You are on page 1of 33

17-240 OT / 18-310 OT / 17-260E OT / 18-320E OT

GRUPO 48 – Índice

00 Características técnicas e ferramentas especiais 48 Direção Hidráulica
Vista geral dos subconjuntos da direção hidráulica .......................................... 48-1 Bomba da direção hidráulica .................................................................. 48-2 Reservatório de fluido da direção hidráulica.............................................. 48-3
Nível do fluido hidráulico da direção .................................................................. 48-4
Verificação ......................................................................................................... 48-4 Abastecimento ................................................................................................... 48-4

Sangria do sistema hidráulico da direção ............................................................ 48-5

Caixa da direção ................................................................................. 48-6
Remoção ........................................................................................................ 48-7 Instalação ....................................................................................................... 48-9 Regulagem do batente mecânico da direção ....................................................... 48-12 Ajuste da limitação hidráulica ............................................................................ 48-12

Volante da direção .............................................................................. 48-13
Remoção ........................................................................................................ 48-14 Instalação ........................................................................................................ 48-15

17-240 OT / 18-310 OT / 17-260E OT / 18-320E OT

GRUPO 48 – Índice

Coluna da direção ............................................................................................ 48-16
Remoção ........................................................................................................ 48-17 Instalação ....................................................................................................... 48-19

Caixa de transferência ..................................................................................... 48-22
Remoção ........................................................................................................ 48-23 Instalaçao ....................................................................................................... 48-23

Geometria da direção ...................................................................................... 48-25
Ângulo de “caster” (ângulo de incidência ou de inclinação longitudinal do pino-mestre) ............................................................................................... 48-26 Ângulo do pino-mestre “KPI” (Ângulo de inclinação transversal do pino-mestre) ......... 48-26 Ângulo de câmber................................................................................................. 48-27 Ângulo de convergência das rodas “Toe-in” ............................................................. 48-28 Ângulo da Ackerman (ângulo de convergência das rodas em curvas) .......................... 48-29

17-240 OT / 18-310 OT / 17-260E OT / 18-320E OT

Características Técnicas

00-1

Direção hidráulica
Caixa de direção Marca/Modelo ............................................ Tipo ........................................................... Relação de redução variável ......................... Rosca sem-fim ............................................ Limitação hidráulica .................................... Pressão máxima de operação ....................... Nº de voltas do volante, de batente a batente Tipo de óleo ............................................... Sangria ...................................................... Bomba de óleo – direção hidráulica (tipo Palhetas Modelo ...................................................... Pressão (bar) .............................................. Tipo de óleo ............................................... Capacidade de óleo no sistema completo ...... ZF/8097 Integral – de circulação de esferas 20,1:1 (centro) 23,8:1 (extremo) Esquerda 2 válvulas localizadas longitudinalmente no pistão 150 bar 5,56 ATF (Automatic Transmission Fluid), tipo A, sufixo A Automática Radiais) ZF/7685 145 + 10 bar ATF (Automatic Transmission Fluid), tipo A, sufixo A 2,6 l

Garras Remover o terminal da barra da direção. . BR-183/02 .Garras Remover a porca de fixação do braço pitman à caixa da direção. BR-183/02 e BR-183/03. BR-183/03 .Ponte e Fuso Remover o terminal da barra da direção e o braço pitman.17-240 OT / 18-310 OT / 17-260E OT / 18-320E OT Ferramentas Especiais 00-2 BR-183/01 . usar com BR-183/01. usar com BR-183/01.

17-240 OT / 18-310 OT / 17-260E OT / 18-320E OT Direção hidráulica 48-1 Vista geral dos subconjuntos da direção hidráulica 123456Coluna da direção fixa Volante da direção Bomba da direção hidráulica Reservatório de fluido da direção Caixa da direção Caixa de transferência .

Conexão 5 .Conexão 4 .Tubulação de saída .Bomba 2 .m) 3 .17-240 OT / 18-310 OT / 17-260E OT / 18-320E OT Direção hidráulica 48-2 Bomba da direção hidráulica 1 .5 kgf.Tubulação de entrada 6 .Parafuso  Torque: 45 Nm (4.Abraçadeira 7 .

6 Nm (0.36 kgf.m) Porca  Torque: 25 Nm (2.17-240 OT / 18-310 OT / 17-260E OT / 18-320E OT Direção hidráulica 48-3 Reservatório de fluido da direção hidráulica 12345678910 Reservatório Vareta de medição do nível do fluido Tampa Abraçadeira Mangueira de retorno Porca  Torque: 3.5 kgf.m) Cinta Mangueira de saída Abraçadeira .

efetue o abastecimento como segue: – retire a tampa do reservatório de fluido e encha-o até a borda. FRIO – em ambos os casos se necessário. – durante este processo. QUENTE  com o motor parado e com o sistema da direção em temperatura ambiente: o nível deverá estar entre as marcas MÍN e MÁX. – a seguir gire o motor algumas voltas (com o motor de partida). podendo mesmo resultar na formação de espuma. Abastecimento – Após a manutenção de algum componente em que foi necessário esgotar o fluido do sistema hidráulico da direção. – verifique visualmente o estado de mangueiras. o reservatório deverá ser sempre abastecido para evitar sucção de ar pela bomba o que provocará a formação de bolhas de ar. adicione fluido ATF sufixo A até atingir a marca MÁX respectiva. o nível do fluido cai rapidamente. tubos e conexões. – efetue a sangria do sistema da direção.17-240 OT / 18-310 OT / 17-260E OT / 18-320E OT Direção hidráulica 48-4 Nível do fluido hidráulico da direção Verificação: – O nível deve ser verificado visualmente através do reservatório:  com o motor em funcionamento e com o sistema da direção aquecido: o nível deverá estar entre as marcas MÍN e MÁX. Por este motivo. . – continue girando o motor de partida até que o nível não caia mais abaixo da marca MÁX FRIA.

– remova a tampa do bujão de dreno da caixa da direção (1) e mantendo o fluido no reservatório constantemente no nível correto (entre MÍN e MÁX QUENTE). – recoloque a tampa do bujão de dreno. calce as rodas traseiras. afrouxe e aperte o bujão de dreno (2) até que pelo mesmo saia um jato contínuo de fluido (sem bolhas de ar) a cada vez que o bujão for afrouxado. . São necessárias três pessoas para realizar o procedimento de sangria. – recoloque a tampa do reservatório. – recoloque o painel de assoalho. – remova a tampa do reservatório de fluido da direção. – funcione o motor em marcha-lenta e mantenha o volante de direção girando alternadamente de batente a batente.17-240 OT / 18-310 OT / 17-260E OT / 18-320E OT Direção hidráulica 48-5 Sangria do sistema hidráulico da direção – Remova o painel do assoalho sobre a caixa de direção. – aplique o freio de estacionamento. desligue o motor e abaixe o veículo. levante a frente do veículo e apoie o eixo dianteiro sobre cavaletes.

17-240 OT / 18-310 OT / 17-260E OT / 18-320E OT Direção hidráulica 48-6 Caixa da direção 1 .Conexão  Torque: 50 Nm (5 kgf.m) 4 .Conexão  Torque: 50 Nm (5 kgf.Tubulação de saída 6 .Barra da direção 13 .Espaçador da caixa da direção 7 .Braço Pitman 10 .Eixo de ligação .m) 5 .m) 12 .Porca  Torque: 600 Nm (60 kgf.Porca  Torque: 170 Nm (17 kgf.m) 2 .Caixa da direção 8 .Parafuso  Torque: 350 Nm (35 kgf.m) 9 .Tubulação de entrada 3 .Cupilha 11 .

– remova o parafuso (2) e desconecte a cruzeta da árvore de transferência (3) no lado da caixa da direção. – remova a cupilha e a porca do terminal da barra da direção (4). – desencaixe o terminal da barra da direção com o auxílio das ferramentas BR-183-01 e BR-183-03. – desconecte a tubulação de retorno (1). . apóie o chassi sobre cavaletes e remova a roda dianteira esquerda.17-240 OT / 18-310 OT / 17-260E OT / 18-320E OT Direção hidráulica 48-7 Caixa da direção Remoção: – Levante o veículo.

17-240 OT / 18-310 OT / 17-260E OT / 18-320E OT Direção hidráulica 48-8 – desconecte a tubulação de entrada na parte superior da caixa da direção. . – apóie a caixa da direção sobre um cavalete ou um macaco. Tome muito cuidado para não deixar cair o espaçador ou a caixa da direção o que poderá provocar um acidente pessoal grave. – remova os três parafusos (1) e remova a caixa da direção (3) e o espaçador da caixa (2).

posicione a caixa em seu lugar sobre o espaçador (2) e fixe-a com os três parafusos (1). – conecte a tubulação de entrada na parte superior da caixa da direção. – apóie a caixa da direção (3) sobre um macaco. . Tome muito cuidado para não deixar cair o espaçador ou a caixa da direção o que poderá provocar um acidente pessoal grave.17-240 OT / 18-310 OT / 17-260E OT / 18-320E OT Direção hidráulica 48-9 Instalação: – Coloque os três parafusos (1) e mantendo-os fixos. coloque o espaçador da caixa (2).

m) . – instale a cruzeta do eixo de ligação da direção (5). remova a porca (1).  Ângulo de esterço: Igual para os dois lados – caso haja diferença de esterço entre os dois lados. reposicione o braço pitman. – instale a roda dianteira esquerda. – verifique a centragem do braço pitman (3) esterçando completamente o volante da direção para ambos os lados e medindo o ângulo de esterço dos pneus. – instale o terminal da barra da direção (2) no braço pitman (3) e fixe-o com a porca (4).  Torque: 170 Nm (17 kgf. fazendo coincidir as marcas de posicionamento existentes no braço pitman e no eixo setor e reinstale a porca (1).17-240 OT / 18-310 OT / 17-260E OT / 18-320E OT Direção hidráulica 48-10 – conecte a tubulação de retorno (1).  Torque: 600 Nm (60 kgf.m) Utilize cupilha nova. remova o braço pitman (2) com o auxílio das ferramentas BR-183/01 e BR-183/03.

reposicione a cruzeta do eixo de ligação na caixa da direção até conseguir uma centragem perfeita. instale o parafuso. – caso o volante não esteja centrado.m) . O mesmo deverá estar perfeitamente centrado como mostrado na ilustração.17-240 OT / 18-310 OT / 17-260E OT / 18-320E OT Direção hidráulica 48-11 – alinhe as rodas perfeitamente para frente e verifique a centragem do volante da direção.  Torque: 50 Nm (5 kgf. – após centrar o volante da direção.

aperte ou solte o parafuso (1).0 mm (D. até atingir o comprimento especificado. em ambos os lados. 5170 mm) 46.E.E.m) x 50. verifique se o comprimento do parafuso do batente está correto e se os demais componentes do sistema de direção estão em perfeitas condições. . – um ruído característico é ouvido quando a válvula de alívio começa a atuar. 5940 mm) Ajuste da limitação hidráulica Antes de fazer o ajuste de limitação hidráulica.  Torque: 600 Nm (60 kgf. – aperte a contraporca. devem atuar quando faltar de 3 a 5 mm para que o parafuso do batente mecânico encoste no eixo.17-240 OT / 18-310 OT / 17-260E OT / 18-320E OT Direção hidráulica 48-12 Regulagem do batente mecânico de direção – Solte a contraporca (2).5 mm (D.E. – As válvulas de limitação hidráulica.E.

Fios de contato do interruptor da buzina 2 .17-240 OT / 18-310 OT / 17-260E OT / 18-320E OT Direção hidráulica 48-13 Volante da direção 1 .Cobertura de acionamento da buzina 3 .Volante da direção .m) 4 .Porca  Torque: 50 Nm (5 kgf.

17-240 OT / 18-310 OT / 17-260E OT / 18-320E OT Direção hidráulica 48-14 Remoção: – Levante manualmente a cobertura de acionamento da buzina (1). – remova o volante da direção com o auxílio da ferramenta BR-635. . – remova a porca (3). – desconecte os dois terminais dos fios da cobertura de acionamento da buzina (2) e remova a cobertura.

remova-o e reinstale-o novamente. – caso o volante não esteja perfeitamente centrado. – alinhe as rodas perfeitamente para frente e verifique a centragem do volante da direção.  Torque: 50 Nm (5 kgf.m) – conecte os dois terminais dos fios do interruptor da buzina (2) e instale a a cobertura de acionamento da buzina (3). O mesmo deverá estar perfeitamente centrado como mostrado na ilustração. .17-240 OT / 18-310 OT / 17-260E OT / 18-320E OT Direção hidráulica 48-15 Instalação: – Instale o volante na posição em que estava quando foi removido e fixe-o com a porca (1).

12 kgf.5 kgf.m) Capa inferior Parafuso  Torque: 1.m) Coifa Parafuso  Torque: 3.m) Parafuso  Torque: 25 Nm (2.36 kgf.17-240 OT / 18-310 OT / 17-260E OT / 18-320E OT 12345678910 11 - Direção hidráulica 48-16 Coluna da direção Suporte Capa superior Coluna Parafuso  Torque: 25 Nm (2.5 kgf.6 Nm (0.m) Cobertura da coluna Junta .2 Nm (0.

17-240 OT / 18-310 OT / 17-260E OT / 18-320E OT Direção hidráulica 48-17 Remoção: – Remova o volante da direção ⇒ Veja a pág. – remova os três parafusos e remova as duas capas da coluna. . – desconecte os quatro conectores elétricos da coluna da direção. 48-14.

. – remova os quatro parafusos de fixação da coluna no painel de instrumentos.17-240 OT / 18-310 OT / 17-260E OT / 18-320E OT Direção hidráulica 48-18 – remova o parafuso e retire os conjuntos da chave do contato e das setas. levante o conjunto da metade superior da coluna e remova-o.

5 kgf.m) – introduza o conjunto da metade superior da coluna através da coifa e abaixe-o para encaixa-lo na extremidade inferior da coluna. – fixe o conjunto da coluna da direção no painel de instrumentos através dos quatro parafusos. encaixe a cruzeta na caixa de transferência e fixe a cruzeta com o parafuso (1).  Torque: 25 Nm (2.m) .17-240 OT / 18-310 OT / 17-260E OT / 18-320E OT Direção hidráulica 48-19 – remova o parafuso (1) e levante a metade inferior da coluna (2) para desencaixar a cruzeta na caixa de transferência e puxe-a para baixo para remove-la. Instalação: – Coloque a extremidade inferior da coluna (2) através do orifício da cobertura da coluna. Será necessário que alguém fique segurando a extremidade inferior da coluna junto à caixa de transferência para facilitar o encaixe das duas metades.  Torque: 50 Nm (5 kgf.

 Torque: 20 Nm (2 kgf. .m) – conecte os quatro conectores elétricos da coluna da direção.17-240 OT / 18-310 OT / 17-260E OT / 18-320E OT Direção hidráulica 48-20 – instale os conjuntos da chave do contato e das setas e fixe-os com o parafuso.

2 Nm (0. 48-15.17-240 OT / 18-310 OT / 17-260E OT / 18-320E OT Direção hidráulica 48-21 – instale as duas capas da coluna e fixe-as com os os três parafusos.m) – instale o volante da direção ⇒ Veja a pág.  Torque: 1. .12 kgf.

Suporte 6 .m) .Parafuso  Torque: 45 Nm (4.Porca  Torque: 50 Nm (5 kgf.Porca  Torque: 50 Nm (5 kgf.Eixo de ligação da direção 3 .m) 2 .5 kgf.m) 4 .Caixa de transferência 5 .17-240 OT / 18-310 OT / 17-260E OT / 18-320E OT Direção hidráulica 48-22 Caixa de transferência 1 .

m) .m) – conecte a cruzeta do eixo de ligação na caixa de transferência e fixe-a com o parafuso (2).17-240 OT / 18-310 OT / 17-260E OT / 18-320E OT Direção hidráulica 48-23 Remoção: – Levante o veículo e apóie o chassi sobre cavaletes. – remova o parafuso (2) e desconecte a cruzeta do eixo de ligação.  Torque: 50 Nm (5 kgf. Instalação: – Instale a caixa de transferência e fixe-a com os quatro parafusos (3).  Torque: 50 Nm (5 kgf. – remova o parafuso (1) e desconecte a cruzeta da coluna da direção.  Torque: 50 Nm (5 kgf.m) – conecte a cruzeta da coluna na caixa de transferência e fixe-a com o parafuso (1). – remova os quatro parafusos (3) e remova a caixa de transferência.

O mesmo deverá estar perfeitamente centrado como mostrado na ilustração.17-240 OT / 18-310 OT / 17-260E OT / 18-320E OT Direção hidráulica 48-24 – alinhe as rodas perfeitamente para frente e verifique a centragem do volante da direção. – caso o volante não esteja centrado. . reposicione a cruzeta do eixo de ligação na caixa de transferência até conseguir uma centragem perfeita.

as rodas dianteiras do veículo devem obedecer a determinados ângulos com o veículo parado. – este ângulos são: – ângulo de cáster – ângulo do pino-mestre – ângulo de câmber – ângulo de convergência das rodas – ângulo de divergência das rodas em curvas – neste veículo. Devido aos valores reduzidos destes ângulos. . com exceção da convergência que é regulável. bem como menor desgaste dos pneus e das articulações em geral. Estes ângulos devem obedecer rigorosamente às especificações visto que influem enormemente no comportamento da direção e do desgaste dos pneus. os demais ângulos são fixos e decorrem do projeto específico do veículo.17-240 OT / 18-310 OT / 17-260E OT / 18-320E OT Direção hidráulica 48-25 Geometria da direção – Para que ofereçam segurança e estabilidade na direção. a medição dos mesmos só pode ser feita com aparelhos especiais.

o veículo tenderá a derivar para o lado da roda que estiver mais reduzida. . – outra irregularidade eventual que poderá ocorrer é o fenômeno conhecido com “shimmy“ (trepidação) durante a movimentação em linha reta. – se este ângulo estiver fora das especificações ocorrerá uma alteração na geometria da suspensão dianteira.  cáster: 2° a 2°30’ – se o “cáster” estiver irregular. Ângulo do pino-mestre “KPI” (Ângulo de inclinação transversal do pino-mestre) – Ângulo formado pela inclinação transversal do pino-mestre com relação ao plano vertical (Ângulo “B”). afetando o ângulo de “câmber”.17-240 OT / 18-310 OT / 17-260E OT / 18-320E OT Direção hidráulica 48-26 Ângulo de “caster” (ângulo de incidência ou de inclinação longitudinal do pino-mestre) – Ângulo formado pela inclinação longitudinal do pino-mestre com relação ao plano vertical (ângulo A). causadas pelas irregularidades do solo. após efetuar uma curva. cuja função é permitir o rápido retorno das rodas. e que irá determinar o ângulo de câmber.  KPI: LE 5°45’ LD 6°15’ – o “KPI” ajuda a reduzir a dureza da direção nas manobras de estacionamento e a reduzir as repercussões no volante da direção. provocando o arrastamento do pneu e conseqüentemente reduzindo sua vida útil.

17-240 OT / 18-310 OT / 17-260E OT / 18-320E OT Direção hidráulica 48-27 Ângulo de câmber – Ângulo formado pela inclinação da roda com o plano vertical (ângulo “C”). – o ângulo de “câmber” incorreto provocará consumo irregular da banda de rodagem do pneu. – neste veículo o “câmber” é positivo (rodas convergentes com relação ao solo). ficando as rodas perpendiculares ao solo. . o ângulo de câmber tende a se anular.  Câmber: LE 45’ LD 15’ – durante a marcha e sob a ação da carga. bem como anomalias na direção do veículo.

as rodas dianteiras tendem a divergir por efeito da resistência de rolagem dos pneus e devido às folgas e elasticidade do sistema da direção.17-240 OT / 18-310 OT / 17-260E OT / 18-320E OT Direção hidráulica 48-28 Ângulo de convergência das rodas “Toe-in” – Durante a marcha do veículo em linha reta. é indispensável que haja um perfeito paralelismo entre as rodas dianteiras de modo a que os pneus não sofram arrastamento.  A=B – nos veículos com tração traseira. as rodas dianteiras são ligeiramente convergentes.  Convergência B – A = 0 a 1 mm . razão pela qual neste veículo. quando em marcha.

é necessário que as rodas dianteiras esterçadas fiquem divergentes. – caso este ângulo não esteja de acordo com as especificações. ou seja tenham raios de curva diferentes.17-240 OT / 18-310 OT / 17-260E OT / 18-320E OT Direção hidráulica 48-29 Ângulo de Ackerman (ângulo de convergência das rodas em curvas) – Para que as rodas de um veículo percorram uma determinada curva sem sofrerem arrastamento. ocorrerá o arrastamento das rodas em curvas.  A>B – este ângulo é chamado de Ângulo da Ackerman em homenagem a Rudolf Ackerman. . – portanto as mesmas deverão permanecer em ângulo reto com relação ao raio de sua curva. – a divergência em curvas é formada automaticamente em função das dimensões dos braços de ligação e do ângulo formado por eles. um de seus idealizadores. esterçando assim mais a roda de dentro do que a de fora.