You are on page 1of 2

SAFESPEED: definir a Velocidade Segura para circular nas estradas portuguesas

21/01/2010

Desenvolver uma ferramenta de apoio à definição dos limites de velocidade adequados a cada ambiente rodoviário e integrar soluções de traçado capazes de reduzir o número de acidentes rodoviários são os objectivos do projecto "SAFESPEED – Estratégias de gestão da velocidade: um instrumento para a implementação de soluções de gestão rodoviária seguras e eficientes". Este projecto inovador, que reúne 8 investigadores das Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC) e de Engenharia do Porto (FEUP) e da Universidade do Minho, apoiados por alunos de Doutoramento, é financiado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT). Desenvolve-se em três fases essenciais: a primeira (a decorrer) consiste no desenvolvimento de um modelo macro capaz de explicar os acidentes rodoviários, tendo por base um conjunto de variáveis explicativas (entre as quais a velocidade) e os dados de sinistralidade nacional. A segunda fase do SAFESPEED, que tem a colaboração da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária, passa por perceber os efeitos que um conjunto alargado de factores (ambiente rodoviário; factores humanos; condições de tráfego; tipologia dos cruzamentos, etc.) assume na velocidade seleccionada pelos condutores. Desta fase resultará um modelo capaz de estimar, para cada situação, a velocidade expectável face às características da estrada e do seu ambiente envolvente. Por último, será desenvolvido um modelo informático de apoio à decisão para gestão de velocidade num qualquer itinerário rodoviário, apoiando a definição da velocidade legal mais adequada a cada caso, tendo por base não só as características gerais da estrada, mas também a eventual presença de utilizadores vulneráveis. O resultado final do projecto passa ainda pela criação, para cada velocidade legal, de soluções capazes de induzir naturalmente o condutor a adoptar comportamentos compatíveis com o ambiente rodoviário que atravessa. Isso será conseguido através da utilização de medidas de acalmia de tráfego que podem passar, p. ex., pela implantação de rotundas, gincanas, alteração de pavimentos, ou reforço da iluminação pública. Estas medidas actuam, quer fisicamente, quer
Copyright © 2010 Universia Portugal. Todos os direitos reservados. Página 1 de 2

Página 2 de 2 . cada vez mais. explica Ana Bastos. Devido à dinâmica do ordenamento do território haverá ambientes rodoviários onde se justifica a alteração dos limites legais actualmente impostos". a capacidade de adaptar os traçados das estradas às exigências e actividades urbanas locais". "até à década de 90. sistemas GPS e vídeo. afirmam os investigadores. Desde então. O SAFESPEED é um estudo de extrema complexidade porque "trata-se da alteração radical do actual paradigma dos traçados das estradas portuguesas". o traçado das estradas assentava essencialmente em preocupações de garantia de velocidades e níveis de serviço elevados. Todos os direitos reservados. que assinala. devendo os investigadores recorrer a diversas ferramentas entre as quais: um veículo instrumentado provido de sensores. um simulador de tráfego em laboratório e radares fixos e moveis. Os resultados deste projecto dirigem-se particularmente ao tratamento de estradas nacionais e regionais com atravessamento sistemático de localidades. A adopção de diferentes limites de velocidade e a implementação de condições de circulação específicas "é uma necessidade imperiosa porque em Portugal não há critérios técnicos para estabelecer os limites de velocidade. a comunidade internacional valoriza. Copyright © 2010 Universia Portugal. sendo possível identificar situações completamente desajustadas à realidade. investigadora da FCTUC.por coação psicológica sobre o condutor impedindo-o de adoptar comportamentos desajustados à velocidade pretendida.