You are on page 1of 57

Diagnóstico Laboratorial em Alergia

Dr. Carlos Loja
HSE - SBAI - SOPERJ

Diagnóstico Laboratorial
Diagnóstico “In Vivo” Diagnóstico “In Vitro”

Diagn óstico com testes espec íficos Diagnóstico específicos
Indicações principais:
♦ Confirma o diagnóstico clínico ♦ Diferencia patologias alérgicas de outras

patologias ♦ Descobre novos alérgenos não suspeitados anteriormente ♦ Orienta o tratamento
♦ Teste cutâneo isolado não é diagnóstico,

correlacionar com história clínica

Testes Cutâneos
Classificação
♦Epicutâneo - Teste contato (Patch)

Ex.: hipersensibilidade imediata e tardia
♦Percutâneo - Prick / Puntura

Ex.: Hipersensibilidade imediata
♦Intracutâneo - Intradérmico

Ex.: Hipersensibilidade imediata e tardia

Turkeltaub PC - Rastogi SC, Baer H et al - JACI 1982; 70(5):342-52.

deve ser considerado quando a história clínica de exposição é forte e o Prick teste é negativo ♦ Deve-se utilizar extratos já padronizados se possível.Diagnóstico com Testes Específicos Teste Puntura (Prick) ♦ É o mais conveniente e convincente método screening para detectar IgE-específica para diferentes alérgenos ♦ É mais específico que o I. D. embora menos sensível ♦ O teste I. . D.

para teste I.Testes Cutâneos Extratos para diagnóstico FDA . PC. Baer Baer H H et et al al . SC. . do de D. 1982.JACI JACI 1982. Turkeltaub Turkeltaub PC. Rastogi Rastogi SC. igual ao somatório ortogonal 50mm em um painel conhecido indivíduos contrôles conhecidos. 70(5):342-52. 70(5):342-52. diâmetro de do extrato que causa alergênico para fins resposta eritematosa.Unidades BAU (Bioequivalent Allergy Units) Quantidade diagnóstico.

Eritema Resultado de vasodilatação neurogênica Obs. 53. Nalcelbekker. Nalcelbekker. 53. Vol Vol 15 15 N N York. York.Diagn Diagn Testing Testing of of Allerg Allerg Dis. resultando no aumento da permeabilidade dos vasos. Dis. 2000.: Estes resultados são comparados ao contrôle negativo (diluente) e ao contrôle positivo (histamina padronizada).Testes Cutâneos Reação imediata Pápula Resultado da liberação de histamina pelos mastócitos e ligação com os receptores de histamina na microcirculação. . 2000. Turkeltaub Turkeltaub PC PC .

Multiteste .Testes Cutâneos .

D.) Preferência ♦Reações sistêmicas ♦Veneno inseto ♦Drogas ♦Reações sistêmicas ♦Látex ♦Alimentos ♦Inaláveis Preferência Aceitável Aceitável Desnecessário Desnecessário (Falso +) Aceitável Symposium # 3704 . Meeting . A. I. IgE Ab. Goth A. A. CO – 2003.Denver. For Allerg .Diagnóstico Laboratorial IgE – Sensibilidade ao Teste Antígenos “In vitro” RAST Complementar com I. Meth. . D. PhD – Johns Hopkins Univ. Inadequado Aceitável Aceitável “In vivo” Prick (PK) Insuficiente “In vivo” Intradérmico (I.Specif.Lab. A. Hamilton. Robert G.

Diagnóstico com Testes Específicos Considerações gerais ♦ Deve ser realizado por especialistas ♦ Pode ser realizado em qualquer idade ♦ Não aplicar o teste sem condições cutâneas adequadas ♦ Suspender medicações. que alteram o resultado ♦ Saber avaliar e tratar reações sistêmicas ♦ Ter medicações e instrumentos apropriados para tal. . se possível.

amendoim .látex .drogas venenos de insetos ♦Número excessivo de testes em um mesmo momento ♦Utilização de medicações que possam facilitar tais reações indesejáveis . sem ser realizado o Prick antes ♦Alérgenos que causam anafilaxia Ex.: crustáceos .Diagnóstico com Testes Específicos Reações anafiláticas / anafilactóides raramente acontecem e estão relacionadas a: ♦Teste intradérmico (ID).

alérgenos para minimizar reações. reconhecimento e tratamento das reações sistêmicas e preparo em RCP básica (Ressuscitação Cardiopulmonar).Recomendações para atendimento de reações adversas I onde hajam equipamentos para ressuscitação de emergência e pessoal treinado. reconhecimento e tratamento das reações locais. ♦ Os procedimentos realizados somente em locais ♦ O paciente deve permanecer sob observação por ♦ Pessoal preparado para: ajuste da dose dos . 20 a 30 minutos após o procedimento. sob supervisão direta do médico.

♦ Após qualquer procedimento e estabilização do paciente.Recomendações para atendimento de reações adversas II ♦ Procedimentos invasivos: laringoscopia direta. não é necessário que estejam imediatamente disponíveis. cardioversão. injeção intracardíaca de medicamentos: ♦ Pela raridade da necessidade desses procedimentos e o risco de serem efetuados em condições não-ideais. encaminha-lo imediatamente ao um serviço de atendimento de emergência. traqueotomia. .

6. Torniquetes. Agentes vasopressores.000 ). 8. . 7. Material para intubação. Epinefrina aquosa ( HCl 1:1. 4. 2.Equipamentos recomendados para atendimento de rea ções adversas reações 1. 5. seringas. e agulhas de grosso calibre (14). Equipamento para fluidoterapia endovenosa. agulhas hipodérmicas 3. Estetoscópio e esfigmomanômetro. 9. Anti-histamínico injetável. Corticosteróides intravenosos. Ambú e/ou oxigênio.

Diagnóstico Laboratorial “In Vivo” Prick Test Objetivos ♦ Avaliação de diferentes puntores ♦ Avaliação de extratos padronizados e não padronizados de alérgenos inaláveis .

Avalia ção do Prick Test Avaliação Objetivos 1. dosados em PNU/ml. 2. . Comparar a reatividade por Prick Test de extratos alergênicos padronizados em Unidades de Massa ou Unidades Biológicas com os não padronizados. de três diferentes puntores: ALK Lancet (Dinamarca). Comparar a reatividade por Prick Test com extratos padronizados em Unidades de Massa ou Unidades Biológicas. Duotip (EUA) e Puntor ALKO (Brasil).

. alérgicos aos aeroalérgenos. Critérios de exclusão: Pacientes sob uso de medicação antihistamínica ou outra que possa interferir nas reações.Avalia ção do Prick Test Avaliação Critérios de inclusão: Pacientes de ambos os sexos. não alérgicos. idades entre 10 e 65 anos. portadores de imunodeficiência ou infecções vigentes.

Resultado pela medida em milímetros do diâmetro da pápula formada pelo teste.20 minutos. Os resultados obtidos são anotados no formulário do teste. Reação positiva: pápula maior do que 3mm e maior do que a pápula do controle negativo – CN. .15 minutos Alérgenos .Avalia ção do Prick Test Avaliação Critérios de leitura: Controles .

.

An álise da sensibilidade do Prick test Análise com diferentes puntores .

Prick test com diferentes puntores Histamina Base 10 mg/ml 8 Pápula .Ø médio mm n=10 n=10 6 4 2 0 ALK-Lancet ALK-Lancet DUOTIP DUOTIP p<0.01 ALKO ALKO Puntores .01 p<0.

Prick test com diferentes puntores .

10 10 8 8 Dermatophagoides pteronyssinus Prick test n=10 n=10 Pápula .01 4 4 2 2 0 0 Padronizado Padronizado 60 60 µg µg Der Der p p 100 100 BU/ml BU/ml ALK-ABELLÓ ALK-ABELLÓ Lt: Lt: UO945 UO945 Não Não Padronizado Padronizado 50.000 50.Ø médio mm 6 6 p<0.000 PNU/ml PNU/ml FDA FDA Allergenic Allergenic Lt: Lt: 04BB00050 04BB00050 .

01 p<0.Blomia tropicalis Prick test 10 10 8 8 6 6 p<0.000 50.Ø médio mm 4 4 2 2 0 0 Padronizado Padronizado 100 100 BU/ml BU/ml ALK-ABELLÓ ALK-ABELLÓ Lt: Lt: T2013 T2013 Não Não Padronizado Padronizado 50.01 n=10 n=10 Pápula .000 PNU/ml PNU/ml FDA FDA Allergenic Allergenic Lt: Lt: 04BB0059 04BB0059 .

Prick test Padronizado (P) X Não Padronizado (NP) 1. Cp 2. Gato 6. Bt 5. Cão . Cn 3. Dp 4.

Diagnóstico laboratorial Teste “IN VITRO” ♦ IgE Total ♦ IgEEspecífica ♦ IgG4 Específica ♦ Histamina Liberada ♦ Sulfitoleucotrieno Ag .Específico ♦ Proteínas granulares dos eosinófilos ♦ Triptase dos mastócitos ♦ Citoquinas do TH2 ALERGIA .

Índices de Performance Diagnóstica de um Teste S en sibilid ad e = Positivo s ve rd ade iro s Positivo s ve rd ade iro s + Ne ga tivos falsos X 100 N egativos verd ad eiros E sp ecif icid ad e = N egativos verd ad eiros + Pos itivos falsos X 100 E fic iên cia = Positivo s ve rd ade iro s + Ne ga tivos ver dad eir os T otal de p ositivos + To tal de ne gativ os X 100 .

Diagnóstico laboratorial IgE sérica total ♦ Não reflete a produção total ♦ Não reflete a sua fixação nos receptores específicos tissulares ♦ Níveis elevados não são patognomônicos de atopia ♦ Há pacientes alérgicos com níveis normais ♦ Há variações nestes níveis na dependência de estímulos antigênicos ♦ Modificações dos níveis pela imunoterapia ♦ Cálculo para aplicação de anti-IgE ALERGIA .

Diagnóstico laboratorial IgE sérica específica ♦ Inalantes ♦ Drogas ♦ Alimentos ♦ Venenos de insetos ♦ Substâncias ocupacionais ALERGIA .

IgE Específica – CAP System Pharmacia .

CAP System vs Prick Test .

IgE Específica .

A.) ♦ Não poder retirar anti-histaminico ♦ Reações atípicas para alimentos ALERGIA .Diagnóstico laboratorial Indicações para realizar o RAST ♦ Dermografismo importante ♦ Doença cutânea (D.

urticária. dermatite atópica.Diagnóstico da Alergia Alimentar Espectro de patologias induzidas por alimentos IgE mediada Hipersensibilidade imediata (anafilaxia. asma) Síndrome da alergia oral Mistura de IgE e Não IgE mediada Esofagite esonofílica alérgica Gastrite esonofílica alérgica Gastroenterite esonofílica alérgica Não IgE mediada Enterocolite proteica alimentar Proctite proteica alimentar Enteropatia proteica alimentar Doença celíaca Sampson HA. . Anderson JA – J Pediatr Gastro Nutrit 2000. 30:S87-94.

Desvantagens: Não pode ser usado em crises graves ou raras.Testes Subjetivos na Alergia Alimentar “in vivo” ƒ Diário da dieta: barato e chama a atenção do paciente do que está ingerindo. susceptível a viés pelo paciente ou médico. é difícil se os suspeitos são numerosos e adesão duvidosa. . ƒ Dieta de eliminação: Não tem custo e é um modo de diagnóstico e tratamento. Desvantagens: pouca adesão.

e para o teste de provocação.Testes Objetivos na Alergia Alimentar “in vivo” Testes de puntura (Prick test): Extratos comerciais Possíveis ocorrências: ƒ Falta de disponibilidade ƒ Falsos negativos ou positivos ƒ Alergeno só presente no alimento ƒ Instabilidade do alérgeno (frutas e legumes) Direcionamento para outras avaliações. .

etc.: antihistamínicos.Teste de Puntura na Alergia Alimentar “in vivo” Vantagens: ƒ Simples. resultados imediatos e seguro Desvantagens: ƒ Reação sistêmica (remota) ƒ Dificultado por eczemas. antidepressivos tricíclicos. . etc. ƒ Alterado por certas medicações: Ex. dermografismo. barato.

.Performance do Prick Test vs DBPCFC Sampson HA.– JACI 1997. Ho DG . 100:44-51.

Testes Objetivos na Alergia Alimentar “in vitro” RAST na alergia alimentar Vantagem: seguro Desvantagem: ƒ Custo. ƒ Falta do alérgeno específico . ƒ Demora do resultado.

2001). amendoim e peixe ƒ Prevê reações futuras ƒ Valores confiáveis mesmo em pacientes não atópicos. 1998 e 107:891-6. leite.Testes Objetivos na Alergia Alimentar “in vitro” CAP System Imunocap: ƒ Resultados em kUA A/L de IgE específica ƒ Valores preditivos positivo e negativo de 90% e 95% para ovo. (JACI 100:444. .

Performance do Cap System com cutoff = 0. . 1997.2 anos) Sampson HA.35 KUA/L (idade média= 5. Ho DG – JACI. 100:44-51.

ƒ Diminui em 30-90 min.Testes Objetivos na Alergia Alimentar “in vitro” Outros marcadores na alergia alimentar Histamina: ƒ Metabolização rápida (pouca utilidade) Triptase: ƒ Dosagem ideal: 1 a 2 horas após a ingestão ou 30-60 min após o inicio da reação. mesmo em crises graves não se eleva muito. . ƒ Tolera congelamento. ƒ Beta-triptase armazenada nos grânulos é o marcador da ativação do mastócito.

.Diagnóstico da Alergia Alimentar Visão geral Sampson HA – JACI 1999. 103:981.

.

Obrigado .

Diagnóstico Laboratorial Na prática da alergia clínica ♦ Hemograma VHS ♦ Proteína C reativa ♦ Imunoglobulinas .IgG – A – M – E (total / específica) ♦ Subclasses de IgGs. (Estudo funcional) ♦ Estudo do complemento (CH50 – C3 – C4 – INHC1E) ♦ Estudo da fagocitose (NBT) ♦ Exame de urina ♦ Estudo radiológico ♦ Estudo imagem abdominal (Asplenia) ♦ Testes cutâneos ♦Hipersensibilidade imediata ♦Hipersensibilidade tardia .

Diagnóstico Laboratorial Linfócitos . heterófilos) ♦ Resposta pós-vacinal (Ex. etc) (Ex.: Elispot) .: Isohemaglutininas.Estuda citocina e imunoglobulina individual secretada pelo linfócito ♦ Secreção de imunoglobulinas .Testes Funcionais Linfócito B ♦ Dosagem de imunoglobulinas e subclasses ♦ Anticorpos naturais (Ex. Pneumovax.: tétano.

: HIV) .Testes Funcionais Linfócito T – Que finalidade? ♦ Determinar competência em infecções recorrentes ♦ Avaliar hipersensibilidades Tipo IV (CMI) ♦ Monitorar efeitos supressivos de drogas ou doenças (Ex.Diagnóstico Laboratorial Linfócitos .

Tricofitina. contato (DNCB) .Diagnóstico Laboratorial Linfócitos . Candidina.usados para: ♦ Determinar se o paciente já teve contato prévio com a infecção ou vacinação Ex.Testes Funcionais Linfócito T .D. Tuberculina.Testes “in vivo” Testes cutâneos (DTH) . etc) ♦ Avaliação para testes de contato .: PPD ♦ Determinar incapacidade (anergia) ou hipersensibilidade de resposta para antígenos de memória (Recall Ag) (SK/DN.

) .Diagnóstico Laboratorial “in vivo” Teste intradérmico Hipersensibilidade Tardia (Recall Ag.

Avaliação da proliferação / ativação para mitógenos e Ag.Testes Funcionais Linfócito T – “in vitro” e “ex. Memória (Recall Ag.Avaliação das subpopulações B .Diagnóstico Laboratorial Linfócitos .) .vivo” Finalidades: A .

vivo” Métodos Avançados: ♦ Teste de proliferação linfocitária (LPA) com incorporação da timidina tritiada ♦ Citometria de fluxo para citocinas intra-celulares Determina número e percentagem de células respondedoras .Diagnóstico Laboratorial Linfócitos .Testes Funcionais Linfócito T – “in vitro” e “ex.

vivo” Métodos Avançados: ♦ Monitorar ativação recente (Ex.Testes Funcionais Linfócito T – “in vitro” e “ex.: Cylex kit) – Monitorização de imunosupressão de transplante Geração de ATP .Diagnóstico Laboratorial Linfócitos .

Diagnóstico Laboratorial Linfócitos .: Quantiferon TB Test .Testes Funcionais Linfócito T – “in vitro” e “ex.vivo” Métodos Avançados: ♦ Medida “Ex-vivo” de produção de citocinas Ex.

vivo” .Métodos Avançados ♦ Elispot ♦ CTL por liberação de cromio (MHC – restrito) ♦ Detecção de CTL por ensaio de tetramero ♦ Citotoxicidade NK e ADCC (MHC – não restrito) .Diagnóstico Laboratorial Linfócitos .Testes Funcionais Linfócito T – “in vitro” e “ex.

Diagnóstico Laboratorial Métodos celulares avançados: ♦ Ausência de estandartização dos métodos ♦ Estabilidade do sangue quando enviada para o laboratório especializado ♦ Materiais de referência de difícil acesso ♦ Outros? .