconcursos. pois não era aceita como legítima pela população. Rodrigo Rennó – Aula 02 impressionantes. Cardoso. Estas propostas foram apresentadas no Plano Diretor da Reforma do Aparelho do Estado (PDRAE)33. depois de serem alvos preferenciais em uma campanha política altamente destrutiva e desagregadora” Após o impeachment de Collor. mas com eficiência. Rodrigo Rennó www. O retrocesso burocrático que ocorreu na Constituição Federal de 1988 estava levando o Estado a perder sua capacidade de governança. De acordo com Bresser34: “Não estava interessado em discutir com os neoliberais o grau de intervenção do Estado na economia. que desejava que o Estado continuasse provendo os antigos serviços públicos do Estado de Bem-Estar Social. nomeou para o Ministério da Administração e Reforma do Estado o exministro da Fazenda de Sarney. mas ele autorizou Bresser a fazer um diagnóstico dos problemas da Administração Pública brasileira e a propor reformas à sociedade. já que acredito que hoje já se tenha 33 34 (Plano Diretor da Reforma do Aparelho do Estado.   A Reforma de 1995. como a percepção de que a globalização diminuía a importância dos Estados e a capacidade de exercer suas funções. com os servidores descendo aos degraus mais baixos da auto-estima e valorização social. o presidente Itamar Franco conseguiu eleger seu sucessor. o sucessor Itamar Franco teve uma atuação tímida. 2001) Prof.com. A administração pública sentiu profundamente os golpes desferidos pelo governo Collor. A reforma administrativa não havia sido uma promessa de campanha de Cardoso. A ideia de estado mínimo tampouco era vista como a solução do problema. Após a introdução do primeiro plano econômico a “domar” a hiperinflação (o Plano Real). apenas idéias gerais. 1995) (Bresser Pereira. antes do PDRAE não havia ainda uma proposta consistente de reforma.Gestão Pública e Organizacional p/ ANAC Teoria e exercícios comentados Prof. Fernando Henrique Cardoso. Entretanto. por sua vez. Bresser Pereira.

sua capacidade de implementar de forma eficiente políticas públicas. o Estado não carecia de governabilidade. com vistas a aumentar sua “governança”. o projeto de reforma do Estado tinha como pilares36:  Ajustamento fiscal duradouro. acompanhadas de uma política industrial e tecnológica. proporcionando maior abrangência e promovendo melhor qualidade para os serviços sociais. na medida em que sua capacidade de implementar as política públicas estava limitada pela rigidez e ineficiência da máquina administrativa” De acordo com Lustosa.  A inovação dos instrumentos de política social. Segundo o PDRAE. 1995) (Costa. entretanto.  A reforma da previdência social. Enfrenta. de poder para governar. A experiência inglesa de reforma da administração pública foi das mais relevantes para que ele e sua equipe montassem o PDRAE. ou seja. então. e estimuladora do Estado. dada sua legitimidade democrática e o apoio com que conta na sociedade civil.estrategiaconcursos. Rodrigo Rennó www. corretora. O Plano Diretor tinha como meta implantar a administração gerencial na administração pública brasileira.” Bresser Pereira.  A reforma do aparelho de Estado. 35 36 (Plano Diretor da Reforma do Aparelho do Estado. 2008) Prof. ou seja.com. um problema de governança.Gestão Pública e Organizacional p/ ANAC Teoria e exercícios comentados Prof.br 25 de 42 . Rodrigo Rennó – Aula 02 chegado a um razoável consenso sobre a inviabilidade do Estado mínimo e da necessidade da ação reguladora. garantissem a concorrência interna e criassem condições para o enfrentamento da competição internacional. mas sim de governança35: “O governo brasileiro não carece de “governabilidade”. buscou nas experiências internacionais algumas ideias que pudessem reposicionar o Estado brasileiro e desenvolver nele a capacidade de enfrentar os novos desafios.  Reformas econômicas orientadas para o mercado que.

 A separação entre a formulação de políticas e sua execução.com. Desta maneira. contemplada no orçamento do Estado (como no caso de hospitais. a reforma tinha os seguintes objetivos:  A descentralização dos serviços sociais para estados e municípios. sem fins lucrativos.). reduzindo-se concomitantemente o papel da definição detalhada de procedimentos e da auditoria ou controle interno – os controles clássicos da administração pública burocrática – que devem ter um peso menor. etc. que deverão ser transferidos para (na prática. e as atividades de serviços. estabelecendo-se uma distinção entre as atividades exclusivas que envolvem o poder do Estado e devem permanecer no seu âmbito. escolas. De acordo com o PDRAE38: “o paradigma gerencial contemporâneo.  Assegurar a responsabilização (accountability) através da administração por objetivos. 2001) (Plano Diretor da Reforma do Aparelho do Estado. e a produção de bens e serviços para o mercado. Rodrigo Rennó – Aula 02 A reforma administrativa em particular era o foco do PDRAE.Gestão Pública e Organizacional p/ ANAC Teoria e exercícios comentados Prof.br 26 de 42 . e de vários mecanismos de democracia direta ou de controle social. centros de pesquisa. Rodrigo Rennó www. um tipo particular de organização pública não-estatal.  Maior autonomia e para as atividades executivas exclusivas do Estado que adotarão a forma de "agências executivas".  Maior autonomia ainda para os serviços sociais e científicos que o Estado presta. que podem ser objeto de contratações externas. 1995) Prof. fundamentado nos princípios de confiança e de 37 38 (Bresser Pereira. combinados com o aumento da transparência no serviço público. que devem ser efetuadas por políticos e altos funcionários. transformados em) "organizações sociais". De acordo com Bresser37. museus. isto é. as atividades sociais e científicas que não lhe pertencem e devem ser transferidas para o setor público não-estatal.estrategiaconcursos.  A delimitação mais precisa da área de atuação do Estado. o Estado passaria a cumprir um papel na sociedade mais de regulador e promotor do desenvolvimento econômico do que um papel de executor. universidades. E a gestão passa então a buscar os princípios da administração gerencial.  A distinção entre as atividades do núcleo estratégico. da criação de quase-mercados.

incentivo à criatividade. aos ministros e aos seus auxiliares e assessores diretos. entretanto. em sentido lato. Este. a reforma foi aprovada em 1998. à recompensa pelo desempenho.br 27 de 42 . É portanto o setor onde as decisões estratégicas são tomadas. fomentar. acrescentam-se os princípios da orientação para o cidadão cliente. ao Presidente da República. e cobra o seu cumprimento.com. a previdência social básica. É o setor que define as leis e as políticas públicas.Gestão Pública e Organizacional p/ ANAC Teoria e exercícios comentados Prof. que já eram características da boa administração burocrática. horizontalização de estruturas.estrategiaconcursos. descentralização de funções. o serviço de emissão de passaportes. e à capacitação permanente. As instituições desse setor não possuem o poder de Estado. Rodrigo Rennó www. À avaliação sistemática. Rodrigo Rennó – Aula 02 descentralização da decisão. exige formas flexíveis de gestão. Como exemplos temos: a cobrança e fiscalização dos impostos. o serviço de trânsito. Contrapõe-se à ideologia do formalismo e do rigor técnico da burocracia tradicional. o serviço de desemprego. responsáveis pelo planejamento e formulação das políticas públicas. no poder executivo.o poder de regulamentar. após anos de debates nacionais e no Congresso Nacional. ou porque possuem “economias externas” 39 (Plano Diretor da Reforma do Aparelho do Estado. São serviços em que se exerce o poder extroverso do Estado . etc. O PDRAE.” Portanto. fiscalizar.  Atividades exclusivas – É o setor em que são prestados serviços que só o Estado pode realizar. o controle do meio ambiente. como os da educação e da saúde. a fiscalização do cumprimento de normas sanitárias. 1995) Prof. do controle por resultados.  Serviços não-exclusivos – Corresponde ao setor onde o Estado atua simultaneamente com outras organizações públicas não-estatais e privadas. e da competição administrada. Corresponde aos Poderes Legislativo e Judiciário. está presente porque os serviços envolvem direitos humanos fundamentais. a compra de serviços de saúde pelo Estado. ao Ministério Público e. a polícia. o subsídio à educação básica. definiu os quatro setores do Estado39:  Núcleo estratégico – Corresponde ao governo. entre os pontos principais.

1995) Prof. não podendo ser transformadas em lucros.  Produção de bens e serviços para o mercado – Corresponde à área de atuação das empresas. tornando-se necessário no caso de privatização. De acordo com o PDRAE40:  Núcleo estratégico – A propriedade deve ser necessariamente estatal. Isto levou à criação das agências reguladoras. As economias produzidas imediatamente se espalham para o resto da sociedade. São exemplos deste setor: as universidades. os hospitais.br 28 de 42 . O tipo de gestão recomendado também é o gerencial. etc. o tipo de propriedade ideal de cada um dos setores e o tipo de gestão que deveria ser buscado também foram estabelecidos no Plano Diretor.  Serviços não-exclusivos – Neste caso a propriedade ideal é a pública não-estatal. É caracterizado pelas atividades econômicas voltadas para o lucro que ainda permanecem no aparelho do Estado como. Rodrigo Rennó – Aula 02 relevantes. telefonia. as do setor de infra-estrutura. nas quais o controle via mercado não é possível.com.  Produção de bens e serviços para o mercado – A propriedade privada é a regra. Decorrente desta análise.). O tipo de gestão também é o gerencial.  Atividades exclusivas – A propriedade também deve ser somente estatal. Assim sendo.Gestão Pública e Organizacional p/ ANAC Teoria e exercícios comentados Prof. o Estado procurou reduzir sua presença na execução direta dos serviços públicos (serviços de água. seja porque são atividades naturalmente monopolistas. Sua gestão deve ser gerencial. na medida que produzem ganhos que não podem ser apropriados por esses serviços através do mercado. Esse esforço teria de ser acompanhado de instituições que fiscalizassem os novos concessionários privados. Rodrigo Rennó www. os centros de pesquisa e os museus. Estão no Estado seja porque faltou capital ao setor privado para realizar o investimento. 40 (Plano Diretor da Reforma do Aparelho do Estado. energia. Vários destes serviços foram privatizados ou licitados às empresas privadas. por exemplo. a regulamentação rígida.estrategiaconcursos. Sua gestão deve ser um misto de administração burocrática e gerencial.

um dos custos mais surpreendentes da transição democrática de 1985 foi o loteamento. Em relação à mudança na gestão. etc) e passar a uma atividade de fomento da iniciativa privada sem fins lucrativos (público não-estatal). Rodrigo Rennó – Aula 02 O Estado também buscou.TCE-AC / ACE ADMINISTRAÇÃO . de modo a fornecer mais autonomia aos órgãos e às instituições da administração indireta que se comprometessem com o alcance de metas. Rodrigo Rennó www. deixar de ser o executor de alguns dos serviços públicos de interesse coletivo (como serviços de saúde. foi necessária a criação de duas novas figuras administrativas: os contratos de gestão e as agências executivas. saindo de um controle de procedimentos e passando gradativamente a uma cobrança de resultados.2006) Apesar dos esforços reformadores. cultura. através da reforma. entre os políticos Prof.MCT / ANALISTA PLENO .(CESPE . Como o contexto no início de seu governo foi de abertura comercial.(CESPE .estrategiaconcursos.2004) Uma das principais estratégias modernizadoras da gestão pública no governo Collor consistiu no incentivo à implementação de programas de gestão da qualidade em organizações públicas. Este movimento levou à criação das organizações sociais (OS´s) e das organizações das sociedades civis de interesse público (OSCIP´s). 17 . o PBQP veio auxiliar as empresas no enfrentamento de um cenário de maior concorrência no mercado interno.Gestão Pública e Organizacional p/ ANAC Teoria e exercícios comentados Prof. de educação. O governo Collor lançou em 1991 o Programa Brasileiro de Qualidade e Produtividade (PBQP). O gabarito é questão correta.br 29 de 42 . com o objetivo de introduzir e ampliar o uso das modernas técnicas de gestão da qualidade nas empresas brasileiras e no setor público. Controle de processos ou  procedimentos = controle a priori Controle de resultados =  controle a posteriori Vamos ver algumas questões sobre este tema? 16 .com.

visto que o nosso processo político é muito pulverizado e isto gera uma dificuldade de se montar uma maioria estável no parlamento. Rodrigo Rennó – Aula 02 dos partidos vitoriosos. (E) as agências executivas.2008) De acordo com o Plano Diretor da Reforma do Aparelho do Estado (1995). as agências executivas e as agências reguladoras. o gabarito é questão correta.Gestão Pública e Organizacional p/ ANAC Teoria e exercícios comentados Prof. nosso gabarito é a letra D. Assim. Assim sendo. Rodrigo Rennó www. Dentre as inovações trazidas pela reforma de 1995 se encontram as organizações sociais.br 30 de 42 . as as organizações agências federais e e as as reguladoras (D) as organizações sociais. (C) as organizações sociais.(FCC – PGE/RJ – AUDITOR – 2009) O Plano Diretor para a Reforma do Aparelho do Estado de 1995 definiu novos modelos de organização para a Administração Pública Federal. 18 . Um dos problemas encontrados na transição democrática foi o loteamento dos cargos públicos entre os partidos vencedores da eleição indireta de Tancredo e Sarney em 1985.TCU / ACE . os cargos públicos são dos mais importantes. Desta forma. os serviços nãoexclusivos constituem um dos setores correspondentes às atividades-meio. que deveriam ser executadas apenas por Prof. parcerias público-privadas. de cargos públicos da administração indireta e das delegacias estaduais dos ministérios. as agências executivas e as agências reguladoras. as fundações e as organizações públicas não-estatais. a escolha dos cargos públicos em nosso país passou cada vez mais a responder à lógica política.estrategiaconcursos. (B) os consórcios públicos. São eles: (A) as parcerias público-privadas. autarquias executivas. As autarquias e fundações já existiam nesta época e as parcerias público-privadas não se enquadram em um modelo de organização para o Estado. 19 . a alternativa D está correta e é nosso gabarito.com. possibilitando as votações de temas importantes. Desta forma. A velha prática do “troca-troca” entre o executivo e o legislativo voltou a ocorrer. Dentre as moedas de troca entre o executivo e os parlamentares. principalmente nos escalões mais altos da hierarquia. as autarquias e as fundações.(CESPE .

Gestão Pública e Organizacional p/ ANAC Teoria e exercícios comentados Prof. Esta questão trouxe uma “pegadinha” do Cespe. por exemplo). que atuavam na linha da formulação política. A criação do DASP por Getúlio Vargas na década de 30 teve. O Programa de Metas exigia estruturas flexíveis. Muitos candidatos tiveram dúvidas nesta questão por causa do papel do Conselho de Desenvolvimento. criados na Era JK.TCU / PLANEJAMENTO . o gabarito é questão incorreta. 21 . relativos a setores como os de Educação e Saúde. não-burocráticas. sem aporte de recursos orçamentários. paralelamente às atividades de rotina. como objetivo primordial. Os serviços não exclusivos não são atividades-meio (como a função de Recursos Humanos. e uma capacidade de coordenação dos esforços de planejamento." Prof.(CESPE .estrategiaconcursos. Este instrumento (Conselho de Desenvolvimento) foi utilizado por JK como uma estratégia para dar mais autonomia aos gestores do plano de metas de seu governo. De acordo com Ribeiro: "A estratégia de JK para enfrentar possíveis embates com a burocracia foi a constituição de estruturas paralelas para proceder reformas. Rodrigo Rennó www. Perfeito. Criaram-se os Grupos Executivos e o Conselho de Desenvolvimento. 20 .2008) Os grupos executivos e o Conselho de Desenvolvimento. do Departamento de Administração do Serviço Público (DASP) teve como objetivo principal suprimir o modelo patrimonialista de gestão.br 31 de 42 . Rodrigo Rennó – Aula 02 organizações privadas. mas atividades-fim. Desta maneira.com. constituíam estruturas paralelas à burocracia tradicional e atuavam na linha de formulação política.(CESPE – TRE-ES / ANAL ADM – 2011) A instituição. Os grupos executivos já são mais cobrados nas provas. Esta questão está correta. paralelamente às atividades de rotina sob a responsabilidade da burocracia tradicional. O gabarito é questão correta. a substituição do modelo patrimonialista pela administração burocrática no Brasil. em 1936. exceto pela aquisição de bens e serviços produzidos. ou seja.

O conselho foi conduzido.com. A coordenação dos investimentos do setor público era atribuição do BNDE. e reunindo todos os ministros. Quando este deixou a presidência do BNDE para assumir o Ministério de Fazenda. Dessa data até o final do governo. Lúcio Meira presidiu o BNDE e foi o secretário-executivo do conselho. como a Superintendência da Moeda e do Crédito (Sumoc).Gestão Pública e Organizacional p/ ANAC Teoria e exercícios comentados Prof. o conselho constituiria uma administração paralela com autonomia de decisão suficiente para viabilizar a realização dos projetos." Assim sendo. aos quais cabia a responsabilidade pela concessão de incentivos ao setor privado para que as metas de que tratavam fossem atingidas.fgv. que iria coordenar o detalhamento e a execução do plano.estrategiaconcursos. primeiramente. o gabarito é questão correta. De acordo com Suely Silva41: "Talvez pela consciência que tivesse das dificuldades inerentes à burocracia estatal e dos obstáculos permanentes e inevitáveis impostos pela oposição. Já na primeira reunião de seu ministério. por Lucas Lopes. O mais conhecido de todos foi o Grupo Executivo da Indústria Automobilística (GEIA). JK traçou uma estratégia de ação que se mostraria acertada com relação à administração e à operacionalização do Plano de Metas. Atuava através de grupos executivos. Rodrigo Rennó – Aula 02 O Conselho de Desenvolvimento tinha como um de seus objetivos a coordenação do planejamento e da execução do plano de metas. Rodrigo Rennó www. em 1o de fevereiro de 1956. em agosto de 1958. que permaneceu até julho de 1959. seu lugar foi ocupado por Roberto Campos. O Conselho do Desenvolvimento recorria a especialistas dos diversos setores previstos no Plano de Metas e também a economistas oriundos de órgãos do governo.br 32 de 42 .br/producao/dossies/JK/artigos/Economia/PlanodeMetas Prof. Tendo como secretário-executivo o presidente do BNDE. o Conselho do Desenvolvimento. 41 Fonte: http://cpdoc. criou um órgão diretamente subordinado à Presidência da República. os chefes dos gabinetes civil e militar e o presidente do Banco do Brasil.

De outro lado. em boa parte. o gabarito é questão correta. Assim.TCE-AC / ACE .2008) Com a edição do Decreto n.(CESPE . ou seja. deixou de realizar concursos e de desenvolver carreiras de altos administradores. duas conseqüências inesperadas e indesejáveis.estrategiaconcursos. O que “importa” é que o funcionário cumpra os regulamentos e leis. que foi vista pejorativamente como “burocrática” ou rígida.br 33 de 42 . Portanto. não existe tanta preocupação com os processos e com os resultados dentro deste modelo de administração. o servidor deve cumprir as normas.com. o gabarito é questão errada. Nesse período." Desse modo. De um lado. Rodrigo Rennó www. Com isso. Esta questão está correta. o controle ocorre em torno dos procedimentos que devem ser seguidos. que se guia pelo formalismo e “legalismo”. Prof. a preocupação governamental direcionava-se mais ao caráter impositivo das medidas que aos processos de internalização das ações administrativas. acima de tudo. De acordo com Bresser: "A reforma. Nestas reformas. muito pelo contrário! A contratação de pessoal através da Administração Indireta sem o instituto do concurso público foi incentivada. ao permitir a contratação de empregados sem concurso público. 23 . teve. ficando os concursos públicos. Esta questão está incorreta porque o Decreto nº 200 de 1967 não fechou a porta para a contratação de pessoal sem concurso para o serviço público. julgue o item a seguir. Rodrigo Rennó – Aula 02 22 .Gestão Pública e Organizacional p/ ANAC Teoria e exercícios comentados Prof. restritos à Administração Direta.(CESPE – TRE-ES / ANAL ADM – 2011) Em relação às reformas administrativas empreendidas no Brasil nos anos de 1930 a 1967. entretanto. o tipo de administração que se buscava implantar era a administração burocrática. facilitou a sobrevivência de práticas clientelistas ou fisiológicas. o concurso público passou a ser o único meio de contratação de pessoal para o serviço público. ao não se preocupar com mudanças no âmbito da administração direta ou central.º 200/1967.

crescimento de 50 anos em 5 . A Administração para o Desenvolvimento foi um conjunto de idéias que se formou nos anos 50. militares e profissionais capacitados que tinham a missão de implementar o plano de metas em cada setor. Rodrigo Rennó www. esses grupos eram estruturas Ad-hoc porque eram formados caso a caso. mas via o Estado como indutor do planejamento da economia nacional. Os grupos executivos eram nomeados diretamente pelo Presidente da República.(CESPE . tendo trazido diversos investidores de peso. A questão está correta.2004) O conceito de administração para o desenvolvimento consistia no fortalecimento de estruturas estatais responsáveis pelo planejamento e pela implementação de projetos desenvolvimentistas nos quais o Estado atuava como produtor direto de bens e serviços. O gabarito é questão correta. contendo executivos de empresas privadas. O desenvolvimento deveria ser planejado. Rodrigo Rennó – Aula 02 24 . rígidos e dominados por interesses clientelistas. Este conceito prosperou até a crise do Estado nos anos 80 e levou à criação de muitas empresas estatais e sociedades de economia mista.br 34 de 42 . Assim.Gestão Pública e Organizacional p/ ANAC Teoria e exercícios comentados Prof.2004) O principal mecanismo de implementação do desenvolvimentismo do período JK foram os grupos executivos que. existia a idéia de capacitar a Administração Pública para torná-la indutora da modernização da sociedade. Dentro de seus princípios. era necessária uma coordenação das ações e esforços visando o cumprimento das metas e objetivos.estrategiaconcursos. pois estes eram lentos.MCT / ANALISTA JR . Cabe lembrar que JK não era contra o capital privado ou estrangeiro. embora constituíssem estruturas ad hoc dotadas de grande flexibilidade.MCT / ANALISTA PLENO . buscando-se suprir as lacunas e gargalos que estivessem impedindo o crescimento econômico (a idéia do plano de metas .(CESPE .com. 25 . Estes grupos evitavam os canais originais dentro da máquina pública. Dentro da ótica do planejamento estatal incluída no plano de metas. Prof. acabaram sendo posteriormente engolfadas pela burocracia governamental.vinha nesta ótica). não se norteando pelos princípios da administração burocrática. tendo como objetivo o desenvolvimento econômico e social do Brasil. de acordo com a necessidade no momento e tinham muito mais flexibilidade e autonomia.

Este período dos anos 50. Portanto. as reformas não se guiavam por princípios autoritários. Rodrigo Rennó www. Vargas e Juscelino. liberdade de expressão etc. os governos de Dutra. Existiam eleições livres. principalmente. típicos de uma nação em desenvolvimento.Gestão Pública e Organizacional p/ ANAC Teoria e exercícios comentados Prof.(CESPE – TRE-ES / ANAL ADM – 2011) As tentativas de reformas ocorridas na década de 50 do século passado guiavamse estrategicamente pelos princípios autoritários e centralizados. O gabarito é questão errada.br 35 de 42 .estrategiaconcursos. que teve. Esta questão tem uma “pegadinha”.com. Rodrigo Rennó – Aula 02 26 . Prof. não é classificado como um período autoritário.

Prof. 3 . implementada pelo Decreto-lei federal no 200.(CESPE – MCT / ANALISTA PLENO . e pode ser considerada como o começo da administração gerencial no Brasil.(CESPE. Rodrigo Rennó www. submetendo-as às mesmas regras previstas para a Administração direta.MPS .MDS / TECNICO SUPERIOR . das estruturas federais que existiam no Rio de Janeiro.br 36 de 42 . como licitações e concurso público. (E) priorizou a atuação do Estado no fomento e regulamentação dos setores produtivos e a sua retirada como prestador direto de serviços públicos.º 200/1967 foi uma tentativa de superação da rigidez burocrática. – 2010) As reformas realizadas por meio do Decreto-lei n.2008) A reforma iniciada pelo Decreto n. (A) cerceou a autonomia das entidades integrantes da Administração indireta. (D) desencadeou um movimento de descentralização da atuação estatal. com a transferência de atividades a autarquias. Rodrigo Rennó – Aula 02 Lista de Questões Trabalhadas na Aula. 1 .º 200/1967 é associada à primeira experiência de implementação da administração gerencial no país. (C) introduziu mecanismos de parceria com instituições privadas sem fins lucrativos. fundações.2006) A reforma administrativa empreendida pelo DASP. em Brasília.(CESPE .(CESPE – AGU.ADMINISTRADOR .com.   4 . o que possibilitou a coexistência de núcleos de eficiência e de competência na administração indireta e formas arcaicas e ineficientes no plano da administração direta ou central. 6 .AGENTE ADM.estrategiaconcursos.TCE-AC / ACE . (B) retomou o processo de centralização da atuação administrativa.2004) A administração paralela do governo JK assim se denominava devido à replicação.(CESPE . 5 . empresas públicas e sociedades de economia mista.Gestão Pública e Organizacional p/ ANAC Teoria e exercícios comentados Prof.(FCC – MP/SE – ADMINISTRADOR – 2009) A Reforma Administrativa de 1967. foi inovadora por não estar alinhada aos princípios da administração científica presentes na literatura mundial da época.o 200/1967 não desencadearam mudanças no âmbito da administração burocrática central. na década de 30 do século passado. 2 .2010) A reforma administrativa materializada pelo Decreto-lei n.

Rodrigo Rennó www.º 200/1967 instituiu maior flexibilidade administrativa para todos os órgãos da administração pública. 9 . deixar de lado a dimensão política do governo. idealizado pelo Ministro Hélio Beltrão. Prof. registrou-se uma nova tentativa de reformar o Estado na direção da administração gerencial.Gestão Pública e Organizacional p/ ANAC Teoria e exercícios comentados Prof.estrategiaconcursos. são conseqüências da estratégia flexibilizadora do DL 200.br 37 de 42 .MDS / TÉCNICO ADM . assim.(FCC – ISS-SP – AFTM – 2007) O Programa Nacional de Desburocratização. (B) pela diminuição do peso das instituições burocráticas no serviço público. notadamente ministérios.com. cujo ímpeto descentralizante se manifesta. caracterizou-se (A) pela retomada dos conceitos contidos no Decreto-Lei no 200. a ampla adesão de empresas estatais e dos principais grupos financeiros do País. 7 . com a criação do Ministério da Desburocratização e do Programa Nacional de Desburocratização. de 1967. Rodrigo Rennó – Aula 02 Adotada em pleno período ditatorial.(CESPE . 11 .(CESPE . assim.TCU / ACE . a atuação administrativa centralizada. não necessariamente alinhados com a eficiência.(CESPE .(CESPE . buscando.2006) No início dos anos 80 do século passado. reduzindo a rigidez burocrática imposta pelas reformas do DASP. procurando retomar alguns procedimentos tradicionais da rotina administrativa. 8 . reforçou a centralização funcional e promoveu a criação das carreiras da administração pública de alto nível. concentrando-se na produção de mudanças no comportamento e na atuação da burocracia pública. de alguns estilos gerenciais baseados nos modelos e princípios administrativos do setor privado. (C) pela implementação por meio de uma sólida base parlamentar de apoio. conseguindo. reforçado pela longa duração do período transcorrido entre 1964 e 1985. no setor público. o que lhe forneceu condições inéditas de sustentabilidade.2006) O Decreto-lei n.2008) A estruturação da máquina administrativa no Brasil reflete a forte tradição municipalista do país. (D) por focalizar o usuário do serviço público e divulgar amplamente seus princípios norteadores. na Constituição de 1988.TCE-AC / ACE ADMINISTRAÇÃO . no entanto. implantado no início dos anos 80.SENADO / CONSULTOR ADM . (E) pela introdução. sem. 10 .2002) O crescimento ordenado da administração indireta e o fortalecimento das funções formuladoras e supervisoras dos níveis centrais de governo.

Rodrigo Rennó www.(CESPE . em relação aos mesmos. Estados e Municípios. não obstante a exclusão.(CESPE .(CESPE .TRE-MA / ANAL JUD .TCE-AC / ACE . 14 .2005) Com a Constituição de 1988. concedendo mais flexibilidade ao aparelho estatal.br 38 de 42 . após a edição da Constituição Federal de 1988. gerando sobreposição de órgãos nas diversas esferas de governo.Gestão Pública e Organizacional p/ ANAC Teoria e exercícios comentados Prof. (C) a subordinação dos entes descentralizados às mesmas regras de controle formal utilizadas na Administração direta.(FCC – ISS-SP – AFTM – 2007) Constitui exemplo do enrijecimento burocrático sofrido pela Administração Pública contemporânea.TCE-AC / ACE ADMINISTRAÇÃO . (B) a transferência maciça de atribuições e recursos a Estados e Municípios. 16 . entre os políticos dos partidos Prof. 15 .2006) A Constituição de 1988 promoveu um avanço significativo na gestão pública. um dos custos mais surpreendentes da transição democrática de 1985 foi o loteamento.(CESPE . (D) a obrigatoriedade de isonomia salarial entre os diversos poderes. 17 . 12 . 13 . da regra do concurso público.2006) Apesar dos esforços reformadores. ocorreu a descentralização de recursos orçamentários e da execução dos serviços públicos para estados e municípios. (E) a não delimitação das atribuições e competências da União. (A) a generalização do procedimento licitatório também para os entes descentralizados.com.TCE-AC / ACE ADMINISTRAÇÃO . como a instauração do regime jurídico único para os servidores públicos federais.2004) Uma das principais estratégias modernizadoras da gestão pública no governo Collor consistiu no incentivo à implementação de programas de gestão da qualidade em organizações públicas. Rodrigo Rennó – Aula 02 marcadamente caracterizado pela associação entre autoritarismo e centralização.estrategiaconcursos.2008) A Constituição Federal de 1988 acabou com a rigidez burocrática e possibilitou a adoção de técnicas modernas da administração gerencial.(CESPE .MCT / ANALISTA PLENO .

(CESPE .º 200/1967. (C) as organizações sociais. Rodrigo Rennó www.TCU / ACE .2008) De acordo com o Plano Diretor da Reforma do Aparelho do Estado (1995). e uma capacidade de coordenação dos esforços de planejamento.2008) Os grupos executivos e o Conselho de Desenvolvimento. o concurso público passou a ser o único meio de contratação de pessoal para o serviço público.2008) Com a edição do Decreto n. paralelamente às atividades de rotina. sem aporte de recursos orçamentários. as agências reguladoras e as parcerias público-privadas.com. Rodrigo Rennó – Aula 02 vitoriosos. não-burocráticas. 19 . São eles: (A) as parcerias público-privadas. 21 . (D) as organizações sociais. (B) os consórcios públicos.TCE-AC / ACE . Prof. 18 . as organizações federais e as autarquias executivas. os serviços não-exclusivos constituem um dos setores correspondentes às atividades-meio. que deveriam ser executadas apenas por organizações privadas. em 1936. de cargos públicos da administração indireta e das delegacias estaduais dos ministérios.(CESPE . exceto pela aquisição de bens e serviços produzidos. do Departamento de Administração do Serviço Público (DASP) teve como objetivo principal suprimir o modelo patrimonialista de gestão.(FCC – PGE/RJ – AUDITOR – 2009) O Plano Diretor para a Reforma do Aparelho do Estado de 1995 definiu novos modelos de organização para a Administração Pública Federal.Gestão Pública e Organizacional p/ ANAC Teoria e exercícios comentados Prof. (E) as agências executivas.estrategiaconcursos. O Programa de Metas exigia estruturas flexíveis.(CESPE .TCU / PLANEJAMENTO . 22 . 20 . as autarquias e as fundações. constituíam estruturas paralelas à burocracia tradicional e atuavam na linha de formulação política.(CESPE – TRE-ES / ANAL ADM – 2011) A instituição. as fundações e as organizações públicas nãoestatais.br 39 de 42 . as agências executivas e as agências reguladoras. criados na Era JK.

(CESPE – TRE-ES / ANAL ADM – 2011) As tentativas de reformas ocorridas na década de 50 do século passado guiavam-se estrategicamente pelos princípios autoritários e centralizados. 26 .Gestão Pública e Organizacional p/ ANAC Teoria e exercícios comentados Prof. 24 .2004) O conceito de administração para o desenvolvimento consistia no fortalecimento de estruturas estatais responsáveis pelo planejamento e pela implementação de projetos desenvolvimentistas nos quais o Estado atuava como produtor direto de bens e serviços. típicos de uma nação em desenvolvimento. Rodrigo Rennó – Aula 02 23 .(CESPE .2004) O principal mecanismo de implementação do desenvolvimentismo do período JK foram os grupos executivos que.(CESPE . Prof. Nesse período.MCT / ANALISTA PLENO .estrategiaconcursos.(CESPE – TRE-ES / ANAL ADM – 2011) Em relação às reformas administrativas empreendidas no Brasil nos anos de 1930 a 1967.com.br 40 de 42 . 25 . embora constituíssem estruturas ad hoc dotadas de grande flexibilidade.MCT / ANALISTA JR . julgue o item a seguir. Rodrigo Rennó www. acabaram sendo posteriormente engolfadas pela burocracia governamental. a preocupação governamental direcionava-se mais ao caráter impositivo das medidas que aos processos de internalização das ações administrativas.

(2004). Rio de Janeiro: Campus. Rodrigo Rennó www. W. C  15. E  20.Gestão Pública e Organizacional p/ ANAC Teoria e exercícios comentados Prof. E  23. E. D. (2008). 6. (2010). 5-32. Brasil: 200 anos de Estado. 222-259). C  26. e. 4. A. 42 (5). 829-874. Revista de Administração Pública . L. As reformas administrativas no Brasil: modelos. & Bariani. D  19. F. Resende. Junior. São Paulo: Unifesp. C  24. (1998).). M. C  22. (1990). Torres. 7. Prof. 9. democracia e administração pública no Brasil (1° Ed. (1997). 213-232). B. (2001). Rio de Janeiro: Elsevier. Abreu. 3.1967. E  E  D  C  C  E  E  E  D    10. Reforma da Administração Pública e cultura política no Brasil: uma visão geral. (1995). L. 5. Administração Pública no Brasil: breve história política.). n° 8. 8. C. E  16. Brasil: um século de transformações (pp. Estabilização e Reforma: 1964 . Martins. C  25. (2010). E  14. Pinheiro. Rodrigo Rennó – Aula 02 Gabarito 1. Paludo. Ano 49 (2). A Ordem do Progresso: cem anos de política econômica republicana (pp.. São Paulo: Cia das Letras. C  18. C  13. Caderno Enap . Administração pública: teoria e questões (1° ed. ed. In: W.com.br 41 de 42 . Bresser Pereira. A. V. Plano Diretor da Reforma do Aparelho do Estado. 2. C. 200 anos de administração pública. d. L. Do Estado Patrimonial ao Gerencial. Rio de Janeiro: FGV. In: M. Costa. Brasília: Presidência da República. C  17. C  21. E  Bibliografia Andrews. Estado. Revista do Serviço Público . L. sucessos e fracassos. O. 200 anos de reformas. C  12. C  11.estrategiaconcursos.

facebook. Rodrigo Rennó – Aula 02 Por hoje é só pessoal! Estarei disponível no e-mail abaixo para qualquer dúvida.com/rodrigorenno99 http://twitter.estrategiaconcursos.com.Gestão Pública e Organizacional p/ ANAC Teoria e exercícios comentados Prof.br http://www.br 42 de 42 . Bons estudos e sucesso! Rodrigo Rennó rodrigorenno@estrategiaconcursos.com. Rodrigo Rennó www.com/rrenno99 Conheça meus outros cursos atualmente no site! Acesse http://www.br/professores/2800/cursos Prof.com.estrategiaconcursos.