You are on page 1of 4

MUDANÇAS DE VARIÁVEIS NA INTEGRAL DUPLA

Prof. Fábio Rodrigues Pereira Algumas integrais duplas cam mais fáceis de calcular se mudarmos as variáveis cartesianas para as variáveis polares. Assim, suponha que queiramos calcular a integral dupla f (x, y )dxdy , onde R é a região mostrada na gura abaixo:
R

θ=β R

ρ=b

ρ=a θ=α β α 0

A seta na gura acima mostra o sentido de como olhar o domínio R .

Sabemos que as coordenadas polares (ρ, θ) de um ponto estão relacionadas com as coordenadas cartesianas (x, y ) pelas equações:
ρ2 = x2 + y 2 x = ρcosθ y = ρsenθ.

Assim, a região R em coordenadas polares é descrita por:

R = {(ρ, θ) | a ≤ ρ ≤ b, α ≤ θ ≤ β },

ou seja, enquanto o raio ρ varia entre as constantes a e b, o ângulo θ varia entre os ângulos α e β. Aqui ρ = a e ρ = b são arcos de um círculo de raio a e um de raio b respectivamente.
Mudança para coordenadas polares em uma integral dupla
1

Veja a gura abaixo: y 2=4 x2 + y R 0 2=1 x2 + y x Em coordenadas polares a região R é dada por: R = {(ρ. θ) | a ≤ ρ ≤ b. y ) ∈ R2 | y ≥ 0 e 1 ≤ x2 + y 2 ≤ 4}. θ) ∈ R2 | 1 ≤ ρ ≤ 2 . 0 ≤ θ ≤ π }. Cuidado para não esquecer o fator ρ na fórmula. segue que: . onde 0 ≤ β − α ≤ 2π. α ≤ θ ≤ β }. Observação importante: O elemento de área dA = dxdy nas coordenadas cartesianas é substituido por ρ dρdθ. Portanto pela fórmula acima. y )dxdy = R α a f (ρcosθ. R onde R é a região do semiplano superior limitado pelos círculos x2 + y 2 = 1 e x2 + y 2 = 4 Solução: Observe que a região de integração em coordenadas cartesianas pode ser descrita como R = {(x. então β b f (x. ρsenθ) ρ dρ dθ.2 Se f é contínua em uma região polar R = {(ρ. Exemplo: Calcule a integral dupla (3x + 4y 2 )dxdy.

Neste caso. temos o seguinte resultado: Se f é contínua em uma região polar R = {(ρ. Suponha que a região R é uma região limitada pelos raios θ = α e θ = β e pelas curvas contínuas ρ = g (θ) e ρ = h(θ) como na gura abaixo. 0 = 2 4 2 [7cosθ + Mudança de coordenadas em regiões mais gerais.3 π 2 (3x + 4y 2 )dxdy = R π 0 1 π 0 2 0 1 (3ρcosθ + 4(ρsenθ)2 ) ρ dρ dθ = π [3ρ2 cosθ + 4ρ3 sen2 θ] dρ dθ = 0 π =2 [ρ3 cosθ + ρ4 sen2 θ|ρ ρ=1 dθ = (7cosθ + 15sen2 θ) dθ = 15 (1 − cos2θ)] dθ = 2 0 15 15 15π 7senθ + θ − sen2θ|π . θ=β ρ=h (θ) R ρ=g(θ) θ=α β α A seta na gura acima mostra o sentido de como olhar o domínio R . h(θ) ≤ ρ ≤ g (θ)}. então . θ) | α ≤ θ ≤ β. A ideia agora é estudarmos integrais denidas sobre regiões que não estão compreendidas entre círculos como analisamos anteriormente.

y )dxdy = R α g (θ) f (ρcosθ. Resposta: b) ex R 2 +y 2 pela curva y = 1 − x2 . EXERCÍCIOS Para cada integral abaixo. Resposta: π 2 (e − 1). h) R yex dxdy. ρsenθ) ρ dρ dθ. onde R é região acima do eixo x e dentro da circunferência x2 + y 2 = 9. 1) a) 0 1 √ 1−x2 (x2 + y 2 )dydx. . (x + y )dxdy. onde R é região do primeiro quadrante limitada pelo círculo x2 + y 2 = 25. 0 xydxdy. desenhe a região de integração. g) R cos(x2 + y 2 )dxdy. onde R é região semicircular limitada pelo eixo x e (x2 + y 2 )dydx.4 β h(θ) f (x. onde R é região que está a esquerda do eixo y e entre R f) a circunferências x2 + y 2 = 1 e x2 + y 2 = 4. 0 π 8. onde R é região circular com centro na origem e raio 3. faça a mudança de variável e calcule a integral dupla. √ 2 − 1−x √ 1−x2 −(x2 +y 2 ) e dydx. c) d) e) R 1 −1 1 0 √ 1−x2 √ dydx.