You are on page 1of 36

Tecnologia das Telecomunicações Capítulo V. REDES LOCAIS DE COMPUTADORES 5.

1 Introdução A partir do momento em que passamos a usar mais de um computador, seja dentro de uma empresa, escritório, ou mesmo em casa, fatalmente surge a necessidade de transferir arquivos e programas, compartilhar a conexão com a Internet e compartilhar periféricos de uso comum entre os computadores. Certamente, comprar uma impressora, um modem e um drive de CD-ROM para cada computador e ainda por cima, usar disquetes, ou mesmo CDs gravados para trocar arquivos, não é a maneira mais produtiva, nem a mais barata de se fazer isso. A melhor solução na grande maioria dos casos é também a mais simples: ligar todos os micros em rede. Montar e manter uma rede funcionando, tem se tornado cada vez mais fácil e barato. Rede é um grupo interligado de nós, ou estações conectadas por canais de comunicação; a montagem de um equipamento por meio do qual conexões são feitas entre estações de dados. 5.1.1 Classificação Uma das classificações das redes de computadores mais frequentes baseia-se na área geográfica ou organizacional abrangida pela rede. Assim sendo, de acordo com a abrangência geográfica as redes são organizadas em Redes Locais (redes que interligam edifícios), Metropolitanas (redes que interligam cidades) e Alargadas (redes que interligam Países ou Continentes). As redes locais (Local Area Network, LAN) são um dos tipos de redes de computadores mais utilizados. Através delas, é possível interligar postos de trabalho, servidores e dispositivos de interligação de redes numa área geográfica limitada a um edifício ou um conjunto de edifícios próximos. Essa interligação possibilita, por exemplo, a partilha de sistemas de ficheiros, a partilha de impressoras, a comunicação entre utilizadores ou o acesso a outras redes. Actualmente, a tecnologia de rede local mais utilizada é a Ethernet. As redes metropolitanas (Metropolitan Area Network, MAN) são normalmente utilizadas para interligar redes locais situadas em diversos pontos de uma cidade. Por exemplo, podem ser utilizadas para interligar um conjunto de ministérios ou organismos governamentais, ou para interligar pólos universitários. As redes de área alargada (Wide Area Network, WAN) possibilitam a interligação de equipamentos, redes locais e redes metropolitanas dispersas por uma grande área geográfica (um país, um continente ou vários continentes).
1

Tecnologia das Telecomunicações Para além das redes citadas acima existem outras, tais como: as redes de área pessoal (Personal Area Network, PAN), as redes de armazenamento (Storage Area Network, SAN) as redes de área virtual (Virtual Area Network, VAN) e as redes locais virtuais (Virtual Local Area Network, VLAN). Actualmente é praticamente impossível falar de redes de computadores sem falar da Internet. Como o nome sugere, a Internet é uma rede de interligação de redes. No entanto, o que torna a Internet tão apetecível não é o simples facto de se tratar de uma rede de interligação de redes, mas sim, o facto de esta ser presentemente, a maior rede informática existente no mundo, interligando máquinas e redes à escala planetária, fornecendo acesso a repositórios de informação e a uma enorme variedade de serviços nas mais diversas áreas de actividade. Trata-se de uma verdadeira rede para todos. A Internet nada mais é do que uma rede em escala mundial. Se por exemplo você abrir o ícone “redes” no painel de controle, instalar o “compartilhamento de arquivos e impressoras para redes Microsoft” e compartilhar suas unidades de disco, sem estabelecer uma senha de acesso, qualquer um que saiba localizar seu micro enquanto estiver conectado, terá acesso irrestrito a todos os seus arquivos, já que eles estão compartilhados com a rede (no caso a Internet inteira). 5.2 Topologia de redes

Topologia é a representação física e lógica dos elementos que compõem a rede. Topologia Física define a localização real dos elementos e a sua forma de interligação sobre uma representação geográfica dos locais abrangidos pela infra-estrutura. A topologia lógica diz respeito à representação geométrica dos elementos e à forma geométrica de interligação dos elementos do sistema. As topologias mais frequentes em redes locais são: linear (bus), estrela, anel, hierárquica e malha. Topologia Linear Na topologia linear (também chamada topologia em barramento), todas as estações compartilham um mesmo cabo. Essa topologia utiliza cabo coaxial, que deverá possuir um terminador resistivo de 50 ohms em cada ponta, conforme ilustra a Figura 1. O tamanho máximo do trecho da rede está limitado ao limite do cabo, 185 metros no caso do cabo coaxial fino, conforme vimos na aula sobre cabos. Este limite, entretanto, pode ser aumentado através de um periférico chamado repetidor, que na verdade é um amplificador de sinais.

2

Tecnologia das Telecomunicações

Figura 1: Topologia Linear Nota: a Figura 1 foi propositalmente exagerada em relação aos conectores "T". Eles são ligados diretamente à placa de rede, não existindo o pequeno cabo presente na figura. Como todas as estações compartilham um mesmo cabo, somente uma transação pode ser efectuada por vez, isto é, não há como mais de um computador transmitir dados por vez. Quando mais de uma estação tenta utilizar o cabo, há uma colisão de dados. Quando isto ocorre, a placa de rede espera um período aleatório de tempo até tentar transmitir o dado novamente. Caso ocorra uma nova colisão a placa de rede espera mais um pouco, até conseguir um espaço de tempo para conseguir transmitir o seu pacote de dados para a estação receptora. A consequência directa desse problema é a velocidade de transmissão. Quanto mais estações forem conectadas ao cabo, mais lenta será a rede, já que haverá um maior número de colisões (lembre-se que sempre em que há uma colisão o computador tem de esperar até conseguir que o cabo esteja livre para uso). Outro grande problema na utilização da topologia linear é a instabilidade. Como você pode observar na Figura 1, os terminadores resistivos são conectados às extremidades do cabo e são indispensáveis. Caso o cabo se desconecte em algum ponto (qualquer que seja ele), a rede "sai do ar", pois o cabo perderá a sua correta impedância (não haverá mais contacto com o terminador resistivo), impedindo que comunicações sejam efectuadas - em outras palavras, a rede pára de funcionar. Como o cabo coaxial é vítima de problemas constantes de mau-contato, esse é um prato cheio para a rede deixar de funcionar sem mais nem menos, principalmente em ambientes de trabalho tumultuados. Voltamos a enfatizar: basta que um dos conectores do cabo se solte para que todos os micros deixem de se comunicar com a rede. E, por fim, outro sério problema em relação a esse tipo de rede é a segurança. Na transmissão de um pacote de dados - por exemplo, um pacote de dados do servidor de arquivos para uma determinada estação de trabalho -, todas as estações recebem esse pacote. No pacote, além dos dados, há um campo de identificação de endereço, contendo o número de nó de destino. Desta forma, somente a placa
3

as duas captarão os pacotes destinados àquele número de nó. em redes onde segurança seja uma meta importante.5) da IBM. É impossível você em uma rede ter mais de uma placa com o mesmo número de nó. No caso do Token Ring. Somente um dado pode ser transmitido por vez neste pacote.Tecnologia das Telecomunicações de rede da estação de destino captura o pacote de dados do cabo. Figura 2: Topologia em Anel. Para pequenas redes em escritórios ou mesmo em casa. as estações de trabalho formam um laço fechado. Teoricamente não existe no mundo duas placas de rede com o mesmo número de nó. Portanto. conforme ilustra a Figura 2. não é impossível de acontecer. pois está a ela endereçada. pegando dados das máquinas e distribuindo para o destino. a não se que uma placa tenha esse número alterado propositalmente por algum hacker com a intenção de ler pacotes de dados alheios. um pacote (token) fica circulando no anel. Nota: Número de nó (node number) é um valor gravado na placa de rede de fábrica (é o número de série da placa). Se na rede você tiver duas placas com o mesmo número de nó. 4 . O padrão mais conhecido de topologia em anel é o Token Ring (IEEE 802. Topologia em Anel Na topologia em anel. Apesar desse tipo de "pirataria" ser rara. a topologia linear usando cabo coaxial está de bom tamanho. a topologia linear não deve ser utilizada. já que demanda de um extremo conhecimento técnico.

todas as estações são conectadas a um periférico concentrador (hub ou switch). porém logicamente ela continua sendo uma rede de topologia linear. Importante notar que o funcionamento da topologia em estrela depende do periférico concentrador utilizado. se for um hub ou um switch. Nela. Este periférico tem a capacidade de analisar o cabeçalho de endereçamento dos pacotes de dados. como ilustra a Figura 3. Ao contrário da topologia linear onde a rede inteira parava quando um trecho do cabo se rompia. a topologia fisicamente será em estrela (como na Figura 3). se a estação 1 enviar um pacote de dados para a estação 2. todas as demais estações recebem esse mesmo pacote. quando queremos aumentar o tamanho do cabo necessariamente devemos parar a rede. Além disso temos a grande vantagem de podermos aumentar o tamanho da rede sem a necessidade de Pará-la. Em outras palavras. continua havendo problemas de colisão e disputa para ver qual estação utilizará o meio físico. se a estação 1 enviar um pacote de dados para a estação 2. Já no caso da utilização de um switch. O hub é um periférico que repete para todas as suas portas os pacotes que chegam. Portanto. Desta forma. Na topologia linear. a rede será tanto fisicamente quanto logicamente em estrela. na topologia em estrela apenas a estação conectada pelo cabo pára.Tecnologia das Telecomunicações Topologia em Estrela Esta é a topologia mais recomendada actualmente. No caso da utilização de um hub. sem replicá-lo desnecessariamente para todas as suas portas. Figura 3: Topologia em Estrela. Isso faz com que a rede torne-se mais 5 . enviando os dados diretamente ao destino. assim como ocorre na topologia linear. já que este procedimento envolve a remoção do terminador resistivo. somente esta recebe o pacote de dados.

6 . Fig. duas ou mais transmissões podem ser efetuadas simultaneamente. o que não é possível quando utilizamos topologia linear ou topologia em estrela com hub. Se utiliza fundamentalmente em redes WAN e MAN.Tecnologia das Telecomunicações segura e muito mais rápida. pois praticamente elimina problemas de colisão. ja que estes podem tomar rotas alternas em dependência do estado dos nós e do tráfico existente. Além disso. desde que tenham origem e destinos diferentes. pelo que sua implementação é muito onerosa.4 Topologia em malha Nesta configuração todos os equipamentos de comunicação estão conectados entre sí. Este esquema garante o enviu de mensagens com mais segurança. de maneira que se logra uma alta conectividade.

na qual a cablagem física seja em forma de estrela.3 . ou mesmo computadores de arquiteturas diferentes se comuniquem. Um computadores com o protocolo NetBEUI instalado. como PCs. também é possível que computadores rodando diferentes sistemas operacionais de rede. para que dois computadores possam se comunicar através da rede. O uso do TCP/IP é que permite o milagre de computadores de arquiteturas totalmente diferentes. hubs. serve para criar um meio de comunicação entre os computadores da rede. constituindo uma estrutura em forma de árvore. Pode existir uma rede que tenha uma topología lógica em forma de bus. TCP (Transmisión Control Protocol).Tecnologia das Telecomunicações Topologia hierárquica Esta estrutura. se utiliza em aplicações de controlo de processos. 5. por exemplo. Existem outras topologias importantes que são combinações das anteriores. uma saiba o número da outra. etc. Macs. etc. Um protocolo é um conjunto de regras que definem como os dados serão transmitidos. O TCP/IP. telefones celulares e micros de bolso poderem comunicar-se livremente através da Internet.Protocolos Toda a parte física da rede: cabos. 7 . IP (Internet Protocolo) . por exemplo. Protocolos de aplicação:[ Estes são os chamados protocolos de alto nivel. Nela podem existir vários níveis de computadores. placas. assim como para que duas pessoas possam falar pelo telefone é preciso que ambas falem a mesma língua. que permitem que você comuniquese com outras pessoas. basta apenas que todos tenham um protocolo em comum. como será feito o controle de erros e retransmissão de dados. UDP (User Data Protocol). só será capaz de se comunicar através da rede com outros computadores que também tenham o protocolo NetBEUI. como os computadores serão endereçados dentro da rede etc.. ICMP (Internet Control Message Protocol). como o sistema telefônico ou os correios. é preciso que ambos usem o mesmo protocolo de rede. Porém. os principais protocolos usados na comunicação das aplicações com a camada de transporte. é um protocolo suportado por praticamente todos os sistemas operacionais. Graças aos protocolos. tornando-se assim um “poliglota”. pelo que a cablagem física se realiza em forma de anel ou uma topología lógica em forma de anil. Mainframes e até mesmo. É possível que um mesmo computadores tenha instalados vários protocolos diferentes.

FTP (File Transfer Protocol): usado na transferencia de arquivos.4 . uma 8 .Tecnologia das Telecomunicações Esta claro que existem númerosos protocolos pelo que falaremos dos mais comuns como: • • • • DNS (Domain Name System): usado para identificar maquinas a través de nomes em vez de endereços IP.] 5. o fio de cobre que transmite os dados. a fibra óptica. chamada de dielétrico que envolve o cabo interno. SMTP (Simple Mail Transfer Protocol): usado no envió e recepção de emails.e mais recentemente. Word Wide Web). uma camada isolante de plástico. O meio de transmissão O meio de transmissão mais comum em redes locais é o cabo de cobre (par trançado e o cabo coaxial.etc) A estrutura na qual os nós estão conectados (topologia) As regras que regem o acesso à rede (protocolos) Formatos de transmissão Em cada um destes aspectos existem várias alternativas. Telnet: usado para comunicar-se remotamente com uma maquina.Manutenção e Projecto de Redes Locais Aspectos Fundamentais a considerar na rede Os quatro aspectos fundamentais são: • • • • O meio de transmissão (cabo. Cabo coaxial Os cabos coaxiais são cabos constituídos de 4 camadas: um condutor interno. http (Hyper Text Transfer Protocol): usado na transferencia de documentos de hipermedia (WWW. as quais se podem seleccionar para criar a rede mais eficiente para uma aplicação determinada.fibra.

uma nova camada de revestimento. Temos o cabo coaxial 10base5 numa posição central. alcançando o cabo central que transmite os dados. 10Base2. como um backbone. Outro tipo de cabo coaxial pouco usado atualmente é o RG62/U. encontrado principalmente em placas antigas) através de um cabo mais fino. chamados de 10Base5. usado em redes Arcnet. os cabos 10Base5 exigem uma topologia de rede bem mais cara e complicada. Temos também o cabo RG-59/U. Devido a esta blindagem. os cabos coaxiais (apesar de ligeiramente mais caros que os de par trançado) podem transmitir dados a distâncias maiores. quanto em termos de mão de obra. RG-59/U e RG-62/U O cabo 10Base5 é um tipo mais antigo. Além de antiquada. usado geralmente em redes baseadas em mainframes. Se você envolver um fio condutor com uma segunda camada de material condutor. Esta cabo é muito grosso. a camada externa protegerá a primeira da interferência externa. tem cerca de 0. sendo as estações conectadas usando um segundo dispositivo. 9 . sem que haja degradação do sinal. chamado transceptor. Os transceptores são conectados aos encaixes AUI das placas de rede (um tipo de encaixe parecido com a porta de joystick da placa de som.Tecnologia das Telecomunicações malha de metal que protege as duas camadas internas e. ou quase 1 cm de diâmetro e por isso é muito caro e difícil de instalar devido à baixa flexibilidade. sendo por isso também chamados de “derivadores vampiros”. usado na fiação de antenas de TV. Existem 4 tipos diferentes de cabos coaxiais. tanto a nível de cabos e equipamentos. esta arquitetura é muito cara. chamada de jaqueta. finalmente. Além da baixa flexibilidade e alto custo.4 polegadas. chamado cabo transceptor. Os transceptores perfuram o cabo 10Base5. que atua como um meio de ligação entre elas e o cabo principal.

mas sua popularidade foi diminuindo com o passar do tempo por motivos óbvios. ou cabos Thinnet. É permitido ligar até 30 computadores no mesmo cabo. “Base” significa “banda base” e se refere à distância máxima para que o sinal pode percorrer através do cabo. também chamados de cabos coaxiais finos. apesar dos cabos serem parecidos. são os cabos que você receberá quando pedir por “cabos coaxiais de rede”. enquanto os cabos RG-59/U usados nas fiações de antena possuem impedância de 75 ohms. chegando ao ponto de praticamente impedir a comunicação entre os computadores em casos extremos. Por isso. que por sua vez são ligados a conectores T ligados na placa de 10 . a diferença é que. Conectamos o cabo coaxial fino à placa de rede usando conectores BCN. pois nos cabos 10Base2 a distância máxima utilizável é de 185 metros. o comprimento do cabo que liga um micro ao outro deve ser de no mínimo 50 centímetros.7 milímetros. pois acima disso. nunca tente usar cabos de antena em redes de computadores. O “10” na sigla 10Base2. É fácil diferenciar os dois tipos de cabo. mas que na prática é apenas um arredondamento. pois os de redes são pretos enquanto os para antenas são brancos. significa que os cabos podem transmitir dados a uma velocidade de até 10 megabits por segundo. os cabos 10Base2. em museus . o que os torna razoavelmente flexíveis. Usando cabos 10Base2. Atualmente você só se deparará com este tipo de cabo em instalações bem antigas ou. Os cabos 10Base2 são bem parecidos com os cabos usados em instalações de antenas de TV.Tecnologia das Telecomunicações Os cabos 10Base5 foram praticamente os únicos utilizados em redes de mainframes no inicio da década de 80. e por isso. e o comprimento total do cabo (do primeiro ao último computador) não pode superar os 185 metros. são os cabos coaxiais usados atualmente em redes Ethernet.18 polegadas. o grande número de colisões de pacotes irá prejudicar o desempenho da rede. Seu diâmetro é de apenas 0.-) Finalmente. quem sabe. os cabos 10Base2 possuem impedância de apenas 50 ohms. cerca de 4. no caso o “2” que teoricamente significaria 200 metros.

embora um pouco mais fracos. com um cabo em cada ponta do conector T. deverá ser aterrado. Terminador Se você não instalar um terminador em cada ponta da rede. formando os chamados pacotes sombra.Tecnologia das Telecomunicações rede. Pelo menos um dos terminadores. Conector BCN desmontado Conector T na placa de rede São necessários dois terminadores para fechar o circuito. Estes pacotes 11 . Usando cabos coaxiais os micros são ligados uns aos outros. retornarão. Os terminadores são encaixados diretamente nos conectores T do primeiro e último micro da rede. quando os sinais chegarem às pontas do cabo.

precisamos de duas ferramentas: um descascador de cabo coaxial e um alicate de crimpagem. os cabos de par trançado por sua vez. Em redes Ethernet os terminadores devem ter impedância de 50 ohms (a mesma dos cabos). 12 . Veja que os cabos coaxiais usam uma malha de metal que protege o cabo de dados contra interferências externas. mas usando o descascador o resultado será bem melhor). o mais comum é apenas reparar ou expandir redes que já existem. com cerca de 1 mm de diâmetro serve para prender o pino central do conector BCN ao fio central do cabo. impedindo que ele se solte facilmente. deixando exposto o fio de cobre (você pode fazer este trabalho com algum outro instrumento cortante. Mais adiante teremos um comparativo entre os dois tipos de cabos. Descascador de cabos coaxiais (à esquerda) e alicate de crimpagem. O nome “par trançado” é muito conveniente. o menor. A maior serve para prender o anel de metal. Hoje em dia é muito raro alguém ainda utilizar cabos coaxiais em novas instalações de rede. Cabo de par trançado Os cabos de par trançados vem substituindo os cabos coaxiais desde o início da década de 90. como um estilete. usam um tipo de proteção mais sutil: o entrelaçamento dos cabos cria um campo eletromagnético que oferece uma razoável proteção contra interferências externas. Para prender o cabo ao conector BCN. O descascador serve para retirar o dielétrico do cabo. praticamente inutilizando a rede. pois estes cabos são constituídos justamente por 4 pares de cabos entrelaçados.Tecnologia das Telecomunicações atrapalham o tráfego e corrompem pacotes bons que estejam trafegando. Não dá para fazer o serviço com um alicate comum pois ele não oferece pressão suficiente. valor que geralmente vem estampado na ponta do terminador. Para crimpar os cabos coaxiais é indispensável ter o alicate de crimpagem. O alicate para crimpagem serve para prender o cabo ao conector. O alicate de crimpagem possuirá sempre pelo menos dois orifícios.

Categoria 2: Outro tipo de cabo obsoleto. Enquanto nos cabos 1 e 2 não existe um padrão definido. Categoria 3: Era o cabo de par trançado sem blindagem usado em redes até alguns anos atrás. Permite transmissão de dados a até 4 Mbps. existem os cabos blindados conhecidos como STP (Shielded Twisted Pair). sendo muito mais resistente a ruídos externos. porem não é mais utilizado. Categoria 1: Este tipo de cabo foi muito usado em instalações telefônicas antigas. cabos elétricos quando colocados lado a lado com os cabos de rede e mesmo telefones celulares muito próximos dos cabos. Outras fontes menores de interferências são as lâmpadas fluorescentes (principalmente lâmpadas cansadas que ficam piscando). menor será o desempenho da rede. O que muda é a taxa máxima de transferência de dados e o nível de imunidade a interferências. os cabos de categoria 3 (assim como os de categoria 4 e 5) possuem atualmente de 24 a 45 tranças por metro. Quanto maior for o nível de interferência. 5 categorias de cabos de par trançado. Existem no total. Em todas as categorias a distância máxima permitida é de 100 metros. Cada par de cabos tem um número diferente de 13 . A diferença do cabo de categoria 3 para os obsoletos cabos de categoria 1 e 2 é o numero de tranças. possuem uma blindagem externa (assim como os cabos coaxiais). menor será a distância que poderá ser usada entre os micros e mais vantajosa será a instalação de cabos blindados. como grandes motores elétricos e estações de rádio que estejam muito próximas. A única diferença entre eles é que os cabos blindados além de contarem com a proteção do entrelaçamento dos fios. Pode se estender por até 100 metros e permite transmissão de dados a até 10 Mbps. sendo mais adequados a ambientes com fortes fontes de interferências. Em ambientes normais porém os cabos sem blindagem costumam funcionar bem.Tecnologia das Telecomunicações Cabo de par Trançado Além dos cabos sem blindagem (como o da foto) conhecidos como UTP (Unshielded Twisted Pair).

usamos um alicate de crimpagem. como na foto abaixo: “Category 5e” Independentemente da categoria. mas é bem maior por acomodar mais fios. Após retirar a capa protetora. Este conector é parecido com os conectores de cabos telefônicos. podendo ser usados também em redes Ethernet de 10 Mbps no lugar dos cabos sem blindagem. Categoria 4: Por serem blindados. Uma ponta do cabo é ligada na placa de rede e a outra no hub. a mais comum. para prender o cabo ao conector. Para crimpar o cabo. Os cabos de categoria 5 são praticamente os únicos que ainda podem ser encontrados à venda. A grande vantagem sobre esta categoria de cabo sobre as anteriores é a taxa de transferência.Tecnologia das Telecomunicações tranças por metro. e são o requisito mínimo para redes Token Ring de 16 Mbps. Categoria 5: Este é o tipo de cabo de par trançado usado atualmente. o que atenua as interferências entre os cabos. estes cabos já permitem transferências de dados a até 16 Mbps. entre elas está a categoria do cabo. até 100 Mbps. Praticamente não existe a possibilidade de dois pares de cabos terem exatamente a mesma disposição de tranças. mas em caso de dúvida basta checas as inscrições decalcadas no cabo. todos os cabos de par trançado usam o mesmo conector. que existe tanto em versão blindada quanto em versão sem blindagem. ou seja. chamado RJ-45. você precisará tirar as tranças dos cabos e em seguida “arruma-los” na ordem correta para o tipo de cabo que estiver construindo (veremos logo adiante) 14 .

deixando apenas os 2 centímetros que entrarão dentro do conector: Finalmente.5 centímetros. Para isso. uma sugestão é que você destrance um pedaço suficiente do fio. Por isso. basta colocar os fios dentro do conector e pressiona-lo usando um alicate de crimpagem. se possível menos de 2.Tecnologia das Telecomunicações Veja que o que protege os cabos contra as interferências externas é são justamente as tranças. onde ele é mail vulnerável a todo tipo de interferência. 15 . A parte destrançada que entra no conector é o ponto fraco do cabo. é recomendável deixar um espaço menor possível sem as tranças. para ordena-los confortavelmente e depois corte o excesso.

deixado o encaixe com os pinos do conector “frouxo”. Como no caso dos coaxiais.Tecnologia das Telecomunicações A função do alicate é fornecer pressão suficiente para que os pinos do conector RJ-45. Os alicates mais simples custam a partir de 40 reais. Note que cada um dos fios do cabo possui uma cor diferente. esmaguem os fios do cabo. como seria possível fazer com cabos ainda sem os conectores. Existe uma posição certa para os cabos dentro do conector. alcançando o fio de cobre e criando o contato. Um problema óbvio em trabalhar com cabos já crimpados é que será quase impossível passa-los através das paredes. serviria apenas para causar mau contato. existe também a opção de comprar os cabos já crimpados. pois isto ao invés de ajudar. Você deve retirar apenas a capa externa do cabo e não descascar individualmente os fios. que internamente possuem a forma de lâminas. mas os bons alicates custam bem mais. o ideal caso você não pretenda montar apenas sua rede doméstica ou da empresa. Os alicates para crimpar cabos de par trançado são um pouco mais baratos que os usados para crimpar cabos coaxiais. e não trabalhar profissionalmente com redes. Metade tem uma 16 .

Branco com Verde lado 1 4. cruzado na ponta: Conector da esquerda: 1.Laranja 3.Branco mesclado com marrom 8.Branco com Laranja 4.Laranja 3.Marrom 17 .Marrom É possível também criar um cabo para ligar diretamente dois computadores.Branco com Azul 6.Branco mesclado com Azul 6.Branco com Marrom 8. Daí vem o nome cross-over.Verde lado 1 lado 2 7.Branco mesclado com verde 4. Neste tipo de cabo a posição dos fios é diferente nos dois conectores.Laranja 7. Para criar um cabo destinado a conectar os computadores ao hub.Branco com Verde 2.Tecnologia das Telecomunicações cor sólida enquanto a outra metade tem uma cor mesclada com branco.Azul 5.Branco mesclado com Laranja 2.Branco com Laranja 2. que significa. a seqüência tanto no conector do computador quanto no conector do hub será o seguinte: 1.Verde 3. chamado de cabo cross-over. sem usar um hub. Logicamente este cabo só poderá ser usado caso a sua rede tenha apenas dois computadores. enquanto no outro a posição dos pares verde e laranja são trocados.Azul 5.Azul lado 2 Conector da direita: 1. de um dos lados a pinagem é a mesma de um cabo de rede normal. literalmente.

Numa comparação direta entre os dois tipos de cabos teremos: Distância máxima: o cabo coaxial permite uma distância máxima entre os pontos de até 185 metros. quando temos problemas de mau contato no conector de uma das estações. dizendo por exemplo se os cabos são adequados para transmissões a 10 ou a 100 megabits. Outra desvantagem é que usando o coaxial. o que explica o fato dos cabos coaxiais virem tornandose cada vez mais raros. Para complicar. que oferecem um diagnóstico muito mais sofisticado. mas os cabos blindados por sua vez apresentam uma resistência equivalente ou até superior. Mau contato: Usando cabo coaxial.Tecnologia das Telecomunicações 5. Tanto o LED da placa quanto o do hub deverão acender. Na verdade.Verde 7. a rede toda cai. pois este tipo de cabo costuma ser mais suscetível a mau contato do que os cabos de par trançado. Custam apartir de 100 dólares. :. o coaxial possui bem mais desvantagens do que vantagens em relação aos cabos de par trançado. Estes aparelhos serão bastante úteis caso você vá crimpar muitos cabos. Resistência a interferências: Os cabos de par trançado sem blindagem são muito mais sensíveis à interferências do que os cabos coaxiais. Existem também aparelhos testadores de cabos.Branco com Marrom 8. a tendência a ter problemas na rede é muito maior. tanto o micro quanto o hub deverão estar ligados.Marrom Existe um teste simples para saber se o cabo foi crimpado corretamente: basta conectar o cabo à placa de rede do computador e ao hub. enquanto os cabos de par trançado permitem apenas 100 metros. você terá que checar PC por PC até encontrar o 18 . pois as duas “metades” não contam com terminadores nas duas extremidades. mas são dispensáveis para trabalhos esporádicos. Par trançado x Coaxial Disse anteriormente que cada uma destas categorias de cabos possui algumas vantagens e desvantagens. Naturalmente.Branco com Azul 6.

por exemplo. por outro lado. o tipo de transmissão mais usual é a transmissão paralela. pois apenas as placas antigas. pois os cabos coaxiais são limitados apenas 10 Mbps. Velocidade máxima: Se você pretende montar uma rede que permita o tráfego de dados a 100 Mbps. Fibra óptica (já estudada no capitulo anterior). As placas PCI 10/100 possuem apenas o conector para cabo de par trançado. o transmissor envia todos os bits de dados que ele é capaz de transmitir de uma só vez para o receptor.ela é usada na porta paralela. principalmente as redes. Neste tipo de transmissão. :. que liga o computador à impressora e outros dispositivos que podem ser conectados a essa porta. usando cabos coaxiais você não precisará de um hub. a porta USB (universal serial bus) e. a transmissão paralela é usada somente por dispositivos com cabo curto. para que a transmissão possa ser efectuada. Custo: Os cabos coaxiais são mais caros que os cabos de par trançado sem blindagem. imagine fazer isso numa rede com 20 computadores. pois todos os PCs estão ligados ao hub e não uns aos outros. Atualmente é complicado até mesmo encontrar placas de rede com conectores para cabo coaxial. é necessário um fio para transmitir cada bit de dados. o mouse (rato). mas normalmente são mais baratos que os cabos blindado. Este já é uma argumento forte o suficiente para explicar a predominância das redes com cabo de par trançado. 19 .como o teclado.usam outro tipo de comunicação: a transmissão série... apenas o micro problemático ficaria isolado da rede. Formatos de transmissão Dentro do computador. Atualmente já existem hubs de 8 portas por menos de 100 reais. Por outro lado. então a única opção é usar cabos de par trançado categoria 5. Usando par trançado.Tecnologia das Telecomunicações conector com problemas. ISA de 10 megabits possuem os dois tipos de conector.. Uma transmissão de 32 bits necessitará de 32 fios. Os dispositivos externos ao computador que necessitem de cabos longos . Fisicamente falando. Fora do computador. Tanto o transmissor como o receptor têm de ser capazes de ''falar'' a uma mesma quantidade de bits. não é mais um artigo caro como no passado.

e os programas que lhes permitam realizar estas funções. Velocidade do processador: a velocidade do relógio que regula o número de operações que realiza o processador deve ser. 20 .Tecnologia das Telecomunicações Na comunicação série. transmissão paralela transmissão em série Componentes básicos de uma rede Os componentes básicos de hardware de uma rede são: • As estações de trabalho. ( Podem ser: Servidoras e Clientes) • Placas de rede (Network Interface Cards. Os bits são transmitidos um a um. NIC) • Os cabos(incluindo os conectores e outros componentes especiais) Como servidores e clientes podem actuar qualquer tipo de PC que disponha de placas que permitam a conexão e o controlo do meio. Processador central: o processador central da "server" deve ser a máquina mais poderosa que da rede. Existem varios tipos de redes que exigem como servers processadores de uma potência determinada. é necessário somente um fio para transmitir os dados.

efectua tarefas de aplicação. . podemos encontrar: Servidor dedicado: se encontra completamente ao serviço da rede. Servidor compartilhado: alem de servir. acesso a Internet.Tecnologia das Telecomunicações igualmente. Placas de Rede A placa de rede é o hardware que permite aos micros conversarem entre sí através da rede.é um computador ou dispositivo que acessa os recursos oferecidos pela rede. e-mail-server.é um computador ou dispositivo capaz de oferecer um recurso para a rede. como impressoras.qualquer coisa que possa ser oferecida e usada pelos clientes da rede. Cliente. arquivos. De acordo as funções e características especificas. (file-server. Somente se encarrega de servir. Servidor especial: pode efectuar tarefas de aplicação apropriadas ao servidor. etc. Cada arquitectura de rede 21 .. Recurso. a maior possível dentro das que possua o tipo de "server" que se escolhe . print-server. componentes básicos de uma rede Servidor. Sua função é controlar todo o envio e recebimento de dados através da rede. unidades de disco. etc). não efectua tarefas de aplicação.

A principal diferença reside na taxa de transferência máxima de dados que pode ser obtida. devemos utilizar cabos de par trançado de categoria 3 ou 5. Usando placas Ethernet de 10 mbps por exemplo. Usando uma placas de 100 mbps o requisito mínimo a nível de cabeamento são cabos de par trançado blindados nível 5. Devemos utilizar cabos adequados à velocidade da placa de rede. A comunicação em placas de rede ISA chega a somente 10Mbps. Estas placas também são bem mais caras.Tecnologia das Telecomunicações exige um tipo específico de placa de rede. o circuito que converte os impulsos elétricos recebidos em luz e vice-versa que ainda é extremamente caro. Além da arquitectura usada. temos placas Ethernet de 10 mbps e 100 mbps e placas Token Ring de 4 mbps e 16 mbps. de 5 a 8 vezes mais do que as placas convencionais por causa do CODEC (coder/decoder). Naturalmente. Placas que trazem encaixes para mais de um tipo de cabo são chamadas placas combo. as placas de rede diferenciam-se pelo barramento utilizado. é recomendável comprar placas de rede PCI pois além de praticamente todas as placas PCI suportarem transmissão de dados a 100Mbps. são uma exceção. enquanto que em placas PCI a comunicação pode atingir 100Mbps. caso seu PC possua slots PCI. o barramento ISA vem 22 . as placas de rede à venda no mercado diferenciam-se também pela taxa de transmissão. cabos de rede suportados e barramento utilizado. Existem basicamente dois tipos de placas de rede: ISA (industry standard arquitecture) e PCI (protocol control information). ou então cabos coaxiais. A existência de 2 ou 3 conectores serve apenas para assegurar a compatibilidade da placa com vários cabos de rede diferentes. você jamais poderá usar uma placa de rede Token Ring em uma rede Ethernet. pois ela simplesmente não conseguirá comunicar-se com as demais. Quanto à taxa de transmissão. Placa combo As placas de rede que suportam cabos de fibra óptica. pois possuem encaixes apenas para cabos de fibra. Finalmente. Naturalmente. você só poderá utilizar um conector de cada vez.

O software deve resolver. Assim. Repetidor Repetidor é um dispositivo responsável por ampliar o tamanho máximo da cablagem da rede. É utilizado na topologia estrela. PROTOCOLO TCP/IP 23 . Ele funciona como um amplificador de sinais. Quanto a taxa de transferência máxima . já que todos os dados são enviados para todas as portas (do hub) simultaneamente. quando há problemas com algum cabo. controlam o fluxo de dados e subministram um conjunto de serviços. os hub's podem ser de 8 . Quanto ao número de portas. Hub (concentrador) Concentrador cuja ligação é considerada linear . apresenta como desvantagem . pois determina a possibilidade de utilizar os recursos remotos das estações servidoras como se estivessem conectados ao próprio PC que actua como cliente. os aspectos seguintes: como acessar a rede. permite a remoção e inserção de novas estações com a rede ligada e .Tecnologia das Telecomunicações sendo cada vez menos usado em placas mãe mais modernas e deve gradualmente desaparecer das placas mãe novas. regenerando os sinais recebidos e transmitindo esses sinais para outro segmento de rede. 16. entre outros. somente a estação correspondente deixa de funcionar. etc. apresenta diversas vantagens. entre elas . a detecção e correcção de erros. sendo a maioria do tipo empilhável (stackable) que permite a conexão de novos hub's directamente. Os sistemas operativos para redes têm uma arquitectura de multitarefa e multiusuario. entretanto.a diminuição do desempenho da rede. o reconhecimento da chegada de mensagens. O software de estes sistemas está constituído pelos programas que manipulam a comunicação e o trabalho com os ficheiros. os hub's podem ser de 10Mbps ou de 100Mbps. 24 ou 32 portas. ele realmente funciona como um ''extensor'' da cablagem da rede. o encaminhamento da mensagem através da rede. Software A selecção do software da rede é um dos aspectos mais importantes. O repetidor não analisa os quadros (ou pacotes) de dados para verificar para qual segmento é destinado.

00000111. O InterNIC controla todos os endereços IP em uso ou livres na Internet. Essa classe de endereços.z. usada para redes de grande porte.x.11111111. Tomando-se o endereço IP como um todo. até redes públicas interligando milhares de estações de trabalho.00000000 (255.0). e os 24 bits restantes definem o endereço local. e cada rede tem a capacidade de endereçar cerca de 16 milhões de estações de trabalho.0). A máscara de rede serve para quebrar um endereço IP em um endereço de rede e um endereço de host (estação de trabalho). os endereços de rede variam de 1 à 256.255. O TCP/IP é o protocolo padrão da internet. Entre todos os protocolos . e cada um deve ter um endereço de host diferente. cada computador possui uma máscara de rede (network mask ou subnet mask). Ou seja. que pode ser usado para redes locais como para redes remotas. seguida por uma seqüência contínua de bits em zero.0.255. B e C. o mais abrangente é sem dúvida nenhuma o TCP/IP (Transmission Control Protocol/ Internet Protocol ). cada computador em uma rede TCP/IP (inclusive em toda a Internet) possui um endereço IP único e exclusivo. que é um número do mesmo tipo mas com a restrição de que ele deve começar por uma seqüência contínua de bits em 1. visto que apresenta uma melhor performance em rede.a ''língua falada pelos computadores é oprotocolo de rede. a máscara de rede pode ser um número como 11111111. geralmente escritos na forma w. cada computador (ou melhor. indo desde redes locais de computadores de pequeno porte.Tecnologia das Telecomunicações Para que dois ou mais computadores possam formar uma rede. eles devem falar a mesma ''língua''. Nenhum outro protocolo permite a comunicação entre tão diversas arquiteturas de hardware e sistemas opertivos.11111111. A classe B de endereços usa dois octetos para o número da rede e dois para endereços de host's 24 . Na classe A.y. o bit mais significativo é 0(zero) . mas nunca um número como 11111111. Neste caso . para evitar duplicações. Em uma rede TCP/IP. afim de proporcionar total integração entre todos os sistemas operativos da rede. O TCP/IP tem a vantagem de ser um protocolo nativo em redes Unix ou Netware. e reserva certas faixas de endereços chamadas de endereços privativos para serem usados em redes que não irão se conectar directamente na Internet. caso o computador possua mais do que uma) possui um endereço numérico formado por 4 octetos (4 bytes). A definição de classes de endereços deve-se ao facto do tamanho das redes que compõem a internet variar muito. além de estarem conectados físicamente . Além deste Endereço IP. Todos os computadores em uma mesma rede local devem ter o mesmo endereço de rede. IP utiliza três classes diferentes de endereços: A. cada placa de rede. os outros 7 bits do primeiro octeto identificam a rede.7.00000000.00000000 (255.

vamos agora para a configuração lógica das estações.1 até 191. Para instalar uma placa não plug-and-play. e cada rede pode interligar cerca de 65 mil estações de trabalho. acede o gerenciador de dispositivos e cheque as configurações da placa para ter certeza de que ela está funcionando correctamente. inicializar o computador para que o Windows a detecte e se necessário. Você deverá instalar o “Cliente para redes Microsoft”. ou então reserve o endereço de IRQ usado pela placa na sessão “PCI/plug-and-play” do Setup. Depois de instalada a placa. e cada rede pode endereçar 254 estações de trabalho. Configuração de rede no Win 98 Depois de montar a parte física da rede. para que não seja usado por outros dispositivos.254. Placas plug-and-play não costumam dar muita dor de cabeça. o “Compartilhamento de arquivos e impressoras para redes Microsoft” e um protocolo de comunicação dentro do ícone “Redes” do painel de controle. quanto o Windows 98. mas você pode manter os outros dois instalados se 25 . Os endereços classe C utilizam três octetos para identificar a rede e um para o host. NetBEUI(netBIOS Extended User Interface) e IPX/SPX(Internet Packet Exchange/Sequenced Packet Exchange). mas é comum placas antigas. Você poderá instalar basicamente três protocolos: TCP/IP. abra o ícone “rede” do painel de controle.254.1. Nesta fase vamos utilizar endereços IP da classe C. oferecem recursos que permitem montar uma rede ponto a ponto entre vários micros rodando o Windows com facilidade.Tecnologia das Telecomunicações (estações de trabalho). Este trecho explica como instalar a placa de rede e fazer a configuração lógica da rede em computadores rodando o Windows 95 ou 98: Instalando a placa de rede Todas as placas de rede à venda actualmente são plug-and-play. Se for o seu caso. e 127 no primeiro são usados para funções especiais). O TCP/IP é praticamente obrigatório. Os endereços de rede situam-se na faixa de 192. em seguida em “adaptador” e finalmente em “com disco”. entrarem em conflito com outros dispositivos. Basta espetar a placa em um slot disponível da placa mãe. altere o endereço usado pela placa.1 até 223. pois é necessário para compartilhar o acesso à Web. isto torna sua instalação extremamente fácil. clique em “adicionar”. Os endereços desta classe variam na faixa de 126. Configurando uma rede ponto a ponto Tanto o Windows 95. fornecer os drivers que vêm junto com a placa. visto que a LAN não terá acima de duas centenas de host's.255 (os números 0 e 255 do segundo octeto.

o Windows sempre manterá todos eles carregados. e instale o “Compartilhamento de arquivos e impressoras para redes Microsoft”. manter apenas o TCP/IP instalado. Basta escolher “Cliente” e clicar em “Adicionar” na janela de instalação dos componentes da rede. Sem instalar o cliente para redes Microsoft o micro não será capaz de acessar os recursos da rede. pois ao instalar vários protocolos. tornando o sistema um pouco mais lento. você deverá instalar também o “Adaptador para redes dial-up”. que permitirá a você compartilhar recursos como arquivos e impressoras com outros computadores da rede. O NetBEUI permite compartilhar recursos com os outros computadores da rede sem necessidade de configurar manualmente um endereço. Para isto. mais clientes de rede etc.Tecnologia das Telecomunicações desejar. sempre que possível. É recomendável. volte à janela de instalação de componentes. Na tela seguinte escolha “Microsoft” no menu do lado esquerdo para que os protocolos disponíveis sejam exibidos. Para que o computador possa acessar a Internet. Para instalar o protocolo basta escolher “protocolo” e clicar em “adicionar”. clique em 26 . para que possa acessar os recursos da rede. Depois de instalar os protocolos. como no TCP/IP e o IPX/SPX permite a conexão com redes Novel. Para finalizar. você deve instalar também o “Cliente para redes Microsoft”. clique em “serviço” e “adicionar”..

e em seguida. “Adaptador para redes dial-up” no menu da direita. seu ambiente de rede deverá estar como o exemplo da figura ao abaixo. Configurações Após instalar os itens anteriores. Clique no botão “Compartilhamento de arquivos e impressoras” e surgirá um menu com duas seleções: “desejo que outros usuários tenham acesso aos meus arquivos” e “desejo que outros usuários tenham acesso às 27 . e no menu que surgirá.Tecnologia das Telecomunicações “adaptador” na janela de instalação de componentes. escolha “Microsoft” no menu da esquerda.

~ e não são permitidos espaços em branco. Nos campos. mantenha marcados ambos os campos. São permitidos apenas caracteres alfanuméricos e os caracteres ! @ # $ % ^& ( ) . Todos os computadores de uma mesma sessão deverão fazer parte do mesmo 28 . Por enquanto._ { } ‘ . você deve dar um nome ao computador. Este nome poderá ter até 15 caracteres. Este nome será a identificação do computador dentro da rede Microsoft. acesse agora a guia “Identificação”. Voltando à janela principal. e deverá ser diferente em cada computador da rede.Tecnologia das Telecomunicações minhas impressoras”. Na mesma janela você deverá digitar o nome do grupo de trabalho do qual o computador faz parte.

quando abrir o ícone “ambiente de redes” Finalmente. selecionando esta opção. Aqui você poderá escolher entre “Controle de acesso em nível de compartilhamento” e “controle de acesso em nível de usuário”. pois fará com que todos apareçam na mesma janela. onde um recurso compartilhado fica acessível a todos os demais computadores da rede. A opção de controle de acesso a nível de usuário pode ser usada apenas em redes cliente – servidor. e dentro na mesma pasta. este campo não altera em nada a configuração ou o funcionamento da rede. por exemplo. você deverá configurar as permissões de acesso aos recursos da rede no servidor e informar no campo. Acesse agora a guia “Controle de acesso”. o nome do usuário do computador. isto facilitará o acesso aos recursos. 29 . ou então alguma observação como “Micro do chefe”. digite algo que descreva o computador no campo “Descrição do computador”. quando você localizar um computador na rede. mas será visto por outros usuários que acessarem recursos compartilhados pelo seu computador. Você pode digitar. podendo ser protegido apenas com uma senha.Tecnologia das Telecomunicações grupo de trabalho. A primeira opção se destina a compartilhar recursos numa rede ponto a ponto. o endereço do servidor onde estão estas informações.

surgirá então uma nova janela com as propriedades do TPC/IP. precisamos acertar as configurações do TCP/IP. Veja que no gerenciador de rede aparecerão duas entradas para o TCP/IP. A entrada relacionada com a dial-up é a entrada usada para acessar a Internet via modem. assim como sua máscara de sub-rede. Clique sobre ela e. e deve ser configurada (se necessário) de acordo com as configurações fornecidas pelo seu provedor de acesso. A entrada relacionada com a placa de rede por sua vez. em seguida. é a utilizada pela rede. sobre o botão “propriedades”. 30 . uma relacionada com a placa de rede e outra relacionada com o adaptador de rede dial-up. É ela que devemos configurar.Tecnologia das Telecomunicações Finalmente. No campo “endereço IP” escolha a opção “Especificar um endereço IP” e forneça o endereço IP do computador.

toda vez que inicializar o micro o Windows pedirá seu nome de usuário e senha. todos esperando alguém (no caso você .-) conseguir realizar o milagre de colocá-los para conversar? Em redes maiores. com duas placas de rede e o software adequado para executar a função. verifique se a placa de rede realmente funciona. Neste caso. Pontes. algumas dezenas de Macs. Mas. e consequentemente a rede está indisponível. Comutadores e Roteadores Montar uma rede de 3 ou 4 computadores é bem fácil.Tecnologia das Telecomunicações Logando-se na rede Após instalar o cliente para redes Microsoft. se não está com nenhum tipo de conflito e se os drivers que você usou são os corretos. além de cabos e hubs. usamos mais alguns dispositivos. e se ao invés de apenas 4 PCs. Todos estes podem ser tanto componentes dedicados. significa que o Windows está tendo problemas para acessar a placa de rede. 31 . construídos especialmente para esta função. forem um contingente de centenas de PCs divididos em vários prédios diferentes. Se a tela de logon não aparecer. a janela de logon desaparecerá e o sistema inicializará normalmente. um pouco mais caros: bridges (pontes) e Roteadores (routers). porém todos os recursos de rede estarão indisponíveis. e de brinde. ou PCs comuns. É obrigatório logar-se para poder acessar os recursos da rede. Se você pressionar a tecla “Esc”. meia dúzia de velhos mainframes.

por exemplo. para que todos possam se comunicar. É justamente isso que um bridge faz. MACs(message authentication code) de um lado e PCs do outro. o bridge detectará ao ler o pacote que o endereço destino pertence ao outro segmento. Caso você tenha uma rede muito grande. contanto que todos os computadores a serem conectados utilizem um protocolo comum. Com todos os computadores de ambas as redes falando a mesma língua. Se. resta apenas quebrar a barreira física das arquitecturas de rede diferentes. e outra rede Token Ring.Tecnologia das Telecomunicações Bridges (pontes) Imagine que em sua empresa existam duas redes. Veja que apesar das duas redes possuírem arquitecturas diferentes e incompatíveis entre sí. Se um computador da rede A transmitir algo para outro computador da rede A. é possível instalar nos PCs de ambas um protocolo comum. um computador da rede A transmitir algo para o computador da rede B. porém. Antigamente este era um dilema difícil. como o TCP/IP por exemplo. que esteja tornando-se lenta devido ao tráfego intenso. escutando qualquer transmissão de dados que seja feita em qualquer uma das duas redes. o bridge ao ler os endereços de fonte e destino no pacote. mesmo que os computadores sejam de arquitecturas diferentes. Existem também alguns bridges mais simples (e mais baratos) que não são capazes de distinguir se um pacote se destina ou não ao 32 . É possível interligar todo o tipo de redes usando bridges. dividindo o tráfego pela metade. interligadas por um bridge. O bridge ficará entre as duas. uma rede Ethernet. mas actualmente isto pode ser resolvido usando o TCP/IP. Como funcionam os Bridges? Imagine que você tenha duas redes. deixando que ela chegue ao destinatário através dos meios normais. e encaminhará o pacote. Ponte é um repetidor inteligente que tem a capacidade de ler e analisar os quadros (pacotes) de dados que circulam na rede. uma Ethernet e outra Token Ring. perceberá que o pacote se destina ao mesmo segmento da rede e simplesmente ignorará a transmissão. você também pode utilizar um bridge para dividir a rede em duas.

os comutadores são classificados de acordo com a sua taxa de transmissão (10 Mbps. servem para conectar redes diferentes. Comutadores (switches) Comutadores são pontes contendo várias portas. Como vimos. e que conseguem enviar pacotes de dados directamente para as portas de destino. esqueça o NetBEUI caso pretenda usar roteadores. Pode ser que por exemplo.Tecnologia das Telecomunicações outro lado da rede. que destinam-se à outra rede. servem para interligar duas redes separadas . devido ao seu alto custo. onde os dados são transmitidos simultaneamente para todas as portas. Portanto. Eles simplesmente encaminham tudo. Estes bridges são chamados de bridges de encaminhamento. é possível interligar um número enorme de redes diferentes. 1 Gbps). transformando-os numa única rede. ou seja. Roteadores (routers) ou encaminhadores Os bridges servem para conectar dois segmentos de rede distintos. Esse dispositivo consegue aumentar o desempenho da rede. Quanto ao custo. é possível interligar inúmeras redes diferentes usando roteadores e não seria de se esperar que todos os roteadores tivessem acesso direto a todos os outros roteadores a que estivesse conectado. Note que cada rede possui seu próprio roteador e os vários roteadores são interligados entre sí. desde que as comunicações não envolvam portas de origem ou destino que já estejam sendo usadas em outra comunicação. os comutadores são menos usados que os concentradores. não basta que todos os computadores usem o mesmo protocolo. mesmo que situadas em países ou mesmo continentes diferentes. Os roteadores por sua vez. O comutador envia os pacotes de dados somente para a porta de destino. o roteador 4 esteja ligado 33 . pois não lêem todos os pacotes que são transmitidos através da rede. 100 Mbps. ao contrário do hub. A diferença é que usando roteadores. mas apenas os pacotes que precisam ser roteados. Os roteadores são mais espertos que os bridges. Apenas o TCP/IP e o IPX/SPX são roteáveis. e mais de uma comunicação pode ser estabelecida simultaneamente. ou seja. A função de bridge também pode ser executada por um PC com duas placas de rede. Por este motivo. Actualmente as pontes são geralmente encontradas embutidas em outros equipamentos. é preciso que o protocolo seja roteável. permitem que os pacotes sejam endereçados à outra rede. Em princípio os comutadores só podem interligar máquinas que transmitam dados a uma mesma velocidade. aumentando desnecessariamente o tráfego na rede. mas não para diminuir o tráfego de dados. O equipamento é mais conhecido por switch (chaveador ou comutador). Tal como ocorre com os hubs. corretamente configurado.

Estando conectado à Internet basta digitar: 34 . Inicialmente o roteador procurará o caminho com o menor número de hops: o caminho mais curto. formada por várias sub-redes interligadas por roteadores. temos um hop (salto). que por sua vez seja ligado ao roteador 3. No final. Você pode medir os pings de vários servidores diferentes usando o prompt do MS-DOS. o sinal deverá passar por vários roteadores.Tecnologia das Telecomunicações apenas ao roteador 1. mesmo que para isso o sinal tenha que passar por mais roteadores. Se um micro da rede 1 precisar enviar dados para um dos micros da rede 6. que esteja ligado aos roteadores 5 e 6. Os roteadores também são inteligentes o suficiente para determinar o melhor caminho a seguir. Mas se por acaso perceber que um dos roteadores desta rota está ocupado demais. a página será carregada rapidamente. então o pacote passará primeiro pelo roteador 2 sendo então encaminhado ao roteador 3 e então finalmente ao roteador 6. que esteja ligado ao roteador 2. pois não precisará ficar esperando na fila do roteador congestionado. A Internet é na verdade uma rede gigantesca. Cada vez que o dado é transmitido de um roteador para outro. apesar do sinal ter percorrido o caminho mais longo. podem ser conectados à Internet por meio do mesmo roteador. Se todos estiverem livres. o que pode ser medido pelo tempo de resposta. ou mesmo minutos antes de começar a carregar. então ele procurará caminhos alternativos para desviar deste roteador congestionado. chegará mais rápido. Para baixar uma página do Yahoo por exemplo. Porém. por exemplo. se alguns estiverem congestionados pode ser que a página demore vários segundos. várias dezenas em alguns casos. Todos os usuários de um pequeno provedor. O tempo que um pedido de conexão demora para ir até o servidor destino e ser respondido é chamado de “Ping ”.

net/download/ Redes Segmentadas O padrão Etherneth.167.guiadohardware. como em: ping www.207. É importante prestar atenção nessas regras. b) Fast Ethernet (100 Mbps) A segmentação de redes Fast Ethernet (100 Mbps) funciona de uma maneira mais simples. Isso significa que existem limites que devem ser respeitados. quanto para verificar por quantos e quais roteadores o sinal está passando até chegar lá é o NeoTrace.uol. É possível conectar um comutador ou um roteador directamente a uma porta de um repetidor Classe I ou Classe II. já que elas definem os limites para o uso de repetidores (hub's). as ligações de fibra óptica não poderão exceder 500 metros.78 Outra ferramenta útil tanto para medir o tempo de resposta de um servidor qualquer. O comutador ou o 35 . Já os repetidores Classe II permitem a sua ligação com mais um repetidor Classe II. então todos os segmentos podem ser de cabo coaxial e. A segunda regra diz respeito aos tipos de segmentos. Existem dois tipos de repetidores para esse tipo de rede. portanto ''habitados''. Quando dissemos ''em série''.com. especificamente ao tipo de cabo que pode ser usado. somente até três desses segmentos podem usar cabo coaxial. define algumas regras bastante rígidas para a segmentação da rede. Fast Ethernet (100 Mbps) e/ou Gigabit Ethernet (1 Gbps). a) Ethernet padrão 10 Mbps A rede só pode conter. como você poderia supor. Classe I e Classe II. no máximo cinco segmentos e quatro repetidores em série. As regras de segmentação variam um pouco de acordo com o padrão Ethernet usado: Ethernet padrão 10 Mbps. Quando forem usados cinco segmentos em série na rede. que é a arquitectura de redes locais mais usada no mundo. Dessa forma não é possível ampliar o comprimento máximo da rede adicionando-se infinitos repetidores.br ou ping 207. Se forem usados quatro repetidores e cinco segmentos. Os repetidores Classe I são os mais simples e permitem apenas a interligação entre dois segmentos. um freeware que pode ser baixado na área e download do Guia do Hardware: http://www. O limite imposto na regra de segmentação refere-se ao maior caminho que deve ser percorrido para comunicar duas máquinas presentes na rede. A terceira regra especifica que no caso de redes onde a distância máxima entre as duas máquinas mais distantes é de quatro segmentos e três repetidores. estamos nos referindo à distância máxima entre duas máquinas presentes na rede.Tecnologia das Telecomunicações ping endereço_destino.

Redes desse tipo podem ter somente um único repetidor. c) Gigabit Ethernet (1 Gbps) As regras de segmentação do Gigabit Ethernet (1 Gbps) são ainda mais simples. 36 .Tecnologia das Telecomunicações roteador serão vistos pelo repetidor como sendo uma estação de trabalho.