You are on page 1of 2

Convulsões

O que é? Uma convulsão é um fenómeno electro-fisiológico anormal temporário que ocorre no cérebro (descarga bio-energética) [1] e que resulta numa sincronização anormal da actividade eléctrica neuronal. Estas alterações podem reflectir-se a nível da tonicidade corporal: contracções involuntárias da musculatura movimentos

desordenados - outras reacções anormais  desvio dos olhos e tremores - alterações do estado mental - outros sintomas psíquicos.

Dá-se o nome de epilepsia à síndrome médica na qual existem a convulsões recorrentes e involuntárias, embora possam ocorrer convulsões em pessoas que não sofrem desta condição médica. Sintomas: • • • • • • • • • Desmaio repentino Primeiros 30 segundos  teso Paragem respiratória  cianose Pupilas sem reacção à luz. sensações anormais espasmos musculares intensos, grandes contrações musculares dentes serrados. perda de memória, sensação de dejà vu (locais estranhos tornam-se familiares),

Causas: • Lesão no cérebro, por exemplo um coágulo ou uma hemorragia cerebral, ou a consequência de uma lesão provocada por uma meningite, contusão ou uma fractura do crânio (acidentes de carro, quedas e outros traumas na cabeça)

Lateralizar a cabeça para que a saliva/vómito escorra (evitando aspiração). de afogamento ou lesão ocular pelo álcool. deve-se deixá-los livres. Reduzir estimulação sensorial (diminuir luz. e pode-se afogar ao engolir o comprimido e a água. NÃOtotalmente dar banhos nem usar compressas com álcool caso haja febre pois há risco acordado. Os reflexos não estão totalmente recuperados. Limpar as secreções salivares. Normalmente não deixa sequelas. com um pano ou papel. Procurar assistência médica. travesseiro. Remover objectos (tanto da pessoa quanto do chão). o Consulte o médico acerca das observações futuras e tratamento. evitar barulho).• • Desidratação grave. não retire a pessoa . raramente ocorre mais de três vezes e desaparece após os 5 anos de idade. para facilitar a respiração. • • • Ela é definida como “uma crise que ocorre na infância. Hipoglicemia (baixa glicose no sangue). na hora da crise. Observar se a pessoa consegue respirar . Proteger a cabeça da pessoa com a mão. A crise febril normalmente é generalizada e ocorre durante a rápida elevação da febre. Intoxicações ou reacções a medicamentos. tumor)”. • • • • NÃO se deve imobilizar os membros (braços e pernas). o Esprema o conteúdo para o recto. O paciente deve ser mantido sobre observação até se encontrar • Se a convulsão for provocada por acidente ou atropelamento. geralmente entre três meses e cinco anos de idade. dando espaço para a pessoa. Procedimentos durante a crise convulsiva: • • • • • • • • • • • Deitar a pessoa (caso ela esteja de pé ou sentada). associada a febre. roupa. O que não fazer durante uma crise convulsiva o Repita os passos 2 a 4 se as convulsões não tiverem abrandado uns minutos depois. pela boca. Afastar os curiosos. mas sem evidência de infecção intracraniana (como meningite) ou de doença neurológica aguda (trauma. Epilepsias (crises convulsivas repetitivas não relacionadas à febre nem a outras causas acima relacionadas. evitando quedas e traumas. têm forte herança familiar). o Continue a espremer a ampola vazia enquanto a retira. para evitar traumas. mesmo que tenha os medicamentos. Afrouxar roupas apertadas. Permitir que a pessoa descanse ou até mesmo durma após a crise. NÃO tentar balançar a pessoa Isso evita a falta de ar. NÃO medique. o Tire uma ampola de 2 ml de diazepam (4 mg/ml) e insira-a no recto. Convulsão Febril (causada por febre).