You are on page 1of 6

Faculdade de Engenharia

Problemas sobre Indução Electromagnética

ÓPTICA E ELECTROMAGNETISMO MIB

Maria Inês Barbosa de Carvalho

Setembro de 2007

Resolução: a) Por definição. b) a força electromotriz z r B ε induzida na espira. temos 2π R Φ = B0 sin (ω t ) ∫ ∫ ρ 3 dρ dφ = 0 0 πR 4 B0 sin (ω t ) 2 Na obtenção deste resultado. Neste caso. a superfície S é a superfície plana ˆ=u ˆ z e ds = ds z = ρ dρ dφ (o sistema de coordenadas limitada pela espira. o fluxo magnético que atravessa uma superfície S é dado por r ˆ ds Φ = ∫B⋅n S ˆ é perpendicular à superfície considerada e tem o sentido que aponta onde o versor n segundo o campo de indução magnética. Determine a) o fluxo magnético Φ que atravessa a espira. usou-se x 2 + y 2 = ρ 2 (ver apêndice). onde B0 e ω são B = B0 x 2 + y 2 sin (ω t ) u ( ) constantes. Uma espira condutora circular de raio R está assente no plano xy. n cilíndricas deve ser escolhido por se adaptar perfeitamente à geometria do problema). numa região do r espaço onde existe um campo de indução magnética B variável no tempo e no espaço. x R y c) o sentido de circulação da corrente induzida no instante t = π (4ω ) .INDUÇÃO ELECTROMAGNÉTICA Faculdade de Engenharia ÓPTICA E ELECTROMAGNETISMO – MIB 2007/2008 LEI DE INDUÇÃO DE FARADAY PROBLEMA RESOLVIDO 1. 2 . Substituindo estas expressões na definição acima. r ˆ z .

INDUÇÃO ELECTROMAGNÉTICA Faculdade de Engenharia ÓPTICA E ELECTROMAGNETISMO – MIB 2007/2008 b) De acordo com a lei de indução de Faraday. Por essa razão. Assim. chega-se a ε =− πR 4 B0 ω cos (ω t ) 2 c) A lei de Lenz afirma que a corrente associada com a força electromotriz induzida (corrente induzida) tende a opor-se à variação de fluxo que lhe deu origem. a corrente induzida originará um campo de indução magnética induzido com o sentido contrário ao que lhe deu origem. pelo contrário. o que significa que durante certos intervalos de tempo o fluxo aumenta. verifica-se que ele varia sinusoidalmente. Na verdade. variando também sinusoidalmente à medida que o tempo passa. a corrente induzida irá originar um campo de indução magnética com o mesmo sentido do que lhe deu origem. se ℜ representar a resistência da espira. dΦ dt = πR 4 B0ω cos (π 4) 2 = 2 πR 4 B0ω 4 > 0 . se o fluxo estiver a aumentar. ou seja. o sentido da corrente induzida não será constante. o fluxo magnético estiver a diminuir. Pela regra da mão-direita. surge nesse circuito uma força electromotriz ε induzida a qual é dada por ε =− dΦ dt Utilizando o resultado obtido na alínea anterior. o fluxo induzido (criado pela r corrente induzida) deverá apontar no sentido contrário ao de B . Assim. enquanto que para outros intervalos diminui. Observando a expressão do fluxo magnético que atravessa a espira. Se. o que significa que o fluxo está a aumentar. deverá ˆ z . No instante considerado. podemos afirmar que a intensidade da corrente induzida é I ind = ε ℜ = − πR 4 B0ω cos (ω t ) (2ℜ ) . sempre que o fluxo magnético que atravessa um dado circuito é não estacionário. a corrente que dá origem a esse fluxo apontar segundo − u ˆφ : magnético tem o sentido de − u ˆz • u Iind 3 .

inicialmente a uma distância b do fio infinito. c) o sentido de circulação da corrente induzida na espira.INDUÇÃO ELECTROMAGNÉTICA Faculdade de Engenharia ÓPTICA E ELECTROMAGNETISMO – MIB 2007/2008 NOTA: O sentido da corrente induzida pode ser determinado utilizando a seguinte regra prática: ˆ n dΦ dt • + Iind Iind Iind Iind PROBLEMAS PROPOSTOS 1. Sabendo que a espira. b) a força electromotriz induzida na espira. a X v x X(t = 0) = b a z 4 . se afasta deste com uma velocidade v . Uma espira quadrada de lado a está colocada no mesmo plano de um fio condutor infinito que é percorrido por uma corrente eléctrica estacionária de intensidade I. determine a) o fluxo magnético que atravessa a espira (num instante de tempo t ).

b) a expressão da corrente que atravessa a espira. ω θ x y 3. O campo magnético criado pela bobine pode ser considerado uniforme. determine z a) o fluxo magnético Φ que atravessa a espira em função de θ . a) Determine a expressão da força electromotriz induzida na espira e esboce um gráfico da variação dessa força electromotriz com o tempo. 5 . com valor absoluto B e sentido e direcção indicados na figura. A espira está colocada numa região onde o r ˆ y .INDUÇÃO ELECTROMAGNÉTICA Faculdade de Engenharia ÓPTICA E ELECTROMAGNETISMO – MIB 2007/2008 2. onde B0 é uma constante. Uma espira quadrada de lado a e resistência R roda em torno do eixo dos zz (que está no mesmo plano da espira e passa pelo seu centro) com uma velocidade angular constante ω no sentido indicado na figura. em todos os pontos à saída da bobine e nulo em qualquer outro ponto. campo de indução magnética é dado por B = − B0 u Sabendo que no instante inicial a espira se encontra no plano yz (θ = 0) . isto é que a força electromotriz induzida tende a criar uma corrente que interactua com o campo magnético de forma a contrariar o movimento da espira. Um espira quadrada de lado L desloca-se a velocidade constante v mesmo em frente de uma bobine de secção quadrada de lado L percorrida por uma corrente eléctrica estacionária. A figura seguinte mostra a título de exemplo algumas posições da espira no seu movimento. b) Mostre que a lei de Lenz é também aqui válida.

75ω senω t (1 + 2 cos ω t ) (mA) 6 .INDUÇÃO ELECTROMAGNÉTICA Faculdade de Engenharia ÓPTICA E ELECTROMAGNETISMO – MIB 2007/2008 4.2 Ω O 0. B0 a2 senθ .7m x SOLUÇÕES 1. 1. b) − B0 a2 ω cos θ R fem BLv t1 − BLv Lv Lv t 4. a) µ 0 Ia ln[1 + a (b + vt )] (2π ) . a) 3.35[1 − cos(ωt )] (m).2 m • • • r B • • R = 0. sentido horário b) µ 0 Ia 2 v [2π (b + vt )(a + b + vt )] . B = 5cos(ωt )u determine a corrente i que atravessa o circuito. a) c) 2. Uma barra condutora desliza sem atrito sobre dois sobre o circuito representado na figura. y • • • i 0. Sabendo que o campo de indução magnética na região varia de acordo com r ˆz (mT) e que a posição da barra é dada por x = 0.