You are on page 1of 2

3º TEMA

A MISSÃO COMO PROJECTO DE AMOR

Texto base: Ef 1,3-14 – O plano divino de salvação


• A pessoa é sujeito da predilecção de Deus e centro do projecto de Deus em Cristo.
• A pessoa está orientada para Cristo desde toda a eternidade. Temos a nossa origem na
eternidade de Deus. Desde toda a eternidade ele pensou em nós e vinculou-nos a seu filho.
• Fomos pensados e criados por ele e redimidos também por ele.
• S. João da Cruz diz que a redenção é o desposório que Deus fez com cada um de nós. Deus
faz-se esposo das almas, assim como Cristo é esposo da Igreja. Este desposório teve início
no calvário (mistério contemplado como desposório de Deus e a Humanidade).
• Nós estamos predestinados para a vida (e não para a morte) que é celebrada num contexto
nupcial de festa. O encontro comunitário manifesta-se em plenitude na eucaristia, dom total
de amor. Então JC torna-se também objecto do nosso amor e nada fora dele pode satisfazer o
coração humano.
• Podemos então dizer como Sto Agostinho: “criastes-nos para vós Senhor, e o nosso coração
não descansa enquanto não repousar em vós”.
• Somos predestinados a uma aliança de amor com Deus. Isso nem sempre é fácil porque
estamos marcados pelo pecado. No entanto é essa a nossa meta, mesmo que nos aconteça o
mesmo que a S. Paulo “faço o que não quero e não faço aquilo que desejo”.

Outros textos que mostram a missão de Paulo como uma iniciativa de Deus e do seu amor
manifestado e encarnado em Jesus Cristo:

1Cor 15,1-10
• Paulo toma consciência do lugar da sua vida inserida numa relação de amor de deus para
consigo e para com a humanidade, baseada em 3 pontos importantes:
1. O mistério pascal de Jesus, fonte de vida e salvação (vv 1-7)
2. A sua vocação a caminho de Damasco (vv 8-9)
3. A sua missão para os gentios (vv 1-3.9-10)
• S. Paulo compreende e manifesta que a sua missão só é possível porque Deus não faz
acessão de pessoas e apesar de perseguir a Igreja e considerar-se um aborto, Deus o escolhe
por amor. Então não se poupa a esforços para viver fiel á sua vocação e missão.

Rm 5,5-11 – Quando ainda éramos pecadores Cristo morreu por nós para nos reconciliar pelo seu
amor
Fil 3,7-9 – Tudo quanto era ganho, o considerei perda por causa de JC
Gal 1,11-12.15-16
• O Evangelho foi recebido por uma revelação divina e não alcançado por seus méritos
• Sente-se escolhido desde o seio materno para anunciar o evangelho aos gentios
2Cor 12,1-10 - Confiança absoluta em Jesus Cristo
Fil 1,21: para mim viver é Cristo - Comunhão íntima e total com Cristo
1Cor 9,19-23: Fiz-me tudo em todos - Comunhão universal

Experiência transformadora
Act 9,1-18; Gal 1,11-24 - O encontro com “aquele que perseguia” no caminho de Damasco
Para reflectir e rezar individualmente (a proposta é que cada jovem tenham cerca de 30 min para
pensar e rezar sozinho num local à sua escolha):
Ler e rezar o salmo 131
O que tiro de mais importante da reflexão?
Reler algum dos textos propostos:
Ef 1,3-14 – O plano divino de salvação
1Cor 15,1-10 – Apareceu-me como a um aborto e escolheu-me para anunciar aos gentios…
Rm 5,5-11 – Quando ainda éramos pecadores Cristo morreu por nós
Fil 3,7-9 – Tudo quanto era ganho, o considerei perda por causa de JC
Gal 1,11-12.15-16 – escolhido desde o seio materno
2Cor 12,1-10 - Confiança absoluta em Jesus Cristo
Fil 1,21: para mim viver é Cristo
1Cor 9,19-23: Fiz-me tudo em todos
Act 9,1-18; Gal 1,11-24 - O encontro com “aquele que perseguia” no caminho de Damasco
• Que te impressiona mais na vida de S. Paulo? Há algo em que te podes identificar com ele?
Onde encontrava ele a força do seu zelo apostólico?

Lê os textos de Daniel Comboni que te foram dados. Em que é que Comboni se assemelha a Paulo?
Que podes tirar de Comboni e de Paulo para a tua vida?
Escreve resumo ou oração

• MENSAGEM DE DANIEL COMBONI Nºs.


• 227. Toda a nossa confiança está naquele que morreu pelos pretos, que escolhe os meios
mais débeis para fazer as suas obras, porque quer demonstrar que é Ele o autor do bem e
nós, sozinhos, não poderemos fazer senão o mal. Tendo-nos Ele chamado a esta obra, com a
sua graça triunfaremos dos paxás, dos mações, dos governos ateus, dos tortos pensamentos
dos bons, da astúcia dos maus e das insídias do mundo e do inferno: só o ultimo alento da
nossa vida nos deterá a marcha.
• 228. A minha obra é por si mesma árdua e difícil e só a omnipotência divina pode levá-la
para a frente; por isso coloquei toda a minha esperança no Coração de Jesus e na intercessão
de Maria e estou pronto a sofrer tudo pela salvação das nações que me foram confiadas,
convencido de que a cruz é o sigilo das obras divinas, desde que não seja provocada pela
nossa imprudência ou maldade, e confortado pelo oráculo divino:
• 231. Mas o Senhor que inquieta e alegra, enquanto com uma mão me oferece uma cruz, à
qual me submeto com entusiasmo de um espírito que aceita voluntariamente um seguro
penhor de protecção, com a outra mostra-me as razões para ter esperança e consolação.
• Tenho a absoluta confiança de que o Divino Coração de Jesus com a sua infinita
misericórdia e bondade reparará todos os prejuízos, porque Ele com a Sua graça sempre
guiou e guiará a Obra Santa.

Para a oração comunitária (partilha em grupo do momento anterior):

Cântico – acender as velas pessoais


Sl 131
Partilha de algum fruto da reflexão ou uma oração